terça-feira, 31 de outubro de 2023

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

31 de outubro

PROVÉRBIOS DE SALOMÃO

Provérbios de Salomão, filho de Davi, rei de Israel, [...] para dar prudência aos simples e conhecimento e discernimento aos jovens. Que o sábio ouça e cresça em prudência. Provérbios 1:1, 4, 5

propósito do livro de Provérbios é ensinar o conhecimento, a prudência e a maneira de proceder com correção e justiça. Ele revela como podemos viver com sabedoria. Como pensar e agir corretamente em todas as circunstâncias da vida (2:1-6, 9; 23:23, 24). Provérbios trata da conduta, e a sabedoria que ensina se centraliza em Deus.
“Nos provérbios de Salomão estão esboçados princípios de uma forma santa de viver […]; princípios originários do Céu e que conduzem à devoção; princípios que devem reger cada ato da vida. Foi a ampla disseminação desses princípios e o reconhecimento de Deus como Aquele a quem pertence todo louvor e honra que fizeram dos primeiros tempos do reinado de Salomão uma ocasião de reerguimento moral, bem como de prosperidade material” (Profetas e Reis, p. 17 [33, 34]).

Embora a sabedoria seja necessária e acessível a todos (1:20-23; 8:1-5; 9:1, 5; Tg 1:5), o público que Salomão tinha em vista era formado pelos simples, os jovens e os sábios (1:4-6). Os simples são aquelas pessoas simplórias. Acreditam em qualquer coisa e em qualquer um, demonstrando ingenuidade e, às vezes, tolice. Meditando e assimilando os provérbios, eles se tornarão prudentes e equilibrados.

Os jovens podem ter vigor e inteligência, mas lhes falta a experiência, simplesmente porque viveram pouco. Porém, não precisam esperar passar um longo tempo para aprender com seus próprios acertos e erros. Devem aprender de outros, especialmente dos sábios. O livro de Provérbios compartilha justamente essa sabedoria que lhes é tão necessária.

Os sábios também podem se beneficiar com os provérbios. Quem é verdadeiramente sábio reconhece que não sabe tudo. Mais do que os jovens e os ingênuos, o sábio entende a necessidade de estar continuamente aprendendo, desenvolvendo-se e se aperfeiçoando.

O livro ainda tem um destaque: “o temor do Senhor” (1:7). Isso nos lembra que a verdadeira sabedoria inicia com um correto relacionamento com Deus, o fundamento da vida reta. O autor de Provérbios nos faz um convite: “Ouça […] e cresça.”

https://youtube.com/watch?v=oRypWLq3BWw&si=Vd4hnqkTS4R9TQ5q

Provérbios 28 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 28
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 28 – Provérbios aborda todas as áreas da existência. Em nossa breve reflexão não é possível abordar todos os temas de cada capítulo. Sempre ficará algo que não foi possível comentar.

Uma pincelada geral deste capítulo, pode ajudar-nos a perceber uma série de ensinamentos sobre liderança, comportamento e ética:

O que o líder (seja secular ou religioso, político ou eclesiástico), deve fazer:

• Ser corajoso e confiante (Provérbios 28:1).
• Temer ao Senhor em todo tempo e lugar (Provérbios 28:5-6).
• Promover a justiça sempre e tentar entender os liderados (Provérbios 28:12).
• Praticar a humildade reconhecendo seus erros (Provérbios 28:13).
• Buscar entendimento, discernimento e percepção correta das coisas (Provérbios 28:14, 16).
• Ser compreensivo e justo (Provérbios 28:15).
• Usar a justiça de forma imparcial (Provérbios 28:21).

O que nenhum líder deveria fazer:

• Ser arrogante, autoritário e corrupto (Provérbios 28:8).
• Ignorar a Lei de Deus a tal ponto de não ter suas orações atendidas (Provérbios 28:9).
• Ser ímpio, imprudente e displicente (Provérbios 28:12).
• Oprimir, explorar e humilhar os liderados (Provérbios 28:16).
• Alimentar o orgulho, a vaidade, o egoísmo e a ganância (Provérbios 28:25).
• Preferir a soberba antes que a sabedoria divina (Provérbios 28:26).
• Fechar os olhos, os ouvidos e o coração aos necessitados e vulneráveis (Provérbios 28:27).

Provérbios 28:28 oferece esperança em tempos críticos, mostrando que embora ímpios possam subir no poder, seu governo é passageiro. A maldade eventualmente cai, enquanto a retidão persiste.

Provérbios 28 revela que a liderança ímpia, insubmissa aos valores divinos, alheia aos princípios do Reino de Deus, traz consigo opressão e medo. A maldade não só prejudica aqueles que estão diretamente envolvidos nela, mas também cria um ambiente de medo e desconfiança na sociedade.

Quando os ímpios estão no poder, as pessoas se sentem ameaçadas e oprimidas. No entanto, quando a justiça é restaurada e os ímpios caem, há triunfo para os justos. Como carecemos de sistemas justos e líderes íntegros em nossa sociedade!

Considerando a essência de Provérbios 28, podemos crer que mesmo quando a justiça pareça estar ausente em nossa nação, Deus eventualmente trará justiça. Os ímpios não escaparão do julgamento divino, e os justos encontrarão consolo na justiça divina. Isso não deve promover a vingança e rebelião em nosso coração, mas levar-nos à oração pelos nossos governantes (I Timóteo 2:1-2). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

segunda-feira, 30 de outubro de 2023

PROVEM OS PROFETAS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

30 de outubro

PROVEM OS PROFETAS

Amados, não deem crédito a qualquer espírito, mas provem os espíritos para ver se procedem de Deus; porque muitos falsos profetas têm saído mundo afora. 1 João 4:1


Quando surge alguém dizendo que recebeu uma revelação divina, o Senhor não espera que o aceitemos ou rejeitemos de imediato. Ele orienta que o provemos. Somente depois vamos decidir acolher sua mensagem ou rejeitá-la. Os testes se encontram na Bíblia, e o verdadeiro profeta passa em todos eles. Primeiramente, a mensagem do verdadeiro profeta se harmoniza com todas as mensagens que Deus enviou anteriormente pelos outros profetas (Jr 28:1-9, 15-17). Um novo profeta pode trazer alguma informação nova, algum detalhe a mais, porém isso nunca entrará em contradição com a mensagem dos que vieram antes dele.

Quando um verdadeiro profeta discorre a respeito de Cristo, ensina que Ele era um ser humano. João escreveu: “Nisto vocês reconhecem o Espírito de Deus: todo espírito que confessa que Jesus Cristo veio em carne é de Deus” (1Jo 4:2). Já nos primórdios do cristianismo havia quem afirmasse que Jesus não era humano, apenas aparentava ser. Mas João combateu essa falsidade ensinando que Jesus tinha carne, ossos, pele e sangue. Sentia fome, sede e frio. Ficava cansado e precisava repousar. Podia até morrer, como de fato morreu na cruz para que, crendo Nele, pudéssemos ser salvos.

O verdadeiro profeta também produz bons frutos. Jesus advertiu: “Cuidado com os falsos profetas […]. Pelos seus frutos vocês os conhecerão” (Mt 7:15, 16). Um indivíduo pode parecer uma ovelha do rebanho de Deus, pode profetizar em nome de Jesus, pode expulsar demônios e efetuar milagres, mas, se pratica a iniquidade, se não faz a vontade de Deus, é um falso profeta (Mt 7:15-23). Os profetas, embora pecadores e falhos, necessitados de um Salvador, buscavam conhecer e fazer a vontade divina. A atividade de um verdadeiro profeta enobrece as pessoas e aproxima de Deus aqueles que são sensíveis à Sua voz.

Portanto, se alguém passar nessas três provas, você poderá aceitá-lo como profeta enviado por Deus. Foi por isso que os pioneiros adventistas aceitaram Ellen G. White como mensageira do Senhor. Por essa razão, hoje, nós devemos aceitá-la também. 

https://youtu.be/7o7Hy-lkaN8

Provérbios 27 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 27
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 27 – Os sentimentos negativos fazem tremendos estragos nos relacionamentos. Amizades e até famílias são destruídas por causa de sentimentos pervertidos. Ellen White afirma que “a inveja, o ciúme e as más suspeitas são uma sombra infernal pela qual Satanás procura impedir que vocês tenham uma visão do caráter de Cristo, de forma que, contemplando o mal, vocês sejam inteiramente transformados à sua imagem”. Considere este texto:

“O rancor é cruel e a fúria é destruidora, mas quem consegue suportar a inveja?” (Provérbios 27:4). Os sábios servos de Ezequias desde o capítulo 25, vem tratando da sabedoria emocional. A pessoa com falta de controle e com incapacidade de conter as emoções como a inveja e o ciúmes é como cidades sem muros onde seus moradores vulneráveis correm perigos (Provérbios 25:28).

Também, aqueles que conseguem controlar-se pretendendo enganar, são maliciosos e malignos, altamente perigosos. Provérbios 26:24-26 adverte contra as más suspeitas e a hipocrisia. Mostra as palavras daqueles que escondem suas más intenções. A verdadeira transformação e o verdadeiro domínio próprio não é possível ao pecador, é uma obra sobrenatural do Espírito Santo (Gálatas 5:22-23).

Ao chegar a Provérbios 27:4, os sábios destacam a força irrefreável da inveja, desvendando-a como algo furioso e impetuoso. O texto revela que a inveja é uma emoção destrutiva, difícil de controlar e superar. Esse sentimento é bem sutil, muitas vezes, mas seus estilhaços podem superar as tenebrosas desgraças causadas pela fúria e pela ira.

Ainda assim, Provérbios 27 contêm lindas mensagens sobre amizades, sabedoria e autocontrole. “Perfume e incenso trazem alegria ao coração; do conselho sincero do homem nasce uma bela amizade” (Provérbios 27:9). A incerteza da vida e do futuro (Provérbios 27:1-2), o peso da existência causada pela irritação e a inveja (Provérbios 27:3-4), a necessidade de correção, lealdade, companheirismo, os perigos desta vida (Provérbios 27:5-13), e os desafios deste mundo (Provérbios 27:14-27) fazem da amizade uma grandiosa necessidade.

“Nas horas da tentação, em uma crise, quão valioso é um amigo verdadeiro! Em tais ocasiões, Satanás manda seus agentes fazerem com que tropecem as pernas trementes; mas os amigos genuínos que aconselham, que comunicam fascinante esperança e fé tranquilizadora que eleva a pessoa – oh tal auxílio vale mais que pérolas preciosas”, expressa Ellen White. Portanto, reavivemos nossos relacionamentos! – Heber Toth Armí.
••••

domingo, 29 de outubro de 2023

PROMESSAS DE DEUS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA - 

29 de outubro

PROMESSAS DE DEUS

Somos mais do que vencedores, por meio Daquele que nos amou. Romanos 8:37

carta de Paulo aos romanos revela o que o pecado tem feito em nossa vida e no mundo. Também apresenta o que Deus faz, em Cristo, para nos restaurar. O capítulo 8 expõe o auge da vida cristã e anuncia as bênçãos que teremos se nos apegarmos a Deus e aceitarmos o plano que Ele estabeleceu para nos salvar.

Não haverá derrota. É dito que “somos mais que vencedores”, e o segredo disso é que “Deus é por nós” (Rm 8:37, 31).

Não faltará nada necessário. “Aquele que não poupou Seu próprio Filho, mas por todos nós O entregou, será que não nos dará graciosamente com Ele todas as coisas?” (v. 32). A morte de Cristo nos assegura que Deus nos dará tudo mais que for necessário para sermos vitoriosos.

Não haverá acusação. “Quem intentará acusação contra os eleitos de Deus? É Deus quem os justifica” (v. 33). Deus é o único que nos conhece com perfeição. Quando confessamos nossos pecados, Ele nos perdoa completamente e declara que somos justos em Cristo. Ninguém poderá nos acusar.

Não haverá condenação. “Quem os condenará? É Cristo Jesus quem morreu, ou melhor, quem ressuscitou, o qual está à direita de Deus e também intercede por nós” (v. 34). Jesus venceu o pecado, a tentação e o tentador. Venceu também a morte. Hoje, intercede por nós, creditando Sua vitória a nós. Estamos livres de toda condenação.

Não haverá separação do amor de Cristo. “Quem nos separará do amor de Cristo? […] Porque eu estou bem certo de que nem a morte, nem a vida, nem os anjos, nem os principados, nem as coisas do presente, nem do porvir, nem os poderes […], nem qualquer outra criatura poderá nos separar do amor de Deus, que está em Cristo Jesus, nosso Senhor” (v. 35, 38, 39).

Nada nem ninguém pode nos separar do amor de Deus. Nenhum anjo, nenhum amigo ou inimigo, nenhum parente ou vizinho. Outros podem nos caluniar, zombar de nós, podem nos ferir e nos maltratar, até nos matar, mas nem todos os demônios e pessoas más juntas podem nos separar do amor de Deus, se não quisermos. Em todo o Universo, a única pessoa que pode nos separar de Deus somos nós mesmos. Escolhamos hoje nos apegar ao amor de Deus. Assim, seremos “mais do que vencedores, por meio Daquele que nos amou.”

https://youtu.be/QVwgIc1Ytio

Provérbios 26 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 26
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 26 – Este livro em pauta concentra-se na busca da sabedoria e na forma como as pessoas devem viver conforme os princípios divinos – estudá-lo implica uma busca pela vontade de Deus em todas as áreas da vida, sem exceção!

Nas compilações dos servos de Ezequias alguns temas chamam nossa atenção:

• Vários versículos enfatizam a importância da sabedoria e da moderação nas palavras e ações. Um dos mais relevantes é: “A palavra proferida no tempo certo é como frutas de ouro incrustradas numa escultura de prata” (Provérbios 25:11). Por outro lado, “como alguém que pega pelas orelhas um cão qualquer, assim é quem se mete em discussão alheia” (Provérbios 26:17). A falta de sabedoria é evidente em situações de tolices e comportamentos imprudentes! O sábio sabe o quê, quando e a quem falar!

• É importante não vangloriar-se, aprender a ser paciente e controlar as emoções em situações sociais (Provérbios 25:6-7, 28). Por outro lado, é tolice deixar-se dominar pela preguiça, pela fofoca e pela maledicência (Provérbios 26:13-28). A sabedoria está em controlar-se, a insensatez está em deixar-se controlar. O fruto do Espírito contém domínio próprio e outros nutrientes mais (Gálatas 5:22-23).

• Nossas ações têm implicações, o que deve levar-nos a ter consciência da importância de agir com justiça, bondade e integridade (Provérbios 25:21-22, 28). Por outro lado, as consequências de nossas ações erradas nos colocam nos destinos indesejados. O destino dos tolos não são nada bons (Provérbios 26:3, 10-12, 16).

• A falsidade e a maledicência são práticas prejudiciais e ilusórias (Provérbios 25:9-10, 18-19); para piorar, o engano, a tolice e a calúnia são armadilhas da língua mentirosa, causam discórdias levando a pessoa a viver em conflito almejando a paz que ela mesma expulsa (Provérbios 26:18-28).

Os provérbios são importantes aos sábios, mas irrelevantes aos tolos. Muitos leem, estudam e de nada valem. A resposta está nestes dois provérbios:

1. “Como pendem inúteis as pernas do coxo, assim é o provérbio na boca do tolo” (Provérbios 26:6).
2. “Como ramo de espinhos nas mãos do bêbado, assim é o provérbio na boca do insensato” (Provérbios 26:9).

Estes versículos ilustram a irrelevância e a ineficácia dos provérbios quando usados pelos tolos e insensatos. Somos advertidos a não sermos esse tipo de gente! Para isso, é necessário reavivarmo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

sábado, 28 de outubro de 2023

PROFECIAS DE ELLEN G. WHITE

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

28 de outubro

PROFECIAS DE ELLEN G. WHITE

Certamente o Senhor Deus não fará coisa alguma, sem primeiro revelar o Seu segredo aos Seus servos, os profetas. Amós 3:7

A principal tarefa de um profeta é ser um mensageiro de Deus. Com frequência, eles também anunciavam eventos futuros. Assim ocorreu com Ellen G. White. Em 1902, ela fez uma profecia a respeito do juízo de Deus sobre San Francisco, na Califórnia. Conclamando a igreja a se empenhar no evangelismo em favor daquela cidade, ela escreveu: “O mais depressa possível, devem-se fazer esforços bem organizados em várias zonas dessa cidade, e também em Oakland. Não se calcula a impiedade de San Francisco. […] Deus vê […] muitas pessoas a serem salvas. […] San Francisco e Oakland estão se tornando como Sodoma e Gomorra, e o Senhor as visitará em ira” (Evangelismo, p. 402, 403).

Como resultado, diversas famílias se mudaram dessas cidades para locais mais retirados. Quatro anos depois dessa profecia, em 18 de abril de 1906, San Francisco foi amplamente destruída por um terremoto seguido de fogo, e Oakland e outras cidades próximas também sofreram.

Outra profecia feita por Ellen White foi cumprida quando ocorreu a Primeira Guerra Mundial. Em 21 de abril de 1890, em um tempo de relativa paz entre as nações, ela escreveu as seguintes palavras: “Os jovens devem buscar mais fervorosamente a Deus. Aproxima-se a tempestade, e precisamos nos aprontar para sua fúria mediante arrependimento […]. O Senhor Se levantará para sacudir terrivelmente a Terra. Veremos aflições por todos os lados. Milhares de navios serão arremessados para as profundezas do mar. Esquadras serão afundadas, sacrificando milhões de vidas humanas. Irromperão inesperadamente incêndios que nenhum esforço humano será capaz de extinguir. Os palácios da Terra serão varridos pela fúria das chamas. Serão mais e mais frequentes os desastres de estrada de ferro; confusão, colisões e morte sem um momento de advertência ocorrerão nas grandes vias de comunicação” (Mensagens aos Jovens, p. 66, 67 [89, 90]).

Deus continua alertando Seu povo na atualidade. Os eventos finais da história desta Terra logo se cumprirão. Você será como as famílias que se mudaram de San Francisco antes da destruição ou vai fazer de conta que nada está acontecendo?

https://youtu.be/ESP2iZigErE

Provérbios 25 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 25
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 25 – Uma nova seção inicia neste capítulo. O primeiro versículo introduz a seção que se estende até o final do capítulo 29. Como outros provérbios, estes também oferecem conselhos para uma vida justa e bem-sucedida, baseados na sabedoria divina – a sabedoria está enraizada na teologia, a qual é dom de Deus à humanidade!

Provérbios 25:1 indica que as máximas desta seção foram transcritas pelos homens de Ezequias, que reinou por 29 anos (726-697 a.C.). “Estes provérbios foram copiados de outros escritos ou coleções, e alguns, talvez, de fontes orais – de pessoas que aprenderam com Salomão esses dizeres. Dentre os que ajudaram nesta tarefa poderiam estar o profeta Isaías, o escrivão Sebna e o cronista Joá (2Rs 18:18; cf. 2Cr 26:22)”, explica o Comentário Bíblico Adventista.

Estas compilações preservaram e organizaram cuidadosamente os provérbios desta coleção, indicando a importância concedida à sabedoria divina desta seção. O Espírito Santo inspirou os compiladores de Ezequias para registrar esses princípios de sabedoria. Assim, estas compilações são tão relevantes, importantes, e divinamente inspiradas quanto toda a coleção de Provérbios de Salomão (1:1-22:16) e dos sábios além de Salomão (22:17-24:34).

Provérbios 25:1 informa-nos como toda a coleção da tradição sapiencial contida em Provérbios 25:2 a 29:27 foi preservada. Do ponto de vista teológico, isso sugere uma continuidade na revelação divina ao longo das gerações, pois Salomão era o 3º rei de Israel, e Ezequias o 13º rei de Judá. Pode-se afirmar então, que Deus não apenas inspirou Salomão, mas também a outros sábios e inclusive agiu para preservar e atuou na transmissão dessa sabedoria através da compilação no tempo de Ezequias.

Uma das lições importantes desta nova coleção de Provérbios, é que sua introdução ressalta não apenas a origem divina da sabedoria, mas também a sua relevância contínua para as gerações futuras. Desta forma, somos incentivados a buscar e valorizar a sabedoria divina em nossa própria vida, compreendendo que ela é atemporal e universal.

Outra lição decorrente da introdução descrita em Provérbios 25:1 aponta que a Palavra de Deus não foi apenas inspirada inicialmente, mas também foi cuidadosamente preservada ao longo do tempo assegurando sua autenticidade e relevância. Portanto, Deus não apenas falou no passado, Ele continua a transmitir Sua sabedoria ainda hoje, guiando Seu povo nos dias atuais! – Heber Toth Armí.
••••

sexta-feira, 27 de outubro de 2023

PROFECIAS CONDICIONAIS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

27 de outubro

PROFECIAS CONDICIONAIS

Quando Eu disser ao ímpio que certamente morrerá, e ele se converter do seu pecado, fizer o que é justo e reto, restituir o penhor, [...] e não fizer maldade, certamente viverá; não morrerá. Ezequiel 33:14, 15

Embora se espere que uma profecia anunciada por um verdadeiro profeta seja cumprida, é importante notar que grande parte das profecias era condicional. Isso significa que elas seriam cumpridas apenas se determinadas condições fossem satisfeitas. Basicamente, há três tipos de profecias condicionais: aquelas feitas a pessoas, as que se referem à nação de Israel e as que dizem respeito às demais nações.

Vamos considerar a maneira de Deus agir com as pessoas. Ele anunciou: “Quando Eu disser ao justo que certamente viverá, e ele, confiando na sua justiça, fizer maldade, não Me lembrarei de nenhum dos seus atos de justiça, e ele morrerá por causa da injustiça que cometeu. E, quando Eu disser ao ímpio que certamente morrerá, e ele se converter do seu pecado, fizer o que é justo e reto, restituir o penhor, devolver o que roubou, andar nos estatutos da vida e não fizer maldade, certamente viverá; não morrerá. De todos os pecados que cometeu, nenhum deles será lembrado contra ele. Fez o que é justo e reto; certamente viverá” (Ez 33:13-16).

Na Bíblia, os justos são aqueles que creem em Deus, O amam e buscam fazer Sua vontade. Sua justiça vem de Deus (Sl 37:39; Is 53:11). Eles foram perdoados e transformados pelo Senhor e devem perseverar em Seu caminho, sendo dia a dia mais santos (Pv 4:18). Caso contrário, de nada lhes valerá a experiência com Deus passada.

Por outro lado, o perverso poderá escolher se aproximar de Deus e ter sua vida mudada (Is 55:7). De fato, nosso destino está em nossas mãos (Is 1:18-20; Mt 7:13, 14). Não porque sejamos capazes de nos salvar, mas porque Deus oferece a salvação por meio de Seu Filho, gratuitamente, a todos, de modo que qualquer um possa, por livre escolha, seguir Seu caminho (Jo 3:16).

Assim, uma profecia em relação a uma pessoa, seja ela justa ou ímpia, ocorrerá se ela permanecer no caminho em que se encontra. Se mudar, a profecia poderá não se cumprir. Que suas escolhas, hoje, o levem a ver a realização das boas palavras de Deus para sua vida!

https://youtu.be/to0gDJ9wbSg

Provérbios 24 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 24
Comentário::
Pr. Heber Toth Armí

PROVÉRBIOS 24 – O catálogo de premissas de sabedoria neste capítulo incentiva-nos a viver com discernimento, compaixão e responsabilidade. Precisamos estudar, analisar, refletir e aplicar à nossa vida os princípios contidos nesses preciosos provérbios, buscando agradar a Deus e servir ao próximo com amor e integridade.

Os princípios extraídos de Provérbios 24 são atemporais e guiam-nos em nossas decisões e ações diárias – são ensinamentos valiosos, essenciais para a conduta correta de vida.

• Nossa vida precisa estar bem fundamentada em princípios sólidos, adquirindo conhecimento e discernimento. Assim como um edifício bem construído requer uma base sólida, nossa vida também precisa estar alicerçada na sabedoria divina. Devemos buscar constantemente o entendimento da Palavra de Deus e aplicar Seus importantes ensinamentos em nossas atividades diárias. A sabedoria não apenas nos guia nas decisões importantes, mas também ajuda-nos a lidar corretamente com os desafios que enfrentamos neste mundo. Esta ideia está presente em Provérbios 24:3-6.

• Nossa natureza orgulhosa e arrogante precisa ser chamada à humildade e compaixão. Devemos estar sempre cientes que a alegria pela queda dos outros não é digna de corações sábios e bondosos, mesmo que o caído seja nosso inimigo! Deus é declaradamente contra a atitude de rir de quem cai, seja este cair fisicamente ou moralmente. Este impactante ensinamento pode ser extraído de Provérbios 24:17-20.

• Temos que ter extremo cuidado ao fazer julgamentos. Devemos ser justos e imparciais em nossas avaliações e decisões, refletindo a verdadeira justiça que vem de Deus. Ao agirmos com sabedoria e integridade, seremos instrumentos divinos para promover a paz e a justiça em um mundo impaciente, intolerante e injusto. Isso podemos aprender estudando atentamente Provérbios 24:23-26.

Estes pontos servem de desafios para você continuar pesquisando, analisando e refletindo na sabedoria contida neste capítulo. Ore, busque a Deus e peça sabedoria para adquirir sabedoria! Muita sabedoria destila deste capítulo, observe com atenção sua conclusão:

Provérbios 24:30-34 apresenta uma poderosa lição através de uma metáfora visualmente rica, que ressoa não apenas com sabedoria prática, mas também com implicações éticas e morais profundas. A imagem de um campo abandonado serve como um aviso contra a preguiça, a negligência e a irresponsabilidade. A passagem ensina-nos que a ociosidade e o descuido em nossas responsabilidades tendem a levar-nos à decadência e à ruína. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

quinta-feira, 26 de outubro de 2023

DE ONDE VEM A TENTAÇÃO?

 MEDITAÇÃO DIÁRIA - 

26 de outubro

DE ONDE VEM A TENTAÇÃO?

Cada um é tentado pela sua própria cobiça, quando esta o atrai e seduz. Tiago 1:14

De onde vem a tentação? Esse tema é abordado no primeiro capítulo da Epístola de Tiago. Ao responder a essa pergunta, ele não está considerando as forças malignas que procuram o nosso mal, mas nossa responsabilidade pessoal nas escolhas que fazemos. Sendo assim, ele afirma que a tentação vem de nós mesmos, ou seja, “cada um é tentado pela sua própria cobiça”, e passa a retratar o processo da tentação usando expressões que comumente são empregadas para descrever o surgimento de um novo ser humano e envolvem o relacionamento íntimo entre um homem e uma mulher. Na ilustração, uma mulher tenta atrair um homem e consegue seduzi-lo. Eles têm um momento de intimidade física e, como resultado, o homem gera, a mulher concebe e, no devido tempo, dá à luz uma criança.
No argumento de Tiago, esse homem nos representa individualmente, e essa mulher que nos tenta é chamada “cobiça”. É algo que vem de nós – a natureza pecaminosa que recebemos por herança de nosso pai Adão – e que tentará nos atrair e seduzir. Assim como Eva procedeu de Adão e o tentou.

Quando nossa vontade aceita os apelos da cobiça, elas se unem, como acontece com um casal. Então a cobiça concebe e “dá à luz o pecado”, o ato pecaminoso. Esse pecado, por sua vez, crescerá e também se tornará pai ao gerar uma filha. Quem é ela? A morte (v. 15). Assim, fica evidente o ensino de que, se escolhermos seguir os ímpetos de nossa natureza pecaminosa, isso resultará em morte.

Por outro lado, ao falar sobre Deus, Tiago declara que Ele não tenta ninguém (v. 13). Enquanto a cobiça dá à luz (v. 15), Deus é o Pai das luzes (v. 17). Dar à luz é trazer à existência. Assim, a cobiça traz à existência um ato de pecado, mas Deus traz à existência toda boa dádiva e todo dom perfeito (v. 17). Deus, por “Seu querer”, escolheu nos “gerar”, e fez isso mediante Sua Palavra (v. 18). Portanto, somos filhos de Deus e filhos da Palavra. Deus é nosso “Pai”, e Sua Palavra é nossa mãe. Hoje, devemos dizer “não” à cobiça e “sim” à Palavra e aos dons que Deus nos dá. 

https://youtu.be/Y_JBpK8GwQI

Provérbios 23 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 23
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 23 – A sabedoria prática promove a ética. A prática da sabedoria eleva a moral neste mundo em declínio. A essência da ética está na Lei de Deus, expandida nas páginas de Sua Palavra.

Os Dez Mandamentos (Êxodo 20:3-17) são o alicerce para uma vida honrosa, nobre e valiosa, ecoados nos ensinamentos de Provérbios 23:1-31. Na verdade, Provérbios amplia a mensagem do Decálogo. “O justo teme a Deus, obedece aos pais (20:30), domina as paixões como a raiva (16:32) e o desejo sexual (18:22; 19:14), mantém o discurso verdadeiro (12:19, 22) e é bondoso com os pobres (14:31). De modo contrário, os tolos amam as prostitutas (23:27-28), bebem excessivamente (23:29-35), são preguiçosos (24:30-34) e se ocupam de maledicências (18:8). Sem o devido temor do Senhor, sem a confiança no plano divino para a vida e sua aceitação, as tolices se tornam num estilo de vida, e a sabedoria se torna impossível” (Paul House).

A ponte entre Provérbios 23:1-31 e Êxodo 20:3-17 chama-nos a perceber a necessidade contínua de cultivar a sabedoria divina, a praticar a moderação e a ética em nosso cotidiano, independentemente da cultura e das mudanças no mundo ao nosso redor.

• A honra a pai e mãe do quinto mandamento ecoa em Provérbios 23:12-16, 22-26.
• A proibição à perversão sexual do sétimo mandamento ecoa em Provérbios 23:27-28.
• O pecado do furto declarado no oitavo mandamento, ecoa em Provérbios 23:10-11.
• A questão da cobiça refreada no décimo mandamento está presente em Provérbios 23:1-8, 17-18.

Além desses princípios morais, os sábios apresentam um vício de alta periculosidade: Bebidas alcoólicas. Elas destroem  tudo, inclusive a moral humana, degradando a alma e corrompendo o caráter (Provérbios 23:19-21, 29-35).

Na sociedade atual, onde somos frequentemente bombardeados por mensagens de consumo, materialismo e individualismo, os conselhos divinos em Provérbios 23 nos lembram da importância da moderação, da humildade e do respeito pelos outros. Os princípios contidos neste capítulo alertam-nos sobre os diversos perigos da busca implacável por prazer e riqueza, que geralmente levam à degradação moral.

• Deus não nos quer destruídos, arruinados e deformados, mas libertos, restaurados e transformados. Devemos desejar o que Deus almeja para nós!
• Esses ensinamentos atuam como guias valiosos, ajudando-nos a navegar pelos desafios e tentações da vida moderna com integridade e compaixão.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

quarta-feira, 25 de outubro de 2023

PONTOS EM COMUM

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

25 de outubro

PONTOS EM COMUM

E o Verbo Se fez carne e habitou entre nós, cheio de graça e de verdade. João 1:14


termo comunicação deriva da palavra comum. Isso indica que a comunicação envolve pontos em comum entre aqueles que estão se relacionando. Muitas pessoas têm pontos em comum por ser da mesma família, nascer na mesma cidade, ter a mesma idade, frequentar a mesma igreja, escola ou local de trabalho, ter a mesma profissão, o mesmo hobby, o mesmo grau de estudo, etc. Para nos comunicarmos com alguém é necessário que estabeleçamos pontos em comum. Quanto maior o número desses pontos, maior será a probabilidade de ocorrer uma boa comunicação e entendimento.

Sabendo disso, Jesus buscava Se aproximar das pessoas para lhes falar das boas-novas da salvação, estabelecendo pontos em comum entre elas e Ele. Além de Sua própria encarnação, que ocorreu para que o fator “humanidade” fosse um ponto comum entre nós e Ele, os evangelhos trazem alguns incidentes em Sua vida que nos servem de exemplo.

Um deles ocorreu junto ao poço de Jacó, quando Jesus alcançou o coração da mulher samaritana usando um ponto em comum: a sede (Jo 4:1-30). Outro pôde ser percebido no dia de Sua morte, quando o ladrão que estava a Seu lado aceitou a salvação. Nesse caso, o ponto comum aos dois foi a cruz (Lc 23:39-43). Em ambos os casos, Jesus aproveitou o momento, e houve salvação.

Nossa comunicação é verbal e não verbal. Comunicamos com as palavras, mas também pela inflexão da voz, pelo modo de olhar e pelos gestos corporais. Como filhos de Deus, possuidores do fruto do Espírito, precisamos ser amáveis em todas as formas de comunicação. Desse modo, a amabilidade ficará evidente não só no conteúdo de nossa mensagem, nas palavras proferidas, mas também no tom de voz, no olhar e em nossa linguagem corporal.

Hoje, você também pode abençoar as pessoas de seus relacionamentos aproveitando os pontos em comum com elas. Peça a Deus que lhe dê sabedoria para perceber quais são esses pontos e para que as impressione, de modo que elas também os percebam e se tornem mais receptivas a você e às palavras de salvação que você apresentará.

https://youtu.be/my3k8cZEKh4

Provérbios 22 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 22
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 22 – Embora seja o escritor principal, Salomão não foi o único a escrever os provérbios bíblicos. Veja estas interessantes curiosidades:

• Livro 1 – Provérbios de Salomão (Provérbios 1:1-9:18).
• Livro 2 – Várias máximas de Salomão (Provérbios 10:1-22:16).
• Livro 3 – As palavras de outros sábios (Provérbios 22:17-24:34).
• Livro 4 – Provérbios copiados pelos servos de Ezequias (Provérbios 25:1:29:27).

Apêndice A – Palavras do sábio Agur (Provérbios 30:1-33).
Apêndice B – Conselhos da rainha-mãe ao filho, o rei Lemuel (Provérbios 31:1-9).
Apêndice C – A mulher virtuosa: A conclusão do livro de sabedoria (Provérbios 31:10-31).

Provérbios 22 contém sabedoria de outros sábios – tão inspirados por Deus quanto os provérbios de Salomão. As instruções desses sábios nos são úteis; portanto, merecem nossa atenção, análise e reflexão.

O conteúdo destes sábios iniciado em Provérbios 22:17 “trata-se das instruções do professor ao seu aluno (‘filho’), que está sendo educado para um posto de responsabilidade”, explica Merril Unger.

Além de desestimular amizades com pessoas briguentas, chatas e ranzinzas, e combater o furto e a irresponsabilidade, os sábios tratam do tema da pobreza (Provérbios 22:22-23; 23:10-11, 21), tanto quanto Salomão (Provérbios 13:23; 14:31; 19:17; 21:16; 22:2, 9) e o restante de Provérbios (Provérbios 29:7; 31:20).

Baseando-se nestes ensinamentos, Wagner Kuhn sustenta que “Deus é desonrado quando os pobres são oprimidos e maltratados”; em contrapartida, “Deus é honrado quando o pobre é ajudado, e recompensa e abençoa aquele que cuidar dos pobres”. Inclusive, salienta que “a mulher sábia também é retratada como alguém que se preocupa com os pobres e necessitados”.

Certamente que, “o livro de Provérbios reflete sobre as causas da pobreza. Este é o resultado da preguiça (Pv 6:10-11; 10:4; 20:13; 24:33-34), da falta de disciplina (Pv 13:18), da inatividade (Pv 14:23; 28:19), da precipitação (Pv 21:5) e do excesso (Pv 21:17; 23:20-21). Contudo, isso não significa que toda pobreza é merecida... De fato, os Provérbios enfatizam a dignidade do pobre e censuram severamente aqueles que o oprimem [ver Provérbios 14:31; 17:5]” (Elias Brasil de Souza).

Enfim, através da assimilação dos Provérbios, Deus quer ensinar-nos que “a boa reputação vale mais que grandes riquezas;” e, “desfrutar de boa estima vale mais que prata e ouro” (Provérbios 22:1). Assim, Provérbios contém recursos para ajudar as crianças que estão sob nossa responsabilidade (Provérbios 22:6, 17-21). Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

terça-feira, 24 de outubro de 2023

PERMANECER

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

PERMANECER

Eu sou a videira, vocês são os ramos. Quem permanece em Mim, e Eu, nele, esse dá muito fruto; porque sem Mim vocês não podem fazer nada. João 15:5

O discurso sobre a videira verdadeira é encontrado apenas no evangelho de João (15:1-17). Foi proferido algumas horas antes de Jesus ser preso e crucificado. Quando lemos algum texto da Bíblia e encontramos uma palavra que se repete, essa é a ênfase da mensagem. Nesse discurso, encontramos 9 vezes a palavra “fruto” e 11 vezes a ideia de “permanecer”. Portanto, a mensagem principal é que devemos permanecer em Cristo e produzir fruto.

Nessa ilustração, o agricultor é Deus Pai, a videira é Cristo, os ramos são aqueles que Nele creem, e o fruto representa as virtudes cristãs em nós como resultado da união com Cristo. A narrativa apresenta dois tipos de ramos: os que dão fruto e os que não dão. Judas era um ramo que precisava ser cortado. Durante três anos havia estado acompanhando Jesus, mas não tinha produzido o fruto esperado. Dentro de instantes, ele trairia Jesus e seria separado Dele para sempre. Porém, os outros 11 permaneceriam com Cristo e seriam podados para que dessem ainda mais fruto.

Na realidade, o que significa permanecer em Cristo? Primeiramente, permanecemos em Cristo quando Suas palavras permanecem em nós (v. 7). Quando meditamos na Palavra, a seiva da videira passa para nós e nos nutre. Desse modo, recebemos a sabedoria e o poder de Deus e somos habilitados a produzir o bom fruto. Permanecer em Cristo significa, também, permanecer em Seu amor (v. 9). O mesmo amor que nos atraiu, especialmente por sua manifestação na cruz, é capaz de nos motivar (2Co 5:14) a manter nossa união com Jesus, produzir o bom fruto e amar os filhos de Deus (Jo 15:12, 17).

Finalmente, permanecemos em Cristo quando guardamos Seus mandamentos (v. 10). Para permanecer é absolutamente necessário obedecer. A obediência aos mandamentos está vinculada tanto ao amor como à permanência, de modo que aquele que não obedece também não ama a Deus e não permanece unido a Seu Filho.

Você quer, hoje, permanecer em Cristo? Então, valorize Sua Palavra, estude-a, medite em Seus ensinos; ame a Jesus e seus irmãos e seja obediente aos mandamentos de Deus.

https://youtu.be/MfXIJiNmZfI

Provérbios 21 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 21
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 21 – Muita coisa pode-se aprender nas sábias palavras de Provérbios, “naturalmente, ele se apresenta como a Palavra de Deus; esta é uma das suas características mais marcantes”, destaca Walter Kaiser.

“A sabedoria, uma caraterística divina, é personificada no livro como um ser que interage com os seres humanos. Em [Provérbios] 1:20-33; 8:1-3; 9:1-6, 13-18, ela (sabedoria) é posta em oposição à ‘mulher-loucura’”, analisam Gerhard Pfandl e Ángel M. Rodriguez.

As mulheres têm força e poder. Dependendo de seu humor, influenciam todos ao seu redor. Se forem irresponsáveis em suas palavras e comportamentos, afetam de tal forma que ninguém consegue interceptá-las; por isso, a briga constante promovida pode ser tão insuportável que até mesmo viver num ambiente inóspito como o deserto seria preferível (Provérbios 21:9, 19).

Embora a ira no homem também suscita confusão, brigas e violência (Provérbios 17:1; 29:22), o poder da mulher no lar é maior. O sábio reconhece isso dando ênfase na advertência às mulheres: “A esposa briguenta é como uma goteira constante” (Provérbios 19:13). Provérbios 21:9 é repetido em Provérbios 25:24. Tal reiteração deve ser devidamente considerada com atenção: “Melhor é viver num canto sob o telhado [pegando sol quente, frio da noite e chuvas] do que repartir a casa com uma mulher briguenta”.

O poder feminino é muito grande, é necessário que mulheres cuidem suas influências: “A esposa briguenta é como o gotejar constante num dia chuvoso; detê-la é como deter o vento, como apanhar óleo com a mão” (Provérbios 27:15-16). Por conseguinte, o sábio alerta: “A mulher sábia edifica a sua casa, mas com as próprias mãos a insensata derruba a sua” (Provérbios 14:1).

Tudo isso não tem nada a ver com machismo, mas com sabedoria:

• O homem que deseja um lar agradável precisa escolher bem sua esposa, e a mulher precisa escolher bem suas atitudes.
• É certo que, por trás de um grande homem tem uma grande mulher – tem sempre uma grande mulher!

O poder influenciador de uma mulher é demasiado grande, é disso que trata Provérbios! A mulher pode influenciar marido e filhos a serem excelentes líderes (Provérbios 21:1-8), bondosos, benignos, éticos, compassivos, pacientes e justos (Provérbios 21:10-18) e a seguirem o caminho da honra, da diligência, da integridade e da sabedoria (Provérbios 21:20-31).

Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

segunda-feira, 23 de outubro de 2023

PEDRO

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

23 de outubro

PEDRO

Eu, porém, orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E você, quando voltar para Mim, fortaleça os seus irmãos. Lucas 22:32

Uma maneira como Deus nos ensina é por meio da vida de outras pessoas, principalmente aquelas descritas na Bíblia. No Novo Testamento, uma das figuras de destaque é o apóstolo Pedro. Como nós, ele teve altos e baixos. Caminhou, tropeçou, caiu, levantou-se e continuou. Um aspecto positivo é sua sinceridade, como naquelas ocasiões em que ele disse a Jesus: “Darei a minha vida pelo senhor” (Jo 13:37) e “de modo nenhum O negarei” (Mt 26:35). Ele também tinha discernimento espiritual em certa medida. Em uma reunião com os 12 discípulos, quando o Mestre lhes perguntou: “E vocês, quem dizem que Eu sou?”, Pedro rapidamente respondeu: “O Senhor é o Cristo” (Mt 16:15, 16). Em outra ocasião, respondendo à outra indagação, ele disse: “O Senhor é o Santo de Deus” (Jo 6:69).

Na vida de Pedro, também sobressaem alguns aspectos negativos. Fica evidente que ele estava fortemente apegado à tradição judaica sobre o Messias, por exemplo (Mt 16:21, 22). Quanto ao temperamento, ele era impulsivo. Tinha muita confiança própria e pouca confiança em Deus (Mt 26:31-35). Porém, o que mais se destacou foi sua negação de Cristo. Ele fez isso repetidamente. Na primeira vez, ele simplesmente negou (Mt 26:70). Na segunda, negou e jurou (v. 72). Na terceira, negou, jurou e praguejou (v. 74), de modo que transparecesse que ele não tinha nada a ver com Jesus.

A narrativa bíblica também revela o que Jesus fez por Pedro. Primeiramente o acolheu (Jo 1:40-42). Quando André havia reconhecido Jesus como Messias, trouxe seu irmão Pedro à presença do Mestre. E Ele o recebeu, apesar de seus defeitos de caráter. Posteriormente, próximo ao final de Seu ministério terrestre, Jesus avisou Pedro das investidas de Satanás sobre ele, assegurou-lhe que orava por ele e, antes de adverti-lo, falou-lhe palavras de esperança (Lc 22:31-34).

Depois da ressurreição, Jesus não Se esqueceu dele. Diante de todos os companheiros, Pedro teve a oportunidade de afirmar repetidamente seu amor pelo Mestre (Jo 21:15-18).

Da mesma forma, Jesus nos conhece. Não desanima apesar de nossas debilidades. Ele está disposto a nos transformar e nos conduzir com segurança ao Seu reino.
https://youtu.be/J6TtLIvCCDE

Provérbios 20 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 20
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 20 – É impossível exagerar a importância e a relevância do livro de Provérbios – precisamos aprender a valorizá-lo mais. A sabedoria expressa em suas páginas ultrapassam teorias e conceitos, “as atividades da sabedoria se assemelham estritamente às de Yahweh. Ambos derramam o Espírito (Pv 1:23; Is 44:3); ambos convidam a Israel, mas este se recusa a responder (Pv 1:24; Is 66:4); ambos promovem justiça (Pv 8:15; Is 11:4, 5); etc. A sabedoria é a essência da natureza de Deus”, salientam Gerhard Pfandl e Ángel M. Rodriguez.

Embora seja dada ênfase na vida cotidiana, Provérbios é altamente espiritual. Ele “ensina que toda a vida humana é vivida no contexto de um Deus soberano que nos mostrou como devemos viver. Há um padrão ou uma ordem que vem como uma dádiva de Deus para a vida e para todos os seus relacionamentos”, alega Walter Kaiser.

Provérbios 20 contém uma série de ensinamentos sobre sabedoria, virtudes e comportamento. Cada versículo oferece uma visão única sobre diferentes aspectos da vida, e fornece conselhos práticos sobre como viver de acordo com princípios sábios e justos.

Observe estas sínteses com oração:

• Advertência sobre os perigos das bebidas alcoólicas, destacando como levam à imprudência e conflitos (Provérbios 20:1).
• Advertência sobre o desrespeito às autoridades e à desonra de provocar brigas (Provérbios 20:2-3).
• Advertência sobre a preguiça e a falta de diligência, destaca-se a importância do trabalho árduo e da integridade (Provérbios 20:4-7).
• Advertência sobre a importância da sabedoria e do entendimento nobre e divino em tomar decisões justas e sábias (Provérbios 20:8-12).
• Advertência contra a prática da fraude e da desonestidade nos negócios; destaca-se a prática da justiça divina em todas as áreas da vida (Provérbios 20:13-17).
• Advertência sobre a importância de consultar conselheiros e ser prudente nas decisões, evitando a precipitação (Provérbios 20:18-22).
• Advertência contra buscar segurança e estabilidade nas astúcias e ganâncias humanas; enfatiza-se a confiança em Deus como fonte de segurança (Provérbios 20:23-27).
• Advertência a líderes políticos, a jovens e a idosos sobre a importância da honra e da justiça, e da disciplina para eliminar o mal (Provérbios 20:28-30).

Desprezar as advertências de Provérbios por acreditar que já alcançou sabedoria plena refere-se à autojustificação e autoengano, pois todos somos pecadores e carecemos de correção (Provérbios 20:9). Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

domingo, 22 de outubro de 2023

ORIGEM DA IGREJA ADVENTISTA

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

22 de outubro

ORIGEM DA IGREJA ADVENTISTA

Estas palavras estão encerradas e seladas até ao tempo do fim. [...] Os ímpios continuarão na sua impiedade, e nenhum deles entenderá; mas os sábios entenderão. Daniel 12:9, 10

Após a morte dos apóstolos, muitos cristãos começaram a aceitar ideias e costumes pagãos. Ao longo dos primeiros séculos da era cristã, alguns desses desvios doutrinários foram sendo incorporados à fé. Em consequência, a igreja cristã oficial, administrada pelo papado, tornou-se uma religião cujas doutrinas eram uma mistura de ensinos da Bíblia com crenças e práticas pagãs.
Séculos depois, surgiram os reformadores: Wycliffe, Lutero, Calvino, Wesley e tantos outros. Cada um deles redescobriu na Bíblia antigas verdades esquecidas e começou a divulgá-las. Assim foram surgindo as igrejas protestantes: Luterana, Presbiteriana, Metodista, Batista, entre outras.

No início dos anos 1800, um fazendeiro, membro da Igreja Batista, chamado Guilherme Miller, estudou as profecias e entendeu que a segunda vinda de Cristo ocorreria em breve. Guiado por Deus, ele compartilhou sua descoberta, o que resultou em um dos maiores reavivamentos de todos os tempos.

Milhares de pessoas passaram a estudar a Bíblia, a crer em Cristo como Salvador e a se prepararem para o Seu retorno. Elas eram chamadas de adventistas (porque criam no advento, na vinda de Jesus) ou mileritas (porque Miller era seu pregador mais destacado). No entanto, essas pessoas não haviam deixado suas igrejas. Desse modo, havia batistas adventistas e metodistas adventistas, por exemplo, mas não havia uma igreja chamada “adventista”.

Com o passar do tempo, porém, houve oposição, e as denominações acabaram por afastar aqueles que continuaram a crer na mensagem milerita. Os que permaneceram firmes prosseguiram em seu estudo das profecias e calcularam que Jesus retornaria em 22 de outubro de 1844. Naquele dia, eles O aguardaram, mas Cristo não veio.

Depois disso, um grupo se dedicou a orar e a estudar para descobrir por que Jesus não regressara, até que entenderam melhor a revelação profética. Somos seus descendentes espirituais e continuamos a crer na promessa de Cristo, que assegurou: “Voltarei” (Jo 14:3). 

https://youtu.be/ckrTeiSMm_U

Provérbios 19 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 19
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 19 – Saber e não fazer implica não ter aprendido. Deus não quer apenas encher nossa mente de informação, Ele almeja que experimentemos profunda transformação.

Para isso, Provérbios é de suprema relevância; portanto, devemos dar-lhe a devida importância! Mas, pergunto:

• Quantos sermões ouvimos sobre este livro de sabedoria prática?
• Quantos estudos fazemos baseado nos Provérbios?

Para que seu impacto seja sentido, “em lugar de sujeitar o livro de Provérbios às nossas opiniões pré-existentes do que é certo ou errado, bom ou mal, devemos dar a este livro o benefício da autoridade divina... quando essas palavras de sabedoria divina provocarem uma inquietação interior, sugiro que você faça uma pausa... Se você permitir que a Palavra de Deus e o Espírito de Deus tenham completo acesso à sua mente, então a sua vida no lar, no trabalho, com amigos, e no mundo, de maneira geral, será transformada. Afinal, a mensagem central do livro de Provérbios é esta: ‘Faça as coisas à maneira de Deus, e você será mais bem-sucedido em cada esfera da vida. Ignore a sabedoria divina, e você fracassará’”, argumenta Charles Swindoll.

Os provérbios precisam ser analisados; é necessário dedicar tempo meditando neles, para assimilar seu conteúdo. Às vezes, será necessário transcrevê-los de uma forma que o entenderemos melhor. Faça este simples exercício... como fiz com os primeiros versículos de Provérbios 19:

• O pobre vivendo em integridade é melhor que o tolo que fala perversidade.
• Ser zeloso sem entendimento é tão ruim quanto ser precipitado.
• O insensato causa seus próprios problemas, e ainda se revolta contra Deus.
• A riqueza atrai amigos, mas a pobreza os repele.
• A mentira será descoberta e castigada.
• Os bajuladores estão sempre à espreita intentando conseguir algo com suas lisonjas.
• A sabedoria faz muito bem a quem a adquire.
• A glória do sábio não é ofender, mas ignorar as ofensas.
• ...

Esta atividade ajuda-nos entender e absorver melhor aos provérbios. O Espírito Santo quer que sejamos sábios, Ele insiste diversas vezes. Veja: “Se você parar de ouvir a instrução, meu filho, irá afastar-se das palavras que dão conhecimento” (Provérbios 19:27).

Deus não nos quer preguiçosos, fraudulentos, indisciplinados, zombadores, rebeldes, briguentos ou rabugentos; Ele quer um nível mais elevado de vida para nós (Provérbios 19:12-29); portanto, aprendamos provérbios, pratiquemo-los e reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

sábado, 21 de outubro de 2023

DIA DO PASTOR

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

21 de outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/dia-do-pastor/

DIA DO PASTOR

Pastoreiem o rebanho de Deus que há entre vocês, não por obrigação, mas espontaneamente, como Deus quer. 1 Pedro 5:2


Como alguém pode saber se Deus o está chamando para a obra pastoral? Há três indicativos seguros. Primeiramente, aquele que é chamado tem uma forte convicção interior gerada pelo Espírito de Deus. Ele percebe Deus dirigindo sua vida, abrindo portas e o encaminhando para o ministério pastoral. Mas isso não basta. Nem todo desejo ou convicção, por mais forte que seja, provém de Deus.

Em segundo lugar, em sua vida estão presentes aquelas qualidades que a Bíblia apresenta como características de um pastor. Por exemplo: “Deve […] ser moderado, prudente e simples. Deve […] ter capacidade para ensinar. Não pode ser […] briguento, mas deve ser pacífico e calmo. Não deve amar o dinheiro. Deve ser um bom chefe da sua própria família e saber educar os seus filhos” (1Tm 3:2, 4, NTLH). Além disso, o corpo de Cristo, ou seja, a igreja, por meio de seus membros dotados de maturidade e discernimento espiritual, reconhece e confirma esse chamado. Um pastor costuma ter muitas atividades e compromissos, alguns bastante desgastantes, mas, em meio a tudo isso, ele deve ter a convicção da presença, bênção e paz de Deus, assim como aconteceu com Cristo. Mesmo em meio aos conflitos presentes em Seu ministério, Ele afirmou: “Aquele que Me enviou está Comigo, não Me deixou só, porque Eu faço sempre o que Lhe agrada” (Jo 8:29). Às vésperas de Sua morte, Ele disse aos discípulos: “Falei essas coisas para que em Mim vocês tenham paz. No mundo, vocês passam por aflições; mas tenham coragem: Eu venci o mundo” (Jo 16:33).
Um conselho dado pelo idoso pastor Pedro ainda é atual e deve acompanhar todos os pastores de nossos dias: “Pastoreiem o rebanho de Deus que há entre vocês, não por obrigação, mas espontaneamente, como Deus quer; não por ganância, mas de boa vontade; não como dominadores dos que lhes foram confiados, mas sendo exemplos para o rebanho. E, quando o Supremo Pastor Se manifestar, vocês receberão a coroa da glória, que nunca perde o seu brilho” (1Pe 5:2-4).

Aproveite este dia para agradecer a Deus por conceder pastores à sua igreja. Lembre-se também de agradecer ao seu pastor por ter aceitado o chamado divino e por dedicar os talentos dele para o crescimento da igreja.

https://youtu.be/dP-OFJ2HCFM

Provérbios 18 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 18
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 18 – Neste capítulo, nossas palavras continuam precisando ser avaliadas, a fim de que nossa língua seja reavivada e reformada.

• Como está a tua comunicação?
• Precisa melhorar?

Então vamos continuar juntos refletindo na Palavra Sagrada com objetivo de sermos miraculosamente transformados:

Lendo Provérbios 18:4-8, 13, 19-21 somos desafiados a cair de joelhos e clamar por uma forte intervenção divina em nossa terrível língua. “Salomão tinha muito a dizer a respeito do que dizemos. Na verdade, língua, boca, lábios e palavras aparecem aproximadamente 150 vezes no livro de Provérbios. Em média, uma referência à fala aparece cinco vezes em cada um dos trinta e um capítulos”, observa Charles Swindoll.

Comentando sobre Provérbios 10:8, 19 e 17:27-28, Swindoll afirma: “A verborragia é o costume de falar demais, dizendo pouco. As pessoas que são verborrágicas normalmente se sentem impelidas a comentar sobre toda e qualquer coisa, seja porque temem o silêncio ou porque creem, sinceramente, que uma conversa sem sentido é melhor que nenhuma. Assim, essas pessoas enchem o abençoado silêncio com conversas vazias. Irrompem sem hesitação. Falam primeiro e pensam depois... se é que pensam! E, com tudo o que falam, não ouvem”.

• Como precisamos de transformação em nossa comunicação! Graças a Provérbios, podemos obter essa percepção: “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto” (Provérbios 18:21).

Além de nossas palavras, nosso trabalho e salário precisam ser influenciados pelos princípios celestiais o tempo todo; do contrário, vivemos como os incrédulos que não temem a Deus:

1. “Quem relaxa em seu trabalho é irmão do que o destrói” (Provérbios 18:9). A preguiça empobrece, a diligência enriquece (Provérbios 10:4; 12:24). Por isso, Paulo foi taxativo: “Se alguém não quiser trabalhar, também não coma” (II Tessalonicenses 3:10). O trabalho afasta de nós três grandes males: Tédio, vício e necessidade.
2. “O pobre implora misericórdia, mas o rico responde com aspereza (Provérbios 18:23). A disparidade social e econômica não é motivo para desprezo ou mesmo exploração, tanto o pobre quanto o rico precisa alinhar sua vida aos princípios divinos!

Enfim, em tudo na vida precisamos permitir que Deus nos molde. Nas palavras, no trabalho, no salário, na sociedade, na família... (Provérbios 18:1-5, 11-12, 15-18, 22-24). Portanto, vamos reavivar-nos? – Heber Toth Armí.
••••

sexta-feira, 20 de outubro de 2023

PARECE, MAS NÃO É

 MEDITAÇÃO DIÁRIA -

20 de outubro

PARECE, MAS NÃO É

O profeta que tem um sonho conte-o como um simples sonho. Mas aquele em quem está a Minha palavra fale a Minha palavra com verdade. O que é que a palha tem a ver com o trigo? – diz o Senhor. Jeremias 23:28

Em 1891, Ellen G. White viajou para a Austrália, onde permaneceu por nove anos. Durante sua ausência nos Estados Unidos, Ana Phillips, uma jovem adventista, anunciou que havia recebido revelações de Deus. Ela escreveu suas visões e as enviou para os líderes da igreja. Alguns raciocinaram que havia certa lógica em Deus enviar uma nova profetiza, já que a irmã White estava distante.

Em uma manhã de sábado, em meados de abril de 1894, o pastor Alonzo T. Jones pregou no tabernáculo de Battle Creek. Durante uma hora, diante de milhares de pessoas, ele falou sobre o dom de profecia, comparando os escritos de Ana Phillips com os de Ellen White e afirmando sua crença de que Deus estava falando por meio daquela jovem. A igreja ficou dividida.

Na manhã seguinte, domingo, esse pastor foi até o correio que funcionava na editora e perguntou se havia alguma correspondência para ele. Entregaram-lhe um envelope que viera da Austrália, postado de lá fazia um mês. Era de Ellen White. Na carta, ela descrevia o que havia ocorrido no dia anterior, no tabernáculo, e comentava o sermão que ele fizera. Perguntava-lhe quem o havia autorizado a declarar que Ana Phillips era uma profetiza. Dizia que Ana Phillips não havia sido enviada por Deus.

Outro pastor estava por ali, e o pastor Alonzo lhe perguntou: “Você assistiu ao culto de ontem, no tabernáculo?” Ele respondeu que sim, e Alonzo lhe entregou a carta e pediu que a lesse. Depois, o pastor Alonzo lhe perguntou: “Quem foi que disse a Ellen White, um mês atrás, que eu iria pregar este sermão, se, naquela época, eu mesmo não sabia o que pregaria?” No sábado seguinte, o pastor Alonzo tornou a pregar no mesmo local e desfez o que havia dito no sábado anterior, contando sobre a carta que havia recebido.

Como resultado, Ana Phillips abandonou sua pretensão de ser profetiza. Posteriormente, ela foi obreira bíblica e permaneceu fiel até o final de sua vida. Nesse caso, uma simples carta, aceita como mensagem de Deus, evitou a confusão e fortaleceu a igreja. O que fez o pastor Alonzo se enganar sobre algo tão importante? Como podemos evitar esse erro? 
https://youtu.be/F5uQ9ztJcpM?si=WRMY2R1E5gxbIXTu

Provérbios 17 Comentário:

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 17
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 17 – A renovação espiritual (reavivamento) capacita-nos a viver de acordo com os sábios princípios divinos, enquanto a reorganização prática (reforma) ajuda-nos a manifestar essa espiritualidade em nossas ações diárias.

• O reavivamento nos ajuda a ter discernimento espiritual, enquanto a reforma nos leva a mudar nossos hábitos e práticas para refletir essa sabedoria.
• Reavivamento espiritual leva-nos a buscar a sabedoria que vem de Deus, enquanto a reforma implica em mudar nossos conceitos e pré-conceitos para alinhá-las com a sabedoria celestial.
• O reavivamento espiritual nos ajuda a sintonizar nosso coração e mente com Deus, enquanto a reforma envolve a reorganização de nossos planos, decisões e ações de acordo com Sua maravilhosa vontade.

O discernimento espiritual auxilia-nos a receber correções com humildade e a aprender com elas, permitindo que a sabedoria de Deus penetre em nossa mente e coração (Provérbios 17:10). Esse tipo de discernimento disponível aos fieis ajuda-nos a distinguir entre o que é certo e o que é errado aos olhos do Soberano Juiz, evitando justificar comportamentos injustos (Provérbios 17:15). Esse discernimento provido pelo Espírito ensina-nos a controlar nossas palavras, mostrando sabedoria no falar e refletindo um coração sereno e inteligente (Provérbios 17:27).

Nossas palavras revelam o que temos no coração (Mateus 12:34). Nossa língua destila sabedoria ou loucura, dependendo da fonte em que abastecemos nossa mente e coração. Somos moldados por influências celestiais ou infernais, divinas ou diabólicas? (Tiago 3:13-18). Enquanto alguns prezam por uma reforma de roupa, o sábio vai além de mudar as aparências.

Para uma reforma em nossas palavras, considere com atenção e oração sincera:

• Quem aprecia fofocas, calúnias, zombarias, xingamentos e palavrões devem reavivar-se e reformar-se (Provérbios 17:4-5).
• Quem não controla sua língua e não valoriza o silêncio para evitar conflitos, brigas e contendas, precisa aprender do Espírito a ter domínio próprio e sábio uso das palavras (Provérbios 17:27-28).
• Quem é arrogante e mentiroso, independente de quem seja, mesmo a um governante, não é nada elegante; então, precisa de reavivamento e reforma urgentemente (Provérbios 17:7).
• Quem gosta de brigas, confusões, dissenções e desavenças deve buscar o arrependimento antes que suas más atitudes causem irremediáveis desgraças (Provérbios 17:1, 14, 19-20).

Precisamos ouvir a voz de Deus no livro de Provérbios caso queiramos experimentar reavivamento e reforma de verdade, no íntimo! – Heber Toth Armí.
••••

quinta-feira, 19 de outubro de 2023

PARA SER FELIZ

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

19 de outubro

PARA SER FELIZ

Para quem está aflito, todos os dias são maus, mas a vida de quem tem o coração alegre é uma festa contínua. Provérbios 15:15

Joan Chittister é a autora da obra O Livro da Felicidade. Nas primeiras páginas, ela declara: “Uma coisa aprendi com este livro: a felicidade com certeza é possível, mas talvez não seja aquilo que pensamos que seja quando começamos a procurá-la”. O livro é o resultado de um estudo científico que considera o que foi descoberto sobre o tema nas áreas da sociologia, biologia, neurologia, psicologia, filosofia e religião. Em nossos dias, há uma busca universal pela felicidade. Esse é um dos temas mais estudados.
Em um dos estudos citados, os pesquisadores mediram o nível de felicidade de indivíduos que participaram do projeto. Eles foram divididos em cinco grupos, e cada grupo recebeu uma tarefa para a semana. Os integrantes do primeiro grupo receberam a seguinte incumbência: quando estranhos lhes dissessem algo, e eles concordassem, deviam sorrir. A esperança era que o sorriso criasse algum vínculo positivo, solidário. Aqueles que pertenciam ao segundo grupo foram encarregados de passar algum tempo durante o dia pensando em três coisas boas que estavam presentes em sua vida atual e pelas quais se sentiam gratos.

Cada membro do terceiro grupo, quando estivesse estressado, devia recordar alguma coisa boa que havia lhe acontecido no dia anterior. Aos participantes do quarto grupo foi pedido que pensassem nas coisas de que gostavam em sua vida, tanto do passado quanto do presente. Ao quinto grupo nada foi pedido.

Depois de uma semana, os participantes responderam individualmente a várias perguntas, e o resultado desse experimento foi a constatação de que aqueles que pertenciam aos quatro primeiros grupos tiveram seu nível de felicidade aumentado, enquanto o mesmo não ocorreu com os integrantes do quinto grupo, aquele que nada fez.

O experimento demonstrou que é possível e fácil sermos mais felizes. Isso ocorrerá conosco se quisermos e adotarmos atitudes positivas, se olharmos para as coisas boas da vida em lugar de ficarmos remoendo as perdas e o que de negativo nos acontece. É como diz o hino: “Tens acaso mágoa que te faz chorar? / […] Conta as muitas bênçãos, não duvidarás, / E em canção alegre os dias passarás” (Hinário Adventista do Sétimo Dia, n. 307).

https://youtu.be/3VTNIEzEWks

Provérbios 16 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 16

Comentário: Pr. Heber Toth Armí

PROVÉRBIOS 16 – O tema do reavivamento está presente em Provérbios. O pecado abate, deprime, adoece e mata seus hospedeiros; mas os princípios divinos restauram àqueles que o pecado arruinou!

A mensagem de Provérbios fomenta o reavivamento e a reforma. “Reavivamento e reforma são duas coisas diversas. Reavivamento significa renovamento da vida espiritual, um avivamento das faculdades da mente e do coração, uma ressurreição da morte espiritual. Reforma significa uma reorganização, uma mudança nas ideias e nas teorias, hábitos e práticas. A reforma não trará o bom fruto da justiça a menos que seja ligada com o reavivamento do Espírito. Reavivamento e reforma devem efetuar a obra que lhes é designada, e no realizá-la, precisam fundir-se”, diz Ellen White.

Considere com oração:

• “Não seja sábio aos seus próprios olhos; tema ao Senhor e evite o mal. Isso dará a você saúde ao corpo e vigor aos ossos”, ou seja, reavivamento (Provérbios 3:7-8).

• “Meu filho, escute o que digo a você; preste atenção às minhas palavras. Nunca as perca de vista; guarde-as no fundo do coração, pois são vida para quem as encontra e saúde para todo o seu ser” (Provérbios 4:20-22).

• “Quem confia em suas riquezas certamente cairá, mas os justos florescerão como a folhagem verdejante” (Provérbios 11:28).

• “Os ímpios cobiçam o despojo tomado pelos maus, mas a raiz do justo floresce” (Provérbios 12:12).

• “No caminho da justiça está a vida; essa é a vereda que nos preserva da morte” (Provérbios 12:28).

• “O ensino dos sábios é fonte de vida e afasta o homem das armadilhas da morte” (Provérbios 13:14).

• “O temor do Senhor é fonte de vida, e afasta das armadilhas da morte” (Provérbios 14:27).

• “O caminho da vida conduz para cima quem é sensato, para que ele não desça à sepultura” (Provérbios 15:24).

• “O entendimento é fonte de vida para quem o têm...” (Provérbios 16:22).

• “As palavras agradáveis são como um favo de mel, são doces para a alma e trazem cura para os ossos” (Provérbios 16:24).

Provérbios 16 mostra que precisamos de reavivamento e reforma:

1. ...Em nossas decisões (Provérbios 16:1-9).
2. ...Nas nossas atitudes e relações (Provérbios 16:10-15).
3. ...Na sabedoria e no entendimento (Provérbios 16:16-33).

Uma vida reavivada e reformada será diferente de uma vida deformada e depravada! Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
••••

quarta-feira, 18 de outubro de 2023

ACHAMOS O MESSIAS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

18 de outubro

ACHAMOS O MESSIAS

Ele encontrou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: “Achamos o Messias!” [...] E o levou a Jesus. João 1:41, 42


evangelho de João começa com o testemunho de dois homens a respeito de Cristo. O primeiro é o do escritor, João, o discípulo amado. O segundo é de João Batista, o profeta e precursor de Jesus. O discípulo declara que Jesus existia antes do princípio de todas as coisas e que Ele é quem originou tudo que existe (Jo 1:1-3). Antes de vir a este mundo, Ele era Deus e estava com Deus, o Pai. A intenção do escritor é que os leitores creiam que Jesus é o Messias prometido, e que, assim, tenham vida espiritual (Jo 20:30, 31). 

João Batista, por sua vez, dizia que Jesus já existia antes dele (v. 15, 30) e que Ele era o Cordeiro de Deus (v. 29, 36) e o Filho de Deus (v. 34), que trouxe a graça e a verdade a este mundo (v. 17). João “veio como testemunha para testificar a respeito da luz, para que todos viessem a crer por meio dele” (Jo 1:7).

Na sequência, o evangelho narra o início do ministério de Jesus. Dois discípulos de João Batista, crendo em suas palavras, fizeram contato com Jesus e passaram um dia com Ele. “André, o irmão de Simão Pedro, era um dos dois que tinham ouvido o testemunho de João e seguido Jesus. Ele encontrou primeiro o seu próprio irmão, Simão, a quem disse: ‘Achamos o Messias!’ […] E o levou a Jesus” (Jo 1:40-42).

“No dia seguinte, Jesus […] encontrou a Filipe, a quem disse: ‘Siga-Me.’ […]. Filipe encontrou Natanael e lhe disse: ‘Achamos Aquele de quem Moisés escreveu na lei, e a quem se referiram os profetas: Jesus […]. Venha ver’” (Jo 1:43-46). Esses quatro homens foram os primeiros a crer em Jesus, como o Filho de Deus e o prometido Salvador, e os primeiros a se tornarem Seus discípulos. 

Um deles, após conhecer Jesus, testemunhou para seu irmão, e este creu. O outro, tendo se encontrado com Cristo e aceitado Seu convite para segui-Lo, encontrou-se com um amigo e o conduziu ao Salvador, e ele também creu. Foi desse modo que o cristianismo se expandiu no início. Devemos testemunhar para quem está próximo de nós, para as pessoas mais queridas. Você também pode dizer a um amigo: “Achamos o Salvador! Venha ver!” 

https://youtu.be/dr7dGUt6jdk

Provérbios 15 Comentário:

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 15
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 15 – O livro de Provérbios contém 31 capítulos: Leitura de um capítulo por dia durante um mês. Seus ensinamentos são essenciais para a vida, a paz, a felicidade e a salvação.

Embora sua ênfase esteja nas atividades comuns da vida, mostra que todas nossas atividades devem estar pautadas no temor do Senhor. Os primeiros 15 capítulos apresentam uma riqueza de sabedoria e conhecimento, oferecendo princípios profundos sobre a conduta moral e a busca pela verdadeira sabedoria; e, um tema recorrente testes capítulos é o “temor do Senhor”.

(O temor do Senhor não implica em ter medo de Deus, mas em honrá-lO, reverenciá-lO, respeitá-lO, obedecer as Suas orientações e viver em harmonia com Sua soberana vontade).

• Provérbios 1:7 estabelece o alicerce para toda a sabedoria: O temor do Senhor. O conhecimento inicia com um coração reverente e humilde perante Deus. Esta atitude não apenas impulsiona a busca pela sabedoria, mas também molda o caráter daqueles que a possuem.

• Na sequência, Provérbios 2:5 retrata o “temor do Senhor” como o ponto de partida para uma vida sábia e justa. À medida que avançamos, o “temor do Senhor” se revela como um escudo protetor e uma fonte de compreensão e entendimento.

• No capítulo seguinte, o “temor do Senhor” é vinculado à obediência consciente (Provérbios 3:7-8). Ao desviarmos do mal e confiarmos em Deus, perceberemos que o “temor do Senhor” não é apenas um estado de espírito, mas também uma escolha que molda nossas decisões e forma nosso caráter.

• Em Provérbios 9:10, a ligação intrínseca entre temor do Senhor e a sabedoria é enfatizada; esse temor é a chave que abre as portas da sabedoria divina, iluminando nossa compreensão e nos guiando em nossas decisões.

Em Provérbios 14:27 e 15:16, 33 mostram o “temor do Senhor” como fonte de vida, satisfação e proteção. À medida que nossa reverência por Deus se aprofunda, torna-se uma constante instrutora, guiando-nos não apenas para a sabedoria intelectual, mas também para uma vida de humildade e honra.

Em Provérbios 15:1-33 há uma série de provérbios destacando como o “temor do Senhor” molda todas as nossas atividades e relacionamentos interpessoais. Como central na teologia de Provérbios, o “temor do Senhor” desempenha um papel fundamental na compreensão da sabedoria e da moralidade. Portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
••••

terça-feira, 17 de outubro de 2023

GRAVAÇÕES

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

17 de outubro

GRAVAÇÕES

Quando, pois, os gentios, que não têm lei, fazem, por natureza, o que a lei ordena, [...] mostram a obra da lei gravada no seu coração. Romanos 2:14, 15

Quando nasce um bebê, é costume compará-lo a um livro em branco cujas páginas serão preenchidas conforme as escolhas que ele fizer e as ações que praticar ao longo da vida. Mas isso não é correto. A melhor comparação é com um computador. Quando você compra um computador, embora a maior parte do espaço para memória esteja disponível, ele vem de fábrica com uma série de informações registradas. Assim é conosco. Quando nascemos, há muita coisa gravada em nosso cérebro.

A gravação mais antiga e profunda foi feita por Deus quando Ele formou Adão, nosso pai. Em seu cérebro foram gravados os princípios da lei divina. Essa gravação era totalmente boa, perfeita e tinha em vista sua felicidade. Algum tempo depois, quando ele escolheu pecar, cedeu espaço para que o inimigo de Deus fizesse outra gravação, a do mal. A nova gravação não apagou a primeira, mas a danificou parcialmente.

As duas gravações – a do bem e a do mal – são transmitidas hereditariamente. Elas vieram embutidas em todos nós quando nascemos. Há, ainda, outras gravações. Nossos antepassados, por suas escolhas, práticas e seus hábitos também fizeram em si mesmos algumas gravações. Quanto mais repetiam uma ação boa ou má, mais ela se fixava neles. E elas nos foram transmitidas, também por hereditariedade.

Assim, há pessoas que têm fortes e boas predisposições para alguma forma de arte, para alguma habilidade específica, para fazer o bem ao próximo, enquanto outras receberam por herança fortes tendências para o mal. Em algumas dessas, há poderosas forças internas que as impelem para determinado vício ou atitudes destrutivas.

Hoje continuamos a fazer as nossas próprias gravações. Elas não vão afetar apenas a nós, mas também nossos descendentes, especialmente até a terceira e quarta geração. Portanto, quando temos que decidir, além das influências externas do Espírito de Deus e dos anjos bons e maus, há programações prévias em nossa mente que nos influenciam. O que faremos? Como vamos proceder? O Espírito de Deus está disponível para nos iluminar e fortalecer. Vamos ouvir a Sua voz e seguir o caminho que Ele nos apontar.

https://youtu.be/lYn4VBdZllg

Provérbios 14 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 14
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 14 – À medida que exploramos os provérbios divinos, descobrimos um tesouro de sabedoria que transcende os séculos. Estes provérbios seculares oferecem não apenas orientações espirituais, mas também valiosas lições psicológicas à vida cotidiana. Ensinamentos sapienciais podem ser aplicados para cultivar a paz, a resiliência emocional e a felicidade genuína.

Provérbios 14 revela que, nos intrincados corredores da mente humana, onde emoções dançam e pensamentos tecem tramas complexos, encontramos os provérbios sábios que dão direção e sentido à vida. Assim, os versículos deste capítulo vão além de ser um guia para a vida moral, são também lentes através das quais podemos compreender a intrincada tapeçaria da nossa mente (coração) e nossas emoções.

Após tratar da mulher sábia e da insensata, da pessoa que teme ao Senhor e daquelas que O desprezam, das consequências de nosso estilo de conversas e afirmações, da sabedoria do prudente em contraste com a insensatez enganosa dos tolos, dos zombadores do arrependimento e da boa vontade dos justos, o sábio afirmou: “Cada coração conhece a sua própria amargura, e não há quem possa partilhar sua alegria” (Provérbios 14:10). Isso lembra-nos do emaranhado que é nossa vida, e da complexidade das emoções humanas. Cada indivíduo carrega consigo um mundo interior único, onde alegria, tristezas, medos, angústias, frustrações e satisfação se entrelaçam.

• Só Deus pode dar um jeito em nossa alma arruinada.
• A saúde mental está relacionada com sanidade espiritual (Provérbios 14:31).

Em Provérbios 14:21, somos lembrados de quão feliz é aquele que ajuda ao próximo. Isso tem a ver com empatia, que é a habilidade de colocar-se no lugar do outro, compreendendo sua situação, emoções e perspectivas. A lição é clara: Ao praticar a empatia, não enriquecemos apenas a vida alheia, também encontramos significado e propósito, nutrindo nossa saúde mental.

O sábio Salomão possuía compreensão profunda da psicologia; ela tinha ciência que nossas emoções interferem em nossas ações (Provérbios 14:11-31).

• As expressões emocionais nem sempre refletem o verdadeiro estado mental de uma pessoa (Provérbios 14:13).
• Diante disso, precisamos identificar padrões de pensamentos negativos e a desafiar as crenças irracionais (Provérbios 14:16-17).
• Paciência e serenidade são essenciais à saúde mental. A inveja é veneno emocional que nos afeta fisicamente (Provérbios 14:29-30).

Desenvolver nossas emoções transforma nossas ações! Vamos aplicar estes ensinamentos?

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
••••

Teoceno

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de maio https://mais.cpb.com.br/meditacao/teoceno/ Teoceno Nós, porém, segundo a promessa d...