segunda-feira, 17 de maio de 2021

O Perigo da Abundância

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

17 de maio - segunda

O Perigo da Abundância

O qual Se entregou a Si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar deste mundo perverso, segundo a vontade de nosso Deus e Pai. Gálatas 1:4

Um pato selvagem dirigia-se para o sul. Ele pousaria e passaria o inverno numa fazenda. Tiraria proveito do milho e do abrigo pertencentes ao fazendeiro e ali se juntaria aos recém-encontrados amigos domésticos.

O inverno passou, chegou a primavera, e com ela os pássaros migratórios. Aquele pato ouviu o chamado das aves selvagens. Seu coração bateu mais rapidamente. Ao agitar, porém, as asas para se juntar no espaço com seus irmãos, descobriu que não podia voar. Durante o inverno, ele havia engordado com as sementes do fazendeiro, e as asas não davam conta de mantê-lo no espaço azul por muito tempo. Elevava-se até alguns metros e voltava desamparado ao solo.

Seria esse o caso de alguns de nós, ao chegar o momento do alto clamor e do glorioso testemunho final de Deus? Pode este “mundo perverso” (Gl 1:4) e sua influência nos tornar tão indiferentes na questão espiritual que tenhamos perdido a capacidade de nos arriscar a trabalhar para Deus?

“O perigo para nós não está na carência, mas na abundância”, escreveu Ellen White em 1890. “Somos constantemente tentados ao excesso. Os que desejarem preservar suas faculdades não diminuídas para o serviço de Deus, precisam observar estrita temperança no uso de Suas bênçãos, bem como total abstinência de toda condescendência prejudicial ou degradante” (Conselhos Sobre o Regime Alimentar, p. 29).

O perigo da influência não está simplesmente nas condescendências nocivas colocadas sobre nossas mesas. Toda a nossa percepção espiritual é influenciada quando criamos quase que inconscientemente o que é por assim dizer uma mania de possuir cada vez mais coisas.

Contudo, há uma salvaguarda. Consiste em seguir o exemplo de Cristo no constante e abnegado doar. Cada vantagem material ou espiritual que obtemos deve ser considerada mais uma oportunidade para auxiliarmos e abençoarmos outras pessoas. Como Paulo, devemos nos considerar devedores a todos os seres humanos, e toda importância que por acaso venhamos a poupar será aplicada na obra de apressar o regresso de Cristo.

Joe Engelkemier, 13/12/1972

Seguir Jesus - Mateus 19

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

 

Leitura Bíblica - Mateus 19

Comentário Pr Heber Toth Armí 

A batalha do bem contra o mal é percebida nitidamente nas histórias de Jesus. Muitas vezes o mal agia através da liderança espiritual da igreja verdadeira.

Neste capítulo, Jesus deixa “a Galileia e percorre a região da Judeia a leste do Jordão. Ali, numerosos enfermos fazem mais solicitações à sua compaixão, e os fariseus se esforçam mais uma vez para encontrar os meios de desacreditá-lo e a seu ensino” (R. V. G. Tasker).

Para uma visão geral do capítulo, veja o esboço a seguir baseado no trabalho de Leon Morris:

1. Viagem de Jesus a Jerusalém:

a) Ensino sobre o divórcio (19:1-12);

b) Jesus e as crianças (19:13-15);

c) Ensinamentos e viagem:

• O perigo das riquezas (19:16-30);

• A parábola dos trabalhadores da vinha (20:1-16);

• Previsão da paixão (20:17-19);

• Cargos para os filhos de Zebedeu (20:20-28);

• Dois cegos de Jericó (20:29-34).

Após obter uma visão mais ampla, volte-se para Mateus 19, o qual possui muitos assuntos profundos. Jesus aborda vários temas importantes e sempre relevantes, que muitas vezes nós não damos o devido valor.

Jesus instruiu sobre…

1. …casamento, divórcio e celibato. Aceitamos Suas orientações ali?

2. …as crianças. Seguimos Seus princípios neste quesito ou deixamos que Satanás leve nossos filhos através de jogos, programas midiáticos e outros meios diabólicos?

3. …as riquezas. Elas jamais devem interferir entre nós e Cristo, elas não são divinas para receber nossa devoção como se fossem deuses. Seguiremos os passos do jovem rico ou o convite de Jesus?

4. …a recompensa terrestre e celestial para aqueles que “abrem mão” de tudo para O seguirem. Acatamos tais ensinamentos?

Como o jovem rico, muitos sacrificam a vida eterna por coisas efêmeras, ao invés de sacrificar coisas efêmeras pela vida eterna.

Como o jovem rico, muitos pensam que sua religião externa, as práticas espirituais corretas e até a obediência, garantirão sua entrada no reino de Deus. Jesus mostra que é preciso segui-lO diariamente, pois sem Ele até a melhor pessoa é impossível salvar-se.

Os fariseus intentaram atrapalhar a multidão de seguir a Jesus e crer em Seus ensinamentos. Hoje muitos líderes eclesiásticos fazem a mesma coisa.

• Seguiremos a Jesus em tudo o que Ele orientar, ou daremos ouvidos a líderes espirituais cegos, orgulhosos e presos em seus emaranhados conceitos?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

domingo, 16 de maio de 2021

Nascer De Novo

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

16 de maio - domingo

Nascer De Novo

A isto, respondeu Jesus: Em verdade, em verdade te digo que, se alguém não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus. João 3:3

A necessidade de novo nascimento é universal. Se não entendermos isso, tudo o mais será obscuro. Não há nenhum substituto para esse requisito. Serviço, tempo, posição, cargo, filiação religiosa, tradição, nada disso pode ser colocado em seu lugar. George Whitefield, um dos maiores pregadores do evangelho de todos os tempos, apresentou 300 sermões com base nesse texto. Incomodado, um líder de sua igreja perguntou: “Por que tanta ênfase no novo nascimento?” Whitefield se limitou a olhar para o homem e responder: “Porque você tem que nascer de novo.”

Nicodemos foi a Jesus coberto pelo véu da noite. Certamente ele sabia da oposição dos altos escalões do judaísmo a esse novo mestre. Assim, arranjou um encontro com o jovem Rabi em lugar distante, talvez receoso de colocar em perigo sua reputação. Esse é um dos primeiros encontros do evangelismo pessoal de Jesus. Na presença de Cristo, o mestre judeu se sentiu desarmado, fascinado e aceito pelo Galileu. Ele iniciou com uma palavra de afirmação: “Sabemos que és Mestre vindo da parte de Deus” (Jo 3:2). O que Nicodemos não tinha a mínima ideia é de que ele não estava diante de um novo profeta, mas na presença do próprio Deus. Em seu método sem rodeios, Jesus atacou direto a jugular do problema. Sem confirmar, negar, refutar ou mesmo reconhecer as palavras de Nicodemos, Ele respondeu à pergunta que não foi feita: “Você tem que nascer de novo.”

Que poderoso golpe no castelo da teologia daquele homem! Jesus o confrontou com a futilidade de sua religião baseada em mérito humano. Nicodemos teria ficado feliz se Jesus tivesse exigido dele obras meritórias mais rígidas ou uma nova conexão partidária, melhor que a dos fariseus. Ao contrário de qualquer obra, nascer de novo é algo inteiramente inesperado. Algo que ele não poderia produzir. Nada no judaísmo se comparava a isso.

Como a maioria de nós, Nicodemos não entendia que Jesus não estava pedindo o impossível, mas oferecendo o inimaginável. Novo nascimento não é primariamente o que Deus pede, mas aquilo que Ele oferece. Para nossa concepção e nascimento natural, não entramos com nenhuma contribuição. Assim é com o nascimento do alto, um evento capaz de nos libertar da concha fossilizada em que vivemos.

Amin A. Rodor, 6/7/2014

A Igreja - Mateus 18

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 18

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Este belo capítulo bíblico, de onde o livro supracitado foi baseado, oferece-nos os seguintes pontos:

1. Ninguém deve almejar ser grande no reino dos Céus; quem quiser entrar tem que ser pequeno, humilde, receptível, amável, educado e servo. Quem é briguento, autoritário, mandão, orgulhosos, cheio de si que humilha, despreza e diminui ao próximo, deveria conscientizar-se que ele é melhor morto do que vido (vs. 1-10).

2. A sabedoria de Cristo é incomparável. Todos os seres humanos têm defeitos e falham e se perdem constantemente (vs. 10-14). Talvez o maior defeito de alguns é não ter olhos para seus defeitos porque se perdem observando e divulgando o defeito alheio. Mas, o que fazer quando alguém erra?

• Fale diretamente com quem errou, não de quem errou (v. 15);

• Se não resolver, leve reforço para resolver (v. 16);

• Se ainda não resolver, leve o caso para a igreja para buscar a solução (v. 17);

• Depois de tudo, se o problema persistir, considere o errado como gentio, desligado do reino de Deus (vs. 17-19).

• Conte com a presença de Cristo para toda reconciliação (v. 20).

• Perdoe com a motivação que Deus coloca no coração, pois há certos problemas que só o perdão é solução (vs. 21-22).

É o coração duro, egoísta, cauterizado pelo pecado que não perdoa; quem foi perdoado e restaurado, está convertido, este perdoa como Cristo O perdoou.

Sabendo que haveria dificuldades nos relacionamentos, inclusive na igreja, Deus inventou o perdão para que nenhum problema ficasse sem solução. Só aquele que acha que tem mais sabedoria que Deus usará seus próprios recursos para resolver dilemas dos seus relacionamentos – quanta tolice!

Jesus revela as consequências de não perdoar numa poderosa parábola (vs. 23-35). Leia-a, perdoe, ofereça graciosamente o perdão e reaviva-te!

O pastor Jonas Arrais escreveu um livro que todo cristão deveria ler, mas o líder espiritual deveria devorá-lo. O título do livro é: “Uma igreja positiva em um mundo negativo”.

Um dos pensamentos do livro, que trata de Mateus 18, diz: “A igreja nunca poderia – nem deveria – ser um lugar em que o aspecto negativo pudesse reinar livremente. Ao contrário, a igreja deve ser um lugar em que o adorador abatido possa encontrar descanso e restauração, um oásis positivo num mundo negativo”. Procure-o! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sábado, 15 de maio de 2021

Cuidado Com A Caverna

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

15 de maio - sábado

Cuidado Com A Caverna

   Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar. 1 Pedro 5:8

Faz alguns anos, li a triste história de um jovem escocês que morreu entalado na Garganta do Diabo. Seu nome: Neal Moss. Ele era o líder de um grupo de jovens que partilhava o espírito de aventura em busca do desconhecido. Eram filhos de boas famílias e estudantes universitários.

Esse fato ocorreu no norte da Escócia, numa região montanhosa em que há várias cavernas, entre as quais uma denominada Garganta do Diabo: Era um lugar perigoso e de difícil acesso.

Neal Moss e seu grupo resolveram visitar essa caverna cheia de perigos, que ninguém antes tivera coragem de explorar. Eles seriam os primeiros a desvendar os mistérios daquele lugar que, a começar pelo nome, metia medo.

Chegaram e entraram, e, sempre à frente, estava Neal Moss, o mais experiente nesse tipo de aventura. Todos carregavam lanternas e outros apetrechos úteis e necessários para uma empreitada dessa natureza.

A caminhada transcorria confortavelmente e cheia de curiosidades. Porém, à medida que avançavam para o interior da caverna, o corredor subterrâneo ia ficando estreito e se inclinando sensivelmente. De repente, numa inclinação brusca, Neal Moss, que estava à frente, escorregou e despencou a muitos metros para o desconhecido, ficando entalado entre as paredes estreitas da Garganta do Diabo. A princípio, os colegas ouviram gritos que vinham do fundo, mas que foram se enfraquecendo. É que, do fundo daquela caverna, emanavam gases venenosos que fizeram com que Neal Moss morresse. Seus companheiros, sem conseguir fazer nada, voltaram para dar aos amigos e familiares a triste notícia da morte de Neal Moss, o fim trágico de um jovem preso na Garganta do Diabo.

Na jornada da vida, nenhum de nós, jovem ou velho, é competente para caminhar na estrada da vida sem o auxílio de Deus. Satanás está sempre buscando caminhantes solitários, que pensam conhecer o caminho rumo à felicidade, quando, na verdade, estão caminhando para o precipício da morte, a “garganta do diabo”. A única segurança para qualquer um de nós está em andar humildemente diante de Deus pelo caminho que o Mestre nos indicou.

Wilson Sarli, 11/9/2008

Transfiguração - Mateus 17

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 17

Comentário Pr Heber Toth Armí 

 Como extrair lições de um capítulo tão rico? Como ser pobre espiritualmente com riquezas espirituais tão valiosas diante de nossos olhos?

O capítulo em questão possui vários pontos, começando com a transfiguração (vs. 1-8).

• Assim como Moisés subiu ao monte levando em sua companhia a Arão, Nabade e Abiú (Êxodo 24:1), Aquele que é maior que Moisés também subiu acompanhado de Pedro, Tiago e João.

• No Monte Sinai, Moisés viu a glória de Deus e, a pele de seu rosto resplandecia, “na transfiguração, o rosto daquele que é maior que Moisés brilhou, não com glória refletida, mas com glória não tomada por empréstimo, semelhante aos raios do sol” (R. V. G. Tasker).

• Diferente de Moisés, não foi apenas o rosto de Jesus que resplandecia, as suas roupas se tornaram brancas como luz.

• Moisés e Elias aparecem falando com Jesus, e, ao serem envolvidos em uma nuvem luminosa, uma voz poderosa vinda do Céu confirmou que Jesus é o Filho amado de Deus: Aquele que deve ser ouvido como autoridade. Isso causou grande temor nos discípulos que diziam coisas infantis e inadequadas (16:22; 17:4, etc.).

• Após serem acalmados por Jesus, os discípulos questionaram-Lhe sobre a profecia da vinda de Elias, conforme os escribas ensinavam baseando-se em Malaquias. A interpretação dos escribas estava correta, entretanto a profecia se cumpriu diante deles, porém não perceberam. Por isso, ao invés de restaurar todas as coisas, acabaram com ele. O mesmo seria feito com o Messias (vs. 9-13).

• Embora Jesus operasse tremendos milagres, desde restaurar jovem possesso que ninguém conseguiu expulsar-lhe o demônio (vs. 14-21) até fazer aparecer moedas na boca do peixe para que Pedro pagasse o imposto (vs. 24-27), certamente Ele estava dizendo a verdade sobre ser entregue nas mãos dos homens e O matariam; contudo, ao terceiro dia Ele ressuscitaria (vs. 22-23).

Reflita:

1. Ninguém deve criticar ou dar broncas em Jesus (16:22); Ele sabe o que faz e deve ser ouvido (17:5).

2. Jesus sabia quem era e que seria morto; informando, estava preparando Seus discípulos: Ele é transparente, realista e preocupado com Seus frágeis servos (vs. 20, 27).

3. A cruz é essencial para a compreensão do ministério de salvação dos pecadores, jamais deveríamos evitá-la em nosso estudo, testemunho e pregações.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sexta-feira, 14 de maio de 2021

Casamento Feliz

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

14 de maio - sexta-feira

Casamento Feliz

O Senhor, Deus do Céu, que me tirou da casa de meu pai e de minha terra natal, e que me falou, e jurou, dizendo: À tua descendência darei esta terra, Ele enviará o Seu anjo, que te há de preceder, e tomarás de lá esposa para meu filho. Gênesis 24:7

Isaque foi altamente honrado por Deus, sendo feito herdeiro das promessas pelas quais o mundo deveria ser bendito; entretanto, aos 40 anos de idade, sujeitou-se ao ensino de seu pai ao designar seu servo experiente e temente a Deus, a fim de escolher uma esposa para ele. E o resultado daquele casamento, conforme é apresentado nas Escrituras, é um belo quadro que retrata a felicidade no lar: “Isaque conduziu-a até à tenda de Sara, mãe dele, e tomou a Rebeca, e esta lhe foi por mulher. Ele a amou; assim, foi Isaque consolado depois da morte de sua mãe” (Gn 24:67).

Que contraste entre o procedimento de Isaque e o que é praticado pelos jovens de nossos tempos, mesmo entre os que se dizem cristãos! Os jovens quase sempre acham que a entrega de suas afeições é uma questão que depende apenas da própria opinião, e que nem Deus nem os pais devem interferir no assunto. Muito antes de atingirem a idade de homens ou mulheres maduros julgam-se competentes para fazer sua escolha, sem o auxílio de seus progenitores. [...] Dessa maneira, muitos fizeram naufragar sua felicidade nesta vida e sua esperança da vida futura.

Os pais nunca devem perder de vista sua responsabilidade pela felicidade futura de seus filhos. O respeito de Isaque aos conselhos de seu pai foi o resultado do ensino que o habilitou a amar uma vida de obediência. Ao mesmo tempo em que Abraão exigia de seus filhos que respeitassem a autoridade paterna, sua vida diária testificava que essa autoridade não era um domínio egoísta ou arbitrário, mas que se fundava no amor, e tinha em vista o bem-estar e felicidade deles (Patriarcas e Profetas, p. 146).

Se há um assunto que deve ser cuidadosamente considerado, no qual se deve procurar o conselho de pessoas mais velhas e experientes, é o do casamento. Se há um momento em que a Bíblia é necessária como conselheira, e a direção divina deve ser procurada em oração, é antes de dar um passo que une pessoas para a vida toda (Patriarcas e Profetas, 141).

Ellen G. White, 21/2/1971

Sinais E Evidências - Mateus 16

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 16

Comentário Pr Heber Toth Armí 

 Existem dois caminhos, o da dúvida e o da fé; o da rejeição à verdade, e o da aceitação da verdade; o da crença e o da descrença. Em qual você anda depende de você!

Nos versículos iniciais deste capítulo, “encontramos nosso Senhor assediado pela incansável inimizade dos fariseus e dos saduceus. Via de regra, essas duas seitas tinham inimizade entre si. Mas quando resolveram perseguir a Cristo, aliaram-se uma à outra. Essa foi, com certeza, uma aliança iníqua! No entanto, quão frequentemente vemos a mesma coisa acontecendo nos nossos dias. Pessoas de hábitos e opiniões diametralmente opostas concordam em detestar o evangelho e trabalham juntas para se opor ao seu progresso” (J. C. Ryle).

No capítulo em pauta temos os seguintes pontos:

1. Jesus finaliza Seu ministério na Galileia, onde Ele rejeita Seus oponentes e críticos (vs. 1-4);

2. Na Galileia, embora rejeitado pelos líderes religiosos, Jesus começa a ser reconhecido por Seus discípulos (vs. 5-12);

3. Depois, Jesus começa a deslocar-Se para Jerusalém, onde será o palco do Seu sofrimento e os desafios para Seus discípulos: Jesus…

• …reafirma Seu sofrimento, mas recebe uma terrível bronca de Pedro (vs. 21-23);

• …fala da lealdade de Seus discípulos e as consequências de serem fieis (vs. 24:28).

Na lida com os críticos, Jesus transparece estar desinteressado em “provar cientificamente” ser Ele o Messias; na lida com Seus discípulos mais receptivos e abertos à revelação divina, mostra é o Pai quem Lhe revela aos pecadores (v. 17).

Satanás age constantemente para impedir as pessoas de crerem em Jesus. Satanás é um ser real e literal para Jesus, o qual não opera somente em quem rejeita Jesus, mas também nos Seus discípulos. Foi por um descuido de Pedro que logo após ter-se sensibilizado com a revelação divina, que ele chamou Jesus à parte e Lhe reprovou duramente (vs. 22-23).

A descrença pede sinais e evidências, mas quando Deus Se revela através de sinais e evidências, os incrédulos endurecem ainda mais. Precisamos deixar Deus trabalhar em nós para que não sejamos campos de trabalhos dos demônios.

A maior evidência da existência de Deus está na maior prova de amor revelada ao mundo: Jesus entregando-Se por nós, sem que merecêssemos!

Por que não tomar nossa cruz por Ele? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quinta-feira, 13 de maio de 2021

Os Métodos de Treinamento de Deus

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

13 de maio - quinta-feira

Os Métodos de Treinamento de Deus

Moisés fugiu da presença de Faraó e se deteve na terra de Midiã. Êxodo 2:15  

Moisés passou 40 anos como pastor de rebanhos, preparando-se para entender a si mesmo e purificando-se para se esvaziar de si, a fim de que o Senhor pudesse realizar nele Sua vontade. O Senhor não toma como obreiros meras máquinas no intelecto ou nos sentimentos. Esses dois aspectos do caráter humano são essenciais ao trabalho, mas devem ser purificados de defeitos, não com base no que se fala sobre a vontade de Deus, mas na prática de Sua vontade. Se alguém quiser obedecer a Ele, conhecerá a doutrina. Moisés estava sendo preparado por Deus. Suportou um longo processo de treinamento mental que o capacitou a ser o líder dos exércitos de Israel. [...]

Assim como Moisés, muitos têm bastante coisa para desaprender a fim de aprender as lições de que necessitam. Moisés precisou educar a si mesmo mediante severa disciplina mental e moral, e Deus trabalhou nele antes que Seu servo estivesse capacitado a treinar outros na mente e no coração. Fora instruído nas cortes egípcias. Nada foi considerado desnecessário em seu preparo para se tornar general de exércitos. As falsas teorias dos idólatras egípcios lhe haviam sido insufladas na mente. Por isso as influências que o rodeavam, e as coisas que seus olhos contemplavam não puderam ser facilmente afastadas ou corrigidas.

Assim acontece com muitos que receberam um falso preparo em qualquer área. Todo o refugo idolátrico do saber pagão precisava ser removido da mente de Moisés – partícula após partícula, item por item. Conforme seu modo de entender a realidade espiritual, Jetro o ajudou em muitos pontos a ter uma fé correta. Moisés trabalhava para o alto, para a luz onde podia ver a Deus em singeleza de coração. O Deus Jeová lhe foi revelado. O meticuloso preparo intelectual no Egito, e como pastor entre as montanhas, em meio ao ar puro, tornou-o um vigoroso pensador e um decidido praticante da Palavra de Deus (Manuscript Releases, v. 2, p. 324-326).

Ellen G. White, 2/4/2002

Lições de Vida:Mateus 15

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 15

Comentário Pr Heber Toth Armí 

 Mensagens fortes afastam aos egoístas, mas convertem aos humildes. Se você tem coragem, continue lendo!

Embora Jesus intentasse em alcançar os perdidos judeus, eles rejeitaram o único que poderia salvá-los.

“Por isso, Mateus 15.1-16.12 mostra Jesus voltando-se dos judeus para os gentios, entre os quais teve melhor acolhida. Em 15.1-20, Jesus não tinha saído de Israel em termos geográficos, mas com certeza o fizera em termos ideológicos […]. Em 15.21-28 Jesus sai da Galileia e vai para a Siro-Fenícia (região de Tiro e Sidom), onde encontrara uma mulher que Mateus deliberadamente chama de cananeia – um rótulo que devia recordar os horrores causados pelos antigos inimigos de Israel. Essa mulher admite estar num plano secundário na história da salvação […]. De modo ainda mais impressionante ele repetiu o milagre dos pães e dos peixes, dessa vez para quatro mil homens gentios e suas famílias (15.29-39)” (Craig Blomberg).

• Jesus respeita quem O rejeita, e procura quem O aceita!

“Em contraste com a zombaria dos judeus, esses gentios ‘glorificaram o Deus de Israel’, particularmente quando Jesus opera novamente uma série de milagres” (Blomberg).

Do capítulo em análise destacam-se preciosas lições:

• Hipócritas elaboram regras sobre as diretrizes divinas, então, acham defeitos onde não existem; valorizam mais o aspecto externo da religião do que o interno; além disso, suas críticas e implicâncias revelam que eles se sentem superiores até de Cristo.

• Jesus mostra que toda manipulação humana da Palavra de Deus macula a verdadeira religião. Legalismo e liberalismo revelam tal constatação.

• Tem pessoas e denominações dando mais crédito a dogmas e leis eclesiásticas do que à Palavra de Deus. As tradições humanas parecem mais atraentes que os ensinamentos divinos, a isso Jesus reprova.

• A religião aprovada pelo Céu começa no interior e se expande no exterior; precisamos entregar nosso coração inteiro, que parece um poço de pecados, ao senhorio absoluto do Senhor para que a adoração seja genuína, não hipócrita.

• Os promotores de falsas doutrinas devem ser rejeitados – assim como Jesus os rejeitou –, por mais que os mestres pareçam sábios e tenham status religiosos na sociedade.

• Quando a verdade celestial é rejeitada, devemos pedir a direção de Deus e tomar outro rumo, onde encontraremos pessoas receptivas.

• Finalmente, que não sejamos nós os resistentes à verdade.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quarta-feira, 12 de maio de 2021

Antigo Romance de Amor

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

12 De Maio - Quarta

Antigo Romance de Amor

Isaque [...] tomou a Rebeca, e esta lhe foi por mulher. Ele a amou. Gênesis 24:67

“Certo homem consultou um psiquiatra acerca da melhor coisa que devia fazer pelos filhos. Esperava receber conselho sobre educação, quem sabe a escola que deveriam frequentar e que vantagens culturais deveriam proporcionar aos meninos. Porém, o psiquiatra, que era homem muito sábio, disse simplesmente: ‘A melhor coisa que um pai pode fazer por seus filhos é amar a mãe deles.’ Isso é algo de que nos esquecemos! A criança que vive numa casa em que existe verdadeiro amor é abençoada muito mais do que aquela que o pai está em condições de dar todo o dinheiro do mundo” (Gerald Kennedy, Fresh Every Morning, p. 112).

Quando os acidentes aéreos são recorrentes, tomam-se imediatamente medidas para melhorar o padrão de segurança aérea. Quando fracassam milhares de casamentos, não deveria alguém se preocupar com esse problema grave na sociedade? O divórcio é algo devastador e traumatizante. A estrada que vai do altar ao tribunal é uma das mais trágicas que se pode percorrer. Como evitar esses desastres infelizes?

O caso de Isaque e Rebeca provê uma resposta parcial. Primeiro, embora o matrimônio deles tenha sido arranjado de acordo com os costumes de uma cultura diferente, a vontade de Deus estava na base da escolha dos cônjuges. Muitos jovens se recusam a dar a Deus a chance de os guiar. Têm medo de que Ele os guie contrariamente a seus desejos.

Em segundo lugar, a Escritura diz o seguinte a respeito de Isaque: “Ele a amou” (Gn 24:67). Evidentemente esse amor era verdadeiro, pois durou até que a morte os separasse. Isaque e Rebeca tinham seus problemas. Os filhos gêmeos eram em muitas vezes uma fonte de preocupação. Mas, apesar das dores de cabeça, havia no lar certa estabilidade, produzida pelo amor mútuo do casal.

 “O vínculo da família é o mais íntimo, o mais terno e sagrado de todos na Terra. Foi designado a ser uma bênção à humanidade. E assim o é sempre que se entre para o pacto matrimonial inteligentemente, no temor de Deus, e tomando em devida consideração as suas responsabilidades” (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 356, 357).

Norval F. Pease, 19/4/1970

Atos de Jesus Cristo - Mateus 14

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 14

Comentário Pr Heber Toth Armí 

 O pecado continuado silencia a consciência e abre as portas para a imoralidade descarada. E, ainda pior que isso, é desprezar, maltratar e até matar quem se levanta para denunciar  tais atos perversos. Assim agiram Herodes e sua família.

Leia Mateus 14, depois debruce nesta reflexão:

“Depois da morte de Herodes, o Grande, a Palestina foi dividida entre seus filhos […]. Herodias era filha de Aristóbulo, outro filho de Herodes, o Grande; desse modo, ao unir-se com Filipe, ela estava se casando com o próprio irmão de seu pai. O que precipitou a prisão de João Batista foi o fato de que Herodes Antipas (outro tio de Herodias) convenceu Herodias a deixar seu marido (irmão dele) para se casar com ele (Mc 6.17) configurando assim um incesto, bem como uma violação de Lv 18.16. João irou-se com o fato de que um governador de Israel pudesse cometer um pecado como esse de maneira tão aberta e, assim, repreendeu Herodes de modo severo (v. 4). Por causa disso, foi preso e, mais tarde, morto (Mc 6.14-29)” (John MacArthur).

“Salomé, filha de Herodias e Filipe. De acordo com o historiador judeu Josefo, ela se casou com outro filho de Herodes, o Grande (o irmão de seu pai e tio de sua mãe), entrelaçando ainda mais a teia de incesto nessa família” (MacArthur).

Observe estes pontos:

• Denunciou? Complicou-se! Quem denuncia imoralidade, impiedade e promiscuidade corre sério risco de sofrer humilhações, prisões e até martírio; consequentemente, muitos pregadores agradam seu público não pregando a verdade como ela é realmente na Bíblia (vs. 1-14).

• Apesar dos atos miraculosos, misericordiosos e amorosos de Cristo, muitos O odeiam e O rejeitam por causa da Sua aversão ao pecado. Jesus alimentou uma multidão (vs. 15-24) e acalmou um agitado mar (vs. 22-36); contudo, em breve enfrentaria situações bem piores que a de João Batista.

• Na história mundial “ninguém sabe ao certo quantos deram sua vida pelo evangelho. O que se sabe é que, por gerações, cristãos foram torturados, perseguidos, esquartejados, queimados, mortos à espada e jogados aos leões… Ao ouvi-los, a multidão enfurecida acusava-os de heresia”. Pela falta de cristãos como João Batista, “hoje, Jesus é uma logomarca. Um discurso, qualquer emblema. Há todo tipo de Cristo para agradar a clientela. Basta escolher” (Douglas Reis).

Hoje, faltam-nos Joões Batistas!

Caiamos de joelhos, clamemos: “Senhor, reaviva-nos. Dá-nos poder espiritual” – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

terça-feira, 11 de maio de 2021

Os Laços do Matrimônio

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Terça-feira, 11 de maio

Os Laços do Matrimônio

Disse mais o Senhor Deus: Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea. Gênesis 2:18

Muitas vezes tenho lido estas palavras: “O casamento é uma loteria.” Alguns procedem como se acreditassem nessa declaração, e sua vida matrimonial testifica de que para eles assim é. Mas o verdadeiro matrimônio não é loteria. O matrimônio foi instituído no Éden. Após a criação de Adão, o Senhor disse: “Não é bom que o homem esteja só; far-lhe-ei uma auxiliadora que lhe seja idônea.” Quando o Senhor apresentou Eva a Adão, anjos de Deus testemunharam a cerimônia. Existem, porém, poucos casais que se acham completamente unidos ao ser realizada a cerimônia matrimonial. A fórmula das palavras pronunciadas na presença dos dois que tomam sobre si o voto matrimonial não os torna uma unidade. Em sua vida futura é que deve realizar-se a união dos dois em matrimônio. Pode tornar-se uma união realmente feliz, se cada qual dedicar ao outro verdadeira afeição do coração.

O passar do tempo, entretanto, despoja o casamento do romance de que o revestira a imaginação, e então, por sugestão de Satanás, insinua-se no espírito o pensamento: “Não nos amamos mutuamente como o supúnhamos.” Rejeitem esse pensamento! Não se demorem nele! Recuse cada qual, esquecido de si mesmo, entreter as ideias que Satanás teria grande prazer em que acariciassem. Ele atuará para os tornar suspeitosos, ciumentos quanto a qualquer coisinha que apresente a menor ocasião, a fim de separar suas afeições mútuas. [...] Desaparecido o romance, pense cada qual, não de modo sentimental, como ele ou ela poderá tornar a vida conjugal aquilo que Deus teria prazer em que fosse.

A vida é preciosa dádiva de Deus e não deve ser desperdiçada em egoístas lamentações ou aberta indiferença e desafeição. Que marido e mulher, juntos, combinem tudo de novo! Renovem as primeiras atenções mútuas, reconheçam mutuamente suas faltas, mas nesta obra sejam muito cuidadosos para que o marido não se incumba de confessar as faltas da esposa, ou ela as do marido. Resolvam ambos ser tudo que for possível um ao outro, e os laços do matrimônio serão os mais desejáveis dos laços (Carta 76, 1894). Seu lar pode ser um símbolo do Céu (Carta 10, 1894).

Ellen G. White, 15/7/1968

Ensinamentos de Jesus - Mateus 13

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 13

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Desde o capítulo anterior percebe-se que é mais fácil expulsar demônios de um surdo e mudo do que fazer líderes espirituais enganados enxergar, ouvir e aceitar a verdade como está retratada na Bíblia.

Jesus não perdeu Seu tempo com quem não queria ouvi-lO. Após contar a parábola do semeador (vs. 1-8), declarou: “Quem tem ouvidos para ouvir, ouça” (v. 9).

Por causa dos perturbadores críticos, ignorantes arrogantes, estúpidos religiosos engados e enganadores, Jesus precisou mudar Sua tática de evangelização. Desta forma, “a polarização das respostas de Jesus obrigou-o a concentrar-se naqueles que continuaram receptivos à mensagem” (Craig L. Blomberg).

Após explicar que estava falando por parábolas (vs. 10-12) para que líderes espirituais charlatães não entendessem (vs. 14-15), Jesus citou Isaías:

Seus ouvidos estão abertos, mas não entendem uma palavra.

Seus olhos estão abertos, mas não veem nada.

Esse povo é cabeça-dura!

Eles tapam os ouvidos com os dedos

para não ter de escutar.

Eles fecham os olhos

para não serem obrigados a ver

e, assim, evitam ficar comigo face a face

e me deixar curá-los.

Depois, Jesus dirigiu-Se ao povo atento: “Mas bem-aventurados os vossos olhos, porque veem, e os vossos ouvidos, porque ouvem. Porque em verdade vos digo que muitos profetas e justos desejaram ver o que vós vedes, e não viram; e ouvir o que vós ouvis, e não o ouviram” (vs. 16-17).

Para os mais íntimos, Jesus explicou a parábola do Semeador (vs. 18-23). Na sequência contou outras parábolas:

1. Do trigo e o joio (vs. 24-30);

2. Do grão de mostarda (vs. 31-32);

3. Do fermento que levada à massa (v. 33).

O texto faz pausa, para, novamente explicar e fundamentar a razão pela qual Jesus passou a utilizar parábolas, símbolos e comparações para falar do reino de Deus (vs. 34-35).

Após isso, Jesus explicou a parábola do joio (vs. 36-43) e voltou a contar novas parábolas:

4. Do tesouro escondido (v. 44)

5. Da pérola (vs. 45-46)

6. Da rede (vs. 47-50).

Os novos ensinamentos de Jesus baseados nas antigas revelações (vs. 51-52) impressionaram aos ouvintes dedicados, mas perturbaram outros (vs. 53-58).

A questão deste capítulo é se ouviremos ou não aquilo que o Rei Jesus tem a dizer! Ouviremos Sua mensagem do Reino de Deus? Então, demonstremos… – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

segunda-feira, 10 de maio de 2021

Fé Inabalável

 MEDITAÇÃO DIÁRIA


Segunda-feira, 10 de maio

Fé Inabalável

O que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé. 1 João 5:4

O que é fé? Dizer que acreditamos no que não vemos? Ter certeza de que algo incerto vai acontecer? Apesar de não ser fruto da razão, mas de um relacionamento com Deus, gostaríamos de propor que a fé é algo racional e concreto, revelado por meio da vida daquele que crê. Pessoas de fé revelam sua crença sem ter medo da morte, conforme os mártires deram testemunho ao longo do tempo.

A Bíblia mostra que, no decorrer da história, várias decisões foram tomadas com base na fé ou na falta dela. Eva, por exemplo, duvidou, e todo mal sobreveio à humanidade como consequência de sua escolha (Gn 3). Pela fé, Noé construiu a arca, mesmo sem nunca ter visto chuva, e pôde preservar a humanidade por ocasião do dilúvio (Gn 7). Abraão foi elogiado por sua fé quando atendeu ao chamado divino (Gn 12). Como resultado de sua decisão, somos seus filhos espirituais, herdeiros da promessa de Deus.

Atualmente podemos reconhecer uma pessoa de fé quando ela renuncia ao eu, é fiel em todas as coisas e espelha o caráter de Cristo. Assim, a fé não se restringe a conceitos teológicos. Mais do que sinônimo de confiança, ela nos leva a agir.

Uma pessoa de fé vive e espera com paciência e age com resolução em momentos de dificuldades. A fé leva à paz de espírito, coerência, tranquilidade e coragem. O Senhor conhece nossa vida e tem o controle de tudo nas mãos. Pela fé, descansamos acreditando que “Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que O amam” (Rm 8:28).

Consciente disso, creia que o Senhor vai à sua frente. Isso motivará você à lealdade e à certeza da vitória na luta contra o mal. Peça a Deus que fortaleça sua fé continuamente, a fim de que nada seja capaz de destruí-la.

Jesus deixou a lição - Mateus 12

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 12

Comentário Pr Heber Toth Armí 

A partir deste capítulo, o evangelista Mateus, inspirado pelo Espírito Santo, revela aos leitores que, “a rebelião contra o Rei adquire mais e mais força. Os fariseus rejeitaram seu mensageiro, João Batista (11:1-19), e não se arrependeram, apesar das obras poderosas de Jesus (11:20-30). Agora, eles discutem com Jesus a respeito de seus princípios (a questão do sábado) e até acusam-no de ter ligação com Satanás!” (Warren W. Wiersbe).

Analise…

1. Quem não se submete a Deus é ignorante, mesmo tendo estima e status de líder religioso e mestre espiritual. Líderes religiosos dos tempos de Jesus declararam ser certo, o errado; e, o errado, certo – referindo-se ao sábado (vs. 1-2).

• Quanto a isso nos dias atuais, não acontece a mesma coisa?

2. Jesus respondeu aos críticos acusadores baseando-se na Bíblia. Ele fez referência às Escrituras em I Samuel 21; Números 29; e, Oseias 6. Jesus tinha autoridade própria, entretanto preferiu revelar a autoridade da Palavra escrita (vs. 3-8).

• Adianta fundamentar respostas na Bíblia aos ignorantes arrogantes?

• Será que, quando Jesus responde com maestria divina, os céticos se convencem?

3. Críticos e acusadores acreditam possuir a verdade, quando, na realidade, estão enredados na mentira. O orgulho nunca cede à verdade mesmo provada. A arrogância não dá lugar a Cristo. Os líderes espirituais implicavam com tudo o que Cristo, o Emanuel, Deus conosco, fazia. Após implicarem quanto à cura realizada no sábado, Jesus retirou-Se (vs. 9-21).

• Adianta querer fazer enxergar a quem se nega ver? Nem Jesus consegue!

4. Falará coisas absurdas e acusará com descarado engano, aquele que fecha a mente e o coração à revelação e explicação de Deus. Após Jesus expulsar o demônio de um cego e mudo, líderes da melhor religião do mundo O acusaram de possuir poder de Belzebu – maioral dos demônios. Jesus apresentou Sua réplica com veemência, lógica e retórica; contudo, o resultado foi insatisfatório (vs. 22-45).

• Jesus deixou a lição: Não adianta usar os melhores argumentos para convencer quem se opõe abertamente à verdade.

5. Familiares de Jesus são aqueles que se rendem à Palavra, ou seja, à vontade do Pai (vs. 46-50).

• Da mesma forma que Jesus não tem ligação nenhuma com Satanás, também nunca transgrediu o sábado descrito na Palavra!

Reavivemo-nos na Palavra! Precisamos, não? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

domingo, 9 de maio de 2021

Honrando Nossas Mães

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 9 de maio

Honrando Nossas Mães

Muitas mulheres são exemplares, mas você a todas supera. Provérbios 31:29, NVI

Era um dia especial para as crianças da igreja. Cada uma devia recitar um verso da Bíblia. Uma menininha foi à frente com o texto memorizado. Mas, ao se colocar diante de todos, ela se esqueceu do verso. Não conseguia pronunciar uma única palavra. A mãe, que estava sentada na primeira fila, movimentando os lábios, tentou formar a frase para a menina e cochichou: “Eu sou a Luz do mundo.” Imediatamente o rosto da garotinha brilhou, e ela disse com firmeza: “Minha mãe é a luz do mundo.” Todos riram, mas reconheceram que a menina não estava tão longe da verdade, pois, em cada lar, a mãe é uma luz irradiando amor e alegria.

Hoje quero homenagear as mães por existirem. São elas que fazem funcionar de maneira incansável o mecanismo da vida doméstica, que é cheio de detalhes. É só a mãe se ausentar por dois ou três dias, e tudo fica fora de lugar. Elas são especialmente lembradas uma vez por ano, mas até mesmo no seu dia não ficam sem fazer nada.

Muitas delas estudam e trabalham, mesmo assim, quem é que acorda ao primeiro sinal de choro do bebê? Quem usa o colo para fazê-lo adormecer? Quem se levanta primeiro para que ninguém se atrase em casa? Quem arruma a mochila e o lanche das crianças para a escola?

Frederick Kruse disse que “a mãe é a única criatura na Terra que pode chorar quando está feliz, rir quando está triste e trabalhar quando está doente. Ela pode ser ao mesmo tempo conselheira amorosa a uma filha desconsolada, e uma ‘técnica de futebol’ para um filho atleta”.

“Talvez o seu nome jamais apareça nos anais da História nem receba honra ou aplauso do mundo, […] mas é imortalizado no livro de Deus. Ela está fazendo o que pode, e sua posição, à vista de Deus é mais elevada do que a de um rei em seu trono, pois está lidando com o caráter e modelando inteligências” (Ellen G. White, Fundamentos da Educação Cristã, p. 158, 159).

 Agora é nossa vez de fazer com que hoje seja um dia muito feliz para nossas mães.

José Maria Barbosa Silva, 8/5/2011

Vinde a mim - Mateus 11

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 11

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Tudo neste mundo conspira contra nossa alegria. O pecado é a nossa ruína e a maior desgraça que acometeu à nossa raça. Seus efeitos alcançaram nossa mente, percepção e visão da realidade.

Por isso, dedicamos nosso tempo em coisas erradas, tentando alcançar resultados positivos – o que é impossível.

O capítulo em questão nos revela que:

1. Diante de incertezas e dúvidas, procure Jesus e Sua Palavra, solicitando humildemente que Ele te esclareça as coisas que inquietam teu coração: Jesus surpreendeu os discípulos de João Batista com Suas respostas; e, elogiou, na ausência deles, ao último dos profetas que anunciou Sua primeira vinda (vs. 1-15). Jesus extrapola nossas expectativas.

2. Diante dos enviados de Deus, críticos e julgadores sempre chegam a conclusões equivocadas: Os críticos de plantão analisaram João Batista e o rejeitaram por causa de sua austeridade, alegando ser ele enviado do diabo; observaram a Jesus pelos padrões de sua limitada visão e, concluíram que deveriam recusá-lO por Sua empatia exagerada em relação ao pecador (vs. 16-19). O pecado cega, embrutece e bloqueia a percepção humana.

3. Diante das cidades impenitentes, que ignoram o evangelho, Jesus revela a sentença do juízo final: Censuras, mas não críticas; reprovação, mas não acusação; é assim que Jesus lida com Corazim, Betsaida, Tiro e Cafarnaum, deixando uma advertência a cada cidade do mundo que rejeita o Salvador (vs. 20-24).

4. Diante de um mundo condenado e desgraçado, Jesus oferece graça aos humildes: Não são os contemplados com intelecto privilegiado que apreende às singelas verdades espirituais, mas aqueles que, com coração simples e humilde, atenta para os mistérios revelados por Deus (vs. 25-27).

5. Diante da insatisfação, canseira, estresse, insatisfação, enfado das coisas e prazeres mundanos, Jesus misericordiosamente convida: Ele apela dizendo que aprendamos a ser mansos e humildes de coração para que alcancemos descanso para o coração (vs. 28-30).

Com Cristo, dúvidas transformam-se em certezas; pequenos tornam-se grandes; e, condenação resulta em absolvição. Junto a Cristo tudo é diferente, Ele acaba com a vida entediante. Não há como ter vida melhor que o estilo de vida prescrito por Cristo.

Você quer ter paz e alegria? Eis os passos para uma radical mudança de vida.

Rejeitar Jesus implica em rejeitar a vida. Em Cristo podermos reavivar-nos, revigorarmo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sábado, 8 de maio de 2021

Eficácia do Sangue de Cristo

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Sábado, 8 de maio

Eficácia do Sangue de Cristo

É o sangue que fará expiação em virtude da vida. Levítico 17:11

Cristo foi o Cordeiro morto desde a fundação do mundo. Tem sido para muitos um mistério o motivo de, na velha dispensação, terem sido exigidas tantas ofertas sacrificais e por que tantas vítimas eram levadas ao altar. Mas a grande verdade que devia ser mantida diante dos homens, sendo gravada no espírito e no coração, era: “Sem derramamento de sangue não há remissão” (Hb 9:22). Em todo sacrifício de sangue “o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo”, era representado (Jo 1:29). Foi o próprio Cristo o originador do sistema de culto judaico, no qual, por tipos e símbolos, eram imperfeitamente representadas coisas espirituais e celestiais. […]

Vivemos hoje no tempo em que o tipo encontra o antítipo na oferta de Cristo pelos pecados do mundo; vivemos na época de grande luz. Porém, poucas pessoas são beneficiadas com a grande e essencial verdade de que Cristo fez um amplo sacrifício por todos! O que a justiça exigia Cristo satisfez na oferta de Si mesmo, e “como escaparemos nós, se negligenciarmos tão grande salvação?” (Hb 2:3, ARC). Os que rejeitam o dom da vida serão indesculpáveis (Signs of the Times, 2 de janeiro de 1893).

Graças a Deus por que Aquele que derramou Seu sangue por nós vive para apresentá-lo diante de Deus e interceder por toda pessoa que O aceita. “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (1Jo 1:9). O sangue de Cristo nos purifica de todo pecado. Comunica melhores coisas que o de Abel, pois Cristo vive sempre para fazer intercessão por nós. Precisamos conservar sempre diante de nós a eficácia do sangue de Jesus. Esse sangue purificador, mantenedor da vida, é nossa esperança, se nos apoderarmos dele. Precisamos crescer na apreciação de seu inestimável valor, pois ele só fala em nosso favor quando, pela fé, suplicamos sua virtude, mantendo a consciência limpa e em paz com Deus. Isso é representado pelo sangue perdoador, inseparavelmente ligado com a ressurreição e a vida de nosso Redentor, ilustrado pela incessante corrente que procede do trono de Deus, a água do rio da vida (Carta 87, 1894).

Ellen G. White, 10/2/1962

A pregação do Evangelho - Mateus 10

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 10

Comentário Pr Heber Toth Armí 

O desleixo com o evangelho verdadeiro, a mornidão espiritual dos membros da igreja, a duplicidade de vida e de caráter, a indiferença a Deus e ao próximo, e o namoro com o pecado, levam mais pessoas renderem-se aos pés do diabo do que a entrega aberta a pecados.

Qualquer prioridade ou qualquer outra escolha que interfira entre você e Deus te “levará à rejeição por parte de Jesus, [e causará] a perda da vida eterna” (David S. Dockery).

• Permitirás Deus ser prioridade em tua vida?

Após convocar oficialmente Seus discípulos à missão evangelística (vs. 1-4), Jesus dividiu Seu sermão em duas partes:

1. Requisitos para a evangelização: Os enviados por Cristo, a) devem sair em dupla, b) viajar sem fardos e sem impedimentos, c) depender da hospitalidade de pessoas cheias de bondade, d) não ater-se ou distrair-se com quem despreza o verdadeiro evangelho, e, f) delimitar a esfera de ação (vs. 5-16).

2. Os resultados da evangelização: Os enviados de Jesus 1) enfrentariam rejeição por parte de religiosos e não-religiosos, familiares e autoridades políticas; por isso, 2) deveriam ter atitudes corretas frente às dificuldades: Temer a Deus, não as pessoas (vs. 17-31).

Curiosidades:

• Primeira: O texto contraria a crença da maioria dos religiosos de que a alma não morre (v. 28).

• Segunda: O melhor e mais fiel dos cristãos enfrentam tribulação, embora Deus cuida, protege e preserva àquele que Lhe pertence (vs. 29-33).

• Terceiro: Cruz não significa dificuldade, mas morte; ou seja, quem não morrer plenamente para o EU não pertencerá a DEUS (vs. 34-39).

Observe que, apesar das dificuldades, as recompensas compensam aos que aceitam tornarem-se seguidores de Jesus e colocarem Deus acima de tudo, inclusive da família, e, receberem, hospitaleiramente, outros servos de Cristo (vs. 32-42).

Agora reflita:

• Que tipo de evangelho você conhece?

• Que evangelho foi pregado a você?

• Como é apresentado o evangelho em tua igreja?

• Você pensa que pratica ou realmente pratica o evangelho?

• Você tem certeza que vive o evangelho bíblico?

• O evangelho que você abraçou não está corrompido ou foi adulterado?

Nem todo evangelho pregado no mundo pode ser considerado verdadeiro pela Bíblia. É tempo dos verdadeiros servos de Deus levantar a voz e proclamar com intrepidez o que Jesus realmente disse e fez.

“Senhor, reaviva-nos!” – Heber Toth Armí

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sexta-feira, 7 de maio de 2021

O Tempo Do Fim

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Sexta-feira, 7 de maio

O Tempo Do Fim

Tu, porém, Daniel, encerra as palavras e sela o livro, até ao tempo do fim; muitos o esquadrinharão, e o saber se multiplicará. Daniel 12:4

Ao longo dos séculos, muitos comentaristas da Bíblia têm estudado as profecias apocalípticas das Escrituras. No entanto, nenhum acontecimento dos tempos modernos despertou mais interesse do que a prisão do papa Pio VI pelas tropas francesas, lideradas pelo general Alexandre Berthier, em 15 de fevereiro de 1798. Preocupado com o fato de a Revolução Francesa estar levando à ruína o cristianismo na França, o pontífice condenou o movimento e chegou a apoiar uma coligação contra ele. Reagindo a isso, soldados franceses conquistaram Roma, depuseram o papa de sua autoridade temporal e o levaram como prisioneiro, sob escolta, para diferentes locais. Ele morreu em Valença, em 29 de agosto de 1799. Somente em 1929 o Estado do Vaticano seria totalmente reintegrado.

Diversos estudiosos das Escrituras entenderam a prisão do papa como o fim dos 1.260 dias-ano de supremacia papal (Ap 11:3; 12:6; cf. Dn 7:25; Ap 11:2; 12:14; 13:5) e o início do “tempo do fim” (Dn 8:17; 11:35, 40; 12:4, 9; cf. 8:19). Esse fato marcante despertou grande interesse pelas profecias bíblicas. As duas profecias temporais seladas no livro de Daniel – as 2.300 tardes e manhãs simbólicas (Dn 8:14, 19, 26, 27) e “um tempo, dois tempos e metade de um tempo” (Dn 12:4-7) – finalmente foram compreendidas. A partir de então, o tempo não seria mais apenas regular (do grego kronos), mas escatológico (do grego eschaton). Assim, o tempo se tornou solene e passou a haver uma consciência crescente a seu respeito.

Muitos pregadores ao redor do mundo enfatizaram o cumprimento tanto das profecias temporais quanto dos sinais cósmicos do breve retorno de Cristo (Mt 24:29-31; Lc 21:25-28). Mas Ele não voltou tão prontamente quanto se esperava, e agora o “tempo do fim” se estende por mais de dois séculos. Conforme indica a parábola das dez virgens (Mt 25:1-13), a tardança do noivo levaria todas elas a sentir sono e dormir. Contudo, a vinda do noivo foi apenas adiada, não cancelada. Se esse acontecimento glorioso estava relativamenteperto naquela época, está muito mais próximo agora.

Se, naqueles dias, os que acreditavam no advento viviam em ávida expectativa, quanto mais devemos nós viver agora! Não abramos mão de nossa bendita esperança!

Alberto R. Timm, 15/2/2018

Ensinamentos de Jesus- Mateus 9

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 9

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Observe o que Brennan Manning disse: “Para muitos cristãos a Bíblia não é uma seta apontando para Deus, mas o próprio Deus. Numa palavra: Bibliolatria”.

Essa forma de encarar a Bíblia não transforma a vida, nem reforma o caráter. É mais uma forma sutil de idolatria. Temos que ler a Bíblia para sermos conduzidos a Jesus, O qual nos conduz ao Pai. Do contrário, ela não passa de mais um amuleto imprestável.

No capítulo em análise encontram-se preciosos ensinamentos:

1. Jesus revelou Seu poder de perdoar os pecadores, não importa a condição em que estejam (vs. 1-8);

2. Jesus exerceu Sua autoridade messiânica ao chamar pecadores, sejam eles quem forem (vs. 9-10);

3. Jesus apresentou Suas razões para relacionar-Se com pecadores, grandes pecadores na visão dos líderes religiosos (vs. 11-13);

4. Jesus auxiliou pecadores que líderes religiosos incutiram dúvidas teológicas referentes às práticas tradicionais (vs. 14-17);

5. Jesus indicou que o verdadeiro evangelho restaura aquele que tem e exerce corretamente a fé (vs. 18-26);

6. Jesus demonstrou que aquele que experimenta o verdadeiro e puro evangelho alcança cura física, mental e espiritual (vs. 27-34);

7. Jesus explicou que aquele que experimentar o poder restaurador do verdadeiro evangelho deve unir-se a um ministério eficiente para compartilhar a verdadeira religião com aqueles que carecem do amor restaurador de Deus (vs. 35-38).

Saber que Jesus tem poder é uma coisa, experimentar esse poder é outra; ter informações sobre o efeito do amor de Cristo é uma coisa, experimentar mediante a fé esse amor é outra coisa bem diferente.

Ao conhecer o evangelho bíblico percebe-se que é diferente do evangelho diluído e genérico que se tem pregado em muitos púlpitos; contudo, a fim de experimentar sua eficácia só é possível por meio da fé verdadeira que se apega a Jesus. Assim é que o evangelho se torna restaurador e transformador de todo e qualquer pecador.

Prezados reavivados… Desconfie do evangelho destituído de poder; cuidado com evangelistas egoístas, interesseiros e ambiciosos; Jesus restaurou pessoas sem exigir nada delas, a não ser a fé prática!

Nos dias atuais, carecemos de cristãos que…

• …tomem o evangelho como ele é.

• …entendam o evangelho como um poder para transformar vidas destituídas de perspectivas positivas.

• …sejam bênçãos na vida de outras pessoas! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quinta-feira, 6 de maio de 2021

Cuidar dos Seus

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Quinta-feira, 6 de maio

Cuidar dos Seus

Ora, se alguém não tem cuidado dos seus e especialmente dos da própria casa, tem negado a fé e é pior do que o descrente. 1 Timóteo 5:8

Dizer que uma pessoa negou a fé e é pior que o descrente não é uma declaração de pequena importância. No entanto, assim se diz de alguém que não provê sustento para a própria família. Deus espera que demos a nossos queridos o lugar de destaque que eles merecem.

“A restauração e reerguimento da humanidade começam no lar. A obra dos pais é a base de toda outra obra. A sociedade compõe-se de famílias, e é o que a façam os chefes de família. Do coração ‘procedem as fontes da vida’ (Pv 4:23); e o coração da comunidade, da igreja e da nação é o lar. A felicidade da sociedade, o êxito da igreja e a prosperidade da nação dependem das influências domésticas” (Ellen G. White, A Ciência do Bom Viver, p. 349).

Cuidar da família significa mais do que simplesmente pagar as contas. Disse alguém: “Muitos pais são apenas hóspedes da casa. Chegam ali ocasionalmente.” Na verdade a família de um homem é mais importante do que sua carreira. Caso o trabalho e o dinheiro sejam mais importantes, existe algo errado no senso de valores da pessoa. É o pão mais importante do que a vida daqueles para quem é provido? Se o lar é o centro da vida, destruiremos o coração por coisas menos importantes?

Uma vez que a edificação do lar é a suprema conquista da sociedade, os deveres de um homem como marido e pai têm prioridade. Os filhos necessitam de pais e mães, não de terceiros. Devemos dar às coisas mais importantes o lugar especial em nossa vida. Inclusive ministros do evangelho precisam compreender que os “deveres do pastor jazem em torno dele, próximos e distantes; mas seu primeiro dever é para seus filhos. […] Coisa alguma pode desculpar o pastor de negligenciar o círculo interior, pelo mais amplo círculo externo” (Ellen G. White, Obreiros Evangélicos, p. 204). Isso se aplica à realidade de qualquer família.

Ellen White ensina: “Uma família bem estruturada e disciplinada é mais preciosa aos olhos de Deus do que ouro fino, mesmo que o mais fino ouro de Ofir” (O Lar Adventista, p. 25).

Paul C. Heubach, 20/9/1958

Perfil de Discípulo - Mateus 8

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 8

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Leia e medite atentamente com oração e discernimento nos 34 versículos de Mateus 8.

É necessário ter motivação correta ao seguir a Jesus; do contrário, Ele prefere que não O siga. Qualquer seguidor teórico ou interesseiro é descartado. Qual a motivação correta? Que tipo de seguidor de Cristo você é?

Reflita! Jesus…

• …realizou muitas curas (um leproso, um criado, a sogra de Pedro e muitos endemoninhados foram restaurados); isso atraiu multidões. Note que Jesus não começou curando para atrair discípulos, mas ensinando (veja Mateus 5 a 8).

• …cumpriu ao pé da letra à Palavra de Deus revelando a relevância do Antigo Testamento sem nada ignorar do que havia sido escrito (v. 17; Isaías 53). O verdadeiro discípulo não ignora e nem despreza as Escrituras que Jesus valorizou.

• …percebeu discípulos interessados em segui-lO por causa de curas e milagres, por isso foi direto ao ponto quando falou a esse tipo de seguidores: “‘Está mesmo disposto a isso? Saiba que não costumamos a ficar nas melhores hospedagens’. Outro seguidor pediu: ‘Mestre, preciso que o Senhor me libere por alguns dias. Tenho de cuidar do funeral de meu pai’. Jesus recusou: ‘Prioridades em primeiro lugar! Seu compromisso deve ser com a vida, não com a morte! Siga-me! Busque a vida!’” (vs. 20-20).

• …dormiu num barco quando sobreveio uma terrível tempestade, quando O despertaram, acalmou a tempestade com uma declaração; os que O seguiam perguntaram quem era aquele homem. Só quem segue a Jesus desinteressadamente por amor experimentará milagres (vs. 23-27).

• …veio libertar pessoas, não do jugo romano, mas do jugo do pecado, da opressão dos demônios e das correntes do mal; mas muitos ficam indignados com Ele por isso, mas outros O buscam exatamente por isso (vs. 28-34).

Imagino que este Jesus seria rejeitado por muitos cristãos modernos. Há muitos que pregam para entreter, outros para iludir; muitos gostam do Jesus que satisfaz ambições por bens materiais, faz curas e milagres aqui e agora, mas não querem o Jesus que salva, perdoa e liberta do pecado.

Contudo, há também aqueles que amam a Jesus, assumem compromisso com Ele independente das consequências. Se você pertence a este perfil de discípulo, tua vida será diferente daqueles que são indiferentes a Cristo!

Vamos reavivar o verdadeiro discipulado bíblico? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quarta-feira, 5 de maio de 2021

Fale de Jesus

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Quarta-feira, 5 de maio

Fale de Jesus

Rendei graças ao Senhor, invocai o Seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os Seus feitos. Salmo 105:1

Alguém me fez uma pergunta estranha: “Eu sei que devo orar e meditar na Palavra de Deus todos os dias, porque esta é a maneira de manter o relacionamento com Jesus, mas comigo não dá certo. Muitas vezes me propus a separar tempo diário para Jesus, mas em poucos dias minhas determinações desaparecem. Qual é o problema comigo? Por que não consigo ser constante na minha vida devocional?”

O salmista responde à pergunta dessa pessoa. Para que a vida devocional do cristão seja uma experiência duradoura, deve envolver três coisas: render graças, invocar e fazer conhecidos os atos de Deus. O terceiro elemento é o “conservante” da vida devocional.

Se você limitar sua devoção diária a orar e estudar a Bíblia, em pouco tempo perderá a motivação. O que sustenta o desejo de buscar diariamente a Jesus é tornar conhecido, entre os povos, os feitos de Deus.

Qualquer verdade aprendida e não transmitida desaparece em pouco tempo. Quando você conta a alguém o que Jesus faz diariamente em seu favor, sua experiência cristã se aprofunda, e você sente vontade de continuar buscando a Jesus em oração e por meio do estudo das Sagradas Escrituras.

O testemunho diário não é uma opção. É o único caminho para continuar crescendo na experiência espiritual. Quando Jesus deixou a missão de pregar o evangelho a Seus discípulos, não fez isso porque Ele não pudesse resolver por Si mesmo a questão da evangelização do mundo. Somos nós, os seres humanos, que precisamos “fazer conhecidos, entre os povos, os Seus feitos”, para que não se percam na lembrança do passado. Eles tornam-se vida quando são contados a outros.

 Não fique em silêncio hoje. Conte aos outros as coisas maravilhosas que Jesus fez por você. Assim, você verá que além de afirmar essas verdades em sua vida, você esquecerá as tristezas, dificuldades ou provações que estavam distraindo sua atenção.

 Siga o conselho do salmista: “Rendei graças ao Senhor, invocai o Seu nome, fazei conhecidos, entre os povos, os Seus feitos.”

Alejandro Bullón, 23/11/2007

Conclusão do Sermão do Monte - Mateus 7

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 7

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Tem gente que não dá a mínima pelas máximas divinas, vive como mundano, professando ser cristão. O cristão de verdade assimila à sua vida os ensinamentos de Cristo.

No capítulo em análise há ensinamentos que contrariam veementemente à natureza humana. Observe como começa: “Não bombardeiem de críticas as pessoas quando elas cometem um erro, a menos que queiram receber o mesmo tratamento. O espírito crítico é como um bumerangue. É fácil ver uma mancha no rosto do próximo e esquecer-se do feio riso de escárnio no próprio rosto”.

Por trás de repreensões e exortações sempre há lições que conduzem à edificação do caráter; porém, por trás de críticas, sempre há destruição. Biblicamente, a crítica não é construtiva, apenas na cabeça de quem não quer converter-se desse mal.

Tem mais:

“Tomem cuidado com pregadores muito sorridentes: a sinceridade deles é fabricada. Eles não perderão nenhuma oportunidade para depenar vocês. Não fiquem impressionados com o carisma. Procurem o caráter. […] Um líder de verdade jamais irá explorar as emoções ou as economias do povo” (vs. 15-20).

Certos pregadores são verdadeiros exploradores. Arrancam dinheiro, abusam emocionalmente e iludem os fieis. Nem todos os pastores que fazem curas, milagres e profetizam em nome de Jesus são enviados de Deus; o diabo também envia pregadores para falar de Jesus.

• Satanás usa todos os recursos para enganar, você não está em alguma de suas armadilhas?

Jesus disse ainda em seu sermão poderoso: “As palavras que vos digo não são meros adendos ao seu estilo de vida, como a reforma de uma casa, que resulta em melhora de padrão. Elas são o próprio alicerce, a base de sua vida. […] Mas, se vocês usarem minhas palavras apenas para fazerem estudo bíblico, sem nunca aplicá-las à própria vida, não passarão de pedreiros tolos, que constroem sua casa sobre a areia da praia…” (vs. 24-27).

Observe que, “quando Jesus concluiu seu [sermão], a multidão o aplaudiu. […] Foi a melhor aula que eles tinham ouvido” (vs. 28-29).

Nos dias de hoje, precisamos aprender que…

• …Sermõezinhos produzem cristãozinhos, sermões fortes nos fortalecem;

• …Sermão forte não é dar paulada na igreja (criticar tudo e todos), mas edificar;

• …Sermão forte é falar a verdade em amor.

O impacto desse sermão deve alcançar nosso coração! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

terça-feira, 4 de maio de 2021

Quando O Microfone Estiver Desligado

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Terça-feira, 4 de maio

Quando O Microfone Estiver Desligado

Servindo de boa vontade, como ao Senhor e não como a homens. Efésios 6:7

Na noite de abertura da assembleia da Associação Geral dos Adventistas do Sétimo Dia, em Utrecht, na Holanda, o coral de juvenis de uma escola das Filipinas cantou. O solista do coral não tinha mais que 13 anos. Podemos imaginar as longas horas de ensaio, os preparativos, as incontáveis recomendações e toda expectativa para aquela noite. Ele e seus pais deveriam estar orgulhosos com a oportunidade de louvar a Deus na presença dos representantes da igreja mundial. Tudo parecia pronto. Mas o imprevisto aconteceu. Por alguma razão, o microfone do solista permaneceu desligado durante toda a apresentação.

O desapontamento daquele adolescente certamente não pode ser calculado. Ele cantou com a alma, mas não pôde ser ouvido pela grande audiência. Talvez ele tivesse sonhado com essa ocasião e pensado nela como algo que faria parte de sua biografia. Sua grande oportunidade, contudo, foi perdida. Seu dia “sob o sol” foi estragado por uma desconhecida dificuldade técnica. Essa seria uma razão suficiente para amargura e ressentimento.

Há nesse incidente uma clara aplicação espiritual. Contudo, pense nela à luz do texto de hoje. O apóstolo Paulo havia adotado como diretriz filosófica de seu ministério prestar todo serviço “como ao Senhor”. Escrevendo aos tessalonicenses, ele menciona: “Jamais andamos buscando glória de homens, nem de vós, nem de outros” (1Ts 2:6). “Servindo como ao Senhor”: este foi o princípio que orientou a vida cristã de Paulo, neutralizando a orientação básica para a fama e a aparência, algo que infecta todos nós.

Lembre-se dessas palavras quando você tiver feito todo o trabalho e ninguém notar. Quando você construir um projeto e outra pessoa, de ego mais avantajado, receber o crédito. Quando você levar o fardo e enfrentar o “calor do dia”, mas seu nome não for mencionado na lista de agradecimentos e louvores. Quando você trabalhar em alguma esquina escura, e as fotografias tiradas não incluírem você. Lembre-se dessas palavras do apóstolo quando, em seu serviço a Cristo, seu microfone permanecer “desligado” e você não for ouvido. Essas são ocasiões para se orar por graça, poder e resistência. Ocasiões para compreender que Aquele a quem realmente servimos não nos perde de vista. A motivação de nosso serviço não é receber louvor humano, mas agir em gratidão Àquele que fez Seu melhor por nós.

Amin A. Rodor, 22/6/2014

Oração, jejum , perdão - Mateus 6

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 6

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Jesus veio ao mundo instalar Seu reino no coração dos escravizados no reino do pecado.

O capítulo pode ser dividido em dois tópicos, conforme sugere Merril F. Unger:

• Os herdeiros do reino e a oração (vs. 1-18);

• Os herdeiros do reino e o mundo (vs. 19-34).

É fácil parecer cristão, difícil é ser cristão. Parecer é fruto dos próprios esforços, ser é milagre divino. Assim inicia o capítulo: “Quando fizerem o bem, tenham cuidado para que seu gesto não vire peça de teatro. Pode até ser um grande espetáculo, mas Deus não vai aplaudir”.

• É fácil ser crente hipócrita! É fácil parecer cristão, praticar atitudes cristãs sem de fato morrer para o eu e os desejos pecaminosos. Como é teu cristianismo?

Jesus nos deixou um legado sobre oração em seu primeiro sermão. Pois, orar é o respirar da alma. Sem oração não há paixão espiritual. Augusto Cury, autor de dois volumes sobre o “Pai-nosso”, declarou que esta oração “rima nos extremos: é singela e complexa, inofensiva e desafiadora. Jamais palavras simples tiveram tanta profundidade. Jamais um texto tão pequeno foi tão revolucionário”.

Oração, jejum , perdão e sinceridade com Deus é a receita para o sucesso na vida cristã. A força adquirida com estas atitudes tornam possíveis os seguintes alvos:

• Tirar o foco das riquezas deste mundo para colocar nos tesouros celestiais (vs. 19-21);

• Tirar os olhos das coisas do reino das trevas para contemplar as belezas do reino da luz (vs. 22-23);

• Tirar do coração os deuses deste mundo, principalmente o dinheiro, a fim de servir dignamente ao Deus verdadeiro (v. 24).

Aquele que, verdadeiramente se rende a Deus, terá como padrão de vida estes ditos de Jesus: “Quero convencê-los a relaxar, a não se preocuparem tanto em adquirir [alimentos, bebidas, vestimentas]. Em vez disso, prefiram dar, correspondendo, assim, ao cuidado de Deus. Quem não conhece Deus e não sabe como Ele trabalha é que se prende a essas coisas…” (vs. 25-34).

• Você conhece Deus?

Mais que desafio de vida, esse sermão de Jesus é o estilo de vida dos súditos do reino divino! Pedir pela vinda do reino de Deus significa abandonar a vontade pessoal para que a vontade de Deus seja feita na Terra como é feita no céu! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

segunda-feira, 3 de maio de 2021

Jesus Ilustra A Humildade

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Segunda-feira, 3 de maio

Jesus Ilustra A Humildade

E Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles. E disse: Em verdade vos digo que, se não vos converterdes e não vos tornardes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus. Mateus 18:2, 3

 No lugar de Jesus, a maioria das pessoas diria às crianças: “Quando vocês crescerem, procurem ser como Pedro e João ou um dos outros discípulos.” Em vez disso, o Senhor disse aos discípulos: “Tornem-se como crianças.”

Por que Jesus deu esse conselho? Os discípulos estavam muito preocupados com as posições que iriam ter no reino anunciado pelo Mestre. Ao que parecia, não se achavam muito satisfeitos com a grande missão que lhes fora dada de curar, expulsar demônios, pregar o evangelho. Queriam posições sociais em que tivessem autoridade. Quão humanos eram!

Jesus lembrou-lhes como as crianças em geral não pensam nessas coisas. Crianças de diferentes origens podem brincar juntas sem nenhuma ideia de diferença. Só quando crescem e aprendem essas distinções com os de mais idade, passam a se preocupar com essas coisas.

Infelizmente, o ser humano pecador gosta de sentir que é melhor, mais inteligente, mais talentoso, mais próspero e mais poderoso do que seus contemporâneos. Seria bom se todo cristão considerasse com frequência a seguinte citação:

“Em tudo que tivermos vantagem sobre outros – seja educação e cultura, nobreza de caráter, princípios cristãos ou experiência religiosa – estamos em dívida para com os menos favorecidos; e, naquilo que estiver ao nosso alcance, devemos ajudá-los” (Ellen G. White, O Desejado de Todas as Nações, p. 352).

Quando Salomão assumiu o reino, orou a Deus: “Não passo de uma criança, não sei como conduzir-me” (1Rs 3:7). Era essa a atitude que Jesus procurava ensinar a Seus discípulos, porém eles tinham dificuldade em aprender as coisas espirituais.

Numa época em que se dá tanta ênfase à posição social, à educação e ao poder, como seria importante se todo cristão mantivesse o espírito humilde de uma criança! Deus busca cristãos dotados de graça suficiente para passar por alto a louca disputa pelos primeiros lugares. “Dos tais é o reino dos céus” (Mt 19:14).

Norval F. Pease, 16/2/1970

O Sermão do Monte - Mateus 5

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 5

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Após jejuar e orar, Jesus venceu a tentação, operou milagres, e investiu profusamente no ministério da pregação.

No final do capítulo anterior, Mateus registrou numerosas multidões afluindo de diversos lugares para seguir a Jesus.

Então foi pregado o sermão do monte, o primeiro sermão longo de Jesus registrado. Através dele, Jesus tinha como objetivo tirar os pecadores do reino das trevas e introduzi-los no reino da luz. Seus princípios são contrários às filosofias mundanas. Jesus declara que felizes (makários, bem-aventurados) são os…

• …Humildes de espírito; não os orgulhosos.

• …Que choram; não os insensíveis.

• …Mansos; não os nervosos.

• …Insaciados; não os cheios de si.

• …Misericordiosos; não os indiferentes/intolerantes.

• …Limpos de coração; não os maliciosos/imorais/corruptos.

• …Pacificadores; não os briguentos.

• …Justos; não os desonestos/infiéis/fraudulentos.

• …Perseguidos por causa de Cristo; não os perseguidores.

Após apresentar a satisfação no coração do cristão genuíno (vs. 1-12), Jesus revelou o impacto da aplicação dos princípios divinos na sociedade (vs. 13-16).

Em seguida, Jesus apresentou a legislação do reino de Deus. A Lei e os profetas incluem os Dez Mandamentos, porém, vai além deles. Jesus mostrava que o Antigo Testamento não era cultura judaica; era a cultura do Céu, que os judeus não aderiram.

O Antigo Testamento não perdeu sua autoridade, nem caducou com a vinda de Cristo; pelo contrário, brilhou ainda mais as Suas sublimes mensagens. Em Seu poderoso sermão, Jesus citou…

• …O sexto e o sétimo mandamentos da Lei Moral (vs. 21-32);

• …A lei levítica para falar do falso juramento e das promessas feitas a Deus (vs. 33-37);

• …A Lex Talionis (lei da retaliação) para falar do respeito e amor ao próximo (vs. 38-48).

O seguidor de Cristo, liberto do reino das trevas, conduzido ao reino dos céus, torna-se súdito do Soberano do Universo; portanto, deve refletir o caráter dEle (v. 48) e proclamar a justiça e a legislação desse novo reino (vs. 17-20).

Nisto consiste o segredo das bem-aventuranças. Os reinos deste mundo contrastam com o reino de Deus, o mesmo contraste deve haver entre os seguidores de Cristo e o mundo.

Como os profetas, o cristão pode sofrer perseguição, mas o galardão será tão grande quanto o deles (v. 12).

Sejamos súditos do reino de Deus e auxiliemos na libertação dos súditos do reino do diabo! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

domingo, 2 de maio de 2021

GARRAFA DE LÁGRIMAS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 2 de maio

GARRAFA DE LÁGRIMAS

Recolhe as minhas lágrimas em Teu odre. Salmo 56:8, NVI

 Tempos atrás, ganhei uma garrafa de champanhe sem álcool. Azul, longilínea, imponente, era uma linda obra de arte. A embalagem foi parar em nosso armário de louças. Virou relíquia. Nossa garrafa pode não valer tanto quanto a Aurum 79, a garrafa de 500 ml de água mais cara do mundo, feita com um fino vidro revestido de ouro puro e 113 diamantes, valendo quase 1 milhão de dólares, mas tem valor sentimental.

Desenvolvidas e moldadas ao longo de milênios, as garrafas foram criadas para armazenar líquidos, como água, leite, vinho, azeite e perfume. Os primeiros exemplares conhecidos apareceram na Fenícia, China, Roma e Creta. Feitas de argila, alumínio, vidro ou plástico, as garrafas fazem parte do dia a dia de pessoas do mundo inteiro.

No entanto, nenhum tipo de garrafa, antiga ou moderna, se compara à garrafa de Deus para coletar nossas lágrimas. Nessa garrafa estão os símbolos de nossos sofrimentos, as expressões de nossas alegrias e tristezas, emoções e decepções. Amoroso, Deus Se preocupa com cada uma de nossas lágrimas. As lágrimas são a linguagem da agonia e da perda, coisas que Ele entende bem.

A ideia de que Deus tem uma garrafa para guardar lágrimas pode parecer estranha hoje, mas era familiar para o poeta hebreu Davi, que escreveu: “Registra, Tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em Teu odre [ou garrafa]” (Sl 56:8, NVI). Para ele, Deus percebe e registra nossos sentimentos. Estivesse Davi pensando em uma garrafa de pedra sardônica ou num odre de pele de animal, o fato é que Deus simbolicamente guarda nossas lágrimas.

Garrafas para essa finalidade faziam parte dos costumes das antigas civilizações. Muitas delas têm sido encontradas junto a tumbas. Eram chamadas de “lacrimatórios”, numa referência ao nome científico da glândula que produz as lágrimas. Povos antigos, como os gregos e os romanos, colocavam nesses receptáculos as lágrimas derramadas pela morte de uma pessoa querida, como símbolos de amor, respeito e tristeza. Em algumas histórias de guerra, as mulheres guardavam suas lágrimas até o retorno dos maridos, para mostrar a saudade.

Em algum momento difícil da vida, você pode ser tentado a pensar que Deus não Se importa com as lágrimas que rolam de seus olhos. Entretanto, Ele Se importa a ponto de recolher cada uma delas. Mais que isso, um dia Ele irá secar cada lágrima. Até lá, você pode chorar à vontade, porque Deus fez você com a capacidade de expressar sentimento. Em vez de engarrafar suas dores dentro de você, derrame suas lágrimas e permita que Deus as coloque em Sua garrafa.

Marcos De Benedicto, 7/7/2016

Jesus o Messias - Mateus 4

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Mateus 4

Comentário Pr Heber Toth Armí 

O evangelista Mateus, movido pelo mesmo Espírito que os profetas, intenta provar que Jesus é o Messias entre tantas vozes conflitantes; além disso, seus escritos mostram a realeza de Jesus visando impactar o coração do leitor, seja este judeu ou não.

No texto em análise, Jesus…

• …foi tentado sem cair em pecado (vs. 1-11). Ser tentado não é pecado, pecado é cair na tentação.

• …criou residência em Cafarnaum; Mateus citou o Antigo Testamento para mostrar que a vida de Cristo estava sendo regida pelas profecias divinas (vs. 12-16).

• …apresentou o teor e conteúdo de Suas pregações (v. 17).

• …chamou colaboradores a fim de serem treinados para fazer avançar Seu ministério (vs. 18-22).

• …tornou-Se muito ativo; Mateus sintetizou as ações dEle logo no início do seu livro (vs. 23-25).

Sobre as tentações de Jesus, o comentário da Bíblia de Estudo Andrews destaca:

• “Só Mateus menciona o jejum. Ele deseja fazer um paralelo com o jejum de Moisés por 40 dias e 40 noites no monte Sinai, no deserto (Dt 9:9-18). A experiência também é paralela aos 40 anos de peregrinação dos israelitas no deserto, cercados de tentações e provas (Dt 8:2, 3)”.

• “O diabo tentou Jesus primeiro no ponto de sua maior necessidade imediata. De maneira semelhante, somos tentados em nossa maior vulnerabilidade. Segundo Mateus, as tentações do materialismo e uso do poder foram duas maiores enfrentadas por Jesus (ver v. 8)”.

• “No grego, aquilo que vem por último ou primeiro é o mais importante. Para Mateus, a realeza de Jesus [explorada na última tentação] era estratégia para seu evangelho”.

O chamado dos discípulos e as ações sociais de Jesus foram importantes, porém não mais importantes que Sua pregação evangelística e Sua missão pautada pela revelação do Antigo Testamento.

1. Jesus cumpriu a profecia de Isaías 9:1-2 ao iluminar as pessoas que vivem “na região e sombra da morte” (vs. 12-16). O mesmo Ele quer fazer conosco, independente do meio imoral em que moramos.

2. Jesus mostrou que Sua intenção é levar pessoas à conversão; por isso, Sua pregação consistiu em convidar Seus ouvintes ao arrependimento, apresentando a razão para isso: “Porque está próximo o reino dos céus” (v. 17).

Como responderemos? Como os discípulos, no versículo 22? Deixaremos tudo por Jesus?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sábado, 1 de maio de 2021

AMOR GRAVADO NAS MÃOS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Sábado - 01 de maio

AMOR GRAVADO NAS MÃOS

Vede as Minhas mãos e os Meus pés, que sou Eu mesmo; apalpai-Me e verificai, porque um espírito não tem carne nem ossos, como vedes que Eu tenho. Dizendo isto, mostrou-lhes as mãos e os pés. Lucas 24:39, 40

Tolstói, o grande escritor russo, contou, certa vez, a história do czar e da czarina que desejaram honrar os membros de sua corte com um banquete. Eles enviaram os convites e avisaram que os hóspedes deveriam vir com eles na mão. Quando chegaram ao banquete, os hóspedes ficaram surpresos ao ver que os guardas não examinaram os convites, e sim suas mãos. Os convidados tentaram imaginar o que significaria aquilo, mas também estavam curiosos para ver quem o czar e a czarina escolheriam como hóspede de honra, para sentar-se entre eles no banquete.

Todos ficaram espantados quando viram que a pessoa escolhida foi uma idosa faxineira, que durante muitos anos trabalhou arduamente para manter limpo o palácio. Ao examinar as mãos dela, os guardas declararam: “A senhora tem as credenciais adequadas para ser a hóspede de honra. Podemos ver amor e lealdade em suas mãos.”

Conta-se uma história semelhante do grande missionário Adoniram Judson, na antiga Birmânia. Judson dirigiu-se ao rei da Birmânia a fim de pedir permissão para ir a determinada cidade e pregar. O rei, pagão, mas muito inteligente, respondeu: “Eu estaria disposto a deixar uma dúzia de pregadores ir lá, mas não o senhor, com essas mãos. O meu povo não é tolo para se importar com sua pregação, mas eles notariam suas mãos calejadas pelo trabalho.”

A crucifixão de Cristo deixou os discípulos desorientados. Suas esperanças de “que fosse Ele quem havia de redimir a Israel” (Lc 24:21) haviam desabado. Com medo dos judeus, reuniram-se no cenáculo. Chegara-lhes a informação de que Jesus havia ressuscitado, porém hesitavam em crer e não se achavam psicologicamente preparados para encontrá-Lo. Nesse estado de tensão emocional, ficaram apavorados quando Jesus apareceu entre eles. Pensaram que fosse um fantasma.

Foi preciso que Jesus os acalmasse, mostrando-lhes as mãos e os pés, e pedindo-lhes que O apalpassem, dando-lhes assim uma prova visual, auditiva e tácita de que Ele realmente havia ressuscitado. Possuídos dessa certeza, os discípulos, antes temerosos e cheios de dúvidas, se tornaram apóstolos de grande coragem e abnegação.

Jesus conservará as marcas dos cravos em Suas mãos e pés por toda a eternidade, como testemunho do preço pago por nossa redenção, e como prova de Seu amor por nós.

Rubem Scheffel, 27/1/2010

O Perigo da Abundância

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 17 de maio - segunda O Perigo da Abundância O qual Se entregou a Si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar dest...