Translate

domingo, 24 de março de 2019

Abundante Graça Para a Obediência

A Fé Pela Qual Eu Vivo
24 de março

Abundante Graça Para a Obediência

Porque o pecado não terá domínio sobre vós, pois não estais debaixo da lei, mas debaixo da graça. Rom. 6:14.

É engano de Satanás que a morte de Cristo trouxe a graça para tomar o lugar da lei. A morte de Jesus não mudou, não anulou, ou diminuiu no menor ponto a lei dos Dez Mandamentos. A preciosa graça oferecida aos homens mediante o sangue do Salvador, estabelece a lei de Deus. Desde a queda do homem, o governo moral de Deus e Sua graça são inseparáveis. Andam de mãos dadas em todas as dispensações. “A misericórdia e a verdade se encontraram; a justiça e a paz se beijaram.” Sal. 85:10. Review and Herald, 8 de março de 1881.

Cada lei divina é uma determinação de misericórdia, amor e poder salvador. Seus preceitos obedecidos, são nossa vida, salvação, felicidade e paz. SDA Bible Commentary, vol. 3, pág. 1.153.

Obediência aos Seus estatutos e leis constitui a vida e a prosperidade de Seu povo. SDA Bible Commentary, vol. 1, pág. 1.120.

A influência da esperança evangélica não levará o pecador a considerar a salvação de Cristo como uma questão de livre graça, enquanto continuar vivendo em transgressão à lei de Deus. … Ela mudará seus caminhos, tornar-se-á leal a Deus mediante a força obtida de seu Salvador, e o levará a uma vida nova e mais pura. Testimonies, vol. 4, págs. 294 e 295.

Como foi completo o sacrifício feito em nosso favor, assim deve ser a nossa restauração do aviltamento do pecado. Nenhum ato de impiedade será desculpado pela lei de Deus; injustiça alguma lhe pode escapar à condenação. A ética evangélica não reconhece nenhuma norma senão a perfeição do caráter divino. A vida de Cristo foi um perfeito cumprimento de todo preceito da lei. Ele disse: “Eu tenho guardado os mandamentos de Meu Pai.” João 15:10. Sua vida é nosso exemplo de obediência e serviço. Somente Deus pode renovar o coração. “Deus é o que opera em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a Sua boa vontade.” Filip. 2:13. Mas é-nos ordenado: “Operai a vossa salvação.” Filip. 2:12. A Ciência do Bom Viver, págs. 451 e 452.

Para o obediente filho de Deus, os mandamentos constituem um deleite. SDA Bible Commentary, vol. 3, pág. 1.152.


Meditação Matinal de Ellen White – A Fé Pela Qual Eu Vivo, 1959 – Pág. 89 –

A essência da verdadeira religião– Deuteronômio 10

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica – Deuteronômio 10
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

A essência da verdadeira religião


Perder o foco é invadir o futuro sem destino, principalmente em relação à religião!

Neste capítulo observamos que...

1. Quando o povo que Deus ama se rebela contra Ele, quebra o compromisso firmado com Ele e O trai com deuses inferiores, graciosa e amorosamente Deus oferece a oportunidade de renovar a aliança (vs. 1-3).

2. Devido à ingratidão e incredulidade do povo, Deus não complica as coisas; Ele escreveu os Dez Mandamentos novamente sem alterar ou acrescentar nada. Deus não é ruim, nem carrasco, nem autoritário; Ele é misericordioso, perdoador, compassivo, embora seja o Santo, Todo-poderoso e Soberano do Universo (vs. 4-11).

3. Apesar dos erros do passado, Deus salienta o procedimento correto ao povo que Ele privilegiou. Moisés relembrou os princípios do relacionamento com Deus (vs. 12-13):

• Temer ao Senhor,

• Andar nos caminhos do Senhor,

• Amar e servir ao Senhor de todo coração e com toda a alma,

• Guardar todos os mandamentos e estatutos do Senhor.

4. Uma teologia correta auxilia o pecador a corrigir sua rebeldia: Deus é o Criador e tudo pertence a Ele, e, embora Soberano, Sua forma de agir e reagir é com amor incondicional. Por isso, Ele quer mais que formalidades religiosas, anseia um compromisso que vai além do legalismo (vs. 14-18).

“O mais interessante aqui é a preocupação de Moisés, quando diz ao povo: ‘Circuncidai, pois, o prepúcio de vosso coração (10.16). Dessa forma, temos já em Deuteronômio que a verdadeira circuncisão é feita no coração e não se resume a uma simples incisão na carne. A lei deve ser, em primeiro lugar, posta no coração e, então, nãos mãos, nos olhos, nas portas e nos umbrais” (Victor P. Hamilton).

5. A essência da verdadeira religião é refletir o caráter de Deus impresso no coração. Assim como Deus ama incondicionalmente, Seu povo deve incluir a todos em seu coração. Tal prática é a essência do servir e louvar ao Senhor que liberta da escravidão do pecado (vs. 19-22).

Este capítulo apresenta o âmago da verdadeira religião. Deus mostra que Ele quer um compromisso de coração, não apenas práticas exteriores. Que nosso louvor e serviço a Ele seja revelado na prática do bem ao próximo.

Não se perca em tua religiosidade, foque aquilo que Deus quer!

Heber Toth Armí

sábado, 23 de março de 2019

Deus cumpre o que promete - Deuteronômio 9

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse
Leitura Bíblica – Deuteronômio 9
Comentários: Pr. Heber Toth Armí

Deus cumpre o que promete


Nossa geração precisa viver em santidade, rejeitando completamente filosofias daqueles que rejeitam valores celestiais. Precisamos aplicar na prática a essência da santidade, lembrando diariamente os valores morais instituídos por Deus.

Quando o povo é propriedade de Deus, e o povo tem a Deus como prioridade, grandes coisas acontecem.

1. Deus escolheu um povo insignificante para vencer grandes e poderosas nações fortificadas. Quem está com Deus não perde a guerra, ainda que os inimigos sejam gigantes, fortes e hábeis guerreiros (vs. 1-3). “Deus garantiu ao Seu povo que não havia necessidade de temer o futuro, pois o Senhor iria adiante deles ajudá-los a derrotar os inimigos” (Warren Wiersbe).

2. Deus preza por um povo desprezível. Israel não era nação exemplar, perfeita e fiel aos princípios divinos. Não praticava justiça. Justiça existia somente em Deus (vs. 4-5).

3. Deus é gracioso não apenas com os israelitas, mas também com os canaanitas. Embora Deus usasse os israelitas para destruir os canaanitas, mais de 400 anos de misericórdia foram dados a estas pessoas (Gênesis 15:13-16). Contudo, o pecado deles ultrapassaram os limites, e, Deus é fiel (v. 5).

4. Deus não ignora o pecado nos povos pagãos nem mesmo em Seu próprio povo, embora Sua graça seja estendida a ambos (vs. 6-24). Israel provocara a ira de Deus, a rebeldia era a marca registrada deste povo; embora Deus preservasse a existência dos israelitas, Seu juízo se manifestou em várias situações em que eles, como os canaanitas, ultrapassaram os limites de Sua graça.

5. Deus não esconde a perversidade de Seu povo, assim Ele evidencia a Sua maravilhosa graça. Moisés intercedeu pelos rebeldes; introduzi-los na Terra Prometida era um ato baseado na Palavra de Deus (vs. 25-29).

A graça de Deus não surge com a morte de Cristo, existiu desde a entrada do pecado no mundo. A graça não se torna atributo de Deus somente no Novo Testamento, este atributo é real e notável também no Antigo Testamento.

Quanto mais Deus Se manifestar, mais evidente fica nossa pecaminosidade. Ao mesmo tempo, mais nítida se torna Sua graça. Aproximemo-nos dEle com humildade!

Deus cumpre o que promete mesmo quando tudo conspira contra Suas promessas.

Reconhecer a graça divina torna-nos humildes! Cada vitória resulta da graça divina!

Reavivemo-nos!- Heber Toth Armí

@palavraeficaz
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis