Translate

terça-feira, 31 de julho de 2018

A Igreja Não Cairá

Refletindo a Cristo

A Igreja Não Cairá - 31 de julho

Acontecerá, naquele dia, que os restantes de Israel e os da casa de Jacó que se tiverem salvado nunca mais se estribarão naquele que os feriu, mas, com efeito, se estribarão no Senhor, o Santo de Israel. Os restantes se converterão ao Deus forte, sim, os restantes de Jacó. Isa. 10:20 e 21.

Vi em visão dois exércitos em luta terrível. Um deles ostentava em suas bandeiras as insígnias do mundo; guiava o outro a bandeira ensangüentada do Príncipe Emanuel. Estandarte após estandarte era arrastado no chão, à medida que grupo após grupo do exército do Senhor se juntava ao inimigo, e tribo após tribo das fileiras do adversário se unia ao povo de Deus que guarda os mandamentos. Um anjo que voava pelo meio do céu pôs-me nas mãos o estandarte de Emanuel, enquanto um forte general comandava em alta voz: ” Perfilai-vos! Tomai posição vós, que sois leais aos mandamentos de Deus e ao testemunho de Cristo. Saí do meio deles e apartai-vos. …

O combate prosseguia. A vitória ia alternadamente de um para outro lado. Às vezes os soldados da cruz cediam terreno, “como quando desmaia o porta-bandeira”. Isa. 10:18. Mas a sua retirada aparente não o era senão para conquistar posição mais vantajosa. Ouviram-se aclamações de alegria. Ressoou um cântico de louvor a Deus, e a ele se uniram as vozes angélicas, quando os soldados de Cristo hastearam Sua bandeira sobre os muros da fortaleza, até então em poder do inimigo. O Príncipe da nossa salvação estava dirigindo a batalha, e enviando reforços para Seus soldados. Grandemente se manifestava o Seu poder, encorajando-os a levar o combate até às portas. Ele lhes ensinou coisas terríveis em justiça, enquanto passo a passo os guiava, vencendo e para vencer.

Finalmente, ganhou-se a vitória. Triunfou gloriosamente o exército que seguia a bandeira que ostentava a inscrição: “Os mandamentos de Deus e a fé em Jesus.” Apoc. 14:12. Testemunhos Seletos, vol. 3, págs. 224 e 225.

Há muitas doutrinas populares em nosso mundo. Há muita religião popular que conta seus milhares e dezenas de milhares, mas não há senão uma que traz a inscrição e o selo de Deus. Há uma religião do homem e uma religião de Deus. Precisamos ter a alma bem firmada à Rocha eterna. …

Satanás operará seus milagres para enganar; estabelecerá seu poder como supremo. A igreja talvez pareça como prestes a cair, mas não cairá. Ela permanece, ao passo que os pecadores de Sião serão lançados fora no joeiramento – a palha separada do trigo precioso. É esse um transe terrível, não obstante importa que tenha lugar. Ninguém senão os que venceram pelo sangue do Cordeiro e a palavra de seu testemunho será encontrado com os leais e fiéis, sem mácula nem ruga de pecado, sem engano em sua boca. Precisamos despojar-nos de nossa própria justiça e revestir-nos da justiça de Cristo. Mensagens Escolhidas, vol. 2, págs. 379 e 380.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 218 –

I Tessalonicenses 5

I Tessalonicenses 5 
Comentários Pr Heber Toth Armí

Esta carta inspirada orienta o crescimento e amadurecimento do crente. Nesse aspecto, como observou John Blanchard, “o crescimento cristão requer mais do que conhecimento da Bíblia; ninguém se alimenta decorando cardápio”.

Assim como para matar a fome não adianta decorar receitas, para nutrir a alma não adianta decorar a Bíblia. Então, precisamos viver os princípios revelados nas páginas sagradas mediante o incessante agir do Espírito Santo.

Neste último capítulo de sua carta, Paulo não está enchendo de tantas informações aos crentes de Tessalônica, porque Ele percebe ser mais útil exortá-los a que experimentem viver à luz que já conheciam.

Podemos destacar os seguintes pontos deste capítulo:

1. A vinda do dia do Senhor é certa: Deus virá julgar o mundo, e recompensar os fieis (v. 1).

2. O dia da vinda do Senhor é incerto para nós; contudo, Deus dá dicas de que, quando as pessoas estiverem vivendo as falsas promessas de paz e segurança, experimentariam repentinamente o drama das desgraças de seus pecados (v. 2).

3. O dia do Senhor é de juízo e condenação para os incrédulos, ímpios e rebeldes; em contraste, será um dia de redenção e salvação para aqueles que andam na luz da Palavra de Deus e se preparam para se encontrar com Jesus (vs. 4-11).

a) Deus quer pessoas focadas na revelação, não pessoas envolvidas com preocupações desta vida;
b) Deus quer pessoas esperançosas pelo cumprimento de Suas profecias, não pessoas insensatas com a sensação de que as coisas deste mundo material trarão segurança e proteção.

Após falar do dia vindouro, Paulo aborda questões que preparam seus leitores para o futuro:

• Honrar e respeitar aos líderes espirituais colocados por Deus para administrar sua igreja (vs. 12-13);
• Promover a paz na congregação, orientar, corrigir os indisciplinados, consolar os desanimados, amparar aos fracos, ser paciente e, desestimular a vingança (vs. 13-15);
• Alegrar-se, orar e ser gratos continuamente (vs. 16-18);
• Não apagar o Espírito Santo com uma conduta resistente à obediência à vontade de Deus (v. 19);
• Prezar pelas profecias; examinar tudo para, então, evitar o que é mal (vs. 20-22);
• Praticar a santificação total na vida diária promovida por Deus (vs. 23-24);
• Orar pelos líderes espirituais e ler na igreja as cartas apostólicas (vs. 25-28).

Enfim, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

segunda-feira, 30 de julho de 2018

A Igreja Triunfará

Refletindo a Cristo

A Igreja Triunfará - 30 de julho

E eles, tendo partido, pregaram em toda parte, cooperando com eles o Senhor e confirmando a palavra por meio de sinais, que se seguiam. Marcos 16:20.

Como Cristo enviou Seus discípulos, assim envia Ele hoje os membros de Sua igreja. Está-lhes reservado o mesmo poder que os apóstolos possuíam. Se fizerem de Deus sua força, Ele cooperará com eles, e não hão de trabalhar em vão. Compreendam que a obra em que se acham empenhados tem sobre si impresso o sinete de Deus. O Senhor disse a Jeremias: “Não digas: eu sou uma criança; porque, aonde quer que Eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar dirás. Não temas diante deles; porque Eu sou contigo para te livrar, diz o Senhor”. Então o Senhor estendeu a mão e tocou nos lábios de Seu servo, dizendo: “Eis que ponho as Minhas palavras na tua boca” (Jeremias 1:7-9). E Ele nos ordena que vamos e falemos as palavras que nos dá, sentindo Seu santo contato em nossos lábios.

Cristo confiou à igreja um sagrado encargo. Cada membro deve ser um conduto através do qual Deus possa comunicar ao mundo os tesouros de Sua graça, as insondáveis riquezas de Cristo. Não há nada que o Salvador deseje tanto como agentes que representem ao mundo Seu Espírito e Seu caráter. Nada existe que o mundo necessite mais do que a manifestação do amor do Salvador através da humanidade. Todo o Céu está à espera de homens e mulheres por cujo intermédio possa Deus revelar o poder do cristianismo.

A igreja é o instrumento de Deus para a proclamação da verdade, por Ele dotada de poder para fazer uma obra especial; e se ela for leal ao Senhor, obediente a todos os Seus mandamentos, nela habitará a excelência da graça divina. Se for fiel a sua missão, se honrar ao Senhor Deus de Israel, não haverá poder capaz de a ela se opor.

O zelo em favor de Deus e Sua causa impulsionou os discípulos a dar testemunho do evangelho com grande poder. Não deveria um zelo tal inflamar nosso coração com a determinação de contar a história do amor redentor de Cristo e Este crucificado? É o privilégio de todo cristão não somente aguardar, mas apressar a vinda do Salvador.

Se a igreja se revestir do manto da justiça de Cristo, deixando qualquer aliança com o mundo, raiará para ela o amanhecer de um dia brilhante e glorioso. As promessas de Deus a ela feitas serão sempre firmes. Ele fará dela uma excelência eterna, um regozijo de muitas gerações. […] Quando a mensagem de Deus se defronta com a oposição, Ele lhe concede força adicional, para que ela exerça maior influência. Dotada de energia divina, abrirá caminho através das mais fortes barreiras e triunfará sobre todos os obstáculos. Atos dos Apóstolos, págs. 599-601.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 217 –

I Tessalonicenses 4 Comentários Pr Heber Toth Armí

I Tessalonicenses 4
Comentários Pr Heber Toth Armí 

Se o futuro, conforme apontado pela Bíblia, não estiver em nossa mente no presente, nossa perspectiva de vida será deprimente.

Álvaro César Pestana sintetiza os seguintes pontos. Observe-os com atenção: Os cristãos...

• ...devem manifestar santidade na vida sexual, reservando o exercício da mesma para o casamento. Deus é juiz nesta questão (vs. 1-8);
• ...devem viver em amor fraternal, mas não devem abusar ou ser abusados nesta questão. Amor fraternal não nos permite viver como desocupados à custa da irmandade (vs. 9-12);
• ...vivem consolados e animados pela segunda vinda de Jesus. Tal fato nos dá força para viver de modo disciplinado no presente (vs. 4:13-5:11).

“O capítulo 4 marca uma mudança. Paulo deixa de olhar para trás e começa a contemplar o que está a sua frente. Seu assunto é caracteristicamente prático. Se nos três primeiros capítulos ele esteve lembrando proveitosamente aos mesmos como haviam sido salvos, nesses dois capítulos seguintes ele lhes ensina como devem viver”, diz J. Sidlow Baxter.

Cristianismo não consiste apenas em crer no evangelho, mas em vivê-lo na prática. E, prática cristã não resulta de mero conhecimento da revelação divina, mas de assimilar à vida os princípios revelados. Sem essa compreensão não pode haver progresso nem reavivamento espiritual (vs. 1-2).

O crente recebe o Espírito Santo em seu batismo, O qual santificará a vida e o corpo do cristão. Sendo assim, é abominável qualquer tipo de sexo fora do casamento. O chamado de Deus é para sair da impureza para a santidade e cada um deve honrá-lO através do seu corpo, pois Deus julgará isso antes da segunda vinda de Cristo (vs. 3-8).

Mesmo após ter falado sobre o amor nos relacionamentos que deve haver entre os crentes, Paulo reitera sabendo de sua relevância. Isso traz suas implicações (vs. 9-18):

1. O cristão não vive para perturbar as pessoas;
2. O crente trabalha para suprir suas necessidades e ainda ter para cuidar dos outros;
3. O converso viverá à altura que impactará a vida dos incrédulos;
4. O filho de Deus não será ignorante com respeito aos mortos: Saberá que...
• ...ninguém vai morto ao céu;
• ...ao Cristo voltar no mundo, vivos e ressuscitados fieis serão arrebatados;
• ...a esperança bíblica acompanhará aos cristãos nos momentos mais críticos.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

domingo, 29 de julho de 2018

A Igreja Avança Firmemente

Refletindo a Cristo

A Igreja Avança Firmemente -29 de julho

Assim, já não sois estrangeiros e peregrinos, mas concidadãos dos santos, e sois da família de Deus, edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo Ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular. Efés. 2:19 e 20.

O inimigo da justiça nada deixou por fazer em seu esforço para deter a obra confiada aos edificadores do Senhor. Mas Deus “não Se deixou a Si mesmo sem testemunho”. Atos 14:17. Levantaram-se obreiros que com aptidão defenderam a fé uma vez entregue aos santos. A história dá testemunho da fortaleza e heroísmo desses homens. Como os apóstolos, muitos deles tombaram em seus postos, mas a construção do templo avançou firmemente. Os obreiros foram mortos, mas a obra prosseguiu. Os valdenses, João Wycliffe, Huss e Jerônimo, Martinho Lutero e Zwínglio, Cranmer, Latimer e Knox, os huguenotes, João e Carlos Wesley, e uma hoste de outros, contribuíram para o fundamento com material que permanecerá por toda a eternidade. E em anos posteriores os que tão nobremente têm procurado promover a disseminação da Palavra de Deus, e por seu serviço em terras pagãs têm preparado o caminho para a proclamação da última grande mensagem – também esses têm estado a ajudar na estrutura.

Através de todos os séculos que se passaram desde os dias dos apóstolos, a construção do templo de Deus jamais cessou. Podemos olhar para os séculos que estão para trás, e veremos as pedras vivas de que é composto, brilhantes como jatos de luz em meio às trevas do erro e da superstição. Através da eternidade as jóias preciosas brilharão com brilho sempre maior, testificando do poder da verdade de Deus. O foco de luz dessas pedras polidas revela o forte contraste entre a luz e as trevas, entre o ouro da verdade e a escória do erro.

Paulo e os outros apóstolos, e todos os justos que viveram depois deles, fizeram sua parte na edificação do templo. Mas a estrutura ainda não está completa. Nós que vivemos neste tempo temos um trabalho a fazer, uma parte a cumprir. Devemos levar para o fundamento material que resista à prova do fogo – ouro, prata e pedras preciosas “lavradas, como colunas de um palácio”. Sal. 144:12. Aos que assim edificam para Deus, dirige Paulo as palavras de animação e advertência: “Se a obra que alguém edificou nessa parte permanecer, esse receberá galardão.” … O cristão que fielmente apresenta a Palavra da vida, encaminhando homens e mulheres às veredas da santidade e da paz, está levando para o fundamento material resistente, e no reino de Deus será honrado como edificador sábio. Atos dos Apóstolos, págs. 598 e 599.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 216 –

I TESSALONICENSES 3 Comentários Principais Heber Toth Armí

I Tessalonicenses 3 
Comentários Principais Heber Toth Armí 

Visando o amadurecimento espiritual dos crentes de uma congregação, o líder espiritual que, mesmo distante, preza pelos seus filhos na fé, deve... 

• ...enviar pessoas que os auxiliem (vs. 1-2);
• ...enviar correspondências (e-mails, wattsApp, etc.) que edifiquem o caráter (vs. 3-4);
• ...interceder por eles perante o trono de Deus (vs. 5-10);
• ...lembrar-lhes da importante doutrina da segunda vinda de Jesus (vs. 11-13).

Além de salvos (I Tessalonicenses 1) e fortalecidos (I Tessalonicenses 2), os crentes também precisam de recursos que objetivem o crescimento que resulta em amadurecimento espiritual (capítulo 3). Paulo sabe como fundar igrejas e lidar com os novos na fé. Temos muito que aprender com ele.

J. Sindlow Baxter observa que “o capítulo 3 continua com as recomendações dos cuidados posteriores de Paulo por seus amados filhos na fé. Os vs. 1 a 5 falam de sua profunda inquietação por causa deles. Os vs. 6-8 discorrem sobre o trabalho de acompanhamento realizado entre eles por Timóteo. Os vs. 9-13 destacam as orações de Paulo, ‘noite e dia’, a favor deles”.

Você...

• ...pensou em como seriam as nossas congregações se os líderes espirituais delas tivessem o espírito do apóstolo Paulo?
• ...imaginou se os pastores tivessem administradores que aderissem a filosofia de cuidado pastoral do apóstolo Paulo?

O capítulo tem muitas lições e aplicações para a vida, sua riqueza ainda pode ser visto nos seguintes pontos:

• Lidar com a igreja apenas como se fosse apenas números frios, mera estatística, fere diretamente o objetivo primário do evangelho;
• Se o crescimento visado para a igreja for apenas quantitativo e não qualitativo, tal objetivo está fora de foco.
• Se não houver tato da parte dos líderes para promover o amor nos crentes liderados é preciso rever o ministério à luz da Bíblia.

Enfim, a você, desejamos, como equipe Reavivados por Sua Palavra: “Que Deus nosso Pai e nosso Senhor Jesus Cristo possam abrir caminho para vocês. Que o Senhor possa enchê-los de amor, e que Ele transborde na vida de cada um, derramando-se sobre todos ao redor, assim como o nosso amor se derrama sobre vocês. Que vocês sejam cheios de força, pureza e confiança na presença de Deus, nosso Pai, quando nosso Senhor Jesus voltar com todos os seus seguidores” (vs. 11-13, AM).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

sábado, 28 de julho de 2018

A Pedra de Esquina

Refletindo a Cristo

A Pedra de Esquina - 28 de julho

Eis que ponho em Sião uma pedra angular, eleita e preciosa; e quem nela crer não será, de modo algum, envergonhado. I Pedro 2:6

Sobre o fundamento que o próprio Cristo assentara, os apóstolos construíram a igreja de Deus. A figura da construção de um templo é freqüentemente usada nas Escrituras para ilustrar a edificação da igreja. Zacarias se refere a Cristo como Renovo que edificaria o templo do Senhor. …

Nas pedreiras do mundo judeu e do mundo pagão os apóstolos trabalharam, trazendo pedras para colocar sobre o fundamento. Em sua carta aos crentes de Éfeso, Paulo disse: “Assim que já não sois estrangeiros, nem forasteiros, mas concidadãos dos santos e da família de Deus; edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas, de que Jesus Cristo é a principal pedra da esquina; no qual todo o edifício, bem ajustado, cresce para templo santo no Senhor, no qual também vós juntamente sois edificados para morada de Deus em Espírito.” Efés. 2:19-22. …

Os apóstolos edificaram sobre um firme fundamento, sobre a própria Rocha dos Séculos. Para este fundamento trouxeram eles as pedras tiradas da pedreira do mundo. Não foi sem empecilhos que os edificadores trabalharam. Sua obra foi excessivamente dificultada pela oposição dos inimigos de Cristo. Tiveram de lutar contra o fanatismo, o preconceito, o ódio dos que estavam a construir sobre falso fundamento. Muitos que trabalhavam como construtores da igreja poderiam ser comparados aos construtores do muro, nos tempos de Neemias, dos quais é dito: “Os que edificavam o muro, e os que traziam as cargas, e os que carregavam, cada um com uma mão fazia a obra e na outra tinha as armas.” Nee. 4:17.

Reis e governadores, sacerdotes e príncipes procuraram destruir o templo de Deus. Mas em face de prisões, tortura e morte, os fiéis prosseguiram na obra; e a estrutura cresceu bela e simétrica. Algumas vezes foram os obreiros quase cegados pelas névoas da superstição que baixavam sobre eles. Às vezes quase se apoderava deles a violência de seus oponentes. Mas com inabalável fé e inquebrantável coragem levaram avante a obra.

Um a um, os principais construtores caíram às mãos do inimigo. Estêvão foi apedrejado; Tiago morto à espada; Paulo foi decapitado; Pedro crucificado; João exilado. Contudo a igreja cresceu. Novos obreiros tomaram o lugar daqueles que caíram, e pedra sobre pedra foi acrescentada ao edifício. Assim se ergueu lentamente o templo da igreja de Deus. Atos dos Apóstolos, págs. 595-597.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 215 –

I Tessalonicenses 2 Comentários Pr Heber Toth Armí

I Tessalonicenses 2 
Comentários Pr Heber Toth Armí

Antes de estudar a carta em análise, você precisa conhecer os detalhes históricos descritos em Atos 17 e 18. 

“A primeira carta que [Paulo] escreveu que em seu ministério, tomou todos os cuidados para conservar a saúde espiritual da igreja e dos novos convertidos. Seus sofrimentos pelo evangelho tornam-se um modelo para o sofrimento que a igreja terá de enfrentar (2:1-2; 3:3-4). O fato de não existir sustento da igreja, mas de trabalhar por conta própria e ainda assim pregar o evangelho será corretivo para aqueles que queriam ser sustentados pela igreja e viver sem trabalhar (2:5-9; 4:11-12). O fato de preocupar-se com a fé dos irmãos levou-o a enviar vários obreiros para aquele local e manter-se em oração a favor deles (2:17-3:10). A leitura destes fatos mostra como devemos agir dentro da igreja de Deus, no cuidado com os novos convertidos” (Álvaro César Pestana).

O capítulo em apreço é continuação do capítulo 1. Os crentes que haviam ouvido o evangelho verdadeiro e se convertido verdadeiramente a ele, tornaram-se modelo a outros crentes; pois, por meio de uma conduta transformada, a pregação da Palavra ganhou força. Após Paulo ter saído rapidamente de Tessalônica, a igreja precisava continuar seu ministério naquela cidade, por isso a carta (vs. 1, 17-20). 

1. O ministério evangelístico deve ser feito pelas pessoas cuja motivação seja a aprovação de Deus (vs. 1-6), e não a...

• Aprovação humana;
• Ambição;
• Planos secretos.

2. O ministério evangelístico deve ser feito pelas pessoas cujo interesse seja o bem dos outros (vs. 7-12), não por pessoas...

• Que querem tirar proveito; gananciosas;
• Indelicadas, estúpidas e rudes;
• Egoístas.

3. O ministério evangelístico tem conteúdo em sua mensagem, que não é de origem humana, mas divina (vs. 13-16).

Os crentes tessalonicenses eram exemplares porque ouviram e aceitaram o verdadeiro evangelho.

Escrevendo à igreja recém-formada, Paulo revela terno cuidado e atenção aos novos na fé. Estes, como crianças, precisavam de cuidado, orientação e repreensão. 

• Para que haja crescimento espiritual é necessário investimento espiritual.

Além de novos na fé, os crentes de Tessaolônica enfrentavam oposição política, desafios financeiros e opressão religiosa. Sendo assim, a mensagem de Paulo visa inspirar e avivar a esperança no crente que vive num mundo alheio a Deus e Seus princípios. 

Também precisamos? – Heber Toth Armí #rpsp #rbhw #ebiblico

sexta-feira, 27 de julho de 2018

Falta de Amor Fraternal

Refletindo a Cristo

Falta de Amor Fraternal - 27 de julho

Aquele que ama a seu irmão permanece na luz, e nele não há nenhum tropeço. I João 2:10.

Rejubilavam-se [os discípulos] na doçura da comunhão com os santos. …

Mas gradualmente se operou uma mudança. Os crentes começaram a olhar os defeitos uns dos outros. Demorando-se sobre os erros, dando lugar a inamistoso criticismo, perderam de vista o Salvador e Seu amor. Tornaram-se mais estritos na observância de cerimônias exteriores, mais estritos no tocante à teoria que à prática da fé. Em seu zelo para condenar a outros, passavam por alto seus próprios erros. Perderam o amor fraternal que Cristo lhes ordenara, e, o que é mais triste, não tinham consciência dessa perda. Não reconheceram que a felicidade e a alegria lhes estavam abandonando a vida, e que, havendo excluído o amor de Deus do coração, estariam logo andando em trevas.

João, sentindo que o amor fraternal estava diminuindo na igreja, insistiu com os crentes sobre a constante necessidade deste amor. Suas cartas à igreja estão repletas deste pensamento. “Amados”, escreveu, “amemo-nos uns aos outros, porque o amor procede de Deus; e todo aquele que ama é nascido de Deus e conhece a Deus. I João 4:7. …

Não é a oposição do mundo o que mais ameaça a igreja de Cristo. E o mal abrigado no coração dos crentes que acarreta suas mais graves derrotas, e mais seguramente retarda o progresso da causa de Deus. Não há maneira mais certa de debilitar a espiritualidade que acariciar a inveja, a suspeita, a crítica e as vis desconfianças. Por outro lado, o mais forte testemunho de haver Deus enviado Seu Filho ao mundo é a existência de harmonia e união entre os homens de variados temperamentos que compõem Sua igreja. É privilégio dos seguidores de Cristo dar este testemunho. Mas para isto fazer, precisam colocar-se sob o comando de Cristo. O caráter deles precisa conformar-se ao Seu caráter, e a vontade deles à Sua vontade.

“Um novo mandamento vos dou”, disse Cristo, “que vos ameis uns aos outros; como Eu vos amei a vós, que também vós uns aos outros vos ameis.” João 13:34. Que maravilhosa afirmação; mas oh! quão pouco praticada! O amor fraternal está tristemente faltando na igreja de Deus hoje em dia. Muitos que professam amar o Salvador não se amam uns aos outros. Os incrédulos estão observando para ver se a fé dos professos cristãos está exercendo sobre sua vida uma influência santificadora; e eles são ligeiros em discernir os efeitos no caráter, as inconsistências na ação. Não permitam os cristãos ao inimigo apontá-los e dizer: Vede como esse povo, permanecendo sob a bandeira de Cristo odeiam uns aos outros. Os cristãos são todos membros de uma família, filhos todos do mesmo Pai celestial, com a mesma bendita esperança da imortalidade. Muito íntimo e terno deve ser o laço que os une. Atos dos Apóstolos, págs. 547-550.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 214

I Tessalonicenses 1

I Tessalonicenses 1 
Comentários Pr Heber Toth Armí

A existência do cristão deve girar em torno de Jesus e Seu retorno. A mensagem do evangelho deve estar vinculada à promessa de Cristo que se cumprirá no fim dos tempos.

“Paulo e sua equipe evangelizadora haviam chegado a Tessalônica para transtornar a cidade com a mensagem do evangelho durante sua segunda viagem missionária... (At 17:6). Paulo esteve em Tessalônica entre novembro do ano 50 e fevereiro de 51. Posteriormente, estando em Corinto, envia suas cartas aos tessalonicenses por volta de 50-51. Paulo prega, fundamentando-se nas Escrituras (At 17:2), que Jesus, a quem eu os anuncio (At 17:3), não outro diferente (1Co 11:3), é o Cristo. Paulo ensinou aos tessalonicenses todas as fases do ministério de Jesus, enfatizando que Ele era o Cristo, o Rei que logo regressaria (At 17:7)” (Raúl Quiroga).

Paulo evangelizou Tessalônica sustentado financeiramente pelas ofertas dos filipenses (Filipenese 4:16). Precisou sair fugido devido à ferrenha oposição; mas, não desistiu dos seus habitantes, por isso escreveu cartas. O primeiro capítulo da primeira carta de Paulo aos tessalonicenses oferece-nos os seguintes pontos:

• Quando as pessoas aceitam o evangelho, Deus as preparará para algo muito especial – tal grupo eclesiástico recebe elogio apostólico (vs. 1-5);
• Ao permitirem que a Palavra de Deus penetre no coração, as pessoas terão seu comportamento transformado e suas emoções elevadas, ainda que surjam desafios acirrados (vs. 5-6);
• O milagre da transformação resultante da aceitação do sacrifício de Cristo impacta a muita gente, influencia muitas igrejas e alcança muitos perdidos para Cristo (vs. 7-10).

Esta carta inspiram-nos ao reavivamento! “É nossa concepção de futuro que dá forma ao presente, que define os contornos e o tom de ações e pensamentos nossos durante o dia. Se nosso senso de futuro é fraco, temos uma vida marcada pela indiferença. Boa parte das doenças emocionais e mentais e dos suicídios ocorre entre pessoas que sentem que ‘não têm futuro’. A fé cristã sempre foi caracterizada por um forte senso de futuro, sendo o exemplo mais notório a crença na segunda vinda de Jesus... Para o cristão, essa é a questão mais importante com relação ao que se crê e sabe a respeito do futuro” (Eugene Peterson). 

O foco do presente deve ser preparar-se para a vida futura com Jesus. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

quinta-feira, 26 de julho de 2018

Confirmada a Palavra Profética

Refletindo a Cristo

Confirmada a Palavra Profética - 26 de julho

Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas. II Ped. 1:16.

O apóstolo estava bem qualificado para falar dos propósitos de Deus com respeito à raça humana; pois durante o ministério terrestre de Cristo ele vira e ouvira muito do que pertencia ao reino de Deus. “Porque não vos demos a conhecer o poder e a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo seguindo fábulas engenhosamente inventadas”, recordava ele aos crentes, “mas nós mesmos fomos testemunhas oculares da Sua majestade, pois Ele recebeu, da parte de Deus Pai, honra e glória, quando pela glória excelsa Lhe foi enviada a seguinte voz: Este é o Meu Filho amado, em quem Me comprazo. Ora, esta voz, vinda do Céu, nós a ouvimos quando estávamos com Ele no monte santo.” II Ped. 1:16-18.

No entanto, por convincente que fosse essa prova da certeza da esperança dos crentes, havia contudo outra evidência ainda mais convincente no testemunho da profecia, através do qual a fé de todos pode ser confirmada e ancorada com segurança. “E temos, mui firme, a palavra dos profetas”, declarou Pedro “à qual bem fazeis em estar atentos, como a uma luz que alumia em lugar escuro, até que o dia esclareça, e a estrela da alva apareça em vosso coração sabendo primeiramente isto: que nenhuma profecia da Escritura é de particular interpretação; porque a profecia nunca foi produzida por vontade de homem algum, mas os homens santos de Deus falaram inspirados pelo Espírito Santo.” II Ped. 1:19-21.

Ao mesmo tempo que exaltava a “firme palavra dos profetas” como guia seguro em tempos de perigo, o apóstolo solenemente advertia a igreja contra a tocha da falsa profecia, que seria erguida por “falsos doutores”, os quais introduziriam encobertamente “heresias de perdição, e negarão o Senhor”. II Ped. 2:1. Esses falsos mestres que apareceriam na igreja e seriam considerados verdadeiros por muitos de seus irmãos na fé, são comparados pelo apóstolo a “fontes sem água, nuvens levadas pela força do vento, para os quais a escuridão das trevas eternamente se reserva”. II Ped. 2:17. “Tornou-se-lhes o último estado”, declarou ele, “pior do que o primeiro.” “Porque melhor lhes fora não conhecerem o caminho da justiça do que, conhecendo-o, desviarem-se do santo mandamento que lhes fora dado.” II Ped. 2:20 e 21. …

Nem todos, porém, seriam enganados pelos ardis do inimigo. Ao aproximar-se o fim de todas as coisas terrestres, haveria fiéis capazes de discernir os sinais dos tempos. Conquanto um grande número de professos crentes negasse a sua fé por suas obras, haveria um remanescente que perseveraria até o fim. …

“Pelo que, amados, aguardando estas coisas, procurai que dEle sejais achados imaculados e irrepreensíveis em paz.” II Ped. 3:14. Atos dos Apóstolos, págs. 534-536.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 213 –

Colossenses 4 Comentário Pr Heber Toth Armí

Colossenses 4 
Comentário Pr Heber Toth Armí

Há muita gente trabalhando para Deus conforme os padrões mundanos, seculares, desprovidos de espiritualidade. Inclusive líderes eclesiásticos aderem filosofias empresariais para administrar a igreja que é de Deus e não deles.

Certamente, Cristo, além de ser central na existência de cada cristão, deve estar em cada canto da periferia da nossa vida. Cristo é tudo, ou não será nada para um indivíduo. 

“A religião de Cristo significa mais que o perdão dos pecados; significa remover nossos pecados e encher o vácuo com as graças do Espírito Santo. Significa iluminação divina e regozijo em Deus. Significa um coração despojado do próprio eu e abençoado pela presença de Cristo. Quando Cristo reina na alma há pureza e libertação do pecado. A glória, a plenitude, a perfeição do plano do evangelho são cumpridas na vida”. 

Incrível como muitos descartam isso de suas proposições. Ellen G. White continua desafiando nosso cristianismo morno e morto: “A aceitação do Salvador traz perfeita paz, perfeito amor, segurança perfeita. A beleza e a fragrância do caráter de Cristo manifestadas na vida, testificam de que em verdade Deus enviou Seu Filho ao mundo para o salvar”.

As últimas palavras de Paulo aos crentes de Colossos são importantes. Pelo envio de Tíquico e Onésimo como elos entre ele (Paulo) e os crentes distantes revela o caráter amoroso e atencioso do apóstolo (vs. 7-9), assim como sua saudação e bênção pessoal e a sugestão da leitura de sua carta em outras comunidades religiosas (vs. 10-18).

A mensagem dos versículos 2-6 merece atenção:

• Os crentes não precisam receber incentivo para orar, subentende-se que já o fazem. O que precisam é de incentivo à perseverança e orientação quanto à vigilância espiritual (v. 2);
• Mesmo impossibilitado, o cristão precisa almejar a possibilidade de pregar a Palavra de Deus; para isso, é preciso, como Paulo, solicitar apoio através da oração, não apenas para pregar, mas também para saber como proceder (vs. 3-4);
• Os membros da igreja devem ser desafiados a portar-se com sabedoria e aproveitar as oportunidades para alcançar os de fora para Cristo. Para isso, nunca se deve usar palavras desagradáveis e desequilibradas (vs. 5-6).

A Palavra de Deus precisa ser proclamada através de nossas palavras e conduta, sem divorciar o que dizemos do que fazemos! – Heber Toth Armí #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 25 de julho de 2018

O Louvor a Deus é Irresistível

Refletindo a Cristo

O Louvor a Deus é Irresistível - 25 de julho

Então, os que temiam ao Senhor falavam uns aos outros; o Senhor atentava e ouvia; havia um memorial escrito diante dEle para os que temem ao Senhor e para os que se lembram do Seu nome. Mal. 3:16.

Ao cristão é concedida a honra de receber raios de eterna luz provindos do trono de glória, e refletir esses raios não apenas em seu caminho, mas também sobre o caminho daqueles com os quais ele se associa. Ao proferir palavras de esperança e ânimo, de grato louvor e cordialidade, ele pode empenhar-se para tornar melhores as pessoas que o cercam, para elevá-las, para apontar-lhes o Céu e a glória, e para induzi-las a buscar, acima de todas as coisas terrenas, os bens eternos, a herança imortal, as riquezas imperecíveis.

“Alegrai-vos sempre no Senhor”, diz o apóstolo; “outra vez digo: alegrai-vos.” Filip. 4:4. Onde quer que vamos, devemos levar conosco uma atmosfera de esperança e alegria cristãs; então os que não têm a Cristo verão o encanto da religião que professamos; os descrentes verão a coerência de nossa fé. Precisamos ter vislumbres mais nítidos do Céu, a terra onde tudo é resplendor e alegria. Precisamos saber mais sobre a plenitude da bendita esperança. Se estivermos constantemente nos regozijando na esperança, estaremos em condições de dizer palavras de ânimo àqueles com os quais nos encontramos. …

Não apenas na associação diária com crentes e descrentes devemos glorificar a Deus com palavras de gratidão e regozijo. Como cristãos, somos exortados a não deixar de congregar-nos, para o nosso próprio refrigério, e para repartir o consolo que recebemos. Em tais reuniões, realizadas semanalmente, devemos meditar demoradamente na bondade de Deus e em Suas múltiplas misericórdias para salvar o Seu povo dos pecados. Em palavras e ações, no temperamento, no caráter, devemos testificar que o servir a Deus é bom. Deste modo proclamamos que “a lei do Senhor é perfeita e restaura a alma”. Sal. 19:7.

Nossas reuniões sociais e de oração devem ser períodos de ajuda especial e ânimo. … A melhor maneira de conseguir isto é tendo uma nova experiência nas coisas de Deus cada dia, e não hesitando em falar de Seu amor ao Seu povo congregado. …

Se pensássemos e falássemos mais em Jesus, e menos em nós mesmos, desfrutaríamos muito mais Sua presença. Se permanecermos nEle, seremos de tal modo cheios de paz, fé, e ânimo, e teremos uma experiência tão vitoriosa para narrar ao virmos à reunião, que os outros ficarão revigorados por nosso claro e sólido testemunho em favor de Deus. Essas preciosas confissões de louvor da glória de Sua graça, ao serem transmitidas por uma vida cristã, possuem um poder irresistível, que atua em favor da salvação de pessoas. Southern Watchman, 7 de março de 1905.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo – Pág. 212 –

Colossenses 3 Comentários Pr Heber Toth Armí

Colossenses 3
Comentários Pr Heber Toth Armí

 Quando enredamo-nos com ideologias humanas, só poderemos libertar-nos conhecendo e assimilando as filosofias divinas. O evangelho erradica o “eu” de nossa vida para colocar Jesus, o Qual torna-Se supremo em tudo o que o cristão praticar.

Jesus deve ser Senhor! Warren Wiersbe escreve: “Cristo tem de ter supremacia também em nossa vida, não apenas no evangelho, na cruz, na criação e na igreja. Paulo deixa muito claro como devemos praticar a supremacia de Cristo”. 

Após dizer isso, Wiersbe sintetiza alguns pontos que devemos praticar a supremacia de Cristo:

1. Na pureza pessoal (vs. 1-11);
2. Na comunhão cristã (vs. 12-17);
3. Na família (vs. 18-21);
4. No trabalho diário (3:22-4:16).

Quando se estuda a Palavra de Deus com atenção, percebe-se que a religião e/ou o cristianismo ali revelados diferem radicalmente do que as pessoas alegam. Por exemplo:

• O cristão não morrerá para o mundo; se já houve conversão, ele já está morto (passado). Somente se Cristo for a nossa vida, estaremos com Ele em glória (vs. 1-4);
• Na conversão erradica-se do caráter do cristão tudo o que não presta: Promiscuidade sexual, impureza, imoralidade, fazer o que quiser quando bem entender... materialismo, maus sentimentos, irritabilidade, ira, avareza, grosseria, conversas indecentes, mentiras, etc. (vs. 5-11).
• A prática de deixar Cristo reger a vida mudará tudo; tal mudança será nitidamente notória na família e no trabalho (vs. 12-25).

Observe esta citação de Ellen G. White a um irmão. Reflita: Estas declarações poderiam ser feitas diretamente a você?

“O irmão necessita experimentar a morte para o próprio eu e viver para Deus. ‘Se já fostes ressuscitados com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus’. Col. 3:1. O eu não deve ser consultado. Orgulho, amor próprio, egoísmo, avareza, cobiça, amor ao mundo, ódio, dúvidas, ciúme, más suspeitas, precisam ser subjugados e sacrificados para sempre”. 

Forte, não é? Então, ela vai mais profundamente, ao continuar dizendo: “Quando Cristo aparecer, não será para corrigir esses males e conceder habilitação moral. Essa preparação necessita ser feita antes que Ele venha e deve ser assunto de meditação, estudo e sincera pesquisa. Que faremos para ser salvos? Qual deve ser nossa conduta para que possamos apresentar-nos aprovados diante de Deus?”

“Senhor, reaviva-nos plenamente!” – Heber Toth Armí #rbhw #ebiblico #rpsp

terça-feira, 24 de julho de 2018

Permanecer Firme

Refletindo a Cristo

Permanecer Firme - 24 de julho

Por amor de Sião, me não calarei… até que saia a Sua justiça como um resplendor, e a Sua salvação, como uma tocha acesa. Isa. 62:1.
Deus convida os Seus obreiros, nesta época de religiosidade corrompida e de princípios pervertidos, a revelar uma espiritualidade saudável e influente. … Deus requer isso de vós. Cada parte de vossa influência deve ser utilizada na causa de Cristo. Deveis agora chamar as coisas pelo seu nome exato, e permanecer firmes em defesa da verdade como esta é em Jesus.

Compete a cada pessoa cuja vida está escondida com Cristo em Deus, a ir para a frente agora, e lutar pela fé que uma vez foi dada aos santos. A verdade precisa ser defendida, e o reino de Deus desenvolvido como o seriam se Cristo estivesse em pessoa na Terra. …

Quando o Espírito Santo controlar a mente de nossos membros, nossas igrejas alcançarão um nível mais elevado de pregação, de ministério, e de espiritualidade do que o têm agora. Os membros serão refrigerados pela água da vida, e os obreiros, trabalhando sob um líder, que é Cristo, revelarão a seu Mestre em espírito, em palavras e ações, e animar-se-ão uns aos outros a seguir em frente no grandioso trabalho e terminação no qual estamos envolvidos. Haverá um saudável aumento de união e amor, o qual testemunhará ao mundo que Deus enviou Seu Filho para morrer em favor da redenção dos pecadores. A verdade divina será exaltada, e ao brilhar como uma lâmpada que arde, compreendê-la-emos mais e mais claramente.

A verdade decisiva para este tempo não é invenção humana. Vem de Deus. …

Em todo momento os seguidores de Cristo devem revelar sua consideração pelos princípios de Cristo, amando a Deus sobre todas as coisas, e ao próximo como a si mesmos; refletindo a luz e as bênçãos sobre o caminho dos que se acham em trevas; confortando os desalentados, e suavizando as águas amargas em lugar de dar a beber fel aos companheiros de peregrinação.

Cresçamos no conhecimento da verdade, dando todo louvor e glória Àquele que é um com o Pai. Busquemos com mais ardor a unção celestial, o Espírito Santo. Sejamos possuidores de um cristianismo puro e crescente, para que nas cortes celestiais possamos afinal ser declarados completos em Cristo.

“Eis o noivo! Saí ao seu encontro.” Mat. 25:6. Preparai sem perda de tempo vossas lâmpadas. Buscai sem perda de tempo perfeita unidade uns com os outros. Devemos esperar dificuldades. Virão provações. Cristo, o Capitão de nossa salvação, foi aperfeiçoado através do sofrimento. Seus seguidores se defrontarão com o inimigo muitas vezes, e serão severamente provados; mas não devem desesperar-se. Cristo lhes diz: “Tende bom ânimo; Eu venci o mundo.” João 16:33. Pacific Union Recorder, 17 de dezembro de 1903.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 211

Colossenses 2 Comentários Pr Heber Toth Armí

COLOSSENSES 2 
Comentários Pr Heber Toth Armí

Na História, as heresias mais constantes estiveram relacionadas com Cristo. Sendo Ele inimigo incessante de Satanás e seus agentes, a cristologia sempre foi um estudo muito tenso desde o início do cristianismo. Satanás quer adulterar informações sobre o único que pode libertar-nos da morte.

Já existiam, nos dias de Paulo, ataques ferrenhos à doutrina de Cristo. Embora, sabiamente, o Espírito Santo tenha levantado grandes mentalidades, como Paulo, para escrever apologias da segunda Pessoa da Trindade, ainda há grandes verdades que são obscuras para muitos, devido às investidas satânicas à mente humana.

Hernandes Dias Lopes observa que o apóstolo “adverte a Igreja sobre quatro grandes inimigos que [...] ainda rondam a igreja em nossos dias”:

1. Gnosticismo (vs. 8-15): Creem que Jesus não poderia ser divino e humano ao mesmo tempo.
2. Legalismo (vs. 16-17): Creem que Jesus não é suficientemente capaz de levar pecadores a Deus; por conseguinte, enfatiza-se práticas, rituais e obediência como complementos de salvação.
3. Misticismo (vs. 18-19): Creem ser necessário ignorar as Escrituras e buscar experiências místicas, espiritualistas.
4. Asceticismo (vs. 20-23): Creem que abster-se de certas coisas instituídas pela Divindade resultam na busca a Deus.

Estes grupos não descartavam Cristo totalmente; os adeptos criam em Jesus, mas equivocadamente. Crer em Cristo, mas de forma deturpada, é tão prejudicial quanto rejeitá-Lo abertamente. É isso que Satanás quer; entretanto, é isso que o inspirado apóstolo combate veementemente.

James D. G. Dunn observa que “a cruz de Cristo torna desnecessárias as tradições e regras humanas”; isto por causa do alcance do resultado de Cristo na cruz (vs. 8-15). Deste modo, é preciso tomar cuidado com aqueles que afirmam que existem práticas e experiências mais importantes que o sacrifício de Cristo (vs. 16-19). Pois, certamente, a vida em Cristo não depende do cumprimento de tradições religiosas (vs. 20-23).

Neste capítulo Paulo expõe elevado argumento acerca de Cristo; o qual, mesmo sendo humano, nEle habita corporalmente TODA a plenitude da Divindade (v. 9). Ele triunfou sobre o pecado, o diabo e os demônios (vs. 14-15). Ele é suficiente para nossa salvação. Ele é plenamente divino. NEle temos valor; sem Ele, não somos nada!

Atenção leitor(a) amigo(a): Fique esperto com vãs filosofias (vs. 1-10) e com religiões falsificadas! Mentiras não produzem reavivamento! – Heber Toth Armí #rbhw #rpsp #ebiblico

segunda-feira, 23 de julho de 2018

É Necessária Verdadeira Religião

Refletindo a Cristo

É Necessária Verdadeira Religião - 23 de julho

Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação. Atos 16:17.

Necessitamos da verdadeira religião na igreja. É propósito de Deus que demonstremos ter nascido de novo, e que estamos aplicando em nossa vida os grandes princípios celestiais da verdade. Unicamente assim poderemos conquistar a vida eterna no reino de glória. …

Poderia haver mil obreiros a mais do que há agora, se o povo de Deus se negasse a si próprio, tomasse a sua cruz e seguisse a Jesus. O que necessitamos é a santificação do Espírito Santo, e a necessitamos cada dia. O que necessitamos é de homens de oração, homens que quieta e humildemente, sem exibição ou agitação, estão conquistando o próprio eu.

O que necessitamos… é firmar-nos nos vivificantes princípios da verdade presente. Satanás se move sorrateiramente, através de enganos, para destruir os princípios de nossa fé. Certamente vos lembrais de que, quando Paulo e Silas estavam ensinando em certo lugar, uma mulher saiu-lhes ao encontro, e clamou dizendo: “Estes homens são servos do Deus Altíssimo e vos anunciam o caminho da salvação.” Atos 16:17. Esta era uma mulher “possessa de espírito adivinhador, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores”. Atos 16:16. Sua influência havia contribuído para fortalecer a idolatria.

“Então, Paulo, já indignado, voltando-se, disse ao espírito: Em nome de Jesus Cristo, eu te mando: Retira-te dela. E ele, na mesma hora, saiu.” Atos 16:18.

Mas, diríeis, ela falava coisas boas. Por que Paulo a repreendeu? Era Satanás falando por meio dela, esperando misturar seus enganos com as verdades ensinadas por aqueles que estavam proclamando a Palavra de Deus.

O mesmo perigo existe hoje. O inimigo está procurando introduzir os seus enganos por intermédio daqueles que deveriam estar de joelhos perante Deus, suplicando entendimento quanto ao que diz a Escritura, a fim de que possam resistir às más influências das quais o mundo está cheio. Deus deseja que os enganos científicos sejam desarraigados de cada coração. Deseja que repreendamos toda e qualquer imaginação perniciosa, toda e qualquer má obra. Se permitirmos que tais imaginações fiquem sem repreensão, sofreremos as conseqüências. … Deus quer que vamos a Ele em busca de luz, e que levemos conosco Sua presença onde quer que vamos. …

O inimigo apresentará seus enganos em delicadas fibras que se apossarão de vossa experiência e destruirão vossa fé. Oro para que vossos olhos sejam ungidos com o colírio celestial, a fim de que possais discernir a verdade do erro. Necessitamos vestir-nos com as vestes brancas da justiça de Cristo. Precisamos andar e falar com Deus. Manuscrito 66, 1905.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 210 –

Colossenses 1 Comentários Pr Heber Toth Armí

Colossenses 1 
Comentários Pr Heber Toth Armí

 Quando tornar-se cristão não está vinculado a conhecer o verdadeiro Cristo, é necessário meditar nesta curta, porém, profunda, carta de Paulo aos crentes de Colossos.

Jesus é Supremo e deve ter supremacia em todas as áreas da vida. Observe os seguintes pontos deste primeiro capítulo:

1. Cristo tem a supremacia na mensagem do Evangelho (vs. 1-12);
2. Por causa de Cristo, a cruz também deve ter supremacia na vida do cristão (vs. 13-14);
3. Na criação, Cristo tem e deve ter a supremacia – Ele é Criador (vs. 15-17);
4. Na igreja, Cristo tem a supremacia e deve ser tratado como Ser supremo (vs. 18-23);
5. Por mais nobre que sejam nossas atividades, Cristo precisa ter supremacia sobre elas, como teve no ministério de Paulo (vs. 24-29).

Só quem não conhece a Jesus não dá a Ele o devido lugar. Ele deve ser central na vida diária e religiosa. Paulo “argumenta com humildade e escreve com a força de um amor que expressa consideração” – observa Eugene Peterson. Ainda diz que o apóstolo “apresenta algo que os cristãos vieram a apreciar muito em Paulo: a união de um intelecto brilhante e determinado com um coração terno e maravilhosamente bondoso”.

Certamente, quem realmente conhece a Jesus e é transformado por Ele, deixa de ser arrogante e lhe dá a supremacia em tudo: Torna-se humilde e submisso a Cristo.

Jesus não foi criado. Ser o primogênito da Criação não significa ser o primeiro a ser criado. Pelo contrário, Ele é a causa de toda criação: Acima e abaixo, visível e invisível, de absolutamente tudo, inclusive de todos os anjos, Ele é soberano, com Ele tudo começou e tem propósito nEle. 

Desta forma, Jesus é tão eterno, divino e poderoso quanto Deus Pai. Se realmente tudo foi criado por Jesus, é impossível ser Ele criado. Ele não é criatura, mas Criador. Contudo, Ele Se fez criatura e, ao morrer na cruz, tornou-Se nosso soberano Salvador:

O maior milagre indescritível é o ato do divino Jesus de resgatar-nos de nossa situação deplorável de pecado. 

Neste capítulo devemos reconhecer que Cristo é agente da criação, Senhor do Universo, Cabeça da igreja e Administrador de nossa reconciliação.

Portanto, vamos dar a Jesus a honra que Ele realmente merece! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí #rpsp #ebiblico #rbhw

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis