domingo, 31 de julho de 2022

O ADVOGADO DIVINO

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

31 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-advogado-divino/

O ADVOGADO DIVINO

Eis que Eu gravei você nas palmas das Minhas mãos; as suas muralhas estão continuamente diante de Mim. Isaías 49:16

Satanás tem profundo conhecimento dos pecados que ele tem levado o povo de Deus a cometer e lança contra os fiéis suas acusações declarando que, por causa de seus pecados, perderam o direito à proteção divina, e afirmando que ele tem o direito de destruí-los. Aponta-os como se fossem tão dignos como ele mesmo de ser privados do favor de Deus. Ele diz: “Este é o povo que deve ocupar meu lugar no Céu, e o lugar dos anjos que se uniram a mim? Eles dizem que obedecem à lei de Deus, mas será que têm guardado seus preceitos? Não têm amado mais o eu do que a Deus? Não têm colocado seus próprios interesses acima de Seu serviço? Não têm se apegado às coisas do mundo? Veja os pecados que têm marcado sua vida. Veja seu egoísmo, sua maldade, o ódio de uns aos outros. Deus vai banir a mim e meus anjos de Sua presença, e recompensará os que são culpados dos mesmos pecados? Tu não podes, ó Senhor, com justiça, fazer isso. A justiça exige que a sentença seja pronunciada contra eles.”

Embora os seguidores de Cristo tenham pecado, eles não se entregaram ao controle das forças satânicas. Arrependeram-se de seus pecados e procuraram o Senhor com humildade e contrição, e o Advogado divino intercede por eles. Aquele que tem sofrido ao máximo pela ingratidão deles, Aquele que conhece seus pecados e também sua penitência, declara: “O Senhor te repreende, ó Satanás. Eu dei Minha vida por eles. Eles estão gravados na palma das Minhas mãos. Podem ter imperfeições de caráter, podem ter falhado em seus esforços, mas se arrependeram; e Eu os perdoei e os aceitei.”

Os ataques de Satanás são fortes, e seus enganos são sutis, mas os olhos do Senhor estão sobre Seu povo. Sua aflição é grande, o fogo da fornalha parece prestes a consumi-los, mas Jesus os apresentará como o ouro provado no fogo. Suas inclinações terrenas serão removidas, para que por meio deles a imagem de Cristo possa ser perfeitamente revelada (Profetas e Reis, p. 343 [588, 589]). 

PARA REFLETIR: Você se arrependeu dos seus pecados e entregou a vida completamente a Jesus, o seu Advogado divino? 

Meditações Diárias: 31 de Julho - O ADVOGADO DIVINO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/AoKaqfP_4ns

Josué 12 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 12

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 12 – O plano de Deus de conceder Canaã a Israel está em pleno desenvolvimento. As promessas feitas por Deus estão sendo cumpridas por Ele mesmo. Assim, o livro de Josué “é permeado por uma atmosfera de otimismo jubiloso. A sua ideia central é o cumprimento da promessa feita aos antepassados quanto à possessão da terra de Canaã. Da abertura do livro, que registra as palavras de Deus em relação à iminente travessia do Jordão, até seu final, com o sepultamento de várias personalidades no solo da tão sonhada Terra Prometida, dá-se ênfase permanente ao cumprimento das ‘palavras de Deus’” (Marten Woudstra).

Quando vários exércitos reuniram-se contra Israel, Deus disse para não temerem, pois Ele lutaria, venceria e lhes entregaria nas mãos (Josué 10:7, 42; 11:6).

Josué 12 lista os reis conquistados por Israel:

Primeiramente, liderado por Moisés: Dois grandes reinos (Josué 12:1-6).

Depois, liderado por Josué: Trinta e um reinos (Josué 12:7-24).

Até Josué 12, foram 33 reinos subjugados, deixando registrado o que Deus é capaz de fazer pelas pessoas libertas da escravidão egípcia pelo deserto sem treinamento ou equipamentos bélicos. Grandes fortalezas foram conquistadas, vitórias humanamente indescritíveis e incompreensíveis.

Josué 12 arremata o que foi salientado no capítulo anterior: A terra de Canaã fora totalmente conquistada (Josué 11:16, 23). Tal conquista incluiu os gigantes enaquins (Josué 11:21), temidos pelos israelitas no início (Números 13:28, 33; Deuteronômio 9:2); evidenciando que os incrédulos murmuradores estavam equivocados ao temerem mais as fortalezas humanas do que confiarem na força divina (Números 13:28-14:10).

Josué 12 é uma síntese, “nesse resumo, há tanto a trajetória como o fim daqueles que resistem a Deus. O caminho estreito, bem como o largo são salientados nessa lição. A senda de Israel foi o caminho da obediência, sob a direção divina. No entanto, esse caminho nem sempre foi fácil. Muitas vezes, significou avançar a despeito dos grandes obstáculos. A hesitação significaria fracasso e perda. A história de Israel, porém, nesse momento, se caracteriza por perseverança constante e resoluta. A característica dos cananeus era a rebelião... eles combateram até o fim, sem aprenderem nenhuma lição e se recusando a ceder” (Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia).

Herança ou desgraça: Nosso futuro depende das decisões do presente! Ainda estamos em tempo de graça! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 30 de julho de 2022

O ARQUITETO CELESTIAL

 O ARQUITETO CELESTIAL

“Porque a Minha mão fez todas estas coisas, e todas vieram a existir”, diz o Senhor. Isaías 66:2

Não só devemos amar a Deus de todo o coração, mente e alma, como também com todas as forças. Isso inclui o uso pleno e inteligente das forças físicas. 

Cristo era obreiro fiel tanto nas coisas temporais quanto nas espirituais, e em toda a Sua obra tinha a resolução de fazer a vontade do Pai. As coisas do Céu e da Terra têm conexão mais íntima e estão mais diretamente sob a superintendência de Cristo do que muitos reconhecem. Foi Cristo que planejou a disposição do primeiro tabernáculo terreno. Deu toda especificação a respeito do levantamento do templo de Salomão. Ele, que em Sua vida terrena trabalhava como carpinteiro na vila de Nazaré, foi o Arquiteto celestial que idealizou o plano do edifício sagrado onde Seu nome deveria ser honrado. 

Foi Cristo que deu sabedoria aos edificadores do tabernáculo para executar o mais primoroso trabalho artístico. Disse: “Eis que chamei pelo nome Bezalel, filho de Uri, filho de Hur, da tribo de Judá, e o enchi do Espírito de Deus, de habilidade, de inteligência e de conhecimento, em todo artifício. […] Escolhi Aoliabe, filho de Aisamaque, da tribo de Dã, para trabalhar com ele. Também dei habilidade a todos os homens hábeis, para que me façam tudo o que tenho ordenado” (Êx 31:2, 3, 6). 

Deus deseja que Seus servos em todo ramo O contemplem como o Doador de tudo quanto possuem. Todas as boas invenções e melhoramentos têm origem Naquele que é maravilhoso em conselho e excelente em obra. O contato hábil da mão do médico, seu poder sobre nervo e músculo e conhecimento da delicada estrutura do corpo são a sabedoria do poder divino que deve ser usada para auxiliar os sofredores. A perícia com que o carpinteiro usa o martelo e a força com que o ferreiro faz tinir a bigorna vêm de Deus. Ele confiou às pessoas talentos e espera que Lhe peçam conselho. O que quer que façamos, qualquer que seja o ramo da obra em que nos empenhemos, o Senhor deseja dirigir nossa mente para que façamos uma obra perfeita (Parábolas de Jesus, p. 348, 349). 

PARA REFLETIR: Como você ama a Deus com a sua força física enquanto realiza as atividades diárias? 

Meditações Diárias: 30 de Julho - O ARQUITETO CELESTIAL l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/d01SUd6IszE

Josué 11 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 11

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 11 – As conquistas israelitas arrasaram as terras canaanitas. As vitórias do povo de Deus devastaram aos povos pagãos. O avanço de Israel é notório em cada território; neste capítulo, as tropas de Josué avançaram rumo ao norte. 

• Estas guerras, matanças e destruições descritas nesses capítulos belicosos tornam-se munições aos críticos da Bíblia, ao confrontarem aos servos de Deus.

Contudo, é importante considerar que a Bíblia não lida com a morte dos cananitas de forma arbitrária, ou com indiferença. Deus não tem “prazer na morte dos ímpios, antes” Seu prazer é “que eles se desviem dos seus caminhos e vivam” (Ezequiel 33:11). 

Mediante Seu profeta, Deus apela “que o ímpio abandone o seu caminho; e o homem mau os seus pensamentos. Volte-se ele para o Senhor, que terá misericórdia dele; volte-se para o nosso Deus, pois Ele dá de bom grado o Seu perdão” (Isaías 55:7). Foi o que aconteceu a Raabe (Josué 6:22-25). 

• Não teria Deus salvado mais pessoas caso tivessem a mesma atitude dessa mulher de Jericó?

Lendo a Bíblia sequencialmente, pode-se perceber que Deus preparava Israel para o que sucederia em Canaã. Assim, o leitor é preparado também ao ler Gênesis 15:16, onde Deus concede graça por mais de 400 anos aos pagãos de Canaã, segurando Israel esse tempo no Egito. 

O tempo de graça foi aproveitado apenas para se aprofundarem ainda mais na desgraça do pecado, no paganismo. Anos depois, Deus apela ao Seu povo para não deixar-se influenciar pelas deploráveis práticas imorais, abomináveis, repulsivas que obrigavam Deus a julgar os cananitas (Levítico 18:24-30; Deuteronômio 18:9-13).

Assim, as estratégias divinas no livro de Josué não são ações odiosas contra pessoas, mas contra o pecado que as pessoas não querem abrir mão. Se o fizessem, como Raabe seriam poupadas – assim como futuramente a perversa Nínive foi poupada quando se arrependeu diante da ameaça do profeta Jonas.

Além de Raabe, os gibionitas também foram poupados. “Com exceção” destes, “nenhuma cidade fez paz com os israelitas” (Josué 11:19).

A mesma consequência dos cananitas atingiria Israel caso afastasse dos princípios divinos – evidenciando que Deus não agira arbitrariamente (Josué 24:20). Antes que a execução, o anseio de Deus é de conciliação; pretendendo, assim, poupar aos pagãos (Deuteronômio 20:10-12).

O plano divino consiste em salvação! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 29 de julho de 2022

O DONO DE TODOS OS NOSSOS TESOUROS

 O DONO DE TODOS OS NOSSOS TESOUROS

Não acumulem tesouros sobre a terra, onde as traças e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam. Mateus 6:19

O Dono de todos os nossos tesouros terrestres veio a nosso mundo na forma humana. “O Verbo Se fez carne e habitou entre nós” (Jo 1:14). Não podemos avaliar quão profundo interesse Ele tem pela família humana. Ele conhece o valor de cada pessoa. Que tristeza O oprimia ao ver a herança que comprou enfeitiçada pelas invenções de Satanás!

A única satisfação de Satanás ao fazer o jogo da vida com os seres humanos é a satisfação que tem em ferir o coração de Cristo. Embora fosse rico, Cristo Se fez pobre por amor a nós, para que, pela Sua pobreza, nos tornássemos ricos (2Co 8:9). Contudo, mesmo diante desse grande fato, a maioria do mundo permite que as posses terrenas eclipsem as atrações celestiais, colocando suas afeições nas coisas terrestres e, com isso, afastando-se de Deus. Que grave pecado é as pessoas não reconhecerem o quanto é insensato permitir que o apego desordenado às coisas terrenas expulse do coração o amor de Deus. Quando o amor de Deus é expulso, o amor ao mundo imediatamente adentra para preencher o espaço. Só o Senhor pode purificar o templo da alma da corrupção moral.

Jesus deu Sua vida pela vida do mundo, e dá ao ser humano valor infinito. Deseja que cada pessoa se valorize e considere seu bem-estar futuro. Se nossos olhos forem bons, todo o corpo será cheio de luz (Mt 6:22). Se a visão espiritual for clara, as realidades invisíveis serão consideradas em seu valor real, e a contemplação do mundo eterno acrescentará alegria a este mundo.

O cristão transbordará de alegria na medida em que for mordomo fiel dos bens de seu Senhor. Cristo deseja salvar cada filho e filha de Adão. Eleva a voz em advertência a fim de quebrar o encanto que tem conservado a alma presa no cativeiro do pecado. Suplica aos seres humanos que deixem suas obsessões. Ele põe o mundo superior diante de seus olhos e diz: “Não acumulem tesouros sobre a terra” (Mt 6:19) (Conselhos Sobre Mordomia, p. 136, 137). 

PARA REFLETIR: Quanta felicidade você sente por compartilhar as bênçãos materiais que Deus lhe confiou?

Meditações Diárias: 29 de Julho - O DONO DE TODOS OS NOSSOS TESOUROS l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/8137B0gROgQ

Josué 10 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 10

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 10 – Aos que se consagram, Deus opera grandiosas maravilhas. Isso está bem claro em Josué 3:5. A forma de consagração está em no início do livro, quando Deus diz que o sucesso humano resulta da absorção da palavra divina, na busca por coragem no poder divino, e na confiança na presença de Deus (Josué 1:6-9).

O Deus que declarou que a Terra é Sua propriedade (Levítico 25:23), é o “Soberano de toda a Terra” (Josué 3:11-13). Esse Deus foi reconhecido por Raabe, de Jericó, como sendo “Deus em cima nos Céus e embaixo na Terra” (Josué 2:11); o Qual pode fazer grandes maravilhas. Em Josué 3:14-17 revela-nos que Deus parou abruptamente às correntezas do transbordante rio Jordão para Seu povo passar à seco dentro do seu leito.

Em Josué 6:20 diz que Deus fez algo nunca visto antes: Os fortes muros de pedra da fortificada cidade de Jericó ruíram apenas com gritos e toques de trombetas dos israelitas. Em Josué 7:7 encontramos que Deus entregou o exército de Ai nas mãos de Seu povo, o qual contou com uma extraordinária estratégia bélica orientada por Ele. Além disso, um dos grandes feitos de Deus foi salvar a família de Raabe que, mesmo sendo de Canaã, depositou Sua convicção e fé nEle (Josué 6:22-23).

Em Josué 10, Deus mostra-Se mais poderoso que o sol e a lua – astros importantes considerados como deuses pelos pagãos. Estes grandes astros, que seguem seu curso sistematicamente, foram interrompidos em sua trajetória regular diante da voz de comando de Josué. Assim, o dia que seria curto demais para terminar a grande tarefa/guerra contra cinco exércitos que se uniram para atacar Israel, tornou-se grande suficiente para ir além da vitória desses cinco exércitos (Josué 10:1-27). “Naquele mesmo dia” o exército de Josué também tomou ao sul as cidades de Maquedá e Libna (Josué 10:28-31). Que dia extraordinário!

As atividades desse dia encerraram quando o texto afirma que Laquis foi tomada “no dia seguinte” (Josué 10:32). Mais maravilhas de Deus notam-se na conquista de toda a região “desde Cades-Barneia até Gaza, e toda a região de Gósen, e de lá até Gibeom” (Josué 10:32-43).

Se confiarmos no Soberano que administra o Universo, desfrutaremos de Suas grandes maravilhas operadas em nosso favor! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 28 de julho de 2022

O HONRADO DO CÉU

 O HONRADO DO CÉU

E sujeitou todas as coisas debaixo dos pés de Cristo e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, O deu à igreja. Efésios 1:22

Raiava o dia sobre o mar da Galileia. Os discípulos, fatigados por uma noite de trabalho inútil, ainda estavam em seus barcos no lago. Jesus viera passar um momento tranquilo à beira-mar. Bem cedo de manhã, esperava ter um período de sossego, longe da multidão que O acompanhava dia a dia. Mas logo o povo começou a se aglomerar em torno Dele. A quantidade de pessoas aumentou rapidamente, de maneira que Se sentia comprimido de todos os lados. Entretanto, os discípulos tinham vindo para terra. A fim de escapar à pressão da massa, Jesus entrou no barco de Pedro e lhe pediu que o afastasse um pouco da praia. Ali Jesus podia ser visto e ouvido melhor por todos e, do barco, ensinava à multidão na praia. 

Que cena para os anjos contemplarem! Seu glorioso Comandante, sentado em um barco de pescador, balançado de um lado para outro pelas inquietas ondas e proclamando as boas-novas de salvação ao povo atento, que se comprimia até a beira da praia! Aquele que era o Honrado do Céu estava declarando os grandes princípios de Seu reino ao ar livre, ao povo comum. Contudo, não podia ter cenário mais apropriado a Seus trabalhos. O lago, as montanhas, os vastos campos, a luz a inundar a terra, tudo oferecia ilustrações para Seus ensinos, para gravá-los nas mentes. E nenhuma lição de Cristo foi infrutífera. Toda mensagem de Seus lábios alcançou algum coração com a Palavra da vida eterna. 

A cada momento crescia a multidão na praia. Homens de idade apoiando-se em seus cajados, robustos camponeses das colinas, pescadores do lago, comerciantes e rabinos, ricos e instruídos, velhos e jovens, trazendo seus enfermos e sofredores, se apertavam para ouvir as palavras do divino Mestre. Os profetas haviam contemplado essas cenas antecipadamente e escreveram: “A terra de Zebulom e a terra de Naftali; […] o caminho do mar, além do Jordão, Galileia dos gentios. O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte resplandeceu-lhes a luz” (Is 9:1, 2) (O Desejado de Todas as Nações, p. 185, 186 [244, 245]). 

PARA REFLETIR: Em que área da sua vida você necessita que Jesus pronuncie paz agora mesmo?

Meditações Diárias: 28 de Julho - O HONRADO DO CÉU l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/Gv8OeZBYoWY

Josué 9 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 9

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 9 – A submissão a Deus é um aprendizado constante, que muitas vezes experimenta falhas. Depender de Deus constantemente é o maior desafio do ser humano que luta contra o orgulho, o egoísmo, a vaidade e a independência inata do coração corrompido pelo pecado.

Embora sendo líder experiente, preparado e escolhido por Deus, Josué era como qualquer outro ser humano, finito, frágil e carente da graça celestial diante de suas falhas. Ainda que grandes personagens possam ter virtudes, acontece de ter momentos de fraquezas. 

Em Josué 9, como líder do povo de Deus, Josué tomou decisão errada, embora parecia perfeitamente correta. Isso porque Deus não foi consultado. Os gibionitas maquinaram um engano, e Josué caiu facilmente na estratégia do inimigo.

A virtude de Josué se nota quando não comete um erro para consertar outro. Ele não ataca os gibionitas nem desfaz o acordo. Ele honra o acordo feito, mesmo que foi baseado no engano. O temor a Deus faz com que Seus servos resolvam erros com acertos. Foi assim que os gibionitas foram protegidos pelo exército do povo de Deus e se tornaram “lenhadores e carregadores de água para a comunidade e para o altar do Senhor, no local que o Senhor escolhesse” (Josué 9:26-27).

Ainda que sejamos experientes e maduros espiritualmente, não deixemos de consultar a Deus diante de decisões aparentemente óbvias. O inimigo é tão astuto que se preocupa com cada detalhe visando enganar; além das vestes envelhecidas, bolsas remendadas e comidas secas e mofadas, parece que os gibionitas agiram baseando-se numa revelação de Deus a Moisés: As nações distantes de Canaã deveriam ser poupadas (Deuteronômio 7:1-2; 20:10-18). Todos os detalhes para enganar pautaram-se nesta orientação divina!

• O enganador pode usar a Bíblia para iludir o povo da Bíblia!

• Mal utilizada, a Palavra de Deus torna-se instrumento do inimigo (Lucas 4:9-12).

O inimigo de Deus levanta líderes espirituais operando milagres como os verdadeiros servos de Deus (Mateus 7:22-23; 24:24). No tempo do fim, um poder falará como cordeiro tentando se passar por Jesus, o Cordeiro de Deus, e realizará “grandes sinais, chegando a fazer [como o profeta Elias] descer fogo do Céu a Terra” para “enganar os habitantes da Terra” (Apocalipse 13:11-14). 

Para não sermos enganados, consultemos incessantemente a Deus! Precisamos reavivarmo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 27 de julho de 2022

A VÍTIMA ENSANGUENTADA

A VÍTIMA ENSANGUENTADA

Mas Jesus, dando um forte grito, expirou. Marcos 15:37

Os sacerdotes e as autoridades se surpreenderam ao verificar que Jesus já estava morto. A morte pela cruz era um processo demorado; era difícil determinar quando a vida do crucificado havia sido interrompida. Era algo inédito que alguém morresse dentro de seis horas de crucifixão. Os sacerdotes desejavam se certificar da morte de Jesus e, por sugestão deles, um soldado espetou uma lança no lado do Salvador. Da ferida feita, saíram duas substâncias abundantes e distintas: uma foi sangue, e a outra, água. Isso foi observado por todos os espectadores, e João relatou a ocorrência de maneira bastante clara. […]

Depois da ressurreição, os sacerdotes e líderes divulgaram o boato de que Cristo não havia morrido na cruz, mas que apenas tinha desmaiado e depois revivido. Outro boato afirmava que havia sido posto no sepulcro não um corpo real, de carne e osso, mas algo semelhante a um corpo. A atitude dos soldados romanos contesta essas falsidades. Não quebraram as pernas de Jesus, porque Ele já estava morto. Para satisfazer os sacerdotes, perfuraram Seu lado. Se a vida já não tivesse terminado, isso teria ocasionado imediatamente a morte.

No entanto, a morte de Jesus não foi causada pelo furo da lança nem pela dor da crucifixão. Aquele grito solto “em alta voz” (Lc 23:46) no momento da morte e a corrente de sangue e água que jorrou de Seu lado demonstravam que Ele morreu pela ruptura do coração, que se partiu pela angústia mental. Foi morto pelo pecado do mundo.

Com a morte de Cristo, pereceram as esperanças dos discípulos. Olhavam para Suas pálpebras fechadas e a cabeça pendida, o cabelo empastado de sangue, as mãos e os pés traspassados, e era indescritível a angústia que sentiam. Até o último momento, não acreditavam que Ele morreria; mal podiam crer que estivesse realmente morto. Esmagados pela dor, não recordavam Suas palavras, que prediziam exatamente isso. Nada do que Ele havia dito dava conforto. Viam unicamente a cruz e a Vítima ensanguentada. Para eles, o futuro parecia escuro e desesperador. Sua fé em Jesus tinha morrido; no entanto, nunca haviam amado tanto seu Senhor. Nunca antes haviam assim compreendido Seu valor e a necessidade que tinham da presença Dele (O Desejado de Todas as Nações, p. 619, 620 [771, 772]). 

PARA REFLETIR: Em um mundo no qual muitos ainda duvidam da existência de Jesus e não valorizam a morte Dele, como a sua vida pode testemunhar que Cristo é real e vive hoje? 

Meditações Diárias: 27 de Julho - A VÍTIMA ENSANGUENTADA l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/qJFfOToeKYo

Josué 8 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 8

Comentário Pr Heber Toth Armí

Josué 8 – Deus pode usar nossos erros para dar-nos vitórias. Ele pode reverter maldições em bênçãos.

Deus orientou Israel a formar um grupo que deveria fugir fingindo estar com medo de uma nova derrota – a fuga serviria de isca levando o exército inimigo a abandonar a cidade; na sequência, outro grupo do exército israelita a incendiaria. O esquema de Deus deu certo, mostrando que Ele pode usar nossos fracassos para acertar nossa rota (Josué 8:1-29).

Por outro lado, observa-se que nem toda vitória sobre o povo de Deus significa absoluta derrota. O exército de Ai venceu Israel uma vez, mas assim que Israel resolveu o problema eliminando Acã (Josué 7:24-26), e submeteu-Se às instruções divinas, seus inimigos nada mais puderam contra o povo. 

• Ainda que a igreja sofra ataques, enfrentando dores de algumas derrotas, sejamos cientes que, certamente Deus pode reverter frustração em vitória.

O livro de Josué ensina dependência constante a Deus, a qual passa pela independência do próprio eu. Quando Deus orienta, é importante acatar (Josué 8:1), pois o sucesso vem dEle (Josué 8:7). Por isso, é fundamental ouvir Seu apelo: “Façam o que o Senhor ordenou. Atentem bem para as minhas instruções” (Josué 8:8).

• Confiar em si mesmo impede a ação divina em nossa vida. Portanto, e imprescindível submeter-se a Deus e à Sua Palavra.

Sobre submissão a Deus que trata o final do capítulo. As instruções divinas dadas a Moisés, escritas no Livro da Lei de Moisés, foram seguidas à risca. Após um grupo se colocar em pé defronte do monte Gerizim e outro defronte do monte Ebal, “para que o povo fosse abençoado... Josué leu todas as palavras da lei... não houve uma só palavra de tudo o que Moisés tinha ordenado que Josué não lesse para toda a assembleia de Israel, inclusive mulheres, crianças e os estrangeiros que viviam no meio deles”.

Independente da idade e nacionalidade, acatemos “toda Palavra que sai da boca de Deus” (Mateus 4:4); pois “toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16-17). Assim viveremos Seus planos maravilhosos para nós! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 26 de julho de 2022

O MINISTRO DA NOVA ALIANÇA

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

26 de julho

       O MINISTRO DA NOVA ALIANÇA

   Quando, porém, Cristo veio como sumo sacerdote dos bens já realizados, mediante o maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos humanas, quer dizer, não desta criação. Hebreus 9:11

   O serviço sacrifical que apontava para Cristo passou, mas os olhos da humanidade se voltaram para o verdadeiro sacrifício pelos pecados do mundo. O sacerdócio terrestre terminou; mas nós olhamos para Jesus, o Ministro da nova aliança, e para o “sangue aspergido, que fala melhor do que o sangue de Abel” (Hb 12:24, NVI). “O caminho do santuário não estava descoberto enquanto se conservava em pé o primeiro tabernáculo, […] mas, vindo Cristo, o sumo sacerdote dos bens futuros, por um maior e mais perfeito tabernáculo, não feito por mãos, […] por Seu próprio sangue, entrou uma vez no santuário, havendo efetuado uma eterna redenção” (Hb 9:8, 11, 12, ARC). 

   “Por isso, também pode salvar totalmente os que por Ele se aproximam de Deus, vivendo sempre para interceder por eles” (Hb 7:25). Embora o serviço sacerdotal tivesse de ser transferido do templo terrestre para o celestial; embora o santuário e nosso grande Sumo Sacerdote fossem invisíveis aos olhos humanos, os discípulos não sofreriam nenhuma perda com isso. Não experimentariam falha alguma em sua comunhão nem diminuição de poder por causa da ausência do Salvador. Enquanto Cristo ministra no santuário do Céu, Ele continua a ser, por meio de Seu Espírito, o ministro da igreja na Terra. Apesar de estar ausente aos nossos olhos, Ele cumpre a promessa que nos deu ao partir: “Eu estarei sempre com vocês, até o fim dos tempos” (Mt 28:20, NVI). Embora delegue Seu poder a ministros inferiores, Sua presença vitalizante permanece ainda em Sua igreja. 

   “Tendo, pois, Jesus, o Filho de Deus, como grande sumo sacerdote […], conservemos firmes a nossa confissão. Porque não temos sumo sacerdote que não possa se compadecer das nossas fraquezas; pelo contrário, Ele foi tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Portanto, aproximemo-nos do trono da graça com confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça para ajuda em momento oportuno” (Hb 4:14-16) (O Desejado de Todas as Nações, p. 123, 124 [166]). 

   PARA REFLETIR: Que poder pessoal Jesus, o Ministro da nova aliança, oferece a você hoje na batalha contra o pecado?

Josué 7 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 7

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 7 – Pecados supostamente escondidos não são escondidos de Deus. Pecados individuais não afetam apenas a quem os praticam; a família, a igreja e a sociedade podem ser terrivelmente afetadas por pecados aparentemente insignificantes.

Após a gloriosa vitória sobre Jericó, Israel experimentou dolorosa derrota ao atacar a pequena cidade de Ai. Não era falha divina; alguém tinha falhado diante das exigências de Deus. A culpa que afetou a todo o povo era de Acã, o qual cometeu o pecado do décimo mandamento, visível na quebra do oitavo mandamento (Êxodo 20:15, 17).

Talvez o mandamento mais negligenciado seja o décimo. Muitos não dão a devida atenção que ele merece. Ele é a conclusão do decálogo, é o clímax do anseio de Deus para nós; vai ao cerne do coração humano – cuja corrupção e engano a tudo supera (Jeremias 17:9). 

“A cobiça é um dos inimigos mais terríveis do homem. A maldição das riquezas trouxe mais sofrimento à raça humana do que talvez qualquer outra coisa. Ela inspirou os atos mais baixos da história. Impérios foram destruídos, nações arruinadas, continentes mergulharam nas guerras mais devastadoras e pessoas se envolveram em disputas amargas, não por causa da pobreza extreme, mas do abuso injusto do dinheiro”, declarou LeRoy F

Ciente da malignidade do terrível pecado da cobiça, Ellen White adverte aos que a ignoram: “O bêbado é desprezado, e se diz que seu pecado o excluirá do Céu; ao passo que o orgulho, o egoísmo e a cobiça muitas vezes não são reprovados. No entanto, esses são pecados especialmente ofensivos a Deus, pois são contrários à benevolência de Seu caráter e àquele desinteressado amor que é a própria atmosfera do Universo não caído” (CC, 30).

Josué 7 revela o desgosto de Deus pela cobiça, e mostra como esse pecado “insignificante” acarreta experiências terrivelmente frustrantes.

Acã foi apedrejado; sua família (provavelmente conivente) foi queimada. Acor (que significa “problema”), onde aconteceu o apedrejamento, é um jogo de palavra com Acã. Eliminar Acã implicou resolver o problema da cobiça. Deus resolveu o mesmo problema no Céu, ao expulsar o querubim cobiçoso que promoveu guerra intentando conquistar o trono divino (Apocalipse 12:7-9).

• Certamente, a cobiça é do diabo!

Precisamos da graça de Cristo para não frustrarmo-nos com a desgraça da cobiça! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 25 de julho de 2022

O GRANDE MODELO

 O GRANDE MODELO

Assim brilhe também a luz de vocês diante dos outros, para que vejam as boas obras que vocês fazem e glorifiquem o Pai de vocês, que está nos céus. Mateus 5:16

Paulo escreveu: “Façam tudo sem murmurações nem discussões, para que sejam irrepreensíveis e puros, filhos de Deus inculpáveis no meio de uma geração pervertida e corrupta, na qual vocês brilham como luzeiros no mundo, preservando a palavra da vida. Assim, no Dia de Cristo, poderei me gloriar de que não corri em vão, nem me esforcei inutilmente” (Fp 2:14-16).

Quanto às pessoas que não se encontram sob o controle divino, muito embora professem ser cristãs, realmente contribuem com a eficácia do evangelho nas relações de trabalho com os não convertidos? Há muitos cujo nome nos livros de registro do Céu estará descrito com as palavras: “Não produtores, apenas consumidores.” Não deram fruto para a glória de Deus. O Senhor não pode cooperar com eles. São pedras que ocupam espaço no ambiente, mas não emitem luz. Não podem brilhar como pedras vivas, pois não recebem luz da Pedra angular. Será que podem se dar ao luxo de manter a alma em tamanha incerteza? Os cristãos se encontram ou sob o domínio de Cristo, atentando para as Suas instruções e fazendo a obra que lhes corresponde como seguidores de Deus, ou sob o controle do inimigo. Ou fazem o bem, ou causam dano incalculável. […]

Os cristãos devem ser portadores de luz, que dizem a todos com quem entram em contato: “Sigam-me, assim como eu sigo a Cristo.” Devem ser exemplos de piedade, que representam a Cristo em palavra, espírito, ação e em todas as interações com irmãos e desconhecidos. Precisam mostrar que os seus atos são uma cópia dos atos do grande Modelo. Cristo requer tudo isso dos Seus seguidores. Eles devem revelar a superioridade dos princípios celestiais sobre os princípios do mundo. […]

Os cristãos verdadeiros sempre brilham como luzes no mundo. São portadores de luz que operam em um plano de ação mais elevado do que os não cristãos. Sua pureza e retidão em cada ato são fontes de iluminação. Compartilham aquilo que recebem, tornando conhecidos os deveres e os privilégios do cristão. Os princípios enobrecedores e refinadores do evangelho se manifestam em cada fase da vida (Carta 148, 1899). 

PARA REFLETIR: Que “dano incalculável” você pode causar se não for consagrado a Deus?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-grande-modelo/

Meditações Diárias: 25 de Julho - O GRANDE MODELO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/GDZWlGA7FAA

Josué 6 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 6

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 6 – Deus age misteriosamente. É impossível à ciência humana entender Suas ações sobrenaturais. Nem a lógica ou qualquer intelecto humano conseguirá sanar todas as perguntas e resolver todas as curiosidades que surgem das miraculosas ações do Deus Todo-poderoso.

Marchas silenciosas por seis dias. Gritos e toque de trombetas no sétimo dia. Como resultado dessa estratégia militar orientada por Deus, a cidade completamente fechada e fortificada teve seus muros ruindo sem nenhuma explicação no campo da razão humana. 

A única explicação é que “o Senhor organizou o Seu exército em torno da cidade condenada. Nenhuma mão devia se erguer contra ela; os exércitos do Céu derrubariam seus muros, a fim de que somente o nome de Deus tivesse a glória. Esta era aquela orgulhosa cidade cujos poderosos muros haviam incutido terror nos espias incrédulos. Entretanto, na tomada de Jericó, Deus declarou aos hebreus que seus pais poderiam ter possuído a cidade quarenta anos antes, se tivessem confiando nEle” (CBASD v.2, p.1098).

“Há mistérios profundos na Palavra de Deus, há mistérios em Suas providências e há mistérios no plano da salvação que o ser humano não pode desvendar. Contudo, a mente finita, que tem forte desejo de satisfazer a curiosidade e resolver os problemas do infinito, negligencia seguir o simples caminho indicado pela vontade de Deus e tenta sondar os segredos ocultos desde a fundação do mundo. O ser humano constrói suas teorias, perde a simplicidade da verdadeira fé, torna-se demasiado arrogante para crer nas declarações do Senhor e se enclausura em suas próprias vaidades. Muitos que professam serem filhos de Deus estão nessa posição. São fracos porque confiam em sua própria força. Deus opera poderosamente em favor de um povo fiel, que obedece à Sua Palavra sem questionar ou duvidar” (Idem, 1097).

A incredulidade atrasa os planos divinos em nossa vida, como aconteceu aos israelitas; entretanto, a fé salva nossa família frente aos juízos de Deus sobre uma sociedade imoral, como no caso de Raabe (Hebreus 11:31). Mesmo cidades condenadas podem ter pessoas a serem salvas (Josué 6:17-25).

A maldição pronunciada por Josué (Josué 6:26) sobre a incrédula e imoral Jericó atingiu Hiel, ao perder dois filhos por reconstruírem a cidade (1 Reis 16:34).

Josué 6 incentiva-nos a confiar na Palavra de Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 24 de julho de 2022

O REDENTOR FUTURO

 O REDENTOR FUTURO

Levanta-Te para socorrer-nos; resgata-nos por amor da Tua bondade. Salmo 44:26

Como foram inconfundivelmente claras as profecias de Isaías referentes aos sofrimentos e à morte de Cristo! “Quem creu em nossa pregação?”, perguntou o profeta. “E a quem foi revelado o braço do Senhor? Porque foi subindo como um renovo diante Dele e como raiz de uma terra seca. Não tinha boa aparência nem formosura; olhamos para Ele, mas não havia nenhuma beleza que nos agradasse. Era desprezado e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores e que sabe o que é padecer. E, como um de quem os homens escondem o rosto, era desprezado, e Dele não fizemos caso.” 

“Certamente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre Si; e nós O considerávamos como aflito, ferido de Deus e oprimido. Mas Ele foi traspassado por causa das nossas transgressões e esmagado por causa das nossas iniquidades; o castigo que nos traz a paz estava sobre Ele, e pelas Suas feridas fomos sarados.” 

“Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas; cada um se desviava pelo seu próprio caminho, mas o Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós. Ele foi oprimido e humilhado, mas não abriu a boca. Como cordeiro foi levado ao matadouro e, como ovelha muda diante dos seus tosquiadores, Ele não abriu a boca. Pela opressão e pelo juízo, Ele foi levado, e de sua linhagem, quem se preocupou com ela? Porque Ele foi cortado da terra dos viventes; foi ferido por causa da transgressão do Meu povo” (Is 53:1-8). 

Até mesmo a maneira de Sua morte foi prefigurada. Como a serpente de bronze foi levantada no deserto, assim devia ser levantado o Redentor futuro, “para que todo o que Nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna” (Jo 3:16). 

“Se alguém Lhe perguntar: ‘Que feridas são essas nas Suas mãos?’, Ele responderá: ‘São as feridas com que fui ferido na casa dos Meus amigos’” (Zc 13:6). 

“Designaram-Lhe a sepultura com os ímpios, mas com o rico esteve na Sua morte, embora não tivesse feito injustiça, e nenhum engano fosse encontrado em Sua boca. Todavia, ao Senhor agradou esmagá-Lo, fazendo-O sofrer” (Is 53:9, 10). No entanto, Aquele que havia de sofrer a morte pelas mãos de homens vis devia ressurgir como vencedor sobre o pecado e a sepultura (Atos dos Apóstolos, p. 143, 144 [225-227]). 

PARA REFLETIR: Seu compromisso em aceitar o sacrifício de Cristo por você se equipara ao compromisso Dele para salvá-lo? Em outras palavras, você está comprometido com a sua salvação tanto quanto Cristo? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-redentor-futuro/

Josué 5 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 5

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 5 – Nossa realidade mais se parece a campos de batalha que a parques de diversão. 

Jesus é o capitão do verdadeiro cristão. A igreja é Seu exército no mundo! Ele é nosso líder político e religioso!

Em Josué 5, o povo de Deus é todo aquele que assume compromisso sério com Ele, ilustrado pela circuncisão dos israelitas em Gibeate-Aralote. Com a circuncisão da nova geração, Deus declarou: “Hoje removi de vocês a humilhação sofrida no Egito”. Na sequência, celebrou-se a Páscoa – lembrança da libertação operada por Deus à nação israelita. Em seguida comeram do fruto da Terra Prometida; então, o maná cessou. Tudo indicando o quanto Deus cuida atentamente de Seu povo!

Os versículos finais de Josué 5 revelam a presença do verdadeiro Líder do povo de Deus. E, Josué mostra-nos como vencer com Ele:

• Focar: “olhou para cima”.

• Identificar: “perguntou-lhe”.

• Ouvir: “Venho na qualidade de comandante do exército do Senhor”.

• Prostrar-se: “com o rosto em terra, em sinal de respeito”.

• Submeter-se: “Que mensagem o meu Senhor tem para o Seu servo?”.

• Obedecer: Quando pediu para tirar as sandálias, “Josué as tirou”.

Nossas lutas teriam vitórias se tivéssemos tais atitudes! 

Nossa vida está cheia de lutas. “Há batalhas a serem travadas cada dia. Uma guerra está em processo em cada alma entre o príncipe das trevas e o Príncipe da vida. Há uma grande batalha a ser travada para que os habitantes do mundo sejam advertidos sobre o grande Dia do Senhor, para que se possa entrar nas fortalezas do inimigo e para que todos os que amam ao Senhor possam se unir sob a bandeira ensanguentada do Príncipe Emanuel. A parte principal da luta, porém, não cabe a vocês. Como instrumentos de Deus, vocês devem se entregar a Ele, para que Ele possa planejar a batalha e conduzi-la por meio de vocês, com sua cooperação. O Príncipe da Vida está na direção de Sua obra. Ele precisa estar com vocês em sua batalha diária contra o eu para que consigam ser fieis ao princípio; para que a paixão que luta pelo predomínio possa ser subjugada pela graça de Cristo; para que possam ser mais que vencedores por meio dAquele que os amou”, considera Ellen White (CBASD, v.2, p.1097).

Reavivemo-nos... aprendendo com Josué! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 23 de julho de 2022

O EDIFICADOR DA IGREJA DE DEUS

 O EDIFICADOR DA IGREJA DE DEUS

E edificará o templo do Senhor. Zacarias 6:12

No templo celestial, morada de Deus, está Seu trono, estabelecido em justiça e juízo. No lugar santíssimo está Sua lei, a grande regra da justiça, pela qual a humanidade toda é provada. A arca que guarda as tábuas da lei se encontra coberta pelo propiciatório, diante do qual Cristo, por Seu sangue, pleiteia em favor do pecador. Assim se representa a união da justiça com a misericórdia no plano da redenção humana. Somente a Sabedoria infinita poderia conceber essa união, e o Poder infinito realizá-la; é uma união que enche todo o Céu de admiração e adoração. Os querubins do santuário terrestre, olhando reverentemente para o propiciatório, representam o interesse com que a hoste celestial contempla a obra da redenção. Esse é o mistério da misericórdia que os anjos anseiam observar: que Deus pode ser justo ao mesmo tempo que justifica o pecador arrependido e renova Suas relações com a raça decaída; que Cristo pode humilhar-Se para erguer inumeráveis multidões do abismo da ruína e vesti-las com as roupas imaculadas de Sua própria justiça, para se unirem aos anjos que jamais caíram e habitarem para sempre na presença de Deus.

A obra de Cristo como intercessor do ser humano é apresentada na bela profecia de Zacarias, com relação Àquele “cujo nome é Renovo” (Zc 6:12). Disse o profeta: “Ele mesmo edificará o templo do Senhor e será revestido de glória. Ele Se assentará no Seu trono, e dominará, e será sacerdote no Seu trono; e reinará perfeita união entre ambos os ofícios” (v. 13). […]

Pelo Seu sacrifício e mediação, Cristo é tanto o fundamento quanto o Edificador da igreja de Deus. O apóstolo Paulo se referiu a Ele como “a pedra angular. Nele, todo o edifício, bem-ajustado, cresce para ser um santuário dedicado ao Senhor. Nele também vocês estão sendo edificados, junto com os outros, para serem morada de Deus no Espírito” (Ef 2:20-22).

Ele “será revestido de glória” (Zc 6:13). A Cristo pertence a glória da redenção da raça decaída. Através das eras eternas, o cântico dos resgatados será: “Àquele que nos ama e, pelo Seu sangue, nos libertou dos nossos pecados, […] a Ele a glória e o domínio para todo o sempre” (Ap 1:5, 6) (O Grande Conflito, p. 415, 416). 

PARA REFLETIR: Jesus criou você para ser um templo santo para a Sua habitação. Você já abriu a porta do coração para deixá-Lo entrar? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

23 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-edificador-da-igreja-de-deus/

Josué 4 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 4

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 4 – Este capítulo é claro ao revelar que os atos divinos jamais deveriam ser considerados pontuais na história. As obras de Deus devem tornar-se legados às próximas gerações. 

Cada agir de Deus deve ser um tijolinho na construção de nossa teologia, e do nosso ensino às futuras gerações. Quanto mais Deus faz, mais deveria ser engrandecido a fim de tornar-Se ainda mais conhecido!

As ações de Deus na história da humanidade deveriam ser registradas para não apagar de nossa memória debilitada. Preparar um monumento de pedras em meio às correntes do rio Jordão foi orientação que o líder Josué recebeu do Deus que não queria ser esquecido pelos que foram beneficiados com Sua atuação: Monumentos e registros são necessários aos que foram divinamente abençoados – Deus sabe muito bem disso e de sua importância!

Josué 4 trata de pelo menos quatro objetivos claros quanto à construção de um monumento, assim que Israel atravessou à seco o rio Jordão – da mesma forma que 40 anos antes havia atravessado o Mar Vermelho. Tal monumento serviria...

• ...como recordação no meio dos israelitas para sempre (Josué 4:7).

• ...como mensagem à futura geração do que Deus fizera em prol dos antepassados (Josué 4:6, 21-23).

• ...de testemunho a todas as nações a fim de torná-las cientes de que Deus é o Todo-poderoso do Universo (Josué 4:24).

• ...de apelo para o povo respeitar e comprometer-se com Deus para sempre (Josué 4:24).

Deus ordenou escolher doze líderes, das doze tribos, para colocar doze pedras no rio Jordão. A Nova Jerusalém terá doze portas, “cada porta feita de uma única pérola” (Apocalipse 21:21). “Pérolas são formadas pelo sofrimento. Quando um grão de areia penetra na concha de uma ostra, parece haver só uma coisa que essa humilde criatura tem de fazer... Todos ao entrarem nesta preciosa cidade terão de passar pelas portas de pérola, símbolo do sofrimento. Pela abundante graça de Deus eles transformaram suas provas em triunfos; cada torturante pecado foi coberto com a justiça de Cristo” (Roy Allan Anderson).

Na liderança de Cristo, Seu povo logo atravessará o Jordão deste mundo de sofrimento. A Santa Ceia é um memorial do Seu sacrifício por nós, mas na eternidade lembraremos Seus benefícios cada vez que atravessarmos as portas de pérolas da cidade. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 22 de julho de 2022

O AMIGO DOS PECADORES

O AMIGO DOS PECADORES

Se eu disser ao ímpio que ele certamente morrerá, e você não falar, para advertir o ímpio do seu mau caminho, esse ímpio morrerá na sua maldade, mas você será responsável pela morte dele. Ezequiel 33:8

Toda indignidade, opróbrio e crueldade que Satanás pode instigar o coração humano a conceber já foi lançada sobre os seguidores de Jesus. E isso se cumprirá de maneira ainda mais marcante, pois a mente carnal continua em inimizade contra a lei de Deus e não se sujeitará às suas ordens. Somos extremamente favorecidos por viver em um país cujo governo permite que adoremos a Deus de acordo com os ditames da nossa consciência. Mas a natureza humana hoje não se encontra em harmonia maior com os princípios de Deus do que em tempos passados. O mundo continua em oposição a Jesus. O mesmo ódio que impulsionou o grito “Crucifica-O! Crucifica-O!” ainda opera nos filhos da desobediência. O mesmo espírito satânico que, na Idade Média, entregou homens e mulheres à prisão, ao exílio e à estaca, que planejou as torturas inimagináveis da Inquisição, produziu o massacre da noite de São Bartolomeu e acendeu as fogueiras de Smithfield continua em atividade, com energia maligna dentro dos corações não regenerados. 

Devemos ter uma conduta semelhante à de Cristo em relação aos nossos inimigos. Mas não podemos, a fim de ter paz, acobertar as falhas daqueles que vemos no erro. O Redentor do mundo jamais comprou paz por meio do ocultamento da iniquidade ou de qualquer tipo de transigência. Muito embora o Seu coração sempre transbordasse de amor pela raça caída, Ele jamais foi condescendente com os seus pecados. Era Amigo dos pecadores e não ficava em silêncio enquanto estes trilhavam um caminho que lhes arruinaria a alma – as mesmas almas que Ele havia comprado com o próprio sangue. Repreendia severamente todos os vícios. Esforçou-se para que homens e mulheres fossem fiéis a si mesmos, a fim de serem tudo que Deus desejava, e fiéis aos interesses mais elevados e eternos. Enquanto viveu em um mundo manchado e obscurecido pela maldição que trouxe desobediência sobre ele, não conseguiria permanecer em paz se o deixasse sem advertência, instrução e repreensão. Seria a escolha da paz em detrimento do dever. Sua paz era a consciência de haver feito a vontade do Pai, não uma atmosfera que existiria em decorrência do não cumprimento do Seu dever (Review and Herald, 16 de janeiro de 1900). 

PARA REFLETIR: Como você se relaciona com as pessoas que estão abertamente em pecado? 

  MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-amigo-dos-pecadores/

Josué 3 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 3

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 3 – A vida com Deus é outro nível. Coisas extraordinárias podem acontecer em qualquer situação, até nas mais desafiadoras e complexas. 

Josué 3 nos revela que se colocarmos Deus à frente de todos os nossos empreendimentos, vitórias sobrenaturais nos serão possíveis experimentar. Para tanto, o caminho da superação dos obstáculos passa pela prática da santificação. Todo desafio da existência exige santificação para que seja superado. Conquanto, devamos reconhecer a santidade da Lei de Deus e aplicá-la às nossas decisões, também precisamos nos consagrar à Deus e à Sua obra e deixar-se limpar pela ação purificadora de Deus (Josué 3:1-5).

Josué 3 nos revela que a santificação é um segredo revelado por Deus para que nós possamos superar tremendos desafios no cumprimento dos propósitos divinos. A consagração ao Deus do impossível conduz pecadores submissos à Sua Palavra a experiências indescritíveis (Josué 3:6-13). Por isso, Charlles Spurgeon atestou: “Sempre que Deus deseja realizar algo, Ele convoca Seu povo para orar”. Foi assim na travessia do Jordão, e foi assim no nascimento da Igreja Cristã (Atos 1 e 2). E, é assim hoje também!

Josué 3 nos revela que um povo unido e consagrado a Deus não há nada que o possa deter. Nem o rio Jordão, nem os muros de Jericó, nem os idiomas diferentes (Atos 2), conseguiram impedir o avanço de um povo consagrado e santificado. A lógica humana difere radicalmente da lógica divina: “Todos sabiam... que sem auxílio divino não poderiam esperar fazer a passagem” do rio Jordão (Ellen White, PP, 483). Não há obstáculo grande suficiente que impeça de avançar o povo que se consagra para servir a Deus (Josué 3:14-17).

Diante do relato inspirado, é certo que “a verdade deve ser levada para dentro de seus corações, santificando-os e purificando-os de todo o mundanismo e sensualidade na vida mais privada. O templo da alma deve ser santificado. Todo mau ato secreto que se pratique, é como se fosse na presença de Deus e dos santos anjos. Deus está purificando um povo, de modo a terem mãos limpas e puro coração, para se apresentarem diante dEle no juízo”, afirma White (MCP1, 238-239).

Fixemos à porta do coração o texto de Josué 3:5 a fim de praticá-lo para desfrutarmos das maravilhas de Deus! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 21 de julho de 2022

Josué 2 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 2

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 2 – A salvação de uma mulher que praticava a prostituição fala mais de Deus do que da hediondez do pecado. O fato é que Deus está mais interessado em salvar, do que o pecado em arruinar àqueles que são alvos do Diabo.

A história de Josué 2 é uma revelação didática para Israel, os habitantes de Canaã e a nós, de que, caso houvesse conversão, não haveria destruição. Raabe não se salvou sozinha; ela colocou sua família sob a proteção de Deus. Ela não foi egoísta. Imagino que em sua casa poderia ter faltado algumas pessoas que ela deveria ter convidado, mas rejeitaram seu convite!

Diferentemente do relatório dos dez espias pessimistas e incrédulos de aproximadamente 40 anos antes (Números 13 e 14), os dois espias de agora confirmaram que os dois espias de outrora estavam corretos: Que Deus cumpriria Suas promessas. “Os fatos da história confirmaram aos espias que os inimigos de Israel eram fracos, apesar de seus muros elevados. O rei tolo de Jericó foi facilmente enganado pela humilde prostituta Raabe, enquanto os espias hebreus foram hábeis em fazer um trato com ela. Os espias também souberam que a população da cidade estava apavorada por causa de Israel (2:11). Outra garantia da vitória final de Israel foi a conversão de Raabe e seu reconhecimento de que o Senhor havia entregado a terra nas mãos de Israel” (Kenneth Mathews).

Considerando que Raabe está presente na genealogia do Messias (Mateus 1:5) por ter casado com um príncipe do povo de Deus, que entrou na lista de heróis e heroínas da fé, parte da tão grande nuvem de testemunhas da perseverança (Hebreus 11:31; 12:1), e tornou-se ícone da fé verdadeira ao lado de Abraão (Tiago 2:21-25), pode-se concluir ser ela um exemplo dos fieis que se salvarão antes da destruição do mundo.

A proclamação das grandezas de Deus, ilustrada no comentário dos moradores de Jericó; a perseguição aos fieis, ilustrada nos espias; o sinal de compromisso com Deus, ilustrado no cordão de escarlata visível na janela, formam o cenário dos últimos dias (Mateus 24:14; Apocalipse 7:1-4; 13:15).

Raabe prova que, se todos os cananitas quisessem salvar-se, poderiam tê-lo feito! Para salvar-nos, precisamos:

• Ter fé para comprometer-se.

• Renunciar o passado.

• Preparar-se para a libertação.

• Reavivarmo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

O GRANDE VENDEDOR DE RIQUEZAS ESPIRITUAIS

 O GRANDE VENDEDOR DE RIQUEZAS ESPIRITUAIS

Ó profundidade da riqueza, tanto da sabedoria como do conhecimento de Deus! Romanos 11:33

A vitória sobrevém a todos que são leais e constantes em sua lealdade à causa da verdade. “Bem-aventurado é aquele que suporta com perseverança a provação. Porque, depois de ter sido aprovado, receberá a coroa da vida, a qual o Senhor prometeu aos que O amam” (Tg 1:12). Que todos perguntemos: Temos sido, na esfera individual, mordomos de confiança da última mensagem de misericórdia a ser anunciada ao mundo, a mensagem que decidirá nosso destino eterno? Somos fiéis em examinar de perto o eu para ver que tipo de espírito temos demonstrado? Temos o objetivo constante de representar a verdade tal qual ela é em Jesus, ou ela é moldada pelas peculiaridades do obreiro humano? Os fogos da última conflagração consumirão nosso trabalho?

A fidelidade e a dedicação completa a Deus são essenciais para cada obreiro que deseja receber de Cristo o elogio: “Muito bem, servo bom e fiel” (Mt 25:23). A exortação que Timóteo recebeu do seu pai no evangelho foi: “Cuide de você mesmo e da doutrina” (1Tm 4:16). A grande questão é: Como encararemos o futuro? Nossa única segurança está em realizar a obra dia após dia, trabalhando, vigiando e aguardando. A cada instante, devemos depender da força Daquele que estava morto, mas hoje vive, e vive para sempre. Precisamos cuidar de cada passo. Enquanto avançamos, a nossa pisada deve ser firme, a fim de que possamos nos mover com solidez para o alto e avante.

Muitos são de Laodiceia e vivem em condição espiritual de autoengano. Trajam-se das vestes da justiça própria, imaginando que são ricos, cheios de bens e sem necessidade alguma; quando, na verdade, precisariam aprender todos os dias de Jesus, de Sua humildade e mansidão. Caso contrário, se verão falidos e descobrirão que toda a sua vida é uma mentira. Nós que anunciamos a última mensagem de misericórdia a um mundo culpado devemos representar Jesus na pureza e na negação do eu, a fim de que lábios humanos possam proferir as palavras inspiradas pelo Espírito Santo de Deus: “Abra as portas do coração e deixe Jesus entrar”. O grande Vendedor de riquezas espirituais convida você a reconhecê-Lo. Ele diz: “Aconselho que você compre de Mim ouro refinado pelo fogo, para que você seja, de fato, rico. Compre vestes brancas para se vestir, a fim de que a vergonha de sua nudez não fique evidente, e colírio para ungir os olhos, a fim de que você possa ver” (Ap 3:18) (Carta 66, 1894). 

PARA REFLETIR: Quais riquezas espirituais Jesus tem lhe concedido? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-grande-vendedor-de-riquezas-espirituais/

quarta-feira, 20 de julho de 2022

O FIRME FUNDAMENTO

 O FIRME FUNDAMENTO

A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a pedra angular. Salmo 118:22

Para os que creem, Cristo é o firme Fundamento. São eles que caem sobre a Rocha e se despedaçam. Isso representa a submissão a Cristo e a fé Nele. Cair sobre a Rocha e se despedaçar é renunciar à própria justiça e ir a Cristo com a humildade de uma criança, arrependidos de nossas transgressões e crendo em Seu amor perdoador. Assim também é pela fé e obediência que edificamos sobre Cristo, nosso fundamento. 

Tanto judeus quanto gentios podem construir sobre essa pedra viva. Esse é o único fundamento em que podemos construir com segurança. É suficientemente amplo para todos e forte o bastante para sustentar o peso do mundo inteiro. E, estando ligados com Cristo, a pedra viva, todos os que edificam sobre esse alicerce se tornam pedras vivas. Muitas pessoas são lavradas, polidas e embelezadas pelos próprios esforços. Mas não podem tornar-se “pedras vivas”, porque não estão ligadas a Cristo. Sem essa ligação, ninguém pode ser salvo. Sem a vida de Cristo em nós, não conseguimos resistir às tempestades das tentações. Nossa segurança eterna depende de edificarmos sobre o firme fundamento. Multidões hoje estão construindo sobre um fundamento não testado. Ao cair a chuva, soprarem os ventos e virem as enchentes, sua casa cairá, porque não está alicerçada sobre a Rocha e terna, a principal pedra de esquina: Cristo Jesus. 

Para aqueles que “tropeçam na palavra, sendo desobedientes”, Cristo é uma rocha de escândalo. Mas “a pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a pedra angular” (1Pe 2:8, 7). Como a pedra rejeitada, Cristo, em Seu ministério terrestre, suportou desprezo e maus-tratos. Foi “desprezado e o mais rejeitado entre os homens, homem de dores e que sabe o que é padecer; […] era desprezado, e Dele não fizemos caso” (Is 53:3). Entretanto, aproximava-se o tempo em que Ele seria glorificado. Pela ressurreição dentre os mortos, seria “designado Filho de Deus com poder” (Rm 1:4). Em Sua segunda vinda, seria revelado como Senhor do Céu e da Terra. Os que estavam prestes a crucificá-Lo reconheceriam Sua grandeza. Perante o Universo, a pedra rejeitada Se tornaria a pedra principal, angular (O Desejado de Todas as Nações, p. 477 [599, 600]). 

PARA REFLETIR: Você consegue identificar uma ocasião na qual Jesus demonstrou ser o seu firme Fundamento em tempos de adversidade? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

20 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-firme-fundamento/

Josué 1 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 1

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 1 – Todo o Pentateuco preparou a nova geração de fieis para entrar na Terra Prometida. Nessa reta final, Deus escolheu Josué, um brilhante general, um líder diferente de Moisés, um fiel mordomo do legado de Seu antecessor; o qual prontamente foi aceito pelo povo!

Josué não era um novato inexperiente. Ele já havia conduzido o povo de Deus à vitória contra os amalequitas durante o êxodo (Êxodo 17:8-13); ou seja, cerca de 40 anos antes de assumir a liderança. Agora, o plano de ataque consistia em entrar na tão esperada Terra Prometida.

O desafio era gigante. Os problemas eram titânicos. Os passos na direção de Canaã despertavam sentimentos medonhos. Humanamente, conquistar fortificações com gigantes, era impossível. Qualquer estratégia não era apenas arriscada, mas estava fadada ao fracasso. Porém, não sob a regência do Deus do impossível.

“Não há guia melhor do que Deus. Se os homens andarem no caminho que Deus lhes tem indicado terão um conselheiro cuja sabedoria está muito acima da sabedoria humana. Josué foi um sábio general porque Deus era seu Guia. A primeira espada que Josué usou foi a espada do Espírito, a Palavra de Deus”, observa Ellen White e, depois adverte: “Que aqueles que lidam com grandes responsabilidades leiam o primeiro livro de Josué” (CBASD, v.2, p.1095).

O caminho da vitória passa pelo estudo genuíno da Palavra de Deus, a qual veio a Josué “pouco antes de haver transposto o Jordão (ver Js 1:7-8). Este foi o segredo da vitória de Josué. Ele fez de Deus o seu guia”. “Josué, o comandante de Israel, buscou nos livros de Moisés diligentemente a orientação de Deus – Suas ordens, reprovações e restrições – a fim de não agir sem instrução. Josué temia confiar em sua própria sabedoria” (Idem, 1095-1096).

Josué havia nascido sob o amargor da escravidão egípcia. A libertação provida por Deus o motivava a abraçar o que faltada da promessa divina. Deus escolheu a pessoa certa!

Deus precisa de líderes que:

• Ouçam Sua voz atentamente.

• Estudem Sua Palavra para assimilar à própria vida.

• Liderem o povo através da Bíblia (Lei/Torá).

• Promovam a unidade e harmonia do povo para fazer a vontade de Deus.

Onde a Escritura Sagrada é a única regra de fé e prática, a vitória será certa! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 19 de julho de 2022

O JUIZ DE TODOS OS SERES VIVENTES

  O JUIZ DE TODOS OS SERES VIVENTES

Porque é necessário que todos nós compareçamos diante do tribunal de Cristo, para que cada um receba segundo o bem ou o mal que tiver feito por meio do corpo. 2 Coríntios 5:10

Inspirados por Satanás, os judeus escolheram um ladrão e assassino em lugar de Cristo e, com essa companhia, condenaram-se ao juízo no último dia. Pilatos disse, apontando para Cristo: “Eis aqui o rei de vocês.” Mas, com voz determinada, os principais sacerdotes e líderes bradaram: “Fora! Fora! Crucifique-O!” Pilatos indagou: “Devo crucificar o rei de vocês?” E os principais sacerdotes responderam: “Não temos rei, senão César!” (Jo 19:14, 15). Então Pilatos entregou Aquele que, segundo sua própria declaração, não tinha culpa alguma, para ser crucificado. A punição mais cruel e inclemente que pode ser dada a um ser humano.

Aquele, porém, que Se sujeitou à humilhação e ao sofrimento da cruz aqui, no concílio de Deus teria a mais plena compensação e subiria ao trono, reconhecido por todo o Universo celestial como o Rei dos santos. Ele cumpriu a obra da salvação e demonstrou aos mundos não caídos e à família celestial que foi capaz de concluir a missão que havia começado.

O Universo celestial e o mundo caído, tanto santos quanto pecadores, deveriam reconhecer no crucificado o Juiz de todos os seres viventes. Cada coroa dada aos santos do Altíssimo será entregue pelas mãos de Cristo, as mesmas mãos que os sacerdotes e líderes cruéis condenaram a ser pregadas na cruz. As marcas dessas feridas serão como raios brilhantes que emanam das Suas mãos. É Cristo quem dá aos seres humanos a graça do arrependimento. Seus méritos foram aceitos pelo Pai em favor de cada pessoa que ajudará a compor a família de Deus. Somente as Suas mãos marcadas e feridas serão capazes de lhes dar a consolação da vida eterna.

O dia da decisão final será um tempo solene. […] Portanto, não é de tremenda importância para nós, individualmente, que as nossas obras sejam corretas? (Manuscrito 39, 1898). 

PARA REFLETIR: Como Jesus pode ser, ao mesmo tempo, tanto o seu Advogado como o seu Juiz?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

19 de julho

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-juiz-de-todos-os-seres-viventes/

Deuteronômio 34 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Deuteronômio 34

Comentário Pr Heber Toth Armí

DEUTERONÔMIO 34 – O final do último dos 6 livros escritos por Moisés, revela ao leitor que Deus “não passa a mão na cabeça” nem do melhor de Seus maiores líderes, caso cometam pecado. 

Além de Deus mostrar toda a Terra Prometida do cume do monte Pisga (Nebo), Moisés pode ver que pecado é coisa séria. Suas consequências são seríssimas, mesmo havendo arrependimento. O pecado acelera a morte encurtando a vida, arranca sonhos acalentados no coração e conduz-nos à sepultura junto aos que morreram:

• Deve ser muito triste saber que nosso fim poderia ser diferente se no passado tivéssemos sido mais dependentes de Deus.

• Quão doloroso deve ser descobrir que não fosse por nossos pecados poderíamos desfrutar de maiores experiências maravilhosas antes do último suspiro.

“A morte de Moisés não foi uma tragédia, pois ele morreu na bendita esperança e com a fé firmada em Deus. Além disso, ele não ficou muito tempo na sepultura, uma vez que Deus, que é a própria Vida e Doador da vida, o ressuscitou. Isso é incrível! Enquanto os versos finais de Deuteronômio relatam a morte de Moisés, o Novo Testamento dá testemunho da sua ressurreição. Judas menciona especificamente como Satanás afirmou que Moisés lhe pertencia por causa de seu pecado, esperando mantê-lo na tumba como troféu (Jd 9). Mas Deus perdoou a impaciência e a falta de confiança de Moisés, assim como perdoa nossos pecados e ofensas quando nos arrependemos e os confessamos com honestidade e sinceridade (1Jo 1:7, 9). Nenhuma força do mal pode impedir Deus de agir; quando Ele é por nós, quem pode ser contra nós? A ressurreição de Moisés prova que os pecadores podem experimentar a ressurreição quando pedem perdão e renovam sua confiança em Deus” (Jirí Moskala).

• Quão felizes podemos ser ao saber que mesmo sofrendo as consequências do pecado, de ter nossos sonhos abortados por nossos pecados, e mesmo assim desfrutar de planos de Deus muito mais elevados que os nossos.

Tudo estava pronto para que Moisés partisse. Josué havia sido treinado por muitas décadas, e estava cheio do Espírito Santo ao Moisés impor as mãos sobre ele, dando-lhe sabedoria para liderar o povo de Deus no cumprimento da promessa (Deuteronômio 34:9).

Os planos de Deus se cumprem, apesar de nós! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 18 de julho de 2022

O CRISTO DA DISPENSAÇÃO EVANGÉLICA

 O CRISTO DA DISPENSAÇÃO EVANGÉLICA

Mas, a todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome. João 1:12

Desde os dias de Paulo até o presente, Deus tem chamado por intermédio de Seu Espírito Santo tanto judeus quanto gentios. “Para com Deus não há acepção de pessoas” (Rm 2:11), declarou Paulo. O apóstolo consideravase devedor “tanto a gregos como a bárbaros” (Rm 1:14), bem como a judeus; mas jamais perdeu de vista as indiscutíveis vantagens dos judeus sobre outros povos, “principalmente” porque lhes “foram confiados os oráculos de Deus” (Rm 3:2). “O evangelho”, declarou Paulo, “é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu e também do grego; visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá por fé” (Rm 1:16, 17). É desse evangelho de Cristo, igualmente eficaz para judeus e gentios, que, em sua carta aos romanos, o apóstolo declara não se envergonhar. 

Quando esse evangelho for apresentado em sua plenitude aos judeus, muitos aceitarão Cristo como o Messias. Entre os ministros cristãos, há poucos que se sentem chamados a trabalhar pelo povo judeu; mas aos que têm sido passados por alto, bem como a todos os outros, deve chegar a mensagem de misericórdia e esperança em Cristo. 

Na proclamação final do evangelho, quando deverá ser feito um trabalho especial pelas classes de pessoas até então negligenciadas, Deus espera que Seus mensageiros tenham interesse especial pelo povo judeu, que se encontra em todas as partes da Terra. Quando as Escrituras do Antigo Testamento forem relacionadas com o Novo em uma explanação do eterno propósito de Jeová, isso será para muitos judeus como o raiar de uma nova criação, a ressurreição da esperança. Ao verem o Cristo da dispensação evangélica retratado nas páginas das Escrituras do Antigo Testamento, e perceberem quão claramente o Novo Testamento explica o Antigo, suas adormecidas faculdades despertarão, e eles reconhecerão Jesus como o Salvador do mundo. Pela fé, muitos receberão a Cristo como Redentor. Em relação a eles se cumprirão as palavras: “A todos quantos O receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, a saber, aos que creem no Seu nome” (Jo 1:12) (Atos dos Apóstolos, p. 242 [380, 381]). 

PARA REFLETIR: O que você tem em comum com os judeus que pode servir de ponte para compartilhar as verdades bíblicas acerca do caráter messiânico de Jesus?

Deuteronômio 33 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Deuteronômio 33

Comentário Pr Heber Toth Armí

DEUTERONÔMIO 33 – Cheio de amor divino pelo povo, Moisés foi um exemplo de líder espiritual que proferiu bênçãos ao despedir-se das doze tribos do povo de Deus.

Note que, apesar de tantos erros cometidos por Israel, Moisés não mencionou qualquer pecado das tribos. Isso evidencia que “não podemos melhorar qualquer caráter defeituoso, criticando-o; podemos, sim, melhorá-lo prestando-lhe amoroso serviço. Nunca poderemos levar alguém para o Céu por meio da crítica; mas podemos, sim, fazê-lo pelo amor. É pelo amor, e não pela crítica, que Jesus conquista almas. O mesmo meio tem de ser empregado pelos Seus discípulos para conquistar e erguer outros” (Arthur Spalding).

Deus é revelado como justo, porém misericordioso; santo e ao mesmo tempo gracioso. “Ele é o Deus da aliança, da história, do tempo e do espaço. Esse retrato de Deus é particularmente verdadeiro nesses dois poemas [o cântico e a bênção], visto que a teologia de Deuteronômio 32 e 33 explica o caráter de Deus, Seus ensinamentos e Sua lei. Essa extraordinária concepção aponta para o gênio literário que está por trás dessa inspirada obra magna, demonstrando que Deuteronômio é uma obra de arte sacra – uma verdadeira obra prima que reflete um conhecimento íntimo de Deus. Seu pensamento teocêntrico é consistente, revelando um desejo constante pela prosperidade e felicidade do povo de Deus. O pensamento do livro é totalmente relacional e ancorado no amor de Deus pelas pessoas. Quando o afetuoso líder de Israel conclui suas obras irrompendo em poesia, ele não apenas contribui para exaltar a beleza de Deus, como também ajuda as pessoas a se lembrarem melhor de suas palavras” (Jirí Moskala).

“O último poema de Deuteronômio... captura a esperança messiânica. No contexto imediato dessas bênçãos, é explicado que, por causa da desobediência das pessoas, o desastre acontecerá ‘nos últimos dias’ (Dt 31:29)... uma alusão ao futuro e ao fim dos dias. Moisés prediz que o chasid [Fiel/Leal]... a quem o Tumim e o Urim pertencem, virá – Aquele que foi provado em Massá e contendeu ‘nas águas de Meribá’ (Dt 33:8). O verso 16 faz uma alusão messiânica semelhante que fala do nazir [Separado/Príncipe] como Aquele que é separado ou consagrado dentre os irmãos. Esses textos apontam para o Messias vindo das linhas sacerdotais e reais” (Moskala). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 17 de julho de 2022

O AMADO DO CÉU

   O AMADO DO CÉU

  Como o Pai Me amou, também Eu amei vocês; permaneçam no Meu amor. João 15:9

   Por mais de mil anos, o povo judeu havia aguardado a vinda do Salvador. Nesse acontecimento, estavam baseadas suas mais gloriosas esperanças. No cântico e na profecia, no ritual do templo e nas orações em casa, haviam envolvido o nome Dele. Entretanto, por ocasião de Sua vinda, não O reconheceram. O Amado do Céu foi para eles “como raiz de uma terra seca; não tinha aparência nem formosura” (Is 53:2). Não viam Nele beleza alguma que chamasse a atenção. “Veio para o que era Seu, e os Seus não O receberam” (Jo 1:11).

   Contudo, Deus escolhera a Israel. Ele havia chamado essa nação para conservar entre os seres humanos o conhecimento de Sua lei e dos símbolos e profecias que apontavam para o Salvador. Desejava que ela fosse como uma fonte de salvação para o mundo. O que Abraão tinha sido na terra em que peregrinou, o que José tinha sido no Egito, e Daniel, nas cortes de Babilônia, devia ser o povo hebreu entre as nações. Devia revelar Deus aos seres humanos.

   No chamado de Abraão, Deus dissera: “E te abençoarei […]. Sê tu uma bênção! […] Em ti serão benditas todas as famílias da Terra” (Gn 12:2, 3). O mesmo ensino foi repetido pelos profetas. Mesmo depois de Israel ter sido arruinado por guerras e cativeiros, pertencia-lhe a promessa: “O restante de Jacó estará no meio de muitos povos, como orvalho do Senhor, como chuvisco sobre a erva, que não espera pelo homem, nem depende dos filhos de homens” (Mq 5:7). A respeito do templo de Jerusalém, o Senhor declarou por intermédio de Isaías: “A Minha casa será chamada Casa de Oração para todos os povos” (Is 56:7).

   Entretanto, os israelitas depositaram suas esperanças em grandezas mundanas. Desde a época de sua entrada na terra de Canaã, afastaram-se dos mandamentos de Deus e seguiram os caminhos dos pagãos. Era em vão que Deus enviava advertências por meio de Seus profetas. Em vão eles sofriam o castigo da opressão de nações estrangeiras. Toda reforma era seguida por uma apostasia ainda mais profunda.

   Se os filhos de Israel tivessem sido leais ao Senhor, Ele teria realizado Seu plano de honrá-los e exaltá-los (O Desejado de Todas as Nações, p. 16, 17 [27, 28]). 

  PASeão do “Israel espiritual”, como pode ter sucesso naquilo em que Israel falhou? Como você pode revelar Deus para aqueles com quem entrar em contato hoje? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 17 de julho

Deuteronômio 32 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Deuteronômio 32

Comentário Pr Heber Toth Armí

DEUTERONÔMIO 32 – A música na Bíblia não visa entreter os adoradores. O Deus que receberia adoração de Seu povo é Quem dita o propósito do cântico, pelo menos no contexto em que o povo de Israel adentrava a Terra Prometida.

Deus informou que o cântico de Deuteronômio 32 teria o propósito de ser um testemunho que lembraria o povo de seus pecados (Deuteronômio 31:19-30). Em Êxodo 15, Israel liberto por Deus, entoou o “Cântico de Moisés” ao atravessar à seco o mar Vermelho motivado pela celebração da vitória e do poder de Deus sobre seus inimigos. Agora, deseja alertar quanto à apostasia e a disciplina divina sobre o povo abençoado e privilegiado; contudo, as nações inimigas do povo de Deus também serão punidas pelo Juiz Celestial.

O hino em análise exalta a Deus por Sua grandeza e justiça em prol do povo que O desprezaria (Deuteronômio 32:1-6). Israel, que havia sido criado por Deus, redimido sobrenaturalmente e, preservado amoravelmente, se rebelara e havia seguido a outros deuses na história, atraindo assim o juízo divino; o mesmo critério seria usado no futuro caso o povo se desviasse do amor ao Deus que o amava (Deuteronômio 32:7-38); contudo, em meio à apostasia do povo, Deus jamais desistiria de conduzi-lo à salvação (Deuteronômio 32:39-43) – Maravilhosa Graça!

“Tendo entoado seu cântico, Moisés instou o povo a subscrever suas exigências como instrumento da aliança [Deuteronômio 32:44-47]. Depois, em resposta à ordem do Senhor, Moisés subiu ao monte Nebo para esperar o dia de Sua morte [Deuteronômio 32:48-52]. O fato de um líder grandioso como Moisés não ser poupado do julgamento quando falhou em sua confiança em Deus e no respeito para com Sua santidade serviu como um duro alerta para que Israel evitasse erros como os dele” (Eugene Merrill). Porém, apesar das estratégias divinas, Israel desobedeceu e afastou-se de Deus.

Deuteronômio 32 revela-nos que, apesar da inevitabilidade da morte, Deus nunca é pego de surpresa. Embora desconhecida aos mortais, a hora da nossa morte é conhecida pelo Deus que consola aos Seus servos com Sua presença, quando se submetem a Ele até mesmo ao aceitarem algo contra a própria vontade (Deuteronômio 32:48-52). Na hora da morte, Deus não abandona àqueles que, embora tenham pecado, submetem-se a Ele!

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS

 O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS O que diz respeito a mim o Senhor levará a bom termo; a Tua misericórdia, ó Senhor, dura para sempre; não de...