sábado, 29 de fevereiro de 2020

Segurança em Deus--Salmos 27

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 27
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Proteção no passado e no presente teve àquele que buscou a Deus em oração.

Os servos de Deus correm constantes perigos neste mundo (II Timóteo 3:12; Romanos 8:36). Contudo, o livramento divino é a nossa certeza e segurança, como se vê neste Salmo de Davi:

• Reconheça tua necessidade de fé no Deus todo-poderoso (v. 1);
• Reflita nas experiências difíceis em como Deus cuidou de você (vs. 2-6);
• Ore com todo teu ser pela orientação e direção divina para tua vida (vs. 7-12);
• Descanse em paz na bondade de Deus (vs. 13-14).

Reflita neste poderoso e hilário testemunho de John Wesley:

“Muitos se esforçaram por atirar-me ao chão, enquanto por um caminho escorregadio descíamos uma colina para ir à cidade, imaginando que se eu caísse ao chão, dificilmente eu me levantaria outra vez. Mas não tropecei absolutamente, nem sequer sofri e mínima escorregadela, até que fiquei fora de seu alcance…. Embora muitos se esforçassem por lançar mão de meu colarinho e vestes, para arrojar-me por terra, não puderam de maneira nenhuma firmar-se: apenas um segurou firme na aba de meu colete, que logo lhe ficou na mão; a outra aba, em cujo bolso havia uma nota de banco, foi rasgada apenas pela metade…. Um homem robusto, precisamente por trás, vibrou contra mim várias vezes grossa vara de carvalho, com a qual, caso me houvesse uma única vez batido na parte posterior da cabeça, ter-se-ia livrado de mais incômodos. Mas todas as vezes as pancadas se desviaram para o lado, não sei como; pois não podia mover-me nem para a direita nem para a esquerda… Outro veio correndo atrás da multidão, e levantando braço para bater-me, subitamente o deixou cair, e apenas me tocou na cabeça, dizendo: ‘Que cabelo macio ele tem!’”

Ellen G. White explicou o que Wesley desconhecia: “Diversas vezes João Wesley escapou da morte por um milagre da misericórdia de Deus. Quando a fúria popular era incentivada contra ele, e parecia não haver meio de escape, um anjo em forma humana vinha ao seu lado, a plebe recuava, e o servo de Cristo saía em segurança do lugar de perigo”.

Anseie mais por estar na presença de Deus e em Sua casa. Confie nEle e desfrute de Sua abençoada companhia!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Coração Transformado

MEDITAÇÃO DIÁRIA

29 de fevereiro
CORAÇÃO TRANSFORMADO

Eu lhes darei um coração novo e uma nova mente. Tirarei deles o coração de pedra, desobediente, e lhes darei um coração humano, obediente. Ezequiel 11:19, NTLH

Síndrome do nódulo sinusal é o termo que identifica o conjunto de anomalias no funcionamento do marcapasso cardíaco natural. Dentro desse espectro, está a síndrome de bradicardia-taquicardia, na qual o ritmo do coração é alternado entre a aceleração e a lentidão. Perplexo, durante a realização de um check-up de rotina, recebi a informação de que era portador desse distúrbio. Como isso poderia ter acontecido se, no procedimento anterior, dois anos antes, ouvi elogios à minha condição cardíaca? Além disso, eu pelo menos não me lembrava de ter sentido nenhuma anormalidade durante minhas atividades físicas diárias!

Depois de uma bateria de exames, foi definido que o melhor caminho para correção do problema seria o implante de um marcapasso artificial. À perplexidade somei uma silenciosa resistência, imaginando que deveria haver alternativas, e me lancei à procura delas. Entre o aumento do uso de todos os alimentos que pude pesquisar serem benéficos ao coração e as idas e vindas a cardiologistas, passou-se um ano. Até que o cardiologista que primeiro diagnosticou o problema disparou: “Você corre o risco de ir dormir qualquer dia desses e não acordar.” Desisti. Exatamente hoje faz 12 anos que o implante foi realizado.

Ao usar a metáfora do coração para identificar a mente humana, a Bíblia é generosa em apresentá-lo como fonte de patologias espirituais. Jesus mesmo disse que dele “procedem os maus desígnios” (Mt 15:19). Jeremias o classificou como “mais enganoso que qualquer outra coisa” (Jr 17:9, NVI). Por isso, Salomão advertiu: “Sobre tudo o que se deve guardar, guarda o coração, porque dele procedem as fontes da vida” (Pv 4:23).

Se a tecnologia da medicina tem criado os mais modernos recursos para recuperar corações físicos, Deus faz ainda mais. Não Se limita a arranjos ou adendos, mas transforma-o radicalmente. A Seu povo, nos dias de Ezequiel, Ele prometeu realizar um transplante: substituir o coração espiritual de pedra por um de carne. Somente a graça divina faz essa operação. Era inútil a Israel tentar resolver o problema por meio de seus “métodos”. Permanecendo como estava ou maquiando o tratamento segundo sua própria vontade, o povo se colocava em perigo.

É somente entregando-nos aos cuidados do cardiologista divino que podemos ter o coração completamente transformado.

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2020

Ser íntegro -Salmos 26

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 26
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Andar em integridade não significa impecabilidade. Ser íntegro para com Deus não é estar sem pecado. Mas, o resultado de andar em Sua presença (Gênesis 17:1).


• O Salmo 25, nos versos 11 e 18, Davi pede perdão a Deus por seus pecados, e, no verso 21 considera-se íntegro.


Tamim (hebraico) significa “integridade”, “retidão” ou “com coração não-dividido”. Significa ser fiel e sincero para com Deus. Significa ser justo, pois Deus justifica àqueles que O buscam. Buscar a Deus significa virar as costas ao pecado. Implica rejeitá-lo, odiá-lo, desprezá-lo por amor a Deus.


Enquanto estivermos neste mundo de pecado, com natureza pecaminosa, carecemos desta súplica da oração ensinada por Jesus: “Pai Nosso que está nos Céus… perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós perdoamos…” (Mateus 6:12).


• Contudo, ao entrarmos em intimidade com a santidade de Deus (que justifica-nos da pecaminosidade), também poderemos orar o Salmo 26 com Davi.


O contexto do salmo nos ajuda a compreender a razão de sua composição. “O Salmo 26 pode ter sido extraído de Davi por causa da acusação insuportável para um justo: ‘Tu és um ímpio!’ Nesta situação, Davi precisou alegar ou recorrer a sua justiça ou a seu ser-um-justo, para que a justiça de Deus despontasse para a luz” (Frans Van Deursen).


Existe imensa diferença entre o ímpio e o justo: O ímpio é ávido por injustiça e pecados e, o justo é ávido por Deus e Sua justiça. O ímpio é pecador porque está longe do Salvador; o justo é íntegro porque foi perdoado e liberto de seus pecados por escolher a companhia do Salvador.


1. Quem se compromete com Deus confia em Sua bondade sem vacilar, a tal ponto de sugerir que Deus lhe faça justiça, lhe examine e prove, lhe sonde o coração e, inclusive os pensamentos (vs. 1-3);

2. Quem foge dos pecados para Deus torna-se intolerante ao pecado em grau máximo; por isso, não se assenta com pessoas fraudulentas nem se alia aos hipócritas, odeia a companhia dos malvados e não negocia com trapaceiros (vs. 5-7);
3. Quem ama a Deus deseja estar em Sua casa, O louva e O adora com a vida, e ora para que nada interfira no prazer dessa intimidade (vs. 8-12).

Busquemos esta experiência! Precisamos reavivar-nos! – Heber Toth Armí.


#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Alívio Para Todos

MEDITAÇÃO DIÁRIA

 28 de fevereiro
ALÍVIO PARA TODOS

Tomai sobre vós o Meu jugo e aprendei de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e achareis descanso para a vossa alma. Mateus 11:29

Jugo e descanso não parecem coisas que se combinam. O primeiro nos traz à mente a ideia de trabalho. Obviamente, não se pode trabalhar e descansar ao mesmo tempo. Na vida rural, o jugo é uma peça de madeira utilizada para unir dois animais a fim de que, no mesmo compasso, trabalhem puxando o arado ou uma carroça. Também é chamada canga ou junta de bois.

Isso implica disciplina, o que torna o jugo originalmente um equipamento útil; afinal, o trabalho é realizado em sincronia. Nesse caso, o propósito do jugo não era tornar o trabalho penoso e difícil, mas dividi-lo entre duas forças. No entanto, com o passar dos anos, ele foi transformado em um instrumento que traz à nossa mente a ideia de escravidão, trabalho forçado, submissão e opressão. Foi assim nos tempos do Império Romano. Em Roma, havia um lugar em que prisioneiros eram obrigados a passar por baixo de uma trave de madeira, enquanto o público ovacionava a prática, símbolo de humilhação. Alguns generais vencedores também costumavam humilhar os soldados derrotados, fazendo-os desfilar sob um jugo colocado sobre duas lanças.

Os ouvintes aos quais Jesus dirigiu o convite para descanso Nele e, ao mesmo tempo, para que recebessem Seu jugo viviam sob o jugo romano. Isso significava experimentar opressão econômica, social, política e religiosa. Além disso, líderes religiosos haviam corrompido a verdadeira fé com imposições doutrinárias legalistas. O povo sofria sob uma religiosidade formal que lhes impunha pesadas cargas sem que isso resultasse em alívio nem conforto.

Marginalizados, pecadores e publicanos tinham perdido a esperança. Leis pesadas, elevados impostos para o templo, formalismo religioso e rituais frios escravizavam mais que libertavam. O sentimento de culpa e indignidade permanecia. Foi nesse cenário que Jesus apareceu oferecendo descanso, fardo leve e jugo suave. Não o jugo formal que lhes era imposto, muito menos um jugo que não significasse disciplina, mas um jugo personificado Nele mesmo. “Venham a Mim”, foi Seu convite.

À semelhança dos animais que trabalham juntos no mesmo jugo, sob o jugo de Cristo andamos juntos, Ele e nós. Em nossas lutas espirituais, não somos deixados a sós. “Meu jugo é suave, Meu fardo é leve”, diz Ele, porque nos ajuda a carregá-los.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2020

Uma Súplica -Salmos 25

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 25
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

É gratificante estudar a Bíblia e absorver na alma suas impressionantes verdades. Estudá-la facilitará nossa oração, nos dará clareza mental e discernimento espiritual para viver melhor a vida neste mundo deprimente.

O salmo em apreço é fantástico quanto à satisfação que pecadores podem encontrar no Salvador. Observe atentamente cada um de seus ricos pontos:

• Nos primeiros versículos, Davi demonstra na vida real uma súplica para não ser humilhado perante os seus inimigos (vs. 1-3);
• A seguir, fica evidente que, como Davi, devemos saber que precisamos pedir que Deus perdoe nossa culpa horrorosa (vs. 4-7);
• A base de nossa petição por perdão deve sempre ser o caráter gracioso e misericordioso de Deus (vs. 8-10);
• A reiteração revela nosso verdadeiro intuito de livrar-nos de nossos pecados (vs. 11-18);
• No dia do juízo não será envergonhado aqueles que humildemente buscarem verdadeiramente pelo perdão que apaga todo nosso pecado – os quais nos humilham perante aqueles que almejam nossa desgraça (vs. 19-21);
• Ao entendermos isso, como Davi, passaremos a interceder por nossos queridos (v. 22).

William MacDonald observa que para Davi, o homem que teme ao Senhor é quem mais desfruta Deus, além de experimentar:

• Orientação clara, pois o Senhor lhe mostra o caminho a seguir.
• Prosperidade pessoal, pois recebe provisão farta.
• Segurança familiar, pois seus filhos herdarão a terra.
• Comunhão com Deus, pois fará parte do círculo mais íntimo de amigos aos quais o Senhor revela Sua mente e Seus caminhos.

Contudo, Richard O. Lawrence alude: “O pensamento expresso neste salmo é de que aquele que deposita a sua confiança em Deus jamais será exposto ao ridículo, porque Deus jamais falhará”; pois, podemos esperar que Deus nos…

1. …mostre Seu caminho, orientando-nos e ensinando-nos pela Sua verdade (vs. 4-5);
2. …perdoe, libertando-nos do peso do nosso passado, e nos purificando (vs. 6-7).

Desta forma, “quando nos refugiamos no Senhor, e vivemos vidas justas, podemos enfrentar o futuro com confiança. E sem medo de sermos ridicularizados. Que Deus maravilhoso nós temos!”.

• Um crente que ora, medita e assimila a mensagem do evangelho terá intimidade com Deus e experimentará o que nenhum show, danceteria, bebida, cigarro, drogas, viagens pode oferecer.

Consequentemente, quem teme a Deus e prova intensamente os efeitos do perdão, desejará o mesmo a outros pecadores! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

“Não Te Esqueças”

MEDITAÇÃO DIÁRIA
27 de fevereiro
“NÃO TE ESQUEÇAS”

Tenham muito cuidado para que vocês nunca se esqueçam das coisas que os seus olhos viram. Deuteronômio 4:9, NVI

O teólogo Romano Guardini (1888-1968), surpreso e incomodado com a própria tendência de colocar Deus à margem de suas prioridades, à semelhança do que geralmente acontece conosco, questionou: “Por que será que Deus permeia o Universo, que tudo o que existe passa por Sua mão, que cada pensamento e emoção que temos tem significado apenas Nele, mas ainda assim não somos abalados nem inflamados pela realidade de Sua presença, mas capazes de viver como se Ele não existisse? Como esse artifício verdadeiramente satânico é possível?” (em Philip Yancey, O Deus (In)visível, p. 193).

É irônico que um Deus que jamais Se esquece de Seus filhos (Is 49:15) aparentemente seja muitas vezes esquecido por eles. Foi justamente para isso que Moisés, em Deuteronômio, chamou a atenção dos israelitas. Repetidas vezes, ele apelou para que não se esquecessem das promessas divinas e dos grandes feitos em favor deles (Dt 5:15; 7:18, 19; 8:2, 12-14, 18; 11:3-7; 15:15; 24:9, 18, 22). De fato, razões para que tivessem Deus sempre em mente não faltavam. Mesmo assim, a resposta do povo deixava a desejar.

Não foram poucas as vezes em que os escolhidos de Deus se afastaram Dele, seguindo em direção a outros deuses. Nos dias de Jeremias, o que parecia tão ilógico como a noiva se esquecer dos seus enfeites, “desaparecer a neve do Líbano” ou “parar de fluir suas águas frias vindas de lugares distantes” aconteceu: o povo se esqueceu. E o Senhor reagiu pesaroso: “O Meu povo se esqueceu de Mim” (Jr 2:32; 18:15).

Não incorramos no mesmo erro! Hoje, os deuses que nos fazem esquecer de Deus são o consumismo, a correria pela vida material, as maravilhas da internet e tantas outras distrações que nos roubam o tempo que deveríamos separar para estar com Ele. Além disso, na supervalorização que atribuímos às coisas, ou em nosso desejo de ter sempre mais, apegamo-nos tão fortemente às dádivas que nos esquecemos do supremo doador. Faça um inventário das bênçãos que tem recebido. Desfrute-as, mas não se esqueça de quem as doou. Ele é maior do que as bênçãos. Sim, infinitamente maior que o alimento material, maior que o dinheiro, maior que estações da natureza, maior que astros e estrelas, maior que o dia e a noite, maior que o Universo, maior que o ar que respiramos, maior que a própria vida. Sem Ele, nada do que temos valerá a pena ser desfrutado.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

O Rei da Glória- Salmos 24

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 24
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

O Rei da Glória

Estamos prestes a testemunhar o maior desfile triunfal do Universo. Jesus, que entrou para valer no grande conflito entre o bem e o mal, conquistou para Si o que Satanás sequestrara dEle.

• Graças a ousada e determinante coragem divina, temos esperança, não apenas de assistir, mas de participar da maior marcha com Cristo.

Embora escrito para adentrar a Jerusalém terrestre, este Salmo possui aplicações que vão além daquela que ocorreu quando Davi levou a arca (II Samuel 6:1-19). Davi tipificava o verdadeiro Rei de Israel, o real Rei da glória; portanto, além de histórico, o salmo aponta para um momento profético-messiânico, apoteótico.

“O Salmo se cumpre em nós quando Jesus entra em nosso coração como Rei para governar. Contudo, seu cumprimento pleno se dará quando a terra e seus habitantes o receberem de braços abertos como Senhor” (F. B. Meyer).

Reflita:

1. A Terra pertence ao Criador, não ao usurpador; Jesus a criou, e a reconquistou das mãos do sequestrador (vs. 1-2; Colossenses 1:13-17).
• O mundo e todos os seus habitantes é de Deus, não Satanás – que pensa ser dono de tudo (Mateus 4:8-9).

2. Todavia, Jesus não é autoritário, só habitará com Ele quem não quiser permanecer da corrupção e da depravação; mas aceita de bom grado os efeitos purificadores do plano da salvação (vs. 3-5).
• Jesus subiu ao Céu para preparar lugar a fim de, em um futuro breve, voltar para buscar aos Seus (Filipenses 3:20-21).

3. A garantia de que pecadores entrarão no Santo reino celestial está nas primícias levadas por Cristo ao Ser Ele entronizado em Sua glória após a Sua vitória sobre a morte (vs. 6-10; Mateus 27:51-53).
• Jesus é Rei da Glória, forte e poderoso para salvar a qualquer pecador, o vencedor da maior de todas as batalhas – o grande conflito (I Coríntios 2:6-8).

Do reino de Deus participa aquele que morre para o pecado e nasce de novo (João 3:3-5); pois, somente os puros de coração verão a Deus (Mateus 5:8). Não entrará no Céu nenhuma pessoa hipócrita, imoral ou corrupta (Romanos 1:18-32; Apocalipse 21:8-14).

• O Reino de Deus será único e perfeito.

Precisamos ser puros em nossos pensamentos, discursos, ações e adoração; precisamos de santificação (Hebreus 12:14), se quisermos participar da maior procissão histórica! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Graça em Terra Seca

MEDITAÇÃO DIÁRIA
26 de fevereiro
Graça em Terra Seca

Não temas, porque usarei de bondade para contigo, por amor de Jônatas, teu pai. 2 Samuel 9:7

O rei Saul e seu filho Jônatas haviam morrido em uma batalha contra os filisteus. Temendo pela própria vida, os familiares de Saul fugiram. Na fuga, a babá do pequeno Mefibosete, filho de Jônatas, o deixou cair. Como resultado, a criança ficou aleijada de ambos os pés. Os anos se passaram, Mefibosete cresceu e viveu em Lo-Debar com sua deficiência física. Em hebraico, Lo-Debar significa “lugar árido”; “terra onde não há pasto”.

Enquanto isso, sob a liderança de Davi, o reino se expandiu em todos os aspectos. Certo dia, refletindo sobre a bondade divina para com ele, o rei perguntou: “Resta ainda, porventura, alguém da casa de Saul, para que eu use de bondade para com ele, por amor de Jônatas?” (2Sm 9:1). Ziba, um servo da casa de Saul, mencionou Mefibosete, sendo-lhe pedido que o trouxesse à presença do rei.

Certamente, Mefibosete temeu ao ser informado sobre o convite de Davi, que havia sido perseguido por seu avô. Assim, hesitante, apresentou-se ao rei: “Eis aqui teu servo”, disse, para depois ouvir com surpresa que teria restituída a propriedade de Saul e acesso permanente à mesa real. “Quem é teu servo, para teres olhado para um cão morto tal como eu?” (v. 8.), reagiu Mefibosete. Em seguida, Davi o acolheu como um membro da família, conduzindo-o até uma mesa que esconderia seus pés deformados. Então, “comeu, pois, Mefibosete à mesa de Davi, como um dos filhos do rei” (v. 11). Isso é graça! Aliás, a palavra traduzida como “bondade” (v. 1) aparece outras vezes como “graça” ou “misericórdia” no Antigo Testamento. Assim, podemos nos ver em Mefibosete; e, na atitude de Davi, contemplar uma demonstração da graça divina para conosco, por causa de Jesus Cristo.

A presença à mesa de Davi não foi por mérito de Mefibosete. Restaurado, tornou-se membro da família real, unicamente por causa da bondade do rei. Caso você tenha dificuldade para entender a maravilha da graça, volte sempre a esse texto e dialogue com Mefibosete.

Durante algum tempo, estivemos anônimos, esquecidos, nada mais do que “cães mortos” com a carcaça exposta na terra seca de nossa Lo-Debar pessoal. Contudo, o Rei, por intermédio de Seu Filho, veio nos buscar. Tendo aceitado o convite, temos direito a um lugar à mesa da misericórdia divina, sob a qual para sempre estão escondidos nossos defeitos. Aleluia!

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

terça-feira, 25 de fevereiro de 2020

O Cuidado do Pastor Celestial - Salmos 23

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 23
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

O Cuidado do Pastor Celestial

Todos nós apreciamos ser cuidados. Desta forma, o cuidado do Pastor Celestial é o grande atrativo deste Salmo inspirador.

• Vamos examiná-lo com atenção e oração?

Antes, porém, observe esta análise que David Ropor faz de Davi: “Ele era um gigante entre os homens, combinando em si o gênio militar de Alexandre o Grande, a sagacidade política de Abraão Lincoln, o talento musical de Beethoven, a habilidade literária de Shakespeare e a coordenação motora de Pelé”.

O segundo rei de Israel, antes da sua unção era um exímio pastor de ovelhas. Baseando-se em sua experiência pastoril e espiritual, Davi compôs esse velho poema decorado por milhares de pessoas ao redor do planeta, do qual aprendemos magníficas verdades:

• A maior segurança de um cidadão neste mundo inseguro é pertencer a Jesus, que, como bom Pastor, cuida pacientemente de Suas ovelhas.

• A maior tranquilidade nesta era agitada e estressante encontra aquele que repousa no cuidado paternal do Pastor Divinal.

• A maior restauração dos indivíduos detonados pelo pecado acontece quando, nesta vida árida e sem vigor, encontram-se frescor e refrigério nos “pastos verdejantes” e “águas tranquilas” que somente o Pastor Divino sabe nos conduzir.

• A maior sensação de justiça neste mundo permeado pelas injustiças pode ser experimentada na direção dada pelo amoroso Pastor – quando permitimos que Ele nos guie pelas veredas certas.

• A maior certeza de sucesso neste mundo, que mais parece um perigoso vale tenebroso, está na companhia real e constante dAquele que sabe o que é amor, o Pastor que não nos abandonará.

• A maior ameaça para a humanidade – a morte – não amedronta aquela alma cujo temor maior é ficar longe do Pastor que sabe sair de qualquer “beco sem saída”.

• A maior aflição experimentada por habitantes deste planeta em constante destruição pode ser facilmente sanada com o bordão e o cajado do Pastor que consolam nosso coração.

• A maior festa está sendo preparada aos que sofrem perseguições por causa do fiel compromisso com os princípios divinos do Pastor Jesus.

• A maior esperança está em morar na Casa do Senhor onde a bondade e a misericórdia serão companhias constantes dos salvos.

Você conhece o Pastor do Salmo 23? Estas regalias só têm quem é “ovelha” fielmente comprometida com Ele. Você é? – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Desacelere!

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de fevereiro
Desacelere!

Aquietai-vos e sabei que Eu sou Deus. Salmo 46:10

Um novo dia sempre traz novas esperanças e expectativas; às vezes, misturadas com a lembrança de problemas não resolvidos ontem e a certeza de novos desafios e dificuldades. O inimigo estará sempre à espreita, procurando uma oportunidade para atacar. A isso, acrescente-se os itens do cotidiano cardápio de adversidades: insegurança generalizada, instabilidade econômica, relacionamentos difíceis, exigências no trabalho, pressões da vida e tantas outras coisas. Para muitos, isso representa uma considerável carga de estresse. Mas não precisamos desanimar.

No Salmo 46, vemos que Deus é para nós um refúgio seguro contra os males da vida. Esse é conhecido como “o salmo de Lutero”, que, em momentos de dificuldades, costumava convidar seu amigo Phillip Melânchton para cantá-lo. A partir do salmo, o reformador foi inspirado a compor o hino “Castelo Forte” (Hinário Adventista do Sétimo Dia, no 33).

Muitos estudiosos acreditam que esse salmo foi escrito depois da intervenção divina contra Senaqueribe, rei da Assíria, em sua tentativa de destruir o povo de Deus nos dias de Ezequias. Pouquíssimo tempo antes de o ataque ser desferido, uma misteriosa praga dizimou 185 mil soldados no arraial inimigo (Is 37:36, 37). Debate teológico à parte, o evento pelo menos é uma oportuna ilustração do infalível socorro de Deus dispensado a Seu povo.

Diante do poder de Deus se dissipam os temores. O Senhor é aquele a quem podemos ir em busca de proteção e de quem podemos receber forças nas provações. Não há inimigo que prevaleça contra aquele que Nele se abriga. A certeza de que Deus conhece todas as nossas necessidades e os motivos pelos quais julgamos ter necessidade de alguma coisa nos leva a desacelerar na corrida cotidiana. É certo que Ele tem mil formas de suprir cada uma dessas necessidades, assim como pode nos sustentar contra quaisquer investidas de Satanás e seus exércitos.

O convite do verso de hoje implica que devemos nos entregar, desistir de lutar sob desespero, irracionalmente, como se tudo dependesse apenas de nossos limitados esforços. Uma paráfrase do verso diz o seguinte: “Silêncio! Abandonem sua agitação e reconheçam que Eu sou Deus.” Então, desacelere! Confie e vá à luta!

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Angústia e louvor – Salmos 22

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 22
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Angústia e louvor

Amigos, vamos meditar? Antes, porém, ore a Deus; depois leia o salmo inteiro. Agora, serenamente, reflita:

1. Você já sentiu a dor do abandono?
2. Você carrega marcas de momentos desesperadores?
3. Você já pensou que Deus te deixou?

Neste Salmo, Davi esteve no caminho do desespero; porém, em meio às trevas da alma, ele encontrou a rota para a fé e a confiança, o que não só resultou em triunfo, mas deixou-nos um magnífico legado.

1. Se até Davi se sentiu desamparado por Deus, por que não podemos sentir também? (vs. 1-2);
2. Se em meio à aflição e angústia, Davi desviou seu olhar de si mesmo e das circunstâncias que o assolavam para fixar em Deus, adorá-lO e louvá-lO; por que não fazer o mesmo? (v. 3);
3. Se Davi relembrou os atos de Deus oriundos da oração de Seu povo, por que não consultar a história sagrada para encontrar conforto no poder divino? (vs. 4-5);
4. Se Davi amadureceu (mesmo oscilando entre fé e queixa) ao levantar a cabeça e orar confiando em Deus, por que ficar de cabeça baixa reclamando e murmurando no vácuo? (vs. 6-21);
5. Se Davi superou pela fé a angústia do sofrimento ao orar para obter esperança a ponto de louvar, por que não ser cheio de esperança hoje quando entendemos melhor que Davi a intervenção divina através de Jesus, O qual deu Sua vida para dar-nos a salvação? (vs. 22-31).

Neste mundo, os justos sofrem. Há pessoas cruéis em nossa sociedade. Suas ações são:

1. Ressentimento contra os fieis (v. 7);
2. Compulsão da mentalidade coletiva (vs. 12-16);
3. Discernimento deturpado das coisas (v. 17);
4. Ambição inclusive por objetos comuns (v. 18).

Se Davi, que era pecador tentando viver os princípios divinos, viu a orquestração do inferno contra ele, o que Jesus poderia esperar?

Mesmo sabendo que Sua aflição seria ainda mais profunda, Jesus decidiu entrar neste mundo cruel, lutar e vencer por nós, oferecendo esperança aos fies que enfrentam opressão ainda hoje.

Assim, quem…

• …clama a Deus, revigora a alma e canta durante as tormentas da vida.
• …experimenta vigor espiritual conclama mais pessoas para adorar ao Salvador como Davi.

Amigos, vamos clamar para recobrar ânimo, e então louvar/adorar ao Senhor? Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.


#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Simplesmente Cristo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

 24 de fevereiro
Simplesmente Cristo

Considero tudo como perda, por causa da sublimidade do conhecimento de Cristo Jesus, meu Senhor. Filipenses 3:8

Nascido em 1889, na Índia, Sadhu Sundar Singh cresceu odiando o cristianismo. Adepto do sikhismo, ele extravasou intensamente esse ódio, quando, aos 15 anos, queimou publicamente um exemplar do Evangelho. No entanto, três dias depois, teve uma visão de Cristo e se converteu. Então, mesmo sendo adolescente, resolveu se tornar sadhu (“pregador peregrino”). Certo dia, Sundar Singh visitou uma faculdade hindu e foi abordado por um professor descrente.

– O que você encontrou no cristianismo que não tinha em sua antiga religião? – perguntou o professor.

A resposta de Sundar Singh foi:

– Agora tenho Cristo!

 – Sim, eu sei – continuou o cético – mas que princípios, ensinamentos ou doutrinas você encontrou no cristianismo, e que não conhecia anteriormente?

– Tudo o que encontrei foi Cristo! – foi a resposta.

De fato, Sundar Singh estava certo. O centro do cristianismo é Jesus Cristo. Para John Stott, Ele “é o centro da História, o eixo das Escrituras, o coração da missão” (O Incomparável Cristo, p. 11). Por tudo o que envolveu Sua vida, Seu ministério terrestre, o sacrifício no Calvário, o descanso na sepultura, a ressurreição vitoriosa e a ascensão ao Céu, Ele é o evangelho personificado; a boa-nova divina para o ser humano. É Senhor da nossa redenção, assim como é o Senhor da criação: “Todas as coisas foram feitas por intermédio Dele; sem Ele, nada do que existe teria sido feito” (Jo 1:3, NVI).

Paulo também experimentou a sublimidade de Cristo. Desde sua conversão, Cristo Se tornou o centro de sua vida. Então, sua ascendência terrena, erudição religiosa, bagagem cultural, seus ganhos materiais e até a própria morte (Fp 1:21) não mais lhe importavam. Ele tinha Cristo!

Sim, “Cristo é nossa promessa, nossa realidade e nossa vida. Com Ele, nada nos falta. Com Ele, somos vitoriosos. Com Ele, somos filhos de Deus. Sua obediência é nossa obediência. Somos Suas testemunhas, Seus colaboradores, Seus servos, Seus embaixadores. Sua propriedade […] Sua justiça é nossa justiça. Ele é nossa consciência e a força de nossas ações. […] Nossa vida é Ele, e Ele é tudo o que somos. Nada queremos que não seja Dele, nada que nos separe Dele. Nele vivemos e nos movemos e existimos. Ele é tudo para nós, em tudo” (Mario Veloso, Mateus, p. 27).

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

domingo, 23 de fevereiro de 2020

Gratidão pela Vitória - Salmos 21

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 21
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

A Bíblia de Jerusalém explica que este Salmo tem “duas partes seguidas de antífonas corais (v. 8 e 14), tem acento messiânico e escatológico, fazendo com que fosse aplicado ao Cristo Rei”.

Neste Salmo “prevê-se a glória majestosa de Cristo” (vs. 1-7), comenta Merril Frederick Unger, “e celebra-se Sua vitória sobre Seus inimigos, 8-12. Então o Israel redimido cantará o hino [do versículo] 13”.

Este Salmo, “evidentemente, é o companheiro adequado do salmo 20, e está em sua posição apropriada ao lado dele. O salmo 20 antecipa o que esse vê como já realizado”, analisa Charles H. Spurgeon; e, então, faz as seguintes aplicações: “Se oramos hoje por um benefício e o recebemos, nós precisamos, antes que o Sol se ponha, louvar a Deus por essa misericórdia, ou então, caso contrário, mereceremos ser negados da próxima vez. O Salmo já foi chamado de ‘o canto triunfal de Davi’, e podemos lembrar-nos dele como sendo a Triunfante Ode Real. ‘O rei’ se sobressai nele todo, e nós o leremos com proveito verdadeiro se for doce a nossa meditação no Senhor enquanto o fazemos. Devemos coroá-lo com a glória da nossa salvação; cantando sobre Seu amor, e louvando Seu poder”.

Medite:

• Este Salmo é uma resposta ao Salmo anterior, o qual nos mostra que orar diante de uma situação desafiadora resultará em corações motivados a agradecer a Deus por Suas ações redentoras (vs. 1-7);
• Na sequência, o Salmo mostra que aqueles que experimentam as portentosas ações divinas meditam na subjugação dos inimigos de Deus e de Seu povo no fim dos tempos (vs. 8-12);
• Finalmente, o povo exalta e celebra efusivamente a força e o poder do Salvador (v. 13).

O grande conflito não será eterno, mas eterna será a vitória divina sobre todo poder maligno. O armagedom será o ápice dessa batalha cósmica e, no fim do milênio se fará execução final sobre todo o império do mal. Então, todo o universo e todos os salvos empreenderão um louvor universal ao Soberano que exterminou completamente tudo o que era mal (ver Malaquias 4:1; Apocalipse 7:7-12; 19:1-3; 20:14-15).

O plano divino está em andamento, cabe a cada pessoa a decisão de não ficar de fora dele. Confie, entrega-te a Deus! Ore e celebrarás!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Na Contramão do Mundo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 23 de fevereiro
NA CONTRAMÃO DO MUNDO

Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente. Romanos 12:2, NVI

Os desafios para a vivência da fé cristã não são exclusividade da nossa época. Os primeiros cristãos também os enfrentaram na sociedade da qual faziam parte. De acordo com historiadores, Roma era uma espécie de capital do mundo, exibindo imponentes edifícios públicos e mansões residenciais, que contrastavam com desconfortáveis casas, nas quais grande parte da população morava. Havia teatros nos quais artistas atraíam multidões. A corrida pelas posses materiais era frenética. Oferecendo mercadorias provenientes de várias partes do mundo, seu comércio era exuberante e convidativo ao consumismo. Cidadãos romanos tinham direito a tratamento diferente daquele dispensado aos estrangeiros. Com foro privilegiado, teriam julgamento oficial, caso fossem envolvidos em algum crime. Em caso de condenação, era-lhes vedada a morte por crucifixão.

Quanto aos padrões morais, casos de imoralidade sexual eram comuns. Nesse sentido, o próprio Nero se envolveu em crimes extremamente vis. Por outro lado, ali também floresceu uma comunidade cristã, e Paulo se preocupou com ela. Escreveu-lhe a carta na qual destaca que o evangelho é o “poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê” (Rm 1:16). Em Romanos, Lutero encontrou o instrumento que quebrou as cadeias que o prendiam ao legalismo: “O justo viverá pela fé” (Rm 1:17).

Tendo falado sobre o evangelho da graça, o apóstolo salientou o estilo de vida resultante da ação desse evangelho na vida de quem o aceita. Assim, chegamos a nosso texto no capítulo 12. Inicialmente, ele roga – não força nem impõe – a seus leitores para que se rendam como “sacrifício vivo, santo e agradável a Deus” (v. 1). Uma entrega de todas as faculdades mentais, intelectuais, físicas, espirituais, sendo o verdadeiro “culto racional”. A consequência disso é a transformação (grego, metamorpho?) da mente, o que não significa apenas uma conformação exterior, mas mudança a partir do íntimo do ser humano.

Essa é a experiência que somos chamados a buscar. Inconformismo com os padrões desta época, superação das tendências consumistas, rejeição dos valores relativos, resistência à pregação de uma tolerância ilimitada que pretende nos impor uma convivência passiva com todo tipo de prática e comportamento. Sem dúvida, a pressão é forte; mas a graça e o poder que Deus nos disponibiliza são invencíveis.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

sábado, 22 de fevereiro de 2020

Oração pela Vitória – Salmos 20

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 20
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

 Embora este Salmo seja uma prece ao rei, e aparentemente não tenha nada que ver com nossa cultura e com nossa realidade, precisamos atentar para a mensagem de Deus embutido nele para nós.

“O Senhor deseja que despertemos para nossa verdadeira condição espiritual; deseja que toda pessoa humilhe o coração e mente diante dEle. As palavras inspiradas que se acham nos Salmos 19 e 20 são apresentadas para nosso povo. É nosso privilégio aceitar essas preciosas promessas e crer nas advertências. Oro para que nosso coração esteja plenamente desperto para os perigos que cercam os indiferentes ao bem-estar eterno. Precisamos pesquisar as Escrituras como nunca antes. A Palavra de Deus deve ser nosso educador, nosso guia. Devemos compreender o que dizem as Escrituras” – adverte-nos Ellen G. White.

O comentário Bíblico Adventista diz que “o Salmo 20 sugere arranjo antifonal para o ritual de serviço: os v. 1 a 5 para serem cantados pela congregação, os v. 5 a 8 pelo rei ou talvez um levita, e o v. 9 pelo povo”.

Orando, reflita:

1. É claro que tanto o povo quanto qualquer político deve confiar igualmente em Deus para que o sucesso de uma nação seja realmente possível;
2. O nome de Deus está acima de todo nome, Ele é o Rei dos reis e Senhor dos senhores – todos devem reverenciá-lO por isso, inclusive os grandes monarcas da Terra;
3. Toda vitória miraculosamente obtida se deve à onipotente atuação do Deus que tem Sua habitação no Santuário, de onde Ele administra todo o Universo;
4. O sucesso em qualquer situação por mais complexa que seja só acontece caso busquemos a Deus, que do Céu interfere com ações extraordinárias da vitoriosa força de Sua destra;
5. A ostentação do poderio militar e o arsenal bélico do inimigo não intimidam aos que são comprometidos com o verdadeiro Deus;
6. Quem se gloria no Senhor não teme a ninguém que se gloria em seus próprios recursos, por mais perigosos e imponentes que sejam;
7. O soberano Filho de Deus, o qual entrou em cena no palco terrestre do grande conflito, merece nossa atenção, pois Ele venceu para nos conceder Sua vitória.

Deus protege e concede vitória, Ele intervém em favor dos que O buscam. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

O alimento da mente

MEDITAÇÃO DIÁRIA
22 de fevereiro
O alimento da mente

Portanto, meus irmãos, encham a mente de vocês com tudo o que é bom e merece elogios. Filipenses 4:8, NTLH

Em pleno século 21, parece que o cérebro humano permanece como um desafio à ciência. Pesquisas revelam que ele é muito mais avançado do que o computador, apesar dos constantes, rápidos e surpreendentes avanços tecnológicos. Em 2014, pesquisadores japoneses e alemães fizeram experimentos que ajudam a ter uma noção da complexidade do cérebro. Eles utilizaram o supercomputador K para simular um segundo de atividade cerebral. O equipamento poderia acomodar um modelo de rede de 1,73 bilhões de neurônios, ao passo que o cérebro humano tem aproximadamente 100 bilhões de neurônios. Por fim, ele alcançou o objetivo; mas, para simular um segundo de atividade cerebral, demorou 40 minutos.

Imagine quanta coisa o cérebro humano pode captar e gravar em pouquíssimo tempo! Atualmente, informação para ser captada e gravada é o que não falta, mas isso sobrecarrega a mente – centro de nossos pensamentos e decisões e também nosso canal de comunicação com Deus. As informações nos chegam por meio da literatura, da música, da internet, da televisão e dos filmes e programas a que assistimos diariamente. Diante da oferta de material fútil que inunda a sociedade atual, torna-se indispensável que saibamos filtrar e selecionar o que entrará por nossos olhos e ouvidos, as chamadas “janelas da alma”.

Ellen White afirmou: “Os nervos do cérebro, que se comunicam com todo o organismo, são os únicos instrumentos pelos quais o Céu pode comunicar-se com o homem e afetar sua vida mais íntima” (Mente, Caráter e Personalidade, v. 1, p. 230). Por isso, esse canal precisa estar desobstruído, livre de material que prejudique o desenvolvimento do caráter que herdará a eternidade.

Essa preocupação não é nova. Por volta do ano 63 d.C., Paulo a compartilhou com os cristãos da igreja de Filipos, exortando-os a ocupar o pensamento com “tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama”, e com aquilo em que for encontrada “alguma virtude” ou em que houver “algum louvor” (Fp 4:8). A palavra original grega traduzida como “louvor” é épainos, que significa “aprovação”, “elogio”.

A pessoa cuja mente é alimentada com vulgaridades será sempre vulgar. Aquela que, submissa à graça de Deus, nutre a mente com as elevadas virtudes mencionadas por Paulo será cada vez mais nobre, habilitando-se para a vida que não tem fim.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos 

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020

A Glória de Deus Revelada - Salmos 19

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 19
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Este Salmo é o “maior poema do Livro dos Salmos e um dos maiores poemas líricos do mundo” – declarou o ex-ateu e filósofo C. S. Lewis.

Este Salmo trata de três fontes que testemunham de Deus:

1. A natureza (todo o Universo) com sua complexidade harmoniosa e exuberante beleza aponta para um engenheiro e arquiteto incomum, com obras sobrenaturais (vs. 1-6).

2. A revelação escrita (a Torah) em sua profundidade, extensão e perfeição evidencia a existência de um Autor por trás dos escritores que extrapola as habilidades humanas (vs. 7-11).

3. O crente proclama o evangelho. Após meditar nas realidades que confirmam a existência de um Deus sábio, organizado e poderoso, Davi testemunha: “Essas são as palavras da minha boca, as quais vou degustando enquanto oro. Acolhe-as quando as deposito sobre o altar de manhã, Ó Deus, meu Altar de Pedra, Ó Eterno, sacerdote de meu altar” (vs. 12-14).

Como criaturas semelhantes ao Criador, temos capacidade de raciocinar e meditar nas realizações divinas. Isso nos abrirá a mente e nos tornará humildes, contudo, certamente seremos mais reverentes. Contudo, podemos bloquear essa capacidade.

• Por não querer abandonar pecados, muitos preferem duvidar da existência divina!

O filósofo Immanuel Kant tomou tempo para refletir; observe sua conclusão:

“É impossível contemplar o tecido do universo sem reconhecer a ordem admirável de seu arranjo e a manifestação inequívoca da mão de Deus na perfeição de suas correlações. Depois de examinar e admirar tanta beleza e perfeição, a razão experimenta justa indignação diante da insensatez ousada que se atreve a atribuir tudo isso ao acaso e a um venturoso acidente. Não há dúvida de que a sabedoria do alto concebeu o plano e de que o poder infinito o executou”.

Ele não falou apenas da revelação da criação. “O céu estrelado acima de mim e a lei moral dentro de mim são duas coisas que enchem a alma de admiração e reverência crescentes”.

Entretanto, aos que não enxergam o testemunho da criação (vs. 1-6), e ignoram o testemunho da revelação (vs. 7-11), Deus oferece mais graça ao mundo pelo testemunho dos que já passaram pela conversão (vs. 12-14).

Além de promover sabedoria, estudar a Bíblia com oração restaura, alegra, ilumina e orienta aos pecadores neste mundo nefasto. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Prisioneiro De Cristo

MEDITAÇÃO DIÁRIA
 21 de fevereiro
PRISIONEIRO DE CRISTO

Por esta causa eu, Paulo, sou o prisioneiro de Cristo Jesus, por amor de vós, gentios. Efésios 3:1

Ao escrever a carta aos Efésios, Paulo estava preso em Roma, aguardando ser entregue a Nero. Em prisão domiciliar, o apóstolo morava em uma casa alugada e não podia andar livremente pela cidade. Um soldado o vigiava dia e noite. Em Efésios 3:1 a 13, Paulo fala sobre como foi comissionado por Jesus Cristo e a respeito de seu trabalho entre os gentios.

No verso 1, ao identificar-se como “prisioneiro de Cristo Jesus”, o apóstolo destaca a soberania de Deus, pois nada acontece sem a permissão Dele. O Senhor que pisoteou a morte e rompeu os grilhões da sepultura, ressuscitando a Cristo, não podia ser limitado por qualquer poder terrestre, ainda que fosse o férreo Império Romano. Paulo sabia que se Jesus não tivesse algum propósito para ele em sua prisão, poderia libertá-lo quando e como desejasse. Em última instância, o apóstolo não era prisioneiro de Roma, mas de Cristo Jesus; e isso fazia toda diferença.

Ao lado da soberania de Deus está Sua bondosa providência. Ele sempre tem um bom propósito ao nos permitir passar por adversidades. Em uma ocasião em que Paulo e Silas estavam presos, louvaram ao Senhor, e um terremoto abriu as cadeias. O fato inusitado resultou na conversão do carcereiro (At 16:25, 26). Paulo sabia que nem todas as coisas são boas, mas que, por meio delas, Deus age bondosamente, tendo em vista um fim proveitoso (Rm 8:28).

O Senhor não apenas é soberano e bom, mas também é infinitamente sábio. Se Ele administra todas as circunstâncias da vida para nos levar a um fim proveitoso, pode ser que não mude algumas circunstâncias negativas para o nosso bem. Deus não removeu o amargo cálice do Getsêmani das mãos de Seu Filho (Mt 26:39) nem o “espinho na carne” do apóstolo Paulo (2Co 12:7-9). Mas, nos dois casos, ficou evidente a submissão de ambos à vontade divina.

É assim, submissos e confiantes no amor do Pai, que seremos capazes de desfrutar o privilégio de ser prisioneiros de Cristo Jesus, ou seja, a segurança de saber que, nas horas mais difíceis, Deus cumprirá Seus propósitos em nossa vida e a tornará frutífera. É o privilégio de partilhar dos sofrimentos de Cristo. É viver em absoluta e máxima segurança. É experimentar descanso, paz, calma, confiança e manter a esperança, independentemente de qualquer provação.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quinta-feira, 20 de fevereiro de 2020

Louvor e Adoração ao Salvador – Salmos 18

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 18
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Leia este Salmo e com oração reflita:

· Quem Deus é para você?

· Como você se dirige a Ele?

· Você adora verdadeiramente a Deus?

Entre tantos Salmos de lamentos há belíssimos salmos de louvores. Tehillim é o nome hebraico do livro de Salmos que significa “Cânticos de Louvor”. Muitos dos salmos são de autoria de Davi, como é o caso deste em apreço.

Davi era um exímio compositor musical e também tocava e cantava (I Samuel 16:16-18). Sua aptidão musical o levou a organizar os grupos de músicas levíticos, ou cantores do Templo (I Crônicas 15:1-16:43; 25:1-31; II Crônicas 29:25-30).

Davi louvava continuamente a Deus nos dias tristes e felizes. Após compor salmos em forma de oração por proteção, ele experimentou a vitória miraculosa por parte de Deus. Provavelmente no fim da vida, Davi escreveu este Salmo pessoal e o transformou em salmo público para louvor e adoração ao Salvador.

· Quando oramos, Deus age; e, quando Deus age, nós nos regozijamos (vs. 1-19);

· Quando enfrentamos dificuldades, opressões, perseguições, ameaças e injustiças, podemos encontrar consolo no relacionamento transformador e moral resultante da intimidade com o santo Deus onipotente (vs. 20-28);

· Quando confiamos e dependemos totalmente de Deus certamente discerniremos que Ele merece toda a glória por Quem Ele é e pelo que Ele faz (vs. 29-50).

Este Salmo é cópia adaptada de II Samuel 22. “As poucas modificações feitas aqui parecem ter como alvo o uso público do salmo. Este Salmo é quase louvor puro. As longas e difíceis lutas terminaram. A fuga da vingança de Saul é coisa do passado. O salmista glorifica o Deus de sua salvação […]. O Salmo respira a atmosfera de um louvor improvisado. Não existe uma estrutura rígida. Um pensamento leva ao próximo, alternando entre palavras dirigidas diretamente a Deus e exclamações alegres acerca do Seu poder e misericórdia” (W. T. Purkiser).

Algumas preciosas lições após meditar neste Salmo:

· Precisamos revelar fé em Deus através da adoração por ser nossa proteção, guia e força.

· Muitas vezes, palavras são insuficientes para expressar sentimentos, por isso linguagens poéticas tornam-se recurso para louvar ao amoroso Salvador.

· Nossa disposição em ser fiel a Deus e obedecer-Lhe as orientações devem ser relevantes para quem ora, louva e adora.

Quem ora, adora com fervor! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

A GRIFE DA MENTIRA

MEDITAÇÃO DIÁRIA 26 de outubro A GRIFE DA MENTIRA Seja, porém, a tua palavra: Sim, sim; não, não. O que disto passar vem do maligno. Mateus ...