quinta-feira, 29 de julho de 2021

Por Que Moisés Nunca Reclamou?

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

29 De Julho, Quinta

Por Que Moisés Nunca Reclamou?

O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços eternos. Deuteronômio 33:27

Uma das mais tocantes petições das Escrituras é o pleito de Moisés com Deus para que lhe fosse permitido cruzar o Jordão e ver a Terra Prometida antes da morte. Depois de pastorear os filhos de Israel durante todos aqueles longos anos de vagueação, o profeta desejava ver o país sobre o qual havia falado tanto. A promessa daquela agradável terra despertou um anseio que transbordou em uma petição que traria lágrimas aos olhos de qualquer um que se colocasse na situação: “Rogo-Te que me deixes passar, para que eu veja esta boa terra que está dalém do Jordão” (Dt 3:25).

No entanto, Deus disse não. Moisés deveria morrer e jamais cruzar o Jordão para a Terra Prometida. Muitos consideram que Deus foi muito severo com Moisés, afinal a causa do castigo foi apenas um único erro, em Meribá. Alguns destacam que Deus deveria ter permitido a Seu servo idoso, que tanto fizera por tão longo tempo na liderança de Israel, contemplar a agradável terra antes de morrer.

Moisés não pensou assim. Quando Deus disse: “Basta! Não Me fales mais nisto”, foi o suficiente (Dt 3:26). Alguns têm a noção de que Deus responde como um ser humano e poderia ter mudado de ideia se Moisés tivesse continuado suplicando. Mas Deus não muda. Não devemos ousar representar a Deus à nossa própria imagem. Em nossos julgamentos complacentes, a ficha de serviços prestados por Moisés poderia cobrir seu erro. Deus não pensa assim.

E Moisés sabia disso. Escolheu não se queixar. Embora ele desejasse muito estar na Terra Prometida, Deus não poderia permitir que ele passasse o Jordão. O Senhor tinha perdoado seu pecado em Meribá, mas Moisés sabia quanto mal faria ao povo se ele recebesse tratamento diferenciado. A justiça imparcial de Deus é tão forte quanto Sua misericórdia. Por isso Moisés não se queixou. Em suas últimas palavras, está incluído o texto bíblico de hoje. Moisés compreendeu a posição divina de justiça. Mas o Senhor foi além das expectativas de Seu servo e o ressuscitou, tornando-o o primeiro ser humano a passar por essa experiência!

Jan S. Doward, 27/2/1985

Missão e Oração Atos 3

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Atos dos Apóstolos 3

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Talvez a maior ação dos envolvidos na missão seja a oração. A Igreja Cristã nasceu num berço de oração, foi nutrida com oração e fez a Palavra de Deus progredir usando a oração como alavanca.

Leia esta citação de Ellen G. White, antes, porém, mergulhe fundo na mensagem que Lucas escreveu em Atos 3.

“Caso houvesse mais orações nos concílios dos que arcam com as responsabilidades, mais humilhação do coração a Deus, veríamos demonstrações evidentes da liderança divina, e nossa obra efetuaria progressos rápidos”.

Isso aconteceu no passado, na igreja primitiva, e há muitos que desejam ver tal evidência no presente. Conquanto, é imprescindível separar um tempo especial para meditar no capítulo em questão.

Após os discípulos orarem (Atos 1) e serem tomados pelo Espírito Santo no Pentecostes, milhares de pessoas se converteram (Atos 2) e milagres acontecerem (Atos 3:1-10); a Palavra de Deus era exposta perante as massas com poder e ousadia (Atos 3:11-26).

Alguns pontos merecem total atenção:

1. Milagres não são frutos de poder inerentemente humano nem da piedade de pessoas altamente religiosas, é fruto da graça e poder de Deus através daqueles que se consagram a Seu serviço (vs. 1-13).

2. Milagres são iscas, ou melhor, são meios para alcançar um fim, não um fim em si mesmo. Pedro e João aproveitam o interesse da multidão pelo milagre para cumprir a missão. A missão não é fazer milagres, é evangelizar as pessoas proclamando o Salvador (vs. 10-18).

3. Milagres físicos são trampolins para maiores milagres, os espirituais – arrependimento, conversão e transformação de vida caracterizam o maior dos milagres operado pelo Espírito Santo. Enfatizar o primeiro em detrimento do segundo é desequilíbrio teológico (vs. 19-26).

Nesse texto, “Pedro fez uso da Palavra. ‘Israelitas’, disse, para chamar sua atenção e começar o discurso. Um discurso muito breve, de conteúdo cristocêntrico e vivencial. Dirigiu-se ao povo em tom de conversação, direto, informal. Um modelo de discurso breve, eloquente e baseado na Escritura… Em uma frase, o tema de Pedro foi: Jesus, o Filho de Deus, morreu para salvar os pecadores” (Mario Veloso).

Reavivemo-nos: Se exaltássemos a Bíblia mais do que milagres, rituais, músicas e ações sociais… acredito que nossas igrejas passariam por experiências não vivenciadas nos últimos anos. Você não acha? – Heber Toth Armí

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

quarta-feira, 28 de julho de 2021

Era da Velocidade

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

28 de Julho, Quarta

Era da Velocidade

Espera pelo Senhor, tem bom ânimo, e fortifique-se o teu coração; espera, pois, pelo Senhor. Salmo 27:14

Vivemos na era da velocidade. Corremos daqui para ali em nossos velozes automóveis. Tomamos um avião e voamos à velocidade do som. Os astronautas circundam a Terra seis vezes mais depressa do que ela gira em torno do próprio eixo. Acreditamos que o tempo não espera por ninguém.

Nos negócios, as pessoas correm para chegar na frente umas das outras. Na imprensa, os jornalistas correm para não chegar tarde com suas novidades, como correm os comerciantes para não perder a freguesia. Parece que todos correm para algum lugar, exceto para Deus. E o corre-corre tenso de cada dia provoca úlceras, hipertensão, ataques cardíacos, acidentes, etc. Só depois de sermos vítimas de algo assim percebemos que o corre-corre nos roubou as bênçãos de Deus. Muitos de nós têm tomado pouco tempo para conhecer o Senhor.

Se tão somente tivéssemos tido mais paciência! Se apenas tivéssemos estudado um pouco mais a Palavra de Deus, tivéssemos falado com Ele um pouco cada dia para ouvirmos Sua voz, como teríamos sido mais felizes! Não é de admirar que problemas ocorram conosco, que duvidemos de Deus tantas vezes, que frequentemente cedemos à tentação! A resposta é simples: temos deixado de esperar no Senhor.

Seria muito bom se orássemos como Davi: “Guia-me na Tua verdade e ensina-me, pois Tu és o Deus da minha salvação, em quem eu espero todo o dia” (Sl 25:5). Devemos ser pacientes, aprender a passar mais tempo com Deus e deixar de ser apressados. Nossa religião deve ter prioridade sobre tudo o mais. O objetivo do inimigo é que façamos tudo correndo, principalmente o estudo da Bíblia e o culto. Ele sabe que uma adoração apressada e descuidada não pode agradar a Deus.

Sejamos calmos e esperemos no Senhor. “Por isso, o Senhor espera, para ter misericórdia de vós” (Is 30:18).

William L. Barclay, 11/11/1973

Igrejas Sadias -Atos 2

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Atos dos Apóstolos 2

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Igrejas saudáveis, vivas, ativas e regidas pelo Espírito Santo crescem diariamente assim como uma floresta. Por outro lado, igrejas doentes, frias, indiferentes e inativas, morrem diariamente.

A igreja que não evangeliza, fossiliza. Membros que não são proativos, são inativos. A igreja viva depende do poder vital outorgado pelo Espírito Santo.

A igreja sadia, poderosa e avivada impacta a sociedade, assim seu crescimento é notável. Crescimento é…

• …Geográfico: De onde estava, a igreja deveria alcançar os confins da Terra, como de fato aconteceu não muito tempo depois (Colossenses 1).

• …Numérico: Iniciou com 120 membros, após o primeiro sermão evangelístico, alcançou quase 3.000. Logo, passou a quase 5.000. Assim que crescia a Palavra de Deus, multiplicava-se o número de discípulos (Atos 6:7). E assim sucessivamente!

• …Espiritual: A igreja que cresce em quantidade sem qualidade não é melhor que um movimentado circo que oferece prazeres ilusórios e ainda tira dinheiro do povo. O crescimento da igreja deve passar pela comunhão com Deus, obediência fiel à Palavra, vida consagrada à oração, e no fervor da adoração e serviço (vs. 41-42).

• …Sobrenatural: Crescimento natural não é adesão de membros, mas conversão de pecadores. Para isso, não é a persuasão e eloquência humana que convence as pessoas a se tornarem crentes, mas Deus operando por meio de Seus representantes cheios do Espírito Santo que acrescenta os convertidos ao corpo de Cristo – a Igreja (v. 47).

A Palavra de Deus deve ser a base de todo sermão (Pedro citou profusamente o Antigo Testamento – vs. 14-36). Os discípulos aguardaram a promessa do Espírito Santo conforme a Palavra de Deus (Lucas 24:49), quando se consagraram por dez dias sob a orientação da Palavra de Cristo (Atos 1:4; 2:1-13).

Pedro citou o Antigo Testamento em seu sermão, não porque não tinha opção do Novo Testamento em seu tempo, mas porque a Palavra de Deus não tem prazo de validade (Isaías 40:7-8; I Pedro 1:25).

Outra coisa: Observe atentamente que, neste texto, a fé que recebe a Cristo precisa ser acompanhada pelo arrependimento que rejeita o pecado. Somente uma igreja que preza pela verdadeira conversão abalará o mundo com sua poderosa pregação (Atos 2:42-47; 5:14-15, 41-42; 8:4-6; 9:31; 16:5; 17:6; etc.).

Reflita: Nossa igreja hoje é o que Deus quer que ela seja? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

terça-feira, 27 de julho de 2021

O Lar Cristão

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 

Terça-feira, 27 de julho

O LAR CRISTÃO

A morada dos justos Ele abençoa. Provérbios 3:33

Como adventistas, gostamos de lembrar que há duas instituições que vieram até nós do Éden: o sábado e o lar. Ambas foram estabelecidas por Deus e, desde que foram introduzidas, Satanás tem procurado destruí-las ou anular a influência delas.

Ele tem usado uma grande quantidade de métodos para fazer isso. A poligamia foi um dos seus primeiros artifícios. Com isso, ao longo dos séculos, o inimigo tem rebaixado e degradado a mulher em muitas civilizações. Assim, a mais importante responsável por modelar o lar tem sido na verdade impedida de fazer sua obra de exaltar as normas que Deus tem para cada família.

No 1° século da nossa era, Deus produziu um novo estímulo para o lar. De uma localidade despretensiosa situada num ignorado recanto do Império Romano veio uma influência que tem afetado a maioria dos lares do mundo e tem transformado milhões de outros.

Quando Edward Gibbon escreveu sua obra monumental, Declínio e Queda do Império Romano, salientou cinco causas que levaram o cristianismo a sobreviver aos césares. Uma das principais razões foi a simplicidade, pureza e beleza da vida familiar cristã. Essas características tiveram origem na manjedoura em Belém e no lar de Jesus em Nazaré.

Satanás jamais relaxou em seus esforços para destruir o lar. Atualmente ele tem inventado métodos modernos para conseguir seu objetivo. Talvez a inovação mais eficaz que encontrou seja convencer praticamente todo mundo de que as normas de ontem não podem ser as mesmas de hoje, pois são obsoletas. Assim, de um só golpe, ele removeu os fundamentos do lar.

Mas a família que fizer a vontade de Deus estará a salvo. As bênçãos do Céu estarão sobre ela, e Satanás não poderá destruí-la.

“A morada dos justos Ele abençoa”, diz nosso texto. “Aqueles a quem o Senhor abençoa possuirão a terra” (Sl 37:22). Assim é que se cumprirá o desejo do Pai de que a Terra se encha com lares edificados segundo o grande padrão do Céu.

Thomas A. Davis, 4/3/1967

Uma Missão- Atos 1

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 


Leitura Bíblica - Atos dos Apóstolos 1

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Ore, depois abra tua Bíblia em Atos e escancare teu coração para a revelação que está diante de ti.

J. Sindlow Baxter exclamou: “Vinte e oito capítulos emocionantes apresentam-se a nós. Podemos ler qualquer deles várias vezes, descobrindo sua fascinação crescente a cada leitura. Pena alguma jamais escreveu um registro mais irresistível. Se esses acontecimentos memoráveis não provocarem a imaginação e nem despertarem as emoções de qualquer leitor realmente interessado, nenhum outro o fará. Todavia, até mesmo o simples interesse pelo livro fica eclipsado pela sua importância como revelação e história. Ele é a sequência dos poderosos eventos dos evangelhos e a introdução para as doutrinas das epístolas; marcando, de fato, um dos mais elevados pontos críticos da história, como em breve teremos oportunidade de ver”.

Dois pontos sobressaem de Atos 1:

• Depois de ressuscitar, Jesus passou 40 dias orientando e reorientando Seus discípulos, depois subiu ao Céu. Como eles, podemos estar focados em datas e eventos proféticos, quando, na verdade, deveríamos focar na pregação do evangelho, antes que Jesus retorne (vs. 1-11).

• Obedecer, unir-se, organizar-se e consagrar-se é essencial para receber o poder do Espírito Santo. Só depois deveríamos partir para a ação – missão! (vs. 12-26).

Steven Sheeley argumenta que, “pode-se dizer que o principal propósito de Lucas ao escrever Atos foi teológico. Ao passo que procurou informar, convencer e cativar a atenção, seu objetivo primordial foi que seus leitores aprendessem algo sobre Deus. Lucas destacou a ação do Espírito Santo. A mensagem de Lucas não é simplesmente que o evangelho se espalhou de Jerusalém até os confins da terra; sua mensagem é que Deus foi a causa dessa difusão do evangelho. A cada passo, o leitor é colocado frente a frente com a atuação de Deus no mundo”.

Através do primeiro capítulo de Atos, entendo que Deus quer que…

• …Aprendamos que o cumprimento da missão só acontece mediante intensa consagração.

• …Percebamos que a missão é dEle e, somos apenas Seus instrumentos no mundo.

• …Compreendamos que Sua missão teve início de forma sobrenatural e seu final não será diferente.

• …Sejamos motivamos à busca pelo poder que impactará o mundo com a mensagem vinda do trono de Deus.

Cristo fundou Sua igreja e Deus a conduzirá ao Céu. Sua igreja vencerá!

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

segunda-feira, 26 de julho de 2021

Como Ficar em Segundo Lugar

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

26 de julho, segunda

Como Ficar em Segundo Lugar

Todos os que competem nos jogos se submetem a um treinamento rigoroso, para obter uma coroa que logo perece; mas nós o fazemos para ganhar uma coroa que dura para sempre. 1 Coríntios 9:25, NVI

O título do devocional de hoje seria no mínimo provocação em uma palestra para atletas e jogadores às vésperas de uma final de torneio ou campeonato. Seria ainda mais estranha uma palestra para esse grupo intitulada como “Aprendendo a ter sucesso como perdedores”. O que o segundo lugar nos ensina?

Não se faça de vítima, pensando: “todos querem me prejudicar”, “estão me perseguindo”, “tenho talento, mas ninguém me convida.” Reconheça suas peculiaridades. Nenhum de nós é fotocópia de alguém. Nem mesmo se formos gêmeos. Deus criou cada pessoa com habilidades, técnicas e interesses diversos. Conviva de forma alegre com os diferentes gostos e atrativos.

Chegar em primeiro lugar nem sempre é vencer. Se, no afã de ser o primeiro, você atropelou, pisou e insultou outros; se na obsessão pela nota 10 não teve tempo para seus amigos, você descobrirá tarde que o primeiro lugar trouxe solidão e isolamento. O resultado pode ser levantar o troféu sem ninguém para aplaudir; ninguém com quem comemorar. Nesse caso, o sabor da vitória não traz satisfação completa.

Não use o fracasso como desculpa para desistir. No intervalo de uma convenção de líderes de Desbravadores e Aventureiros, fui visitar o museu de uma grande fábrica de refrigerantes. Logo na entrada, vimos uma contagem crescente, digitalizada velozmente, de quantas latinhas estavam sendo vendidas em todo o mundo. Eram bilhões! Interessante é saber que, no primeiro ano de funcionamento, a empresa vendeu apenas 400 unidades.

Se para você alguma coisa não deu certo, em lugar de procurar uma desculpa, pergunte-se em que pode melhorar na próxima vez.

Aceite-se como uma pessoa de valor. A pesquisa que não serviu, a monografia que não foi aceita, a desclassificação no concurso e qualquer outro aparente fracasso não são padrões para medir seu valor pessoal e fazer com que perca a confiança em si mesmo. Você vai descobrir que “o que ensina mais é a escalada e não chegar ao topo da montanha; é a viagem e não o fim dela”.

José Maria Barbosa Silva, 5/6/2011

Por Que Moisés Nunca Reclamou?

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 29 De Julho, Quinta Por Que Moisés Nunca Reclamou? O Deus eterno é a tua habitação e, por baixo de ti, estende os braços ...