quarta-feira, 21 de abril de 2021

Heróis modernos

  MEDITAÇÃO DIÁRIA

Quarta-feira, 21 de abril

Heróis modernos

Melhor é o longânimo do que o herói de guerra, e o que domina o seu espírito, do que o que toma uma cidade. Provérbios 16:32

Ele venceu o próprio eu, o mais forte inimigo que o homem tem a enfrentar. A mais alta prova de nobreza num cristão é o domínio próprio. Aquele que é capaz de ficar imóvel em meio a uma tempestade de injúrias é um dos heróis de Deus. […]

O que aprendeu a dominar o espírito se erguerá acima das zombarias, das repulsas e incômodos a que estamos diariamente expostos, e estas coisas deixarão de lançar sombra sobre o seu espírito.

É desígnio de Deus que o real poder de uma razão santificada, dirigida pela graça divina, domine na vida dos seres humanos. O que domina o seu espírito está de posse de tal poder (Mensagens aos Jovens, p. 134).

“A pessoa que preserva o equilíbrio da mente, ao ser tentada a ceder ao descontrole, está diante de Deus e dos anjos celestiais numa posição mais elevada que o mais renomado general que já conduziu um exército à batalha e à vitória” (Orientação da Criança, p. 64).

O que os jovens […] precisam é de heroísmo cristão. A Palavra de Deus declara que aquele que governa o seu espírito é melhor do que o que  toma uma cidade. Governar o espírito significa manter-se a si mesmo sob disciplina. […] Precisam procurar fervorosamente, para sua vida, a perfeição que se observa na vida do Salvador, de maneira que, quando Cristo vier, eles estejam preparados para entrar pelos portões na cidade de Deus. O abundante amor de Deus e Sua constante presença no coração darão o poder do domínio próprio e moldarão e aperfeiçoarão a vida e o caráter. A graça de Cristo guiará os objetivos e propósitos, bem como as capacidades, pelos meios que darão poder espiritual e moral, poder que a juventude não terá de deixar neste mundo, mas poderá levar consigo para a vida futura, conservando-o ao longo dos séculos eternos (The Youth’s Instructor, 12 de novembro de 1907).

Ellen G. White, 7/3/1953 e 1989

Aprendendo com Zacarias- Zacarias 11

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Zacarias 11

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Você sabia que muitos líderes religiosos de muitas denominações proíbem os membros de sua igreja de conhecerem verdadeiramente a Bíblia?

Sabe por quê? Quem estuda a Bíblia descobre a verdade e abandona as religiões falsas e líderes enganadores. Em contrapartida, Deus quer que você conheça bem Sua Palavra.

Deus chama a atenção do pastor com uma mensagem de exortação. Ser pastor é um grande privilégio, contudo a responsabilidade é grande também. Muitos possuem uma visão deturpada do pastorear devido aos falsos pastores que mais exploram do que pastoreiam a congregação.

• Estes terão de prestar contas a Deus.

O pastor fiel a Deus não se preocupa com aquilo que os outros pensam, mas com aquilo que Deus quer. Deus quer encorajar, cuidar, guiar, orientar, examinar, corrigir, amparar, proteger, prover, disciplinar, consolar e amar as ovelhas do rebanho do Senhor atrevés de Seus pastores.

• Estes são Seus representantes, guiados pelo Espírito.

Sabe qual é o problema disso tudo? (vs. 1-17)

1. Da mesma forma que Israel rejeitou o bom pastor como profetizado por Zacarias, muitos religiosos rejeitam aos verdadeiros pastores enviados por Deus.

2. As pessoas que se dizem religiosas rejeitam a Jesus ao rejeitarem aos pastores enviados por Ele.

3. Assim como Judas vendeu Jesus por trinta moedas de pratas – preço de um escravo –, tem muitos que não dão a mínima para os servos de Cristo que cumprem cabalmente Seu ministério.

O resultado? O Deus que quebrou os três falsos pastores revelará o verdadeiro caráter dos falsos religiosos que rejeitam aos verdadeiros pastores.

Zacarias deixou-nos uma poderosa mensagem: Todos nós como servos do Bom Pastor Jesus devemos representar bem Seu caráter ao mundo.

• Devemos aprender com Zacarias!

Zacarias “tornou-se um tipo do Messias, o qual foi maltratado e rejeitado por aqueles a quem veio salvar. A ação de Zacarias simbolizava a tentativa final de Deus para restaurar Seu povo desobediente” (Philip G. Samaan).

Deus sente tristeza quando alguém rejeita um pastor que Ele enviou da mesma forma como fosse a rejeição de Seu próprio Filho. Certamente que aquele que rejeita mensageiros de Deus revelará atitude repulsiva de rejeição ao Salvador.

O contrário também é verdade. Aceitar os mensageiros de Deus é um preparo para aceitar o Messias de Deus! Reflita e reaviva-te! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

terça-feira, 20 de abril de 2021

Final Feliz - Zacarias 10

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Zacarias 10

Comentário Pr Heber Toth Armí 

Deus promete um final mais feliz que os finais de novelas, filmes e histórias infantis. Então, o maravilhoso final feliz terá, obviamente, aquele que, no presente, priorizar em sua vida ao Deus que desvenda o futuro.

Estudar a Bíblia e assimilar suas verdades à vida rendem indescritíveis vantagens; então, mãos à Bíblia. Analise estes pontos:

1. Por acreditar num futuro melhor – que, na verdade será um novo começo – quem assimila as promessas divinas, aceita o apelo profético de clamar pelo profuso derramamento da chuva serôdia (v. 1).

2. Atualmente, a realidade é decadente; muita gente está iludida, aceitando qualquer pessoa como guia, governo e até falsos líderes religiosos, que deixam seus liderados vagueando como ovelhas aflitas. Entretanto, estes líderes experimentarão o ardor da ira de Deus quando manifestar Seu poder (vs. 2-3).

3. Em face à realidade, as pessoas perdidas, maltratadas, fracas e sem pastor genuíno, Deus as tornará fortes e invencíveis em tempos de chuva serôdia; Jesus é a solução (vs. 4-5). Ele é…

• …a Pedra Angular (Príncipe da tibo de Judá);

• …a Estaca da Tenda (Mantenedor, Protetor);

• …o Arco da Guerra (Guerreiro, Defesa) do Seu povo;

• …maior de todos os exatores (Supremo);

• …o responsável pela restauração total.

4. Quando Deus age ninguém atrapalha: É disso que trata a chuva serôdia, um divino e sobrenatural poder restaurador. Deus mesmo age. Ele diz: “Eu fortalecerei”, “e salvarei”; “replantarei, porque me compadeci”; “lhes assobiarei, e os ajuntarei. Certamente os remirei”. “Eu os farei voltar”, “e os congregarei”. “Eu os trarei”. “Eu os fortalecerei” (vs. 6-12).

No processo de salvação Deus faz tudo; nossa parte é humildemente render-se a Ele integralmente. O perdão de Deus é tão completo que, ao perdoar-nos, considera-nos como sem pecado. Só não se salvará quem decididamente não quiser, porque Deus quer (v. 6).

Foi visando salvação que Deus deu Jesus para morrer por pecadores condenados. Ele tudo fez objetivando restaurar-nos do pecado e suas consequências.

O próprio Deus garantiu: “Mas meu povo, ah! Vou torná-lo forte, muito forte! E eles viverão nos meus caminhos” (v. 12). Que futuro fantástico!

Portanto, encharque-se com a chuva serôdia e saia imediatamente da letargia religiosa. Viva na expectativa real de um futuro excepcional! (ver I Coríntios 2:9).

Temos razões bíblicas suficientes para reavivar-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

segunda-feira, 19 de abril de 2021

Fé insuficiente

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Terça-feira, 20 de abril

Fé insuficiente

Os que confiam no Senhor são como o monte Sião, que não se abala, firme para sempre. Salmo 125:1

O rei Jeoás, de Israel, foi um grande admirador de Eliseu, mas no coração permaneceu idólatra. Respeitava Eliseu e, ao visitá-lo por conta de uma doença mortal, chorou com o pensamento de que perderia o profeta. Embora estivesse longe de ser um homem justo, Jeoás reconhecia em Eliseu um verdadeiro pai em Israel, mais valioso em uma crise do que todos os cavalos e carros existentes no país.

Jeoás foi o tipo de pessoa que jamais se entregou a Deus, mas que era estranhamente atraído por alguém que levava a sério a religião bíblica. Em Sua providência, Deus levou Jeoás a visitar o profeta moribundo para que pudesse ter uma chance de arrependimento.

Os inimigos sírios estavam novamente agitando a espada. Se Jeoás confiasse em Deus seria vitorioso. “Toma um arco e flechas”, ordenou-lhe Eliseu. “Abre a janela para o oriente” (2Rs 13:15, 17). Apoiando-se na cama, Eliseu pôs suas mãos sobre as do rei. “Atira!”, ordenou Eliseu. A flecha atravessou rapidamente a janela, e Eliseu exclamou: “Flecha da vitória do Senhor.” “Toma as flechas [e] atira contra a terra”, continuou Eliseu. Deveria ser outro ato simbólico. Se o rei fosse agressivo e perseverasse, teria vitória plena.

Foi deixado que ele decidisse quantas vezes ferir a terra. Jeoás apanhou as flechas e escolheu ferir a terra apenas três vezes. Foi tímido em obedecer à ordem divina. Isso perturbou muito Eliseu, e ele disse ao jovem rei que, por conta disso, haveria somente três vitórias. Se tivesse ferido cinco ou seis vezes, as conquistas seriam muitas.

Frequentemente, à semelhança de Jeoás, deixamos de alcançar vitórias sobre o assalto violento da tentação do inimigo porque estamos indispostos a estender nossa fé ao limite.

Jan S. Doward, 16/6/1985

O caçador de leões

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Segunda-feira, 19 de abril

O caçador de leões

Benaia [...] realizou grandes feitos. Matou dois dos melhores guerreiros de Moabe e, num dia de neve, desceu num buraco e matou um leão. 2 Samuel 23:20, NVI

Num capítulo que registra os feitos dos heróis do rei Davi aparece uma façanha inconcebível. O soldado Benaia enfrentou um leão numa cova num dia de neve. A Bíblia não descreve os detalhes do duelo. Porém, imagino Benaia chegando à caverna. Tempo gelado, flocos de neve caindo, ele procura um abrigo. Mas descobre que o abrigo já tem dono. Olhos amarelados, o leão olha para ele, que olha para a fera. O animal está faminto. Sua boca saliva.

O cérebro do jovem envia a mensagem: lutar ou fugir. Se fosse você, o que faria? Talvez fugisse, pois é isso que as pessoas normais fazem quando se veem cara a cara com um leão. Contudo, Benaia não era normal.

Refazendo a cena, agora imaginemos Benaia e o leão se aproximando um do outro. A neve cai vagarosamente. Seus olhares se cruzam. O leão solta um rugido que ecoa pelo vale. Seguindo seu instinto, retesa os músculos, e logo o guerreiro percebe uma massa de 200 quilos voando em sua direção. Ele se desvia, mas sente as garras descendo pelo seu peitoral. O sangue tinge de vermelho a neve. O guerreiro saca sua espada e atinge a costela do oponente. O leão foge. Benaia o persegue. Na sequência, o bicho salta sobre uma área de neve macia e cai na cova. Benaia se afasta, mas não para fugir. Ele toma impulso e pula para dentro da caverna. O leão, acuado, avança contra o intruso. Os dois lutam corpo a corpo. Por fim, o leão termina estendido no chão. O soldado sai com uma história para contar aos filhos no futuro.

Logo Benaia fica sabendo que Davi está querendo contratar um chefe para sua guarda pessoal. O rei começa as entrevistas. Olha um currículo, outro, mais um… Não se empolga. De repente, ao entrevistar um jovem musculoso, pergunta: “O que você acha que o qualifica para a função?” O jovem diz: “Bem, matei um leão numa caverna num dia de neve…” Os olhos do rei brilham. Ele relembra dos tempos em que ele mesmo matara um leão, o que o qualificara para destruir um gigante. Benaia é contratado para o palácio.

Mark Batterson, que escreveu um belo livro a partir da história de Benaia, diz: “Deus está no negócio de elaborar currículos. Ele está sempre usando experiências passadas para nos preparar para as oportunidades futuras. Mas as oportunidades concedidas por Deus, com frequência, vêm disfarçadas em leões devoradores de seres humanos. E a forma como reagimos ao encontrar esses leões determina nosso destino.”

Se você estiver numa cova com um leão em um dia de neve, mate o leão. Depois, mande o currículo para o rei. Seu lugar é no palácio!

Marcos De Benedicto, 9/6/2016

Rei da Paz - Zacarias 9

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Zacarias 9

Comentário Pr Heber Toth Armí 

 Experimentam alegria indescritível àqueles que creem na profecia bíblica. Segurança existe na alma daqueles que colocam em Deus Sua confiança. Certeza tem aquele que contempla a beleza profética.

Medite nestes pontos:

• A aplicação primária desta revelação é advertência explícita aos opositores e opressores do antigo Israel: Serão derrotados pelo soberano dono de toda a Terra (vs. 1-8). Os remidos serão protegidos quando os ímpios forem destruídos. Flávio Josefo informou que, ao Alexandre, o Grande, destruir os povos e cidades em volta de Israel, o Templo e a cidade de Jerusalém foram preservados. Contudo, tal profecia terá pleno cumprimento no segundo e no terceiro adventos de Cristo no mundo.

• A vitória divina é garantida trazendo felicidade aos que dependeram de Cristo com sinceridade (vs. 9-10). Montando um jumentinho, mansamente, mas triunfante, o Messias singelamente vencerá a maldade trazendo liberdade aos escravos do pecado. “Paz resultará do governo [do Messias, (v. 10)], pois Ele terá como objetivo ‘o estabelecimento da ordem moral e da justiça social’ no poder do Espírito Santo” (Paul R. House).

• Os que rejeitarem ao Rei da Paz experimentarão as consequências de seus pecados acariciados no segundo e terceiro adventos de Cristo: Os convertidos serão protegidos (vs. 10-17). Nesse evento universal Jesus acabará com a guerra e trará paz. Seu reino de glória será estabelecido. Seu povo triunfará. O remanescente fiel é o povo que será recompensado.

Após a entrada triunfal de Cristo sobre um jumentinho em Jerusalém, Ele afirmou aos líderes religiosos que não O reconheceram no cumprimento das profecias: “Da próxima vez que me virem vocês irão dizer: ‘Oh! Ele é um bendito do Senhor e está vindo para instituir o governo de Deus” (Mateus 23:39, AM).

A profecia é positiva, enche o coração dos ouvintes de alegria e esperança:

“Grite e aplauda, Filha de Sião! Faça um estardalhaço, Filha de Jerusalém! O Seu rei está a caminho: um rei bom que faz tudo de forma correta, um rei humilde montado num jumentinho, cria de um animal de carga […]. Ele vai oferecer paz às nações, um governo pacífico em toda a terra, dos quatro ventos aos sete mares”.

Quando o Grande Conflito terminar, só existirá paz e felicidade! A vida tem sentido e objetivo nobres para os convertidos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

domingo, 18 de abril de 2021

O ato estranho de Deus

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 18 de abril

O ato estranho de Deus

Para realizar a Sua obra, a Sua obra estranha, e para executar o Seu ato, o Seu ato inaudito. Isaías 28:21

O livro Bitter Harvest [Amarga Colheita] fala de um empregado de uma firma de grãos em Michigan que, inadvertidamente, pegou um veneno mortal e, achando que fosse um complemento vitamínico, misturou-o com os grãos. Os grãos envenenados contaminaram o gado, as galinhas e os porcos de muitas fazendas. Os fazendeiros não tiveram escolha a não ser isolar os animais contaminados, sacrificá-los e queimar os corpos para evitar que a contaminação se espalhasse. Eles sabiam que, se não sacrificassem os animais, toda a indústria de gado de Michigan estaria ameaçada.

Deus “não [quer] que nenhum pereça” (2Pe 3:9). É Sua vontade que “todos os homens sejam salvos e cheguem ao pleno conhecimento da verdade” (1Tm 2:4). Mas há pessoas a quem nem mesmo Deus pode salvar. Elas escolheram o pecado em vez da justiça, a rebelião em vez da obediência, o egoísmo em vez do amoroso serviço. Se Deus Se arriscasse a levá-las para o Céu, elas infectariam o ambiente santo de novo com o vírus do pecado. Se Deus não agisse para erradicar o pecado, seus efeitos malignos acabariam por destruir o Universo inteiro.

Deus oferece perdão por nossos pecados passados e poder para vivermos a vida cristã no presente. Sua graça concede perdão quando falhamos e força para que não venhamos a repetir as mesmas falhas outras vezes.

Em última análise, Deus tem que agir. Ele tem que livrar o Universo do pecado. “Nosso Deus é fogo consumidor” (Hb 12:29). Um Deus santo tem que consumir o pecado. Pecado e pecadores serão consumidos e transformados em cinzas (Ml 4:1-3; 2Ts 2:8; Sl 37:20).

Hoje, Deus nos oferece uma escolha: ou deixamos que Ele consuma o pecado dentro de nós com a abrasadora presença de Seu Santo Espírito, ou seremos consumidos com nosso pecado na abrasadora presença de Sua iminente volta. Um Deus amoroso chora ao ver pecadores sendo destruídos.

A destruição do perverso é um ato incomum e estranho, mas inevitável, pois ocorrerá para que o Universo fique seguro para sempre. Você permitirá que Jesus faça Sua obra purificadora em seu coração hoje? Permitirá que o fogo da Sua presença purifique-o interiormente?

Mark A. Finley, 11/7/2006

Heróis modernos

   MEDITAÇÃO DIÁRIA Quarta-feira, 21 de abril Heróis modernos Melhor é o longânimo do que o herói de guerra, e o que domina o seu espírito, ...