quarta-feira, 27 de julho de 2022

A VÍTIMA ENSANGUENTADA

A VÍTIMA ENSANGUENTADA

Mas Jesus, dando um forte grito, expirou. Marcos 15:37

Os sacerdotes e as autoridades se surpreenderam ao verificar que Jesus já estava morto. A morte pela cruz era um processo demorado; era difícil determinar quando a vida do crucificado havia sido interrompida. Era algo inédito que alguém morresse dentro de seis horas de crucifixão. Os sacerdotes desejavam se certificar da morte de Jesus e, por sugestão deles, um soldado espetou uma lança no lado do Salvador. Da ferida feita, saíram duas substâncias abundantes e distintas: uma foi sangue, e a outra, água. Isso foi observado por todos os espectadores, e João relatou a ocorrência de maneira bastante clara. […]

Depois da ressurreição, os sacerdotes e líderes divulgaram o boato de que Cristo não havia morrido na cruz, mas que apenas tinha desmaiado e depois revivido. Outro boato afirmava que havia sido posto no sepulcro não um corpo real, de carne e osso, mas algo semelhante a um corpo. A atitude dos soldados romanos contesta essas falsidades. Não quebraram as pernas de Jesus, porque Ele já estava morto. Para satisfazer os sacerdotes, perfuraram Seu lado. Se a vida já não tivesse terminado, isso teria ocasionado imediatamente a morte.

No entanto, a morte de Jesus não foi causada pelo furo da lança nem pela dor da crucifixão. Aquele grito solto “em alta voz” (Lc 23:46) no momento da morte e a corrente de sangue e água que jorrou de Seu lado demonstravam que Ele morreu pela ruptura do coração, que se partiu pela angústia mental. Foi morto pelo pecado do mundo.

Com a morte de Cristo, pereceram as esperanças dos discípulos. Olhavam para Suas pálpebras fechadas e a cabeça pendida, o cabelo empastado de sangue, as mãos e os pés traspassados, e era indescritível a angústia que sentiam. Até o último momento, não acreditavam que Ele morreria; mal podiam crer que estivesse realmente morto. Esmagados pela dor, não recordavam Suas palavras, que prediziam exatamente isso. Nada do que Ele havia dito dava conforto. Viam unicamente a cruz e a Vítima ensanguentada. Para eles, o futuro parecia escuro e desesperador. Sua fé em Jesus tinha morrido; no entanto, nunca haviam amado tanto seu Senhor. Nunca antes haviam assim compreendido Seu valor e a necessidade que tinham da presença Dele (O Desejado de Todas as Nações, p. 619, 620 [771, 772]). 

PARA REFLETIR: Em um mundo no qual muitos ainda duvidam da existência de Jesus e não valorizam a morte Dele, como a sua vida pode testemunhar que Cristo é real e vive hoje? 

Meditações Diárias: 27 de Julho - A VÍTIMA ENSANGUENTADA l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/qJFfOToeKYo

Nenhum comentário:

O AUXILIADOR INFINITO

O AUXILIADOR INFINITO Grande é o Senhor nosso e mui poderoso; o Seu entendimento não se pode medir. Salmo 147:5 Muitos supõem que a religião...