Translate

terça-feira, 18 de dezembro de 2018

Deus concede vitória

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica- Êxodo 17
Comentários Bíblicos Pr. Heber Toth Armí


Deus concede vitória

Qual é tua necessidade? Qual é tua luta? Você experimentou deixar Deus suprir tuas necessidades e lutar tuas batalhas? O resultado será grandes milagres. Viverás e terás histórias maravilhosas para compartilhar.

Veja como concluiu Kay Arthur ao examinar este capítulo: “Toda situação de falta de água, toda batalha, é uma prova vinda de Deus para verificar em quem, ou onde, você tem procurado socorro no dia da tribulação”.

O povo de Israel acabara de ver Deus alimentando toda aquela multidão no deserto, mas uma simples sede ofuscou Seu poder e o povo começou a reclamar. “Houvesse Israel sido transportado diretamente do Egito a Canaã, e não teria sido feita uma triste exibição do que é o coração humano”, diz C. H. Mackintosh. Somos diferentes dos antigos israelitas?

1. A atitude dos israelitas parece revelar descrença total em Deus, como se Deus não pudesse fazer nada ou como se Ele não existisse realmente (vs. 1-3);

2. Além de reclamar, assim que Deus graciosa e misericordiosa saciou miraculosa e maravilhosamente a sede do povo, ninguém agradeceu – revelando assim tamanha ingratidão (vs. 6-7);

Somos diferentes? Muitos conhecem o ditado visando promover esperança: “Água mole em pedra dura tanto bate até que fura”. Porém, os que conhecem a Deus vão além: “Se Deus quiser até de pedra sai água para saciar pessoas de cabeça dura”.

Precisamos aprender com Moisés, que, sendo humano como nós, sabia quanto carecia de Deus, principalmente diante de grandes desafios:

1. Confrontado, acusado, criticado pelos israelitas, Moisés recorreu a Deus em oração, seguiu prontamente Seus sábios conselhos e, o problema tornou-se oportunidade para Deus realizar milagres (vs. 4-6);

2. Confrontado, desafiado e intimado por inimigos amalequitas, Moisés organizou o povo com Josué e recorreu a Deus em intercessão. Com auxílio de Arão e Hur manteve as mãos ao alto; então, Deus concedeu vitória ao povo inexperiente na guerra (vs. 8-16).

Mackintosh faz a seguinte aplicação: “Sempre que somos postos à prova, podemos estar certos que, com a prova, há também uma saída, e tudo que precisamos é uma vontade submissa ao Senhor e um olhar simples para vermos a saída”.

Às vezes precisamos lutar; outras vezes, orar. Entretanto, nunca venceremos verdadeiramente sem oração!

Quem ora, faz história; pois, com Deus alcança vitórias! – Heber Toth Armí
@palavraeficaz
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

A Perseguição e a Expansão do Evangelho

Refletindo a Cristo
18 de dezembro


A Perseguição e a Expansão do Evangelho

Irmãos, tomai por modelo no sofrimento e na paciência os profetas, os quais falaram em nome do Senhor. Tia. 5:10.

Jamais houve alguém que andasse entre os homens mais cruelmente caluniado do que o Filho do homem. Era desprezado e escarnecido por causa de Sua incondicional obediência aos princípios da santa lei de Deus. Aborreceram-nO sem causa. Todavia Ele permanecia calmo perante Seus inimigos, declarando que o sofrimento é uma parte do legado dos cristãos, aconselhando Seus seguidores quanto à maneira de enfrentar as setas da perversidade, pedindo-lhes que não desfalecessem sob a perseguição.

Conquanto a calúnia possa enegrecer a reputação, não pode manchar o caráter. Este se encontra sob a guarda de Deus. Enquanto não consentirmos em pecar, não há poder, diabólico ou humano, que nos possa trazer uma nódoa à alma. Um homem cujo coração está firme em Deus é, na hora de suas mais aflitivas provações e desanimadoras circunstâncias, o mesmo que era quando em prosperidade, quando sobre ele pareciam estar a luz e o favor de Deus. Suas palavras, seus motivos, suas ações, podem ser desfigurados e falsificados, mas ele não se importa, pois tem em jogo maiores interesses. Como Moisés, fica firme como “vendo o invisível” (Heb. 11:27). …

Em todos os séculos os escolhidos mensageiros de Deus têm sido ultrajados e perseguidos; não obstante, mediante seus sofrimentos foi o conhecimento de Deus disseminado no mundo. Todo discípulo de Cristo tem de ingressar nas fileiras e levar avante a mesma obra, sabendo que seu inimigo nada pode fazer contra a verdade, senão pela verdade. Deus pretende que a verdade seja posta pela frente, se torne objeto de exame e consideração, a despeito do desprezo que lhe votem. O espírito do povo deve ser agitado; toda polêmica, toda crítica, todo esforço para restringir a liberdade de consciência, é um instrumento de Deus para despertar as mentes que, do contrário, ficariam sonolentas.

Quantas vezes se têm observado esses resultados na história dos mensageiros de Deus! Quando o nobre e eloqüente Estêvão foi apedrejado por instigação do conselho do Sinédrio, não houve nenhum prejuízo para a causa do evangelho. A luz do Céu a iluminar-lhe o semblante, a divina compaixão que transpirava de sua oração quando moribundo, foram qual penetrante seta de convicção para os fanáticos membros do Sinédrio ali presentes, e Saulo, o fariseu perseguidor, tornou-se um vaso escolhido para levar diante dos gentios, dos reis e dos filhos de Israel, o nome de Cristo. O Maior Discurso de Cristo, págs. 32-34.
Meditação Matinal de Ellen White – Refletindo a Cristo, Pág. 358

segunda-feira, 17 de dezembro de 2018

Maná todos os dias: Êxodo 16

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica: Êxodo 16
Comentários Bíblicos Pr. Heber Toth Armí

Maná todos os dias

Havia dia que a padaria do Céu não abria para negócio, como fica evidente neste capítulo! Essa iniciativa ensina muitas lições, apenas para quem quer aprender.

Originado em um mundo sem pecado, o sábado sempre foi considerado santo pelo santo Deus (Gênesis 2:1-3). Contudo, nos quatro séculos de trevas espirituais durante a escravidão egípcia, a luz da verdade do sábado foi obscurecida na mente do povo de Deus.

Portanto, o Criador do Universo deu maná todos os dias, com exceção do sábado. Foram 40 anos de peregrinação, aprendizado e amadurecimento espiritual no deserto. Ali “se repetiu por mais de duas mil vezes o milagre do maná em relação com a observância do sábado” (Alberto R. Timm).

Além desta lição importante sobre a importância do sábado como um dia especial, outras lições sobressaem e merecem também nossa atenção:

1. Reclamações do povo reflete desconfiança em Deus; estrategicamente, Deus aplica métodos para desenvolver dependência dEle. Maná é um ato diário da graça divina, sábado um ato semanal desta graça. Nossa aceitação revela nosso compromisso com Deus (vs. 1-5);

2. Reclamação suscita ira em Deus porque revela ingratidão do povo; estrategicamente, Deus atende tais reclamações com chateação – Ele enviou comida agradável, mas não saudável (codornizes) a fim de disciplinar Seu povo (vs. 6-18);

3. O maná, um tipo de farinha que vinha com o sereno, tornava-se imprestável se guardado para outro dia; na sexta-feira caia em dobro para sobrar para o sábado, pois sábado não caia maná. No sábado não estragava (vs. 19-35). “O milagre semanal que os acompanhava tinha como objetivo impressionar-lhes com a santidade do sábado, evitar que se esquecessem dele e proporcionar-lhes as condições adequadas para sua observância”, explica Timm;

4. Além disso, o maná derretia com o sol, portanto, quem quisesse comer durante o dia deveria levantar cedo para recolhê-lo. A lição: A dependência de Deus deve começar pela manhã todos os dias. O sábado era o auge da dependência. Era um total descanso/confiança na graça divina!

5. O maná devia ser preparado, mostrando que Deus não dá tudo pronto. A nossa dependência de Deus, nossa confiança, leva-nos à ação!

Tem gente que refere comer do “pão que o diabo amassou” do que depender do pão da padaria de Deus. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí
@palavraeficaz
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis