domingo, 14 de agosto de 2022

O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS


 O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS

O que diz respeito a mim o Senhor levará a bom termo; a Tua misericórdia, ó Senhor, dura para sempre; não desampares as obras das Tuas mãos. Salmo 138:8

A cruz de Cristo será a ciência e o cântico dos remidos por toda a eternidade. No Cristo glorificado, eles contemplarão o Cristo crucificado. Jamais se esquecerá que Aquele cujo poder criou e manteve os inumeráveis mundos através dos vastos domínios do espaço, o Amado de Deus, a Majestade do Céu, Aquele a quem querubins e resplendentes serafins têm prazer em adorar, humilhou-Se para reerguer a humanidade decaída. Nunca será esquecido que Ele suportou a culpa e a vergonha do pecado e a ocultação da face de Seu Pai, até que as misérias de um mundo perdido Lhe quebrantaram o coração e aniquilaram Sua vida na cruz do Calvário. O fato de o Criador de todos os mundos, o Árbitro de todos os destinos, deixar Sua glória e humilhar-Se por amor ao ser humano despertará eternamente a admiração e a adoração do Universo. Quando as nações dos salvos olham para seu Redentor e contemplam a glória eterna do Pai resplandecendo em Seu semblante; ao verem Seu trono, que existe de eternidade a eternidade, e saberem que Seu reino não terá fim, irrompem num hino arrebatador: “Digno, digno é o Cordeiro que foi morto e nos remiu para Deus com Seu preciosíssimo sangue!”

O mistério da cruz explica todos os outros mistérios. À luz que emana do Calvário, os atributos de Deus que nos enchiam de temor e pavor aparecem belos e atraentes. Misericórdia, ternura e amor paternal se misturam com santidade, justiça e poder. Enquanto contemplamos a majestade de Seu trono, alto e sublime, vemos o caráter divino em suas manifestações de misericórdia e compreendemos, como nunca antes, o significado daquele título tão comovente: “Pai nosso.”

Entenderemos que Aquele que é infinito em sabedoria não poderia idealizar nenhum outro plano para nos redimir que não fosse o sacrifício de Seu Filho. A compensação desse sacrifício é a alegria de povoar a Terra com seres resgatados, santos, felizes e imortais (O Grande Conflito, p. 539, 540 [651, 652]). 

PARA REFLETIR: Quando você fará uma pausa para agradecer a Deus pelo único meio pelo qual Ele poderia salvá-lo: o sacrifício do Seu Filho, Jesus Cristo?

https://youtu.be/ZCmvsPiARbA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

13 de agosto 

https:///meditacao/o-arbitro-de-todos-os-destinos/

Juízes 2 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Juízes 2

Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 2 – A transigência resulta em fracasso. Isso é fato. “Cada página do livro [de Juízes] contribui para enfatizar essa verdade... As duas tribos e meia – Rúben, Gade e metade da tribo de Manassés lamentavelmente já haviam transigido, ao preferirem se estabelecer em Gileade, a leste do Jordão. O primeiro capítulo de Juízes oferece-nos uma lista de oito conquistas incompletas de Judá, Benjamim, Manassés, Efraim, Zebulom, Aser, Naftali e Dã. As outras tribos, Issacar e Simeão, não foram mencionadas, mas supõe-se que seu comportamento tenha sido igual ao dos outros”, diz J. Sindlow Baxter.

Assim, na questão de salvação, todo cuidado é pouco! Em relação a má influências, a ordem de Deus é radical, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento (2 Coríntios 6:14-15). Os exemplos negativos antigos servem de advertência para nós hoje, a fim de que tomemos devido cuidado, atendendo aos apelos divinos.

Os apóstolos conheciam o perigo de envolver-se com doutrinas espúrias, com evangelho adulterado. Por isso, suas ênfases são radicais, por exemplo:

• “Ainda que nós ou um anjo dos céus pregue um evangelho diferente daquele que pregamos a vocês, que seja amaldiçoado!” (Gálatas 1:8).

• “Todo aquele que não permanece no ensino de Cristo, mas vai além dele, não tem Deus... Se alguém chegar a vocês e não trouxer esse ensino, não o receba em casa nem o saúdem. Pois quem o saúda torna-se participante das suas obras malignas” (2 João 9-11).

Embora a nação tenha chorado quando Deus delatou seus pecados (Juízes 2:1-5), em seguida o texto inspirado registra que não houve arrependimento genuíno. Logo após a morte de Josué, o povo despencou rumo à idolatria. Ao invés de influenciar, o povo de Deus era fortemente influenciado, promovendo um sincretismo religioso, o que acarretou fracasso para Israel (Josué 2:6-23).

A lição é nítida, “se dominarmos o mal de maneira incompleta no início, teremos constantes problemas com ele mais tarde e, em geral, acabaremos derrotados por ele no fim. Isso aconteceu com Israel. E vem acontecendo com outros. Devemos precaver-nos! Não é bom cutucar a onça com vara curta! É insensato abafar o pecado com panos quentes! A ordem divina para Israel foi severa, mas necessária. A nação acolheu o inimigo e viveu para arrepender-se disso”, analisa Baxter.

Tenhamos cuidado! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 13 de agosto de 2022

O PADRÃO DE BONDADE

 O PADRÃO DE BONDADE

E Ele disse-lhe: “Por que Me chamas bom?” Mateus 19:17, ARC

O grande conflito entre o Príncipe da luz e o príncipe das trevas não arrefeceu um jota ou um til de seu ímpeto com o passar do tempo. O conflito árduo entre a luz e as trevas, entre o erro e a verdade, só aprofunda em sua intensidade. A sinagoga de Satanás se encontra extremamente ativa, e o poder enganador do inimigo trabalha da maneira mais sutil nesta era. Cada ser humano que não se entrega a Deus e não vive sob o controle do Espírito será pervertido pelos agentes satânicos. 

O inimigo trabalha sem parar, a fim de suplantar Jesus Cristo no coração humano e colocar seus atributos no caráter das pessoas, em lugar dos atributos divinos. Ele lança as suas fortes ilusões sobre a mente humana a fim de obter poder controlador, obscurecer a verdade e abolir o verdadeiro Padrão de bondade e justiça, para que o professo mundo cristão seja varrido para a perdição, separando-se de Deus. Ele trabalha para que o egoísmo tome conta do planeta, invalidando os efeitos da missão e obra de Cristo. 

Jesus veio ao mundo a fim de trazer de volta o caráter de Deus à humanidade e reimprimir na alma humana a imagem divina. Ao longo de toda sua vida, por meio do esforço contínuo e laborioso, Cristo buscou chamar atenção do mundo para Deus e Suas santas reivindicações, a fim de que os seres humanos se encham do Espírito de Deus, sejam movidos pelo amor e revelem tanto na vida como no caráter os atributos divinos. Cristo veio para ser luz, e luz do mundo; Sua vida foi de constante negação do eu e sacrifício pessoal. O Senhor Jesus valorizava cada ser humano e não conseguia suportar a ideia de uma pessoa perecer. Seu grande coração de amor envolvia o mundo inteiro e O levou a oferecer salvação completa a todos que Nele crerem. 

No caráter de Cristo se uniam majestade e humildade. Temperança e negação do eu eram identificadas em cada ato da Sua vida. Mas não havia traço algum de fanatismo nem autoridade fria manifesta na Sua conduta que diminuíssem a Sua influência junto àqueles com quem entrava em contato. O Redentor do mundo tinha uma natureza muito mais que angelical. Contudo, ligada à Sua majestade divina, havia mansidão e humildade que atraíam todos a Ele (Manuscrito 39, 1894). 

PARA REFLETIR: Jesus o valoriza e faz todo o possível para que você não se perca.

https://youtu.be/Ybdf76_UTTM

MEDITAÇÃO DIÁRIA

13 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-padrao-de-bondade/

Juízes 1 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Juízes 1

Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 1 – O livro histórico de Juízes inicia apresentando o que deveria ter acontecido caso Israel seguisse devidamente às orientações sábias do Deus que planeja vitórias completas. Suas mensagens visam incentivar-nos a avançar na direção certa, sem espaço para estagnar. 

• Não podemos nos acomodar a certos vícios que adotamos pensando serem melhores e mais vantajosos que seguir os planos e estratégias celestiais.

O aspecto negativo de Juízes 1 é revelado nos versículos 16 a 36, onde apresenta o povo de Deus dando preferência à conveniência baseada na lógica humana em vez de perseverar na obediência ao Deus Onipotente. O foco em riquezas materiais e exploração de pessoas parecia ser o caminho do sucesso para os israelitas; porém, o resultado foi catastrófico, apenas fracasso – como indica o restante do livro.

Na verdade, o livro começa bem; com poderosos pontos positivos, apresentando exemplos que deveriam ter sido seguidos, deixando um forte legado para nós no século 21:

1. As tribos de Judá e Simeão uniram as forças a fim de derrotar o rei déspota cananeu Adoni-Bezeque (Juízes 1:1-8). 

• A união do povo de Deus com o Deus do povo resulta em forças para cumprir os propósitos divinos.

2. A família de Calebe corajosamente abriu caminho para que a tribo de Judá controlasse a região montanhosa. Otoniel, o sobrinho de Calebe que tornou-se genro, conquistou Debir; e junto com Calebe, expulsaram de Hebrom os filhos de Anaque (Juízes 1:9-15; 3:7-11). 

• As famílias devem possuir alvos elevados, apontados por Deus, e avançar na direção desses alvos.

Os primeiros versos de Juízes apresentam o povo consultando a Deus após a morte de Josué. Essa atitude deveria ser nosso estilo de vida todos os dias quando despertamos pela manhã para orientarmo-nos com Deus!

Observe como pode ser sintetizada a pedagogia divina:

• Egito=Escravidão: Lugar de opressão, medo, mundanismo e depravação espiritual.

• Deserto=Processo: Preparação, dependência, confiança, revelação e mudança de mentalidade.

• Reino=Liberdade: Terra Prometida, paz e justiça.

Como ser livre possuindo mentalidade de escravo? A grande lição que Israel deveria assimilar e nós também, é que após ser liberto por Deus, devemos aprender com Ele quanto ao quê fazer para desfrutar a liberdade; do contrário, a liberdade será ilusória, uma decepção.

Sejamos moldados pela Palavra, para vivermos os planos de Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 12 de agosto de 2022

O PACIENTE SOFREDOR

  O PACIENTE SOFREDOR

Certamente Ele tomou sobre Si as nossas enfermidades e as nossas dores levou sobre Si. Isaías 53:4

Por sobre o trono se revela a cruz; e como em vista panorâmica, aparecem as cenas da tentação e queda de Adão e os passos sucessivos no grande plano da redenção. O humilde nascimento do Salvador; Sua infância de simplicidade e obediência; Seu batismo no Jordão; o jejum e a tentação no deserto; Seu ministério público, desvendando às pessoas as mais preciosas bênçãos do Céu; os dias repletos de atos de amor e misericórdia, e as noites de oração e vigília na solidão das montanhas; as tramas de inveja, ódio e maldade, com que Seus benefícios eram retribuídos; a terrível e misteriosa agonia no Getsêmani, sob o peso esmagador dos pecados do mundo inteiro; Sua traição nas mãos da multidão assassina; os tremendos acontecimentos daquela noite de horror. O Prisioneiro que não opunha resistência, abandonado por Seus discípulos mais amados e rudemente empurrado pelas ruas de Jerusalém; o Filho de Deus triunfantemente exibido perante Anás, obrigado a comparecer ao palácio do sumo sacerdote, ao tribunal de Pilatos e diante do covarde e cruel Herodes, escarnecido, insultado, torturado e condenado à morte – tudo é vividamente retratado.

Em seguida, diante da multidão agitada, revelam-se as cenas finais: o paciente Sofredor trilhando o caminho do Calvário; o Príncipe do Céu suspenso na cruz; os sacerdotes arrogantes e a multidão zombadora escarnecendo de Sua agonia mortal; as trevas sobrenaturais; a Terra a tremer, as rochas despedaçadas e as sepulturas abertas, marcando o momento em que o Redentor do mundo rendeu a vida.

O terrível espetáculo mostra exatamente como aconteceu. Satanás, seus anjos e súditos não têm poder para se desviar da exibição de sua própria obra. Cada ator relembra a parte que desempenhou. Herodes, matando as inocentes crianças de Belém, para que pudesse destruir o Rei de Israel; a malvada Herodias, sobre cuja alma criminosa pesa o sangue de João Batista; o fraco e oportunista Pilatos; os soldados zombadores; os sacerdotes e as autoridades, e a multidão enfurecida que clamou: “Que o sangue Dele caia sobre nós e sobre os nossos filhos!” (Mt 27:25) – todos contemplam a dimensão de seu crime. Em vão procuram se esconder da majestade divina de Seu rosto, mais resplandecente que o Sol, enquanto os remidos lançam suas coroas aos pés do Salvador, exclamando: “Ele morreu por mim!” (O Grande Conflito, p. 551, 552 [666, 667]). 

PARA REFLETIR: O registro da sua vida revelará o seu amor por um Salvador sofredor?

https://youtu.be/yAh_TKrxDKk

MEDITAÇÃO DIÁRIA

12 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-paciente-sofredor/

Josué 24 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 24

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 24 – No final de seu livro, Josué, cheio do Espírito Santo, ao fazer uma recapitulação histórico-teológica, renovou a aliança de Deus com seu povo (Josué 24:1-27), antes de sua morte (Josué 24:28-33). 

Um dos mais conhecidos e fortes apelos de Josué se encontra nos versículos 14 e 15: “Agora temam o Senhor e sirvam-no com integridade e fidelidade. Joguem fora os deuses que os seus antepassados adoraram além do Eufrates e no Egito e sirvam ao Senhor. Se, porém, não agrada a vocês servir ao Senhor, escolham hoje a quem irão servir, se aos deuses que os seus antepassados serviram além do Eufrates, ou aos deuses dos amorreus, em cuja terra vocês estão vivendo. Mas eu e a minha família serviremos ao Senhor”.

Este apelo merece nossa extrema atenção:

Note que o “agora” é uma ordem importante. Exige decisão urgente. Deus não quer protelação. A procrastinação na questão da salvação já é uma terrível decisão.

A decisão de servir ao Senhor provoca transformação. Integridade e fidelidade têm a ver com profundidade, compromisso intenso e constante, sério e perseverante. O compromisso com Deus deve ser total – decisão parcial é inaceitável.

Quem serve a Deus, vive de forma diferente de quem não O serve (ou de quem serve-O apenas teoricamente). O estilo de vida de quem sinceramente teme/ama ao Senhor é visível. A intimidade com Deus é notória nas atividades diárias.

A salvação está disponível a todos; porém, cabe a cada um tomar sua decisão. Deus não obriga ninguém, mas apela veementemente a todos!

Devemos levar nossa família a viver em comunhão constante com Deus – é a melhor atitude a tomar. Coloque diariamente os membros da sua família ao serviço de Deus. O exemplo de Josué deve nos motivar a sermos exemplos para outras pessoas.

Precisamos ser resolutos em nossas decisões; pois, a humanidade carece de famílias que sejam boas referências, que não sofram influências da cultura pecaminosa que intenta destruir não apenas a família, mas os nobres princípios divinos que promovem a verdadeira vida! 

Nossa existência é feita de decisões, e de recomeços. Diariamente as misericórdias do Senhor se renovam antes de acordarmos (Lamentações 3:22-23); portanto, devemos decidir ou reafirmar compromisso exclusivo a Ele todos os dias.

Agora, tema ao Senhor; sirva-O com sinceridade! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 11 de agosto de 2022

O FILHO QUERIDO

 O FILHO QUERIDO

Ele nos libertou do poder das trevas e nos transportou para o Reino do Seu Filho amado. Colossenses 1:13

Foi-me mostrado o grande amor e condescendência de Deus em dar Seu Filho para morrer, a fim de que a humanidade pudesse encontrar perdão e viver. Foram-me mostrados Adão e Eva, que tiveram o privilégio de contemplar a beleza e o encanto do Jardim do Éden e a quem fora dado comer de toda árvore do jardim, exceto uma. Mas a serpente tentou Eva, e esta tentou o marido, e ambos comeram da árvore proibida. Quebraram o mandamento de Deus e se tornaram pecadores. As notícias se espalharam através do Céu, e as harpas todas se calaram. Os anjos se entristeceram e temeram que Adão e Eva estendessem novamente a mão, comessem o fruto da árvore da vida e se tornassem pecadores imortais. […] 

A tristeza encheu o Céu ante a realidade de que o ser humano tinha se perdido, que o mundo que Deus havia criado se encheria de mortais condenados à miséria, enfermidade e morte e que não havia meio de escape para o ofensor. Toda a família de Adão tinha que morrer. Vi então o amorável Jesus e contemplei em Seu semblante uma expressão de simpatia e pesar. Logo O vi Se aproximar da inexcedível luz que envolvia o Pai. Disse meu anjo assistente: “Ele está em conversa íntima com Seu Pai.” A ansiedade dos anjos parecia ser intensa enquanto Jesus estava em comunhão com Seu Pai. Três vezes Ele foi envolvido pela gloriosa luz em torno do Pai. Na terceira vez, Ele veio do Pai e pudemos ver Sua pessoa. Seu semblante estava calmo, livre de toda perplexidade e angústia e brilhava com uma luz maravilhosa que palavras não podem descrever. Ele fez então saber ao coro angélico que se abrira um caminho de escape para a humanidade perdida; que estivera pleiteando com o Pai e obtivera permissão de dar Sua própria vida como resgate para a raça, levar seus pecados e receber sobre Si a sentença de morte, abrindo dessa maneira caminho pelo qual pudessem, mediante os méritos do Seu sangue, encontrar perdão para as transgressões passadas e, mediante a obediência, ser levados de volta ao jardim do qual haviam sido expulsos. […] 

Então alegria, alegria inexprimível, encheu o Céu, e o coro celestial cantou um cântico de louvor e adoração. Eles tocaram suas harpas e cantaram com mais entusiasmo que jamais haviam cantado, por causa da grande graça e condescendência de Deus em entregar o Seu Filho querido para morrer pela raça rebelada (Primeiros Escritos, p. 125-127). 

PARA REFLETIR: Por que você escolheria morrer por pecados cujo preço já foi pago na cruz?

https://youtu.be/xCf550KAz5I

MEDITAÇÃO DIÁRIA

11 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-filho-querido/

Josué 23 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 23

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 23 – Deus é sensacional! Neste livro inspirado, Ele revela que Seu interesse em que Seu povo apossasse de Canaã era, conforme destaca John MacArthur, para:

• Cumprir a Sua promessa (Gênesis 12:7).

• Preparar o cenário para desenvolvimentos posteriores no plano de Seu reino (Gênesis 17:8; 49:8-12); como, por exemplo, posicionar Israel para os acontecimentos nos períodos dos reis e dos profetas.

• Punir nações que eram uma afronta a Deus por causa de sua extrema pecaminosidade (Levítico 18:25).

• Servir de testemunho a outras nações (Josué 2:9-11) na medida em que a aliança do coração de Deus alcançasse todos os povos (Gênesis 12:1-3).

Os alertas expostos em Josué 23 pelo idoso Josué aos líderes, revelam os perigos de desviar-se dos propósitos de Deus. Se o povo não avançasse nas conquistas, se permitisse que os pagãos os influenciassem, e se criasse vínculos com eles... os planos de Deus ficariam seriamente comprometidos; e, os pagãos seriam “armadilhas, ciladas, flagelos e espinhos, que levariam os israelitas a finalmente perderem a Terra Prometida (vs. 13, 15-16)”, declara MacArthur.

A perversão e corrupção possuem fortes poderes corrosivos na sociedade. Os alertas foram essenciais naquele contexto; e, certamente são mais importantes atualmente devido à força das mídias e redes sociais.

O erro atrai. O pecado é interessante. A imoralidade é sedutora. As iscas do diabo são eficazes. Devemos atentar continuamente aos alertas bíblicos para não dar ouvidos às ofertas do diabo.

• Novos líderes precisam atender às orientações dos mais experientes para então advertir aos liderados quanto aos perigos da sociedade corrompida (Josué 23:1-3).

• É preciso ser radical na rejeição de espiritualidades espúrias para apegar-se exclusivamente ao Deus verdadeiro (Josué 23:6-8, 12-13).

• É necessário dedicar-se com zelo a amar ao Deus que ama e provê tudo a Seus filhos. Sem vivência de íntimo amor com Deus haverá decadência da verdadeira religiosidade, que resultará em catastróficas calamidades (Josué 23:9-11, 14-16).

Não é possível envolver-se com cultura pagã sem correr riscos de ser terrivelmente afetado por ela. Deus sabia disso, nós pensamos ilusoriamente que sabemos filtrar o que é certo do errado.

O secularismo, o materialismo e a falsa espiritualidade têm exercido poderosamente sua força para afastar pessoas de Deus.

Precisamos tomar cuidado! O poder da má influência não pode ser subestimado. Deus avisa! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 10 de agosto de 2022

O ANTÍTIPO DOS FEIXES

  O ANTÍTIPO DOS FEIXES

Cada um, porém, na sua ordem: Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na Sua vinda. 1 Coríntios 15:23

No verão de 1844 – período intermediário entre o tempo em que, inicial- mente, se pensava que os 2.300 dias terminariam, e o outono do mesmo ano, época em que eles deveriam se cumprir, como descobriu-se depois –, a mensagem foi proclamada com as próprias palavras da Bíblia: “Eis o Noivo!” (Mt 25:6).

O que determinou esse movimento foi a descoberta de que o decreto de Artaxerxes para a restauração de Jerusalém, o qual estabelecia o ponto de partida para o período dos 2.300 dias, entrou em vigor no ou- tono do ano 457 a.C., e não no começo do ano, conforme anteriormente se havia acreditado. Contando desde outono de 457 a.C., os 2.300 anos terminam no outono de 1844. […]

A morte do cordeiro pascal era sombra da morte de Cristo. Paulo escreveu: “Cristo, nossa páscoa, foi sacrificado por nós” (1Co 5:7, ARC). O feixe das Primícias, que por ocasião da Páscoa era movido perante o Senhor, simbolizava a ressurreição de Cristo. Falando da ressurreição do Senhor e de todo Seu povo, Paulo declarou: “Cristo, as primícias; depois, os que são de Cristo, na Sua vinda” (1Co 15:23). Semelhante ao feixe que era agitado, constituído pelos primeiros grãos amadurecidos que eram colhidos antes da ceifa, Cristo é as primícias da ceifa imortal de resgatados que, por ocasião da ressurreição futura, serão recolhidos ao celeiro de Deus.

Aqueles símbolos se cumpriram, não somente quanto ao acontecimento, mas também quanto ao tempo. No dia 14 do primeiro mês judaico, no mesmo dia e mês em que, durante 15 longos séculos, o cordeiro pascal havia sido morto, Cristo, tendo comido a Páscoa com os discípulos, instituiu a solenidade que deveria comemorar Sua própria morte como o “Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo” (Jo 1:29). Naquela mesma noite, Ele foi tomado por mãos ímpias para ser crucificado e morto. E, como o Antítipo dos feixes que eram agitados, nosso Senhor ressurgiu dentre os mortos ao terceiro dia, como “as primícias dos que dormem” (1Co 15:20) (O Grande Conflito, p. 338, 339 [398, 399]).

 PARA REFLETIR:  Ao estudar as profecias, como você pode evitar estar “sinceramente equivocado”, como os pioneiros adventistas, que acreditaram de e Jesus voltaria em 22 de outubro de 1844?

https://youtu.be/9htxk6PrYK4

MEDITAÇÃO DIÁRIA

10 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-antitipo-dos-feixes/



Josué 22 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 22

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 22 – Josué é incrível! “O cânon sagrado apresenta aqui um livro de história e de arte histórica do qual nossa geração, prolífica em escrever sobre a história, porém deficiente em sentimentos e percepção histórica, necessita urgentemente”, observa Paulus Cassel.

Josué faz parte dos livros teocráticos, um período histórico de alto nível teológico. “Assim como a democracia (gr. ‘governo do povo’) deve ser o poder exercido pelo povo, a teocracia deve ser o poder exercido diretamente por Deus. Esse era o sistema de governo no antigo Israel, do tempo de Josué até Saul (1405-1043 a.C.). São três os livros que compõem a era teocrática: Josué, Juízes e Rute”, comenta William MacDonald.

Teologicamente, o livro histórico de Josué é para o Antigo Testamento o que o livro histórico de Atos dos Apóstolos é para o Novo Testamento. A teologia histórica é essencial para obter ideia de como Deus atua em nossa história.

As tensões existentes entre as tribos equivalem às tensões da igreja primitiva. Assim como foi necessário uma reunião para resolver um mal-entendido entre as tribos de Israel em Josué 22, foi necessário o primeiro concílio eclesiástico para resolver um mal-entendido em relação aos proclamadores do evangelho aos gentios (Atos 15). Ambas as reuniões da liderança, tanto no Antigo quanto no Novo Testamento, resultaram em solução, chegaram numa conciliação.

O Deus que conduzia a história de Israel é o mesmo que conduz a história de Sua igreja. Estas histórias ensinam como lidar com disputas do povo de Deus:

• Alguém precisa tomar atitude e investigar o que realmente está acontecendo a fim de tentar uma solução correta.

• É preciso ouvir ambos os lados e tentar entender as motivações das tensões dos envolvidos.

• O lado zeloso das coisas certas não deve ser inflexível, acusador e condenador de seus irmãos; isso significa ser extremista com atitudes baseadas em pressuposição, sem qualquer fundamento.

• Os que são falsamente acusados devem evitar a recriminação empregando palavras suaves e conciliatórias.

Severidade com o próximo não resolve problemas; ao contrário, promove guerras desnecessárias. Por mais lógico que pareça uma opinião, agir sem fundamento aproxima-se da loucura! Tais pessoas pode ter zelo por Deus, porém, sem entendimento (Romanos 10:2).

Deus quer pessoas pacíficas e sábias; dispostas a resolver, não a criar problemas! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 9 de agosto de 2022

O COMANDANTE DO CÉU

 O COMANDANTE DO CÉU

Pelo contrário, Ele Se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-Se semelhante aos seres humanos. Filipenses 2:7

Cristo foi o único ser livre de pecado que já existiu na Terra. Apesar disso, viveu por aproximadamente 30 anos entre os ímpios habitantes de Nazaré. Esse fato é uma repreensão aos que pensam depender de lugar, riqueza ou prosperidade para ter uma vida irrepreensível. Tentação, pobreza e adversidade: essa é exatamente a disciplina necessária para o desenvolvimento da pureza e firmeza.

Jesus viveu em um lar de pessoas simples e desempenhou de maneira fiel e alegre Sua parte nas responsabilidades da vida doméstica. Havia sido o Comandante do Céu, e anjos tinham prazer em cumprir Suas ordens. Naquele momento, Ele era um servo voluntário e um filho afetuoso e obediente. Aprendeu um ofício e trabalhava com as próprias mãos na oficina de carpintaria de José. Vestido com a simplicidade de um operário comum, caminhava pelas ruas da pequena cidade, indo e voltando em Seu humilde labor. Não usava o poder divino de que dispunha para aliviar os próprios fardos ou diminuir seu trabalho.

À medida que Jesus trabalhava na infância e na juventude, Sua mente e Seu corpo se desenvolviam. Não usava com descuido as forças físicas, mas as conservava em boas condições, a fim de fazer o melhor trabalho possível em todos os sentidos. Não queria ser imperfeito, nem mesmo no manejo dos instrumentos de trabalho. Era perfeito como trabalhador, assim como no caráter. Pelo exemplo, ensinou que devemos ser produtivos, que nosso trabalho deve ser executado com exatidão e esmero e que um esforço assim é honroso. As atividades que ensinam as mãos a ser úteis e educam os jovens a desempenhar as responsabilidades da vida aumentam a força física e desenvolvem todas as habilidades. Todos devem fazer alguma coisa que lhes seja útil ou que ajude a outros. Deus designou o trabalho como uma bênção, e somente o trabalhador dedicado encontra a verdadeira glória e alegria da vida. A aprovação de Deus, bem como Sua amável certeza, está sobre as crianças e jovens que desempenham alegremente sua parte nos deveres da família, partilhando as responsabilidades do pai e da mãe. Esses filhos sairão de casa para ser membros úteis da sociedade (O Desejado de Todas as Nações, p. 48, 49 [72]).

PARA REFLETIR: Se Jesus, o Comandante do Céu, Se mostrou disposto a Se tornar humano e sacrificar a vida pela humanidade caída, deixando um exemplo tanto de caráter como de conduta, de que você está disposto a abrir mão por Ele hoje?

https://youtu.be/vT_DZoqonuA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

9 de agosto

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-comandante-do-ceu/

Josué 21 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 21

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 21 – Deus é bom, Suas promessas são maravilhosas, e Sua atuação resulta em satisfação ao coração humano que confia e depende dEle.

O loteamento de Canaã estava pronto. O assentamento israelita já estava garantido. Embora os levitas não recebessem uma área geográfica, receberam 48 cidades. Não que eles fossem irrelevantes, mas porque eles eram importantes na sociedade do povo de Deus.

O clímax da revelação do livro de Josué encontra-se nos versículos finais deste capítulo. Deus jurou dar a terra aos israelitas, e cumpriu. Nenhuma de Suas boas promessas “falhou; todas se cumpriram”. Desta forma, o povo desfrutou de “descanso de todos os lados, como tinha jurado aos seus antepassados”. Tudo aconteceu conforme Deus revelou no Pentateuco.

Assim, cada parte do livro de Josué está fundamentada “na teologia proposta na Lei [Pentateuco]. Não há nenhum desvio do monoteísmo. Não há nenhuma hesitação diante da palavra escrita que Moisés deu ao povo. Não há nenhuma dúvida de que a terra que está invadindo vem de Deus, uma dádiva que não merece de forma alguma. Ainda assim, comentem-se erros. O povo é tão humano quanto seus genitores. Mas, ao contrário de seus genitores, confessa seus erros e aprende a evitar os castigos severos que são resultados de ignorar a palavra explícita de Deus. Pelo fato de o povo assim proceder, o livro de Josué descreve, na prática, o maior triunfo teológico e histórico já experimentado pela nação” – analisa Paul House.

Além disso, House afirma que “a conquista e a divisão [da terra] fazem com que a teologia de Israel esteja alicerçada na realidade histórica”; a Escritura mostra que “a guerra é real, os cananeus são reais e as cidades são reais”. Assim, a teologia israelita “não acontece em dimensões mitológicas mas nos embates cruciais da vida, em assuntos banais, nos eventos reais da história. Até mesmo os milagres acontecem em situações específicas em momentos específicos. Não acontecem no vácuo ou num mundo mítico”.

Deus atua em nossa história; não aleatoriamente, mas estrategicamente – não apenas a Terra Prometida, mas a Bíblia é prova dessa verdade. A Palavra de Deus é suficiente, perfeita e exata, nos fará bem dar-lhe mais valor e ouvidos estudando-a diligentemente (Deuteronômio 4:2; 12:32; Provérbios 30:5-6; Apocalipse 22:18).

Reavivemo-nos na Palavra de Deus! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 8 de agosto de 2022

O REI EM SUA FORMOSURA

 O REI EM SUA FORMOSURA

Eis que Ele vem com as nuvens, e todo olho O verá, até mesmo aqueles que O traspassaram. Apocalipse 1:7

Oh! Quantos que não buscaram a salvação espiritual farão logo o amargo lamento: “Passou a colheita, acabou o verão, e nós não estamos salvos” (Jr 8:20)?

Vivemos nas cenas finais da história da Terra. A profecia se cumpre rapidamente. As horas de graça escoam-se depressa. Não temos tempo – nem um momento – a perder. Não sejamos achados dormindo na guarda. Ninguém diga em seu coração ou por suas obras: “Meu senhor demora para vir” (Mt 24:48). Que a mensagem da breve volta de Cristo ressoe em fervorosas palavras de advertência. Persuadamos homens e mulheres de toda parte a se arrependerem e fugirem da ira vindoura. Despertemo-los, levando-os a se preparar imediatamente, pois pouco imaginamos o que está diante de nós. Saiam pastores e membros leigos para os campos a fim de dizer aos despreocupados e indiferentes que busquem ao Senhor enquanto Se pode achar. Os obreiros encontrarão sua seara onde quer que proclamem as esquecidas verdades da Bíblia. Encontrarão pessoas que aceitarão a verdade e dedicarão a vida à conquista de outros para Cristo.

O Senhor voltará em breve, e precisamos estar preparados para encontrá-Lo em paz. Estejamos resolvidos a fazer tudo quanto está ao nosso alcance para comunicar luz aos que nos cercam. Não devemos estar tristes, mas animados, e ter sempre perante nós o Senhor Jesus. Ele virá logo, e devemos estar prontos e aguardando Seu aparecimento. Oh! quão glorioso será vê-Lo e receber as boas-vindas como remidos Seus! Por muito tempo temos esperado; mas nossa esperança não deve diminuir. Se tão somente pudermos ver o Rei em Sua formosura, seremos para sempre benditos. Tenho a sensação de que devesse exclamar alto: “Rumo ao lar!” Estamos nos aproximando do tempo em que Cristo virá com poder e grande glória para levar Seus resgatados ao lar eterno. […]

Na grande obra finalizadora encontraremos dificuldades com as quais não saberemos como tratar; mas não nos esqueçamos de que os três grandes poderes do Céu estão atuando, que a mão divina está ao leme, e que Deus cumprirá Suas promessas. Ele congregará do mundo um povo que O servirá em justiça (Testemunhos Para a Igreja, v. 8, p. 252-254).

 PARA REFLETIR:  Você está empolgado para ver Jesus em toda a Sua beleza? Vive com o breve retorno de Cristo sempre em mente?

https://youtu.be/SlHuRSZURJk

MEDITAÇÃO DIÁRIA

8 de agosto

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-rei-em-sua-formosura/

Josué 20 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 20

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 20 – Não devemos abrigar em nossa mente a ideia de que haja algum lugar em nosso planeta – tomado pelo maligno – que seja absolutamente seguro. 

Os planos de cidades refúgios orientados por Deus a Moisés (Êxodo 21:12-13; Números 35:6-28; Deuteronômio 4:41-43; 19:1-13), deveriam ser executados por Josué. Pois, acidentes acontecem em todos os lugares. Inclusive poderia acontecer na Terra Prometida; sim, entre o povo abençoado/protegido por Deus.

Josué 20 revela que uma pessoa pode machucar ou matar a outra sem intenção. Acidentes fatais e mortais podem acontecer entre pessoas consagradas. A vingança irracional oriunda do calor da emoção pode surgir inclusive em corações de pessoas que possuem o privilégio da presença de Deus entre elas. Por conseguinte, e possível ter homicidas involuntários entre os servos de Deus.

Além de acontecer de pessoas consagradas causarem acidentes graves, pessoas consagradas podem sofrer acidentes fatais. Ninguém neste mundo está absolutamente blindado diante das situações acidentais resultantes da degradação causada pela força do pecado. Cristãos fervorosos podem ter membros da família ceifados pela morte resultante de acidente. 

Josué 20 incentiva-nos a não alimentarmos um espírito vingativo. Não devemos abrigar e nem alimentar a raiva em nosso íntimo.

Também, não devemos abrigar culpa quando o que causamos foi acidental. Como diz o próprio nome, “acidente” não é algo programado, ou premeditado; acontece sem querer, sem nenhuma intenção de que qualquer fatalidade acontecesse.

A proteção para quem causa acidente foi provida por Deus nas cidades refúgios, lugares em que, “qualquer israelita ou estrangeiro residente que matasse alguém sem intenção, poderia fugir para qualquer dessas cidades para isso designadas e escapar do vingador da vítima, antes de comparecer a julgamento perante a comunidade” (Josué 20:9). Assim, os vingadores são protegidos de não praticarem injustiças tomados pela raiva natural ou vingança irracional.

Mesmo que o homicídio fosse acidental, onde o causador da desgraça não fizesse nada por maldade ou premeditação, ele precisaria “permanecer naquela cidade [de refúgio] até comparecer a julgamento perante a comunidade e até morrer o sumo sacerdote que estiver servindo naquele período. Então, poderá voltar para a sua própria casa, a cidade de onde fugiu” (Josué 20:6).

Jesus é o nosso sumo sacerdote que livra-nos do temor da retaliação do pecado. Sua morte nos confere vida, vida eterna! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 7 de agosto de 2022

O HERDEIRO

 O HERDEIRO

Este é o herdeiro; venham, vamos matá-lo e ficar com a herança dele para nós. Mateus 21:38

Na parábola da vinha, Jesus apresentou aos judeus sua real condição. O dono da propriedade representava Deus, a vinha era a nação judaica protegida pela lei divina, a qual foi planejada para preservar os judeus como povo separado e distinto de todas as outras nações da Terra. A torre construída na vinha simboliza o templo. […]

O Senhor da vinha exigia dos arrendatários uma proporção apropriada da colheita. De igual maneira, Deus requeria dos judeus uma vida à altura dos sagrados privilégios que Ele lhes deu. No entanto, assim como os ser- vos que foram buscar os frutos em nome do dono acabaram mortos pelos lavradores infiéis, os judeus mataram os profetas que anunciaram as mensagens divinas. Além de rejeitarem esse grupo, quando Deus enviou Seu único Filho, o Herdeiro destinado da vinha, os arrogantes judeus, os servos infiéis, com o objetivo de possuir a vinha e garantir tanto a honra como os lucros que ela proporcionava, raciocinaram entre si dizendo: “Este é o herdeiro; venham, vamos matá-lo” (Mt 21:38). Assim Jesus revelou, nessa parábola, os propósitos sombrios dos judeus contra Ele.

Depois de Jesus ouvi-los pronunciar a sentença sobre si mesmos ao condenar os lavradores maus, olhou cheio de compaixão para eles e continuou: “Vocês nunca leram nas Escrituras: ‘A pedra que os construtores rejeitaram, essa veio a ser a pedra angular. Isto procede do Senhor e é maravilhoso aos nossos olhos’? Portanto, Eu lhes digo que o Reino de Deus será tirado de vocês e entregue a um povo que lhe produza os respectivos frutos. Todo o que cair sobre esta pedra ficará em pedaços; e aquele sobre quem ela cair ficará reduzido a pó” (v. 42-44).

Os judeus repetiam com frequência as palavras dessa profecia enquanto ensinavam o povo nas sinagogas, aplicando-as ao Messias vindouro. Mas Jesus traçou uma ligação entre o herdeiro tão cruelmente morto e a pedra angular do edifício inteiro. O próprio Cristo era o originador do sistema judaico, o alicerce do dispendioso templo, o antítipo para o qual todos os ritos do sistema cerimonial apontavam (The Spirit of Prophecy, v. 3, p. 34, 35).

PARA REFLETIR: Seria possível você rejeitar o Filho de Deus, assim como os assim fizeram?

Meditações Diárias: 7 de Agosto - O HERDEIRO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/dtn0jMYOXuU

MEDITAÇÃO DIÁRIA

7 de agosto

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-herdeiro/

Josué 19 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 19

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 19 – O propósito de Deus na conquista de Canaã era conquistar o mundo todo para a salvação. Os pagãos de Canaã perderam o território devido a não se renderem à graça oferecida pelo Deus verdadeiro. Contudo, os pagãos de todo o mundo teriam oportunidade de salvação com a atuação de Deus em meio a Seu povo alocado em Canaã.

• O plano de salvação não é exclusivo a uma única nação; ele é mundial. Um dia o reino de Deus vai tomar conta do mundo inteiro; portanto, toda a humanidade precisa saber disso para preparar-se, para então participar desse reino Universal.

Em Josué 19, o plano de conquista de território chegou ao fim com a herança distribuída às sete tribos restantes (Josué 18:1-2); mas não o plano de conquista dos reinos deste mundo para o reino celestial. Tudo foi realizado na presença de Deus (Josué 19:51). A profecia dada por Deus a Abraão cerca de 500 anos em Gênesis 15:13-16 chegava ao seu completo cumprimento.

• Atualmente, “de acordo com Sua promessa, esperamos novos céus e nova terra, onde habita a justiça” (2 Pedro 3:13).

Quando a Terra for renovava, será maravilhoso ter o próprio Deus repartindo o território para os salvos. Como se cumpriu a promessa de Deus a Abraão (Josué 19:51), certamente a promessa dada a Pedro por inspiração, também se cumprirá. Pois, “conforme a Sua grande misericórdia, Ele nos regenerou para uma esperança viva, por meio da ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos, para uma herança que jamais poderá perecer, macular-se ou perder o seu valor. Herança guardada nos céus para vocês que, mediante a fé, são protegidos pelo poder de Deus até chegar a salvação prestes a ser revelada no último tempo. Nisso vocês exultem, ainda que agora, por um pouco de tempo, devam ser entristecidos por todo tipo de provação” (1 Pedro 1:3-6).

O líder dessa conquista é Jesus, não Josué. A herança é maior e melhor. A batalha chama-se grande conflito. Precisamos receber ordens de nosso General assim como fez Josué (Josué 5:13-15); pois, com Ele, as portas do inferno não serão empecilho algum (Mateus 16:18). O reino de Deus subjugará todos os reinos deste mundo, o qual durará para sempre (Daniel 2:44). 

Aguardemos por esse Reino! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 6 de agosto de 2022

O ANJO DA ALIANÇA

 O ANJO DA ALIANÇA

"Ó Senhor, Deus de Israel, não há Deus como Tu, nos Céus e na Terra! Tu guardas a aliança e a misericórdia aos Teus servos que de todo o coração andam diante de Ti. 2 Crônicas 6:14"

Aquela região solitária e montanhosa era retiro de animais selvagens e esconderijo de ladrões e assassinos. Sozinho e desprotegido, Jacó se prostrou em terra com profunda angústia. Era meia-noite. Tudo que era importante para ele estava distante, exposto ao perigo e à morte. O que mais lhe causava tristeza era pensar que havia sido seu próprio pecado que trouxera esse perigo sobre os inocentes. Com ansiosos clamores e lá- grimas, fez sua oração perante Deus. Inesperadamente, uma forte mão foi posta sobre ele. Achou que um inimigo estivesse querendo tirar sua vida e se esforçou para se desvencilhar do agressor.

Os dois lutaram na escuridão, tentando vencer um ao outro. Nenhum dos dois falou uma só palavra, mas Jacó lutou com todas as suas forças e não cedeu por um momento sequer. Enquanto lutava para defender a própria vida, a culpa pesava em seu coração. Seus pecados pareciam estar sem- pre diante dele para o separar de Deus. Contudo, em sua terrível situação, lembrou-se das promessas do Senhor e suplicou de todo o coração por Sua misericórdia. A luta continuou até perto do amanhecer, quando o estranho colocou o dedo sobre a coxa de Jacó e instantaneamente ele ficou manco. O patriarca identificou então o caráter de seu oponente. Compreendeu que estivera em conflito com um mensageiro celestial. Foi por isso que, em seu esforço quase sobre-humano, não conseguiu a vitória. Era Cristo, “o Anjo da Aliança” (Ml 3:1, ARA), que havia Se revelado a Jacó. Agora o patriarca estava inválido e sofria a mais lancinante dor, mas não quis soltá-Lo. Todo arrependido e quebrantado, apegou-se ao Anjo; “chorou, e Lhe suplicou” (Os 12:4, ARC), implorando uma bênção. Precisava ter a certeza de que seu pecado estava perdoado. A dor física não era sufi- ciente para desviar sua mente desse objetivo. Sua decisão se tornou mais forte, e sua fé, mais fervorosa e perseverante até o fim. O Anjo tentou Se livrar e insistiu: “Deixe-Me ir, pois já rompeu o dia.” Mas Jacó respondeu: “Não O deixarei ir se Você não me abençoar” (Gn 32:26). Se essa tivesse sido uma confiança arrogante e presunçosa, Jacó teria sido instantaneamente destruído; mas ele tinha a confiança daquele que confessa a própria indignidade, e ainda assim crê na fidelidade de um Deus que mantém a palavra do concerto (Patriarcas e Profetas, p. 159, 160 [196, 197]).

 PARA REFLETIR:  Você se agarra a Deus até que Ele o abençoe ou tem a tendência de desistir rápido demais?

https://youtu.be/7UDigMgSNW

MEDITAÇÃO DIÁRIA

6 de agosto

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-anjo-da-alianca/

Josué 18 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 18

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 18 – A essa altura ainda havia sete tribos que não tinham recebido herança, território. Então, Josué dividiu em sete partes o restante da terra. O capítulo encerra apresentando a herança a o limite do território de Benjamim com suas cidades.

Nenhuma tribo deveria ficar sem herança, exceto a tribo de Levi; a qual serviria às outras tribos como líderes espirituais. 

A fim de não consumirem seu tempo com atividades seculares, os levitas não deveriam cultivar a terra nem criar animais. Deveriam dedicar tempo às coisas espirituais, desenvolvendo a importantíssima obra de Deus (Josué 18:7).

O capítulo inicia informando que a tenda da congregação, o Santuário, foi armado em Siló, cujo significado é “lugar de descanso”. O Comentário Bíblico Adventista apresenta três razões para a conveniência deste lugar:

• Era um lugar central.

• O local estava protegido e isolado.

• Ficavam no território da tribo de Efraim, da qual Josué fazia parte. Dessa maneira, ele, líder da nação, teria fácil acesso ao santuário sempre que precisasse consultar a Deus.

“Na terra de Canaã, o povo de Deus devia ter um lugar de reunião, onde, três vezes ao ano, poderiam todos se encontrar para adorar ao Senhor... Deus não varreria da existência as nações idólatras. Ele lhes daria oportunidade de se familiarizarem com Ele por meio de Sua igreja. A experiência de Seu povo durante os quarenta anos de vagueação pelo deserto devia ser objeto de estudo dessas nações. As leis e o reino de Deus deviam se estender pelo território de toda a Terra, e Seu povo devia ser conhecido como o povo do Deus vivo. Seu culto era imponente e testificava da verdade do Deus criador. Seus sacrifícios apontavam para um Salvador vindouro que tomaria os reinos debaixo de todo o céu e os possuiria para sempre. Haviam sido dadas evidências de Seu poder para fazer isso, pois, como Líder invisível, não havia Ele subjugado os inimigos de Sua igreja e aberto caminho para ela no deserto? Seu povo nunca conheceria derrota se permanecesse à sombra do Altíssimo, pois Alguém mais poderoso do que os anjos lutaria ao lado deles em todas as batalhas”, comenta Ellen White (CBASD, v.2, p.1102).

• Toda estratégia divina era evangelística. 

• Deus quer salvar pecadores! 

Colaboremos com Ele: Vamos evangelizar! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 5 de agosto de 2022

A CABEÇA VIVA DO CRISTÃO

A CABEÇA VIVA DO CRISTÃO

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça. 2 Timóteo 3:16

Foi-me mostrado que os que têm conhecimento da verdade e, no entanto, permitem que suas faculdades se absorvam em interesses mundanos, são infiéis. Não estão, por meio de boas obras, fazendo brilhar a luz da verdade. Usam quase toda sua habilidade para se tornarem perspicazes e hábeis no mundo. Esquecem-se de que seus talentos lhes foram dados por Deus, a fim de serem usados para promover Sua causa. Se fossem fiéis ao seu dever, o resultado seria grandes conversões para seu Senhor. Muitos, porém, se perdem por causa de sua negligência. Deus conclama os que conhecem Sua vontade a serem praticantes de Sua Palavra. Fraquezas, in- diferença e indecisão provocam os ataques de Satanás; e os que permitem que esses traços de caráter aumentem serão irremediavelmente tragados pelas ondas da tentação. De todo que professe o nome de Cristo se requer que cresça até à estatura completa de Cristo, a Cabeça viva do cristão.

Todos nós precisamos de um guia que nos dirija através das muitas perplexidades da vida, assim como o marinheiro precisa de um piloto que guie a embarcação rio acima ou entre os bancos de areia. Onde se encontrará semelhante guia? Apontamo-lhes, prezados irmãos, a Bíblia. Inspirada por Deus, escrita por santos homens, ela indica com grande clareza e precisão quais os deveres, tanto dos idosos como dos jovens. Eleva a mente, suaviza o coração e comunica ao espírito alegria e felicidade. A Bíblia apresenta uma perfeita norma de caráter. É guia infalível sob todas as circunstâncias, até ao fim da jornada da vida. Tomem-na como sua conselheira, como a regra de sua vida diária.

Todo meio de graça deve ser diligentemente aproveitado para que o amor de Deus possa influir mais e mais na vida, “para que vocês aprovem as coisas excelentes e sejam sinceros e inculpáveis para o Dia de Cristo, cheios do fruto de justiça que vem por meio de Jesus Cristo, para glória e louvor de Deus” (Fp 1:10-11). Sua vida cristã tem de assumir formas vigo- rosas e dinâmicas. Poderão alcançar a alta norma que lhes é apresentada nas Escrituras, e terão de fazê-lo, se quiserem ser filhos de Deus. Vocês não podem ficar parados; terão de avançar ou retroceder. Devem ter conheci- mento espiritual […] “para que vocês fiquem cheios de toda a plenitude de Deus” (Ef 3:19) (Testemunhos Para a Igreja, v. 5, p. 263, 264).

 PARA REFLETIR:  Se fraquezas, indiferença e indecisão provocam os ataques de Satanás, o que você precisa mudar na sua vida para resistir às estratégias inimigo?

Meditações Diárias: 5 de Agosto - A CABEÇA VIVA DO CRISTÃO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/y2Hoc6qNhNc

Josué 17 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 17

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 17 – Há grandes prejuízos em não seguir os justos juízos divinos. Não há nada melhor que fazer aquilo que Deus sabe ser melhor. 

Precisamos aprender com três erros crassos cometidos por Josué durante a conquista de Canaã:

• Não consultou ao Senhor sobre certo acordo sendo terrivelmente enganado (Josué 9:14-17).

• Não destruiu as bases dos filisteus, inimigos do povo de Deus (Josué 13:2-3).

• Tolerou a permanência dos Jebuseus em Jerusalém (Josué 14:63).

Esses erros impediram Israel de avançar nas conquistas da terra. A entrada principal para o território de Judá ficou sob o controle dos Jebuseus, que ocupavam Jerusalém, isolando as tribos de Judá e Simeão das demais. O território dos gibeonitas ligado ao território dos Jebuseus dificultava o povo de Deus de avançar na direção proposta pelo Proprietário da Terra, que é Deus!

Às tribos dos filhos de José, Efraim e Manassés que desejavam mais terras, Josué apelou: “Vocês são numerosos e poderosos. Vocês não terão apenas um quinhão. Os montes cobertos de floresta serão de vocês. Limpem o terreno, e será de vocês, até os seus limites mais distantes. Embora os cananeus possuam carros de ferro e sejam fortes, vocês poderão expulsá-los” (Josué 17:17-18).

Os manassitas apenas submeteram os cananeus a trabalhos forçados (Josué 17:23). “Parar no meio do caminho atrapalha o plano de Deus (Js 23:13). O Senhor lhes assegurou que deviam expulsar da terra os que representavam uma armadilha para eles, e que lhes seriam como ‘ferrões nas costas’ (Nm 33:55, NTLH)... Com tantas vantagens, oportunidades e tantos privilégios, a nação judaica deixou  de cumprir os planos divinos... Na obra que fazemos, devemos ter em mente as porções não trabalhadas da vinha do Senhor. Mas, hoje em dia, se destinam recursos e se proporcionam vantagens apenas a alguns locais. O Senhor deseja que os recursos e as vantagens sejam distribuídos de maneira mais equitativa. Ele deseja que seja feita provisão para muitos lugares que ainda não foram alcançados”, explica Ellen White (CBASD, v.2, p.1101-1102).

Precisamos ser ousados no campo missionário como as filhas de Zelofeade em relação a território (Josué 17:3-4). “Apegue-se... às promessas de Deus, dizendo: ‘Pedi, receberei’. Eu preciso que esta alma se converta a Jesus Cristo”, apela-nos Ellen White (MS, 244). 

Como seria se orássemos mais assim? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 4 de agosto de 2022

O DOADOR DA LEI

 O DOADOR DA LEI

Não pensem que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, mas para cumprir. Mateus 5:17

No monte, Jesus estava de perto sendo observado por espias; e, ao Ele desdobrar os princípios da justiça, os fariseus fizeram com que se murmurasse que Seus ensinos estavam em oposição aos preceitos que Deus dera no Sinai. O Salvador nada tinha dito para abalar a fé na religião e nas instituições que haviam sido dadas por intermédio de Moisés; pois todo raio de luz que o grande guia de Israel comunicara a Seu povo fora recebi- do de Cristo. Conquanto muitos digam em seu coração que Ele viera para anular a lei, Jesus com inequívoca linguagem revela Sua atitude para com os estatutos divinos. “Não pensem que vim revogar a Lei ou os Profetas; não vim para revogar, mas para cumprir” (Mt 5:17).

É o Criador dos seres humanos, o Doador da lei, que declara não ser Seu desígnio pôr à margem seus preceitos. Tudo na natureza, desde a minúscula partícula de pó no raio de sol até os mundos, nas alturas, encontra-se debaixo de leis. E da obediência a essas leis dependem a ordem e a harmonia do mundo natural. Assim, há grandes princípios de justiça a reger a vida de todo ser inteligente, e o bem-estar do Universo depende da conformidade com esses princípios. Antes que a Terra fosse chamada à existência, já existia a lei de Deus. Os anjos são governados por Seus princípios, e para que a Terra esteja em harmonia com o Céu, também o ser humano deve obedecer aos estatutos divinos. No Éden, Cristo deu a conhecer ao homem os preceitos da lei […]. A missão de Cristo na Terra não era destruir a lei, mas, por Sua graça, levar novamente a humanidade à obediência de Seus preceitos.

O discípulo amado, que escutou as palavras de Jesus no monte, escrevendo muito depois sob a inspiração do Espírito Santo, fala da lei como de uma perpétua obrigação. Diz ele que “todo aquele que pratica o pecado também transgride a lei, porque o pecado é a transgressão da lei” (1Jo 3:4). Ele torna claro que a lei a que se refere é “um mandamento antigo, que vocês tiveram desde o princípio” (1Jo 2:7). Ele fala da lei que existia na criação, e foi reiterada no monte Sinai (O Maior Discurso de Cristo, p. 47, 48).

 PARA REFLETIR:  Como você começaria a explicar para um descrente que o universo depende da lei de Deus?

Meditações Diárias: 4 de Agosto - O DOADOR DA LEI l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/Kz8JGTLyBwI


Josué 16 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 16

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 16 – Existe coerência perfeita na Palavra de Deus. Ela deve ser estuda com muita atenção. 

Embora José fosse um dos filhos de Jacó/Israel, seu nome não se tornou título de nenhuma das 12 tribos israelitas. A explicação se deve a que seus dois filhos, Efraim e Manassés com Azenate, “filha de Potífera, sacerdote de Om” (Gênesis 41:50-52) tornaram-se cabeças de duas tribos. Em Josué 16, o território da região montanhosa central pertenceria aos filhos de José. Observe que Efraim recebeu primeiro a sua parte, devido a ter recebido uma bênção maior de Jacó antes de morrer (Gênesis 48:17-20).

Na bênção final de Jacó a seus filhos, José foi contemplado (Gênesis 49:22-26); mas, na bênção de Moisés às tribos de Israel, ao se referir a José, Efraim e Manassés foram mencionados (Deuteronômio 33:13-17).

Na distribuição territorial, a tribo de Efraim ficou com uma grande porção da terra de Canaã; sua região é caracterizada por montanhas e vales, bem irrigados pelas estações chuvosas – um lugar promissor ao desenvolvimento econômico.

• Infelizmente, a tribo de Efraim não expulsou totalmente os cananitas de Gezer, mesmo que Josué tivesse matado o rei daquele lugar (Josué 12:12). Oséias, chamado depois de Josué, pertencia à tribo de Efraim (Números 13:8, 16). Após as “conquistas preliminares, Josué começou a dividir a terra de Canaã entre as tribos (Js 13-21), sendo sua herança, a seu pedido, em Timnate-Sera, na região montanhosa de Efraim (Js 19:50)”, explica o Dicionário Bíblico Adventista.

• Infelizmente a tribo de Josué falhou ao não erradicar completamente os pagãos perversos de Gezer, optando por utilizá-los em “trabalhos forçados” (Josué 16:10). “Ao permitirem os estrangeiros permanecerem no meio deles, os efraimitas se expuseram a um perigo espiritual. A história posterior da tribo mostra que ela caiu tão completamente na idolatria que Deus, por meio de um profeta, declarou: ‘Efraim está entregue aos ídolos; é deixá-lo’ (Os 4:17). O destino de Efraim e das tribos a ela associadas deve servir de advertência para os cristãos, a fim de que não se coloque em jugo desigual com os incrédulos (2Co 6:14). Esse tipo de relacionamento quase sempre é prejudicial” (CBASD).

Fiquemos sempre alerta contra os perigos espirituais! Não devemos correr riscos preferindo algo que pareça vantajoso, porém difere das orientações de Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 3 de agosto de 2022

O REDENTOR CRUCIFICADO

O REDENTOR CRUCIFICADO

Então Agripa se dirigiu a Paulo e disse: “Por pouco você me convence a me tornar cristão.” Atos 26:28

Todos os presentes escutaram encantados a narração feita por Paulo de suas maravilhosas experiências. O apóstolo estava falando sobre seu tema predileto. Nenhum dos que o ouviam podia duvidar de sua sinceridade. No momento de sua mais persuasiva eloquência, porém, foi interrompido por Festo, que exclamou: “Você está louco, Paulo! Ficou louco de tanto estudar!” (At 26:24).

O apóstolo respondeu: “Não estou louco, ó excelentíssimo Festo! Pelo contrário, digo palavras de verdade e de bom senso. Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta, pois nada se passou em algum lugar escondido” (v. 25, 26). Então, voltando-se para Agripa, dirigiu-se diretamente a ele: “Rei Agripa, o senhor acredita nos profetas? Eu sei que o senhor acredita” (v. 27). Profundamente impressionado, Agripa perdeu por um momento a noção de onde estava e da dignidade de sua posição. Tendo apenas consciência das verdades que tinha ouvido e vendo somente o humilde prisioneiro que estava diante dele como embaixador de Deus, respondeu involuntariamente: “Por pouco você me convence a me tornar cristão” (v. 28).

Com fervor, o apóstolo respondeu: “Peço a Deus que faça com que, por pouco ou por muito, não apenas o senhor, ó rei, mas todos os que hoje me ouvem venham a ser alguém como eu, mas sem estas correntes” (v. 29), acrescentou, erguendo as mãos acorrentadas.

Festo, Agripa e Berenice podiam com justiça trazer nos pulsos os grilhões que acorrentavam o apóstolo. Eram todos culpados de graves crimes. Esses transgressores tinham ouvido nesse dia a oferta de salvação me- diante o nome de Cristo. Um, pelo menos, quase foi persuadido a aceitar a graça e o perdão oferecidos. Mas Agripa afastou a misericórdia ofertada, recusando aceitar a cruz de um Redentor crucificado.

A curiosidade do rei foi satisfeita e, levantando-se, deu a entender que a entrevista havia terminado. Ao se dispersarem, os presentes falavam en- tre si dizendo: “Este homem não fez nada passível de morte ou de prisão” (v. 31) (Atos dos Apóstolos, p. 277, 278 [437, 438]).

 PARA REFLETIR:  A quantos apelos de Deus você “quase” respondeu?

Meditações Diárias: 3 de Agosto - O REDENTOR CRUCIFICADO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/zh7pXHqkoKA

Josué 15 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 15

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 15 – Pagãos podem experimentar a conversão plena e desfrutar de bênçãos completas de Deus para Seu povo.

Calebe não era israelita, mas representou a tribo de Judá. Essa tribo era de suma importância, pois dela viria os reis do povo de Deus; e, por fim, o Messias. Mesmo sendo estrangeiro, Calebe tornou-se parte da mais importante tribo israelita; assim como Raabe, que casou-se com Salmon que é “descendente de Judá por meio de Perez, Esrom e Rão, ancestral de Davi (Rt 4:18-21; 1Cr 2:11; Mt 1:4; Lc 3:32)”, o qual “de acordo com Mateus 1:5, [foi o] marido de Raabe”, observa o Dicionário Bíblico Adventista.

Não apenas Calebe e Raabe eram os estrangeiros convertidos a fazerem parte da tribo especial de Israel. Note que, quando Calebe preocupou-se com um bom casamento para sua filha Acsa, desejou que tivesse sua mesma ousadia frente aos desafios da vida. Por isso disse: “Darei minha filha Acsa por mulher ao homem que atacar e conquistar Quiriate-Sefer” (Josué 15:15). Quem se prontificou, conquistou e casou-se com sua filha foi seu irmão/sobrinho Otoniel. “Acsa, a exemplo do pai, era zelosa pelas promessas de Deus”, observou Kenneth Mathews. Diante de seu interesse, “Calebe lhe deu as fontes superiores e as inferiores” (Josué 15:16-20).

Otoniel “demonstrou sua coragem mais uma vez ao derrotar Cusã-Risataim, rei da Mesopotâmia, que havia oprimido os israelitas ao longo de oito anos. Sua vitória proporcionou 40 anos de paz a seu país, e ele se tornou o primeiro dos juízes [do povo de Deus] (Jz 3:8-11)” (Dicionário Bíblico Adventista).

O livro de Josué mostra-nos que nem a Bíblia nem Deus são exclusivistas. Josué 15 mostra-nos que, ainda que a Terra Prometida, as tribos e os clãs tivessem limites geográficos, a salvação outorgada por Deus desconhece limites. 

• Todo aquele que quiser, pode fazer parte do povo de Deus e participar de todos os privilégios que Deus concede a Seu povo.

A estratégia primária de Deus não era conquistar territórios geográficos, mas através do território ter um povo que conquistasse o mundo para Seu plano de salvação. 

• Atualmente, a igreja de Deus está espalhada pelo mundo para convidar a humanidade a fazer parte de Seu povo, para que participe das preciosas bênçãos providas por Cristo na cruz! 

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 2 de agosto de 2022

O MAIOR MESTRE

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

2 de agosto

O MAIOR MESTRE

Assim, ensinava-lhes muitas coisas por parábolas. Marcos 4:2

A religião de Cristo jamais degrada o que a aceita. Não o torna absolutamente vulgar nem rústico, descortês ou cheio de suficiência própria, apaixonado ou duro de coração. Ao contrário, refina o gosto, santifica o discernimento e purifica e enobrece os pensamentos, sujeitando-os a Jesus Cristo.

O ideal de Deus para com Seus filhos é mais alto do que pode alcançar o mais elevado pensamento humano. O Deus vivo deu em Sua santa lei uma transcrição de Seu caráter. O maior Mestre que o mundo já conheceu é Jesus Cristo. E qual foi a norma dada por Ele a todos quantos Nele creem? “Sejam perfeitos como é perfeito o Pai de vocês, que está no Céu” (Mt 5:48). Como Deus é perfeito em Sua elevada esfera de ação, assim homens e mulheres podem ser perfeitos em sua esfera humana.

O ideal do caráter cristão é a semelhança com Cristo. Diante de nós abre-se uma senda de contínuo progresso. Temos um objetivo a alcançar, uma norma a atingir, que incluem tudo que é puro, bom, nobre e elevado. Deve haver contínuo esforço e constante progresso, para a frente e para cima, rumo à perfeição do caráter.

Sem a operação divina, o ser humano não pode fazer nenhuma coisa boa. Deus chama todas as pessoas ao arrependimento; contudo, elas não podem sequer se arrepender, a não ser que o Espírito Santo lhes toque o coração. O Senhor não quer, porém, que indivíduo algum espere até que julgue ter se arrependido para então se dirigir a Jesus. O Salvador está continuamente atraindo as pessoas ao arrependimento. Elas precisam apenas se submeter para serem atraídas, e seu coração se derreterá em contrição. Nessa grande luta pela vida eterna, cabe à humanidade uma parte a fazer: corresponder à operação do Espírito Santo. É necessário um conflito para romper com os poderes das trevas, e o Espírito nele opera a fim de realizar isso. O ser humano, porém, não é passivo, para se salvar na indolência. É chamado a desenvolver cada músculo e exercitar cada faculdade na luta pela imortalidade. No entanto, é Deus quem supre a eficiência. Ninguém pode ser salvo em indolência. O Senhor nos manda: “Esforcem-se por entrar pela porta estreita! Pois Eu afirmo a vocês que muitos procurarão entrar, mas não conseguirão” (Lc 13:24) (Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 365, 366).

 PARA REFLETIR:  Se Jesus pudesse lhe ensinar hoje, qual seria a lição mais cê gostaria de aprender?

Assista a "Meditações Diárias: 2 de Agosto - O MAIOR MESTRE l Acima de Todo o Nome" no YouTube

https://youtu.be/EUs7EQNfCeA

Josué 14 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 


Leitura Bíblica - Josué 14

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 14 – Aqueles que honram a Deus em Sua existência são honrados por Ele com Sua providência. Aqueles que firmam convicções nas promessas de Deus, vivem experiências acima da média da população. Aqueles que são rejeitados por fazerem coisas certas, são apreciados por Deus ao permanecerem fieis apesar da oposição.

• Pessoas confiantes em Deus obtêm o favor do Céu ao agirem com determinação e fé na Terra.

Josué e Calebe são dois servos de Deus que merecem nossa atenção! Foram os únicos adultos da época do êxodo que adentraram à Terra Prometida. Nem mesmo Moisés, Arão ou Miriã tiveram o mesmo privilégio. 

Calebe nasceu no Egito. Descendente dos Quenezeus (Números 32:12), “tribo ou subtribo de Canaã”, acrescenta o Dicionário Bíblico Adventista. Seu nome significa “cachorro/cão”. Não fazia parte de nenhuma das tribos israelitas. Mesmo assim representou a tribo de Judá, entre os 12 líderes tribais que expiaram Canaã; 45 anos antes dele conquistar seu espaço.

Com 85 anos de idade, após as tribos terem seus territórios conquistados (Josué 13:8-14:5), Calebe teve uma conversa franca com seu amigo: Calebe pediu a Josué permissão para conquistar um território difícil (Josué 14:6-15). Assim...

• ...Calebe mostra que aquele que almeja desfrutar as maravilhosas promessas de Deus não pode ceder espaço à incredulidade. Duvidar, desprezar ou descrer das promessas divinas privam até mesmo membros do povo santo de bênçãos que Deus deseja conceder.

• ...Calebe ensina-nos que aquele que pretende viver os preciosos planos de Deus não deve dar ouvidos aos pessimistas que se unem contra a vontade divina. Várias coisas podem servir de evidências para a dúvida ou, para os incrédulos se erguerem contra os fieis; tais como, medo dos gigantescos desafios e, o tempo demorado da promessa. Entretanto, nada deve abalar a confiança em Deus caso queiramos desfrutar de Seus grandiosos planos.

• ...Calebe exemplifica o fiel que pretende viver o ideal elevado de Deus sem retrair-se diante dos desafios da existência. Calebe, podendo acomodar-se com sua idade avançada, podendo exigir de Josué um lugar já conquistado, podendo apresentar várias razões para não precisar mais esforçar-se ou lutar contra inimigos poderosos, fez o contrário. Deixando, assim, um poderoso legado a jovens, adultos e idosos.

Calebe revela que comprometer-se com o povo de Deus resulta em grandes bênçãos celestiais! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 1 de agosto de 2022

A FONTE DA SABEDORIA E CONHECIMENTO

 A FONTE DA SABEDORIA E CONHECIMENTO

Se, porém, algum de vocês necessita de sabedoria, peça a Deus, que a todos dá com generosidade e sem reprovações, e ela lhe será concedida. Tiago 1:5

Ao obreiro estudar a vida de Cristo e meditar no caráter de Sua missão, cada nova busca revelará algo mais profundamente interessante do que já foi desvendado. O assunto é inesgotável. O estudo da encarnação de Cristo, de Seu sacrifício expiatório e obra mediadora ocupará a mente do diligente estudante enquanto o tempo durar, e contemplando o Céu com seus inumeráveis anos, exclamará: “Grande é o mistério da piedade” (1Tm 3:16)!

Falamos acerca da primeira mensagem angélica e da segunda mensagem angélica, e pensamos que compreendemos alguma coisa da mensagem do terceiro anjo. Mas, enquanto nos contentarmos com um conhecimento limitado, não estaremos habilitados a obter mais claras visões da verdade. Aquele que prega a palavra da vida precisa dedicar tempo ao estudo da Bíblia e ao exame do próprio coração. Negligenciando isso, não saberá como servir às almas necessitadas. O diligente e humilde estudante, buscando com fervorosa oração e estudo a verdade segundo ela é em Jesus, será seguramente recompensado. Ele busca auxílio, não nas ideias de escritores humanos, mas na Fonte da sabedoria e conhecimento; e sob a guia de seres santos, obtém um claro conhecimento da verdade.

Não é pela força ou poder do instrumento humano que a verdade será impressa na mente, “mas pelo Meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos” (Zc 4:6). Não é o temperamento ou a eloquência do que prega a Palavra que torna sua obra bem-sucedida. Paulo pode plantar e Apolo regar, mas Deus dá o crescimento. É a familiarização do pastor com a Palavra de Deus, e sua submissão à vontade divina, que dão êxito a seus esforços.

O coração que recebe a Palavra de Deus não é como um charco que se evapora nem como uma cisterna rota que perde seu tesouro. É como a corrente da montanha, alimentada por infalíveis fontes, cujas águas frescas saltam de rocha em rocha, espargindo-se, refrigerando o cansado, sedento e oprimido (Obreiros Evangélicos, p. 251, 252).

 PARA REFLETIR:  Ellen G. White escreve que Jesus, a Fonte de sabedoria e conhecimento, deseja dar a todos um entendimento claro da verdade. Como essa Fonte afeta a sua vida espiritual?

Assista a "Meditações Diárias: 1 de Agosto - A FONTE DA SABEDORIA E CONHECIMENTO l Acima de Todo o Nome" no YouTube

https://youtu.be/jSanl8JD2lw

Josué 13 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Josué 13

Comentário Pr Heber Toth Armí

JOSUÉ 13 – O livro de Josué é profundamente instrutivo. Observe atentamente o seguinte paralelo:

• Raabe era prostituta e se salvou por render-se ao Deus verdadeiro (Josué 2:1-24); Balaão era profeta de Deus, mas se perdeu, por render-se aos encantos deste mundo (Josué 24:9-10; Números 22:1-25:18). 

• Raabe preferiu à graça de Deus e firmou-se na certeza da proteção divina (Josué 6:23-26); Balaão, em contrapartida, preferiu à desgraça do pecado e inclinou-se para suas ilusões de segurança e proteção (2 Pedro 2:15-16). 

• Raabe é o ícone de conversão genuína (Tiago 1:25-26); Balaão, o ícone da apostasia que resulta em ruína (Números 31:8, 16). 

• Raabe casou-se com um príncipe do povo de Deus, entrando assim para a genealogia do Messias (Mateus 1:5); Balaão caiu do status de profeta para o status de adivinho (Josué 13:22). 

• Raabe representa os salvos da galeria da fé, o remanescente fiel (Hebreus 11:31); Balaão torna-se referência de falsas doutrinas dos últimos dias (Judas 11; Apocalipse 2:14).

Assim como Acã, Balaão apostatou-se, vindo a perder a vida nesta terra e a vida eterna. O mesmo aconteceu aos habitantes de Canaã, que não seguiram os passos de Raabe. 

Em Josué 13, após relativa conquista do território em geral, Deus orientou Josué a distribuir a terra conquistada. Josué estava velho; já havia feito muita coisa. A partir dali, as tribos deveriam continuar expandindo seus territórios. A luta não deveria cessar.

O Comentário Bíblico Adventista alega que “o método antigo de conquista pode ser usado para ilustrar uma verdade espiritual”. Por exemplo:

• Na acirrada luta cristã, podem restar muitas batalhas contra o pecado a ser travadas, mesmo depois de muitos anos de guerra.

• Após avançar na missão evangelística nalgum lugar, ainda pode haver muito território da verdade para ser ocupado. 

• Depois de várias pesquisas e estudos, nunca se esgota todo o conhecimento sagrado que Deus deseja ensinar por meio de Sua Palavra, e que será proveitoso ao crente. Muitos cristãos correm o risco de depender das conquistas de algum “Josué”, em vez de fazer novas explorações por si mesmos nas minas da verdade.

A idade avançada nunca deve ser sinal para parar de avançar nos planos de Deus. Tanto Moisés (Josué 13:14-33) quanto Josué (Josué 13:1-13) deixam essa verdade bem clara perante nossos olhos. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS

 O ÁRBITRO DE TODOS OS DESTINOS O que diz respeito a mim o Senhor levará a bom termo; a Tua misericórdia, ó Senhor, dura para sempre; não de...