sexta-feira, 31 de julho de 2020

Entre Riscos E Sofrimentos

MEDITAÇÃO DIÁRIA

31 de julho
Entre Riscos E Sofrimentos

Trabalhei arduamente; muitas vezes fiquei sem dormir, passei fome e sede, e muitas vezes fiquei em jejum; suportei frio e nudez. 2 Coríntios 11:27, NVI

A realidade vivida pelos fiéis do Altíssimo contradiz frontalmente o discurso de alguns pregadores que propagam uma série de conceitos supostamente destinados a manter sofrimento, doença e pobreza longe do cristão. Sendo que essas coisas, na visão desses pregadores, são manifestações do desfavor de Deus, o que poderia ser dito de personagens como João Batista, Tiago e Pedro, servos de Deus que sofreram perseguição e morte por não negarem a fé? E quanto a Paulo? Seria ele um desventurado, abandonado por Deus às consequências da própria pecaminosidade, ou um exemplo de fidelidade, perseverança e esperança em meio às dificuldades naturais da vida cristã?

Em 2 Coríntios 11, Paulo responde, de modo contundente, aos críticos que tentavam minar sua influência entre os membros da igreja de Corinto. Com santa ousadia e em “tom elevado”, mas tendo em vista a glória de Deus, ele não economizou fatos para mostrar a superioridade de seu ministério. Paradoxalmente, foram as dificuldades sofridas que rechearam o argumento do apóstolo direcionado àqueles pretensos mestres.

O belíssimo relato de perigos e sofrimentos apresentado por Paulo chama-nos a refletir sobre sua paciência, perseverança, coragem, firme confiança em Deus e alegria mantidas em meio às provações, sem desviar-nos da conscientização de que elas são inevitáveis. A essas virtudes o apóstolo acrescentou o sentimento de utilidade: “Além das coisas exteriores, há o que pesa sobre mim diariamente, a preocupação com todas as igrejas. Quem enfraquece, que também eu não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu não me inflame?” (v. 28, 29).

Quando sacudidos pelo vendaval das provas, faz-nos bem não nos esquecermos de que outros também sofrem e precisam de nossa solidariedade. Tenhamos sempre em mente que “a fé cristã não nos livra de muitas de nossas preocupações; mas, antes, modifica-lhes a natureza. Elas se tornam a carga do amor. Também não remove nossas ansiedades e temores: antes, enobrece-os. Nossa ansiedade acerca de nós mesmos é suplantada pela ansiedade acerca de outros, e a ansiedade acerca de outros se torna a ansiedade acerca do bem espiritual deles” (Russel Champlin, O Novo Testamento Interpretado, v. 4, p. 408).

Além Dele mesmo, nosso Senhor nos proveu um exemplo admirável a ser imitado no sofrimento, como enfrentá-lo e redirecioná-lo: a experiência do apóstolo Paulo.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Faça como Agur – Provérbios 30

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 30
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

A loucura repele as pessoas; entretanto, a sabedoria atrai.

Precisamos saber que nossa mente é como paraquedas, se não abrir, ela cai. Agur abriu sua mente, e o resultado foi magnífico. Talvez Agur fosse atraído a Salomão por sua sabedoria, e certamente se converteu ao princípio da verdadeira sabedoria: O temor do Senhor.

Agur era árabe, de Massá, no Oriente, um professor de renome, que enviou uma carta ao dois de seus alunos destaques: Itiel e Ucal – após sua conversão. Ele havia sido grande homem intelectual, mas desprovido do conhecimento do Deus verdadeiro.

Provavelmente, Agur ouviu falar da Sabedoria de Salomão, ou ele próprio foi visitar ao rei israelita. Ele abriu a mente, aprendeu a verdadeira sabedoria e agora compartilha com seus pupilos (e conosco também).

De seus escritos, extraio alguns princípios:

1. Quem tem contato com a verdadeira sabedoria e se rende a ela, torna-se a humildade em pessoa; despreza a arrogância, o orgulho e a vaidade e até o conhecimento que antes pensava equivocadamente ser sabedoria (vs. 1-3).
2. Quem se converte genuinamente à sabedoria divina reconhece que a Palavra de Deus é a verdade e, qualquer coisa contrária a ela não passa de ilusão, fraude e mentira (vs. 4-6).
3. Quem se converte deixa de ser ambicioso, materialista e ganancioso, passa a desejar somente o essencial para não perder-se do caminho da salvação, de sua fidelidade a Deus e, de Seus princípios morais (vs. 7-9).

“O desenvolvimento da mente é um dever que devemos a nós mesmos, à sociedade e a Deus. Nunca devemos, entretanto, planejar meios para o cultivo do intelecto à expensas da parte moral e espiritual. E é somente pelo harmonioso desenvolvimento das faculdades mentais, tanto como das morais, que se alcança a mais alta perfeição de ambos” (Ellen G. White).

Na sequência do texto bíblico, Agur, inspirado por Deus, oferece-nos máximas sapienciais:

• Não humilhe os humildes (v. 10);
• Fuja da arrogância (vs. 11-14);
• A ganância é insaciável (vs. 15-16);
• Filhos arrogantes sofrerão terrivelmente (v. 17);
• Enigmas da vida (vs. 18-20);
• Coisas intragáveis (vs. 21-23);
• Coisas pequeninas que ensinam importantes lições (vs. 24-28);
• Coisas ilustres (vs. 29-31);
• A arrogância causa desgraça, a humildade atrai graça (vs. 32-33).

Amigo(a), anima-te! Faça como Agur, converta-se e compartilhe sabedoria! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

quinta-feira, 30 de julho de 2020

Sem Perder Tempo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

30 de julho
Sem Perder Tempo

Exercite-se na piedade. 1 Timóteo 4:7, NVI

À semelhança do que às vezes fazia em seus escritos, ao se dirigir a Timóteo, Paulo também utilizou uma metáfora do mundo esportivo a fim de se referir ao progresso da experiência cristã. Em nosso texto, o verbo “exercitar” é derivado do termo grego gymnos, “despido”, que era como os atletas treinavam nos ginásios gregos. Aqui, a expressão é usada como símbolo de exercício e disciplina intelectual e espiritual.

Depois de haver aconselhado o pastor Timóteo a não desperdiçar tempo com especulações, superstições e enganos doutrinários, o apóstolo o incentivou a investir tempo e esforço no estudo e na apresentação positiva das verdades cristãs que levam à genuína experiência espiritual. Ele deveria fazer isso não apenas tendo em vista o crescimento do rebanho, mas em favor de si mesmo. Se deveria ensinar e mostrar a seus ouvintes o caminho da santidade, quanto mais deveria ser ele mesmo exemplo disso!

O empenho pessoal em favor da santidade não contradiz a oferta da graça. É consequência dela. A vida cristã requer autovigilância, decisões a cada instante, renúncia e muito mais, o que implica esforço mental e espiritual. Esse empenho também não significa isolamento. Em meio a desafios e armadilhas, cada passo dado para mais perto de Deus é dado em meio a conflitos contra as tendências de nossa natureza humana pecaminosa. Há poder e graça à nossa disposição, mas não somos passivos no processo. Fazemos escolhas, tomamos decisões em direção a Deus, enquanto Ele trabalha em nós e por nós.

“Pela fé, você passou a ser de Cristo, e pela fé, deve Nele crescer – dando e recebendo. Você tem de entregar-Lhe tudo – o coração, a vontade, a disposição de servir. Deve se entregar a Ele para então obedecer a todos os Seus mandamentos. Você receberá tudo – Cristo, a plenitude de todas as bênçãos, para habitar em seu coração, ser sua força, justiça e esperança eterna – para que tenha o poder necessário para obedecer” (Ellen White, Caminho a Cristo, p. 70).

Assim, somos dependentes da graça de Cristo que atua em nós, realizando a “boa obra” de santificação que Ele mesmo começou. Mas somos responsáveis pela decisão de nos submeter, a fim de que, “até ao dia de Cristo Jesus”, Ele a complete (Fp 1:6). Essa obra tem continuidade neste dia. Cristo deseja nos tornar, hoje, melhores do que ontem. Ele fará isso, se o permitirmos.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Vivamos com Sabedoria – Provérbios 29

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 29
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Nosso cérebro precisa ser desenvolvido a fim de que vivamos com sabedoria neste mundo de loucura. Deus nos deu capacidade e quer que progridamos no caminho da justiça. Não podemos parar nem desviarmo-nos do caminho.

“Um estudante pode consagrar todas as faculdades à aquisição de conhecimento; mas a menos que possua conhecimento de Deus, a menos que obedeça as leis que lhe governam o ser, destruir-se-á. Mediante hábitos errôneos, perde a faculdade de apreciação de si mesmo, perde o domínio próprio […]. Mediante a negligência do cultivo dos princípios justos, arruína-se tanto para este mundo como para o futuro” (Ellen G. White).

Antônio Neves de Mesquita intitula este capítulo de: “Deus e a sociedade humana”; e, logo, o divide em três tópicos:
1. O homem justo é o alvo desta seção (vs. 1-10);
2. Os efeitos de um mau governo (vs. 11-17);
3. Guardar a lei é a certeza da felicidade (vs. 18-27).

Paul R. House observou: “A intenção de Deus ao conceder a revelação é… criar um grupo de indivíduos justos, sábios e fieis. Essas são pessoas corajosas (28.1), vitoriosas (29.6) e pacientes (29.11). Tais traços de caráter criam líderes bons (29.2) que protegem o pobre (29.7), afastam a ira (29.8) e evitam os insensatos (29.9). Deus abençoa sua fidelidade (28.20). Seu caráter obviamente deriva da sua relação com o Senhor e do seu compromisso em obedecer aos padrões claramente revelados de Deus”.

Não é em diplomas das faculdades renomadas, nem na fama ou no dinheiro, nem mesmo nos altos postos políticos que estão as fontes da sabedoria, segurança e esperança. As coisas que realmente importam estão além de qualquer ser humano. “A justiça vem do Senhor” (v. 26).

Deus está acima do mais alto poder humano, Ele julga instituições de julgamento; os grandes juízes do mundo deverão prestar-Lhe contas. Ele é soberano. Sua lei é a que importa, ela é a Lei das leis.

• Qualquer lei diferente da Lei de Deus está fora da lei.
• É impossível viver sabiamente independente de Deus.

Negar a lei de Deus é negar a justiça – que é um ato de loucura. Devemos buscar o favor de Deus, ter como alvo fazer Sua vontade e, pautar nossa vida pelos Seus princípios.

Submeter-nos-emos ao soberano Rei? – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

quarta-feira, 29 de julho de 2020

Pets De Deus

MEDITAÇÃO DIÁRIA

 29 de julho
Pets De Deus

Ele dá alimento aos animais e aos filhos dos corvos, quando clamam. Salmo 147:9

Ao agredir um cachorro que perambulava em seu local de trabalho, causando-lhe a morte, um segurança atraiu sobre si um turbilhão de protestos, ação do Ministério Público, afastamento do trabalho, e teve que dar explicações à polícia. Parece-me que, como em nenhuma outra época, os animais estão no centro das atenções. Eles estão na pauta de noticiários, que denunciam qualquer irregularidade no trato dispensado a eles. Há uma ampla variedade de serviços prestados e lojas de produtos exclusivos para eles no comércio.

Não tendo sido feitos à imagem e semelhança do Criador, mas cada qual “segundo a sua espécie”, confesso que acho curioso que eles sejam tratados quase como se fossem seres humanos. Há muita gente necessitada de carinho e atenção, mas que não os recebe em medida igual ao que recebem os animais.

Por favor, não me entenda mal! Em casa, já convivemos com três cachorrinhos, presenteados às nossas filhas. Com eles, tivemos muitas chances de refletir sobre sensibilidade, afeto, dedicação e lealdade. Mesmo repreendidos, não se afastavam, mas se aproximavam de nós. Eles têm sua maneira de sentir. Em 2018, o mundo viu o labrador Sully deitado junto ao caixão em que estava o corpo do ex-presidente George Bush, seu dono ilustre.

Deus criou os animais e Se preocupou em preservar cada espécie durante o dilúvio. Proveu diretrizes para o cuidado de animais de carga (Dt 22:6, 7; 25:4). Um jumentinho foi utilizado por Jesus em Sua entrada triunfal em Jerusalém. “Cabe ao homem procurar aliviar o peso do sofrimento que sua transgressão acarretou sobre as criaturas de Deus, em vez de aumentá-lo. Aquele que maltrata os animais porque os tem em seu poder é covarde e tirano. A disposição para causar dor, quer seja a nosso semelhante quer aos seres irracionais, é satânica” (Ellen White, Patriarcas e Profetas, p. 443).

 A Nova Terra recriada por Deus terá a convivência harmônica de diversas espécies animais (Is 11:6, 7; 65:25) “No entanto, não podemos estar certos de que isso se dará pela ressurreição dos animais que antes existiram na Terra. Pode ser que Deus decida criar novos animais para essa finalidade” (Milton Torres, Ministério, jan/fev, 2008, p. 29). O certo é que eles não serão excluídos do plano divino para a eterna felicidade dos remidos. Isso justifica o fiel exercício de nossa mordomia com essa parcela da criação.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

A Chave Para As Relações Divino-humanas

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 28
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Nossa fé deve reger nossa conduta em casa, no trabalho, esporte, mercado, em todo lugar, até mesmo nossos relacionamentos na igreja.

O capítulo oferece-nos estes pontos, conforme Bruce K. Waltke:

1. Relação com a Torá/Lei para gerenciar e ganhar riquezas:
• Provérbio introdutório (v. 1);
• Primeira subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 2-6);
• Segunda subunidade sobre a Torá/Lei e o governo justo (vs. 7-11).

2. Relação com Deus para governar e conseguir riqueza:
• Provérbio introdutório (v. 12);
• Deus e o dirigente (vs. 13-18);
• Riqueza mediante trabalho duro frente à precipitação (vs. 19-24);
• Riqueza através da confiança no Senhor e generosidade frente à mesquinharia (vs. 25-27).

3. Provérbio de conclusão (v. 28).

Diz o teólogo Paul R. House que “o conhecimento e a observância da lei de Deus são fatores supremos na luta contra a maldade. Os que abandonam a lei de fato escolhem louvar o pecador e suas convicções (28.4). Os mantenedores da lei alcançam sabedoria (28.7); suas orações são ouvidas (28.9). Sem profecia, a aplicação da lei na vida diária, as pessoas não têm nenhum freio; mas quando obedecem à lei elas são abençoadas (29.18). Tanto a profecia quanto a lei são revelações inspiradas por Deus que ensinam as pessoas a viver, e ambas requerem uma relação com Yahweh. Assim as matérias de sabedoria, a lei e a profecia formam um corpo de ensinamento que torna possível uma vida sadia”.

Tratar com indiferença aos princípios divinos faz que o avanço dos princípios do inferno seja rápido. Quando permitimos que a filosofia do inferno domine nossas atitudes tornamo-nos missionários do maligno, precursores dos demônios, agentes do diabo.

Pior é atacar princípios bíblicos que dão vida, para defender conceitos diabólicos que promovem morte. A tirania religiosa caracteriza-se pela arrogância daqueles que são agentes do mal, vestidos com vestes religiosas, alegando crença no evangelho, mas distorcendo a Palavra de Deus.

“Como sempre, Deus é a figura central na aquisição da sabedoria. O temor do Senhor permanece o pré-requisito para a graça divina (28.14). Crer no Senhor continua sendo a chave para as relações divino-humanas que resultam em enriquecimento (28.25) e segurança (29.25)” – declara House.

Sejamos fieis à Torá/Lei de Deus, revistamo-nos com a justiça divina/Cristo, para que nossa religião não seja hipócrita! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

terça-feira, 28 de julho de 2020

Gerentes de um Planeta

MEDITAÇÃO DIÁRIA

28 de julho
Gerentes de um Planeta

Tomou, pois, o Senhor Deus ao homem e o colocou no jardim do Éden, para o cultivar e o guardar. Gênesis 2:15

São recorrentes os avisos de que o descuido com o meio ambiente pode levar nosso planeta ao caos. Eles são veiculados pela mídia, em campanhas educativas promovidas por instituições governamentais e não governamentais. Já nos anos 1960, livros e artigos em revistas advertiam contra os danos naturais causados pelo uso de pesticidas químicos. No início dos anos 2000, pesquisadores norte-americanos do Fundo Mundial para a Natureza esboçaram um cenário caótico para o planeta até o ano 2100: extinção de espécies de aves e animais, inundações, nevascas, furacões, ciclones e outros fenômenos ceifarão milhares de vidas.

Há cerca de quatro anos, Stephen Hawking, falecido em 2018, falando a estudantes da Universidade de Oxford, fez previsões sombrias para a Terra também para os próximos 100 anos. Como solução, sugeriu que o ser humano precisa encontrar outro lugar no espaço para sobreviver.

Cristãos adventistas sabem muito bem onde podem estar daqui a 100 anos, e não será por causa da engenhosidade humana. Mas também sabemos que “toda a criação, a um só tempo geme e suporta angústias até agora” (Rm 8:22), por causa do egoísmo prevalecente. Em meio a discursos em favor da preservação ambiental, ouvidos com reservas por desenvolvimentistas, ou enfatizados com forte colorido ecumênico por grupos religiosos, precisamos relembrar nosso papel na qualidade de gerentes do planeta. Nosso verso de hoje nos lembra dessa condição. O Senhor confiou ao ser humano a tarefa de cuidar da natureza e preservá-la, não agindo como destruidores dela em benefício próprio.

O filósofo Douglas Groothuis afirmou: “A visão cristã nem deifica a natureza nem denigre seu valor. De acordo com a Bíblia, a criação é divina e não deve ser cultuada. Porém, ela não é intrinsecamente má nem ilusória. Portanto deve ser tratada com respeito” (citado por Humberto Rasi, Ministério, nov/dez, 2013, p. 25).

Felizmente, não vai demorar muito, virá o fim, e tudo o que foi estragado pela desobediência e rebeldia dos maus gerentes será renovado de acordo com o plano original do Criador. A plena harmonia entre seres humanos, animais e o restante da natureza será então restaurada, estabelecendo-se a Nova Terra, onde habitaremos pela eternidade. Essa é a esperança que dá sentido à vida em um mundo vítima do egoísmo humano.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Adiquira e utilize a Sabedoria

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 27
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Alguém disse: “Chega-te aos bons, serás um deles; chega-te aos maus, serás pior do que eles”. E, Aristóteles declarou: “É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer”.

Então, escolha bem teus amigos e faça o certo, assim desenvolverás sabedoria! Passe tempo na companhia dos sábios de Provérbios e verás o que te sucederá. Aliás, passe tempo com Deus, e serás moldado pelo Autor da sabedoria. Coloque tua vida em harmonia com a vontade dEle e viverás dias de doce alegria!

Cícero observou: “Não basta adquirir sabedoria; é preciso, além disso, saber utilizá-la”; e, é exatamente a isso que cada capítulo de Provérbios intenta conduzir-nos. Atente para os 27 versículos deste capítulo. Hernandes Dias Lopes assim os sintetizam:

• O futuro não está em suas mãos (v. 1);
• O autoelogio não cai bem (v. 2);
• O peso da ira do insensato (v. 3);
• A inveja é muito perigosa (v. 4);
• Quem ama confronta (v. 5);
• As feridas do amor (v. 6);
• A alma enfastiada (v. 7);
• Cuidado, pezinho, onde pisa (v. 8);
• As bênçãos da amizade (v. 9);
• Valorize seu vizinho (v. 10);
• A sabedoria é fonte de alegria (v. 11);
• A prudência pode salvar sua pele (v. 12);
• Cuidado com os compromissos que você assume (v. 13);
• Há elogios e elogios (v. 14);
• O desconforto de viver com uma mulher ranzinza (v. 15);
• A impossibilidade de controlar uma mulher ranzinza (v. 16);
• O contato abençoador (v. 17);
• A recompensa do trabalho (v. 18);
• O poder da autoanálise (v. 19);
• Insatisfação crônica (v. 20);
• Como você reage aos elogios? (v. 21);
• A estultícia inveterada (v. 22);
• Você conhece o estado de suas ovelhas? (v. 23);
• A riqueza é passageira (v. 24);
• Um trabalho que vale a pena (vs. 25-27).

Quando indivíduos “que têm condescendido com maus hábitos e práticas pecaminosas se rendem ao poder da verdade divina, a aplicação dessa verdade ao coração faz reviver as energias morais, as quais pareciam paralisadas” (Ellen G. White).

Desta forma, se aplicarmos esses princípios de Provérbios em nossa vida…

1. Substituiremos hábitos e práticas pecaminosos por hábitos e práticas espirituais;
2. Deixaremos de viver no pecado que nos paralisa e mata, para viver os princípios que fazem-nos reviver.

Clamemos: “Senhor, reaviva-nos!” – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

segunda-feira, 27 de julho de 2020

Ele Está Nas Nuvens

MEDITAÇÃO DIÁRIA

27 de julho
Ele Está Nas Nuvens

 Disse o Senhor a Moisés: Eis que virei a ti numa nuvem escura. Êxodo 19:9

De acordo com o imaginário popular, “anda nas nuvens” quem devaneia, sonha com o impossível ou se permite embalar no auge de uma experiência feliz. Está sob “céu de brigadeiro” (sem nuvens) quem vive momentos sem dificuldades, em que tudo dá certo. As duas coisas fazem parte da vida, assim como em nosso dia a dia, ora desejamos o sol ora queremos as nuvens. Cedo pela manhã, minha primeira providência ao acordar é abrir a janela do quarto, deixando o ambiente iluminado. À tarde, pelo menos no verão, quero que as nuvens estejam no céu, amenizando o calor produzido pelo Sol, no lado oposto da casa.

Nuvens são objeto de inspiração para artistas e fotógrafos. Demoramo-nos admirando seus diversos formatos, sua brancura e seu deslocamento no espaço. Sem nuvens, não há neve, relâmpago nem arco-íris. Elas realçam a beleza do pôr do sol e estão presentes nas mais belas paisagens. Apesar disso, quando trazem fortes tempestades, colhemos graves prejuízos. As nuvens são muito importantes para o equilíbrio da vida no planeta, sendo responsáveis pelo ciclo da água e pelo clima; portanto, fundamentais na meteorologia.

Há muitas referências bíblicas às nuvens. Citando apenas algumas: Cristo virá sobre nuvens (Mt 26:64; Ap 14:14). Comparadas à grandeza de Deus, as nuvens são como “pó dos Seus pés” (Na 1:3). Durante a peregrinação israelita pelo deserto, durante o dia, uma nuvem na qual estava o Senhor amenizava os rigores do sol (Êx 13:21). Entre as orientações que deu a Moisés, antes da promulgação do Decálogo, Deus lhe garantiu estar a seu lado, “numa nuvem escura”, a fim de que seu discurso tivesse credibilidade diante do povo (Êx 19:9).

Há outros textos nos quais a glória divina aparece velada por uma nuvem, em benefício do povo pecador. Essa é uma lembrança apropriada do que há em meio às nuvens que, figuradamente, às vezes nos impedem de ser aquecidos e iluminados pelo sol da existência. Essas nuvens são comuns em um mundo imperfeito. Elas parecem esconder de nós o semblante de Deus, porém, lá está Ele, assim como o Sol continua brilhando atrás das nuvens naturais. Atrás das nuvens, o Senhor trabalha em nosso benefício. Por mais longo que seja o tempo de aridez desértica ou de escura peregrinação, há sempre um oásis para o qual seremos guiados sob a nuvem de amor da presença de Deus.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Seja sábio – Provérbios 26

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 26
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Viver o dia a dia desprovido dos princípios divinos é a essência da loucura. Fazer o mal por detestar o bem caracteriza aos que não amam a Deus de todo coração ou O rejeita consciente e abertamente.

Praticar o mal é um enorme problema, pior ainda é considerar que grande maldade não significa nada. Viver alheio ao bem, indiferente à moralidade, anestesiado aos princípios espirituais, implica em andar de braços dados com o diabo como num romance prazeroso.

A sabedoria nos leva para o céu, a loucura nos leva ao inferno (ver Provérbios 9). O tolo está em evidência neste capítulo. Aprenda a não ser tolo. Matthew Henry sintetiza assim o capítulo em apreço:

• O tratamento apropriado para os tolos (vs. 1-9);
• O comportamento dos tolos (vs. 10-12);
• A desgraça da preguiça (vs. 13-16);
• Ódio e contenda (vs. 17-28).

O ignorante, tolo ou insensato é mais notório nas palavras e no comportamento do que em seu silêncio. Os princípios do texto sagrado são impactantes, deixe-se impactar com eles:

1. É absurdo um insensato ser honrado, crer que a maldição vem sem causa, responder a estupidez de um insensato, enviar recados através de um insensato, ouvir provérbios dos insensatos, dar emprego a um insensato; pois, “como o cão que come o próprio vômito, assim os insensatos reciclam a tolice” (vs. 1-11).

2. Os pensamentos que os ignorantes, tolos e insensatos possuem de si mesmos são exagerados, ilusórios e errados:

a) Quem pensa que é esperto é pior que o insensato (v. 12);
b) Preguiçosos são assombrados pelos próprios pensamentos fantasiosos (vs. 13-15);
c) Sonhadores ociosos se vangloriam considerando-se “mais sábios que o corpo docente de uma faculdade” (v. 16).

3. É insensatez intrometer-se numa discussão alheia, ignorar os efeitos destrutivos das próprias palavras, investir na fofoca, ser explosivo e briguento, ouvir críticas e calúnias, confiar num inimigo (vs. 17-26).

4. O capítulo encerra com dois provérbios que nos fazem refletir:

a) “A malícia é um tiro que sai pela culatra; o ódio sempre volta para quem o cultivou” (v. 27);
b) “O mentiroso odeia sua vítima; o bajulador sabota a confiança” (v. 28).

Abra os olhos: Atente para estas revelações sobre o tolo! Seja sábio: Não se envolva com atitudes tolas!

Busquemos sabedoria! – Heber Toth Armí

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

domingo, 26 de julho de 2020

Além Da Rotina

MEDITAÇÃO DIÁRIA

26 de julho
Além Da Rotina

Realmente este homem era o filho de Deus! Marcos 15:39

Aquele não seria um dia qualquer de trabalho. A tensão estava no ar, a agitação tomava conta do povo. Mas a ordem do dia que lhe havia sido comunicada, depois de um julgamento ilegal que havia tomado a noite inteira, talvez não fosse novidade para o centurião. De fato, muitos outros condenados já haviam recebido a mesma sentença. Com sua companhia de cem soldados, ele deveria executar um jovem agitador que Se declarava o Messias. Isso ele realizou friamente, como rotina. Executada a ordem, ali estava ele ao pé da cruz, frio e calculista, enquanto o Filho de Deus, erguido entre o Céu e a Terra entregava a vida pelo resgate do mundo.

Contudo, algo diferente do que havia sido planejado aconteceu, e o atingiu em cheio. O sinal do cumprimento do anúncio da morte do Cordeiro de Deus foi visto no véu rasgado no interior do templo. A Terra sacudiu, o sol reteve seu brilho. Envolvido pela rotina de executar tantos criminosos à morte de cruz, aquele comandante jamais pensou em ver uma manifestação da natureza em reação à morte deles. Mas ele não estava diante de um condenado comum, e O reconheceu: “Verdadeiramente este era o Filho de Deus!”

Para alguns eruditos, essa pode não ter sido a expressão de um coração imediatamente convertido a Cristo. Entre os argumentos, o fato de o comandante ser pagão. Isso o teria levado, diante do que tinha visto, a atribuir tudo a um milagre no contexto de seu mundo sobrenatural. Nesse caso, “Filho de Deus” poderia ser apenas “filho de um deus”. Entretanto, Ellen White afirmou: “A paciência divina do Salvador e Sua súbita morte, com o grito de vitória nos lábios, haviam impressionado esse pagão. No corpo ferido e quebrantado, suspenso na cruz, o oficial reconheceu a figura do Filho de Deus. Não pôde deixar de confessar sua fé” (O Desejado de Todas as Nações, p. 770).

Precisamos contemplar pessoalmente a Cristo. Todos corremos o risco de perdê-Lo de vista em meio a nossas atividades habituais, mesmo que sejam práticas e rituais da religião. Não é por intermédio delas que O vemos; mas, antes delas O contemplamos, reconhecemos e O aceitamos como nosso Salvador. Ele quebra a rotina, quebranta o coração e enternece o ser. Não podemos deixar que o importante encubra o essencial nem que o comum esconda o sublime. Cristo deve ser nosso companheiro de jornada em cada passo do caminho. Isso é que é viver.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Invista Na Sabedoria - Provérbios 25

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 25
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Os dias do reinado de Ezequias foram caracterizados por avivamentos espirituais. Certamente os provérbios fizeram parte destes refrigérios nacional.

Isso deve nos levar a valorizar ainda mais este livro que pouco se prega nos púlpitos de nossas igrejas – o máximo que muitos fazem é citar um provérbio aqui e acolá, mas sem analisá-lo profundamente.

A partir deste capítulo, até o capítulo 29, os provérbios foram escritos por Salomão, porém, ele não os introduziu no cânon das Escrituras. Foram compilações copiadas e agrupadas pelos sábios de Ezequias, depois incluídas pelo rei de Judá. Russell Norman Champlim comenta:

O primeiro versículo do capítulo 25 “serve de nota expositiva introdutória, para informar-nos de onde vieram estes provérbios… Sabemos que Ezequias, rei de Judá (721-693 A.C.), era homem de habilidade literária, além de ter sido patrono das artes. Ver II Reis 18.18,37; 19.2,3; Isa. 38.10-20. Ezequias viveu cerca de 250 anos depois de Salomão… Essa editoração, preparada pelos ‘homens de Ezequias’ (provavelmente escribas profissionais) [preservaram] mais de cem [dos] provérbios [de Salomão] na seção à nossa frente”.

Fixe nestas verdades destas informações:

• Deus Se beneficiou de editores para compilar ensinamentos importantes a serem introduzidos em Sua Palavra.
• Deus não é contra o trabalho de fazer compilações para agrupar mensagens relevantes ao povo de Deus de outras épocas e lugares.

• A inspiração e revelação não acontecem apenas de uma forma, podem ser através de pesquisas e entrevistas, como fez o Dr. Lucas (ver Lucas 1:1-3); ou compilações, como se vê em Provérbios 25 a 29.

• Pesquisadores, editores e compiladores sob a regência do Espírito Santo foram tão inspirados quanto qualquer profeta em suas visões e sonhos recebidos diretamente de Deus.

Portanto, vamos atentar para a mensagem de Deus em Provérbios 25.

• Deus não dá tudo “de-mão-beijada”, quem quiser o conhecimento, precisará investir tempo, talento e recursos para obtê-lo (vs. 2-3);

• O líder bom não é perverso, orgulhoso, e precipitado em julgar; é confiável e sábio (vs. 4-12);

• Amigos reais são essenciais; traidores, indelicados, interesseiros e fofoqueiros são inúteis (vs. 13, 18-23, 25);

• Cuidado com excesso de palavras, comer muito doces, reclamações, descontrole emocional – pode ser tua ruína total (vs. 14-17, 24, 26-28).

Invista tua vida na sabedoria, vale a pena! Deixe-se moldar por ela, experimentarás um avivamento! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

sábado, 25 de julho de 2020

NÃO DEIXE DE OLHAR

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de julho
NÃO DEIXE DE OLHAR

Olhando firmemente para o Autor e Consumador da fé, Jesus. Hebreus 12:2

Na sintonia do pensamento de ontem, lembrei-me de Adolphe Theodore Monod. Falecido em 1856, aos 64 anos, foi considerado o principal pregador protestante da França no século 19. Filho de pastor, também trabalhou na Itália e nos Estados Unidos, tendo sido também editor.

Um de seus sermões, publicado em 1890, contém um chamado pertinente a todos nós, em todos os tempos. Transcrevo hoje alguns poucos itens daquele sermão, de acordo com o qual só estaremos seguros “olhando para Jesus, e não para nós mesmos, nossos pensamentos, desejos e planos. Para Jesus, e não para o mundo, com suas atrações, seus exemplos, suas ideias e opiniões. Para Jesus, nunca para Satanás, quer procure nos afugentar com sua ira ou nos seduzir com bajulações. [...]

“Olhando para Jesus, e não para nossos irmãos. Nem mesmo para os melhores e mais amados entre eles. Se seguirmos um homem, corremos o risco de perder o caminho, mas se seguirmos a Jesus, nunca nos extraviaremos.

“Olhando para Jesus, a fim de que possamos receber Dele o trabalho e a cruz de cada dia, com aquela graça que é suficiente para podermos levar a cruz e realizar o trabalho; pacientes, por meio de Sua paciência; ativos por Sua atividade; amoráveis, por Seu amor. Não indagando: ‘o que queres que eu faça’, mas: ‘o que há que Ele não pode fazer através de mim?’ [...]

“Olhando para Jesus, e não para as profundezas do pesar que sentimos por nossos pecados, nem para o grau de humilhação que eles produzem em nós. Se esse pesar nos humilha, de modo que não mais temos prazer em nós mesmos; se nos lança no abatimento, de modo que olhemos para Jesus como único libertador, isso é tudo o que Ele requer de nós. É olhando-O que teremos suprimido o nosso orgulho.

“Olhando para Jesus, e não para a nossa fé. O último ardil de Satanás, quando não pode nos afastar do caminho por outras tentativas, é desviar nosso olhar de Jesus para que olhemos a nossa fé e fiquemos desanimados, se ela é fraca. Ou envaidecidos, se ela é forte. Nos dois casos, ela será enfraquecida. Não somos fortalecidos por contemplar a nossa fé, mas por olhar a Jesus.

“Olhando para Jesus, de modo que a bendita esperança de Sua vinda nos dê ânimo para viver sem murmurações e morrer sem queixas, quando chegar o dia em que tivermos de enfrentar o último inimigo a quem Ele já venceu por nós e a quem venceremos por meio Dele” (Ministry, jul/1979, p. 6, 7).

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Viver com Sabedoria - Provérbios 24

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
 

Leitura Bíblica – Provérbios 24
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

A vida é bem melhor se for vivida com sabedoria! Pena que muitos acham que a loucura traz paz, alegria e felicidade; tal ilusão só pode ser desfeita à luz do livro de Provérbios.

A teologia de Provérbios é fantástica. “Como revela este livro de sabedoria, Deus se apresenta, a cada indivíduo, segundo a sua necessidade espiritual”, diz Charles R. Swindoll. E, então, pontua:

Para todas as pessoas, de todas as partes, Deus é o Criador (3:19-20; 14:31; 16:11; 17:5; 20:12; 22:2);

Deus é o Onisciente pastor das almas (5:21; 15:3, 11; 22:12; 24:12);

Para o pecador obstinado e impenitente, Deus é o Juiz justo (8:35; 17:15; 21:3; 22:22-23; 23:10-11; 29:26);

Para o desamparado, Deus é o defensor dos fracos (14:31; 15:25; 17:5; 22:2, 22-23; 23:10-11; 29-13);

Para os fieis, o Senhor é o Benfeitor dos justos (3:1-10; 8:35; 10:32; 11:1, 20; 12:2, 22; 15:8; 16:20; 18:22; 19:17; 28:25).

O capítulo 23 contém mais provérbios dos sábios (não de Salomão). Observe este detalhe: Existem trinta provérbios sapienciais anônimos, em dois grupos:

Primeiro grupo: Provérbios 22:17-23:11;

Segundo grupo: 23:12-24:26.

Depois temos mais 6 provérbios de outros sábios, também desconhecidos, em Provérbios 24:23-34.

O capítulo 23 de Provérbios oferecem-nos os seguintes pontos:

Fique ligado quando jantar com alguém importante, um líder político (vs. 1-5);

Rejeite o convite para comer quando vier de pessoas mesquinhas, há boas razões para isso (vs. 6-8);

Não perca tempo na presença de pessoas que te colocam para baixo (v. 9);

Os filhos devem ser disciplinados com muita sabedoria, por isso os pais, antes, devem ser sábios para, depois, educar (vs. 10-18); educação desprovida de sabedoria cria filhos para a loucura.

As armadilhas do desequilíbrio são fatais, até coisas boas em demasia causam males (vs. 19-28);

Bebidas alcoólicas levam aos que delas usufruem de mal e pior, promovem insatisfação, desgraças e terríveis sofrimentos evitáveis (vs. 29-35).

A Palavra de Deus é ampla, trata de nosso dia a dia, não apenas de nossa vida na igreja. Deus anseia nosso bem-estar. Quer nossa satisfação. Planeja nossa alegria. Deseja uma família unida para nós. Quantos de nós valorizamos o que Deus valoriza?

Colocar Deus em primeiro lugar em tudo o que fazemos em nossa existência é a essência da verdadeira sabedoria! – Heber Toth Armí

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

sexta-feira, 24 de julho de 2020

Rumo Ao Pódio

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de julho
Rumo Ao Pódio

Corramos, com perseverança, a carreira que nos está proposta. Hebreus 12:1

A partir de hoje, até o dia 9 de agosto, as atenções do mundo esportivo estarão direcionadas para Tóquio, onde será realizada a 32a edição dos Jogos Olímpicos. Dela participarão cerca de 13 mil atletas de vários países, que disputarão mais de 30 modalidades esportivas em busca do primeiro lugar. Tudo por uma glória pessoal, que o tempo se encarregará de ofuscar. Oposta a isso está a jornada cristã, cujo pódio não está limitado a pouquíssimos privilegiados, mas a todos quantos desejarem.

Em Hebreus 12, Paulo faz referência a ela. A conjunção “portanto”, que inicia o capítulo, chama atenção dos leitores para o exemplo de fidelidade, compromisso, perseverança e coragem diante da própria morte, deixado pela “nuvem de testemunhas” mencionadas no capítulo 11. Tendo-as como exemplo, “desembaraçando-nos de todo peso e do pecado […], corramos, com perseverança a carreira que nos está proposta” (Hb 12:1). A metáfora da “corrida” foi utilizada pelo apóstolo ao se referir a seu ministério e sua vida cristã (1Co 9:24-27; Gl 2:2; Fp 2:16; 2Tm 4:7).

Atletas que têm como objetivo o primeiro lugar no pódio não podem negligenciar o condicionamento físico. Naqueles dias, eles costumavam usar pesos no treinamento. Isso ajuda a fortalecer a musculatura, mas carregá-los durante a corrida é insensatez. Assim, o “atleta” cristão deve descartar tudo o que dificulte seu desempenho na corrida cristã.

“Corramos com perseverança”! A pista não é lugar para hesitações. Na corrida cristã, não há intervalos ou parada técnica. Desistência, nem pensar! O som do apito que anuncia o fim é paradoxalmente um toque de silêncio – o da morte. Quando Paulo disse ter acabado a carreira, só lhe restava a execução pela espada de Nero (2Tm 4:6-8).

“Corramos […] olhando […] para Jesus” (Hb 12:1, 2). Nessas palavras está o segredo da vitória. O atleta não tem que prestar atenção nos espectadores. Se ele faz firulas, esperando a aclamação deles ou se preocupa com as vaias, isso pode ser fatal a suas pretensões. Não podemos nos distrair. Olhemos para Jesus, que é, ao mesmo tempo, motivador, impulsionador, capacitador e supremo alvo da corrida cristã.

Estamos na pista. Corramos com perseverança, olhando para Jesus durante todo o tempo e desviando o olhar de tudo o mais, até à linha de chegada – a eternidade feliz com Ele.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Viver com Sabedoria - Provérbios 23

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 23
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

A vida é bem melhor se for vivida com sabedoria! Pena que muitos acham que a loucura traz paz, alegria e felicidade; tal ilusão só pode ser desfeita à luz do livro de Provérbios.

A teologia de Provérbios é fantástica. “Como revela este livro de sabedoria, Deus se apresenta, a cada indivíduo, segundo a sua necessidade espiritual”, diz Charles R. Swindoll. E, então, pontua:

Para todas as pessoas, de todas as partes, Deus é o Criador (3:19-20; 14:31; 16:11; 17:5; 20:12; 22:2);

Deus é o Onisciente pastor das almas (5:21; 15:3, 11; 22:12; 24:12);

Para o pecador obstinado e impenitente, Deus é o Juiz justo (8:35; 17:15; 21:3; 22:22-23; 23:10-11; 29:26);

Para o desamparado, Deus é o defensor dos fracos (14:31; 15:25; 17:5; 22:2, 22-23; 23:10-11; 29-13);

Para os fieis, o Senhor é o Benfeitor dos justos (3:1-10; 8:35; 10:32; 11:1, 20; 12:2, 22; 15:8; 16:20; 18:22; 19:17; 28:25).

O capítulo 23 contém mais provérbios dos sábios (não de Salomão). Observe este detalhe: Existem trinta provérbios sapienciais anônimos, em dois grupos:

Primeiro grupo: Provérbios 22:17-23:11;

Segundo grupo: 23:12-24:26.

Depois temos mais 6 provérbios de outros sábios, também desconhecidos, em Provérbios 24:23-34.

O capítulo 23 de Provérbios oferecem-nos os seguintes pontos:

Fique ligado quando jantar com alguém importante, um líder político (vs. 1-5);

Rejeite o convite para comer quando vier de pessoas mesquinhas, há boas razões para isso (vs. 6-8);

Não perca tempo na presença de pessoas que te colocam para baixo (v. 9);

Os filhos devem ser disciplinados com muita sabedoria, por isso os pais, antes, devem ser sábios para, depois, educar (vs. 10-18); educação desprovida de sabedoria cria filhos para a loucura.

As armadilhas do desequilíbrio são fatais, até coisas boas em demasia causam males (vs. 19-28);

Bebidas alcoólicas levam aos que delas usufruem de mal e pior, promovem insatisfação, desgraças e terríveis sofrimentos evitáveis (vs. 29-35).

A Palavra de Deus é ampla, trata de nosso dia a dia, não apenas de nossa vida na igreja. Deus anseia nosso bem-estar. Quer nossa satisfação. Planeja nossa alegria. Deseja uma família unida para nós. Quantos de nós valorizamos o que Deus valoriza?

Colocar Deus em primeiro lugar em tudo o que fazemos em nossa existência é a essência da verdadeira sabedoria! – Heber Toth Armí

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

quinta-feira, 23 de julho de 2020

Sob A Luz De Deus

MEDITAÇÃO DIÁRIA

23 de julho
Sob A Luz De Deus

Pois em Ti está a fonte de vida; graças à Tua luz, vemos a luz. Salmo 36:9

Apreciar, interpretar e entender o significado de obras de arte nem sempre é uma tarefa simples. Às vezes, é preciso que se tenha conhecimento da perspectiva, ideias e ponto de vista do autor, a fim de entender o que ele quis expressar em um quadro, por exemplo. Lembro-me de ter lido, tempos atrás, um relato sobre um grupo de estudantes que foi levado por uma professora a um museu de arte. A certa altura da visita, algumas alunas pararam interessadas em analisar detalhadamente um belo quadro pintado a óleo. Pareciam confusas e sem entender a beleza da obra. Percebendo a perplexidade delas, a professora chamou-as, levou-as a um lugar específico da sala e explicou: “Meninas, este é o ponto a partir do qual o pintor deseja que olhemos aquele quadro.” Dali, as alunas puderam captar toda a beleza da pintura que não tinham conseguido ver quando estavam bem perto dela.

Muitas vezes, o quadro da vida se torna obscuro, tornando-se difícil de ser entendido e apreciado por observadores limitados como nós. Isso acontece quando em meio a dificuldades e problemas não conseguimos ver a mão do supremo Artista aplainando vales, nivelando planícies, contornando obstáculos, harmonizando contrastes, gravando na tela uma história possível de ser entendida somente do ponto de vista da eternidade. É a partir de Seu plano para nós que Deus espera que apreciemos a tela da existência.

A vida inteira deve ser orientada e observada do ponto de vista de Deus. Desse ângulo é possível ver e entender muito do que nos afeta aqui e agora. Davi captou essa percepção quando, em meio à maldade que o cercava, sentiu a bondade de Deus e entendeu que Ele tem tudo sob controle, protegendo os fiéis e punindo os ímpios.

Sendo Deus a Fonte de luz, sob Seu brilho podemos ver a luz da verdade, da esperança, da confiança e da certeza quando tudo nos parece confuso e escuro. Não é sob a ótica embaçada de nosso entendimento ou de nossas filosofias humanas, mas apenas sob o reflexo da luz divina que podemos ter iluminados todos os detalhes que nos deixam perplexos diante da vida.

Na luz de Deus, pela fé, mesmo hoje podemos antever o acabamento do quadro que Ele está recriando em nós, graças à Sua ação redentora, com retoques às vezes dolorosos, mas necessários. Em oração, busquemos essa luz, enquanto nos submetemos às mãos modeladoras do grande artista.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Bênçãos ao praticar a sabedoria - Pv 22

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 22
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Há bênçãos ao praticar a sabedoria, tanto quanto há maldições na prática da loucura.

Concluindo seus provérbios, Salomão mostra a importância da boa reputação ao pobre e ao rico (vs. 1-2). Revela a visão clara dos sábios e a visão deturpada dos ignorantes, tolos e preguiçosos (vs. 3, 13, 15-16). Apresenta a recompensa advinda da humildade e do temor do Senhor: Fartura, honra e vida (v. 4).

Além disso, Salomão oferece estas instruções de sabedoria:

• Fique longe dos caminhos dos perversos para não perder tua vida (v. 5);
• Mostre o caminho da vida para teus filhos para que eles se salvem (v. 6);
• Não tome emprestado dos ricos para não ficar nas mãos deles (v. 7):
• Cuidado com o preço do pecado (v. 8);
• Inclina-te para a generosidade e suas recompensas (v. 9);
• Coloque fim nas brigas e insultos mandando embora quem gosta de confusão (v. 10);
• Considere Deus em cada uma de tuas atitudes, reflita o Seu caráter em todas as circunstâncias (vs. 11-12);
• Cuidado com mulheres perigosas; só se envolve com mulheres devassas quem se afasta de Deus (v. 14).

A partir do versículo 17 “encontramos aqui outra coletânea de provérbios, desta vez subdivida em ‘preceitos e admoestações dos sábios’ e ‘mais alguns provérbios dos sábios’ [24:23]”, destaca o Comentário Bíblico Africano.

Os versos 17-21 contém uma “introdução de uma nova seção cheia de provérbios dos sábios”, explica a Bíblia Andrews.

A teologia de Salomão e a destes sábios se equiparam. Nos versículos 17 a 29 os sábios declaram que a sabedoria está firmada em Deus; conquanto Deus age e interfere na vida das pessoas para defender os indefesos (v. 23). Então, estes provérbios são divinos. Atenção:

• Promova justiça social (v. 22);
• Fique longe das pessoas de pavio curto que causam confusões, tal convivência prejudica (vs. 24-25);
• Não se iluda com crendices para ganhar dinheiro: Você pode perder tudo – se ganhar, será somente dívidas (vs. 26-27).
• Seja honesto, sincero e bom naquilo que você faz, isso te fará ser solicitado e admirado (vs. 28-29).

As consequências da loucura devem motivar-nos a buscar a sabedoria com todas as suas recompensas.

Contudo, não existe verdadeira sabedoria sem confiança em Deus! Busquemo-lO sempre! Pois, não dá para viver longe da sabedoria divina! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

quarta-feira, 22 de julho de 2020

Inflexíveis Como Cedro

MEDITAÇÃO DIÁRIA

 22 de julho
Inflexíveis Como Cedro

O justo florescerá como a palmeira, crescerá como o cedro no Líbano. Salmo 92:12

Embora nada houvesse de sobrenatural em sua natureza ou personalidade, os heróis que desfilaram no palco da história bíblica foram homens e mulheres especiais pela firmeza de caráter que possuíam. Eram servos e servas de Deus, que se destacaram pelo que acreditavam e pelo que estavam dispostos a fazer e sofrer em defesa disso. Diante da morte certa, “não amaram a própria vida” (Ap 12:11), atitude tão necessária no mundo atual, repleto de impiedade e pecado.

Hoje, assim como no passado, a sociedade necessita ser impregnada pela presença de cristãos cuja fidelidade ao Senhor e firmeza aos princípios e valores espirituais seja tão inflexível como o cedro do Líbano, expressão do salmista usada para simbolizar os justos de Deus.

O cedro do Líbano tem sua utilidade atestada por diversas civilizações. Os fenícios empregavam sua madeira na construção de embarcações, e sua resina era utilizada pelos egípcios na mumificação. Conforme o Talmude, os judeus queimavam sua madeira no monte das Oliveiras em anúncio do início do novo ano. Cedros foram usados na construção dos palácios de Davi e Salomão, bem como do Templo de Jerusalém. Babilônios, gregos, assírios e romanos também utilizavam sua madeira.

Símbolo do cristão legítimo, o cedro aprofunda suas raízes entre pedras, montanhas, e cresce lentamente, chegando a 40 metros de altura. Ergue-se imponente em desafio às intempéries. As folhas conservam o verdor, mesmo durante o inverno. Acima de todas as outras árvores, ele se distingue pela firmeza inerente e vigor à prova de tudo. De igual modo, nossa firmeza aos princípios deve exemplificar a inflexibilidade do cedro. Em um mundo que oscila entre o engano e a corrupção, devemos ser conhecidos pela estabilidade do caráter.

Evidentemente, o cedro não cresce à parte da ação de Deus, mas como fruto de Seu poder. Lembrarmo-nos dessa realidade é fundamental para o crescimento espiritual firme e acima de todo contratempo. Sabe-se que, ao atingir uma rocha, muitas raízes têm seu crescimento interrompido. No caso do cedro do Líbano, porém, a raiz continua crescendo, envolvendo a rocha. Quanto mais ligada à rocha, mais firme permanecerá. Na vida cristã, somente enraizados em Cristo, nossa Rocha, poderemos nos manter firmes diante das tempestades que ameaçam o crescimento espiritual.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Busque a Sabedoria Divina- Pv 21

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 21
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Pegar atalhos na vida não é sábio. Cair nas armadilhas do diabo não é característica de quem busca a sabedoria divina. Buscar satisfação no pecado é coisa de gente desprovida da direção de Deus!

Nossos atos são moldados por nossas motivações, embora nem sempre ambos se harmonizem. Contudo, Deus conhece o que realmente está por trás de cada um de nossas atitudes:

1. “Nós avaliamos nossos atos pelas aparências; mas o Eterno analisa nossos motivos” (v. 2).
2. “Motivos confusos transformam a vida num emaranhado; os motivos puros levam você pelo caminho direito” (v. 8).

Aqueles que querem ter boa liderança realizarão seus sonhos, se permitirem ser regidos por Deus e Seus princípios de sabedoria. Tal motivação nobre deve aproximar-nos do Senhor para que a realização seja possível (v. 1).

A pureza de coração perante Deus resulta em procedimentos corretos para com as pessoas, tal pureza vale mais que qualquer ritual religioso – por mais nobre que seja! Portanto, qual então é a motivação de um religioso que não procede com equidade em seus relacionamentos? (v. 3).

Arrogância, orgulho, afobação, estresse, perversidade, infidelidade, imoralidade, inveja, ciúmes, raiva, ódio, etc. tudo isso motiva ações que fará aquele que o possui receber “apenas ilusão e a sua promoção – será a morte!” (vs. 4-7).

Na sequência, os provérbios tratam de diversos temas:

1. Reclamação, resmungar de tudo é ingratidão (v. 9);
2. Confusão, promovida por pessoas desprovidas de amor (v. 10);
3. Incapacidade de aprender, a justiça divina aos perversos ensina ao fiel (vs. 11-12, 15);
4. Desprezo ao pobre nos levará ao desprezo de Deus (v. 13);
5. Formas e resultados no presentear pessoas irritadas (v. 14);
6. Resultados de quem se desvia do caminho correto:

a) Morte (v. 16);
b) Insatisfação (v. 17);
c) Punição/retribuição (v. 18);
d) Irritação (v. 19);
e) Destruição (v. 20);
f) Descontrole emocional (v. 24).
g) Fome (v. 25);
h) Ambição/mesquinharia (v. 26);
i) Hipocrisia (v. 27);
j) Desrespeito (vs. 28-29);
k) Derrotas (v. 30).

7. Resultados de quem procura a justiça divina:

a) Vida abundante (v. 21);
b) Sucesso (v. 22);
c) Utilidade/importância (v. 23).

Portanto, “faça sempre o melhor, prepare-se para o pior – então, confie no Eterno e você alcançará a vitória” (v. 31).

Com Deus avançaremos! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

terça-feira, 21 de julho de 2020

Consolados Para Consolar

MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de julho
Consolados Para Consolar

Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai de misericórdias e Deus de toda consolação! É Ele que nos conforta [...] para podermos consolar os que estiverem em qualquer angústia. 2 Coríntios 1:3, 4

Quem quer que sejamos, não importando nossa experiência religiosa, temos os mesmos sentimentos humanos. Lutamos com nossos medos, ficamos abatidos, angustiados, perplexos. Nos vales escuros da vida, parece-nos difícil ver o outro lado; fazemos perguntas sem respostas. Em algum momento da caminhada terrestre, todos necessitamos de consolo. Felizmente, servimos ao “Deus de toda consolação”. Não precisamos sucumbir ao desânimo, à dúvida nem à descrença.

A palavra grega traduzida como “consolação”, em nosso texto de hoje, é parakl?sis. Ela nos remete ao Espírito Santo, o parakl?tos, Consolador divino. Ele é o agente por meio do qual Deus consola Seus filhos, seja usando instrumentos humanos que simpatizem conosco, seja relembrando-nos das incontáveis promessas do cuidado de Deus, seja Ele mesmo reacendendo a fé e a esperança em nosso coração.

De acordo com o Comentário Bíblico Adventista, a consolação aqui referida vai além do conforto recebido em momentos de angústia e tristeza. Inclui todo o trabalho de Deus em favor de Seus filhos, moldando e santificando o caráter deles. A respeito de Cristo foi dito: “Porque convinha que Aquele, por cuja causa e por quem todas as coisas existem, conduzindo muitos à glória, aperfeiçoasse, por meio do sofrimentos, o Autor da salvação deles” (Hb 2:10). Sim, Jesus Cristo assumiu nossa humanidade e experimentou nossos sofrimentos e aflições. Isso Lhe permite simpatizar-Se conosco, como fiel e misericordioso Sumo Sacerdote.

O conforto que recebemos da Fonte não deve ser represado em nós. Há outras pessoas na jornada da vida que enfrentam dilemas. Como afirmou Matthew Henry: “Somos encorajados a entrar corajosamente no trono da graça para que possamos obter misericórdia e encontrar a graça para ajudar em tempo de necessidade. O Senhor é capaz de dar paz à consciência perturbada e acalmar as paixões furiosas da alma. Ele fala de paz às pessoas, concedendo a remissão gratuita dos pecados. Conforta pelas influências vivificantes do Espírito Santo e pelas riquezas de Sua graça. É capaz de restaurar o coração partido, curar as feridas mais dolorosas, dar esperança e alegria sob as dores mais profundas. Os favores divinos não são apenas para nos tornar alegres, mas também para que possamos ser úteis a outros” (Matthew Henry’s Concise Commentary on the Whole Bible, 2Co 1:1-11).

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

A sabedoria de Provérbios 20

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 20
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Precisamos saber o que caracteriza loucura e o que caracteriza sabedoria!

Ao iniciar o capítulo em questão, Derek Kidner faz ligação com o capítulo anterior: “O oposto da disposição alerta e humilde, bem como da diligência do discípulo da sabedoria (e.g. 19:20) é a atitude do dogmatismo (escarnecedor) e da agressividade (alvoroçadora) induzida pela bebida forte (que aqui se descreve, de modo poético, como personalidade forte que domina aquele que bebe)”

• É melhor ser discípulo da sabedoria do que escravo da bebida ou qualquer outro vício destruidor que torna qualquer pessoa em escrava do pecado.

O discípulo da sabedoria age com inteligência e integridade. Observe estes pontos:

1. O discípulo da sabedoria abstém-se de bebidas alcoólicas, possui bom caráter, é trabalhador equilibrado, atencioso e cauteloso; mas, o discípulo da loucura gosta de viver os sentimentos mais selvagens (vs. 1-5);
2. O discípulo da sabedoria tem aspirações elevadas e nobres, é regido pelo temor do Senhor e Seus princípios de amor; porém, o discípulo da tolice está sempre tentando dar um jeitinho para explorar com suas malandragens (vs. 6-20);
3. O discípulo da sabedoria é piedoso, tenta refrear o mal, é dedicado ao Deus onisciente e vive os princípios do Céu aqui na Terra; por outro lado, os princípios do inferno regem a conduta do discípulo do pecado (vs. 21-30).

“A sabedoria de Provérbios coloca Deus no centro da vida do homem. A sabedoria expressa por Salomão no Antigo Testamento, teria a sua revelação mais plena em Jesus Cristo nos dias da nova aliança. Disse Jesus: ‘A Rainha do Sul se levantará no Dia do Juízo com esta geração e a condenará, porque veio nos confins da terra para ouvir a sabedoria de Salomão. E eis que está aqui quem é mais que Salomão’ (Mt 12.42; Lc 11.31). Paulo falou de Cristo como ‘sabedoria de Deus’ ( 1 Co 1.24; Cl 2.3)” (Earl C. Wollf).

• Deus é amor (I João 4:8), o amor é a essência da vida do sábio: “O amor e a verdade formam o bom líder; a liderança sadia firma-se na integridade do amor” (Provérbios 20:28).
• Bem interpretados e corretamente aplicados, “Provérbios” aproxima-nos de Jesus (João 5:39).

Não há como ser sábio sem amor, independente do Senhor! Reavivemo-nos: Sejamos sábios! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

segunda-feira, 20 de julho de 2020

O Exemplo da Oliveira

MEDITAÇÃO DIÁRIA

 20 de julho
O Exemplo da Oliveira

Quanto a Mim, porém, sou como uma oliveira verdejante, na Casa de Deus; confio na misericórdia de Deus para todo o sempre. Salmo 52:8

Sentindo-se traído pelo edomita Doegue, homem de confiança de Saul, Davi escreveu o Salmo 52. Na tentativa de se promover, Doegue astutamente vigiou, fugiu de Nobe e foi informar Saul sobre a visita feita por Davi ao sacerdote Abimeleque, em busca de proteção contra a perseguição empreendida pelo rei. Em seguida, uma terrível matança dizimou os sacerdotes daquela cidade (1Sm 21:1-9; 22:11-19). Nesse salmo, o poeta de Israel reafirma a justiça de Deus contra os perversos, difamadores inescrupulosos, vaidosos, os que se utilizam da própria habilidade a fim de prejudicar o semelhante, e se vangloriam da maldade praticada. Tanto a pessoa que se sente vítima da famigerada “puxada de tapete” como quem planeja algo contra o semelhante precisam atentar para as lições dessa reflexão. Tão certo como o dia segue-se à noite, o Senhor reivindicará a causa de todo filho fiel que é injustiçado. Se isso não causa temor ou representa chance de retrocesso por parte do malfeitor, é motivo de consolo e esperança para a vítima.

Na situação em que estava, Davi decidiu permanecer no melhor lugar, ou seja, do lado de Deus. Assim, transformou a situação adversa em oportunidade para o crescimento espiritual: “Quanto a Mim, porém, sou como uma oliveira verdejante, na Casa de Deus”, com todo o vigor. Estando escondido, porém seguro e feliz na casa de Deus, ele havia sido protegido contra o inimigo destruidor, e isso requeria dele o humilde reconhecimento à bondade do Supremo benfeitor.

Então, Davi decidiu viver em adoração e gratidão a Deus. Ungido como rei, alimentaria e iluminaria espiritualmente seus súditos. Isso dá sentido ao simbolismo da oliveira utilizado no salmo. O azeite produzido pelo fruto dessa planta tinha uso litúrgico, na adoração e unção. Somadas ao uso alimentício e na iluminação, essas propriedades lembram também os genuínos cristãos. Espiritualmente vigorosos e frutíferos, eles florescem nos átrios do Senhor. Ungidos pela graça divina, não se deixando intimidar pela oposição e pelas provações, alimentam e iluminam um mundo faminto e mergulhado em trevas. São filhos da paz e exibem a beleza de Cristo.

Ao sermos tentados a usar os mesmos recursos tortuosos daqueles que nos perseguem, a única saída eficaz para acalmar o espírito e nos manter no caminho do dever é nos voltarmos para Deus. Essa é uma decisão altamente compensadora.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Lições de Vida em Provérbios 19

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 19
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Os Provérbios de Salomão são fonte de bênçãos para cidades, ou mesmo nações, que aplicarem a vivê-los de coração.

Como seria se cada um de nós disseminássemos mais amplamente os provérbios…

1. Em nossa família?
2. Em nosso bairro?
3. Aos nossos líderes político?
4. Aos membros de nossa igreja?
5. Para nossa cidade?
6. Para nosso país?
7. No mundo inteiro…?

“Foi a ampla disseminação desses princípios e o reconhecimento de Deus como Aquele a Quem pertencem todo louvor e honra que fez dos primeiros tempos do reinado de Salomão uma ocasião de reerguimento moral bem como de prosperidade material”, enfatiza Ellen G. White.

Com a facilidade dos meios de comunicação modernos está bem mais fácil compartilhar os princípios de sabedoria de Provérbios com amigos, colegas de trabalho/faculdade/escola, professores, alunos, funcionários, chefes/encarregados/gerentes, familiares, etc.

O capítulo em apreço oferece-nos importantes lições de vida:

• A honestidade está acima das riquezas, e compensa mais que bens materiais (v. 1);
• Ser zeloso desinformado ou, apressado sem raciocínio resulta em fracasso (v. 2, 28);
• A loucura não admite suas falhas, muitos até culpam a Deus pelas consequências (v. 3);
• Há vantagem e desvantagem na pobreza e na riqueza (v. 4, 22);
• Testemunhas falsas sofrerão no dia do juízo (v. 5);
• A generosidade atrai bons amigos (v. 6);
• O fracasso afasta até familiares (v. 7);
• O segredo da vida está em obter um coração cheio de sabedoria (v. 8);
• Fofocas e boatos resultam em desgraças a quem os propaga (v. 9);
• Viver de qualquer jeito ou sem respeito aos superiores dificulta nossa existência (v. 10, 15-16, 24);
• Inteligentes controlam a língua e perdoam com facilidade – isso é nobre (v. 11);
• Não vale a pena ser líder tendo mau gênio, é melhor ser bondoso (v. 12, 17);
• Filho insensato e esposa resmungona é o desprazer de um homem (v. 13-14, 26);
• Disciplinar quando os filhos são pequenos resultará no sucesso deles, indisciplina promove fracasso (v. 18, 25, 27, 29);
• Não tente ajudar pessoas esquentadas, só piora (v. 19);
• Dependa da sabedoria e ação de Deus, assim terás uma existência que valha a pena (vs. 20, 21, 23).

Além de princípio de sabedoria, o temor do Senhor é fonte de vida, é o segredo da satisfação! Experimente! Compartilhe! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

domingo, 19 de julho de 2020

Absoluto E Singular

MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 19 de julho
Absoluto E Singular

Tendo-Se tornado tão superior aos anjos quanto herdou mais excelente nome do que eles. Hebreus 1:4

A carta aos Hebreus foi escrita a um grupo de cristãos judeus que vivia sob pressão e sofrimento. Tendo deixado as práticas do judaísmo, sofriam escárnio e rejeição da parte de seus antigos irmãos de fé. De fato, aqueles novos cristãos haviam se lançado a uma aventura de fé, trocando a relativa segurança de uma comunidade religiosa reconhecida no mundo greco-romano pelas incertezas de uma nova religião bastante questionada. Por isso, tendo-se tornado alvo de zombaria, necessitavam de conforto e ânimo a fim de prosseguir na nova jornada.

Entre aqueles cristãos, havia alguns que foram presos e despojados de suas propriedades (Hb 10:32-34). Alguns foram ameaçados de morte (Hb 12:3, 4). Outros cogitaram abandonar a fé (Hb 2:1; 10:35, 38, 39), negligenciaram a congregação (Hb 10:25) e corriam o risco de rejeitar Cristo (Hb 6:6).

Diante desse quadro, Paulo, seu pastor e conselheiro, lhes enviou palavras de encorajamento e certeza. Eles precisavam estar seguros de que não haviam aceitado uma fé qualquer, alicerçada em fábulas, rituais, símbolos e cerimônias, mas uma fé superior em Jesus Cristo, realidade para a qual todo o sistema de culto judaico apontava: o Filho de Deus, por meio de quem o Pai havia falado (Hb 1:2, 3). Sem rivais no Céu ou na Terra, era o Messias prometido anunciado pelos profetas do Antigo Testamento. Havia deposto a própria vida em resgate do ser humano e em cumprimento de tudo o que a Seu respeito foi dito. No Céu, continuava Seu ministério de intercessão.

Assim, os hebreus tiveram reafirmada a garantia de que tinham Jesus, o líder superior, a esperança superior (Hb 6:9; 7:19), a personificação de promessas superiores (Hb 7:22; 8:6), a garantia de ressurreição e um futuro superior (Hb 11:16, 40). À semelhança do descanso sabático, podiam descansar Nele com a certeza da salvação (Hb 4). Do que mais eles precisavam, do que mais nós precisamos, além de Cristo?

Jesus Cristo é tudo! Nada deixamos que Ele não possa suprir. Nada nos pode ser tirado que Ele não substitua. Se amigos nos abandonam, Nele encontramos amigo mais chegado que um irmão. As riquezas da Sua graça são infinitamente superiores a tudo o mais.

Os cristãos hebreus necessitavam ter sempre em mente essas coisas, assim como nós hoje. A mensagem da cruz ainda é loucura e escândalo para muitas pessoas (1Co 1:18), mas Cristo ainda é absoluto e singular.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

A Essência da Sabedoria - Pv 18

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 18
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

O orgulho é o maior veneno contra a sabedoria verdadeira. Confiar em si mesmo é a slogan dos fracassados. O plano de Deus é que sejamos humildes para depender de Sua sabedoria em cada situação da vida, a fim de sermos bem sucedidos!

“O livro de Provérbios é uma antologia inspirada de sabedoria hebraica. Esta sabedoria, no entanto, não é meramente intelectual ou secular. É principalmente a aplicação da fé revelada às tarefas da vida diária”; portanto, “a mensagem do livro de Provérbios é sempre relevante” (Earl C. Wollf).

Os ensinamentos de Provérbios “cobrem todo o horizonte dos interesses práticos do cotidiano, tocando em cada faceta da existência humana. O homem é ensinado a ser honesto, diligente, autoconfiante, bom vizinho, cidadão ideal e modelo de marido e pai. Acima de tudo, o sábio deve andar de forma reta e justa diante do Senhor” (W. T. Purkiser).

“A sabedoria tem relação direta com tornar-se preparado para honrar os pais, criar nossos filhos, lidar com dinheiro, conduzir a sexualidade, batalhar e exercitar liderança, usar bem as palavras, tratar os amigos com gentileza, comer e beber saudavelmente, cultivar emoções e atitudes em relação aos outros de modo pacífico. Amarrada a todos esses itens está a instância em que nosso modo de pensar e corresponder a Deus é a coisa mais prática que fazemos. Na questão de praticidade, nada, absolutamente nada precede a Deus” (Eugene Peterson).

Então, vamos estudar Provérbios? O capítulo em questão trata sobre…

• Individualistas, egoístas (v. 1);
• Faladores (vs. 2, 4, 7-8, 13, 20-21);
• Maldade (v. 3)
• Advogar (v. 5, 17);
• Brigas (v. 6);
• Preguiça e relaxo (v. 9);
• Salvação (v. 10);
• Ricos (v. 11, 23);
• Orgulho e humildade (v. 12);
• Estado de ânimo (v. 14);
• Sabedoria (v. 15);
• Presentes (v. 16);
• Decisões (v. 18);
• Amizade (v. 19, 24);
• Esposa (v. 22);
• Pobres (v. 23).

Saber relacionar-se, falar, evitar o mal, agir com justiça e misericórdia, trabalhar, lidar com desafios da vida, decidir, etc. é a essência da sabedoria, a qual só é possível praticá-la sobe a operante influência do Espírito Santo em nossa vida.

Com Deus e Sua revelação nos é possível alcançar a sabedoria! Com declarações diretas, somos confrontados em nossa ignorância a fim de buscarmos o que nos falta. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

sábado, 18 de julho de 2020

Os Provérbios são úteis à vida - Pv 17

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 17
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Disponível a todos, a verdadeira sabedoria vinda unicamente de Deus, acessível através de Sua Palavra, nunca separa ética da doutrina.

Apenas obter informação bíblica sem experimentar transformação de vida não é a essência da sabedoria divina. Compreensão correta de Provérbios e interpretação equilibrada de sua mensagem leva-nos a uma vida mudada, consagrada.

O capítulo 17 de Provérbios é sensacional. Suas preciosas máximas sapienciais enriquecem a alma daqueles que as assimilam:

• A sabedoria dá discernimento aos pais para lidarem com filhos difíceis, evitar brigas, conversas maliciosas e fofocas, por isso ela vale mais que morar num palácio ou muitos tesouros (vs. 1-4);
• A sabedoria promove a honra em quem a possui, os netos valorizam avós sábios e, filhos sentem-se satisfeitos com pais assim (vs. 5-6);
• Os Provérbios são úteis à vida prática de todos, do comunicador, do líder, do rei, do pobre, do rico, dos amigos, dos maus, dos bons, dos encrenqueiros, dos vingadores, dos gananciosos, etc. (vs. 7-16);
• Provérbios insistem no cuidado com a língua, finanças e comportamentos em geral, pois uma conduta saudável é imensamente louvável perante Deus e os homens (vs. 17-28).

Há muitos bons provérbios neste capítulo, destaco três:

1. É altamente perigoso estar na companhia de pessoas desprovidas de sabedoria. “É melhor encontrar uma ursa que teve os filhotes roubados que o insensato em sua loucura” (v. 12).
2. Sabedoria tem a ver com espiritualidade. “Quem namora o pecado se casa com a confusão; e quem deixa a arrogância subir à cabeça faz um convite à destruição” (v. 19).
3. Advertências de sabedoria devem ser acatadas, não atacadas: “Quem sabe muito fala pouco; quem é sensato sabe manter a calma” (v. 27).

A piedade é a maior transformação que a sabedoria de Provérbios faz com quem coloca nela seu coração:

• A imoralidade cede lugar à moralidade;
• A perversidade cede lugar à santidade;
• A crueldade cede espaço à bondade;
• O egoísmo cede espaço ao altruísmo;
• A loucura vai embora para deixar o caminho livre à sabedoria.

Por causa disso, em nossa alma…

1. …tristezas transformam-se em alegria;
2. …decepções convertem-se em satisfação;
3. …angústias tornam-se em paz;
4. …conflitos viram harmonia com Deus.

Deus deseja que sejamos sábios, portanto, oremos: “Senhor, arranque nossa loucura, e implante sabedoria em nós!” – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Ação entre amigos

MEDITAÇÃO DIÁRIA

18 de julho
Ação entre amigos

Já não vos chamo servos, porque o servo não sabe o que faz o seu senhor; mas tenho-vos chamado amigos, porque tudo quanto ouvi de Meu Pai vos tenho dado a conhecer. João 15:15

No livro Choice Theory [Teoria da Escolha], William Glasser escreveu: “Mal temos conseguido tocar a superfície da prosperidade que poderíamos experimentar, se mudássemos do conceito de chefiar para o de liderar no ambiente de trabalho. Não sou ingênuo para dizer que as pessoas não trabalharão duro para os chefes. Muitas o farão porque se veem como trabalhadores dedicados, independentemente do tratamento recebido. Essas pessoas darão suas mãos e até o cérebro ao chefe. Mas entregarão o coração apenas a um líder, e o sentimento que experimentamos quando isso acontece é algo que um chefe jamais conhecerá” (p. 289). No trato de Jesus com Seus discípulos, encontramos o exemplo máximo desse conceito de liderança.

Entre alguém servir sob a motivação do medo ou do mero recebimento de salário, e servir motivado pelo amor que responde ao amor de um líder, há uma grande diferença. O Mestre exemplificou um modelo radical de liderança em que Ele e Seus liderados eram, antes de tudo, amigos. A expressão “servos” do texto em consideração é “escravo” em grego, alguém que trabalhava sob um regime estrito. Esse tipo de servo nunca seria informado a respeito dos negócios do respectivo senhor, não receberia nenhuma satisfação de seus feitos, muito menos informação confidencial. “Tais escravos estariam por demais afastados do seu senhor que não reconheceriam qual o processo dos seus pensamentos, e, por isso mesmo, não gozariam de qualquer indício da vontade dele, nem mesmo as razões de suas determinações” (Russell Champlin, O Novo Testamento Interpretado, v. 2, p. 545).

Por outro lado, ao escolher, capacitar e comissionar Seus liderados, Jesus os declarou “amigos”, aos quais Ele havia revelado todos os desígnios do Pai e com os quais estava intimamente associado na missão. Ainda havia muitas coisas que entenderiam além do que até então lhes havia sido revelado. Logo estariam sem a presença física do Líder, e a garantia de que eram amigos transmitiria a segurança necessária para continuar. O sentimento de quem trabalha para um amigo não é o mesmo de quem trabalha para um desconhecido. Pode haver dedicação e ainda faltar a motivação suprema. O senhor amigo terá naturalmente algo mais: o amor de quem serve, em resposta ao amor que recebe. Com Jesus, estamos numa ação entre amigos. Não se exclua dessa parceria, ela sempre dá certo.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

sexta-feira, 17 de julho de 2020

A sabedoria…Provérbios 16

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Provérbios 16
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

– Há quem confunde loucura com sabedoria; também, há aqueles que adulteram a sabedoria, e oferecem uma falsa sabedoria, e muitos, iludidos, a tomam como verdadeira (ver I Coríntios 3:18-20).

É loucura acreditar em qualquer sabedoria cuja fonte não seja Deus. É estultícia vangloriar-se do próprio conhecimento. Os pensamentos são vãos quando são independentes da revelação divina. Portanto, precisamos da fonte certa para ser sábio e feliz de verdade!

A Palavra de Deus supera quaisquer palavras humanas. Superior a qualquer filosofia, observe a sabedoria do capítulo em questão:

• Nos planos humanos, Deus tem a última palavra (v. 1);
• Deus sabe melhor que o ser humano o que realmente é bom (v. 2);
• O plano de trabalho precisa incluir Deus para que realmente haja sucesso (v. 3);
• Toda ação divina é intencional, ninguém terá desculpas no julgamento (v. 4);
• Sendo intolerante aos arrogantes, Deus permitirá que colham o que plantam (v. 5);
• No temor do Senhor ligado pela verdade se obtêm perdão e direção (v. 6);
• Quando Deus é por nós, até inimigos se tornam amigos (v. 7).

Estes sete versículos vinculam Deus à vida prática de sabedoria e sucesso. Está claro que Provérbios é altamente espiritual.

Na sequência, há elevados princípios que merecem ser gravados no coração:

1. O bom líder sempre aspira ao bem em todas as suas intenções e trabalha calma e pacientemente visando à vontade de Deus, segundo os Seus princípios (vs. 8-15).

2. Adquirir sabedoria é infinitamente mais importante que adquirir riquezas; sabedoria vale mais que muitos tesouros. A sabedoria…
• …Leva pelo caminho da vida, livre de obstáculos e da imoralidade (vs. 16-17);
• …Abre os olhos quanto ao orgulho/soberba e mostra importância de confiar plena e humildemente em Deus (vs. 18-20);
• …Torna nossas palavras valiosas, amáveis e respeitáveis e, livra-nos das consequências das palavras precipitadas/impensadas (vs. 21-24).

3. Cuidado (v. 26): Quatro características de que não têm sabedoria:
a) Sem caráter/maldoso: suas palavras são perigosas (v. 27);
b) Perverso/fofoqueiro: promotor de discórdias, destruidor de amizades (v. 28);
c) Violento: acha que a solução de tudo está na agressividade (v. 29);
d) Causador de confusão até com expressões faciais (v. 30).

4. Confiança em Deus e em Sua Palavra é tudo o que realmente importa (vs. 31-33).

Invista na sabedoria! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

A Estratégia Que Não Falha

MEDITAÇÃO DIÁRIA

17 de julho
A Estratégia Que Não Falha

Assim que você ouvir um som de passos por cima das amoreiras, saia rapidamente, pois será esse o sinal de que o Senhor saiu à sua frente para ferir o exército filisteu. 2 Samuel 5:24

Davi acabara de ser ungido rei de Israel (v. 1-5). Essa foi a terceira unção recebida por ele. A primeira havia ocorrido diante de seus irmãos (1Sm 16:12, 13), e a segunda, à vista dos homens de Judá, como rei dessa tribo (2Sm 2:4). De fato, a história de Davi assumindo o trono de Israel e Judá retrata a manifestação da graça divina para com ele, em mais uma demonstração de que, apesar dos altos e baixos da vida, o Senhor trata misericordiosamente todos os que se dispõem a depender Dele. À unção de Davi como rei de Israel, seguiram-se a conquista de Jerusalém, “a fortaleza de Sião” (2Sm 5:7), o reconhecimento de sua realeza por parte de Hirão, rei de Tiro (v. 11, 12), a ampliação da família (v. 13-16) e o confronto com os filisteus que, ao tomarem conhecimento de que havia um novo rei sobre Israel, redobraram seus esforços e se organizaram para atacá-lo (v. 17-25).

Sem deixar que a vitória anterior lhe “subisse à cabeça”, levando-o a confiar em suas habilidades militares, Davi se recolheu em busca da orientação divina: “Devo atacar os filisteus? Tu os entregarás nas minhas mãos?” A resposta do General Supremo foi: “Vá, Eu os entregarei nas tuas mãos” (v. 19, NVI). Como resultado da irrestrita obediência à estratégia de Deus, por duas vezes seguidas Davi foi vencedor sobre seus opositores.

A experiência vivida por Davi e o exército sob seu comando naquela empreitada é um modelo da maneira pela qual devemos enfrentar nossas batalhas espirituais no âmbito individual. Exércitos e equipes esportivas podem ter os melhores combatentes ou notáveis atletas, mas estão sempre dependendo das orientações de generais e técnicos para o melhor desempenho em busca da vitória. Muito mais devemos agir na dependência de Deus.

Em toda circunstância, o Senhor nos fará saber o que fazer. Às vezes, a orientação será para que esperemos a manifestação do Seu poder, a exemplo da experiência israelita diante do mar Vermelho (Êx 14:13, 14). Em outras ocasiões, a tática será atacar no momento certo, como no texto de hoje. Não nos precipitemos. A batalha em que estamos envolvidos é Dele, que conhece o inimigo mais do que nós conhecemos. Ele sabe os caminhos, os meios e os instrumentos por meio dos quais nos levará à vitória sobre quaisquer inimigos, alguns dos quais enfrentaremos hoje. No momento certo, Ele agirá.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quinta-feira, 16 de julho de 2020

Deus É Quem Sabe

MEDITAÇÃO DIÁRIA
16 de julho
Deus É Quem Sabe

Em vez disso, devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo. Tiago 4:15

Sempre há pessoas queixando-se de que “a vida não é justa”. Mas sob que critérios o julgamento que leva a essa conclusão é feito? Os critérios humanos? Os divinos? No primeiro caso, há sempre a motivação da vontade própria, de ideais particulares, das más escolhas e de outros aspectos que não raramente dão aos nossos projetos um leve colorido egoísta e certa tendência ao esquecimento de Deus. Se uma pessoa se fecha em si para elaborar seus planos e alimentar sonhos, se utiliza erradamente o livre-arbítrio nas escolhas que faz e colhe maus resultados como consequência natural, é o caso de se perguntar: “Onde está a injustiça da vida?” Afinal, a toda semeadura segue-se a colheita correspondente.

No segundo caso, o dos critérios de Deus, será que a declaração de que a vida não é justa não questionaria Sua justiça? Ele sabe o que faz, mesmo quando o que desejamos não é exatamente o que recebemos. Todos os feitos de Deus na natureza, assim como em nossa vida, dão “testemunho do cuidado paternal de nosso Deus e do desejo que Ele tem de tornar Seus filhos felizes” (Ellen White, Caminho a Cristo, p. 10). Infelizmente, porém, muitas vezes nos esquecemos disso e tomamos a vida nas próprias mãos. Refletindo sobre isso, Elizeu Lira escreveu: “Estamos sempre fazendo planos e mais planos, sem levar em conta o preenchimento de nossos mais fortes clamores interiores por Deus, mas a Bíblia é clara e precisa como um ‘feixe’ de raio laser: Nada sabemos do futuro” (A Ilusão de Avatar e a Realidade do Céu, p. 31).

Por isso, Tiago dirigiu o conselho de hoje a seus leitores, incluindo nele a advertência quanto ao caráter imprevisível da vida: “Vós não sabeis o que sucederá amanhã. Que é a vossa vida? Sois, apenas, como neblina que aparece por instante e logo se dissipa” (v. 14). Mais inesperadamente do que imaginamos, tudo pode mudar. Mesmo assim, não precisamos viver aterrorizados por essa possibilidade. Para nossa segurança presente e futura, precisamos nos curvar à soberania do Pai, único meio de verdadeiramente desfrutar a vida, seja celebrando a conquista de nossos ideais, seja conservando a paz, a confiança e a esperança Nele quando tudo for escuridão. Ele sempre tem preparado uma farta mesa de bênçãos. Em algum momento, nos aproximaremos dela para nos fartarmos. Com Ele, sempre teremos razões para louvar, hoje e amanhã, assim como foi no passado.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

AUTOR DA VITÓRIA

  MEDITAÇÃO DIÁRIA  28 de outubro AUTOR DA VITÓRIA Graças a Deus, que nos dá a vitória por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. 1 Corínt...