Translate

segunda-feira, 25 de março de 2019

A Fé e as Obras

A Fé Pela Qual Eu Vivo
25 de março 

A Fé e as Obras


Ora, sem fé é impossível agradar-Lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que Ele existe e que é galardoador dos que O buscam. Heb. 11:6.


Fé não é certeza de conhecimento. É a substância das coisas que se esperam, e a evidência das coisas não vistas. Signs of the Times, 3 de março de 1876.


Fé é confiança em Deus – acreditar que Ele nos ama e sabe o que é melhor para nós. Assim, em lugar de nossos próprios caminhos, ela nos leva a preferir os Seus. Em vez de nossa ignorância, aceita Sua sabedoria; em lugar de nossa fraqueza, Sua força; em lugar de nossa pecaminosidade, sua justiça. Nossa vida, nós mesmos, pertence-lhe já; a fé reconhece-lhe o direito de propriedade, e aceita as bênçãos do mesmo. A verdade, a retidão, a pureza, são indicadas como segredos do sucesso da vida. É a fé que nos leva à posse delas. Todo bom impulso ou aspiração é dom de Deus; a fé recebe dEle a vida que, unicamente, pode produzir o verdadeiro crescimento e eficiência. Obreiros Evangélicos, pág. 259.


Quando falamos em fé, devemos ter presente uma distinção. Existe uma espécie de crença que é inteiramente diversa da fé. A existência e poder de Deus, a veracidade de Sua palavra, são fatos que mesmo Satanás e seus exércitos não podem sinceramente negar. Diz a Bíblia que “também os demônios o crêem e estremecem” (Tia. 2:19); mas isto não é fé. Onde existe não só a crença na Palavra de Deus, mas também uma submissão à Sua vontade; onde o coração se Lhe acha rendido e as afeições nele concentradas, aí existe fé – a fé que opera por amor e purifica a alma. Por esta fé o coração é renovado à imagem de Deus. E o coração que em seu estado irregenerado não era sujeito à lei de Deus, agora se deleita em Seus santos preceitos, exclamando com o salmista: “Oh! quanto amo a Tua lei! É a minha meditação em todo o dia!” Sal. 119:97. E cumpre-se a justiça da lei em nós, os que não andamos “segundo a carne, mas segundo o espírito”. Rom. 8:1. Caminho a Cristo, pág. 63.


A fé não procede de nós, é um dom de Deus que podemos receber e manter fazendo de Cristo nosso Salvador pessoal. SDA Bible Commentary, vol. 6, pág. 1.080.


Meditação Matinal de Ellen White – A Fé Pela Qual Eu Vivo, 1959 – Pág.90

Escolher amar a Deus– Deuteronômio 11

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica – Deuteronômio 11
Comentários
: Pr. Heber Toth Armí

Escolher amar a Deus

Não podemos gostar da superficialidade espiritual nem da hipocrisia religiosa. Devemos trocar qualquer coisa pela comunhão real e íntima com Deus. Isso é questão de decisão.

Conheça mais sobre DECISÃO...

1. Todo pai que teve grandes privilégios concedidos por Deus deve decidir revelar verdadeiro e grande amor a Deus guardando todos os Seus preceitos e obedecendo a todos os Seus requerimentos. Deus disciplina aos pais para que eles ensinem corretamente aos filhos (vs. 1-7).

2. Obediência a Deus não deve ser uma prática cega, um salto no escuro, uma vida sem lógica. Deus mesmo apresenta razões para a obediência, as quais são todas positivas: benefícios pessoais, familiares, materiais, espirituais, sociais, emocionais, etc. Sim, tudo isso resulta da verdadeira obediência motivada pelo amor fluindo do coração (vs. 8-25). Escolha ser obediente!

3. Desobediência ou obediência não tem nada a ver com predestinação. Qualquer pessoa, em qualquer lugar, época ou situação, pode escolher uma das opções sabendo que obediência resulta em bênçãos e, desobediência resulta em maldição. Você, agora mesmo, pode decidir por bênçãos ou por maldições em tua vida, família, trabalho, finanças, sociedade, etc. (vs. 26-32).

Reflita mais sobre DECISÃO...

• O rebelde/incrédulo/ateu não quer saber de Deus. Todavia, nem todo o que obedece ama; mas, todo o que ama a Deus, certamente obedece a Seus mandamentos. Infelizmente, muitos “obedientes” sem amor atrapalham a expressão da verdadeira religião.

• Obediência que não seja de coração não agrada a Deus. Fazer as coisas a Deus por obrigação, sem verdadeiro amor no coração, não passa de um(a) artista imitando alguém que serve a Deus.

• Escolher amar a Deus é uma decisão pessoal. Quem decide amar a Deus como se deve amá-Lo vive uma vida incomparável. A diferença é gritante, quanto são contrastantes as bênçãos e as maldições.

• Sem Deus vive-se sem esperança, sem opção; vive-se na escravidão, sem liberdade. Deus é Quem nos oferece a possibilidade e nos dá capacidade de escolher; depois, respeita essa capacidade deixando-nos escolher e colher os resultados de cada opção (v. 26-28).

Deus não impõe nada a ninguém: “Se diligentemente obedecerdes a meus mandamentos...”.

Atenção: A quais mandamentos? “... de amar o Senhor vosso Deus, e de O servir de todo coração e de toda vossa alma...” (v. 13).

Qual tua decisão? –Heber Toth Armí

@palavraeficaz
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

domingo, 24 de março de 2019

Abundante Graça Para a Obediência

A Fé Pela Qual Eu Vivo
24 de março

Abundante Graça Para a Obediência

Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Rom. 6:14.

É engano de Satanás que a morte de Cristo trouxe a graça para tomar o lugar da lei. A morte de Jesus não mudou, não anulou, ou diminuiu no menor ponto a lei dos Dez Mandamentos. A preciosa graça oferecida aos homens mediante o sangue do Salvador, estabelece a lei de Deus. Desde a queda do homem, o governo moral de Deus e Sua graça são inseparáveis. Andam de mãos dadas em todas as dispensações. “A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.” Sal. 85:10. Review and Herald, 8 de março de 1881.

Cada lei divina é uma determinação de misericórdia, amor e poder salvador. Seus preceitos obedecidos, são nossa vida, salvação, felicidade e paz. SDA Bible Commentary, vol. 3, pág. 1.153.

Obediência aos Seus estatutos e leis constitui a vida e a prosperidade de Seu povo. SDA Bible Commentary, vol. 1, pág. 1.120.

A influência da esperança evangélica não levará o pecador a considerar a salvação de Cristo como uma questão de livre graça, enquanto continuar vivendo em transgressão à lei de Deus. … Ela mudará seus caminhos, tornar-se-á leal a Deus mediante a força obtida de seu Salvador, e o levará a uma vida nova e mais pura. Testimonies, vol. 4, págs. 294 e 295.

Como foi completo o sacrifício feito em nosso favor, assim deve ser a nossa restauração do aviltamento do pecado. Nenhum ato de impiedade será desculpado pela lei de Deus; injustiça alguma lhe pode escapar à condenação. A ética evangélica não reconhece nenhuma norma senão a perfeição do caráter divino. A vida de Cristo foi um perfeito cumprimento de todo preceito da lei. Ele disse: “Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai.” João 15:10. Sua vida é nosso exemplo de obediência e serviço. Somente Deus pode renovar o coração. “Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade.” Filip. 2:13. Mas é-nos ordenado: “Operai a vossa salvação.” Filip. 2:12. A Ciência do Bom Viver, págs. 451 e 452.

Para o obediente filho de Deus, os mandamentos constituem um deleite. SDA Bible Commentary, vol. 3, pág. 1.152.


Meditação Matinal de Ellen White – A Fé Pela Qual Eu Vivo, 1959 – Pág. 89 –

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis