sexta-feira, 18 de setembro de 2020

No Caminho da Fé

MEDITAÇÃO DIÁRIA

18 de setembro
No Caminho da Fé

Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: “O justo viverá pela fé”. Romanos 1:17

Certa ocasião, um homem perguntou a uma senhora, membro da igreja: “Como Deus julgará uma pessoa que quer ter fé, mas não consegue?” Ele havia nascido e crescido em um lar cristão; porém, na adolescência, começou a perder o pouco entusiasmo que tinha pelos assuntos espirituais. Enveredou-se pelos descaminhos da vida em busca de prazer e preenchimento do vazio da alma. Com inclinação racionalista, acostumou-se a considerar as coisas na base de “ver para crer”.

Casou-se, e a vida com a esposa e os filhos ofereceu-lhe a oportunidade para lembrar os ensinamentos recebidos na infância e refletir sobre eles. Contudo, dizia não conseguir ter fé. Sob orientação daquela senhora cristã, foi animado a buscar a fé como um dom de Deus. Estou seguro de que o Senhor o atendeu. Com o passar do tempo, o interesse espiritual voltou a florescer naquele coração, até que uma grave enfermidade o acometeu. Felizmente, quatro dias antes de ele morrer, tive a chance de entrar no cenário dessa história para ouvi-lo confessar, no leito e com voz debilitada, sua aceitação de Cristo como Salvador.

É preciso ter fé. “De fato, sem fé é impossível agradar a Deus” (Hb 11:6). O justo vive “pela fé”, diz nosso verso de hoje. Somos salvos “mediante a fé”, como um “dom de Deus” (Ef 2:8), escreveu Paulo. De acordo com o apóstolo, a única maneira pela qual o cristão que foi salvo “mediante a fé” pode viver a justiça do evangelho é também pela mesma fé, “do princípio ao fim”; “de fé em fé”, passo a passo, conforme outra tradução. Isso implica entrega completa e constante de si mesmo aos cuidados do Senhor. Pela fé, encontraremos Nele motivação e sabedoria para tomar decisões relacionadas com a eternidade. Pela fé, receberemos Dele o poder necessário para lutar contra as forças do mal e vencê-las.

Entretanto, relacionando fé a explosões emotivas, alguns cristãos chegam a duvidar da autenticidade da própria experiência com a salvação. É claro que essa não é uma experiência fria e árida. Há lugar para emoções, mas a fé não depende delas. “É nesse ponto que milhares fracassam”, escreveu Ellen White. “Não põem à prova o que Deus diz. […] A vida em Cristo é uma vida de descanso. Pode não haver êxtase de sentimentos, mas deve existir uma confiança constante e tranquila. Sua esperança não está em si mesmo, mas em Cristo” (Caminho a Cristo, p. 52, 70). Ponha nisso a sua fé e viva em paz.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Estratégias de Deus - Isaías 28

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Isaías 28
Comentário Pr Heber Toth Armí 

Ouçam com atenção

Como estamos perdidos e condenados à morte por causa de nossos pecados, Deus criou métodos visando atrair-nos para Seu plano de libertação.

• Com nossos defeitos e erros Deus nos ama e quer moldar nosso caráter.

O alvo primário de Deus é a salvação dos condenados. Cada ato Seu, mesmo que muitas vezes não compreendemos, serve para nos despertar para Seu perdão. Sua Palavra, a Bíblia Sagrada, é um dos muitos meios que Ele usa para alcançar nosso arruinado coração.

• Vida dissoluta, orgulho, arrogância e egoísmo dos crentes israelitas resultaria em castigo divino: Uma invasão assíria (vs. 1-4, 7-8).
• A Palavra de Deus revelou-lhes a situação deles e o perigo em que se encontravam por preferirem o pecado antes que o alerta divino, selando assim, seu infeliz destino (vs. 9-13).
• O objetivo de Deus é salvar, ainda que um pequeno remanescente, o qual nem isso seria possível se não fosse Seus métodos insistentes de atração e transformação (vs. 5-6).
• Querendo fugir da morte, os ignorantes fazem aliança com o pecado que promete prazer, mas paga com morte a seus clientes. Fazer planos com a morte e com o inferno não é nada sábio. Só existe segurança na Pedra divina: Cristo (vs. 14-20; Daniel 2:34; 9:27; I Pedro 2:8).
• Sem Cristo não há opção, a condenação é certa e nada poderá evitá-la. A única saída é confiar em Deus e em Seu Messias. Escarnecer de Deus e de Seu plano é assinar a própria sentença. Os líderes políticos e eclesiásticos que são responsáveis pelo povo deveriam saber e ensinar as verdades contidas nos versos 13-29.

“Assim como um lavrador poda, planta e colhe no devido tempo e usa os métodos adequados para cada atividade, assim também o Senhor lidaria com o Seu povo de maneira sábia e apropriada. Embora o julgamento fosse necessário [para Efraim e Judá], o Senhor não permitiria que fosse excessivo”, comenta Robert B. Chisholm.

As estratégias de Deus para nos salvar são muitas e Ele trata individualmente com cada pecador. A alguns Ele alerta, a outros Ele disciplina, a outros Ele deixa experimentar a vergonha do pecado, a outros o sofrimento. Mas a todos Ele almeja salvar.

Deixe Deus te libertar, guiar e moldar teu caráter! Você permite-lhe a poda? – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #rbhw

quinta-feira, 17 de setembro de 2020

O CUSTO DA SALVAÇÃO

MEDITAÇÃO DIÁRIA

17 de setembro
O CUSTO DA SALVAÇÃO

Não há salvação em nenhum outro; porque, abaixo do Céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo qual importa que sejamos salvos. Atos 4:12

Religiões não cristãs em geral fundamentam a ideia de salvação no que o homem pode ser ou fazer. Mesmo alguns grupos cristãos defendem o acréscimo de algo, ou alguém mais, a Jesus Cristo. Contudo, Hans LaRondelle lembra que a “salvação é uma experiência de fé que redime nosso passado, enche de alegria nosso presente e aguarda com esperança um futuro glorioso. Alguns alimentam a ideia de que a salvação é uma recompensa por aceitar certas doutrinas da igreja; outros, por observar, da melhor maneira possível, as leis de Deus, especialmente os Dez Mandamentos” (O Que é Salvação, p. 9). Ele acrescenta: “A salvação é dom de Deus! Esse dom é Deus mesmo, manifestado em Seu Filho, Jesus Cristo. A Fonte da salvação é uma Pessoa” (p. 10).

Certa ocasião, depois de haverem curado um mendigo aleijado e direcionado a atenção do povo para Jesus, a fonte do poder operador do milagre, Pedro e João foram levados ao Sinédrio. Em seu depoimento, Pedro afirmou que Cristo, “a Pedra angular” rejeitada por aquelas autoridades, pode salvar não apenas das deformações físicas, mas especialmente das espirituais. Essa declaração é o fundamento da mensagem cristã; ou seja, Cristo é o único Salvador e Redentor prometido nas Escrituras. Não há nada nem ninguém senão Cristo, Seu nome, Sua Pessoa, Seu sacrifício, Sua justiça em que devamos buscar salvação. Nem homens nem anjos. Nem esforços pessoais nem tradições religiosas.

Mas o que torna Jesus tão singular para nossa salvação? No anúncio de Seu nascimento a Maria, encontramos Suas credenciais únicas: “O Ente santo que há de nascer será chamado Filho de Deus” (Lc 1:35). O nascimento envolve o mistério da encarnação. O Salvador teria que ser humano. Assim, Ele Se tornou nosso substituto no cumprimento de todos os requerimentos divinos. Fez isso na condição de “Santo” e inocente. Somente um ser humano impoluto satisfaria os desígnios divinos. Além disso, somente Se tornando humano Ele poderia Se entregar para morrer em nosso lugar.

Finalmente, é “Filho de Deus”; portanto, divino. Como tal, podia obedecer em lugar de outros, morrer livremente e ressuscitar. Assim, humanidade, santidade e divindade são as credenciais de Cristo. A salvação nos chega de graça, mas nunca poderemos avaliar plenamente o altíssimo preço em renúncia e amoroso sacrifício que ela custou ao Salvador. Podemos apenas viver para agradecer.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

A vinha é do Senhor - Isaías 27

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Isaías 27
Comentário Pr Heber Toth Armí 

A vinha é do Senhor

Almejamos paz. Lutamos pela paz. A paz é possível, mas somente com Deus. Ele nos faz promessa de paz. Contudo, para cumprir, os poderes celestiais deverão lutar para que a obtenhamos. Essa batalha, chamamos “O Grande Conflito entre o bem e o mal”.

O mal tem suas forças e seus agentes. Quem está por trás do mal indica que o mal não é natural, mas sobrenatural. O profeta Isaías indica essa verdade no primeiro versículo deste capítulo:

1. Ele é grande e forte;
2. É um dragão;
3. Chamado de serpente veloz e sinuosa.

O apóstolo João, em Apocalipse 12:9, clareia mais nossa compreensão quando relata: “E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás…”

A Bíblia de Estudo Andrews comenta: “Essa criatura misteriosa é descrita, neste contexto, como uma ‘serpente sinuosa’, um réptil do mar ou monstro marinho. O termo também ocorre em Jó 3:8; 41:1; Sl 74:14; 104:26”.

Qual é a mensagem do profeta Isaías? O ser sobrenatural, o originador de todo o mal no mundo, será castigado pelo Senhor. Ao utilizar sua dura espada implica que Deus matará o diabo e nunca mais existirá para infernizar a vida de ninguém em lugar algum (Gênesis 3:14-15). “E o Deus da paz, em breve, esmagará debaixo de vossos pés a Satanás” (Romanos 16:20).

Por isso, essa profecia é…

• …uma canção sobre a restauração da vinha de Deus (vs. 2-6);
• …uma demonstração de que valeu a pena os diversos métodos disciplinares do Senhor (vs. 7-9).
• …uma celebração por Deus aniquilar aos que promovem destruição (vs. 10-11);
• …uma promessa divina de vindicação aos oprimidos pelo mal (vs. 12-13).

A vinha de Deus em Isaías 5 estava imprestável, agora ela foi renovada, restaurada, e tornou-se útil. Deus usa inúmeros meios de podar sua vinha, muitos deles bem dolorosos; todavia, Ele certamente visa sempre a um fim proveitoso (João 15:1-11; I Coríntios 12:7).

A ideia de inferno eterno, com pessoas sofrendo de forma imortal, dá a sensação de que Deus não tem poder absoluto para resolver plenamente o problema do mal. A verdade é que o grande conflito entre o bem e o mal terá fim; assim, a vitória de Deus será total!

Vamos celebrar essa promessa? Alegremo-nos! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armi

 #ebiblico #rpsp #rbhw

quarta-feira, 16 de setembro de 2020

O EIXO DA VIDA

MEDITAÇÃO DIÁRIA

16 de setembro
O EIXO DA VIDA

Contudo, não quereis vir a Mim para terdes vida. João 5:40

A divisão da contagem dos anos em antes e depois de Cristo é a mais simples indicação de que tudo gira em torno Dele. Sendo prometido como a suprema esperança de redenção para Adão e Eva (Gn 3:15), foi anunciado pelos profetas do Antigo Testamento e entrou para a História como Messias divino. Desse modo, apresentou-Se como o tema das Escrituras (Jo 5:39). Que outra razão além de Seu evangelho salvador e de Sua vinda poderia existir para a missão da igreja?

 “Cristo é o emancipador da História, que não apenas nos liberta da servidão de nossa natureza caída, mas de nossos medos, superstições e receios; libertanos das dependências bizarras. Ele nos liberta das tiranias e máscaras humanas, de nossas idolatrias, do governo de nossas alegrias incompletas. Cristo nos liberta da cultura, cheia de ídolos e modismos ridículos. Ajuda-nos a ver o que está por trás de toda sorte de aparências. Perdê-Lo significa ser reduzido ao nível do nada absoluto!” (Amin Rodor, Ministério, nov/dez, 2012, p. 7).

Contudo, os religiosos do tempo Dele não O reconheceram. Tendo as Escrituras nas mãos, consideravam-se possuidores da vida eterna revelada nelas, embora rejeitassem seu principal personagem: Jesus Cristo. Então, foram exortados a buscar com mais diligência e atenção, com visão direcionada para além dos preconceitos e da soberba. Entretanto, a arrogância da erudição religiosa, da vaidade do poder e da justificação própria os manteve cegos.

Ainda existem religiosos que, de alguma forma, revelam ter postura idêntica. São pessoas que, nas palavras de Johann Lange, “conhecem a casca da Bíblia, mas ignoram a amêndoa que ela contém. Perscrutam as Escrituras minuciosa, pedante e supersticiosamente na letra, sem que sintam simpatia alguma pela vida que nelas habita” (Russell Champlin, Novo Testamento Interpretado, v. 2, p. 351). A esses é dirigido o lamento: “Não quereis vir a Mim para terdes vida.”

Havia quem se aproximasse de Jesus para ouvir a exposição das Escrituras e admirasse o conhecimento demonstrado por ele. Alguns ficaram satisfeitos apenas com pães e peixes. Outros foram beneficiados ou se deixaram impressionar pelos milagres. No entanto, sem que Ele seja pessoalmente aceito e entronizado no coração como Senhor, não haverá vida em qualquer dimensão, transitória ou eterna. Pense nisso!
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Confiança em Deus - Isaías 26

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - Isaías 26
Comentário Pr Heber Toth Armí 

Situação desesperadora desmotiva até as pessoas mais positivas. O contrário também é verdade, a esperança motiva até aos mais pessimistas. A esperança é a alavanca para o louvor ao Senhor que abre a eternidade aos mortais da Terra.

1. Sem nenhum mérito, os pecadores que, humildemente, levantam sua face ao alto, visando enxergar pela fé ao Deus Criador que interessa por Seus filhos, reconhecem que Ele merece nosso louvor por Sua fidelidade e pelas Suas misericórdias.

• Os que confiam em Deus verão Sua bênção e desfrutarão de Sua salvação na Cidade Santa, a Nova Jerusalém (vs. 1-4);
• Arrogantes e orgulhosos que acham que há segurança maior e melhor que depositar sua confiança em Deus, se decepcionarão – se frustrarão amargamente (vs. 5-6).

2. A justiça divina é o alvo dos que reconhecem sua injustiça inerente. A justiça própria não passa de fedorentos trapos podres, por isso, não há justiça real desprovidos da justiça celestial.

• Os que confiam na justiça de Deus anseiam que ela se manifeste no mundo através de sua vida e mediante o julgamento no tribunal celestial (vs. 7-9);
• Os que ignoram e desprezam a justiça oferecida por Cristo buscarão em vão por justiça justa; contudo, mais cedo ou mais tarde perceberão que toda busca foi ilusão (vs. 10-11).

3. A ressurreição é uma evidência poderosa da ação de Deus em prol de Seus dependentes (vs. 12-21).

• A morte não será eterna para quem confia sua vida e seu futura a Deus. Na terra, estes se converteram, mas viverão no Céu. Os que morrem antes da segunda vinda de Cristo ressuscitarão para viver eternamente – primeiramente no céu, depois de mil anos voltará para a Terra.
• A morte eterna será o destino inalterado dos que rejeitarem ao Autor da vida. A indignação divina contra a malignidade do pecado resulta em um juízo e condenação eterna.

“Naquele dia” (v. 1) quando a Babilônia receber sua sentença, os salvos estarão em paz na “cidade forte”, a Nova Jerusalém. O Senhor é a segurança, a Rocha dos justos, que morreram para o “Eu” a tal ponto de dizerem: “Todas as nossas obras Tu as fazes por nós” (v. 12) e louvarem assim: “graças a Ti somente é que louvamos o Teu nome” (v. 13).

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí

 #ebiblico #rpsp #rbhw

terça-feira, 15 de setembro de 2020

Muralha de Fogo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

15 de setembro
Muralha de Fogo

Pois Eu lhe serei, diz o Senhor, um muro de fogo em redor e Eu mesmo serei, no meio dela, a sua glória. Zacarias 2:5

Referindo-nos aos relacionamentos, costumamos dizer que devemos construir pontes e destruir muros. As primeiras unem, aproximam; os últimos obviamente separam, distanciam, embora também protejam contra perigos.

O mundo conheceu muros famosos. Um deles foi o de Berlim, construído em agosto de 1961, nos tempos da Guerra Fria. Esse muro separava a porção da cidade sob o controle comunista (Berlim Oriental) da parte sob o regime capitalista (Berlim Ocidental). Com 66,5 km, 302 torres de vigilância, 127 redes eletrificadas com alarme e 255 pistas para cães ferozes, a estrutura era vigiada por militares comunistas autorizados a atirar para matar quem se atrevesse a fugir. Dezenas de pessoas foram mortas, feridas ou detidas. Familiares e amigos viveram separados sem nenhuma notícia, até que uma abertura política o fez ruir a partir do dia 9 de novembro de 1989.

Há também a Muralha da China, com 21.196 km de extensão, oito metros de altura e quatro de largura. Construída ao longo de quatro dinastias, a Grande Muralha, além de consolidar o império de Qin Shi Huang, teve várias finalidades, como proteger o país de invasores, controlar o comércio e regular o fluxo migratório. Em 2007, foi considerada uma das sete maravilhas do mundo moderno, sendo visitada anualmente por mais de 4 milhões de turistas.

Lugar sagrado para o judaísmo, o Muro das Lamentações é parte remanescente do muro de arrimo do templo de Herodes. Ali, pessoas do mundo todo costumam orar e apresentar seus pedidos ao Altíssimo. Entre 1948 e 1967, o local ficou sob o domínio da Jordânia. Entretanto, após a Guerra dos Seis Dias, o controle da região passou para o estado de Israel.

Há outras muralhas famosas no mundo. Nos tempos bíblicos, cercar cidades com muros era também estratégia defensiva. Contudo, muitas foram atacadas e destruídas. Intransponível mesmo é o muro de proteção que Deus prometeu ser para Seu povo. Direcionada a Israel, a promessa era a garantia de Sua fidelidade ao propósito de fazer daquela nação o centro de Sua obra redentora para o mundo. Qual muro de fogo, Ele abrigaria Jerusalém contra inimigos. O que prometeu ser para Israel, promete ser hoje para nós: proteção contra os inimigos, quaisquer que sejam eles, e contra os males que planejem nos causar. Estando em nosso coração, Ele será a glória de nossa vida.
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

No Caminho da Fé

MEDITAÇÃO DIÁRIA 18 de setembro No Caminho da Fé Visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito:...