Translate

sexta-feira, 30 de novembro de 2018

Jacó abençoa seus filhos-Gênesis 49

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 49 (leia em sua Bíblia)

Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Jacó abençoa seus filhos

Enquanto muitos pais jogam pragas e amaldiçoam seus filhos, o cristão atento abre a Bíblia e aprende com Jacó a abençoá-los para deixar-lhes o maior dos legados: Bênçãos espirituais (o que não exclui bênçãos materiais).

A boca fala do que o coração está cheio; tão-somente o coração de um pai cheio das bênçãos de Deus abençoará profusamente seus filhos! Somente poderá deixar um sólido legado espiritual aquele que é realmente espiritual. O legado espiritual é a maior e melhor herança que um pai pode deixar a seus filhos!

A única forma de descansar em paz é abençoando os filhos e deixando a família em paz antes de morrer. Pais egoístas, que não pensam em seu fim nem se preocupam com seus filhos e netos não repartem a herança nem preparam sua família para sua morte. Então, grandes problemas surgirão começando com brigas por herança entre irmãos.

O testamento de Jacó a cada um de seus filhos se vê nos seguintes versículos:

1. Ruben (vs. 1-4);
2. Simeão e Levi (vs. 5-7);
3. Judá (vs. 8-12);
4. Zebulom (v. 13);
5. Issacar (vs. 14-15);
6. Dã (vs. 16-18);
7. Gade (v. 19);
8. Aser (v. 20);
9. Naftali (v. 21);
10. José (vs. 22-26);
11. Benjamim (v. 27).

Depois de especificar bênçãos conforme as características de cada filho, Jacó encolheu-se na cama e expirou/morreu (vs. 28-33). Que atitude nobilíssima! Que morte magnífica! Que funeral pacífico foi esse! Apenas quem vive com qualidade morre com dignidade!

A vida de Jacó e de seus filhos demonstram que o mais importante não é quem bem começa a vida cristã, mas quem bem termina. Não importa o quanto você errou, mas o que você aprendeu dos erros. Não importa quantas vezes tenhas caído em pecado, mas quantas vezes você deixou de regredir e passou a progredir na fé.

Jacó demora-se mais ao abençoar Judá. Ele recebe a bênção da primogenitura em lugar de Ruben, o mais velho. Judá/leãozinho – que casou-se com uma pagã; teve três filhos perversos; teve mais dois filhos com sua nora –, foi abençoado como rei pelo patriarca. Algum equívoco? Não! Vimos como ele converteu-se/transformou-se!

De Judá virá Siló, uma referência ao Messias! Por conseguinte, Jesus foi chamado de Leão da tribo de Judá! Heber Toth Armí


#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Revelando os Princípios de Seu Reino

Refletindo a Cristo

Revelando os Princípios de Seu Reino-30 de novembro

Assim como Tu Me enviaste ao mundo, também Eu os enviei ao mundo. João 17:18.

É desígnio de Deus manifestar por meio de Seu povo os princípios de Seu reino. A fim de que lhes seja possível revelar esses princípios na vida e no caráter, Ele deseja separá-los dos costumes, hábitos e práticas do mundo. Procura levá-los mais perto de Si, de modo a poder dar-lhes a conhecer Sua vontade. O desígnio de Deus para Seu povo hoje é o mesmo que tinha para Israel quando os tirou do Egito. Contemplando a bondade, a misericórdia, a justiça e o amor de Deus revelados em Sua igreja, deve o mundo ver a representação de Seu caráter. E, quando a lei divina for assim exemplificada na vida, o próprio mundo reconhecerá a superioridade dos que amam, temem e servem a Deus, sobre todos os outros povos do mundo.

Os adventistas, acima de todos os povos, devem ser modelos de piedade, puros de coração e de linguagem. Foram-lhes confiadas as mais solenes verdades já confiadas a mortais. Toda dotação de graça, poder e eficiência lhes foi liberalmente proporcionada. Eles aguardam a próxima volta de Cristo nas nuvens do céu. Darem eles ao mundo a impressão de que sua fé não exerce poder dominante em sua vida, é desonrar grandemente a Deus.

Em razão do crescente poder das tentações de Satanás, os tempos em que vivemos se acham plenos de perigo para os filhos de Deus, e cumpre-nos aprender continuamente do grande Mestre, de modo a dar todo passo com segurança e em justiça. Assombrosas cenas estão se desdobrando diante de nós; e em tal tempo, é preciso que a vida do professo povo de Deus seja um testemunho vivo, de modo que o mundo veja que, neste século, quando o mal espalha-se por toda parte, ainda existe um povo que põe de lado a própria vontade para buscar fazer a vontade de Deus – povo em cujo coração e vida se acha escrita a Sua lei.

Deus espera que os que usam o nome de Cristo O representem. Seus pensamentos devem ser puros; suas palavras, nobres e próprias para elevar. A religião de Cristo deve entretecer-se em tudo quanto eles façam ou digam. Devem ser um povo purificado e santo, comunicando luz a todos com quem se puserem em contato. É Seu intento que, exemplificando esse povo a verdade na própria vida, seja na Terra um louvor. A graça de Cristo é suficiente para efetuar isso. Lembre-se, porém, o povo de Deus, que unicamente quando crer e puser por obra os princípios do evangelho, poderá realizar os desígnios divinos. Só ao consagrar ao serviço de Deus as aptidões que dEle recebeu, há de fruir a plenitude e o poder da promessa em que a Igreja é chamada a firmar-se. Conselhos aos Pais, Professores e Estudantes, págs. 321 e 322.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo – Pág. 340 –

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

Vamos depender de Deus? - Gênesis 48

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 48 (leia em sua Bíblia)

Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Vamos depender de Deus?

Na infância, adolescência, juventude não se nota religiosidade em Jacó; somente na velhice percebe-se ele como alguém espiritual. A experiência deve formar-nos espiritualmente, não deformar-nos.

Há sete referências a Deus neste capítulo. Seis foram expressas por Jacó (vs. 3, 11, 15, 20-21), uma por José (v. 9). Deus é...

1. O Todo-poderoso;

2. O que apareceu em Luz a Jacó;

3. O que abençoou a Jacó;

4. Aquele que deu os filhos para José;

5. Aquele que concedeu oportunidade a Jacó de ver José novamente com seus filhos;

6. Pastor;

7. Atuante, presente e abençoador.

Seria diferente a vida de Jacó se desde a infância tivesse colocado Deus no centro de suas realizações... E quanto a nós? Como seria diferente nossa história se Deus fosse sempre mais importante que tudo?

Neste capítulo, destacam-se os seguintes pontos:

• José vai com seus dois filhos visitar o pai que está acamado, doente; ao ouvi-los chegar, Jacó esforçou-se e sentou-se na cama a fim de abençoar aos três, o filho José e, os netos: Efraim e Manassés (vs. 1-4);

• Jacó eleva seus netos da parte de José a status de filhos; “os filhos de José deveriam ser com as devidas formalidades incluídos entre os filhos de Israel” (Ellen G. White). Eles seriam príncipes como os demais filhos (vs. 5-12);

• Jacó, já idoso e limitado pela visão, trocou as mãos invertendo a bênção do primogênito para o caçula e do caçula para o primogênito; José tentou adverti-lo, mas não cedeu. Assim, a maior bênção que deveria ser dada a Manassés foi dada a Efraim: Mas ambos foram devidamente abençoados (vs. 13-20);

• José recebe a promessa/certeza de Jacó de que Deus estará com ele e fará sua descendência retornar a Canaã; e declara que a maior parte da terra foi destinada a José (vs. 21-22).

Passar tempo com Deus molda nosso caráter. Jacó não tinha mais o espírito de dependência própria, nem confiança no poder e sagacidade humanos.

Quando Deus é o centro de nossa vida, nossas atitudes serão regidas por Ele, às vezes sem compreendê-las.

Quando Deus é prioridade em nossa vida falaremos dEle o tempo todo.

A maturidade espiritual abre os olhos da fé ainda que os olhos físicos estejam obscurecidos.

Vamos depender de Deus? Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí 

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Revelando os Triunfos da Graça

Refletindo a Cristo

Revelando os Triunfos da Graça - 29 de novembro

Vós sois as Minhas testemunhas, diz o Senhor; Eu sou Deus. Isaías 43:12.

O fiel embaixador de Cristo não se envergonha do estandarte da verdade. Ele não cessa de proclamar a verdade, por mais impopular que esta seja. Em todos os lugares, a tempo e fora de tempo, ele anuncia as boas-novas de salvação. Os missionários de Deus são chamados a enfrentar perigos, suportar privações e passar vergonha por amor à verdade, mas em meio aos perigos, dificuldades e descrédito eles devem erguer o estandarte.

O terceiro anjo não proclama a sua mensagem em voz baixa ou com hesitação. Ele clama em alta voz, ao voar velozmente pelo meio do céu. Isto mostra que a obra dos servos de Deus deve ser diligente e executada com rapidez. Eles devem dar um corajoso testemunho em favor da verdade. Não tendo de que se envergonhar, tendo a cabeça erguida, com os fulgurantes raios do Sol da Justiça brilhando sobre eles, rejubilantes porque sua redenção se aproxima, eles saem a proclamar a última mensagem de misericórdia ao mundo.

As testemunhas dos últimos dias são ousados soldados de Jesus Cristo. Eles provaram os poderes do mundo vindouro. Seus pés não se acham sobre areia movediça, mas em rocha firme. Não são facilmente demovidos da fé que uma vez foi entregue aos santos. Serão fortalecidos por seu Líder para suportar dificuldades. São mensageiros de justiça, representantes de Cristo, revelando os triunfos da graça.

A verdade resplandecerá desses homens escolhidos de Deus. Ela será ouvida de seus lábios, refletida em seu semblante, e demonstrada em sua vida. Eles serão caracterizados pela pureza e incorruptibilidade. A graça de Cristo exerce uma influência aprimoradora e enobrecedora sobre o caráter. Muitos homens e mulheres de capacidade, polidez e educação dedicarão tudo o que tiverem à causa do Senhor. Muitos se apartarão de amigos e sacrificarão todos os interesses mundanos a fim de proclamar as inescrutáveis riquezas de Cristo. Sua vida dá ao mundo evidências do poder do cristianismo. Dá testemunho de que o evangelho é exatamente o que pretende ser – o poder de Deus para salvação. Resplandecentes raios da verdade evangélica lampejam deles sobre o caminho daqueles que se acham em trevas. Sua inabalável fidelidade está registrada nos livros do Céu. Manuscrito 51, 1900.

Os que andam como Cristo andou, e que são pacientes, gentis, bondosos, mansos e humildes de coração, os que tomam o jugo de Cristo e levam as Suas cargas, os que têm paixão pelas pessoas como Ele teve – esses entrarão no gozo do seu Senhor. Verão com Cristo o fruto do penoso trabalho de Sua alma, e ficarão satisfeitos. O Céu triunfará, pois a lacuna deixada no Céu pela queda de Satanás e seus anjos será preenchida pelos redimidos do Senhor. Review and Herald, 29 de maio de 1900.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo– Pág. 339 –

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Deus tem soluções! Gênesis 47

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 47 (leia em sua Bíblia)

Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Deus  tem soluções! 
Não use teu pecado como justificativa para não buscar Deus. Nem teu passado para evitar fazer o que é certo.

Imagina se...

1. ...Os irmãos de José não quisessem ir até o Egito por inveja, ciúmes ou mesmo orgulho ferido por ver seu irmãozinho como governador da maior potência do mundo?

2. ...Jacó não abrisse mão de seu passado e não quisesse abrir mão de sua terra para então ir para o Egito?

3. ...nenhum dos familiares de José quisessem lidar com fantasmas do passado e não tivessem contado a Jacó que José estava vivo?

Os sonhos de José em sua infância se cumpriram fielmente assim como os sonhos desvendados do padeiro-chefe, do copeiro-chefe e os dois de Faraó.

Gênesis deixa claro que Deus entende de sonhos, interpretações de sonhos e, principalmente conhece perfeitamente o futuro.

Observe: A profecia predita a Abraão que sua descendência peregrinaria em terra estrangeira se cumpre de forma inusitadamente quando seus 70 familiares se alojam no Egito. Local onde a mesma profecia prediz que enfrentariam a escravidão. Contudo, enquanto José está vivo governando o Egito, eles estarão bem na região de Gozem.

Gozem era uma região propícia para pastoreios de animais, era uma região fértil. José levou cinco de seus irmãos para apresentá-los a Faraó; depois trouxe também seu pai; então, o maior líder político do mundo cedeu o melhor da terra à família daquele que havia feito o melhor pelo Egito (vs. 1-12).

Faraó tornou-se dono de todas as terras dos egípcios e inclusive os egípcios se tornaram servos de Faraó. Por mais negativo que pareça, pior seria morrerem de fome. Sendo José sábio, além de estocar alimento suficiente para muita gente, ninguém morreu de fome quando faltaram os recursos (vs. 13-26).

Jacó chegou com 130 anos de idade ao Egito e viveu 17 anos ali. Seus descendentes adquiriram propriedades e tiveram muitos filhos, aumentado, assim, significativamente, a família com prosperidade (vs. 27-31).

Provavelmente, todos eles morreriam se não fossem ao Egito; e, como se mudariam se José não fosse governador ali?

Concluímos, assim, que Deus é...

• Sábio/onisciente;

• Soberano/onipotente;

• Visionário;

• Atencioso;

• Cuidadoso;

• Protetor;

• Sustentador;

• Precavido;

• Ativo;

• Envolvido;

• Estrategista.

Lição: Antes dos problemas surgirem, Deus já tem soluções! Só precisamos tê-lO como Deus de nossa vida! Reavivemo-nos! Heber Toth Armí 

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Os que Voltam ao Antigo Amor--28 de novembro

Refletindo a Cristo

Os que Voltam ao Antigo Amor-28 de novembro
Os resgatados do Senhor voltarão e virão a Sião com cânticos de júbilo; alegria eterna coroará a sua cabeça; gozo e alegria alcançarão, e deles fugirá a tristeza e o gemido. Isa. 35:10.

O mundo está cheio de homens e mulheres que não manifestam qualquer sentimento de obrigação para com Deus pelos dons que lhes foram confiados. Não percebem que Deus lhes concedeu talentos, não para a glorificação do eu, mas para a glória do Seu nome. Anseiam receber honras. …

Há homens aos quais Deus qualificou com habilidade mais do que comum. São profundos pensadores, enérgicos e cabais. Mas muitos deles se acham empenhados em alcançar os seus próprios objetivos egoístas, sem tomar em consideração a honra e glória de Deus. Alguns deles têm visto a luz da verdade, mas pelo fato de honrarem a si mesmos, e não fazerem de Deus o primeiro, o último e o melhor em tudo, desviaram-se dos caminhos bíblicos e enveredaram pelo ceticismo e descrença. Quando são alvo dos juízos divinos, e através da aflição são levados a indagar sobre os antigos caminhos, a névoa do ceticismo desaparece de sua mente. Alguns deles se arrependem, voltam ao antigo amor, e colocam os pés no caminho preparado para os resgatados do Senhor andarem. Eles não mais são movidos pelo amor ao dinheiro ou por ambições egoístas. O Espírito de Deus atuando no coração é por eles tido em mais alta conta do que ouro ou louvores humanos. Quando essa maravilhosa mudança é realizada, os pensamentos são dirigidos pelo Espírito de Deus para novos condutos, o caráter é transformado, e os desejos do coração se projetam em direção às coisas celestiais.

A verdadeira religião tem poder ainda hoje. Ela capacita os homens a vencer a obstinada influência do orgulho, do egoísmo e da descrença, e na simplicidade da verdadeira piedade, a revelar um relacionamento vivo com o Céu. Os dons que Cristo comunica permitem que o homem se eleve acima das sedutoras tentações de Satanás. Conduzi-los-ão à cruz de Jesus como obreiros ativos, dedicados e leais, que trabalham para o progresso da verdade celestial.

A fidelidade a Deus tem marcado os heróis da fé de época em época. Ao se fazerem notar de modo patente perante o mundo, sua luz tem brilhado. Sua obediência à ordem de Cristo “Ide”, tem levado outros a glorificar a Deus.

Há heróis morais hoje em dia, homens e mulheres que estão vivendo uma nobre vida de abnegação. Eles não ambicionam fama mundana. Sua vontade está subordinada à vontade de Deus; o amor a Deus inspira seu ministério. Fazer o bem e servir aos outros constitui seu maior objetivo.

Estes obtiveram o genuíno conhecimento, indicado por Cristo em Sua Palavra: “E a vida eterna é esta: que Te conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste.” João 17:3. Manuscrito 51, 1900.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo – Pág. 338 –

terça-feira, 27 de novembro de 2018

Deus cumpre o que promete-Gênesis 46

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 46 (leia em sua Bíblia)

Comentários: Pr. Heber Toth Armí 

Deus cumpre o que promete

A Palavra de Deus, em sua totalidade, é impressionante; merece nossa atenção. Este capítulo é importante; o qual pode ser divido assim:

1. Jacó abandona Canaã e viaja ao Egito com toda sua família (vs. 1-27);

2. Jacó e José se reencontram após mais de duas décadas (vs. 28-34).

Antes, porém, de considerar alguns pontos teológicos, reflita: José conseguiu, pela graça divina, reunir e restaurar toda sua família. Mas, o que aconteceria se...

• ...Ele se vingasse de Potifar e sua esposa assim que tornou-se governador?

• ...Ele se vingasse de seus irmãos depois de toda injustiça que fizeram contra ele?

• ...Ele usasse o poder que agora tinha nas mãos para oprimir àqueles que lhe oprimiram outrora?

É facilíssimo estragar tudo; por tal facilidade que a atitude de Jacó em relação a José provocou ciúmes, inveja e ódio em seus outros filhos; os quais ganharam dinheiro vendendo José – estragando ainda mais.

Contudo, a parte positiva é que, embora a maioria esteja empenhada em fazer estragos, se apenas um membro da família colocar-se nas mãos de Deus, tornar-se-á instrumento que restaurará tudo que está arruinado.

Este capítulo confirma a realidade dos dois sonhos de infância de José. O primeiro: 11 feixes de trigo se inclinavam diante do dele (representava seus irmãos); o segundo: O sol, a lua e as estrelas inclinavam-se diante dele (incluía seus pais – embora sua mãe já estivesse falecida, 37:6-11).

José é governador do Egito, que, além de ser a maior potência política da época, era a única nação que tinha sua economia estável quando todas as outras enfrentavam uma crise de alimento. Graças a José, o sonhador e intérprete de sonhos, o Egito estava “nadando no dinheiro” enquanto a economia do mundo despencava abruptamente.

Aliás, o foco é Deus! Não podemos ignorar esta verdade. Se não fosse Ele, José seria um mimado, ou um frustrado escravo amargurado.

Deus já havia profetizado a Abraão tempos atrás que sua descendência peregrinaria em terra estrangeira, e seria reduzida à escravidão; entretanto, após 400 anos e o julgamento divino, sairia com muitas riquezas. Esta profecia está registrada em Gênesis 15:13-14.

Deus conhece não só detalhes sobre o futuro, Ele cumpre tudo que promete! Este capítulo fortalece nossa certeza/confiança/fé em Sua Palavra!

“Senhor, reaviva-nos profusamente. Amém” – Heber Toth Armí

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

A Qualificação Essencial Para o Serviço

Refletindo a Cristo

A Qualificação Essencial Para o Serviço -27 de novembro

Perguntou Jesus a Simão Pedro: Simão, filho de João, amas-Me mais do que estes outros? Ele respondeu: Sim, Senhor, Tu sabes que Te amo. Ele lhe disse: Apascenta os Meus cordeiros. João 21:15.

Pouca menção se faz no livro de Atos quanto ao último trabalho do apóstolo Pedro. …

Aumentando o número de crentes em Jerusalém e outros lugares visitados pelos mensageiros da cruz, os talentos do apóstolo Pedro se provaram de inestimável valor para a primitiva igreja cristã. A influência de seu testemunho referente a Jesus de Nazaré se estendia amplamente. Sobre ele havia sido posta dupla responsabilidade. Dava ele perante os incrédulos positivo testemunho com respeito ao Messias, trabalhando fervorosamente para a conversão deles, fazendo ao mesmo tempo trabalho especial pelos crentes, fortalecendo-os na fé em Cristo.

Foi depois de haver sido levado à renúncia do eu e à inteira confiança no poder divino, que Pedro recebeu o chamado para agir como um subpastor. Cristo havia dito a Pedro, antes de este O haver negado: “Quando te converteres, fortalece os teus irmãos.” Luc. 22:32. Essas palavras denotavam a ampla e eficiente obra que este apóstolo devia fazer no futuro pelos que viessem para a fé. Para esta obra a própria experiência do pecado, do sofrimento e arrependimento de Pedro o havia preparado. Não antes que tivesse ele reconhecido sua fraqueza, poderia conhecer a necessidade que tem o crente de confiar em Cristo. Em meio à tormenta da tentação ele compreendeu que o homem só pode andar seguramente quando, em absoluta desconfiança própria, confia no Salvador. …

Cristo fez menção a Pedro de uma única condição de serviço – “Amas-Me?” João 21:17. Esta é a qualificação essencial. …

O amor de Cristo não é um sentimento volúvel, mas um princípio vivo, o qual se manifesta como um poder permanente no coração. …

A maneira do Salvador tratar com Pedro tinha uma lição para ele e para seus irmãos. Conquanto tivesse Pedro negado a seu Senhor, o amor de Jesus por ele jamais vacilara. E ao assumir o apóstolo o encargo de ministrar a outros, devia tratar o transgressor com paciência, simpatia e compassivo amor. Lembrando sua própria fraqueza e queda, devia tratar as ovelhas e cordeiros entregues a seu cuidado com a mesma ternura que Cristo tivera com ele. …

Exaltou sempre a Jesus de Nazaré como a Esperança de Israel, o Salvador da humanidade. Mantinha sua própria vida sob a disciplina do Mestre por excelência. Buscava, por todos os meios ao seu alcance, educar os crentes para o serviço ativo. Atos dos Apóstolos, págs. 514-516.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo – Pág. 337 –


segunda-feira, 26 de novembro de 2018

Perdão - Gênesis 45

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 45 (leia em sua Bíblia)
Comentários: Pr. Heber Toth Armí


Perdão

O que é “perdão”? Deus deixou-nos “dons” difíceis de explicar; entretanto, com resultados visivelmente satisfatórios. Creio que as muitas definições são insuficientes para descrever o significado real de perdão, o qual extrapola nossa compreensão.

Destarte, o efeito do perdão é eficaz para que haja reconciliação eficiente. O perdão é dom celestial, produz efeito divinal; seu conceito é complexo à limitada mente humana.

Para nós, pecadores que falhamos abusivamente – nem mesmo pessoas que amamos estão livres de nossas ofensas e ataques cruéis – carecemos, em demasia, de algo que resolva nossas atitudes doentias de agredir, ofender e destruir.

Em meio a este emaranhado mundo de pecado, problemas de relacionamento, acusações, medos, invejas, orgulhos, ciúmes, ameaças, vaidades, etc. quem nunca foi ofendido? Quem nunca ofendeu alguém? Quem está livre da culpa? Quem não precisa pedir ou receber perdão? Quem não precisa de reconciliação?


Observe a história sagrada, por Deus inspirada a fim de revelar-nos preciosas lições de vida através de uma família que foi satisfatoriamente restaurada:

1. O pecado, a culpa e o erro podem escancarar-se/revelar-se diante de nós por mais tempo que passe; José, o problema do passado, dormente na memória, veio à tona diante dos olhos de seus irmãos (vs. 1-8);

2. O coração perdoador expressa palavras misericordiosas e atitudes bondosas aos que o prejudicaram; isso, porque Deus reverteu a história dando-lhe outro rumo e moldando o coração e a visão de José (vs. 9-15);

3. A reconciliação verdadeira promove intimidade e restauração completa à família que, apesar das diferenças e crises de relacionamento do passado, experimenta graça divina no presente (vs. 16-28).

Perdão: atitude sobrenatural! Não há nada igual para pagar mal com bem do que perdoar quem merece desprezo total! Quem sente o prazer e paz indescritíveis oriundos do perdão divino não será egoísta para negar perdão a seu irmão!

Hernandes Dias Lopes expressa: “Perdoar é restaurar, é cancelar a dívida, é não cobrar mais. É deixar o outro livre e ficar livre. O perdão oferece cura para os ofensores e ofendidos”.

É melhor perdoar do que não querer se reconciliar! Por mais doloroso, é melhor aprender duramente as lições da vida do que perder a vida inteira por negar-se aprender.

Perdoar não justifica injustiças – liberta ofensores e ofendidos! Entendeu? Reavivemo-nos! – Heber Toth Arm

Advertência Contra Filosofias e Tradições

Refletindo a Cristo
Advertência Contra Filosofias e Tradições-26 de novembro

Cuidado que ninguém vos venha a enredar com sua filosofia e vãs sutilezas, conforme a tradição dos homens, conforme os rudimentos do mundo e não segundo Cristo.  Col. 2:8.

Cercados pelas práticas e influências do paganismo, os crentes colossenses estavam em perigo de ser afastados da simplicidade do evangelho, e Paulo, para adverti-los contra isto, apontou-lhes a Cristo como o único Guia seguro. … “Como, pois, recebestes o Senhor Jesus Cristo, assim também andai nEle, arraigados e edificados nEle e confirmados na fé, assim como fostes ensinados, crescendo em ação de graças.” Col. 2:6 e 7. …

Cristo predisse que se levantariam enganadores, por cuja influência faria transbordar a iniqüidade e esfriaria o “amor de muitos”. Mat. 24:12. Advertiu os discípulos de que a igreja se encontraria em maior perigo por motivo desse mal, do que pela perseguição movida por seus inimigos. Vezes e mais vezes Paulo advertiu os crentes contra esses falsos ensinadores. Contra este perigo, acima de qualquer outro, deviam eles precaver-se; pois que, recebendo falsos ensinadores, abririam a porta aos erros mediante o que o inimigo turbaria as percepções espirituais e abalaria a confiança dos recém-conversos à fé do evangelho. Cristo era a norma pela qual deviam eles testar as doutrinas apresentadas. Tudo o que não estivesse em harmonia com Seus ensinos devia ser rejeitado. Cristo crucificado pelo pecado, Cristo ressurgido dos mortos, Cristo assunto ao Céu – esta era a ciência da salvação que eles deviam aprender e ensinar.

As advertências da Palavra de Deus com respeito aos perigos que rodeiam a igreja cristã pertencem a nós hoje. Como nos dias dos apóstolos os homens procuravam destruir a fé nas Escrituras pelas tradições e filosofias, assim hoje, pelos aprazíveis sentimentos da “alta crítica”, evolução, espiritismo, teosofia e panteísmo, o inimigo da justiça está procurando levar as almas para caminhos proibidos. Para muitos a Bíblia é uma lâmpada sem óleo, porque voltaram a mente para canais de crenças especulativas que produzem má compreensão e confusão. A obra da “alta crítica”, em dissecar, conjeturar, reconstruir está destruindo a fé na Bíblia como uma revelação divina. Está roubando a Palavra de Deus em seu poder de controlar, erguer e inspirar vidas humanas. Pelo espiritismo, multidões são ensinadas a crer que o desejo é a mais alta lei, que licenciosidade é liberdade, e que o homem deve prestar contas apenas a si mesmo. …

O poder de uma vida mais alta, mais pura e mais nobre é nossa grande necessidade. Atos dos Apóstolos, págs. 473, 474 e 478.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo – Pág. 336

domingo, 25 de novembro de 2018

Gênesis 44

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Gênesis 44 (leia em sua Bíblia)

Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Transformação

Quando Deus age, coisas incríveis acontecem. Quando Ele atua na família situações complexas se resolvem de forma inimaginável.

Assim como Deus usou José para executar Seus planos, agora quer usar você, caso te disponibilizes assim como José. Os irmãos de José revelaram terem sido transformados. Já não eram mais aos mesmos. Eles estavam mudados.

Judá, cerca de 20 anos atrás havia sugerido a venda de José por 20 moedas de pratas. Agora, estava Judá diante de José a suplicar em favor de Benjamim, a ponto de ficar preso em lugar do irmão caçula (vs. 16-34). Judá havia enterrado dois de seus três filhos. Ele sentiu na pele o que fizera a seu pai vendendo José. Ele certamente aprendeu a lição de forma triste, mas aprendeu!

Judá já estava viúvo, tinha tido um caso com a nora viúva, a qual gerou gêmeos dele. Os sofrimentos do pecado fizeram Judá mudar de vida. “O cruel e impiedoso Judá de tempos atrás agora entregaria sua própria liberdade e ficaria como escravo ‘em lugar do jovem’ [Benjamim]” (Arthur J. Ferch).

Isso “era suficiente para José, [agora ele] tinha suficiente evidência de uma transformação radical nos corações de seus irmãos”, observa Ferch. A humildade era uma grande evidência de transformação de caráter. Confessar erros e culpas sem questionar, sem jactância e sem orgulho é o auge de uma conversão:

“Nossa culpa está diante do senhor e estamos dispostos a ser seus escravos. Estamos todos na mesma situação e somos tão culpados quanto àquele que foi encontrado com o cálice” (v. 16, AM).

Reflexão:
1. Toda pessoa deste mundo é pecadora e Deus quer salvar cada uma: Ele lidou com José no Egito e com sua família em Canaã e, agora aproximou José e seus irmãos para se reconciliarem após 20 anos de separação.

2. Deus tem um método especial próprio para cada família: Ele usou José com suas estratégias e testes a fim de despertar a consciência e conduzir seus irmãos ao reconhecimento da culpa e do erro; e, permitiu que Judá perdesse dois filhos para sentir na pele o que seu pai tinha sentido ao perder José.

É melhor sofrer o castigo de nossos pecados e convertermos do que perder a salvação. Deixe Deus te corrigir! – Heber Toth Armí

A Hospitalidade de Lídia

Refletindo a Cristo
A Hospitalidade de Lídia-25 de novembro

Certa mulher, chamada Lídia,… depois de ser batizada, ela e toda a sua casa, nos rogou, dizendo: Se julgais que eu sou fiel ao Senhor, entrai em minha casa e aí ficai. E nos constrangeu a isso. Atos 16:14 e 15.


“No dia de sábado”, continua Lucas, “saímos fora das portas, para a beira do rio, onde julgávamos haver um lugar para oração; e, assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram. E uma certa mulher, chamada Lídia, vendedora de púrpura, da cidade de Tiatira, e que servia a Deus, nos ouvia, e o Senhor lhe abriu o coração.” Atos 16:13 e 14. Lídia recebeu a verdade alegremente. Ela e os de sua casa foram convertidos e batizados, e ela insistiu com os apóstolos para que fizessem de sua casa o seu lar. Atos dos Apóstolos, pág. 212.

O Espírito de Deus pode unicamente iluminar o entendimento daqueles que estão dispostos a ser iluminados. Lemos que Deus abriu os ouvidos de Lídia, de modo que ela atentou para a mensagem proferida por Paulo. Declarar todo o desígnio de Deus e tudo o que era essencial que Lídia recebesse – essa era a parte que competia a Paulo desempenhar em sua conversão; e então o Deus de toda a graça exerceu o Seu poder, conduzindo a pessoa no rumo certo. Deus e o instrumento humano cooperaram, e a obra teve pleno êxito. SDA Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.062.

A verdadeira mansidão abranda e subjuga o coração e prepara a mente para a palavra impressa. Leva os pensamentos à obediência de Jesus Cristo. Abre o coração à Palavra de Deus, como foi aberto o de Lídia. A Santificação, pág. 15.

As autoridades… visitaram a prisão, pediram desculpas aos apóstolos por sua injustiça e crueldade, conduziram-nos para fora da prisão, e rogaram-lhes que saíssem da cidade. … Os apóstolos não insistiriam em sua presença onde esta não fosse desejada. Atenderam ao pedido dos juízes, mas não se apressaram a sair. … Foram felizes da prisão para a casa de Lídia, onde encontraram os novos conversos à fé de Cristo, e relataram a todos a maravilhosa maneira como Deus tratou com eles. …

Os apóstolos entendiam que seus esforços em Filipos não eram vãos. Haviam encontrado ali muita oposição e perseguição; mas a intervenção divina em seu favor, a conversão do carcereiro e de toda a sua casa, mais do que expiaram a desgraça e o sofrimento que suportaram. Os filipenses viram representados na conduta e presença de espírito dos apóstolos o espírito da religião de Jesus Cristo. …

As notícias de seu aprisionamento injusto, e de sua miraculosa libertação, foram amplamente divulgadas por toda aquela região, e fizeram com que os apóstolos e seu ministério chamassem a atenção de um grande número de pessoas que de outra maneira não teriam sido alcançadas. O cristianismo foi colocado num plano elevado, e os conversos à fé foram grandemente fortalecidos. Spirit of Prophecy, vol. 3, págs. 385 e 386.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 335 –

sábado, 24 de novembro de 2018

O foco de Deus : A família-Gênesis 43

💌Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
📖Gênesis 43 (leia em sua Bíblia)

📝Comentários Pr Heber Toth Armí 

O foco de Deus : A família

As Escrituras Sagradas devem afetar a cultura, não a cultura afetar as Escrituras. Nossa bagagem cultural não deve moldar nossa interpretação da Palavra de Deus, a revelação de Deus deve determinar nossa cosmovisão de tudo.

O foco de Deus não era somente José, mas também a família de José que, aparentemente, acomodara-se numa superficialidade espiritual. Aliás, o foco de Deus era e continua sendo operar no mundo inteiro a fim de resgatar a humanidade do pecado e suas consequências, independente da cultura.

As atitudes de José frente às crueldades de seus irmãos são sobrenaturais, estão além de serem naturais. O processo demorou, mas Deus prosperou – Louvado e exaltado seja Seu precioso nome!

Agora José estava pronto para colaborar com Deus na restauração de seus irmãos. Por meio de José, suas estratégias e testes, a consciência cauterizada de seus irmãos irá se despertar. Charles R. Swindoll, destaca deste relato os seguintes passos em relação à consciência:

• O primeiro passo para evitar uma consciência cauterizada é assumir a responsabilidade pela nossa culpa pessoal;

• Quando Deus ativa uma consciência cauterizada começamos a ganhar uma perspectiva diferente;

• Deus também ativa a consciência cauterizada quando recebemos expressões imerecidas de graça.

Após isso, no capítulo em questão, encontramos as seguintes divisões, conforme destaca Victor P. Hamilton: Os irmãos regressam ao Egito com Benjamim:

1. Desavenças entre pai e filhos (vs. 1-10);

2. Israel dá permissão para que Benjamim fosse com eles ao Egito (vs. 11-14)

3. Os irmãos regressam ao Egito (vs. 15-25);

4. José e Benjamim se encontram (vs. 26-34).

Deus usa meios inimagináveis para tratar nossos medos, traumas e passados negros. A transição para a restauração é um processo, por vezes, doloroso, difícil. Quanto mais difícil nos fazemos, pior será para nós, pois nosso passado errado e tenebroso irá ditar nossos comportamentos e pensamentos, os quais serão medonhos.

Medo, insegurança, angustia e incertezas tomam conta do coração dos pecadores e Deus quer eliminar tudo isso aplicando a paz que vem da reconciliação. A restauração da família indubitavelmente passa pelo reconhecimento da culpa, o que só acontece se Deus despertar a consciência.

Deixe Deus restaurar tua consciência a fim de restaurar tua família. Deus quer restaurar tua vida e a vida de tua família. Você permiti?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí  

rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Paulo e Silas Cantam na Prisão

Refletindo a Cristo
Paulo e Silas Cantam na Prisão- 24 de novembro

Por volta da meia-noite, Paulo e Silas oravam e cantavam louvores a Deus, e os demais companheiros de prisão escutavam. De repente sobreveio tamanho terremoto, que sacudiu os alicerces da prisão; abriram-se todas a portas, e soltaram-se as cadeias de todos. Atos 16:25 e 26.

Enquanto os mensageiros da cruz se entregavam a sua obra de ensinar, uma mulher possessa de espírito de adivinhação seguia-os, clamando: “Estes homens, que nos anunciam o caminho da salvação, são servos do Deus altíssimo. E isto fez ela por muitos dias.” Atos 16:17 e 18. …

Por inspiração do Espírito Santo, Paulo ordenou ao espírito mau que deixasse a mulher. …

Restituída ao uso da razão, a mulher preferiu seguir a Cristo. Seus senhores ficaram alarmados por causa de seus proventos. Viram que toda esperança de obter dinheiro por meio de suas adivinhações e predições estava perdida, e que, … estaria logo esgotada inteiramente sua fonte de renda. …

Impelida por um frenesi, a multidão se levantou contra os discípulos. Prevaleceu o espírito de tumulto, sancionado pelas autoridades, que, rasgando os vestidos dos apóstolos, ordenaram que fossem açoitados. “E, havendo-lhes dado muitos açoites, os lançaram na prisão, mandando ao carcereiro que os guardasse com segurança.” Atos 16:23. …

Com espanto ouviram os outros prisioneiros os sons de oração e hinos que saíam da prisão interior. Estavam habituados a ouvir gritos e gemidos, maldições e blasfêmias a quebrarem o silêncio da noite …

Mas, conquanto houvessem os homens sido cruéis e vingativos, ou criminosamente negligentes nas responsabilidades solenes sobre eles postas, Deus não Se havia esquecido de ser misericordioso para com Seus servos. Todo o Céu estava interessado nos homens que estavam sofrendo por amor de Cristo, e anjos foram enviados a visitar a prisão. A terra tremeu aos seus passos. As portas da prisão pesadamente aferrolhadas abriram-se; cadeias e grilhões caíram das mãos e pés dos prisioneiros; e brilhante luz inundou a prisão. …

O carcereiro [havia] caído no sono de que foi despertado pelo terremoto e pelo sacudir das paredes da prisão.

Erguendo-se alarmado, viu com espanto que todas as portas da prisão estavam abertas e dele se apossou o temor de que os prisioneiros tivessem escapado. … Tirando a espada, estava prestes a matar-se, quando a voz de Paulo foi ouvida em palavras de animação: “Não te faças nenhum mal, que todos aqui estamos.” Atos 16:28. Cada prisioneiro estava em seu lugar, retido pelo poder de Deus exercido por intermédio de um companheiro de prisão. …

O carcereiro, depondo a espada e… levando-os para um recinto aberto, interrogou: “Senhores, que é necessário que eu faça para me salvar?” Atos 16:30. Atos dos Apóstolos, págs. 212-216.


Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, 1986 – Pág. 334 –

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis