quinta-feira, 31 de março de 2022

O SALVADOR DO MUNDO

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

31/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-salvador-do-mundo/

O SALVADOR DO MUNDO

Na casa de Meu Pai há muitas moradas. Se não fosse assim, Eu já lhes teria dito. Pois vou preparar um lugar para vocês. João 14:2

Jesus permaneceu com Seus discípulos quarenta dias, ocasionando-lhes isso satisfação e alegria de coração, ao desvendar-lhes Ele mais amplamente as realidades do reino de Deus. Ele os havia comissionado a dar testemunho das coisas que tinham visto e ouvido, referentes aos Seus sofrimentos, morte e ressurreição; de que Ele havia feito um sacrifício pelo pecado, e que todos que o quisessem poderiam vir a Ele e encontrar vida. Com fiel ternura disse-lhes que seriam perseguidos e angustiados; mas que encontrariam alívio recordando-se de sua experiência e lembrando-se das palavras que Ele lhes havia falado. Contou-lhes que tinha vencido as tentações de Satanás e obtido vitória através de provações e sofrimentos. Satanás não poderia mais ter poder sobre Ele e faria suas tentações recaírem mais diretamente sobre eles, e sobre todos os que cressem em Seu nome. Mas poderiam vencer, assim como Ele venceu.

Jesus dotou Seus discípulos de poder para operar milagres e disse-lhes que, embora fossem perseguidos pelos ímpios, enviaria Seus anjos, de tempos em tempos, para livrá-los. A vida deles não poderia ser tirada antes que sua missão se cumprisse; poderia então ser-lhes exigido selarem com sangue os testemunhos que deram.

Os ansiosos seguidores alegremente escutaram Seus ensinos, absorvendo com avidez cada palavra que vinha de Seus lábios. Sabiam com certeza que Ele era o Salvador do mundo. Suas palavras calavam profundamente no coração deles, e entristeciam-se de que logo devessem separar-se de seu Mestre celestial e não mais ouvir de Seus lábios palavras confortadoras e graciosas. Mas de novo seu coração se aqueceu de amor e extraordinária alegria, ao Jesus dizer a eles que iria preparar-lhes moradas, que viria outra vez e os receberia, para que pudessem estar sempre com Ele. Prometeu também enviar o Consolador, o Espírito Santo, para guiá-los em toda verdade. “E, erguendo as mãos, os abençoou” (Lc 24:50) (Primeiros Escritos, p. 189, 190).

PARA REFLETIR: Como você pode estender o coração consolador de Jesus às pessoas com quem vai se encontrar hoje?

Construção de um altar - Êxodo 27

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 


Leitura Bíblica - Êxodo 27

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 27 – O preparo do caminho desde o pecador até o Criador é realizado pelo próprio Deus. 

O altar de sacrifícios mostra que o derramamento de sangue é essencial para o pecador “aproximar-se de Deus. É um tipo de cruz (morte) de Cristo, nosso holocausto, que Se ofereceu sem mácula a Deus (Hb 9:14)”, já a porta nas divisórias (resultantes das cortinas e tábuas) “indica Cristo [João 10:9]. Ele é nosso acesso a Deus em virtude de Sua obra de redenção”. Complementando, “o azeite puro de oliva simboliza o Espírito Santo (Jo 3:34; Hb 1:9)” que seria usado no candelabro sombolizando que, “em Cristo, a lâmpada de azeite queima constantemente”, sintetiza Merrill Unger.

O altar de sacrifício teve início, provavelmente, quando Deus preparou vestes para Adão e Eva após cometerem pecado e serem expulsos das delícias do Éden (Gênesis 3:21-24). A importância do altar foi transmitida aos filhos do casal, o qual sofreu adulteração quando Caim ofereceu seu sacrifício (Gênesis 4:3-7) – evidenciando que, aquele que não assimila corretamente o sacrifício poderá sacrificar até o próprio irmão (Gênesis 4:8).

Contudo, a prática correta dos sacrifícios foi preservada, a qual podemos perceber no relato da saída de Noé da arca depois do Dilúvio (Gênesis 8:20), e na adoração praticada por Abraão, Isaque e Jacó (Gênesis 12:7-8; 22:1-13; 26:25; 33:18-20; 35:1-7; etc.).

Muitos anos se passaram; agora, em Êxodo 27, “foram dadas instruções referentes à construção de um altar para oferecimento de sacrifícios, um ritual que havia sido quase inteiramente descontinuado. Enquanto estavam no cativeiro egípcio, as ideias do povo sobre sacrifícios haviam sido em grande parte moldadas pelas ideias dos egípcios. Os egípcios, por sua vez, haviam adquirido essas ideias dos israelitas na primeira vez em que estes foram ao Egito, mas haviam misturado a verdade com a falsa idolatria. Possuíam práticas indecentes ligadas à adoração em seus altares pagãos”, explica Ellen White (CBASD, v. 1, p. 1221).

Desde Caim, a questão da adoração vem correndo risco de deturpação. No tempo do fim, Satanás usará estratégias para conduzir multidões à adoração adulterada. Somente não se perverterão aqueles que tiverem “seus nomes escritos no livro da vida do Cordeiro que foi morto desde a criação do mundo” (Apocalipse 13:8).

Deus procura adoradores fieis! Portanto, reavivemo-nos! Sejamos fieis! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 30 de março de 2022

O FIEL PAI DE FAMÍLIA

O FIEL PAI DE FAMÍLIA

Então Jesus lhes disse: “Por isso, todo escriba instruído no Reino dos Céus é semelhante a um pai de família que tira do seu depósito coisas novas e coisas velhas.” Mateus 13:52

“E a vida eterna é esta”, disse Cristo, “que conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17:3). Por que não compreendemos o valor desse conhecimento? Por que essas gloriosas verdades não ardem em nosso coração? Por que não fazem tremer nossos lábios nem invadem todo o ser?

Dando-nos Sua Palavra, Deus nos colocou na posse de toda a verdade essencial para nossa salvação. Milhares extraíram água dessa fonte de vida; no entanto, a provisão não diminui. Milhares puseram o Senhor diante de si e, contemplando-O, foram transformados à Sua própria semelhança. O espírito arde dentro deles ao falarem de Seu caráter, quando contam o que Cristo é para eles e o que são para Cristo. Mas, esses pesquisadores não esgotaram esses grandes e santos temas. Milhares podem se empenhar na obra de esquadrinhar os mistérios da salvação. Meditando sobre a vida de Cristo e o caráter de Sua missão em cada tentativa de descobrir a verdade, raios de luz refulgirão mais distintamente. Cada novo estudo revelará algum ponto de interesse mais profundo do que havia sido desdobrado. O assunto é inesgotável. Enquanto o tempo durar, o estudo da encarnação de Cristo, Seu sacrifício propiciatório e Sua mediação ocuparão o espírito do estudante diligente e, contemplando o Céu com seus inumeráveis anos, exclamará: “Grande é o mistério da piedade” (1Tm 3:16).

Na eternidade, estudaremos aquilo que nos teria aberto o entendimento se houvéssemos recebido a iluminação que nos era possível obter aqui. Através dos séculos infinitos, o tema da redenção ocupará o coração, a mente e a língua dos remidos. Eles compreenderão as verdades que Cristo almejava abrir a Seus discípulos, e para cuja assimilação, porém, não tinham suficiente fé. Sempre e sempre nos serão reveladas novas visões da perfeição e glória de Cristo. Através dos séculos eternos, o fiel Pai de família tirará de Seu tesouro coisas novas e velhas (Parábolas de Jesus, p. 133, 134).

PARA REFLETIR: Ao longo dos séculos eternos, Jesus lhe dará joias preciosas do Seu depósito da verdade. Qual tesouro você deseja que Ele revele primeiro?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

30/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-fiel-pai-de-familia/

Êxodo 26 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 26

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 26 – Estudar o Santuário implica conhecer o plano da libertação do ser humano; tem tudo a ver com o resgate da escravidão do pecado. A Bíblia toda apresenta a importância desse imóvel divino, assunto este que para Ellen White, é a chave que “revelou um sistema completo de verdades, unido e harmonioso”.

A carta aos Hebreus (no Novo Testamento) lida com assuntos de grande valor para todo pecador, cuja base é o santuário – não a cópia, pois o texto sagrado foca no modelo, “o verdadeiro tabernáculo que o Senhor erigiu, e não o homem” (Hebreus 8:1). Mostrando a relevância do santuário à teologia!

Em Êxodo 25 somos informados como tal sistema pedagógico foi instituído na Terra. Moisés registrou a generosidade do povo que iria adorar ao Deus todo-poderoso; além disso, descreveu como preparar a arca da aliança, a mesa com seus utensílios e o candelabro de ouro. Tudo deveria ser “segundo o modelo que lhe foi mostrado no monte” (Êxodo 25:40). Nada deveria ser inventado por Moisés.

Em Êxodo 26 descreve as paredes e cortinas que deveriam limitar a entrada do povo, e a função dos sacerdotes que atuariam no Tabernáculo/Santuário. Apesar das paredes que separariam Deus do povo, tudo era estratégico da parte de Deus para não consumir os pecadores com Sua santa presença e glória fulgurante.

A graça de um Deus santo e intolerante ao pecado estava visível em cada detalhe: “O propiciatório era a tampa de ouro sobre a arca, ilustrando como o trono divino transforma-se de trono de julgamento em trono da graça pelo sangue expiatório espargido sobre ele. Os dois querubins representavam os guardiões da santidade de Deus, acima do qual ficava entronada a glória – Shekinah – da presença do Senhor. A arca era o centro do simbolismo do tabernáculo, Deus atuando exteriormente em Sua busca do homem” (Merril Unger).

Posteriormente, a cortina (véu) do templo se rasgou de alto a baixo ao Jesus ser sacrificado na cruz – indicando sobrenaturalmente que agora nada mais nos separa de Deus (Mateus 25:51). Portanto, “aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade” (Hebreus 4:16).

É essa intimidade que Deus ansiosamente espera de nós! Certamente podemos reavivar-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 29 de março de 2022

O EXEMPLO PERFEITO

  O EXEMPLO PERFEITO

Que a palavra dita por vocês seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibam como devem responder a cada um. Colossenses 4:6

Por esforço diligente todos podem adquirir a capacidade de ler inteligivelmente e falar em tom claro e sonoro, e de maneira distinta e impressiva. Fazendo isso podemos desenvolver grandemente nossa eficiência como obreiros de Cristo.

Cada cristão é chamado para anunciar a outros as insondáveis riquezas de Cristo; por isso deve procurar perfeição no falar. Deve apresentar a Palavra de Deus de tal maneira que a recomende ao auditório. Deus não pretende que Seus porta-vozes sejam incultos. Não é Sua vontade que o ser humano restrinja ou rebaixe a fonte celestial que por ele flui para o mundo.

Devemos contemplar a Jesus como Exemplo perfeito; devemos solicitar o auxílio do Espírito Santo e, em Seu poder, procurar aperfeiçoar todos os órgãos para um trabalho perfeito.

Isso se aplica especialmente aos que são chamados para o ministério público. Todo pregador e todo instrutor deve lembrar que está dando ao povo uma mensagem que contém interesses eternos. A verdade anunciada vai julgá-lo no dia do grande ajuste final. E, para alguns, a maneira de alguém apresentar a mensagem determinará sua aceitação ou rejeição. Que a verdade seja falada de modo que apele ao entendimento e impressione o coração. Que ela seja pronunciada compassada, distinta e solenemente, mas com toda a sinceridade que sua importância requer.

O desenvolvimento e uso convenientes do dom da palavra se relacionam com todos os ramos da obra cristã; aprofundam-se na vida familiar e em todo intercâmbio mútuo. Devemos nos acostumar a falar em tom agradável, usando linguagem pura e correta, com palavras amáveis e corteses. Palavras suaves e bondosas são para o espírito como o orvalho e a chuva branda. A Bíblia diz de Cristo, que havia em Seus lábios uma graça tal que sabia “dizer, a seu tempo, uma boa palavra ao que está cansado” (Is 50:4, ARC) (Parábolas de Jesus, p. 335, 336).

PARA REFLETIR: Como Deus usa sua voz para oferecer esperança e cura aos outros? Você tem consagrado o dom da linguagem a Deus?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

29/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-exemplo-perfeito/


Instituição do Santuário - Êxodo 25

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 25

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 25 – A adoração consiste na aproximação do ser humano a Deus, e, da aproximação de Deus ao ser humano. Deus executa o que for necessário para que tal aproximação aconteça. Através da instituição do Santuário e suas mobílias, Deus apresenta o caminho para reconciliação do pecador com Ele!

Uma curiosidade interessante é que “os primeiros dois capítulos de Êxodo... abrangem cerca de 80 anos, e o restante do livro, apenas um ano, aproximadamente”, informa o Comentário Bíblico Adventista. Isso nos mostra a importância que Deus dá ao estabelecimento do tabernáculo.

A instituição do Santuário era alvo de Deus para o povo, revelando Seu interesse de habitar entre ele. Diante desse especial projeto divino, “grandes e dispendiosos preparativos eram necessários; grande quantidade de materiais mais preciosos e caros era exigida; todavia o Senhor apenas aceitava ofertas voluntárias... A devoção a Deus e o espírito de sacrifício eram os primeiros requisitos ao preparar-se uma morada para o Altíssimo”, afirma Ellen White (PP, p. 343).

A cópia do imóvel a ser arquitetonicamente construído vinha do modelo do Santuário existente no Céu (Êxodo 25:8, 40; Hebreus 8:1-2); no qual, reside toda a história da redenção da humanidade caída em pecado. Possuindo relevância indescritível, faltam palavras para enfatizar o privilégio de entender a mensagem de Deus através do santuário:

• Para Tiago White, o santuário é “onde se centralizam todas as grandes colunas da verdade presente”; “o grande centro ao redor do qual se agrupa toda verdade revelada relativa à salvação”. 

• Para F. R. Cottrell, o santuário é “o grande centro do sistema cristão”, e “o centro e a cidadela da verdade presente”.

• Para Urias Smith, o santuário é “o grande núcleo ao redor do qual se agrupam as gloriosas constelações da verdade presente”.

Ou seja, quem se dedica a estudar a doutrina do santuário fica deslumbrado com sua importância e relevância. Todo esse sistema apontava para Cristo, o Deus que habitou entre nós (João 1:14), e voltará para levar-nos para estar com Ele no Céu (João 14:1-3). Depois, purificará a Terra, para habitar nela para sempre com Seu povo (Apocalipse 21:3).

Reflita: Deus faz de tudo para habitar conosco; e nós, estamos dispostos a tudo para habitar com Ele? Nossos investimentos nas coisas espirituais revelam nossa resposta!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 28 de março de 2022

O EXALTADO

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

28/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-exaltado/

O EXALTADO

Se alguém quer ser o primeiro, será o último e servo de todos. Marcos 9:35

Havia nessas palavras uma solenidade e força que os discípulos estavam longe de compreender. Aquilo que Cristo percebia, eles não conseguiam ver. Não compreendiam a natureza de Seu reino, e essa ignorância era a aparente causa de sua contenda. Porém o motivo real era mais profundo. Explicando a natureza de Seu reino, Cristo acalmaria temporariamente a discussão. Mas isso não resolveria a causa principal. Mesmo depois de terem recebido o mais pleno conhecimento, qualquer questão sobre quem era mais importante traria a disputa à tona de novo. Assim sobreviria ruína à igreja de Cristo depois de Sua partida.

A luta pelo lugar mais elevado era a manifestação da mesma atitude que tinha dado origem ao grande conflito nos mundos superiores e havia trazido Cristo do Céu para morrer. Diante Dele surgiu a imagem de Lúcifer, o “filho da alva”, maior em glória do que todos os anjos que rodeavam o trono e profundamente ligado ao Filho de Deus. Lúcifer disse: “Serei semelhante ao Altíssimo” (Is 14:14); e o desejo de exaltação própria tinha trazido conflito às cortes celestiais, fazendo com que uma multidão dos anjos de Deus fosse expulsa.

Se Lúcifer realmente tivesse desejado ser semelhante ao Altíssimo, nunca teria perdido o lugar que lhe havia sido designado no Céu, pois o caráter do Altíssimo é mostrado em serviço abnegado. Lúcifer desejava o poder de Deus, mas não Seu caráter. Buscava para si mesmo o lugar mais alto, e toda criatura que é movida por seu espírito fará o mesmo. Assim, a separação, a discórdia e a contenda serão inevitáveis. O domínio se torna a recompensa do mais forte. O reino de Satanás é um reino de força; cada pessoa considera todas as outras como obstáculos no caminho de seu progresso, ou um degrau sobre o qual pode subir para chegar a uma posição mais elevada.

Enquanto Lúcifer alimentava a ideia de ser igual a Deus, Cristo, o Exaltado, “Se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-Se semelhante aos seres humanos. E, reconhecido em figura humana, Ele Se humilhou, tornando-Se obediente até a morte, e morte de cruz” (Fp 2:7, 8) (O Desejado de Todas as Nações, p. 347, 348 [435, 436]).

PARA REFLETIR: Você busca uma posição por desejo de servir ou por orgulho? Como você pode ter certeza de que seus motivos são puros quando almeja o lugar mais elevado?

Função da lei - Êxodo 24

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 24

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 24 – A função da lei é servir como espelho que mostra nossas fraquezas, falhas e imoralidades; sem os Dez Mandamentos, não saberíamos o quê de fato é pecado (Romanos 7:7-8). Sem a lei não teríamos nenhum diagnóstico exato de nossa situação de condenados, carentes de um Salvador à altura para libertar-nos.

Além de revelar o pecado e apontar a necessidade de um Salvador para nos absolver da condenação (Romanos 4:15; 5:13; 7:24-25; Gl 3:21-24), a lei também preza pela limitação da atuação do pecado, ao condená-lo (1 Timóteo 1:8-11); e, ainda serve de guia no processo de santificação (Romanos 8:1-8).

Em Êxodo 20, o divino Legislador proferiu audivelmente Seus Mandamentos. O povo, porém, atemorizado, suplicou que Moisés falasse, não Deus – para não morrerem (Êxodo 20:19). Por conseguinte, “Moisés, Arão, Nadabe, Abiú e setenta autoridades de Israel subiram e viram o Deus de Israel, sob cujos pés havia algo semelhante a um pavimento de safira, como o céu em seu esplendor. Deus, porém, não estendeu a mão para punir esses líderes do povo de Israel; eles viram a Deus, e depois comeram e beberam” (Êxodo 24:9-11).

Após determinado lugar, apenas Moisés foi convidado a avançar. “No sétimo dia o Senhor chamou Moisés do interior da nuvem. Aos olhos dos israelitas, a glória do Senhor parecia um fogo consumidor no topo do monte” (Êxodo 24:16-17). Todo esse esplendor durou 47 dias – tempo em que Moisés esteve na presença de Deus (Êxodo 24:15-18).

Como pecaminosidade impede à proximidade de Deus, todos precisaram consagrar-se e ser purificado para contemplarem a cena extraordinária, e então adorarem à distância (Êxodo 24:1-8). Desta forma, um povo pecador “foi separado e selado para Deus. Um sacrifício foi oferecido ao Senhor. Uma parte do sangue do sacrifício foi aspergida sobre o altar. Isso significava que o povo tinha se consagrado – em corpo, alma e espírito – a Deus. Uma porção foi aspergida sobre o povo. Isso significava que, por meio do sangue de Cristo, Deus os aceitava graciosamente como Seu tesouro especial” (Ellen White).

Em Cristo, pecadores tornam-se tesouros particular de Deus, tratados com paternal compaixão (Malaquias 3:17). Assim, o Santo Legislador oferece indescritível graça aos pecadores. Precisamos responder com compromisso sério a esse Deus que tanto nos ama (Apocalipse 1:4-5).

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 27 de março de 2022

O SALVADOR QUE VIVE ETERNAMENTE

  O SALVADOR QUE VIVE ETERNAMENTE

Pois vive sempre para interceder por eles. Hebreus 7:25, NVI

Cristo disse: “Vocês serão Minhas testemunhas.” É preciso se apegar à Palavra da vida, deixar sua luz brilhar perante os seres humanos para que, vendo suas boas obras, eles glorifiquem ao Pai que está no Céu. A confissão da igreja, a declaração das evidências da verdade, do amor, da fidelidade e do poder de Deus são agentes escolhidos pelo Céu para revelar o amor perdoador de Cristo ao mundo. Os testemunhos do povo do Senhor, quando impressionados por Seu Espírito, convencem homens e mulheres do pecado de negligenciar tamanha salvação. Embora as pessoas convertidas a Deus reconheçam Seu poder por intermédio dos patriarcas e profetas, elas têm um testemunho mais interessante a dar, relativo aos milagres da graça de Cristo, o Salvador que vive eternamente, em sua experiência presente e pessoal. O precioso reconhecimento da bondade, paciência e do amor de Deus, quando acompanhado por uma vida coerente, carrega consigo um poder irresistível que resulta na salvação de pessoas. O apóstolo disse: “Vocês, porém, são geração eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamar as virtudes Daquele que os chamou das trevas para a Sua maravilhosa luz” (1Pe 2:9).

Cada verdade importante aceita no coração deve encontrar expressão correspondente na vida. À medida que recebem o amor de Cristo, homens e mulheres sentem o desejo de proclamar Seu poder aos outros. E o próprio ato de proclamação aprofunda e intensifica seu valor dentro da alma. Quem está cheio do amor de Cristo também sente avidez por compartilhar o consolo, a esperança e a paz que invade o seu coração. Sentem-se como Paulo, quando afirmou: “A mim, o menor de todos os santos, foi dada esta graça de pregar aos gentios o evangelho das insondáveis riquezas de Cristo e manifestar a todos qual é a dispensação do mistério que, durante tempos passados, esteve oculto em Deus, que criou todas as coisas. E isso para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus se torne conhecida dos principados e das potestades nas regiões celestiais, segundo o eterno propósito que Deus estabeleceu em Cristo Jesus, nosso Senhor” (Ef 3:8-11) (Review and Herald, 19 de fevereiro de 1889).

PARA REFLETIR: O desejo de proclamar o amor de Cristo se manifesta na proporção do recebimento desse amor. Qual foi a última vez que você falou sobre o amor de Jesus a alguém?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

27/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-salvador-que-vive-eternamente/

Promessas e Advertências - Êxodo 23 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 23

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 23 – Tanto a lei escrita por Deus em tábuas de pedra (Êxodo 24:12) quanto as que Moisés escreveu no Livro da Aliança (Êxodo 24:4, 7), são de autoria divina. Deus intentava implantar a cultura do bem num mundo tomado pelo mal. Portanto, a lei moral, civil e cerimonial não sugiram da influência de literaturas e legisladores pagãos. Provêm da maravilhosa graça de Deus.

Essas leis, também não surgiram com Moisés intentando reinar ou impor sua formação cultural a um povo desnorteado; elas surgiram do coração amoroso e misericordioso do Rei do Universo, o Rei dos reis. Assim, as leis bíblicas não são cópias ou réplicas ou adaptações de leis inventadas por humanos, mas o Deus Soberano agia para impedir a desgraça total objetivada pelas “forças espirituais do mal nas regiões celestes” que atiram “as setas inflamadas do Maligno” sobre a humanidade (Efésios 6:12, 16).

Em Êxodo 23, o Legislador Celestial apresenta princípios que devem reger a vida de seus súditos na Terra. Como Seu reino é de amor, Ele deseja aplicar práticas inibidoras na cultura secular desprovida desse amor. As leis acerca da justiça e da misericórdia, do dia e ano sabáticos, e as três grandes festas anuais, oferecem princípios do reino celestial aos cidadãos que estão no mundo tomado pelo príncipe das trevas (1 João 5:19; Efésios 2:2; João 12:31).

Nas orientações de Êxodo 23, Deus preza pelos animais, cuida deles e espera que Seus súditos também o façam. Ele também preza pela justiça; portanto, condena o suborno, a propina, a calúnia, a exploração e a opressão. Além disso, Deus tem interesse no descanso da terra, dos animais e dos seres humanos; assim, estrategicamente opera para que eliminemos a ganância (avareza). 

O mais importante da vida é a companhia do Deus onipotente; Ele deseja o melhor para Seu povo obediente, que almeja impactar positivamente a sociedade (Êxodo 23:20-33).

As leis do descanso e das festas revelam que Deus não nos quer escravizados pelo trabalho. A raça humana não foi criada para ser máquina de ganhar dinheiro; Deus nos fez para desfrutar a existência: Embora o trabalho foi instituído no Éden, o primeiro dia inteiro de Adão e Eva foi de descanso e celebração (Gênesis 2:1-3).

Portanto, desfrutemos a vida com Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 26 de março de 2022

O CHEFE DOS MISSIONÁRIOS

 O CHEFE DOS MISSIONÁRIOS

Porque o Filho do Homem veio buscar e salvar o perdido. Lucas 19:10

Que cada cristão sincero com algum tipo de vínculo com as nossas escolas decida ser um servo fiel na causa de Cristo e ajude cada estudante a ser leal, puro e santo na vida. Que todo aquele que ama a Deus busque conquistar quem ainda não professa o nome de Cristo. Todos os dias é possível exercer uma influência silenciosa, envolta por oração, e cooperar com Jesus Cristo, o Chefe dos missionários do nosso mundo. Que cada um – homem, mulher ou jovem – cresça em excelência de caráter e devoção, em pureza e santidade, vivendo com os olhos fixos na glória de Deus, a fim de que os inimigos de nossa fé não triunfem. Que haja tamanho apego aos elos da nossa santa fé, que a nossa influência unida esteja plenamente ao lado do Senhor e opere a transformação daqueles a quem nos associarmos. Que fique clara a sua conexão viva com Deus, seu anseio em prol da glória do Mestre e sua busca em cultivar em si mesmo cada graça do caráter mediante a qual é possível honrar Aquele que lhe deu a vida. Que o amor de Cristo exerça um poder irresistível a fim de atrair outros para o caminho construído para os remidos do Senhor andarem. Quando os estudantes em nossas escolas aprenderem a gostar da vontade de Deus, acharão relativamente fácil cumpri-la.

Se os alunos identificarem defeitos de caráter em outros, sejam gratos porque discerniram esses defeitos. Assim, podem vigiar para que não os manifestem. Sem dúvida, você encontrará pessoas que não estão aprendendo a mansidão e a humildade de Cristo, mas amam a ostentação, são vaidosas, frívolas e mundanas. Nesse caso, o único remédio é contemplar Jesus. O estudo do Seu caráter levará essas pessoas a desprezar tudo aquilo que é vão, frívolo, fraco e mau. O caráter de Cristo revela plena tolerância, paciência, bondade, misericórdia e amor incomparável. Ao contemplar esse caráter, a pessoa se ergue da pequenez na qual foi moldada e a torna profana e desagradável. Dirá: “Não me tenho assentado com gente falsa e com os hipócritas não me associo” (Sl 26:4). Perceberá que “quem anda com os sábios será sábio, mas o companheiro dos tolos acabará mal” (Pv 13:20) (Review and Herald, 16 de janeiro de 1894).

PARA REFLETIR: O que significa para você ter “anseio em prol da glória do Mestre”?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

26/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-chefe-dos-missionarios/

Êxodo 22 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 22

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 22 – Deus preza pela vida, justiça e misericórdia e anseia que aqueles que O têm como Deus também apreciem a vida, a justiça e a misericórdia.

A ética bíblica está baseada no princípio do amor. O amor sem a prática não passa de mera teoria. A justiça sem amor não passa de atitudes frias e intolerância implacável. Assim, nas leis específicas apresentadas por Deus ao Seu povo, “nota-se que algumas são severas e outras brandas, ilustrando outra vez a justiça e a misericórdia de Deus (ver Sl 85:10; 89:14). Deus é tanto misericordioso para com o fiel fraco e desvalido quanto é severo com o pecador ousado e obstinado”, analisa o Comentário Bíblico Adventista.

O amor deve estar presente no seio do povo de Deus. Submeter-se a Deus implica importar-se com a vida alheia. Vários tópicos desse capítulo são vistos neste texto de Ellen White: 

“O amor ao dinheiro e o amor da ostentação têm transformado este mundo num covil de ladrões e salteadores. As Escrituras pintam a ganância e opressão que prevalecerão precisamente antes da segunda vinda de Cristo... Os costumes do mundo não são normas para o cristão. Ele não deve imitar suas práticas sutis, suas astúcias, suas extorsões. Todo ato injusto para com o próximo é uma violação da regra áurea... Toda tentativa de tirar vantagem da ignorância, fraqueza ou infortúnio de outrem, é registrada como fraude no livro-razão do Céu. Aquele que sinceramente teme a Deus, preferiria antes labutar dia e noite e comer o pão da pobreza, a condescender com a paixão do ganho que oprima a viúva e o órfão, ou prive o estrangeiro de seu direito. O mais leve afastamento da retidão derriba as barreiras, e prepara o coração para injustiça maior. É precisamente quando um homem chega ao ponto de tirar vantagem para si da desvantagem de outrem, que sua alma se tornará insensível à influência do Espírito de Deus. O engano obtido a tal preço é uma terrível perda” (PR, 651-652).

Injustiça e imoralidade, espiritualidade falsa e feitiçaria, depravação sexual e exploração social, devem ser eliminados do povo de Deus antes que esses pecados eliminem a verdadeira religião de nossa sociedade.

Então, nosso objetivo é avançar ousadamente na contramão da sociedade em decomposição. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 25 de março de 2022

O IRMÃO MAIS VELHO

 O IRMÃO MAIS VELHO

Tomem sobre vocês o Meu jugo e aprendam de Mim, porque Sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso para a sua alma. Porque o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve. Mateus 11:29, 30

Nessas palavras, Cristo fala a todos os seres humanos. Saibam eles ou não, todos estão cansados e oprimidos. Todos estão curvados ao peso de fardos que só Cristo pode remover. O fardo mais pesado que levamos é o pecado. Se fôssemos deixados a suportar esse peso, ele nos esmagaria. Mas o Inocente tomou nosso lugar. “O Senhor fez cair sobre Ele a iniquidade de todos nós” (Is 53:6). Ele carregou o peso de nossa culpa. Ele tomará o fardo de nossos ombros cansados e nos dará descanso. Também tomará sobre Si o peso da preocupação e da dor. Jesus nos convida a lançar sobre Ele toda nossa ansiedade, pois nos leva no coração.

O Irmão mais velho de nossa família está ao lado do trono eterno. Olha a todo o que se volta para Ele como Salvador. Conhece por experiência as fraquezas da humanidade, nossas necessidades e onde está a força de nossas tentações; pois foi tentado em todos os pontos, como nós e, no entanto, sem pecado.

Ele cuida de você, trêmulo filho de Deus. Você está sendo tentado? Ele o livrará. Está fraco? Ele o fortalecerá. Existe algo que você não conhece? Ele o esclarecerá. Está ferido? Ele vai curá-lo. O Senhor “determina o número de estrelas”; contudo, “Ele cura os de coração quebrantado e cuida das suas feridas” (Sl 147:4, 3, NVI). “Venham a Mim” (Mt 11:28), esse é Seu convite. Sejam quais forem suas ansiedades e provações, apresente o caso ao Senhor. Você será fortalecido para resistir. O caminho se abrirá para você se livrar de todo empecilho e dificuldade. Quanto mais fraco e impotente você se reconhecer, mais forte se tornará na força de Cristo. Quanto mais pesados forem seus fardos, mais abençoado será o alívio ao lançá-los sobre Aquele que carrega nossas aflições. O descanso que Jesus oferece depende de condições plenamente especificadas, requisitos que todos podem cumprir. Ele nos diz como podemos obter Seu descanso.

“Tomem sobre vocês o Meu jugo” (v. 29), diz Jesus. O jugo é um instrumento de trabalho. O gado é posto sob o jugo para trabalhar, e essa peça é essencial para que o serviço seja eficiente. Com essa ilustração, Cristo nos ensina que somos chamados ao serviço enquanto a vida durar. Temos de tomar sobre nós Seu jugo, a fim de sermos Seus colaboradores (O Desejado de Todas as Nações, p. 257, 258 [328, 329]).

PARA REFLETIR: Que fardo você precisa depor para tomar o jugo de serviço de Cristo?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-irmao-mais-velho/

Êxodo 21 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

 

Leitura Bíblica - Êxodo 21

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 21 – O amor ao próximo imbuído nos Dez Mandamentos é especificado na prática do dia a dia israelita, oferecendo importantes ensinamentos a nós que vivemos no século 21. Deus espera que Seu povo experimente o bem-estar físico e espiritual, criando assim sociedade amorosa e justa! A intenção divina é bloquear o poder do mal!

Embora Israel houvesse saído do Egito, o Egito ainda não havia saído deles (Êxodo 16:1-3). Então, desejando moldar o caráter de Seu povo recém-liberto, Deus apresentou orientações a partir da compreensão deles, visando elevá-los ao nível que Ele pretendia.

O amor, a bondade, a misericórdia e a graça que Deus oferecera queria vê-los na vida prática de Seu povo especial. Deus não os queria arrogantes e orgulhosos, mas humildes e sensíveis às necessidades alheias. Por isso, orientou a respeito dos trabalhadores, do homicídio, do roubo, dos pais, da violência, dos animais e dos acidentes, em Êxodo 21.

Visando elevar os israelitas degradados pela escravidão, Deus os alcançou como pedras brutas precisando ser lapidadas gradativamente. Considere a seguinte explicação do Comentário Bíblico Adventista: 

“Pode parecer estranho ao conceito do caráter de Deus que Ele aprovasse, ao menos de modo implícito, práticas como a servidão, o concubinato e formas aparentemente duras de castigo. No entanto, deve-se recordar que, ao tirar o povo hebreu da terra do Egito, Deus o tirou como estava, com o propósito de transformá-lo de forma gradual no que Ele queria que fosse – digno representante de Si mesmo... Deus toma a pessoa como ela está e, por meio da revelação cada vez mais clara de Sua vontade, Ele a conduz sempre a ideais mais elevados. Assim, aconteceu no caso de algumas das leis civis dadas no Sinai. Deus permitiu por certo tempo que alguns costumes permanecessem, mas erigiu salvaguarda contra o abuso dos mesmos. O abandono definitivo dos costumes aconteceu mais tarde. Esse princípio de uma revelação divina cada vez mais clara e mais completa da vontade de Deus foi declarado por Cristo (Mt 19:7-9; Jo 15:22; 16:13; At 17:30; 1Tm 1:13)”.

Mais difícil que lapidar pedra bruta é moldar caráter deturpado pelo pecado; contudo, Deus não foge de tal desafio. Ele quer moldar-nos e transformar-nos, e assim tornar-nos mais humanos – bondosos, amorosos, misericordiosos e justos. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 24 de março de 2022

O MESTRE ENVIADO POR DEUS

 O MESTRE ENVIADO POR DEUS

Vocês Me chamam de Mestre e de Senhor e fazem bem, porque Eu o sou. João 13:13

No Mestre enviado por Deus, o Céu deu aos seres humanos o que possuía de melhor e maior. Aquele que havia tomado parte nos conselhos do Altíssimo e habitado no íntimo do santuário do Eterno foi o escolhido para, em pessoa, revelar à humanidade o conhecimento de Deus.

Todo raio de luz divina que já atingiu nosso mundo decaído foi transmitido por intermédio de Cristo. É Ele que tem falado por meio de todos os que, em todos os tempos, têm declarado a Palavra de Deus à humanidade. Toda a excelência manifestada nos maiores e mais nobres da Terra é reflexo Dele. A pureza e beneficência de José; a fé, mansidão e longanimidade de Moisés; a firmeza de Elias; a nobre integridade e firmeza de Daniel; o fervor e abnegação de Paulo; o poder mental e espiritual manifesto em todas essas pessoas e em todas as outras que viveram na Terra foram apenas centelhas vindas do resplendor de Sua glória. Nele estava o perfeito ideal.

Cristo veio ao mundo a fim de revelar esse ideal como o único verdadeiro modelo a ser seguido e mostrar o que todo ser humano poderia se tornar. O que, mediante a habitação da divindade na humanidade, se tornariam todos os que O recebessem. Veio para mostrar como homens e mulheres devem ser ensinados conforme convém a filhos de Deus; como devem praticar na Terra os princípios do Céu e viver a vida celestial.

O maior dom de Deus foi concedido a fim de satisfazer a maior necessidade do ser humano. A luz apareceu quando as trevas do mundo eram mais intensas. Por meio de falsos ensinos, a mente das pessoas havia estado por muito tempo afastada de Deus. No sistema de educação que então prevalecia, a filosofia humana havia tomado o lugar da revelação divina. Em vez do padrão de verdade oferecido pelo Céu, as pessoas haviam aceitado outro, de sua própria invenção. Tinham-se desviado da Luz da vida para caminhar nas fagulhas que elas mesmas haviam acendido (Educação, p. 50, 51 [73, 74]).

PARA REFLETIR: “Toda a excelência manifestada nos maiores e mais nobres da Terra é reflexo Dele.” Se os homens e as mulheres mais nobres não passam de reflexos de Jesus, que passo concreto você pode dar hoje para refletir melhor a Cristo?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-mestre-enviado-por-deus/


A lei de Deus - Êxodo 20

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 20

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 20 – A lei de Deus existe por causa de Sua infinita graça; é fruto da maravilhosa graça celestial. “A lei é, desde sua origem”, atesta R. Alan Cole “firmemente assentada num contexto de graça”. Sem essa graça, a lei não teria razão para existir, já que não teria nenhuma utilidade que nos beneficiasse. 

A lei não era requisito para a intervenção miraculosa de libertação de Deus; pois, antes de concedê-la, Ele já havia humilhado o Egito e transportado Israel sobre asas de águia e o trouxe para junto de Si (Êxodo 19:4). “Deus já havia restaurado Israel à justa relação com Ele, mediante a graça”; e agora, em Êxodo 20,“desejava dar-lhe algo que o ajudasse a continuar sendo Seu povo e a ter uma relação íntima com Ele”, destaca Paul Hoff.

Sem a graça, a lei seria desgraça, não bênção. De suma importância para a obediência do povo é a libertação graciosa provida por Deus. A graça sempre permeia a religião orientada por Deus. “A obediência aos mandamentos se baseia na experiência de libertação efetuada por Deus, em Sua graça, a qual os primeiros 19 capítulos de Êxodo explicam”, afirma a Bíblia de estudo Andrews.

Em Êxodo 20:1 nota-se que antes de proclamar Sua sagrada lei, Deus Se expressa poderosamente, e também graciosamente, perante Seu povo. O prefácio de Deus colocado antes de expor Sua lei expõe primeiramente Sua graça: “Eu Sou o Senhor, o teu Deus, que te tirou do Egito, da terra da escravidão”.

Na sequência, Deus anuncia “as dez palavras” (Deuteronômio 4:13), as quais Ellen G. White chama de “dez preceitos breves, compreensivos, dotados de autoridade, [que] abrangem os deveres do homem para com Deus e seus semelhantes; e todos baseados no grande princípio do amor” (PP, p. 305).

Assim entendemos o que Paulo queria ensinar ao escrever que não devamos nada a ninguém, exceto o amor, “pois aquele que ama seu próximo tem cumprido a Lei”; e, também, quando conclui que “o amor é o cumprimento da Lei” (Romanos 13:8, 10).

Nunca devemos usar incorretamente a lei (1 Timóteo 1:8). Sua função é conduzir-nos a Jesus (Romanos 10:4), ilustrado nos sacrifícios em Êxodo 20:22-26.

Assim, é primordial considerar o prefácio e o posfácio da lei para saber utilizá-la corretamente! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 23 de março de 2022

O OBREIRO DIVINO

 O OBREIRO DIVINO

É necessário que façamos as obras Daquele que Me enviou enquanto é dia. João 9:4

Deus tem um propósito ao enviar dificuldades aos Seus filhos. Ele nunca os dirige de forma diferente daquela que eles mesmos escolheriam, se pudessem ver o fim desde o princípio e discernir a glória do propósito que estão cumprindo. Tudo o que o Senhor traz sobre eles na forma de provação e infortúnio vem para que sejam fortes, a fim de agirem e sofrerem por Ele. Enquanto clamam a Deus por ajuda, Ele responde: “Aqui estou.”

Os cristãos são as joias de Jesus. Devem brilhar intensamente por Ele, irradiando a luz da Sua amabilidade. Seu brilho depende do polimento que recebem. Podem ser polidas ou permanecer rústicas. Mas todo aquele considerado digno de um lugar no templo do Senhor precisa se submeter ao processo de polimento. Sem o polimento feito por Deus, não conseguem refletir mais luz do que um pedregulho comum.

Cristo diz aos homens e mulheres: “Você é Meu. Eu o comprei. Agora é apenas uma pedra bruta, mas, se você se colocar em Minhas mãos, Eu o polirei, e o brilho que emanará trará honra ao Meu nome. Ninguém tirará você de Minhas mãos. Eu farei de você Meu tesouro particular. No dia da Minha coroação, você será uma pedra preciosa em Minha coroa de alegria.”

O Obreiro divino dedica pouco tempo a materiais sem valor. Somente as joias preciosas são polidas à semelhança de um palácio, tirando todas as asperezas. Esse processo é severo e árduo. Fere o orgulho humano. Cristo faz um corte profundo na experiência que os seres humanos, em sua autossuficiência, já haviam considerado completa e tira a exaltação pessoal do caráter. Lança fora a superfície extra, coloca a pedra na máquina polidora e a pressiona bem, para que todas as partes ásperas sejam eliminadas. Então, segurando a joia rumo à luz, o Mestre vê nela um reflexo de Si e a declara digna de um lugar em Seu porta-joias.

“Naquele dia, diz o Senhor dos Exércitos, tomarei você […] e farei de você um anel de selar, porque Eu o escolhi” (Ag 2:23). Bendita seja a experiência, por mais desafiadora, que confere novo valor à pedra e a faz brilhar com resplendor vivo (Review and Herald, 19 de dezembro de 1907).

PARA REFLETIR: Quais aspectos da sua vida Jesus está polindo? Como lidar com a dor que está sentindo enquanto Ele remove algumas arestas?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

23/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-obreiro-divino/

Monte Sinai - Êxodo 19

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 19

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 19 – Assim que o pecado passou à raça humana, aproximar-se de Deus tornou-se impossível. Contudo, o Deus que ama Suas criaturas, não Se conformou em tê-las distantes de Si; então, criou estratégias para aproximar-Se – tornando possível o que era impossível!

Desde o início do livro de Êxodo, tudo visava o encontro de Deus com Israel – cujo contexto de existência como nação está descrita em Gênesis. O propósito de Deus é estar com pecadores; para isso, Ele Se manifesta, Se revela e fala. Ao encontrar-Se com Moisés, uma das Suas promessas era que Israel O serviria no monte Sinai (Êxodo 3:12), cujo cumprimento encontra-se em Êxodo 19.

Assim como Deus apresentou-Se no deserto a Moisés em chamas de fogo na sarça (Êxodo 3:2), assim também “aos olhos dos israelitas, a glória do Senhor parecia um fogo consumidor no topo do monte” Sinai (Êxodo 24:17). Deus manifestou-Se mesmo diante da possibilidade causar mortes; porém, para que ninguém morresse, Ele ofereceu importantes orientações (Êxodo 19:10-14, 20-25). 

O povo devia consagrar-se, e ser consagrado conforme Deus orientou. Foram dois dias de intensa e inteira preparação para encontrar-Se com Deus. “Ao amanhecer do terceiro dia houve trovões e raios, uma densa nuvem cobriu o monte, e uma trombeta ressoou fortemente... Moisés levou o povo [que estava temeroso] para fora do acampamento, para encontrar-se com Deus, e eles ficaram ao pé do monte. O monte Sinai estava coberto de fumaça, pois o Senhor tinha descido sobre ele em chamas de fogo. Dele subia fumaça como que de uma fornalha; todo o monte tremia violentamente... Então Moisés falou, e a voz de Deus lhe respondeu” perante o povo (Êxodo 19:16-19).

Que encontro fantástico! Além de oferecer o privilégio de Sua presença aos pecadores indignos, Deus faria daqueles ex-escravos Seu tesouro pessoal entre as nações, reino de sacerdotes e nação santa – caso fossem fieis à aliança proposta (Êxodo 19:3-6).

Mais impressionantemente do que foi no Sinai, é Jesus tornou-Se humano, e “nos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz”; a nós que antes, nem éramos povo, misericordiosamente Deus nos fez ser exclusivos dEle, geração eleita, sacerdócio real, nação santa, para testemunhar de Suas maravilhosas ações às multidões (1 Pedro 2:9-10).

Nada disso seria possível sem a maravilhosa graça divina! Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

terça-feira, 22 de março de 2022

O REI EM JUSTIÇA

 O REI EM JUSTIÇA

Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro. E este será o nome pelo qual será chamado: “Senhor, Justiça Nossa.” Jeremias 23:6

As extraordinárias descrições dadas a Isaías sobre a glória do Redentor eram dia e noite estudadas por ele [João Batista]. O Renovo do tronco de Jessé; um Rei que governaria “com justiça”, julgando “com equidade a favor dos mansos da Terra” (Is 11:4); um “refúgio contra a tempestade, […] sombra de uma grande rocha em terra sedenta” (Is 32:2); a nação de Israel não mais sendo chamada “Abandonada”, nem sua terra, “Arrasada”, mas chamada pelo Senhor “Minha Delícia”, e sua terra, “Casada” (Is 62:4). O coração do solitário exilado se enchia dessa gloriosa visão.

Ele admirou o Rei em Sua beleza, e o próprio eu foi esquecido. Via a majestade da santidade e sentia-se incapaz e indigno. Estava disposto a ir como mensageiro do Céu sem ter medo do ser humano, pois tinha contemplado Aquele que é divino. Podia ficar em pé e sem medo na presença de monarcas terrestres, porque se ajoelhara diante do Rei dos reis.

João não compreendia plenamente como seria o reino do Messias. Esperava que Israel fosse liberto de seus inimigos nacionais; mas a vinda de um Rei em justiça e o estabelecimento de Israel como nação santa era o grande alvo de sua esperança. Dessa forma, acreditava que se cumpriria a profecia dada em seu nascimento. “Para […] lembrar-Se da Sua santa aliança e […] de conceder-nos que, livres das mãos de inimigos, [nós] O adorássemos sem temor, em santidade e justiça diante Dele, todos os nossos dias” (Lc 1:72-75).

Via seu povo enganado, satisfeito consigo mesmo e adormecido em pecados. Desejava despertá-los para uma vida mais santa. A mensagem que Deus lhe dera tinha como objetivo acordá-los da letargia e fazê-los tremer por sua grande iniquidade. Antes que a semente do evangelho pudesse ser recebida, o solo do coração deveria ser remexido. Antes que pudessem buscar cura em Jesus, precisavam ser despertados para o risco que corriam pelas feridas do pecado (O Desejado de Todas as Nações, p. 71, 72 [103, 104]).

PARA REFLETIR: De que maneira olhar para Jesus muda a sua forma de enxergar as pessoas ao redor? Como muda o seu desejo de servir a Cristo?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

22/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-rei-em-justica/

Jetro - Êxodo 18

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 18

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 18 – Ser representante de Deus em meio a pessoas indispostas a viver para Deus é uma das desafiadoras atividades que alguém tem neste mundo corrompido pela malignidade do pecado.

Moisés estava exausto de tanto trabalhar em prol de um povo ingrato, rebelde e murmurador. Haja paciência para aturar tantos murmuradores por tanto tempo – ainda sem o aconchego e apoio da família, desde que fora ao Egito libertar o povo. 

Neste capítulo, Jetro revela-se um excelente sogro. Ele levou sua filha para juntar-se ao marido no deserto. E também seus netos. Gérson e Eliezer eram os dois filhos de Moisés com Zípora. Ele os tivera quando era fugitivo de um assassinato no Egito, pastoreando as ovelhas de seu sogro no deserto de Midiã, antes da experiência da sarça ardente no monte Sinai (Atos 7:20-29).

Jetro, que era sacerdote em Midiã, ouviu o testemunho do que Deus havia feito a Israel e sua fé amadureceu a tal ponto de declarar: “Agora sei que o Senhor é maior do que todos os outros deuses, pois Ele os superou exatamente naquilo de que se vangloriavam” (Êxodo 18:11). Após tal declaração de fé, demonstrou seu compromisso, adorando ao Deus verdadeiro. O relato inspirado descreve: “Então Jetro, sogro de Moisés, ofereceu um holocausto e sacrifícios a Deus, e Arão veio com todas as autoridades de Israel para comerem com o sogro de Moisés na presença de Deus” (Êxodo 18:12).

O Comentário Bíblico Adventista destaca que, “cada traço da conduta de Jetro prova que ele era um homem religioso e cria no Deus verdadeiro. Uma prova notável disso foi o seu ato de gratidão ao Senhor, o Deus de Israel”.

A família da esposa de Moisés era midianita (Êxodo 3:1; Números 10:29), descendente de Midiã, filho de Abraão com Quetura (Gênesis 25:1-2, 6), de onde ouviu sobre o Deus verdadeiro.

Há pessoas sinceras que servem a Deus na grande Babilônia da confusão religiosa; há uma igreja visível contendo “membros invisíveis”. Tais pessoas devem ouvir mais informações do Deus verdadeiro, e então convidar outras pessoas a saírem de um emaranhado religioso falso para servirem piedosamente ao Deus vivo (Apocalipse 18:3-4).

Devemos anunciar ousadamente “as grandezas dAquele que os chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2:9). Vamos testemunhar? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 21 de março de 2022

O MÉDICO DA ALMA

 O MÉDICO DA ALMA

Jesus, vendo a fé que eles tinham, disse ao paralítico: “Coragem, filho; os seus pecados estão perdoados.” Mateus 9:2

Existem hoje milhares de vítimas de sofrimentos físicos, as quais, como o paralítico, estão ansiosas pela mensagem: “Os seus pecados estão perdoados” (Mc 2:5). O fardo do pecado, com sua inquietação e seus desejos insatisfeitos, é o fundamento de suas doenças. Não conseguem encontrar alívio, enquanto não vão até o Médico da alma. A paz que só Ele pode dar transmite vigor à mente e saúde ao corpo.

Jesus veio para “destruir as obras do diabo” (1Jo 3:8). “A vida estava Nele” (Jo 1:4), e Ele diz: “Eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância” (Jo 10:10). Jesus “é espírito vivificante” (1Co 15:45). E possui ainda o mesmo poder vitalizante que tinha quando na Terra curava o doente e assegurava o perdão ao pecador. […]

O efeito produzido sobre o povo pela cura do paralítico foi como se o Céu tivesse sido aberto, revelando as glórias do mundo melhor. Enquanto o homem curado passava por entre a multidão bendizendo a Deus a cada passo e levando sua carga como se fosse leve como uma pena, o povo recuava para que ele passasse e, com grande espanto, observava-o, falando entre si, sussurrando: “Hoje vimos coisas extraordinárias!” (Lc 5:26).

Os fariseus estavam mudos de espanto e esmagados pela derrota. Viram que não havia lugar para instigar com seu ciúme a multidão. A maravilhosa obra realizada na vida do homem que haviam entregado à ira de Deus impressionara de tal forma o povo, que naquele momento os rabinos foram esquecidos. Viram que Cristo possuía um poder que tinham atribuído unicamente a Deus. No entanto, a suave dignidade de Sua atitude apresentava forte contraste com o porte altivo deles. Ficaram desconcertados e confundidos, reconhecendo, mas não confessando, a presença de um Ser superior. Quanto mais forte era a evidência de que Jesus tinha poder na Terra para perdoar pecados, tanto mais firmemente se fortaleciam na incredulidade. Da casa de Pedro, onde haviam testemunhado o restabelecimento do paralítico por Sua palavra, saíram para formular novos planos para silenciar o Filho de Deus (O Desejado de Todas as Nações, p. 207, 209 [270, 271]).

PARA REFLETIR: Como você se sente quando Jesus faz um milagre na vida de outra pessoa?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

21/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-medico-da-alma/

Água de rocha - Êxodo 17

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 17

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 17 – O Deus da Bíblia é incrível; Ele revela Sua graciosa bondade até aos ingratos murmuradores. Ele já havia libertado Israel das mãos da nação mais poderosa de então; havia aberto o Mar Vermelho para livrar Israel e afogar inimigos opressores (Êxodo 14:31); havia dado carne e maná diário para fartar a Israel (Êxodo 16:8, 11-14). Contudo, a reclamação não foi eliminada do povo ingrato.

Então, Deus mostrará Seu poder extraindo água de rocha para saciá-los e concederá vitória numa guerra contra um poderoso exército. Depois, “o Senhor disse a Moisés: ‘Escreva isto num rolo, como memorial, e declare a Josué que farei que os amalequitas sejam esquecidos para sempre debaixo do céu’. Moisés construiu um altar e chamou-lhe ‘o Senhor é a minha bandeira’” (Êxodo 17:14-15).

Toda essa didática foi insuficiente para ensinar e educar espiritualmente o povo que acabara de libertar-se da escravidão. Porém, a realidade no Novo Testamento mostra quão difícil é ao pecador entregar-se inteiramente a Deus. Note que o apóstolo Paulo também lida com a negligência dos cristãos em 1 Coríntios 10:1-5 quando escreve:

“Porquanto não quero, irmãos, que vocês ignorem o fato de que todos os nossos antepassados estiveram sob a nuvem e todos passaram pelo mar. Em Moisés, todos eles foram batizados na nuvem e no mar. Todos comeram do mesmo alimento espiritual e beberam da mesma bebida espiritual; pois bebiam da rocha espiritual que os acompanhava, e essa rocha era Cristo. Contudo, Deus não se agradou da maioria deles; por isso os seus corpos ficaram espalhados no deserto”.

Portanto, fica claro que “não existe o contraste que muitas vezes se afirma haver entre o Antigo e o Novo Testamento, entre a lei de Deus e o evangelho de Cristo, entre os requisitos da dispensação judaica e os da cristã. Toda alma salva da antiga dispensação era salva por Cristo tão verdadeiramente quanto somos salvos por Ele hoje em dia. Os patriarcas e profetas eram cristãos. A promessa do evangelho foi dada ao primeiro casal no Éden, quando havia se separado de Deus, pela transgressão. O evangelho foi pregado a Abraão. Os hebreus todos beberam da Rocha espiritual, que era Cristo” (Ellen White, CBASD, v. 6, p. 1179-1180).

Aprendamos a lição: Menos reclamação, mais gratidão! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 20 de março de 2022

O DIVINO SEMEADOR

 O DIVINO SEMEADOR


O semeador semeia a Palavra. Marcos 4:14

O profeta Isaías dá um testemunho notável acerca de Cristo: “Porque um Menino nos nasceu, um Filho se nos deu. O governo está sobre os Seus ombros, e o Seu nome será: ‘Maravilhoso Conselheiro’, ‘Deus Forte’, ‘Pai da Eternidade’, ‘Príncipe da Paz’” (Is 9:6).

Cristo repreendeu os Seus discípulos pela demora em compreender. Eram influenciados por máximas e contos tradicionais e, por isso, frequentemente as verdades proferidas pelo maior Mestre que o mundo já viu se perdiam para eles. Cristo os levou a perceber que estava lhes apresentando verdades de cujo valor mal suspeitavam. Após ressuscitar, enquanto caminhava até Emaús com dois discípulos, abriu-lhes o entendimento a fim de que pudessem compreender as Escrituras. Explicou-lhes o Antigo Testamento de tal modo que passaram a enxergar em Seus ensinos um sentido que nem os próprios autores haviam vislumbrado.

As palavras de Cristo são representadas como pão do Céu. Assim que os discípulos comeram as palavras de Jesus, seu entendimento foi expandido. Passaram a buscar a verdade com dedicação, como a um tesouro escondido. Então entenderam melhor o valor da graça e da justiça de Cristo. Ao compreender Seu ensino, saíram da escuridão da aurora direto para o brilho do meio-dia.

A obra de nenhum autor humano é perfeita. A profundidade do intelecto humano pode ser mensurada. As mais ricas minas de produção humana não são inesgotáveis. Nem o voo mais elevado, profundo e amplo da imaginação é capaz de desvendar Deus. Há uma infinidade além de tudo que, dentro das próprias forças, conseguimos compreender. O Espírito Santo é quem deve revelá-Lo para nós. Pedras preciosas da verdade são deixadas de lado porque não identificamos o seu valor. Que, ao estudar a Palavra de Deus, você esforce a mente, pois o sentido por vezes está oculto abaixo da superfície. O conhecimento assim adquirido será como a semente celestial, plantada pelo divino Semeador (The Signs of the Times, 22 de dezembro de 1898).

PARA REFLETIR: Se é necessária a orientação do Espírito Santo para ajudar o ser humano a processar a semente lançada pelo divino Semeador, com que frequência você ora por esse dom de abertura da mente?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

20/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-divino-semeador/

Maná X Sábado - Êxodo 16

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 16

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 16 – Satanás está sempre intentando desvirtuar o caráter amoroso de Deus. Sem discernimento bíblico de quem é Deus, a adoração perde sua essência. 

Através de poderosos atos, o caráter de Deus é devidamente revelado. Seu objetivo em tirar Israel do Egito era que pudessem adorá-Lo livremente no deserto (Êxodo 8:20, 25-29; 10:7-11, 24-25). A adoração deve ser como Ele ordena (Êxodo 8:27). As músicas em Êxodo 15 foram demonstrações de adoração a Deus por Seus maravilhosos feitos, porém a adoração envolve mais que louvores. Para isso, Deus relembrou Seu sagrado dia de sábado, cujo teor sagrado havia perdido nas exigências da escravidão (Gênesis 2:1-3).

O ato de Deus dar o maná, oferecia ao povo uma forma didática e pedagógica para ensinar dependência total dEle. Tal dependência também deve ser nosso foco de aprendizagem para não cairmos nas amargas reclamações que chateiam ao Deus que está disposto a tudo por Seu povo (Romanos 8:32; 1 Coríntios 10:31; 1 Tessalonicenses 5:16-19; 1 Timóteo 6:5-8; Hebreus 13:5).

Sábado não é dia de ganha pão. O milagre do maná era visto diariamente, cujo clímax estava no sábado. No dia de preparação para o sábado, o maná caia em dobro; podia-se guardá-lo para o sábado sem que deteriorasse. Esse ensinamento combate o descontentamento, a ambição materialista e gera gratidão; também promove o descanso que Deus quer dar aos que estão agitados numa sociedade impaciente e irrequieta pelo estresse causado pelo pecado.

Devemos entender que Deus sabe o que é melhor. Aprendamos com Paulo em Sua experiência em Filipenses 4:19, o qual declarou: “O meu Deus suprirá todas as necessidades de vocês, de acordo com as gloriosas riquezas em Cristo Jesus”.

Ciente que reclamação interfere na adoração, Deus usa estratégias para transformar nossa reclamação em adoração. Ele deseja curar nosso ferido e atribulado coração. 

Em João 6:48-50 Jesus revela ser o alimento espiritual, mais importante que Maná; contudo, em Apocalipse 2:17, Ele mesmo prometeu: “Aquele que tem ouvidos ouça o que o Espírito diz às igrejas. Ao vencedor darei do maná escondido”.

Aqueles que trocam as iguarias mundanas pelas iguarias celestiais participarão de um banquete especial, preparado pelo Cristo que morreu para dar-nos vida mais significativa que a vida obtida pelo pão de cada dia (Mateus 4:4).

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 19 de março de 2022

O PASTOR-SALVADOR

 O PASTOR-SALVADOR

As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz; Eu as conheço, e elas Me seguem. João 10:27

À medida que o pastor conduz seu rebanho pelas colinas pedregosas, através de florestas e desfiladeiros selvagens, a recantos cobertos de grama à margem de riachos; ao vigiá-lo sobre as montanhas na noite silenciosa, protegendo-o contra os ladrões, cuidando com amor das ovelhas enfermas e das fracas, sua vida e a vida daquelas criaturas se tornam uma só. Um forte e afetuoso apego o liga aos animais sob seu cuidado. Por maior que seja o rebanho, o pastor conhece cada ovelha. Cada uma tem um nome, ao qual atende quando o pastor chama.

Assim como o pastor terrestre conhece as ovelhas, o divino Pastor conhece Seu rebanho espalhado por todo o mundo. “Vocês são as Minhas ovelhas, ovelhas do Meu pasto. Vocês são o Meu povo, e Eu sou o seu Deus” (Ez 34:31). Jesus afirma: “Eu o chamei pelo seu nome; você é Meu” (Is 43:1). “Eu gravei você nas palmas das Minhas mãos” (Is 49:16).

Jesus nos conhece individualmente e Se comove pelas nossas fraquezas. Conhece a cada um de nós pelo nome. Sabe a casa em que moramos e o nome de cada um dos moradores. Muitas vezes, dá instruções aos Seus servos para irem a determinada rua em certa cidade, a uma casa designada, para encontrar uma de Suas ovelhas.

Cada pessoa é tão perfeitamente conhecida por Jesus como se ela fosse a única por quem o Salvador morreu. As dores de cada uma tocam Seu coração. O grito de socorro chega ao Seu ouvido. Veio para atrair a Si todas as pessoas. Ordena-lhes: “Segue-Me”, e Seu Espírito as comove, atraindo-as para Ele. Muitos se recusam a ser atraídos. Jesus sabe quem são. Conhece também aqueles que de boa vontade escutam Seu chamado e estão prontos a se colocarem sob Seu cuidado pastoral. Ele diz: “As Minhas ovelhas ouvem a Minha voz; Eu as conheço, e elas Me seguem” (Jo 10:27). Cuida de cada uma como se não houvesse outra na face da Terra.

“Ele chama as Suas próprias ovelhas pelo nome e as conduz para fora. […] Elas O seguem, porque reconhecem a voz Dele” (v. 3, 4). Os pastores do Oriente não tangem as ovelhas. Não usam força nem intimidação; mas, indo na frente, eles as chamam. Elas conhecem sua voz e obedecem ao chamado. Do mesmo modo o Pastor-Salvador faz com Suas ovelhas (O Desejado de Todas as Nações, p. 385, 386 [479, 480]).

PARA REFLETIR: Quando Jesus o chama, você vai até Ele? Quando lhe pede para fazer algo, você se apressa a Lhe obedecer ou hesita?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

19/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-pastor-salvador//

Cântico de Moisés - Êxodo 15

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 15

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 15 – Deus merece ser exaltado por Seus maravilhosos feitos. Devemos aprender grandes verdades com Moisés e Miriã – mulher que recebe a primeira menção possuindo dom de profecia. Além de profetiza, Miriã era musicista, cantora, regente e compositora (Êxodo 15:20-21).

Sem conhecer teologia não há verdadeira doxologia. “O amor de Deus resulta em Israel ser vitorioso sobre o Egito e outras nações que tremem diante da grandeza do Senhor (15:13-16) e, por fim, em ‘plantar’ os israelitas na terra, a qual fora prometida desde tempos tão remotos quanto Gênesis 12:10-9 (15:17)... O louvor começa com reconhecimento do caráter de Deus. Neste cântico assinala-se devidamente o poder de Deus como prova do amor e incomparabilidade divinos. Entretanto, o louvor não pára por aqui, pois conduz à maneira como o povo escolhido relacionar-se-á com Yahweh. Eles devem retribuir o ‘amor’ incansável de Deus (15:13) de alguma maneira que não seja apenas cantar”, explica Paul House.

Música é o extravasar do coração. É dizer algo profundo com emoção. É a gratidão buscando impulso para sua expressão. Assim surge o louvor ao Deus Protetor, Abençoador e Libertador.

Instrumentos musicais alavancam o que apenas as palavras cantadas anseiam expressar. Por isso, todos os instrumentos têm o seu lugar na adoração ao Criador. A teologia correta em forma poética, e a gratidão a Deus em forma de canção, é um dos gestos mais sublimes da adoração!

Sandro Baggio avaliou que, lamentavelmente, nos dias atuais, “os músicos cristãos precisam romper com a mediocridade e desenvolver uma criatividade madura e contextualizada em suas letras”; pois, “grande parte dos compositores cristãos da atualidade, como diz Franky Schaeffer, parece ter ‘um Q.I. trinta pontos menor do que o de uma água-viva retardada’. Basta olhar para a maioria das letras de músicas cristãs da atualidade para constatar tal afirmação. A maioria delas se resume em repetir chavões...”.

Deus não apenas abre e fecha o mar, Ele transforma águas amargas em águas doces; assim quer Ele transformar nossa vida durante a jornada neste mundo causticante.

Sem harmonia com a vontade divina, a cantoria estará desafinada. É inadmissível compor um louvor sem experiência com o Senhor.

Então, experimente Seu poder para louvá-Lo com prazer, ao entoar o “Cântico de Moisés” após as 7 últimas pragas (Apocalipse 15:1-8) – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 18 de março de 2022

O MANSO E HUMILDE

 O MANSO E HUMILDE

Pelo contrário, Ele Se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-Se semelhante aos seres humanos. Filipenses 2:7

Habitando conosco, Jesus revelaria Deus tanto aos seres humanos quanto aos anjos. Ele era a Palavra de Deus – o pensamento divino tornado audível. Em Sua oração pelos discípulos, disse: “Eu lhes fiz conhecer o Teu nome” (Jo 17:26) – “compassivo e bondoso, tardio em irar-se e grande em misericórdia e fidelidade” (Êx 34:6) –, “a fim de que o amor com que Me amaste esteja neles, e Eu neles esteja” (Jo 17:26). Entretanto, essa revelação seria feita não somente aos Seus filhos nascidos na Terra. Nosso pequeno mundo é o livro de estudo do Universo. O maravilhoso plano de graça do Senhor, o mistério do amor que redime, é o tema que os “anjos anelam perscrutar” (1Pe 1:12, ARA) e será seu estudo por toda a eternidade. Os seres remidos e os não caídos terão na cruz de Cristo seu estudo e seu cântico. Será visto que a glória que resplandece no rosto de Jesus Cristo é a glória do amor abnegado. À luz do Calvário, ficará evidente que a lei do amor que renuncia é a lei da vida para a Terra e o Céu, que o amor que “não busca os seus interesses” (1Co 13:5) tem sua fonte no coração de Deus e que no manso e humilde Jesus Se manifesta o caráter Daquele que habita na luz inacessível ao ser humano.

No princípio, Deus era revelado em todas as obras da criação. Foi Cristo que estendeu os céus e lançou os fundamentos da Terra. Foi Sua mão que suspendeu os mundos no espaço e deu forma às flores do campo. Ele firma os montes por Sua força (Sl 65:6). “Dele é o mar, pois Ele o fez” (Sl 95:5). Foi Ele quem encheu a Terra de beleza e de cânticos o ar. E, sobre todas as coisas na Terra, no ar e no céu, escreveu a mensagem de amor do Pai.

O pecado manchou a obra perfeita de Deus, mas os traços de Sua mão permanecem. Mesmo agora, todas as coisas criadas declaram a glória de Sua excelência. Não há nada, a não ser o coração egoísta do ser humano, que viva para si. Nenhum pássaro que cruza os ares ou animal que se move sobre a terra deixa de servir a alguma outra vida. Nenhuma folha da floresta, nem mesmo uma simples haste de capim, é sem utilidade. Toda árvore, arbusto e folha liberam aquele elemento necessário à vida sem o qual nenhuma pessoa ou animal poderia existir. Por sua vez, os animais e os seres humanos servem à vida da folha, do arbusto e da árvore. As flores exalam sua fragrância e mostram sua beleza para o benefício do planeta (O Desejado de Todas as Nações, p. 9, 10 [19-21]).

PARA REFLETIR: Para muitos, a mansidão é vista como fraqueza. Como você pode exemplificar a mansidão de Cristo sem ser feito de capacho?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

18/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-manso-e-humilde/

A travessia do Mar - Êxodo 14

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 14

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 14 – A perseguição ao fiel povo de Deus pelos infiéis não é característico do tempo do fim. A história dos crentes, no Antigo e Novo Testamento, é caracterizada por perseguição descarada.

Em Êxodo 14 a perseguição ao povo de Deus tornou-se terrível frustração; o mesmo acontecerá aos perseguidores no tempo do fim (Daniel 12:1). O foco do fiel não está na força do mal, mas no poder divino que humilha e frustra até mesmo aos poderes do diabo. 

A ambição que derrotou Lúcifer no Céu (Isaías 14:12-14; Ezequiel 28:13-18; Apocalipse 12:7-9) está nas pessoas desde os primórdios (Gênesis 10:8-11). Além de Ninrode, muitos outros ambiciosos lutaram pelo poder (inclusive Faraó, que pensava ser um dos principais deuses egípcios). O Egito teve todas as bênçãos conquistadas por José (Gênesis 57:13-28) devastadas pelo orgulhoso e ambicioso Faraó; o qual, frustrado e enraivecido, saiu a recuperar, ao menos, os escravos “que haviam fugido” (Êxodo 14:5).

A ambição entorpece a razão. O orgulho ferido age irracionalmente. Orgulho e ambição preparam no coração um solo fértil para a autodestruição.

“Como Deus é eterno, onipresente e onipotente, e sustenta todas as coisas pela palavra de Seu poder, e em Quem todas as coisas existem, a relação da criatura com Deus somente poderia ser uma relação de ininterrupta, absoluta e universal dependência. Tão certo como Deus, pelo Seu poder, criou-nos uma vez, assim também, pelo mesmo poder, Deus nos sustenta a cada momento”, argumenta Andrew Murray. Tais verdades, os egípcios deveriam ter aprendido; era isso que Deus queria ensinar aos israelitas; e, a mesma verdade quer que Seu remanescente aprenda antes da libertação final liderada por Jesus, o qual luta por Seu povo (Êxodo 14:14).

Faraó não pensou na consequência de lutar contra Deus. Possuindo o maior exército mundial, saiu para resgatar os escravos das mãos divinas. A ganância promove ignorância. Mal sabia ele que sua teimosia ambiciosa colaboraria para que os egípcios aprendessem de fato que Deus é o Soberano do Universo.

Pela ganância, o melhor exército do mundo afogou-se nas águas do Mar Vermelho; e, os frágeis escravos experimentaram graciosa libertação divina, atravessando a seco o mesmo mar! 

Não tem nada pior que afrontar Deus; e, não há nada melhor que submeter-se a Ele aguardando livramento! Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 17 de março de 2022

O COOPERADOR

 O COOPERADOR

Aquele que há de reinar em Israel, e cujas origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Miqueias 5:2

A história do grande conflito entre o bem e o mal, desde o tempo em que começou no Céu até o final da rebelião e extinção total do pecado, é também uma demonstração do imutável amor de Deus.

O Soberano do Universo não estava só em Sua obra de beneficência. Ele tinha um companheiro, um Cooperador que poderia apreciar Seus propósitos e participar de Sua alegria ao dar felicidade aos seres criados. “No princípio era o Verbo, e o Verbo estava com Deus, e o Verbo era Deus. Ele estava no princípio com Deus” (Jo 1:1, 2). Cristo, o Verbo, o Unigênito de Deus, era um com o eterno Pai – um em natureza, caráter e propósito –, o único ser que poderia partilhar de todos os conselhos e propósitos de Deus. “Seu nome será: Maravilhoso Conselheiro, Deus Forte, Pai da Eternidade, Príncipe da Paz” (Is 9:6, ARA). Suas “origens são desde os tempos antigos, desde os dias da eternidade” (Mq 5:2). E o Filho de Deus declara a respeito de Si mesmo: “O Senhor Me possuía no início de Sua obra, antes de Suas obras mais antigas […] quando Ele compunha os fundamentos da terra, Eu estava com Ele e era o Seu arquiteto. Dia após dia Eu era a Sua alegria, divertindo-Me em todo o tempo na Sua presença” (Pv 8:22, 29, 30).

O Pai trabalhou por meio de Seu Filho na criação de todos os seres celestiais. “Nele foram criadas todas as coisas […] sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele” (Cl 1:16). Os anjos são ministros de Deus, fulgurantes pela luz que sempre flui de Sua presença e rápidos no voo para executarem Sua vontade. Mas o Filho, o Ungido de Deus, “a expressão exata do seu Ser” (Hb 1:3), o “resplendor da Sua glória” (Is 66:11, ARC), “sustentando todas as coisas pela Sua palavra poderosa” (Hb 1:3), tem a supremacia sobre todos eles. “Trono de glória enaltecido desde o princípio” foi o lugar de Seu santuário (Jr 17:12); “cetro de justiça é o cetro do Teu reino” (Hb 1:8). “Glória e majestade estão diante Dele, força e formosura, no Seu santuário” (Sl 96:6) (Patriarcas e Profetas, p. 9, 10 [33, 34]).

PARA REFLETIR: Se você fosse dar a Jesus um nome ou título com base na sua experiência com Ele, qual seria?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

17/03/2022

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-cooperador//


Símbolo de Redenção - Êxodo 13

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Êxodo 13

Comentário Pr Héber Toth Armí

ÊXODO 13 – A páscoa foi símbolo de redenção ao povo de Deus e de juízo aos ímpios. O juízo no tempo do fim salvará fieis oprimidos e condenará opressores (Daniel 7:9-14, 12, 21-22, 26-27). Obviamente, “Deus está mais disposto a perdoar do que a punir”. Sua “misericórdia se multiplica mais nEle do que pecado em nós” declara Thomas Watson. O Deus que avisou sobre a morte dos primogênitos, almejava a salvação deles. Todos receberam oportunidade de salvar-se. Passar o sangue na porta era opcional, mas a morte dos primogênitos não.

Deus estava cumprindo cabalmente a profecia de Gênesis 15:13-16. No capítulo em análise, o êxodo do Egito aconteceu. O povo sentia não apenas o cheiro de liberdade, mas a experiência da liberdade. O impossível tornou-se possível. Nitidamente, o mundo pagão percebeu que existe um Deus verdadeiro – todos os outros são falsos, inferiores, criados pelo homem. Também ficou evidente que Deus tem um povo e luta por ele.

Aprofunde-se na teologia objetivando conhecer melhor a Deus, “porque, quanto mais conhecê-lO, mais vai amá-lO”, destacou George Whitefield. Para isso, considere estes tópicos:

Os primogênitos preservados pelo sangue deveriam ser consagrados a Deus. Os rituais são didáticas divinas para ensinar preciosas verdades celestiais da salvação aos seres humanos neste planeta corrompido pelo pecado (Êxodo 13:1-10).

Os ensinamentos aprendidos com Deus devem ser transmitidos às novas gerações. O bastão doutrinário deve ser passado adiante (Êxodo 13:11-16).

Deus tem interesse na intimidade com Seu povo. Ele não quer uma religião formal, mas relacional, construída com tempo. Evangelizar não é vomitar conhecimento doutrinário, é ensinar dependência dEle. É preocupar-se com os medos e limitações dos interessados, como Deus faz (Êxodo 13:17).

O propósito de Deus é que descansemos nEle na vida e na morte, como fez José. Devemos confiar em Seu plano e em Seu tempo (Êxodo 13:18-19; Gênesis 50:24-26).

A intenção de Deus é guiar e cuidar de Seu povo; apresentar o caminho da vida e da verdadeira felicidade. Seu cuidado paternal revela Seu amor incondicional (Êxodo 13:20-21).

Quem aceita a graça das orientações de Deus experimenta Suas diferentes provisões na jornada rumo ao auge das Suas promessas! A nuvem e fogo sobrenatural indicam o cuidado de Deus em tempo integral, rumo à herança celestial (1 Pedro 1:3-9).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

A GRANDE OFERTA PELO PECADO

  A GRANDE OFERTA PELO PECADO Moisés fez uma serpente de bronze e a pôs sobre uma haste. Quando alguém era mordido por alguma cobra, se olha...