sexta-feira, 29 de maio de 2020

Adoração – Salmos 117

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 117
Comentário: Pr.  Toth Armí

Este é o menor dos salmos, com uma mensagem que inclui o mundo inteiro. Eu e você somos contemplados nele.

“Uma compreensão correta deste salmo nos ajuda a dar o devido valor a pelo menos quatro privilégios do povo de Deus”, afirma Warren W. Wiersbe. Os quais ele destaca:

• Adorar a Deus (v. 1a): …Quando louvamos ao Senhor, não apenas Lhe falamos de Sua grandeza, mas também O elogiamos diante daqueles que ouvem nossos cânticos. A adoração e o louvor são as ocupações mais elevadas às quais podemos dedicar nossa voz e as atividades que nos ocuparão por toda a eternidade!

• Compartilhar o evangelho (v. 1b): …A Igreja de hoje deve levar a luz do evangelho a todo o mundo (Atos 13:47). Paulo cita esse versículo em Romanos 15:11, como parte de sua explicação sobre a relação entre a igreja e Israel. Os apóstolos e outros judeus cristãos da igreja primitiva louvavam ao Senhor tanto entre judeus quanto entre gentios (Romanos 15:9), conforme relata o Livro de Atos. Por meio desse testemunho cada vez mais amplo, muitos gentios vieram a crer em Cristo e passaram a louvar a Deus com os cristãos judeus (Romanos 15:10), pois cristãos judeus e gentios constituíam um só corpo em Cristo (Efésios 2:11-22)….

• Depender do grande amor de Deus (v. 2a): …Se não fosse pela bondade misericordiosa de Deus, ainda estaríamos em trevas, condenados à morte… Somos salvos pela graça e vivemos pela graça, dependendo exclusivamente da generosidade do Senhor em Jesus Cristo. Uma igreja arrogante é uma igreja fraca. Desfrutar o louvor dos homens é perder a bênção de Deus [ver Efésios 2:8-10; Lamentações 3:22]…

• Descansar nas promessas de Deus (v. 2b): …Quando Deus nos chama para fazer alguma coisa, Ele é fiel e nos ajuda a cumprir nossa missão (I Tessalonicenses 5:24). Confiar em nossa fé é o mesmo que crer na fé, mas confiar na fidelidade de Deus é crer no Senhor. Nossa segurança é a Palavra de Deus e o Deus da Palavra.

1, Deus não quer crentes enclausurados em quatro paredes, mas espalhados aos quatro cantos do mundo testemunhando do Seu gracioso caráter.

2. Deus não quer um povo exclusivista, mas inclusivista – que inclui todos os povos na adoração.

Sejamos crentes benevolentes! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

MAIS DE DEUS

MEDITAÇÃO DIÁRIA

29 de maio
MAIS DE DEUS

Rogo-Te que me mostres a Tua glória. Êxodo 33:18

Ao pé do monte Horebe, os israelitas esperavam pela volta de Moisés, que havia subido ao monte para conversar com Deus. Em um ímpeto de impaciên-cia, esqueceram-se das maravilhas realizadas pelo Senhor em favor deles. Em um gesto extremamente ofensivo Àquele que os libertara do Egito, fizeram, com a inaceitável aprovação de Arão, um bezerro de ouro para adoração. Com um misto de indignação e misericórdia, Deus informou a Moisés que não mais acompanharia o povo. A decisão era a expressão de Sua indignação pelo pecado cometido e também a manifestação de Sua misericórdia, uma vez que o povo seria poupado da destruição, caso voltasse a violar a aliança.

Como resultado, Moisés colocou a tenda da congregação fora do acampamento, indicando que a presença de Deus havia se afastado de Israel. Sem Ele, não teria o menor sentido prosseguir. A presença divina era mais preciosa do que tudo o que pudessem desfrutar em Canaã; melhor seria que morressem todos no deserto do que tentar avançar sem ela. Na vida, não chegaremos a lugar algum sem a direção de Deus!

Consciente dessa realidade, Moisés buscou o Senhor e foi contemplado pela graça infinita. A graça jamais falha. Sempre a encontraremos, se Dele nos aproximarmos em humildade e disposição para fazer Sua vontade. Em resposta, o líder de Israel obteve a confirmação da bendita companhia do Altíssimo. Poderia ter se dado como satisfeito, mas ele quis mais. Aproveitando aquele favor de Deus, Moisés não economizou em seu pedido e rogou por uma revelação completa: “Rogo-Te que me mostres a Tua glória.” Não se mostrou como mendigo pedindo centavos, quando sabia que podia obter uma fortuna.

Deus tem sempre mais para nos dar Dele mesmo. Pode não nos dar tudo, porque somos limitados para receber, assim como, por misericórdia, não mostrou toda Sua glória a Moisés. Nenhum ser humano sobreviveria a ela. Entretanto, colocando-se ao abrigo da rocha, Moisés teve um vislumbre daquela glória que, depois, foi completamente revelada a ele, ao ser ressuscitado e levado para o Céu.

A rocha em Horebe era símbolo de Cristo, nosso refúgio e salvação. Pela fé Nele, podemos ter uma visão pálida, “como em espelho” (1Co 13:12), da glória divina. Receberemos Dele cada vez mais ao buscá-Lo intensamente, em comunhão. Assim, “somos transformados de glória em glória, na Sua própria imagem” (2Co 3:18), até o momento em que O veremos face a face, em toda plenitude.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quinta-feira, 28 de maio de 2020

Quando estamos no limite - Salmos 116

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 
Leitura Bíblica – Salmos 116
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

O sofrimento aqui no mundo pode ser amenizado com um compromisso sério com o Deus que habita no Céu, que, apesar da distância de residência, Ele não mede esforços para nos atender em nossas necessidades.

Aqueles que creem, confiam e submetem-se a Deus através da oração suplicante possuem a mais nobre postura para receber grandes bênçãos derramadas das sublimes alturas celestiais. Temos muito que aprender de Davi ao humilhar-se ao extremo diante do Supremo Salvador, reconhecendo nossa tremenda necessidade de ajuda.

Matthew Henry divide da seguinte forma este Salmo:

1. A grande aflição e perigo em que o salmista estava que quase o levou ao desespero (vs. 3, 10-11);
2. O pedido que ele fez a Deus nessa aflição (v. 4);
3. A experiência que teve da bondade de Deus para com ele em resposta à oração:
a) Deus ouviu-o (vs. 1-2);
b) Deus teve compaixão dele (vs. 5-6);
c) Deus libertou-o (v. 8).
4. O cuidado que teve em relação ao reconhecimento que tinha de fazer pela bondade de Deus para com ele (v. 12):
a) Ele amaria a Deus (v. 1);
b) Ele continuaria a recorrer a Ele (vs. 2, 13, 17);
c) Ele descansaria no Senhor (v. 7);
d) Ele andaria diante dele (v. 9);
e) Ele pagará publicamente seus votos de ação de graças, nos quais reconheceria o terno cuidado de Deus para com ele (vs. 13-15, 17-19);
f) Ele continuaria a ser o servo fiel de Deus até o fim de sua vida (v. 16).

Muitos se desesperam por não aceitarem dar nenhum passo em direção ao Ser que tem a única solução para sua aflição.

• Uma vida desprovida de oração certamente será repleta de situações desesperadoras.

Outros encontram esperança/solução em Deus, porém, não avançam como Davi fez neste Salmo, em gratidão e ação de graças ao Salvador que operou em Seu favor.

• Precisamos reconhecer coisas sublimes Deus nos fez e permitir que o coração se incline ainda mais em devoção a Ele.

Quando estamos no limite, Deus nos salva; quando não sabemos o quê fazer, Deus nos auxilia; quando a morte nos amedronta, Deus nos acalma; quando ninguém nos ouve, Deus nos acode!

Por isso, devemos amar a Deus, ser-Lhe fiel, comprometer-se com Ele e adorar-Lhe! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

DE REJEITADO A HERÓI

MEDITAÇÃO DIÁRIA

28 de maio
DE REJEITADO A HERÓI

Então, Jefté foi com os anciãos de Gileade, e o povo o pôs por cabeça e chefe sobre si; e Jefté proferiu todas as suas palavras perante o Senhor em Mispa. Juízes 11:11

Tristes relatos de pessoas que sofrem discriminação são frequentes em nosso cotidiano. As queixas se repetem, de crianças e adolescentes sofrendo bullying a adultos vítimas de alguma humilhação. Etnia, posição econômica e social, aparência física, confissão religiosa; bem, a lista de causas é longa. Nos últimos anos, dispositivos judiciais foram elaborados para impor limites a muitas atitudes que, antigamente, eram consideradas apenas “brincadeiras inofensivas”.

Atualmente, existe forte cobrança da sociedade para que haja tolerância em relação a estilos de vida que contrariam os princípios bíblicos. Como cristãos, precisamos atentar para o fato de que a discordância em relação a esses comportamentos não nos isenta de cumprir o mandamento de amar todas as pessoas com o amor de Jesus (Jo 13:34). Devemos ser vigilantes sobre nós mesmos e depender da graça divina, a fim de que não sejamos traídos por nossa natureza pecaminosa sem amor.

A rejeição causa feridas emocionais profundas em suas vítimas, algumas das quais chegam ao extremo de tirar a própria vida. Jefté não chegou a esse ponto, embora inicialmente tivesse reagido muito negativamente à situação. Identificado como “valente”, valoroso, ele era filho de Gileade, homem rico e de nível social expressivo; porém, sua mãe era prostituta (Jz 11:1). Estigmatizado por isso, uma das consequências foi sua exclusão da herança da família paterna. Essa decisão o empurrou na direção de Tobe, para onde fugiu e se juntou a “um bando de vadios” (v. 3, NVI).

Deus tinha planos para Jefté. Em uma demonstração de que não existe situação desfavorável que não possa ser revertida pelo Senhor, Deus fez de Jefté um líder bem-sucedido. Levou-o de volta a Gileade, a convite dos líderes locais, como líder do povo israelita no confronto contra os amonitas. Vencida a batalha, Jefté foi empossado como comandante em Israel (v. 4-11).

Acaso, hoje estarei escrevendo a alguém que se sente vítima de alguma forma de preconceito? Lembre-se desta frase atribuída a Jean Paul Sartre: “Não importa o que os outros fizeram com você, importa o que você fez com o que os outros fizeram de você.” Sugiro que leve isso a Deus e não minimize Seu poder transformador. Se esse não for o seu caso, mas conhece alguém afetado por essa situação, reacenda no coração dessa pessoa a chama da graça. Ame-a.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

quarta-feira, 27 de maio de 2020

Priorizem a Deus - Salmos 115

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 115
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

Estudar profundamente as Escrituras robustece a fé, e fortalece a estrutura do indivíduo ao colocar em prática os princípios dali extraídos.

Os resultados são ainda mais evidentes quando cada crente entende que os receptores da mensagem divina são transmissores dessa mensagem para promover a vida da humanidade desfalecida.

Priorizar Deus em nosso viver diário é a melhor forma de passar nossa existência desde o berço até a sepultura. Reflita…

• As sábias instruções divinas nos dão suporte para nossas ações;
• As incomparáveis revelações escriturísticas dão o norte para nossas decisões;
• As elevadas informações inspiradas são úteis para rejeitarmos filosofias pagãs e religiões fraudulentas.

Antes de esboçar os pontos importantes do Salmo em foco, abra a tua mente para que sejas moldado pelas revelações do Senhor e não pelas informações humanas (ou pior, criadas pelos demônios).

1. Os ignorantes desprezam a Deus e provocam ao Seu povo; até o Senhor operar, deixando-os sem argumentos (vs. 1-3). Um dia os incrédulos terão que responder por suas atitudes e ficarão sem palavras.

2. Deuses falsos, imagens de esculturas de pessoas boas que morreram, ídolos, embora sejam de materiais valiosos, são obras das mãos humanas (vs. 4-8), que podem ter…

• boca, mas são incapazes de predizer o futuro;
• olhos, mas não velam pelo povo;
• ouvidos, mas não ouvem a aflição dos sofredores;
• nariz, mas não sentem cheiro das ofertas;
• mãos, mas não seguram nem abençoam nada;
• pés, mas não saem do lugar sem ajuda de alguém.

3. Há um enorme contraste na existência de quem deposita sua fé no Deus vivo e aqueles que confiam em insignificantes ídolos. É bem melhor servir a Deus corretamente (vs. 9-15).

4. A crença em imagens de esculturas (ídolos) tem muitas razões para ter sido aceita, a principal delas é a rejeição da crença de que os mortos se encontram inertes e, em silêncio absoluto. Nada sabem e nada fazem (vs. 17-18).

Não priorizar a Deus facilita a absorção de crenças espúrias, a aceitação de doutrinas falsas e ao terrível ato de criar deuses, que não passam de ídolos absolutamente inúteis. Pois, quando Deus não ocupa o primeiro lugar em nossa vida, inventamos, reverenciamos e adoramos o que não é Deus de fato.

Experimente: A presença divina certamente transforma nossa vida! – Heber Toth Armí.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

A AVÓ DA MORTE

MEDITAÇÃO DIÁRIA

27 de maio
A AVÓ DA MORTE

Então, a cobiça, depois de haver concebido, dá à luz o pecado; e o pecado gera a morte. Tiago 1:15

Depois de haver dito ser “bem-aventurado o homem que suporta, com perseverança, a provação” (Tg 1:12), o apóstolo Tiago esclarece seus leitores de que tentação e pecado não vêm de Deus. O inimigo é o tentador e tem se ocupado em colocar diante de nós estímulos que nos convidam a pecar. No entanto, é fato que, em última instância, por causa de nossa natureza pecaminosa, somos nós quem decidimos ceder ao pecado. Nossos desejos mal administrados, a cobiça interior, nos levam a esse ponto.

Precisamos nos lembrar de que desejo e cobiça não são a mesma coisa. Existem desejos legítimos que podem e devem ser satisfeitos nos limites dos planos de Deus para a felicidade de Seus filhos. Não há pecado no mero desejo pelo bem, pela alegria, pela comida, pelo dinheiro ganho honestamente ou pelo vestuário. Mas, quando cedemos a isso de maneira imprópria, passando a desejar além da satisfação experimentada, transpomos o limite do legítimo e avançamos para o excesso, o ilegítimo. Isso é cobiça. É o desejo de ter o que não está a nosso alcance. Insatisfeito com o que tem, o cobiçoso deseja o que não tem nem pode ter, violando a lei de Deus, cujo décimo mandamento nos ordena a não cobiçar coisa alguma (Êx 20:17). Agir ao contrário disso é pecar.

Comentando a situação com que nos deparamos diariamente, Ellen White escreveu: “Vivemos em meio a uma epidemia de crime, diante da qual ficam estupefatos os homens pensantes e tementes a Deus em toda parte. A corrupção que predomina está além da descrição humana. Cada dia traz novas revelações de conflitos políticos, de subornos e fraudes. Cada dia traz seu registro de violência e ilegalidade, de indiferença aos sofrimentos do próximo, de brutal e diabólica destruição de vidas humanas” (A Ciência do Bom Viver, p. 142, 143).

Essa situação só pode ser explicada pela cobiça que impulsiona o ser humano sem Deus. Nas entranhas da nossa mente e do nosso coração, ela é a genitora do pecado em todas as suas expressões. O pecado por sua vez é o genitor da morte, em todas as suas formas. Todo ser humano que se entregue ao pecado deve refletir que, por esse caminho, será levado à morte moral, espiritual, temporal e, finalmente, eterna.

Precisamos de graça e sabedoria para que, exercitando corretamente nossa vontade, encontremos satisfação e felicidade plenas em Deus e em Suas provisões para nós. Assim, seremos libertos da cobiça.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

terça-feira, 26 de maio de 2020

Deus é por nós -Salmos 114

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica – Salmos 114
Comentário: Pr. Heber Toth Armí

O Salmo em foco é arte antiga para revelar verdades eternas. “O salmista usa metáforas poéticas intensas para ensinar história e teologia, uma abordagem que estimula a imaginação e que toca o coração” comenta Warren W. Wiersbe; o qual divide o texto inspirado em quatro tópicos:

• Deus é por nós (v. 1);
• Deus está conosco (v. 2a);
• Deus está acima de nós (v. 2b);
• Deus está adiante de nós (vs. 3-8).

Se Deus é por nós precisamos decidir ficar ao lado dEle para que coisas grandiosas aconteçam em nosso favor. Se Deus está conosco precisamos ter sensibilidade para sentir Sua presença operando em nossa vida. Se Deus está acima de nós, temos um Ser superior a tudo em quem podemos confiar e nos aconselhar. Se Deus está adiante de nós, temos um guia para nos guiar daqui para o reino dos Céus…

Maior que o êxodo israelita é o êxodo do reino das trevas para o reino da luz; mais impactante que a libertação da escravidão babilônica é a libertação da escravidão do pecado. Embora o êxodo israelita liderado por Moisés seja real, serve como ilustração de um Libertador bem maior liderando os cristãos ao reino dos Céus…

Jesus é o caminho, a verdade e a vida; sem Ele ninguém chega a lugar algum que tenha real sentido. Ele é o Emanuel, Deus conosco; enviado do Pai para nos libertar do pecado e nos levar à Pátria Celestial. Ele é maior que Moisés, e mais poderoso que Josué. Seu reino é maior que o de Davi; e, Sua sabedoria ultrapassa a de Salomão.

Jesus é a verdade que nos liberta. Albert Einstein disse algo interessante sobre a importância da libertação: “Meço o valor de um homem pela medida em que ele se liberta de seu próprio eu”. Jesus morreu para que isso seja possível, para que tenhamos valor. Atualmente o povo de Deus é Sua igreja!

Deus pode…

• …mudar qualquer situação;
• …libertar-nos de qualquer escravidão;
• …outorgar-nos recursos humanamente impensáveis para nosso bem;
• …fazer qualquer coisa por aqueles que fazem Sua vontade.

Aceitar a graça divina implica ser livre de nossa desgraça! A presença de Deus em nossa vida faz uma diferença radical. Nossa busca por Sua vontade nos trará total felicidade.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#rpsp #ebiblico #palavraeficaz

Adoração – Salmos 117

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse  Leitura Bíblica – Salmos 117 Comentário: Pr.  Toth Armí Este é o menor dos salmos, com uma m...