domingo, 24 de outubro de 2021

O homem que não sai de cena

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de outubro, domingo

O HOMEM QUE NÃO SAI DE CENA

Ele, porém, começou a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem de quem falais! Marcos 14:71

Jesus, que mudou o curso da História mais do que qualquer outra pessoa, ainda hoje causa impacto em vastas multidões, mesmo na vida de quem não O confessa.

Seu nome é pronunciado milhares de vezes todos os dias. Muitos o usam como uma interjeição, geralmente para expressar medo ou repulsa. Alguma vez você já se perguntou por que as pessoas dizem “Jesus!” quando estão zangadas ou infelizes? Não ouvimos “Buda!” ou “Maomé!” ou “Krishna!” Por que será que sempre falam o nome do Homem da Galileia?

Será possível que Jesus, Aquele a quem procuram rejeitar, nunca está longe de seus pensamentos? Será que lá no fundo se perguntam quem Ele realmente foi, se talvez tenha sido o que alegou ser, o Filho de Deus?

Jesus é o Homem que não sai de cena. Foi assim desde o princípio na Galileia. Tentaram escarnecer Dele dizendo que era ilegítimo. Mas a multidão se aglomerava para ouvi-Lo, tocá-Lo, ser transformada.

Disseram que Ele expulsava espíritos imundos em nome de Belzebu, o príncipe dos demônios. Mas os demônios saiam gritando: “Sei quem és: o Santo de Deus!” (Mc 1:24). Espalharam que Ele estava ficando louco. A própria família disse isso e tentou afastá-Lo das multidões e levá-Lo de volta para casa (Mc 3:21). Ele, porém, Se manteve firme em Sua missão.

Contaram-Lhe que o rei Herodes planejava prendê-Lo, que o melhor a fazer seria fugir e esconder-Se. Mas Ele não hesitou, não temeu. Foram à noite no jardim e O prenderam, depois que um traidor os levou até Ele. Eles O amarraram, bateram Nele e O submeteram a um tribunal ilegal. Mas Ele não tentou escapar.

Pregaram-no na cruz e O vigiaram até o momento de Sua morte. Pensaram que assim O haviam silenciado e que Seu movimento chegara ao fim. Mas Ele ressuscitou dentre os mortos, deixando o sepulcro vazio.

Não saiu de cena e não sairá, mesmo que, como Pedro, O neguemos e O amaldiçoemos. O fato de Ele não nos deixar permanece como o centro da nossa esperança.

William G. Johnsson, 6/1/2012

Jesus é Supremo - Colossenses 1

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica -  Colossenses 1

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Quando tornar-se cristão não está vinculado a conhecer o verdadeiro Cristo, é necessário meditar nesta curta, porém, profunda, carta de Paulo aos crentes de Colossos.

Jesus é Supremo e deve ter supremacia em todas as áreas da vida. Observe os seguintes pontos deste primeiro capítulo:

1. Cristo tem a supremacia na mensagem do Evangelho (vs. 1-12);

2. Por causa de Cristo, a cruz também deve ter supremacia na vida do cristão (vs. 13-14);

3. Na criação, Cristo tem e deve ter a supremacia – Ele é Criador (vs. 15-17);

4. Na igreja, Cristo tem a supremacia e deve ser tratado como Ser supremo (vs. 18-23);

5. Por mais nobre que sejam nossas atividades, Cristo precisa ter supremacia sobre elas, como teve no ministério de Paulo (vs. 24-29).

Só quem não conhece a Jesus não dá a Ele o devido lugar. Ele deve ser central na vida diária e religiosa. Paulo “argumenta com humildade e escreve com a força de um amor que expressa consideração” – observa Eugene Peterson. Ainda diz que o apóstolo “apresenta algo que os cristãos vieram a apreciar muito em Paulo: a união de um intelecto brilhante e determinado com um coração terno e maravilhosamente bondoso”.

Certamente, quem realmente conhece a Jesus e é transformado por Ele, deixa de ser arrogante e lhe dá a supremacia em tudo: Torna-se humilde e submisso a Cristo.

Jesus não foi criado. Ser o primogênito da Criação não significa ser o primeiro a ser criado. Pelo contrário, Ele é a causa de toda criação: Acima e abaixo, visível e invisível, de absolutamente tudo, inclusive de todos os anjos, Ele é soberano, com Ele tudo começou e tem propósito nEle.

Desta forma, Jesus é tão eterno, divino e poderoso quanto Deus Pai. Se realmente tudo foi criado por Jesus, é impossível ser Ele criado. Ele não é criatura, mas Criador. Contudo, Ele Se fez criatura e, ao morrer na cruz, tornou-Se nosso soberano Salvador:

O maior milagre indescritível é o ato do divino Jesus de resgatar-nos de nossa situação deplorável de pecado.

Neste capítulo devemos reconhecer que Cristo é agente da criação, Senhor do Universo, Cabeça da igreja e Administrador de nossa reconciliação.

Portanto, vamos dar a Jesus a honra que Ele realmente merece! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sábado, 23 de outubro de 2021

Jesus Está Perto

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

23 de outubro, sábado

JESUS ESTÁ PERTO

Se permanecerdes em Mim, e as Minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito. João 15:7

A comunhão com o Pai celestial afetou a existência da falecida Sra. Chiang Kai-shek. “Eu costumava pedir que Deus fizesse isso ou aquilo”, escreveu ela certa vez. “Agora oro para que Deus torne conhecida para mim Sua vontade.” Assim como estamos dispostos a ouvir os pedidos de nossos filhos, Deus está esperando, disposto a ouvir e atender às nossas orações. Jesus prometeu: “Pedireis o que quiserdes, e vos será feito” (Jo 15:7). Pedir é a nossa parte.

Note a condição que Jesus apresenta para responder às nossas orações: “Se permanecerdes em Mim, e as Minhas palavras permanecerem em vós” (Jo 15:7). Para receber a resposta às nossas orações, é necessário permanecer junto a Jesus e imergir em Sua Palavra. O Senhor ouve a oração honesta. Se houver sinceridade, expresse-a; se não houver, não diga nada. Às vezes simplesmente proferimos as palavras da oração, enquanto estamos pensando em algo completamente diferente. Nossas orações devem ser significativas; o resultado de andarmos bem junto a Jesus.

Deus é onisciente, mas incrivelmente a oração transforma as coisas. Ela pode remover dificuldades, curar enfermos, reunir famílias, mudar completamente o curso da vida de uma pessoa e até redirecionar a História. Isso ocorre porque, ao orarmos, nós somos transformados. A oração leva uma pessoa a se harmonizar com a vontade de Deus. Tornamo-nos Seus sócios. Esquecendonos daquilo que buscávamos receber com tanto empenho, nossa mente se concentra no que Deus quer de nós.

Quando estamos nas mãos de Deus, sabemos que Ele conduzirá as coisas para nosso bem (Rm 8:28). Alguns imploram que Deus lhes cumpra a vontade e depois reagem com ira ou desapontamento quando Ele supostamente não responde à oração que fizeram. No entanto, quando permanecemos junto a Cristo, nossos problemas sempre são resolvidos.

H. M. S. Richards Jr., 2/7/2004

O segredo - Filipenses 4

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica -  Filipenses 4

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Pare, ouça e reflita!

Depois de apelar para permanecer firmes no Senhor (v. 1), Paulo relacionou itens com seus apelo pela unidade e a paz, conforme o Comentário Bíblico Broadman:

1. Evódia e Síndique (vs. 2-3);

2. A paz de Deus (vs. 4-7);

3. O que levar em conta (vs. 8-9);

4. Reação de Paulo aos presentes dos filipenses (vs. 10-20);

5. Saudações e bênçãos finais (vs. 21-23).

Neste capítulo há um imperativo: Alegrem-se no Senhor (v. 4). Da prisão, possuindo razões para lamentar e reclamar da situação em que se encontrava, ordenou e reiterou a ordem de alegrar-se no Senhor.

O crente não é mal humorado. Não anda mostrando carranca aos outros. Ele é feliz! Tal felicidade acontece quando…

• …se resolve diferenças (v. 2),

• …equilíbrio evidencia que pertencemos a Deus (v. 5);

• …substituímos preocupação por oração (v. 6);

• …a paz de Deus invade coração e mente (v. 7);

• …finalmente, nossos pensamentos forem elevados (v. 8).

Ainda neste capítulo encontra-se um dos versículos mais conhecidos de Paulo: “Tudo posso naquele que me fortalece”; contudo, muito mal interpretado.

Atenção! O texto não diz que o cristão torna-se…

• …super humano;

• …super poderoso;

• …alguém blindado;

• …alguém que tudo o que planeja acontece;

• …uma pessoa sem problemas;

• …uma pessoa desprovida de sofrimento.

O contexto mostra que o fiel e verdadeiro cristão pode passar por quaisquer adversidades por piores que sejam, mas, independente de toda oposição e dificuldades, a tudo supera confiando em Deus (vs. 10-13).

A felicidade não é ausência de dificuldades, é essência teológica do cristianismo; Paulo conta seu testemunho e revela segredos:

“Já aprendi a estar contente, a despeito das circunstâncias. Fico satisfeito com muito ou com pouco. Encontrei a receita para estar alegre, com fome ou alimentado, com as mãos cheias ou vazias” – O segredo? Depender de Cristo em qualquer situação.

“A carta se encerra com uma bênção. Possivelmente, Paulo esperava que ela fosse lida diante da igreja reunida. Pode ser por causa de um apoio deliberado à sua dominante preocupação com a unidade, que ele ora para que a graça de Cristo estivesse no espírito deles” (Broadman).

Deus não quer promotores de desunião e tristeza, mas com promotores de união e alegria de Sua Igreja!

Oremos: “Senhor, transforma nossa tristeza em alegria” – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

sexta-feira, 22 de outubro de 2021

Pedras Memoriais

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

22 de outubro, sexta

PEDRAS MEMORIAIS

As doze pedras que tiraram do Jordão, levantou-as Josué em coluna em Gilgal. E disse aos filhos de Israel: Quando, no futuro, vossos filhos perguntarem a seus pais, dizendo: Que significam estas pedras?, fareis saber a vossos filhos, dizendo: Israel passou em seco este Jordão. Josué 4:20-22

Essas não eram meras pedras antigas! Cada uma delas tinha um significado especial. Eram pedras memoriais e cheias de história. Fisicamente eram bem comuns, parecidas com milhões de outras nos montes da Palestina. Entretanto, aquelas 12 pedras apontavam para algo. Relembravam a direção de Deus na experiência de Israel.

As narrativas bíblicas abarcam um longo período de tempo, passando pelas origens da Terra, a entrada do pecado no mundo, a história do povo de Deus, a encarnação, morte e ressurreição de Jesus, e ainda apresentam profeticamente o desfecho de todo esse drama, anunciando o retorno de Cristo. A Bíblia foi escrita para registrar os atos milagrosos de Deus ao guiar Seu povo.

Quando as igrejas perdem de vista o sentido desses memoriais, é certo que surgirão problemas. À deriva, longe de seu ancoradouro, ficam sem rumo. Na esfera judaico-cristã, a perda da direção começou com o esquecimento do passado, mais especificamente, das antigas orientações divinas.

Sempre que esse fenômeno ocorre, perde-se o senso de identidade. Com isso, desaparecem a missão e o propósito. Afinal, se você não sabe qual é seu papel no plano de Deus, como saberá o que tem a dizer ao mundo?

A história cristã está cheia de grupos religiosos que se esqueceram de onde vieram e, em consequência disso, perderam o direcionamento para o futuro. Esse esquecimento é uma tentação muito real para o adventismo.

Não foi por acaso que, já idosa, Ellen White alertou seus leitores sobre isso. Ela escreveu: “Ao recapitular nossa história, revendo cada passo de nosso progresso até o momento atual, posso dizer: ‘Louvado seja Deus!’ Quando vejo o que Deus tem feito, encho-me de admiração por Cristo, e de confiança Nele como líder. Nada temos a temer com relação ao futuro, a menos que nos esqueçamos da maneira pela qual o Senhor tem nos conduzido” (Vida e Ensinos, p. 143).

Passando em revista a nossa história, percorrendo todos os passos de nosso progresso até ao estado atual, posso dizer: “Louvado seja Deus!” Quando vejo o que Deus tem executado, encho-me de admiração por Cristo e renovo minha confiança Nele como dirigente. Nada temos a recear sobre o futuro a menos que nos esqueçamos do caminho pelo qual Deus nos tem conduzido. Nossa igreja tem suas próprias pedras memoriais. Se as negligenciarmos, o risco é todo nosso.

George R. Knight, 1o/1/2015

“Polêmicas doutrinárias” - Filipenses 3

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica -  Filipenses 3

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Alguém disse que “o mais perigoso tipo de ateísmo não é o ateísmo teórico, mas o ateísmo prático. Este é o mais perigoso tipo. E o mundo, e mesmo a igreja, está repleta de pessoas que prestam culto com os lábios em lugar de um culto com a vida”.

“Os judeus colocavam a sua confiança no fato de serem circuncidados, em serem descendentes de Abraão e na realização de cerimônias exteriores e obrigações da lei mosaica – coisas que não poderiam salvá-los. O verdadeiro cristão vê sua carne como pecaminosa, sem qualquer capacidade de merecer salvação ou de agradar a Deus” (John MacArthur).

Laercio Mazaro declarou: “Quantidade não é garantia de qualidade”, e fez uma referência a Serranta Wiersbe que disse: “Algumas pessoas avaliam o ministério exclusivamente através de estatísticas”.

Ministério não deve estar focado em estatísticas assim como a salvação não é pelas obras. Ministério é pastoreio, ministrar espiritualmente (ações imensuráveis), assim como a salvação é pela fé em Jesus.

Moisés Silva sintetiza o capítulo em pauta da seguinte forma, o qual intitula-o de “Polêmicas doutrinárias”:

1. Judaizantes como contexto para a teologia:

• Paulo toma a ofensiva (vs. 1-3);

• Jactância sínica (vs. 4-6).

2. Essência da teologia paulina:

• Falência espiritual (vs. 7-8);

• Riqueza espiritual (vs. 9-11).

3. Teologia prática:

• Frustração e esperança (vs. 12-14);

• Maturidade através da obediência (vs. 15-16);

• Padrões de comportamento (vs. 17-19);

• Cidadania celestial (3:20-4:1).

Há muito falsos líderes religiosos assim como existem muitos falsos crentes na igreja. Eles são hipócritas, inimigos da cruz de Cristo, e tem como Deus ao próprio ventre, isto é, vivem, “não para a glória de Deus (1Co 10:31), mas para autoindulgência e gratificação pessoal” (Francis D. Nichol).

Paulo foi às lágrimas neste capítulo. Porque, em vez dos falsos líderes eclesiásticos “gloriar-se na cruz de Cristo, esses inimigos de Cristo gloriavam-se no seu vergonhoso estilo de vida. Em vez de exaltar a Cristo como a fonte de sua esperança, eles deificavam os seus apetites. Em vez de concentrar a atenção no alvo celestial, chafurdavam no lamaçal do que é terreno! Não é de admirar que Paulo chorasse!” complementa Hebert Douglas.

O cristão deve ter Cristo no coração para reger seu estilo de vida e, o Céu, como alvo primário em tudo na vida! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quinta-feira, 21 de outubro de 2021

Adorno Interior

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de outubro, quinta

ADORNO INTERIOR

Não seja o adorno das esposas o que é exterior, como frisado de cabelos, adereços de ouro, aparato de vestuário; seja, porém, o homem interior do coração, unido ao incorruptível trajo de um espírito manso e tranquilo, que é de grande valor diante de Deus. 1 Pedro 3:3, 4

Ao visitar a linda ilha de São Miguel, nos Açores, refleti sobre o importante tema da modéstia cristã. Lá pude observar a simplicidade de nossos irmãos e irmãs.

Muitas vezes ouvimos de irmãs e irmãos: Qual é o problema com anéis, joias, brincos, etc. Por que nós, como adventistas, procuramos não seguir a moda e nos abstemos do uso de joias?

A criação do homem e da mulher foi a obra-prima de Deus. Quando saíram das mãos do Criador eram realmente perfeitos e vestidos com a glória divina. Como consequência da vergonha do pecado, nossos primeiros pais confeccionaram vestimentas de folhas de figueira. Mais tarde, o Senhor fez roupas de peles de animais para Adão e Eva.

O objetivo original das roupas é cobrir o corpo. À medida que os anos foram passando, os seres humanos acrescentaram ao vestuário aspectos estranhos à finalidade inicial: sensualidade, ostentação e vaidade. Infelizmente a humanidade ao longo dos séculos tem sido tão depravada que homens e mulheres abandonaram os princípios da Palavra de Deus e fizeram da moda uma maneira de expressar seus instintos carnais.

É interessante observar que, em momentos de reavivamento e purificação espiritual, Deus pediu ao povo uma reforma que envolvia inclusive as vestes e os adornos (ver Gn 35:2; Êx 33:1-6).

É evidente ao longo da história do povo de Israel que, em momentos de reavivamento e reforma, o Senhor pedia que o povo tirasse seus ornamentos. A Bíblia é clara ao ensinar que o adorno que Deus espera de Seus filhos, tanto homens como mulheres, é o interior.

Ellen White declara que Deus “deseja que cultivemos a pureza e a simplicidade, como a beleza singela das flores” (Caminho a Cristo, p. 86).

Léo S. Ranzolin, 20/9/1996

O homem que não sai de cena

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 24 de outubro, domingo O HOMEM QUE NÃO SAI DE CENA Ele, porém, começou a praguejar e a jurar: Não conheço esse homem de q...