quarta-feira, 31 de agosto de 2022

Deus tem uma mensagem

 Deus tem uma mensagem pra você

Inscreva-se no YouTube
Assista a "Deus tem uma palavra para você | Pastor Mário Jesan |" no YouTube
https://youtu.be/wgPcLH9gMC0

O MÉDICO COMPASSIVO

 O MÉDICO COMPASSIVO

Será que não há bálsamo em Gileade? Ou não há lá médico? Por que, então, não se realizou a cura da filha do Meu povo? Jeremias 8:22

As Escrituras dizem que os seres humanos devem “orar sempre e nunca desanimar” (Lc 18:1). E se há um tempo em que eles sintam sua necessidade de orar é quando lhes faltam as forças e a própria vida lhes parece fugir. Frequentemente, os que estão com saúde esquecem as maravilhosas misericórdias a eles feitas continuamente, dia após dia, ano após ano, e não rendem a Deus tributo e louvor por Seus benefícios. Ao sobrevir a doença, porém, Ele é lembrado. Ao faltarem as forças humanas, homens e mulheres sentem a necessidade do auxílio divino. E nosso misericordioso Deus nunca Se afasta da pessoa que em sinceridade se volta para Ele em busca de auxílio. Ele é nosso refúgio na enfermidade assim como na saúde. […]

Cristo é agora o mesmo Médico compassivo que era durante Seu ministério terrestre. Nele há bálsamo curativo para toda doença e poder restaurador para toda enfermidade. Seus discípulos de nossos dias devem orar pelos doentes tão verdadeiramente como os de outrora, e curas ocorrerão; pois “a oração da fé salvará o enfermo” (Tg 5:15). Temos o poder do Espírito Santo, a calma certeza da fé, de que podemos reivindicar as promessas de Deus. A promessa do Senhor, “se impuserem as mãos sobre enfermos, eles ficarão curados” (Mc 16:18), é tão digna de fé hoje como nos dias dos apóstolos. Ela apresenta o privilégio dos filhos de Deus, e nossa fé deve lançar mão de tudo quanto essa promessa abrange. Os servos de Cristo são os instrumentos de Sua obra, e por intermédio deles deseja exercer Seu poder de curar. É nosso trabalho apresentar o enfermo e sofredor a Deus, nos braços da fé. Devemos ensinar-lhes a crer no grande Médico. O Salvador deseja que incentivemos os enfermos, desesperançados e aflitos a se apegarem à Sua força. […]

Mas unicamente vivendo em obediência à Sua palavra podemos pedir o cumprimento das promessas que nos faz. O salmista diz: “Se, no coração, eu tivesse contemplado iniquidade, o Senhor não teria me ouvido” (Sl 66:18). Se Lhe prestamos apenas uma obediência parcial, com a metade do coração, Suas promessas não se cumprirão em nós.

Temos na Palavra de Deus instruções relativas à oração especial pelo restabelecimento de um doente. Mas tal oração é um ato soleníssimo, e não devemos realizá-lo sem atenta consideração (A Ciência do Bom Viver, p. 225-227).

PARA REFLETIR: Você deve orar a Deus em favor daqueles que trouxeram enfermidade sobre Si por causa da autoindulgência? A restauração da saúde mudaria o comportamento dessas pessoas?

https://youtu.be/-DhJZoCLVdA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

31 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-medico-compassivo/

Juízes 19 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 19

Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 19 – Você mudaria para um lugar sem lei, sem policiais ou sem qualquer autoridade civil? Numa terra sem lei, a violência, desamor e exploração humana pelo próprio ser humano reinariam gerando alto nível de periculosidade. Sem lei, nosso Planeta não ofereceria segurança nenhuma para se viver.

Juízes 19 “relata fielmente as terríveis consequências do afastamento de Deus (cf. Rm 1:26-32; 2Tm 3:1-5). Adotando os costumes cananeus, Israel afundou na fossa da violência e da imoralidade cananeia. Semelhante abominação frequenta a atual apostasia mundial (Lc 17:28-30). O crime dos benjamitas de Gibeá mostra que a cidade havia descido ao nível de Sodoma (Gn 19:1-14)” analisa Merrill Unger.

O texto sagrado trata de: Falta de hospitalidade, ardentes desejos por práticas homossexuais, estupros animalescos por diversão até levar a vítima à morte, e sede de vingança. Várias atrocidades! O levita revoltado repartiu o corpo da sua concubina em doze partes e enviou a cada tribo de Israel. “Tamanha atrocidade tornou-se, durante muito tempo, símbolo do caráter pecaminoso de Israel (19:30; cf. Os 9:9; 10:9)”, destacou Kenneth Mathews.

Onde não há padrão moral, o certo e o errado se misturam e os limites das ações humanas desaparecem; sem imposição da justiça, a família e a sociedade ficam de pernas para o ar. Consequentemente, desaparecem os princípios da autoridade e surge a rebelião generalizada contra os valores espirituais.

O livro de Juízes é útil para mostrar-nos que o passado serve de lição, portanto, devemos aprendê-las; também revela que o presente é um privilégio, uma dádiva divina, da qual precisamos desfrutá-la vivendo corretamente; e, por fim, o futuro deve ser entregue a Deus, O qual administra a história. Só assim poderemos trocar o desespero pela esperança, a incerteza pela certeza, e o medo pela paz.

Ao assistir os noticiários de nossa sociedade, percebemos a realidade equivalente à perversidade cruel da época dos juízes. Analisando a Bíblia, encontramos explicação para nossa situação. Notamos que onde as pessoas vivem conforme a própria consciência, fazendo o que achar melhor, é o pior lugar para se acomodar (Juízes 19:22-30).

O caos impera onde são desprezados os princípios morais que servem de alicerce para uma sociedade justa. Diante disso, o melhor a fazer é promover efusivamente os princípios da Palavra de Deus. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 30 de agosto de 2022

O ADORADO DOS ANJOS

O ADORADO DOS ANJOS

Ou você acha que não posso pedir a Meu Pai, e Ele Me mandaria neste momento mais de doze legiões de anjos? Mateus 26:53

Entre os ouvintes de Cristo, muitos que moravam em Jerusalém conheciam os planos dos líderes contra Ele e, por uma força irresistível, sentiramse atraídos a Jesus. A convicção deles confirmava que Ele era o Filho de Deus. Mas Satanás estava pronto a incutir dúvidas e, para isso, o caminho estava preparado pelas próprias ideias erradas que tinham em relação ao Messias e Sua vinda. Em geral, acreditava-se que o Cristo nasceria em Belém, depois de algum tempo desapareceria e, após Sua segunda aparição, ninguém saberia de onde Ele viria. Muitos acreditavam que o Messias não teria parentesco natural algum com a humanidade. […]

Ao assim vacilarem entre a dúvida e a fé, Jesus leu os pensamentos deles e lhes respondeu: “Vocês não somente Me conhecem, mas também sabem de onde Eu sou. Eu não vim porque Eu, de mim mesmo, o quisesse, mas Aquele que Me enviou é verdadeiro, Aquele a quem vocês não conhecem” (Jo 7:28). Alegavam saber qual seria a origem de Cristo, mas estavam em completa ignorância sobre ela. Se tivessem vivido em harmonia com a vontade de Deus, teriam conhecido Seu Filho quando Se manifestou a eles.

Os ouvintes não podiam deixar de entender as palavras de Cristo. Eram, claramente, uma repetição do que Ele dissera na presença do Sinédrio, muitos meses antes, quando tinha declarado ser o Filho de Deus. Assim como, naquela ocasião, os líderes haviam procurado planejar Sua morte, tentavam agora apoderar-se Dele. Contudo, foram impedidos por um poder invisível, que limitou a fúria deles. […]

Entre o povo, muitos creram Nele e diziam: “Quando o Cristo vier, será que vai fazer maiores sinais do que este Homem tem feito?” (v. 31). Os líderes dos fariseus, que observavam ansiosamente o desenrolar dos acontecimentos, notaram as expressões de compaixão entre a multidão. Correndo para o líder dos sacerdotes, formularam planos para O prenderem. Entretanto, combinaram capturá-Lo quando estivesse só, pois não ousavam prendê-Lo diante do povo. Outra vez Jesus mostrou que lia o pensamento deles. “Ainda por um pouco de tempo estou com vocês”, disse Jesus; “depois irei para junto Daquele que Me enviou” (v. 33). Ele logo encontraria refúgio fora do alcance da zombaria e do ódio deles. Subiria ao Pai para ser novamente o Adorado dos anjos (O Desejado de Todas as Nações, p. 364, 365 [457, 458]).

PARA REFLETIR: Como os anjos se sentiram quando contemplaram o sofrimento de Jesus?

https://youtu.be/qcD79uwpmfM

MEDITAÇÃO DIÁRIA 

30 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-adorado-dos-anjos/

Juízes 18 Comentário

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 18
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 18 – A boa intenção religiosa não tem valor perante Deus caso a prática da religião não for pautada pela revelação dAquele que recebe a adoração. Promiscuidade religiosa promove uma sociedade perigosa. A degradação da religião é notadamente perceptível na depravação da sociedade.

A religião aceitável a Deus não é a mais conveniente ao religioso. A Bíblia não dá margem para que cada um faça o que, como e quando achar melhor. Fazendo nossa vontade, deixaremos de fazer a vontade de Deus. A corrupção moral vem de negligenciar a revelação sobrenatural. Desgraças na sociedade resultam de abandonar princípios da Palavra de Deus (Juízes 18:18-28).

Quando os danitas enviaram cinco guerreiros para encontrarem um espaço. por estarem sendo pressionados pelos cananeus (Josué 19:37; Juízes 1:34; 18:1-3), encontraram o sacerdote e o santuário de Mica, da tribo de Efraim. Depois, retornaram para ali com 600 homens para roubarem os valiosos ídolos de Mica e a estola sacerdotal. Os danitas levaram junto ao levita para Laís, exterminaram os habitantes de lá, vandalizaram a cidade, e mudaram seu nome para Dã; então, alojaram-se ali (Juízes 18:13-29).

O levita chamado Jônatas viu a oportunidade de ganhar mais dinheiro acompanhando aos danitas. Por isso, traiu seu patrão ajudando roubar Mica. Embora fosse neto direto de Moisés (Juízes 18:30), seu comportamento evidencia a profunda degradação espiritual que vivia a nação do povo de Deus. “Moisés estabelecera o culto apropriado no tabernáculo, mas seus descendentes estavam exercendo a função em santuários rivais na terra (cf. 18:31)” (Kenneth Mathews).

Alguém pode questionar que isso acontecia num contexto onde a Palavra de Deus era inacessível ao povo. Porém, falando dos dias atuais, Hernandes Dias Lopes declara haver “líderes espirituais sem temor a Deus [transformando] a igreja numa empresa familiar, o púlpito num balcão, o evangelho num produto lucrativo, o templo numa praça de barganha, e os crentes em consumidores. Os escândalos se multiplicam em nosso país e ao redor do mundo, providos pelos camelôs de luxo da religião do lucro, que acumulam fortunas e formam verdadeiros impérios econômicos pela exploração da fé. Esses líderes, mais amantes do poder e do dinheiro do que de Deus, pregam falsas doutrinas, vendem falsas promessas e enganam os incautos com um falso evangelho”.

Reavivemo-nos na Palavra de Deus! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 29 de agosto de 2022

O MESTRE DE NAZARÉ

 O MESTRE DE NAZARÉ

Clamam os justos, e o Senhor os escuta e os livra de todas as suas angústias. Salmo 34:17

Quando o Salvador começou Seu ministério, a concepção popular acerca do Messias e de Sua obra só servia para incapacitar o povo para O receber. O espírito da verdadeira devoção havia se perdido na tradição e no cerimonialismo, e as profecias eram interpretadas segundo os preconceitos de corações orgulhosos e amantes do mundo. Os judeus aguardavam Aquele que haveria de vir, não como um Salvador do pecado, mas como um grande príncipe que poria todas as nações sob o domínio do Leão da tribo de Judá. Inutilmente João Batista, com o poder de esquadrinhar os corações próprio dos antigos profetas, havia chamado o povo ao arrependimento. À margem do Jordão, em vão ele havia apontado a Jesus como o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Deus estava buscando encaminharlhes o espírito às profecias de Isaías quanto ao sofrimento do Salvador, mas não queriam ouvir.

Houvessem os mestres e guias de Israel se submetido à Sua graça transformadora, e Jesus teria feito deles embaixadores Seus entre os seres humanos. Na Judeia, fora primeiro proclamada a vinda do reino, e primeiro fora feito o chamado ao arrependimento. No ato de expulsar os profanadores do templo de Jerusalém, Jesus Se anunciara como o Messias, Aquele que deveria purificar as pessoas da contaminação do pecado e tornar Seu povo um templo santo para o Senhor. Mas os dirigentes judaicos não quiseram se humilhar para receber o Mestre de Nazaré. Em Sua segunda visita a Jerusalém, Ele foi acusado perante o Sinédrio, e unicamente o temor do povo impediu esses líderes de tentar tirar-Lhe a vida. Foi então que, deixando a Judeia, iniciou Seu ministério na Galileia.

Sua obra ali prosseguira por alguns meses, antes de Ele fazer o Sermão do Monte. A mensagem que proclamara através da Terra: “Está próximo o Reino dos Céus” (Mt 4:17) atraíra a atenção de todas as classes, avivandolhes ainda mais a chama de suas ambiciosas esperanças. A fama do novo Mestre se estendera para além dos limites da Palestina e, apesar da atitude dos líderes, propagava-se o sentimento de que Ele poderia ser o esperado Libertador (O Maior Discurso de Cristo, p. 1-3).

PARA REFLETIR: Você anseia pelo dia em que o Mestre de Nazaré o livrará da presença do pecado?
https://youtu.be/RS_F2lpb7H4

Juízes 17 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 17
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 17 – Há quem pensa que, o fato de dar certo fazer coisas erradas, implica na aprovação divina. Hereges que pregam heresias veem aumentando o número de membros em sua congregação, pensam que suas heresias são a verdade que a igreja rejeitou. Tal pensamento sucedeu com o acordo ilícito e contrário à vontade de Deus, que Mica realizou com Jônatas, o levita. Assim, o que caracterizava apostasia declarada daquela época foi considerado bênção de Deus.

Sem fundamento na revelação, a religião será horrorosa perversão. É errado ser religioso fazendo o que parece certo. Ainda que funcione e seja conveniente por algum tempo, terá desaprovação de Deus. A religião bíblica não pode ser um arranjo, uma busca humanística para satisfazer a carência espiritual. Não dá para escolher o que dá certo, em lugar do que é certo. Ainda que o resultado seja positivo, a prática desprovida da orientação divina será negativa – uma terrível abominação diante de Deus!

Juízes 17 revela que Mica construiu para si um santuário com prata roubada. Mandou fabricar uma estola sacerdotal e vários ídolos. Recrutou seu filho para atuar como sacerdote sem ser levita, até que um peregrino levita de Belém apareceu por ali. Não era providência divina a vinda desse levita. Contudo, Mica acreditava possuir o favor de Deus devido ao seu santuário e sacerdote particulares.

“Juízes é um registro da idade das trevas de deterioração e apostasia de Israel na terra [prometida]... O versículo chave é: ‘Naqueles dias, não havia rei em Israel; cada qual fazia o que achava mais reto’, 17:6; 21:5. O registro do fracasso de Israel na terra abrange cerca de 350 anos – de Josué a Saul... Juízes começa na concessão e termina em anarquia e confusão”, observa Merril F. Unger.

Embora esteja quase no final do livro, a migração danita ocorreu na primeira parte do período dos juízes, quando sucedeu a história de Mica (Juízes 1:34). O autor colocou como apêndice do livro objetivando evidenciar a terrível apostasia vivida nesse período, quando não havia rei em Israel.

Nossa sociedade precisa de boas referências. Inclusive, precisa de governos que recebam de Deus a responsabilidade de punir os criminosos (Romanos 13:1-7). Por isso, é importante interceder pelas autoridades civis de nosso país (1 Timóteo 2:1-2). Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 28 de agosto de 2022

O ÚNICO GUIA VERDADEIRO

 O ÚNICO GUIA VERDADEIRO

Então Deus disse a Balaão: “Não vá com eles, nem amaldiçoe o povo; porque é povo abençoado.” Números 22:12

Os moabitas eram um povo degradado e idólatra; porém, manifestaram sinceridade e perseverança nos esforços persistentes de garantir o poder da adivinhação contra Israel. De acordo com a luz que haviam recebido, a sua culpa não era tão grande aos olhos do Céu quanto a de Balaão. Uma vez que ele alegava ser profeta de Deus, tudo que dizia supostamente provinha do Senhor Jeová. Logo, não tinha permissão de falar o que escolhesse, mas precisava transmitir a mensagem que Deus lhe desse. O Senhor enxergava nesse profeta pretensioso um homem cujo coração estava contaminado por engano e hipocrisia. Por isso, tratou-o de acordo com os seus caminhos perversos e obstinados.

Essa situação está no registro bíblico para benefício de todas as gerações posteriores. É perigoso brincar com Deus a fim de seguir uma vontade teimosa e determinada. No presente, há milhares de pessoas que traçam um rumo parecido com o de Balão. Andam nos próprios caminhos e aconselham-se com o próprio coração, sob a farsa de ser guiados e controlados pelo Espírito de Deus. As orações dessas pessoas voluntariamente enganadas são respondidas de acordo com o espírito que as instiga. Cumprindo Seus sábios desígnios, o Senhor permite, com frequência, que as coisas aconteçam à maneira delas. Caminham em meio a um ar carregado, a atmosfera que Satanás expira na alma.

Perigos cercam o caminho de todo aquele que, abandonando o único Guia verdadeiro, tenta à luz da própria sabedoria encontrar uma rota segura em meio aos perigos e às dificuldades deste mundo. Essa pessoa se coloca em uma situação bem mais perigosa do que o viajante que escala um desfiladeiro escorregadio. Se perder o equilíbrio por um instante, cairá e será despedaçada. O salmista descreveu o perigo daqueles que não caminham com Deus, mas, por um instante, parecem prósperos de maneira negativa: “Tu certamente os pões em lugares escorregadios e os fazes cair na destruição. Como são destruídos num instante! São totalmente aniquilados de terror!” (Sl 73:18, 19) (The Signs of the Times, 25 de novembro de 1880).

PARA REFLETIR: Você ainda ouve a voz de Deus? Ele guia a sua vida? Como ter certeza de que você O está seguindo?
https://youtu.be/tXIyr5KhLcg

MEDITAÇÃO DIÁRIA

28 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-unico-guia-verdadeiro/

Juízes 16 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 16
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 16 – A libertinagem leva à ruína a muitos que creem que ela oferece vantagens. Brincar com o pecado nunca deve ser considerado brincadeira.

A história de Sansão prova isso – muito útil para alertar-nos! Ele foi o rei da contradição, o monarca da incoerência, o personagem das ambiguidades.

Esdras Costa Bentho descreve Sansão como aquele que “destruiu um leão que rugia a sua frente, mas não conseguira vencer e ego que urrava dentro de si; extinguiu a vinha dos adversários, no entanto, não fora capaz de viver longe dos vícios das cidades; propôs enigmas para outros, mas, de fato, jamais resolvera os mistérios de sua própria vida e juventude; carregou nos ombros os fortes ferrolhos de Gaza, mas fora arrastado pelos seus costumes condenáveis; matara tantos com a queixada de um animal impuro, contudo, deixou-se vencer pelas impurezas que deveria subjugar; embora forte o suficiente para matar trinta homens, não fora corajoso o bastante para dominar sequer três vícios que silenciosamente o desafiavam no coliseu íntimo da consciência e do desejo; o apetecia olhar as lindas mulheres dos inimigos e, por esta razão, seus olhos foram vazados, arrancados como protesto... Dominava tantos inimigos, mas não conseguia dominar e conquistar a si mesmo. Cedeu aos vícios dos inimigos até ser cativo deles. Rodeou a vida impudica de Gaza até girar um moinho no cárcere da cidade. Brincava de se deixar amarrar por Dalila e, por fim, ficara amarrado nas colunas de Dagom. Gostava tanto de seus lindos cabelos trançados que ficou calvo. Era um jovem alegre, brincalhão, mas acabou divertindo os inimigos com pilhérias e momices – ele próprio. Todavia, em certo momento, por um ato soberano e gracioso de [Deus], coloca a mão sobre a cabeça e, com o crescimento paulatino do cabelo, percebe que a aliança [divina] permanecia firme. Seu cabelo crescera... o voto fora renovado... sua oração foi ouvida... e o resto virou história e seu retrato posto na galeria dos Heróis da Fé! [Hebreus 11:32]”.

Nestes quatro capítulos da história de Sansão, o que se deve destacar é que Deus sempre Se lembra graciosamente de quem se lembrar dEle, independente das circunstâncias (Juízes 16:28). Deus é bom demais para nos deixar gritando no mar de nossas ilusões. Ele ouve nossas súplicas! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 27 de agosto de 2022

A FORTALEZA

 A FORTALEZA

Quanto a você, Sião, por causa do sangue da Minha aliança com você, tirei os seus cativos da cova em que não havia água. Voltem para a fortaleza, ó prisioneiros da esperança! Também hoje anuncio que lhes restituirei tudo em dobro. Zacarias 9:11, 12

Cada igreja deve trabalhar em favor dos que perecem dentro das suas próprias fronteiras e pelos que estão fora delas. Os membros devem reluzir como pedras vivas no templo de Deus, refletindo a luz celestial. Trabalho algum deve ser feito a esmo, descuidadamente e sem método. Manter segura as pessoas prestes a perecer significa mais do que orar em favor de um alcoólatra e, depois, porque ele chora e confessa a degradação de sua alma, declará-lo salvo. Deve-se recomeçar a batalha repetidas vezes. 

Que os membros de cada igreja sintam seu especial dever de trabalhar pelos seus vizinhos. Que cada um que alega estar sob a bandeira de Cristo sinta ter assumido compromisso com Deus, para fazer a obra do Salvador. Que os que se encarregam desse trabalho não se cansem de fazer o bem. Quando os redimidos estiverem perante Deus, responderão ao chamado homens e mulheres preciosos que ali estão por causa dos fervorosos e perseverantes esforços feitos em seu benefício e das súplicas e intensa persuasão para que fugissem para a Fortaleza. Dessa forma, aqueles que neste mundo foram cooperadores de Deus receberão sua recompensa. 

Os pastores das igrejas populares não permitirão que a verdade seja apresentada de seus púlpitos ao povo. O inimigo os leva a resistir à verdade com rancor e malícia. Fabricam-se falsidades. Repete-se a experiência de Cristo com os líderes judeus. Satanás procura bloquear todo raio de luz que vem de Deus para Seu povo. Ele opera por meio dos pastores como o fez por intermédio dos sacerdotes e dirigentes nos dias de Cristo. Aqueles que conhecem a verdade devem se juntar a seu partido para atrapalhar, embaraçar e desviar os que estão tentando trabalhar da maneira designada por Deus para levar avante Sua obra e hastear o estandarte da verdade nas regiões das trevas? (Conselhos Sobre Saúde, p. 356, 357). 

PARA REFLETIR: Como evitar se cansar de fazer o bem ao trabalhar com pessoas que lutam constantemente para permanecer dentro da Fortaleza divina? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

27 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-fortaleza/

Juízes 15 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 15
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 15 – Aquele que vive para Si mesmo, acaba deixando Deus de lado. Consequentemente, a paz e alegria se esvaem do coração. A vingança passa a ser a ambição a fim de buscar satisfação, mas promoverá ainda mais frustrações.

Seduzido, dominado e traído pela noiva filisteia, Sansão a deixou no altar (Juízes 14:1, 17); ao retornar mais tarde a ela, a qual havia pago o dote, percebeu que se casara com outro (Juízes 15:1-5). A atitude de Sansão foi de vingança. “O desejo impetuoso de Sansão de ir à forra parecia controlar sua vida. Seu lema era: ‘Assim como me fizeram a mim, eu lhes fiz a eles’ (Jz 15:11). Entendo que”, reflete Warren Wiersbe, “como defensor de Israel, Sansão havia sido chamado para derrotar o inimigo, mas nosso maior desejo é vê-lo lutando as ‘batalhas do Senhor’ e não apenas em seus conflitos pessoais”; e então aplica: “Como cristãos, precisamos estar atentos para não encobrir motivações egoístas com uma capa de zelo religioso, chamando isso de ‘indignação santa’. A vingança pessoal e o benefício próprio, em lugar da glória ao Senhor, já foram a força motriz de inúmeros ‘defensores’ dentro das igrejas. Aquilo que alguns consideram zelo piedoso pode, na verdade, ser fúria pecaminosa que brota do egoísmo e que se alimenta do orgulho”.

Sansão é o ícone daqueles que agem por impulso. Pessoas assim estão sempre metidas em confusão, até mesmo os conterrâneos de Sansão o viam como agitador, em vez de libertador. O impulso da vingança é irracional; geralmente extrapola os limites da justiça: A seara queimada não era do sogro de Sansão; e para vingar-se de Sansão, os filisteus absurdamente mataram cidadãos dentre eles mesmos. Vingar-se quase nunca é sinônimo de fazer justiça, é irracional (Juízes 15:7); implica agir por instinto, no nível de um animal.

Vingança gera vingança (Juízes 15:10-11). Apesar da tamanha degradação de Sansão, Deus atuava em sua vida. Ao Sansão ser entregue pelos judeus aos filisteus, “o Espírito do Senhor apossou-se dele”. Sedento após a matança realizada com uma queixada de um animal imundo, clamou a Deus; então, um milagre aconteceu em seu benefício (Juízes 15:14-19).

As proezas de Deus devem surpreender-nos mais que as façanhas de Sansão! Deus é extraordinário, Sansão não! Portanto, reavivemo-nos nEle! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 26 de agosto de 2022

O AUTOR E CONSUMADOR DE NOSSA FÉ

 O AUTOR E CONSUMADOR DE NOSSA FÉ

Aconselho que você compre de Mim ouro refinado pelo fogo, para que você seja, de fato, rico. Compre vestes brancas para se vestir, a fim de que a vergonha de sua nudez não fique evidente. Apocalipse 3:18

Jesus mostrou o poder dos falsos ensinos para destruir a capacidade de valorizar e desejar a verdade. Ele afirmou: “E ninguém, tendo bebido o vinho velho, prefere o novo, porque diz: ‘O velho é excelente’” (Lc 5:39). Toda a verdade dada ao mundo por meio de patriarcas e profetas resplandeceu com nova beleza nas palavras de Cristo. Entretanto, os escribas e fariseus não tinham qualquer desejo quanto ao precioso vinho novo. Enquanto não se esvaziassem das velhas tradições, costumes e práticas, não teriam lugar na mente e no coração para os ensinos de Cristo. […]

Uma religião legalista nunca poderá conduzir pessoas a Cristo, pois é destituída de amor e de Cristo. Jejuar ou orar com espírito de justificação própria é uma abominação aos olhos de Deus. A solene assembleia para o culto, a rotina das cerimônias religiosas, a humilhação externa, o sacrifício imposto mostram que aquele que pratica essas coisas se considera justo e habilitado para o Céu, mas tudo é engano. Nossas próprias obras jamais poderão comprar a salvação.

Como foi nos dias de Cristo, assim acontece agora; os fariseus não reconhecem sua necessidade espiritual. A eles se dirige a mensagem: “Você diz: ‘Sou rico, estou bem de vida e não preciso de nada.’ Mas você não sabe que é infeliz, sim, miserável, pobre, cego e nu. Aconselho que você compre de Mim ouro refinado pelo fogo, para que você seja, de fato, rico. Compre vestes brancas para se vestir, a fim de que a vergonha de sua nudez não fique evidente, e colírio para ungir os olhos, a fim de que você possa ver” (Ap 3:17, 18). Fé e amor são o ouro provado no fogo. Mas, no caso de muitos, o brilho do ouro se obscureceu e perdeu-se o precioso tesouro. A justiça de Cristo é para eles uma roupa sem uso, uma fonte intacta. […]

A pessoa deve se esvaziar do próprio eu antes de ser, no mais amplo sentido, um crente em Jesus. Quando se renuncia ao eu, então o Senhor pode tornar a pessoa em uma nova criatura. Novos odres podem conter o vinho novo. O amor de Cristo dará uma vida nova àquele que crê. O caráter de Cristo se manifestará naquele que contempla o Autor e Consumador de nossa fé (O Desejado de Todas as Nações, p. 215, 216 [279, 280]).

PARA REFLETIR: Você já se entregou a Cristo para se tornar uma nova criatura?
https://youtu.be/Efb4VgCcr3k

MEDITAÇÃO DIÁRIA

26 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-autor-e-consumador-de-nossa-fe/

Juízes 14 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 14
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 14 –
Desobedecer aos pais que obedecem a Deus é a receita para o fracasso. Desejando vida longa aos filhos, Deus incluiu nos Dez Mandamentos a ordem: “Honra teu pai e tua mãe” (Êxodo 20:12). Este é o único mandamento com promessa (Efésios 6:1-3). O sábio, em Provérbios 30:17 declarou:

Os olhos dos que zombam do pai,
e, zombando, nega obediência à mãe,
serão arrancados pelos corvos do vale,
e serão devorados
pelos filhotes do abutre.

Esse provérbio parece sintetizar e profetizar a trajetória de Sansão, que não deu “ouvidos” a seus pais e, morreu cedo com os olhos furados (Juízes 14:1-3; Juízes 16:21).

Da fraqueza de Sansão, Deus tirou força (Juízes 14:4). A força de Sansão vinha diretamente de Deus, e ele deveria cuidar para que nada obstruísse esse contato de Deus com ele. Porém, sua fraqueza por mulheres pagãs o levou a afastar-se do ideal de Deus.

• Ter um estilo de vida desregrado – sem horários, fazendo tudo o que der vontade, quando e onde quiser – pode ser a ambição de muitos jovens, que o levarão ao mar da decepção e da aflição, por mais fortes ou espertos que sejam.

Sansão foi atacado por um leão quando viajava para a casa de sua pretendente; o Espírito Santo o capacitou a matá-lo (Juízes 14:1-6). Quando voltava para a cerimônia nupcial, viu que abelhas se abrigaram na carcaça do animal; então pegou mel e o dividiu com seus pais, assim tocou num animal morto violando seu voto de nazireu (Números 6:6-12). Daí surgiu um enigma que Sansão levou para as bodas. Quem o decifrasse, receberia trinta mudas de roupa. Através da noiva, os participantes descobriram. Para pagar o prometido, Sansão foi a Asquelom, matou 30 homens e pegou suas roupas (Juízes 14:10-20).

“Sansão poderia matar leões e romper cordas, mas não era capaz de resistir ao poder das lágrimas de uma mulher”, observa Warren Wiersbe.

• A paixão leva a pessoa a perder a cabeça, a tal ponto de desrespeitar aos pais (Juízes 14:1-4); quebrar votos, princípios divinos (Juízes 14:5-9), e agir por impulso dos sentimentos negativos (Juízes 14:19-20).

• Problemas no casamento começam na escolha do(a) namorado(a); e, o divórcio pode ser previsto no namoro. É importante atender aos pais piedosos. Suas experiências contam muito!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 25 de agosto de 2022

Juízes 13 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 13
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 13 –
Consagração de alto nível foi o que Sansão recebeu desde antes de nascer. Seus pais, que não poderiam ter filhos, receberiam um milagre a fim de ser o libertador de Israel; o qual, devido à letargia e apostasia espiritual, tornaram-se alvos da opressão dos filisteus.

Sansão deveria ser nobremente educado para ser a bênção que Israel precisava. Ele seria um nazireu desde o nascimento, o mais alto posto de consagração do Antigo Testamento (Números 6:1-21). Para tanto, os pais de Sansão foram instruídos pelo anjo de Deus quanto á educação de seu filho (Juízes 13:1-7). E, o poder do Espírito Santo tomou conta de Sansão (Juízes 13:8-25).

Inclusive a mãe de Sansão se consagrou para ter um filho saudável física, emocional e espiritualmente. “Muitos dos que Deus usaria como Seus instrumentos foram desqualificados ao nascer pelos maus hábitos praticados anteriormente pelos seus pais. Quando o Senhor quis suscitar Sansão como libertador de Seu povo, recomendou à mãe hábitos de vida corretos antes do nascimento de seu filho... Ao instruir essa mãe, o Senhor deu uma lição a todas aquelas que viriam a ser mães até o final dos tempos. Se a esposa de Manoá seguisse os costumes prevalecentes, seu organismo teria ficado enfraquecido pela violação das leis da natureza, e seu filho teria sofrido, junto com ela, a penalidade da transgressão... Aquele que observa a simplicidade em todos os seus hábitos, restringindo o apetite e controlando as paixões, conservará suas faculdades mentais fortes, ativas e vigorosas, ágeis para receber tudo o que exija pensamento ou ação. Ele será perspicaz para distinguir entre o santo e o profano e pronto a empenhar-se em qualquer empreendimento para a glória de Deus e o benefício da humanidade”, explica Ellen White (CBASD v.2, p. 1110-1111).

• Os pais de hoje precisam aprender a ouvir a Deus; Ele sabe como educar, por ser nosso Criador.
• Os filhos de hoje devem seguir as instruções dadas pelo Senhor em Sua Palavra caso queiram viver os nobres planos divinos para sua vida.
• O próprio Deus tem interesse na educação dos filhos de cada casal, inclusive nos dias atuais; por isso, o Espírito Santo revelou essas verdades no texto sagrado.

Vivamos os grandes planos de Deus para a humanidade! Precisamos reavivarmo-nos urgentemente! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

O CENTRO DE TODA VERDADEIRA DOUTRINA

 O CENTRO DE TODA VERDADEIRA DOUTRINA

Lâmpada para os meus pés é a Tua palavra; ela é luz para os meus caminhos. Salmo 119:105

Cristo é o Centro de toda verdadeira doutrina. Toda religião genuína se encontra em Sua Palavra e na própria natureza. É Nele que se centralizam nossas esperanças de vida eterna, e o mestre que Dele aprende encontra seguro ancoradouro.

Tudo quanto a mente pode apreender acha-se aberto perante nós na Bíblia. Esse é nosso alimento espiritual. Cumpre-nos contemplar as maravilhosas obras de Deus e repetir a nossos filhos as lições aprendidas, a fim de que os levemos a ver a perícia, o poder e a grandeza revelados em Suas obras.

Que Deus é o nosso Deus! Ele governa Seu reino com diligência e cuidado, e construiu um muro, os Dez Mandamentos, em torno de Seus súditos, a fim de os preservar dos resultados da transgressão. Exigindo obediência às leis de Seu reino, Deus dá a Seu povo saúde e felicidade, paz e alegria. Ensina-lhe que a perfeição de caráter exigida por Ele só pode ser alcançada familiarizando-nos com Sua Palavra.

Está escrito nos profetas: “Ó cidade aflita, sacudida pela tormenta e desconsolada! Eis que Eu assentarei as suas pedras com argamassa colorida e lançarei os seus alicerces sobre safiras. As suas torres serão de rubis, os seus portões serão de esmeraldas e toda a sua muralha será de pedras preciosas. Todos os seus filhos serão ensinados pelo Senhor, e será grande a paz de seus filhos. Você será estabelecida em justiça. Ficará longe da opressão, porque não temerá; ficará longe do terror, porque ele não chegará perto de você” (Is 54:11-14).

“Porque esta é a aliança que farei com a casa de Israel, depois daqueles dias, diz o Senhor: Na mente lhes imprimirei as Minhas leis, também no seu coração as inscreverei; Eu serei o Deus deles, e eles serão o Meu povo. Não ensinará jamais cada um ao seu próximo, nem cada um ao seu irmão, dizendo: ‘Conheça o Senhor!’ Porque todos Me conhecerão, desde o menor até o maior deles, diz o Senhor. Pois perdoarei as suas iniquidades e dos seus pecados jamais Me lembrarei” (Jr 31:33, 34) (Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 453, 454).

PARA REFLETIR: Se não é possível experimentar perfeição de caráter sem passar tempo com a Palavra de Deus, como você pode mudar a sua agenda a fim de dedicar mais momentos ao estudo da Bíblia?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-centro-de-toda-verdadeira-doutrina/

quarta-feira, 24 de agosto de 2022

O COMPASSIVO

 O COMPASSIVO

O Senhor é compassivo e bondoso; tardio em irar-Se e rico em bondade. Salmo 103:8

Deus fez a parte Dele para a obra de salvação de homens e mulheres. Agora Ele pede a cooperação da igreja. Há o sangue de Cristo, a Palavra da verdade, o Espírito Santo e pessoas a perecer. Todo seguidor de Cristo tem um papel a cumprir no trabalho de levar homens e mulheres a aceitar as bênçãos que o Céu proporcionou. Devemos examinar a nós mesmos de perto a fim de verificar se temos feito essa obra. Devemos questionar os motivos e as ações da vida. Não há muitos quadros desagradáveis pendurados nos corredores da memória? […]

Cristo e o amor Dele não foram retirados da sua vida até uma forma mecânica assumir o lugar do serviço de coração? Onde está o fogo da alma que vocês sentiam antes ao mencionar o nome de Jesus? No frescor da dedicação inicial, quão intenso era o seu amor pelas pessoas! Com que avidez buscavam mostrar a elas o amor do Salvador. A ausência desse amor os tornou frios, críticos e exigentes. Tentem conquistá-lo de volta e então se esforcem para conduzir homens e mulheres a Cristo. Caso se recusem a fazer isso, outros que tiveram menos luz, experiências e oportunidades se apresentarão para ocupar o seu lugar e fazer aquilo que tem sido negligenciado. Pois é necessário cumprir a obra de salvar os tentados, provados e prestes a perecer. Cristo oferece o serviço à Sua igreja. Quem o aceitará?

Deus não Se esqueceu das boas ações e das vezes em que a igreja negou o próprio eu no passado. Tudo está registrado lá no alto. Mas isso não basta. Elas não salvarão a igreja se ela deixar de cumprir a missão. A menos que a cruel negligência e indiferença manifestas no passado cessem, a igreja, em vez de prosseguir de força em força, continuará a se degenerar em fraqueza e formalidade. […]

Irmãos, sem dúvida a luz da sua lâmpada tremulará, e seu brilho diminuirá até se extinguir em trevas, a menos que vocês façam esforços decididos de reforma. “Lembre-se, pois, de onde você caiu. Arrependa-se e volte à prática das primeiras obras” (Ap 2:5a). A oportunidade agora apresentada pode ser curta. Se este tempo de graça e arrependimento passar sem mudanças, a advertência é dada: “Se você não se arrepender, virei até você e tirarei o seu candelabro do lugar dele” (v. 5b). Essas palavras são proferidas por um Deus longânimo e Compassivo (Review and Herald, 30 de novembro de 1886).

PARA REFLETIR: Você ainda se empolga na presença do Salvador e quando vê perdidos serem salvos?
https://youtu.be/x8ycscVHYyU

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-compassivo/

Juízes 12 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 12
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 12 – Tensão e desentendimento entre conterrâneos, é indicação de falta de paz no coração. Afastar-se de Deus e dos Seus princípios espirituais, resulta em conflito e confusão social. Guerra civil... é inadmissível, mas é possível acontecer. Isso é consequência funesta do pecado.

Incompreensão, intolerância, arrogância e ignorância não resolvem problemas, apenas os promovem. Brigas, contendas, rixas e desentendimentos geralmente não têm explicação lógica para existirem, senão como fruto do pecado que habita o coração humano (Mateus 15:19). A primeira guerra começou num ambiente perfeito, no Céu, incitada por um anjo perfeito, Lúcifer; a qual migrou para a Terra, e hoje se chama grande conflito (Apocalipse 12:7-9). As guerras entre nações e entre irmãos nada mais são que reflexos dessa grande guerra cósmica, provocada pelo mal.

Após resolver o conflito contra os amonitas – inimigos pagãos – Jefté teve que lidar com o conflito entre os efraimitas – seus irmãos. Que triste ver o povo de Deus envolvido em confusão desnecessária! “A tribo de Efraim é apresentada de forma desfavorável tanto em Juízes 8:1-3 como neste verso. Eram passivos em tempos de opressão e arrogantes quando outras tribos tomavam iniciativa e obtinham a vitória. Gideão foi conciliador e ignorou a grosseria deles, mas Jefté não estava disposto a se tornar subserviente. A reclamação resultava do desejo de ser considerada a tribo israelita líder. O orgulho levou a tribo a se ressentir de não ter tomado parte na glória da vitória. Além disso, eles negavam a Gileade o direito de ação independente, e mais ainda o de escolher um governante” (Comentário Bíblico Adventista).

42.000 da tribo de Efraim foram mortos por incitarem uma guerra sem necessidade alguma (Juízes 12:6); o orgulho ofusca a percepção conduzindo aos orgulhosos à frustração.

Jefté liderou apenas 6 anos, e morreu. Sua vida sem descendentes contrasta com o juiz Ibsã que gerou 60 filhos e Abdom que gerou 40 filhos e teve 30 netos (Juízes 12:8-15).

O fato de citar alguns juízes rapidamente (Ibsã, Elom e Abdom) que reinaram mais tempo que Jefté, e utilizar mais de 50 versículos para Jefté, mostra haver um interesse divino na seleção revelada no livro: Os futuros leitores deveriam saber como evitar anarquia social, opressão nacional e apostasia generalizada.

Como precisamos muito desse livro atualmente! Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 23 de agosto de 2022

O MENSAGEIRO DIVINO

 O MENSAGEIRO DIVINO

Porque Eu desci do Céu, não para fazer a Minha própria vontade, mas a vontade Daquele que Me enviou. João 6:38

Não conseguimos raciocinar da causa para o efeito? Não enxergamos que a obra do Senhor tem sido atrasada por causa da indolência em negociar os Seus bens, pelo egoísmo revelado na recusa em Lhe devolver a porção a Ele devida?

Quando Cristo fez a Sua entrada triunfal em Jerusalém, o aplauso da multidão chegou ao auge. Hosanas saíam dos lábios das pessoas, mas o Salvador não sentiu alegria alguma. Ele contemplou a cidade e chorou por ela, dizendo: “Ah! Se você soubesse, ainda hoje, o que é preciso para conseguir a paz! Mas isto está agora oculto aos seus olhos” (Lc 19:42). Ele viu milhares e milhares que logo estariam envolvidos na terrível destruição da cidade condenada. Quanto deve ter sido profunda a Sua emoção ao pensar na nação que forjava os próprios grilhões, selando a própria destruição e trazendo sobre si a nuvem da ira de Jeová! “Vocês resistiram em tom de desafio a todas as Minhas súplicas” – disse. – “Vez após vez, desviei os raios de justiça. Em amor, esperei a sua penitência e o seu arrependimento. Tolerei como um homem tolera o próprio filho que o serve. Mas vocês não vieram a Mim para ter vida.”

As lágrimas agonizantes de Cristo não foram derramadas apenas por Jerusalém. Ele chorou ao pensar na terrível retribuição que sobrevirá ao mundo impenitente. Jesus continua a trabalhar com paciência e amor em prol da salvação dos pecadores. O Mensageiro divino não bate à porta do coração pedindo entrada? O Espírito não apela aos pecadores? Cristo não chama as pessoas enfermas pelo pecado a se assentar aos Seus pés e aprender Dele, a suportar o Seu jugo de submissão e obediência? Ele não andou por toda parte espalhando bênçãos pelo caminho? Não há desgaste na Sua paciência nem repressão do Seu amor. Ouça a voz Dele falando aos fracos, cansados e desamparados: “Venham a Mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e Eu os aliviarei. Tomem sobre vocês o Meu jugo e aprendam de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso para a sua alma” (Mt 11:28, 29). Você permitirá que a graça suavize o coração de pedra? (Review and Herald, 3 de dezembro de 1901).

PARA REFLETIR: Quão terno é o coração de Jesus? Você consegue ouvi-Lo bater à porta do seu coração?
https://youtu.be/YzJMY-gzXLE

MEDITAÇÃO DIÁRIA

23 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-mensageiro-divino/

Juízes 11 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 11
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 11 – Jefté era filho de uma prostituta, seus meio-irmãos o rejeitaram e na divisão de herança o expulsaram de casa. A discriminação e a rejeição o atingiram, como muitos são vítimas desses pecados em nossa sociedade (Tiago 2:9). Isso não o tornou num homem mau, insensível, rígido e vingativo.

A grande questão de sua vida foi o voto feito a Deus. Ao chegar em casa para celebrar a vitória, sua filha única foi encontrá-lo; ele rasgou as vestes e gritou: “Ah, minha filha! Estou angustiado e desesperado por sua causa, pois fiz ao Senhor um voto que não posso quebrar” (Juízes 11:34-45).

A filha respondeu: “Meu pai... sua palavra foi dada ao Senhor. Faça comigo o que prometeu, agora que o Senhor o vingou dos seus inimigos... Mas conceda-me dois meses para vagar pelas colinas e chorar com minhas amigas, porque jamais me casarei” (Juízes 11:36-37).

Jefté está na galeria dos heróis da fé (Hebreus 11:32). Ele foi resposta de Deus à oração do povo arrependido que sofria humilhação e opressão (Juízes 10:15). Ele perdoou àqueles que o odiavam e aceitou o pedido deles de libertá-los dos amonitas (Juízes 11:7-10). Ele assumiu compromisso com Israel diante do Senhor Deus e tentou um acordo amigável com o inimigo (Juízes 11:11-13). Após receber resposta negativa, ele não se irritou; apenas reforçou seus argumentos com base na teologia histórica de Seu povo (Juízes 11:14-27). Além de estar cheio da Palavra de Deus, Jafté estava possuído pelo Espírito Santo quando fez o voto a Deus (Juízes 11:28-31). Assim, o Senhor entregou os inimigos arrogantes em suas mãos e ainda conquistou 20 cidades (Juízes 11:32-33).

Warren Wiersbe obverva que “vários comentaristas mostraram que a pequena conjunção ‘e’ (jz 11:31) pode ser traduzida como ‘ou’... então, o voto tem duas partes: aquilo que fosse ao encontro dele seria consagrado ao Senhor (se fosse uma pessoa) ou sacrificado ao Senhor (se fosse um animal). Uma vez que foi recebido pela filha, Jefté a consagrou ao Senhor para servi-lO no tabernáculo (Êx 38:8; 1 Sm 2:22). Ela permaneceu virgem”.

Mesmo sem descendente, Jefté cumpriu seu voto! Que grande exemplo para nós hoje! Quando se faz voto a Deus, nenhuma dificuldade deveria impedir-nos de cumpri-lo; ainda que traga angústia (Eclesiastes 5:1-7). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 22 de agosto de 2022

O AUTOR

 O AUTOR


Ah! Senhor Deus, eis que Tu fizeste os Céus e a Terra com o Teu grande poder e com o Teu braço estendido; nada é demasiadamente difícil para Ti. Jeremias 32:17

A saúde é uma bênção de que poucos apreciam o valor; contudo, grande parte da eficiência de nossas forças mentais e físicas depende dela. Nossos impulsos e paixões têm sua sede no corpo, e ele deve ser conservado na melhor condição física e sob as melhores influências espirituais, para que façamos o melhor uso de nossos talentos.

Tudo que diminui nossa força física enfraquece a mente e a torna menos capaz de discernir entre o bem e o mal. Ficamos menos aptos para escolher o bem e temos menos força de vontade para fazer aquilo que sabemos ser justo.

O mau uso de nossas forças físicas abrevia o período de tempo em que nossa vida pode ser usada para a glória de Deus e nos incapacita a cumprir a obra que Ele nos deu para fazer. Condescendendo com a formação de maus hábitos, recolhendo-nos tarde, satisfazendo o apetite com prejuízo da saúde, lançamos os fundamentos da debilidade. Negligenciando o exercício físico e cansando em excesso a mente ou o corpo desequilibramos o sistema nervoso. Os que assim desconsideram as leis naturais encurtam a vida, se desqualificam para a obra e são culpados de roubo para com Deus. E também estão roubando a seus semelhantes. A oportunidade de abençoar a outros, que é justamente a obra para a qual Deus os enviou ao mundo, foi abreviada por seu próprio procedimento. E incapacitaram-se para fazer mesmo aquilo que poderiam ter realizado em espaço de tempo mais breve. O Senhor nos considera culpados quando por nossos hábitos prejudiciais privamos o mundo do bem.

Transgressão da lei física é transgressão da lei moral; pois Deus tanto é Autor de uma como da outra. Sua lei está escrita com Seu próprio dedo em cada nervo, cada músculo e cada faculdade que confiou ao ser humano. E todo abuso de qualquer parte de nosso organismo é uma infração dessa lei.

Todos devem ter inteligente conhecimento da anatomia humana, para poder conservar o corpo em condição de executar a obra do Senhor (Parábolas de Jesus, p. 346-348).

PARA REFLETIR: Você tem roubado de Deus a sua utilidade ao falhar em cuidar do corpo? Que hábito saudável você precisa começar a desenvolver hoje?
https://youtu.be/qWM7S0Fq9l0

MEDITAÇÃO DIÁRIA

22 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-autor/

Juízes 10 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 10
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 10 – Deus anseia intensamente por relacionamento apaixonado com Seu amado povo.

Em três encontros em Juízes, Israel é incentivado a ser inteiramente fiel à aliança realizada por Deus:

• “Tirei vocês do Egito e os trouxe para a terra que prometi com juramento dar a seus antepassados. Eu disse: Jamais quebrarei a minha aliança com vocês. E vocês não farão acordo com o povo desta terra, mas demolirão seus altares. Por que vocês não me obedeceram?” (Juízes 2:1-2).

• “Tirei vocês do Egito, da terra da escravidão. Eu os livrei do poder do Egito e das mãos de todos os seus opressores. Expulsei-os e dei a vocês a terra deles. E também disse a vocês: Eu Sou o Senhor, o seu Deus; não adorem os deuses dos amorreus, em cuja terra vivem, mas vocês não me deram ouvidos” (Juízes 6:8-11).

• “Quando os egípcios, os amorreus, os amonitas, os filisteus, os sidônios, os amalequitas e os maronitas os oprimiram, e vocês clamaram a mim, eu os libertei das mãos deles. Mas vocês me abandonaram e prestaram culto a outros deuses. Por isso não os livrei mais. Clamem aos deuses que vocês escolheram. Que eles os livrem na hora do aperto!” (Juízes 10:11-14).

A fidelidade de Deus sempre contrasta com a infidelidade de Seu povo. É nítida é a insistência de Deus por relacionar-Se com Seu povo infiel: Perseverantemente o chama, apelando pelo retorno (Isaías 55:7; Miqueias 7:18-20; Malaquias 3:7). É por amar a Seu povo e desejar-lhe o bem que Deus levantou libertadores diante do clamor dos oprimidos, mesmo ardendo em ira devido à descarada infidelidade do povo (Juízes 10:6-18). Quanta misericórdia!

O escritor apresenta 12 juízes; 6 deles receberam descrição maior, e são: Otoniel (Juízes 3:7-11); Eúde (Juízes 3:12-30); Débora (Juízes 4:1-5:31); Gideão (Juízes 6:1-8:35); Jefté (Juízes 10:6-12:7); e, Sansão (Juízes 13:1-16:31). E, os outros 6, são citados rapidamente: Sangar, Tolá, Jair, Ibsã, Elom e Abdom (Juízes 3:31; 10:1-5; 12:8-15).

Apesar das desgraças da apostasia, Juízes também revela o poder da fé e da oração. O livro de Hebreus menciona que os juízes atuaram por meio da fé em Deus, por isso são considerados na galeria dos heróis da fé (Hebreus 11:32-34).

Coloquemo-nos à disposição de Deus para agir com fé como Seus instrumentos! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 21 de agosto de 2022

O REVELADOR DA VERDADE

 O REVELADOR DA VERDADE

Se dissermos que mantemos comunhão com Ele e andarmos nas trevas, mentimos e não praticamos a verdade. 1 João 1:6

Se a prata e o ouro fossem suficientes para comprar a salvação do ser humano, como isso teria sido fácil para Aquele que diz: “Minha é a prata, Meu é o ouro” (Ag 2:8)! Mas só pelo precioso sangue do Filho de Deus o transgressor podia ser redimido. O plano da salvação foi estabelecido com base no sacrifício. O apóstolo Paulo escreveu: “Pois vocês conhecem a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, Se fez pobre por amor de vocês, para que, por meio da pobreza Dele, vocês se tornassem ricos” (2Co 8:9). Cristo Se entregou por nós para nos redimir de toda iniquidade. E como a suprema bênção da salvação, “o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Rm 6:23).

“Tendo purificado a alma pela obediência à verdade, e com vistas ao amor fraternal não fingido”, continuou Pedro, “amem intensamente uns aos outros de coração puro” (1Pe 1:22). A Palavra de Deus, a verdade, é o meio pelo qual o Senhor manifesta Seu Espírito e poder. A obediência à Palavra produz o fruto da qualidade requerida, “amor fraternal não fingido”. Esse amor tem sua origem no Céu e conduz aos mais elevados motivos e ações altruístas. 

Quando a verdade se torna um princípio dominante na vida, renascemos “não de semente corruptível, mas de semente incorruptível, mediante a palavra de Deus, a qual vive e é permanente” (v. 23). Esse novo nascimento é o resultado de receber Cristo como a Palavra de Deus. Quando, mediante o Espírito Santo, as verdades divinas são impressas no coração, surgem novas concepções, e as energias antes adormecidas despertam para cooperar com Deus.

Assim foi com Pedro e os demais discípulos. Cristo foi o Revelador da verdade ao mundo. Por Ele a incorruptível semente, a Palavra do Senhor, foi semeada no coração humano. No entanto, muitas das mais preciosas lições do grande Mestre foram ditas aos que então não as entenderam. Quando, depois de Sua ascensão, o Espírito Santo fez com que os discípulos se recordassem dos ensinos de Jesus, os sentidos deles, até então adormecidos, despertaram (Atos dos Apóstolos, p. 330, 331 [519, 520]).

PARA REFLETIR: Qual é a sua mais recente mudança de atitude ou comportamento que aconteceu como resultado da verdade revelada pelo Espírito Santo?

https://youtu.be/sxQXYkOM_4gg

MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-revelador-da-verdade/


Juízes 9 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 9
Comentário Pr Heber Toth Armí


JUÍZES 9 – A pior coisa que pode acontecer a alguém ou a uma congregação é se esquecer de Deus e dos Seus princípios para uma vida feliz, próspera e digna de ser vivida. Contudo, assim o capítulo do povo de Deus encerrou em Juízes 8 e continuou no capítulo 9.

Além dos 70 filhos com várias esposas, Gideão também teve Abimeleque com uma concubina, que tornou-se “o primeiro experimento israelita com a monarquia, muito antes do rei Saul (1Sm 8-11)”. Foi um desastres, porém, “o fato de ter sido um desastre deveria haver ensinado a Israel que um rei humano era uma ideia nociva” (Comentário Bíblia Andrews).

Abimeleque havia matado 69 dos seus 70 irmãos para garantir seu reinado; com seus homens mataram implacavelmente os siquemitas – e, Gaal – por se rebelarem contra ele. Sua crueldade cessou quando “uma mulher jogou uma pedra de moinho na cabeça dele, e lhe rachou o crâneo. Imediatamente ele chamou seu escudeiro e lhe ordenou: ‘Tire a espada e mate-me, para que não digam que uma mulher me matou’. Então o jovem o atravessou, e ele morreu” (Juízes 9:54-55). Contudo, “ficou para a história como alguém morto por uma mulher (2Sm 11:21)” (Idem).

Débora, Sísera e esta mulher são heroínas no livro de Juízes. Embora a cultura antiga fosse predominantemente machista, Deus considera as mulheres em Seus planos.

Jotão, meio-irmão sobrevivente de Abimeleque, contou uma parábola retratando o desejo que seu irmão tinha de reinar, comparando-o a espinheiro inútil (Juízes 9:7-21). “Se tivessem preservado uma clara percepção do certo e do errado, os israelitas teriam visto a falácia do raciocínio de Abimeleque e a injustiça de suas reivindicações. Teriam visto que ele estava cheio de inveja e imbuído de vil ambição de exaltar a si mesmo pela ruína de seus irmãos. Não são dignos de confiança os que são controlados por estratagemas e não por princípios. Eles irão perverter a verdade, esconder os fatos e interpretar as palavras dos outros com um sentido completamente diferente da intenção original. Empregarão palavras lisonjeiras, ao passo que há veneno de víbora em sua língua. Quem não busca fervorosamente a direção divina será enganado por suas palavras suaves e seus planos astuciosos” (Ellen White, CBASD, v.2, p. 1109).

Busquemos a direção divina! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌ 

sábado, 20 de agosto de 2022

A LUZ PARA ILUMINAR OS GENTIOS

 A LUZ PARA ILUMINAR OS GENTIOS

O povo que vivia em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região e sombra da morte resplandeceu-lhes a luz. Mateus 4:16

Nicodemos procurou uma entrevista com Jesus à noite, dizendo: “Rabi, sabemos que o Senhor é Mestre vindo da parte de Deus, porque ninguém pode fazer estes sinais que o Senhor faz, se Deus não estiver com ele” (Jo 3:2). Tudo isso era verdade, mas o que disse Jesus? Ele “respondeu: Em verdade, em verdade lhe digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o Reino de Deus” (Jo 3:3).
Aqui estava um homem em elevada posição de confiança, um homem que era observado como alguém educado nos costumes dos judeus, alguém cujo espírito estava cheio de sabedoria. Ele verdadeiramente possuía talentos de caráter extraordinário. Não queria ir a Jesus de dia, pois isso o tornaria alvo de observações. Seria muito humilhante a um dirigente dos judeus reconhecer que simpatizava com o desprezado Nazareno. Nicodemos pensou: Eu mesmo descobrirei quanto à missão e os reclamos desse Mestre, se Ele é em verdade a Luz para iluminar os gentios e a glória de Israel.

Jesus realmente diz a Nicodemos: Não é controvérsia que ajudará seu caso; não são argumentos que trarão luz à alma. Você deve ter um novo coração, ou então não poderá discernir o reino dos Céus. Não é maior evidência que o levará para uma posição correta; mas novos propósitos, novas fontes de ação. Você deve nascer de novo. A não ser que ocorra tal mudança, tornando novas todas as coisas, as mais fortes evidências que pudessem ser apresentadas seriam inúteis. A falta está em seu próprio coração; tudo deve ser mudado, ou não poderá ver o reino de Deus.

Essa foi uma declaração muito humilhante para Nicodemos. Com sentimento de irritação, pegou as palavras de Cristo, dizendo: “Como pode um homem nascer, sendo velho?” (Jo 3:4). Ele não tinha mentalidade espiritual suficiente para discernir o significado das palavras de Cristo. Mas o Salvador não enfrenta argumento com argumento. Levantando a mão com solene e calma dignidade, insiste na verdade com maior certeza: “Em verdade, em verdade lhe digo: quem não nascer da água e do Espírito não pode entrar no Reino de Deus” (Jo 3:5) (Testemunhos Para Ministros e Obreiros Evangélicos, p. 367, 368). 

PARA REFLETIR: Qual foi a última vez que você pediu algo a Jesus, mas recebeu outra coisa diferente e completamente inesperada? 

https://youtu.be/H4nyqlS8oCY

MEDITAÇÃO DIÁRIA

20 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-luz-para-iluminar-os-gentios/

Juízes 8 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 8
Comentário Pr Heber Toth Armí


JUÍZES 8 – Nossos maiores fracassos podem vir no encalço de nossos maiores sucessos. Com sensação de estarmos livres da tensão, deixamos de vigiar e caímos em tentação.

Nem todo aquele que atravessa com maestria e bravura o mar das adversidades, será bem sucedido na bonança da prosperidade; nem vitórias coletivas não garantem vitória pessoal. Sem devida vigilância, tornar-se herói numa guerra contra muitos soldados não garantirá ser herói na vida pessoal. Todavia, não é sábio ser campeão em contextos de adversidade, sem resistir à tentação em contexto de prosperidade.

O capítulo em pauta nos apresenta, primeiramente, a glória e o fracasso de Gideão, mostrando que falta de vigilância leva à ignorância pessoal (Juízes 8:1-32); e, posteriormente, a apostasia rumo à idolatria e ingratidão do povo de Deus, mostrando que a ingratidão gera perversão coletiva (Juízes 8:33-35).

• Ricas lições e profundas advertências existem nestas tristes experiências. A principal é que: Quando Deus é atendido em Suas orientações, não existem dificuldades que não sejam superadas; porém, quando assumimos o controle, até na prosperidade fracassaremos.

Após a vitória sobre os midianitas, depois de lidar sabiamente com a inveja dos efraimitas e com a pressão do povo para torná-lo rei, Gideão titubeou quando orgulhosamente buscou glórias para si através de adornos de ouro para fazer um éfode e, ao naufragar na imoralidade da poligamia.

• Ninguém é perfeito, nem blindado contra o erro, Gideão foi vingativo no caso dos homens de Sucote e Panuel. Ellen White declara que até “os mais sábios erram; os mais fortes se cansam” (CBASD, v.2, p. 1109).

• Agir com boas intenções para adorar a Deus sem fundamentar nossas ações em Sua revelação descritas em Sua Palavra, resulta em idolatria e perversão da verdadeira religião.

• Não há vantagem alguma em pedir ofertas para si, quando as ofertas de gratidão deveriam ser entregues a Deus.

• Cuidemos para que nossa firmeza na adversidade não sucumbe diante da prosperidade!

Juízes 8 ensina que é imprescindível ter coragem para enfrentar os desafios, equilíbrio para celebrar as conquistas e submissão a Deus para permanecer fiel a Ele e à Sua missão. Incentiva-nos à prudência para acalmar ofendidos, a dizer palavras que curam feridos e promovam união. Estimula o trabalho duro com consciência de que a vitória vem de Deus. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 19 de agosto de 2022

O VERBO ETERNO

 O VERBO ETERNO

Eu para isso nasci e para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade. Todo aquele que é da verdade ouve a Minha voz. João 18:37

Cristo foi o maior Mestre que este mundo já conheceu. Veio à Terra a fim de difundir os brilhantes raios da verdade, para que os seres humanos pudessem se habilitar para o Céu. “Para isso vim ao mundo, a fim de dar testemunho da verdade” (Jo 18:37). Veio para revelar o caráter do Pai, para que as pessoas fossem levadas a adorá-Lo em espírito e verdade. 

A necessidade da humanidade quanto a um mestre divino era reconhecida no Céu. A piedade e terna compaixão de Deus foram despertadas para com os seres humanos, caídos e presos à carruagem de Satanás. Ao chegar a plenitude dos tempos, Deus enviou Seu Filho. Aquele que havia sido designado no conselho celestial veio à Terra como instrutor da humanidade. Ele foi dado ao mundo pela grande generosidade de Deus e, a fim de satisfazer às necessidades da natureza humana, tomou sobre Si a humanidade. Para assombro dos seres celestiais, o Verbo eterno veio a este mundo como impotente bebê. Plenamente preparado, deixou as cortes reais, aliando-Se misteriosamente com os caídos seres humanos. […] 

Ao Cristo deixar Seu alto posto de comando, poderia haver tomado na vida qualquer posição que escolhesse. Mas a grandeza e a posição nada eram para Ele, e preferiu a mais humilde condição de vida. Nenhum luxo, comodidade ou satisfação própria entrou em Sua existência. A verdade de origem celestial, eis o que devia Lhe servir de tema. Devia semear o mundo com a verdade. […] 

Não é de admirar que durante a infância Cristo crescesse em sabedoria e graça para com Deus e os seres humanos, pois estava em harmonia com as leis divinamente estabelecidas; que Seus talentos se desenvolvessem e Suas faculdades se fortalecessem. Ele não buscou educação nas escolas dos rabis; pois Deus era Seu instrutor. À medida que crescia, continuava se desenvolvendo em sabedoria. Aplicava-Se diligentemente ao estudo das Escrituras; pois sabia que elas se achavam repletas de valiosas instruções. Era fiel no desempenho dos deveres domésticos; e as primeiras horas da manhã, em vez de serem passadas na cama, achavam-No muitas vezes em algum lugar isolado, examinando as Escrituras e orando ao Pai celestial (Conselhos aos Professores, Pais e Estudantes, p. 259, 260). 

PARA REFLETIR: Se Jesus é a Palavra eterna, por que Ele precisava estudar as Escrituras? 
https://youtu.be/4Gv94VRg6RA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

19 de agosto
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-verbo-eterno/

Juízes 7 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 7

Comentário Pr Heber Toth Armí


JUÍZES 7 – Mesmo possuindo medo, insegurança e dúvidas, um indivíduo pode ser chamado por Deus para uma ação especial.

Gideão questionou a presença de Deus, sendo o único juiz que recebeu Sua presença literal (Juízes 6:13). Ele também questionou o caráter de Deus, em vez de questionar o caráter do povo que se afastara de Deus (Juízes 6:13). Além disso, Gideão resistiu ao chamado divino alegando insignificância e indignidade frente à tamanha responsabilidade (Juízes 6:15).

Deus lidou graciosa e pacientemente com cada questão levantada; contudo, ainda não foi suficiente para Gideão: Ele ainda exigiu dois sinais relacionados à lã, e Deus submeteu-Se, atendendo seus singelos pedidos (Juízes 6:36-40).

• O Deus da Bíblia é paciente, diferente do conceito do Deus criado por muita gente.
• Deus desce ao nível do indivíduo inseguro a fim de elevá-lo para um estágio de fé ainda não alcançado.

Assim que Gideão abraçou a missão e reuniu o exército para lidar com 32.000 soldados inimigos, Deus reduziu seu exército que já era extremamente menor que o exército inimigo. 31.700 soldados foram dispensados; restando apenas 300 para lutar contra 135.000 homens (Juízes 7:12; 8:10). Se antes Deus foi testado por Gideão, agora Gideão estava sendo testado por Deus (Juízes 7:1-7).

Todavia, Deus deu evidência de Sua Onipotência até mesmo em um sonho aos pagãos – o que animou Gideão a empenhar-se na batalha obviamente desproporcional (Juízes 7:8-16). E, claro, com Deus o improvável tornou-se possível; com 300 homens, Gideão obteve a vitória pela graça e poder divinos (Juízes 7:17-25).

“Quando as trezentas trombetas soaram, o Senhor fez que em todo o acampamento os homens se voltassem uns contra os outros com as suas espadas” (Juízes 7:22). Gideão convocou israelitas de Naftali, Aser, Manassés e dos montes de Efraim para capturar os fugitivos; porém, ficou claro que a vitória viera de Deus.

Deus não tem problema de resolver grandes desafios com pouco recurso humano. Ele pretende ensinar-nos que não é nossa capacidade, habilidade e forças que nos garantem o sucesso; Ele é que dá a capacidade de conquistar o impossível contra a lógica humana (Deuteronômio 8:17-18).

A redução do exército mais o sonho do soldado inimigo visam promover certeza de que Deus sempre é o protagonista da história, e nos concede vitórias! Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 18 de agosto de 2022

A MAJESTADE DO CÉU

 A MAJESTADE DO CÉU

Em Suas obras há glória e majestade, e a Sua justiça permanece para sempre. Salmo 111:3

Foi na ordenação dos doze apóstolos que se deram os primeiros passos na organização da igreja que, depois da partida de Cristo, devia levar avante Sua obra na Terra. A respeito dessa ordenação, o relato diz: “Depois, Jesus subiu ao monte e chamou os que Ele quis, e vieram para junto Dele. Então designou doze, aos quais chamou de apóstolos, para estarem com Ele e para os enviar a pregar” (Mc 3:13, 14). 

Imaginemos a impressionante cena: a Majestade do Céu tendo em torno de Si os doze que haviam sido escolhidos por Ele. Logo os separaria para a obra que lhes havia designado. Por meio desses frágeis instrumentos, mediante Sua Palavra e Seu Espírito, Ele decidiu colocar a salvação ao alcance de todos. Deus e os anjos contemplavam aquele momento com alegria e júbilo. O Pai sabia que, por intermédio desses homens, a luz do Céu brilharia; que as palavras ditas por eles ao testemunharem de Seu Filho ecoariam de geração em geração até a consumação dos séculos. 

Os discípulos deviam sair como testemunhas de Cristo para anunciar ao mundo o que Dele tinham visto e ouvido. Sua missão era a mais importante a que seres humanos já haviam sido chamados, inferior apenas à do próprio Cristo. Eles deviam ser colaboradores de Deus na salvação da humanidade. Como no Antigo Testamento os doze patriarcas ocupavam o lugar de representantes de Israel, assim os doze apóstolos representam a igreja cristã. 

Durante Seu ministério terrestre, Cristo deu início à obra de derrubar o muro de separação entre judeus e pagãos e anunciar a salvação a toda a humanidade. Embora fosse judeu, misturava-Se livremente com os samaritanos, anulando os costumes farisaicos dos judeus com respeito a esse desprezado povo. Dormia sob seu teto, comia de sua mesa e ensinava em suas ruas. 

O Salvador desejava muito mostrar aos discípulos a verdade referente à demolição da “parede de separação” (Ef 2:14) entre Israel e as outras nações – de que “os gentios são coerdeiros” com os judeus, “e coparticipantes da promessa em Cristo Jesus por meio do evangelho” (Ef 3:6) (Atos dos Apóstolos, p. 12, 13 [18, 19]). 

https://youtu.be/yHn5l1VKqiw

MEDITAÇÃO DIÁRIA

18 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-majestade-do-ceu/

Juízes 6 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Juízes 6

Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 6 – No tempo dos juízes, o povo de Deus envolveu-se num emaranhado de pecado e num redemoinho de julgamento que desafiava o futuro da jovem nação. É nítido um ciclo previsível de situações sintetizadas da seguinte forma:

• Pecado/apostasia.

• Sofrimento.

• Súplica.

• Salvação.

Samuel e Esdras referiram-se à história dos juízes a fim de lembrar ao povo de Deus suas tendências pecaminosas e a graciosa misericórdia divina (1 Samuel 12:9-11; Neemias 9:26-28).

Lamentavelmente a lição da história não permanece por muito tempo na memória do povo de Deus. Aprendizados logo se desvanecem. Assim, toda vez que falecia um líder usado por Deus para livrar Israel da opressão, a fé e o reavivamento se esvaíam.  Tristemente “o povo voltava a caminhos ainda piores do que os caminhos dos seus antepassados seguindo outros deuses, prestando-lhes culto e adorando-o. Recusavam-se a abandonar suas práticas e seu caminho obstinado” (Juízes 2:19).

O ciclo de pecado reiniciou após a libertação operada por Débora e Baraque; na sequência, Israel sofreu opressão nas mãos dos midianitas e amalequitas; por isso, houve um clamor ao Senhor (Juízes 6:1-6). 

Deus respondeu chamando Gideão, o qual tinha seus defeitos. Ele não era perfeito. Ele tinha suas fraquezas e medos (Juízes 6:7-40), como qualquer um de nós. Todavia, “o Senhor pode usar mais eficazmente os que têm consciência de sua própria indignidade e incapacidade. Ele lhes ensinará o exercício da coragem e da fé e os fará fortes, unindo a fraqueza deles com Sua força, e sábios, associando Sua sabedoria à ignorância deles”, observa Ellen White (CBASD, v.2, p. 1107).

Juízes 6 apresenta o pecado e o sofrimento sempre de mãos dadas. Eles não se divorciam nunca. Quando se pratica persistentemente o pecado, na sequência vem o sofrimento como inevitável consequência – pena que aprender isso parece difícil a todos nós!

Felizmente, há outra dupla inseparável: Súplica e salvação. Deus Se compadece com a súplica sincera de um coração que clama por libertação – pena que aprender isso também é difícil!

Juízes 6 mostra que Deus atende a súplica de Seu povo que caiu em pecado; e, pode atuar através de alguém fragilizado pela situação ameaçadora. Deus pode trabalhar com a dúvida sincera, o medo e a insegurança apresentados a Ele. 

As lições estão diante de nós, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 17 de agosto de 2022

O CONDUTO

 O CONDUTO

Ele foi conhecido antes da fundação do mundo, mas foi manifestado nestes últimos tempos, em favor de vocês. 1 Pedro 1:20

Pela rebelião e apostasia, o ser humano perdeu o favor de Deus, não seus direitos, pois ele só teria valor se fosse revestido do amado Filho de Deus. Esse ponto precisa ser compreendido. Ele perdeu os privilégios que Deus, em Sua misericórdia, lhe havia concedido como dom gratuito, como tesouro em custódia, a ser usado para promover Sua Causa e Sua glória e favorecer os seres criados por Ele. No momento em que a obra das mãos de Deus se recusou a obedecer às leis do reino de Deus, nesse mesmo instante ele [o ser humano] se tornou desleal ao governo divino e inteiramente indigno de todas as bênçãos com as quais Deus o havia favorecido. 

Essa foi a posição da raça humana depois que ela se separou de Deus pela transgressão. […] E a razão de a humanidade não ter sido destruída era que Deus a amou de tal maneira que deu Seu Filho amado para que sofresse a penalidade da transgressão dela. Cristo Se prontificou a tornar- Se a garantia e o substituto do ser humano, para que este, por meio de graça sem igual, tivesse outra prova – uma segunda oportunidade –, tendo a experiência de Adão e Eva como advertência para não transgredir a lei de Deus como eles o fizeram. E, visto que o ser humano desfruta as bênçãos de Deus na dádiva da luz do Sol e do alimento, deve haver da parte de homens e mulheres um respeito diante de Deus em grato reconhecimento de que todas as coisas provêm Dele. […] 

O ser humano quebrou a lei de Deus e, por intermédio do Redentor, foram feitas novas e recentes promessas em uma base diferente. Todas as bênçãos precisam vir por um Mediador. Assim, todo membro da família humana está inteiramente entregue nas mãos de Cristo, e tudo que possuímos nesta vida presente, quer seja dinheiro, casas, terras, faculdades de raciocínio, força física ou de talentos intelectuais, e as bênçãos da vida futura, é colocado em nosso poder como tesouros de Deus a serem aplicados fielmente para benefício do ser humano. Todo dom é assinalado pela cruz e traz a imagem e a inscrição de Jesus Cristo. Todas as coisas provêm de Deus. Desde os menores benefícios até à maior bênção, tudo flui através do único Conduto: uma mediação sobre-humana salpicada com o sangue cujo valor é inestimável, porque era a vida de Deus em Seu Filho (Fé e Obras, p. 16, 17 [21, 22]). 

PARA REFLETIR: O que você precisa que Deus lhe envie por intermédio do Conduto hoje?

https://youtu.be/yHn5l1VKqiw

MEDITAÇÃO DIÁRIA

17 de agosto 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-conduto/

O AUXILIADOR INFINITO

O AUXILIADOR INFINITO Grande é o Senhor nosso e mui poderoso; o Seu entendimento não se pode medir. Salmo 147:5 Muitos supõem que a religião...