segunda-feira, 31 de outubro de 2022

O VINDICADOR DA VERDADE

 O VINDICADOR DA VERDADE

Porque a lei foi dada por meio de Moisés; a graça e a verdade vieram por meio de Jesus Cristo. João 1:17

Cristo dá a todo o Seu povo um exemplo da Sua forma de trabalhar em prol da salvação de homens e mulheres. O Filho de Deus Se identifica com o ofício e a autoridade de Sua igreja organizada. Suas bênçãos deveriam fluir por meio das agências que Ele ordenou, conectando assim a humanidade ao canal mediante o qual as Suas bênçãos deveriam vir.

Paulo era extremamente zeloso na obra de perseguir os santos, mas isso não o isentou da culpa quando a consciência de sua crueldade lhe foi impressa na mente pelo Espírito de Deus. Ele deveria se tornar aprendiz dos discípulos. Descobriu que Jesus, a quem em sua cegueira, considerava um impostor, era de fato o Autor e fundador de toda religião do povo escolhido de Deus desde os dias de Adão, e o Consumador da fé agora tão clara para sua visão esclarecida.

Ele passou a enxergar Cristo como o Vindicador da verdade, o cumpridor de todas as profecias. Até então, ele via Jesus como um questionador da lei divina. Quando, porém, sua visão espiritual foi tocada pelo dedo do Senhor, aprendeu com os discípulos que Cristo era o Originador e Fundador de todo o sistema judaico de sacrifícios. Entendeu que, em Sua morte, o tipo encontrou o antítipo e que Cristo veio ao mundo com o propósito expresso de vindicar a lei do Seu Pai. À luz da lei, viu-se como pecador. Descobriu que a própria lei que ele imaginava guardar com tanta dedicação estava sendo transgredida. À luz da lei, reconheceu-se pecador, morreu para o pecado e se tornou obediente às reivindicações da lei divina. Arrependeu-se dos seus pecados, depositou sua fé em Jesus como o seu Salvador, foi batizado e passou a pregar a Cristo com o mesmo ímpeto e zelo que antes dedicava a condená-Lo.

Na conversão de Paulo encontramos princípios importantes que devemos manter sempre em mente. O Redentor do mundo não sanciona a experiência e o exercício da esfera religiosa independentemente da Sua instituição organizada e reconhecida, a igreja (Carta 54, 1874).

PARA REFLETIR: Você já teve uma visão de Jesus? Em caso afirmativo, que diferença isso fez na sua prática de fé?
https://youtu.be/Fnd_5uTaktw

MEDITAÇÃO DIÁRIA

31 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-vindicador-da-verdade/

2 Samuel 24 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 24
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 24 – A Bíblia não omite a verdade, ela a revela; ela não esconde as falhas humanas, ela as escancara. Por isso, o livro em apreço apresenta com detalhes as inúmeras falhas do rei Davi. Mesmo assim, Deus era com ele. O que importa é o caráter de Deus!

Davi tinha facilidade para reconhecer, admitir e arrepender-se de seus erros. Tinha habilidade em desconfiar de si para confiar em Deus. E assim Deus o perdoava, demonstrava graça e misericórdia, sem desprezar Sua soberana justiça.

A despeito das muitas falhas de Davi descritas no livro, o último capítulo não encerra apresentando-o isento de falhas. Certamente, ninguém é perfeito; somente Deus!

Pecado não é apenas atos! Olhando além da superfície, pecado é muito mais que transgredir a Lei. Aparentemente não há nada de errado contabilizar pessoas, ou contar a quantidade de soldados do exército. Contudo, Deus irou-Se com Davi por fazer um levantamento de seus homens. Que mal havia nisso?

Embora fosse atitude aparentemente sem qualquer quebra de princípios, Deus demonstrou Sua indignação. A razão, é que Deus vê o coração, sonda as motivações e julga as intenções. “Provavelmente foi o orgulho que levou Davi a mandar Joabe fazer o censo”, indica o comentário da Bíblia Andrews.

Depois de 9 meses e 20 dias, possuindo o resultado do senso, Davi sentiu remorso; então, pediu perdão a Deus. O profeta Gade o procurou para ministrar as consequências de Seus erros. Davi aceitou sofrer a punição divina optando por “cair nas mãos do Senhor, pois grande é a Sua misericórdia, a cair nas mãos dos homens” (II Samuel 24:1-14).

Araúna foi o local onde Deus freou a catástrofe resultante da falta de confiança de Davi. Embora o proprietário do lugar quis doá-lo a Davi para oferecer sacrifícios, Davi desejou pagar pretendendo não oferecer a Deus holocaustos que não lhe custassem nada (II Samuel 24:15-25). Que atitude linda!

Nossa maturidade espiritual acontece quando reconhecemos quão pecador somos e quão misericordioso Deus é. Tal compreensão leva-nos à submissão, exaltação e adoração Àquele que é o soberano do Universo.

Como um pai que observa com alegria seu filhinho crescendo ao dar seus passos trôpegos, assim Deus aprecia nos acompanhar em nosso crescimento rumo à maturidade espiritual. Amadureçamos com Deus. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 30 de outubro de 2022

O SALVADOR QUE PERDOA OS PECADOS

 O SALVADOR QUE PERDOA OS PECADOS

Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça. 1 João 1:9

Deus não Se desanima conosco por causa de nossos pecados. Podemos cometer erros e ofender Seu Espírito; mas quando nos arrependemos e vamos a Ele com o coração contrito, Ele não nos faz voltar. Há empecilhos a serem removidos. Têm-se acariciado sentimentos errados, e tem havido orgulho, presunção, impaciência e murmurações. Tudo isso nos separa de Deus. Os pecados devem ser confessados. Deve haver mais profunda obra de graça no coração. Os que se sentem fracos e desanimados podem se tornar fortes homens e mulheres de Deus e fazer nobre trabalho pelo Mestre. Devem, porém, trabalhar de um ponto de vista elevado. Não devem ser influenciados por quaisquer motivos egoístas. 

Temos de aprender na escola de Cristo. Coisa alguma senão Sua justiça pode nos dar o direito a uma única das bênçãos do concerto da graça. Por muito tempo desejamos e procuramos obter essas bênçãos, mas não as recebemos porque temos acariciado a ideia de que poderíamos fazer alguma coisa para nos tornar dignos delas. Não temos olhado para fora de nós mesmos, crendo que Jesus é um Salvador vivo. Não devemos pensar que nossa própria graça e nossos méritos nos salvem. A graça de Cristo é nossa única esperança de salvação. Por intermédio de Seu profeta, o Senhor promete: “Que o ímpio abandone o seu mau caminho, e o homem mau, os seus pensamentos; converta-se ao Senhor, que Se compadecerá dele, e volte-se para o nosso Deus, porque é rico em perdoar” (Is 55:7). Temos de crer na clara promessa e não aceitar os sentimentos em lugar da fé. Quando confiarmos plenamente em Deus, quando nos apoiarmos nos méritos de Jesus como Salvador que perdoa os pecados, receberemos todo o auxílio que possamos desejar. 

Olhamos para nós mesmos como se tivéssemos poder para nos salvar; mas Jesus morreu por nós porque somos incapazes de fazer isso. Nele está nossa esperança, nossa justificação, nossa justiça. Não devemos ficar desanimados, temendo não termos um Salvador, ou que Ele não tenha pensamentos de misericórdia para conosco. Agora mesmo Ele está prosseguindo em Sua obra em nosso favor, convidando-nos para nos chegarmos a Ele em nosso desamparo e sermos salvos. Desonramo-Lo por nossa incredulidade (Mensagens Escolhidas, v. 1, p. 350, 351). 

PARA REFLETIR: Qual é o papel dos sentimentos na sua experiência espiritual? Como fazer da fé, não dos sentimentos, a fonte dos seus atos?

https://youtu.be/Vx_SLuAd1u0

MEDITAÇÃO DIÁRIA

30 de Outubro 

https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-salvador-que-perdoa-os-pecados/

2 Samuel 23 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 23
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 23 – Desde o capítulo 12 o livro em análise apresenta detalhes das problemáticas consequências do indivíduo que peca, atingindo a família e inclusive uma nação, caso o pecado vergonhoso for praticado por líderes.

Contrastando o comportamento do pecador, está a demonstração do benevolente caráter do Senhor. Ele é infinitamente fiel e imensuravelmente gracioso. Ou seja, unindo fidelidade à misericórdia, Deus preservou Sua promessa, “ainda que Davi às vezes traísse a aliança. Davi e Bate-Seba pecaram, e o filho deles morreu em julgamento. Deus, porém, deu a Bate-Seba um filho, Salomão, a quem o Senhor amou (12:-24-25). Deus continuou revelando Sua vontade a Davi por meio dos profetas Natã e Gade e dos sacerdotes Zadoque e Abiatar (12:1-14; 15:24-29; 24:11-14). Também foi misericordioso, protegendo Davi durante as rebeliões de Absalão e Seba [18:1-20:26]”, ponderou Kenneth Mathews.

Diante da imensurável bondade divina, o rei Davi agiu diferente de Saul “que tentou desconsiderar o próprio pecado”; Davi “confessou seus pecados diante do Senhor (12:13; 24:10)” (Idem).

II Samuel 23 revela que Davi, contando com a ajuda de Deus, e de homens divinamente capacitados, reconheceu a monarquia israelita divinamente prometida a ele. Apesar dos seus inúmeros pecados, “Deus agiu por meio da vida de Davi e Bate-Seba para dar a Israel seu próximo rei (Salomão) e, no devido tempo, seu Messias (Mt 1:6). Deus continua atuando por meio da vida de pecadores arrependidos” (Idem).

As últimas palavras de Davi foram proféticas e comemorativas (II Samuel 21:1-7). Elas apontam a perpetuidade da realeza davídica “a ser realizada no reto governo do Senhor de Davi no reino, cumprindo a aliança régia”, afirma Merrill Unger.

Assim, a glória é de Deus, nunca do pecador. O foco da Palavra sempre é Deus, jamais o ser humano. Perspectivas desfocadas atrapalham perceber o amor divino na história humana. O texto sagrado apresenta o fracasso humano contrastando ao caráter divino. A ênfase não é na humanidade, mas na Divindade!

A biografia de Davi revela claramente com a conduta de Deus diante das mazelas humanas. A figura do Pai na parábola do filho pródigo pode representar Deus recebendo Davi após chafurdar-se nas imundícias deste mundo (Lucas 15:11-32).

Precisamos de ajustes em nossa cosmovisão para não distorcer – ou questionar – a revelação! Devemos reavivarmo-nos na Palavra! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sábado, 29 de outubro de 2022

O SELO DAS PROMESSAS

 O SELO DAS PROMESSAS

A Minha alma está profundamente triste até a morte; fiquem aqui e vigiem Comigo. Mateus 26:38

Quando Cristo sentiu que Sua unidade com o Pai estava interrompida, temeu que, em Sua natureza humana, não fosse capaz de resistir ao conflito com os poderes das trevas. No deserto da tentação, estivera em jogo o destino da raça humana. Cristo havia saído vitorioso. Agora o tentador tinha vindo para a última e terrível luta. Para isso, ele se preparara durante os três anos do ministério de Cristo. Tudo estava em jogo para ele. Se falhasse, sua esperança de domínio estaria perdida. Os reinos do mundo finalmente se tornariam posse de Cristo; ele próprio seria derrotado e expulso. Mas, se Cristo pudesse ser vencido, a Terra se tornaria para sempre o reino de Satanás, e a raça humana estaria para sempre em seu poder. Com os resultados do conflito perante Si, o coração de Cristo Se encheu de terror da separação de Deus. Satanás dizia-Lhe que, caso Ele Se tornasse o fiador de um mundo pecaminoso, a separação seria eterna. Ele Se identificaria com o reino de Satanás e nunca mais seria um com Deus.

E o que seria ganho com esse sacrifício? Quão desanimadoras pareciam a culpa e a ingratidão humanas! Satanás pressionava o Redentor, apresentando a situação exatamente da pior forma: “A nação que alega estar acima de todas as outras em termos terrestres e espirituais rejeitou a Ti. Essas pessoas procuram Te destruir, a Ti, que és o fundamento, centro e Selo das promessas que lhes foram feitas como povo especial. Um de Teus próprios discípulos, que tem ouvido Tuas instruções e sido um dos mais destacados nas atividades da igreja, Te trairá. Um de Teus mais dedicados seguidores Te negará. Todos Te abandonarão.” Cristo repeliu esse pensamento com todo o Seu ser. Cortava Seu coração a ideia de que aqueles que Ele tentava salvar, aqueles a quem tanto amava, se unissem aos planos de Satanás. O conflito era terrível. Media-se pela culpa da nação, de Seus acusadores e Seu traidor, e a culpa de um mundo afundado na impiedade. Os pecados humanos pesavam duramente sobre Cristo, e o sentimento da ira divina esmagava Seu coração.

Veja-O refletindo sobre o preço a ser pago pela humanidade. Em Sua agonia, segura-Se no solo frio, tentando impedir de ser levado para longe de Deus (O Desejado de Todas as Nações, p. 551, 552 [686, 687]). 

PARA REFLETIR: Como você lida com o peso que resulta da culpa por seus pecados?
https://youtu.be/_V01pSEbxPk

MEDITAÇÃO DIÁRIA

29 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-selo-das-promessas/

2 Samuel 22 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 22
Comentário
 Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 22 – Inimigos do bem experimentam derrotas; e, amigos de bem experimentam vitórias concedidas por Deus; o qual atua na história e Seus súditos O louvam rendendo-Lhe glórias.

O capítulo em pauta é a canção do rei Davi em louvor ao Rei do Universo. Ela está empapuçada de teologia do cotidiano, e fornece o vislumbre de alguém exercendo uma fé vacilante frente às vicissitudes vividas nas histórias registradas nos livros de I e II Samuel.

A mensagem escrita por Davi na canção em consideração revela a importância de intimidade com Deus. É necessário considerar a religião mais que meros regulamentos; a espiritualidade verdadeiramente bíblica deve ser regulada por intenso relacionamento de dependência de Deus. Tal relacionamento deve ser honesto, leal e fiel.

As exuberantes imagens poéticas utilizadas pelo escritor inspirado devem ser devidamente compreendidas. As características humanas vinculadas a Deus indicam a personalidade do Ser divino. A aproximação de Deus ao mundo é comparada a um titânico cataclismo (II Samuel 22:8-16), apontando para Seu poder superior a qualquer outra força existente no Céu ou na Terra, espiritual ou físico, natural ou sobrenatural, em favor de Seus súditos!

Uma das formas de Deus demonstrar Seu amor é revelando indignação contra o mal que atormenta Seus amados. Fumaça saindo de Suas narinas, fogo de Sua boca e dEle espalhando brasas vivas e flamejantes sugerem poeticamente Suas ações para prover salvação aos que clamam por Sua intervenção (II Samuel 22:2-7).

Longe de ser perfeito no sentido de impecabilidade moral, Davi declara ter sido irrepreensível para com Deus guardando-se de pecar (II Samuel 22:21-25). Seria hipocrisia? Reconhecendo ter-se arrependido e aceito o perdão de Deus (Salmo 32, 51), Davi sentia-se em harmonia com o Deus (II Samuel 22:17-30) que opera para tornar perfeito o caminho do pecador (II Samuel 22:31-50).

Apenas quem se reconhece miseráveis pecadores podem humildemente exaltar a misericordiosa graça divina. Tudo depende de Deus: “Ele concede grandes vitórias ao Seu rei; é bondoso com o Seu ungido...” (II Samuel 22:41).

Este Salmo de louvor mostra que, aquele que coloca suas esperanças no Senhor pode erguer os olhos rumo ao futuro cheio da mais plena confiança, tranquilizando o coração nas preciosas promessas concedidas pelo Soberano regente da história humana.

Como Davi, conheçamos a Deus! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 28 de outubro de 2022

O AUTOR DE TUDO O QUE É BOM

 MEDITAÇÃO DIÁRIA


28 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-autor-de-tudo-o-que-e-bom/

O AUTOR DE TUDO O QUE É BOM

Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm lá do alto. Tiago 1:17

O pecado de Adão e Eva provocou terrível separação entre Deus e os seres humanos. E Cristo Se interpõe entre a humanidade caída e Deus e diz a homens e mulheres: “Você ainda pode vir ao Pai. Há um plano elaborado, pelo qual Deus pode ser reconciliado com o ser humano, e o ser humano com Deus. Por meio de um Mediador, você pode se aproximar de Deus.” […]

Agradeço a Deus por termos um Salvador. E não há nenhum outro meio de podermos ser exaltados, senão por Cristo. Então, que ninguém pense ser grande humilhação de sua parte aceitar a Cristo, pois quando damos esse passo nos apoderamos do áureo cordão que une o ser humano finito ao Deus infinito. Damos o primeiro passo no sentido da verdadeira exaltação, a fim de sermos qualificados para a sociedade dos puros e santos anjos no reino da glória. Não desanime nem seja tímido. Embora possa ter tentações e ser assediado pelo astuto inimigo, se tiver o temor de Deus diante de si, anjos magníficos em poder serão enviados para ajudá-lo, e você poderá enfrentar os poderes das trevas. Jesus vive. Ele morreu para prover um meio de escape à humanidade caída e vive hoje para interceder por nós, para que possamos ser elevados à Sua mão direita. Espere em Deus. O mundo está viajando no caminho largo, e enquanto você viaja na senda estreita e tem que lutar contra os principados e potestades e enfrentar oposição de inimigos, lembre-se de que foi feita uma provisão em seu favor. Foi provida ajuda por Alguém que é poderoso e por intermédio de quem você pode ser vencedor.

“Por isso, o Senhor diz: ‘Saiam do meio deles e separem-se deles. Não toquem em coisa impura, e Eu os receberei.’ ‘Serei o Pai de vocês, e vocês serão Meus filhos e Minhas filhas’, diz o Senhor Todo-Poderoso” (2Co 6:17, 18). Que promessa! Ela é a garantia de que vocês se tornarão membros da família real, herdeiros do reino celestial. Se uma pessoa é honrada por qualquer dos governantes da Terra ou está ligada a eles, como lemos costumeiramente nos jornais diários, provoca a inveja dos que se julgam menos afortunados. Mas aqui está Alguém que é o Rei dos reis, o Soberano do Universo, o Autor de tudo o que é bom, e Ele nos diz: “Eu farei de vocês Meus filhos e Minhas filhas, e os unirei a Mim; vocês se tornarão membros da família real e filhos do Rei celestial” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 591, 592).

PARA REFLETIR: Como você pode se capacitar hoje para viver na companhia dos anjos no Céu?
https://youtu.be/CASBaQK12P8

2 Samuel 21 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 21
Comentário
 Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 21 – Deus não é um moralista que está com o dedo apontado para nossa face assim que cometemos erros. Muitas vezes, Ele permite que provemos o amargor da quebra de Seus princípios para que desenvolvamos aversão ao pecado.

A introdução da Bíblia do Discípulo sintetiza que seu escritor de II Samuel relata a ascensão de Davi “ao trono, seus pecados (adultério e homicídio), e as terríveis consequências sobre sua família e a nação”; e, destaca que “há dois temas principais: 1) A providência e a graça divinas, pois o Senhor demonstrou grande misericórdia para com Davi; e 2) A aliança de Deus com Davi, considerada o ponto teológico central do livro (cap. 7)”.

Obviamente, importantes homens de fé cometem sérios erros; por conseguinte, nossa estabilidade espiritual precisa depender da fidelidade de Deus, não da instabilidade de pessoas que admiramos. Em II Samuel 21, Davi repara um erro cometendo outro, mostrando que mesmo quando intentamos acertar, é possível falhar!

É importante considerar o contexto a fim de compreender o texto. “Nos dias de Josué e da Conquista de Canaã, os gibeonitas usaram de engano para livrar-se da destruição. Josué e o povo de Israel fizeram solene aliança com eles, comprometendo-se a honrar sua promessa de permitir que os gibeonitas vivessem em paz entre eles (Josué 9:3-27). É evidente que Saul, com o apoio de seu povo, executou muitos deles por motivos racistas. Por isso toda a nação estava passando fome (II Samuel 21:1)” (Rosalie Haffner Lee).

Embora Davi procurou reparar o erro cometido por Saul e demonstrou respeito e consideração por Rispa (II Samuel 21:1-14), não consultou a Deus quanto à solução da questão. Seria enforcamento que Deus esperava? “Pelo fato de o texto declarar que ‘Deus Se tornou favorável’ [v. 14], não se deve concluir que Davi seguiu o plano de Deus para expiar a má ação de Saul. Talvez Deus avalie um ato pela sinceridade do coração que o originou, embora condene o ato em si” (CBASD).

O capítulo conclui relatando mais vitórias bélicas de Davi contra os filisteus; evidenciando que, neste mundo não há sossego. Altos e baixos, erros e acertos, paz e guerras, justiça e injustiça... caracterizam a vida nesta sociedade impregnada de pecado. Precisamos da graça divina! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 27 de outubro de 2022

O AUTOR DE TUDO O QUE É BOM

 O AUTOR DE TUDO O QUE É BOM

Toda boa dádiva e todo dom perfeito vêm lá do alto. Tiago 1:17

O pecado de Adão e Eva provocou terrível separação entre Deus e os seres humanos. E Cristo Se interpõe entre a humanidade caída e Deus e diz a homens e mulheres: “Você ainda pode vir ao Pai. Há um plano elaborado, pelo qual Deus pode ser reconciliado com o ser humano, e o ser humano com Deus. Por meio de um Mediador, você pode se aproximar de Deus.” […]

Agradeço a Deus por termos um Salvador. E não há nenhum outro meio de podermos ser exaltados, senão por Cristo. Então, que ninguém pense ser grande humilhação de sua parte aceitar a Cristo, pois quando damos esse passo nos apoderamos do áureo cordão que une o ser humano finito ao Deus infinito. Damos o primeiro passo no sentido da verdadeira exaltação, a fim de sermos qualificados para a sociedade dos puros e santos anjos no reino da glória. Não desanime nem seja tímido. Embora possa ter tentações e ser assediado pelo astuto inimigo, se tiver o temor de Deus diante de si, anjos magníficos em poder serão enviados para ajudá-lo, e você poderá enfrentar os poderes das trevas. Jesus vive. Ele morreu para prover um meio de escape à humanidade caída e vive hoje para interceder por nós, para que possamos ser elevados à Sua mão direita. Espere em Deus. O mundo está viajando no caminho largo, e enquanto você viaja na senda estreita e tem que lutar contra os principados e potestades e enfrentar oposição de inimigos, lembre-se de que foi feita uma provisão em seu favor. Foi provida ajuda por Alguém que é poderoso e por intermédio de quem você pode ser vencedor.

“Por isso, o Senhor diz: ‘Saiam do meio deles e separem-se deles. Não toquem em coisa impura, e Eu os receberei.’ ‘Serei o Pai de vocês, e vocês serão Meus filhos e Minhas filhas’, diz o Senhor Todo-Poderoso” (2Co 6:17, 18). Que promessa! Ela é a garantia de que vocês se tornarão membros da família real, herdeiros do reino celestial. Se uma pessoa é honrada por qualquer dos governantes da Terra ou está ligada a eles, como lemos costumeiramente nos jornais diários, provoca a inveja dos que se julgam menos afortunados. Mas aqui está Alguém que é o Rei dos reis, o Soberano do Universo, o Autor de tudo o que é bom, e Ele nos diz: “Eu farei de vocês Meus filhos e Minhas filhas, e os unirei a Mim; vocês se tornarão membros da família real e filhos do Rei celestial” (Testemunhos Para a Igreja, v. 2, p. 591, 592).

PARA REFLETIR: Como você pode se capacitar hoje para viver na companhia dos anjos no Céu?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

2de Outubro https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-autor-de-tudo-o-que-e-bom/

2 Samuel 20 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 20
Comentário
 Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 20 – A essa altura da leitura e reflexão deste livro em questão, é possível perceber que Davi elevou-se em vários os aspectos como rei, mas despencou em vários aspectos como pai.

Até o capítulo 10, notam-se os pontos positivos da liderança davídica; desde o capítulo 11 destacam-se os pontos negativos de sua vida pessoal, que atingem drasticamente muitas pessoas. Não foram poucos os erros cometidos pelo rei Davi, como não são poucos os erros que nós também cometemos!

Rosalie Haffner Lee nos assegura que “Deus nunca nos desampara, mesmo quando as experiências mais tristes de nossa vida constituem o resultado de nossos próprios erros. Precisamos ter a mesma fé e confiança em Deus que conduziu Davi através das crises de sua existência. As ‘fiéis misericórdias prometidas a Davi’ (Isa. 55:3) podem ser nossas ao passarmos pelos vales escuros”.

Como é possível a qualquer político cometer erros, Davi também os cometeu. Ele “condescendeu com o nepotismo, designando parentes para posições de confiança em seu reino... Como resultado, houve inveja e inimizade entre Joabe e Amasa”, ambos eram sobrinhos de Davi (Idem). E, Amasa foi assassinado por seu primo Joabe, e este assumiu o posto que Davi lhe havia tirado e passado para Amasa. Daí, foi atrás do desordeiro Seba.

Seba deveria ser erradicado para não causar mais estragos do que os causados por Absalão. Impetuoso, Joabe faria mais mal do que bem. Porém, uma sábia mulher impediu seu exército de destruir uma cidade inteira por causa de apenas um homem (II Samuel 20:14-22). Mulheres sábias exerceram importante papel na história de Davi (I Samuel 25:1-38; II Samuel 3:8-10; 24:1-20; 20:14-22; 21:8-14).

I Samuel inicia com a história de Ana e sua oração que mudou a história de sua nação. Com seu filho Samuel, ela marcou a transição do período dos juízes para a monarquia israelita. Sábias mulheres são essenciais nos diversos planos divinos na trajetória deste mundo caótico.

A mulher que ousadamente abordou Joabe, o comandante-chefe, merece consideração. Ela não apenas redirecionou os planos exagerados de Joabe, ela também persuadiu seu povo a sacrificar Seba objetivando salvar sua cidade.

O poder feminino, usado com sabedoria, chega aonde nenhum poder masculino conseguiria chegar!

Homens devem contar com corajosas mulheres sábias, como Deus conta! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 26 de outubro de 2022

2 Samuel 19 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 19
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 19 – Esquemas de politicagem geralmente resultam em caos, sofrimento e desgraça. Busca pelo poder a qualquer custo pode custar a vida até de gente bem quista, atraente e estrategista. Percebe-se essa realidade fatídica na curta vida de Absalão. Davi, seu pai, chorou copiosamente pela desgraça acometida ao filho que tentou usurpar seu trono.

O livro em análise está marcado por lágrimas de várias pessoas por situações ligadas de alguma forma a politicagens ou escândalos no governo (II Samuel 1:12, 24; 3:16, 32; 11:26; 12:21-22; 13:19, 36; 15:23, 30, 31, 34; 18:33). II Samuel 19 inicia com o rei Davi chorando em luto por seu filho Absalão que intentara usurpar seu trono.

“Absalão era egoísta, inescrupuloso, ambicioso e impulsivo”. Contudo “era admirado pelo povo e foi gradualmente conquistando sua simpatia”, assinala o Comentário Bíblico Adventista. A revelação mostra que a preferência do povo para eleger seus líderes é questionável. A voz do povo nunca é a voz de Deus. O gosto do povo não é refinado o bastante para saber o que é melhor para governar uma nação.

Focado na desgraça do filho, Davi ignorava a quem deveria valorizar. Quando isso nos acontece, é necessário alguém nos confrontar para erguer nossos olhos e fazer-nos enxergar o óbvio. Joabe repreendeu duramente a Davi levando-o à reflexão. O resultado foi positivo (II Samuel 19:5-43). Então, a sábia e correta habilidade política de Davi começou a funcionar novamente. Amasa, que dirigira as tropas de Absalão não foi descartado, foi escolhido para comandar o próprio exército. Simei e Ziba encontraram favor e misericórdia em Davi quando mereciam punição. “Davi aprendera a lição de que não podemos desfrutar a misericórdia e o perdão de Deus sem estendê-los a outros”, salienta Rosalie Haffner Lee. Também devemos aprender essa lição!

Há situações que a misericórdia de Deus nos alcança por meio de uma severa e rígida exortação. “Melhor é a repreensão feita abertamente do que o amor oculto. Quem fere por amor mostra lealdade...” (Provérbios 27:5-6).

Há situações pessoais que afetam nossas emoções, comprometendo, inclusive, deveres oficiais; nessas horas, alguém precisa abrir nossos olhos, com argumentos razoáveis como fez Joabe (II Samuel 19:5-7).

Na jornada rumo ao reino celestial, precisamos de repreensão e correção (Hebreus 12:1-12). Aprenderemos a lição? Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

O SENHOR DA GLÓRIA

 O SENHOR DA GLÓRIA

Se O deixarmos assim, todos crerão Nele; depois, virão os romanos e tomarão não só o nosso lugar, mas a própria nação. João 11:48

Os líderes judeus tinham imaginado que a obra de Cristo terminaria com Sua morte; mas, em vez disso, testemunharam as maravilhosas cenas do dia de Pentecostes. Ouviram os discípulos pregando sobre Cristo, dotados de energia e poder até então desconhecidos, e viram suas palavras confirmadas por sinais e maravilhas. Em Jerusalém, centro do judaísmo, milhares declararam abertamente sua fé em Jesus de Nazaré como o Messias.

Os discípulos ficaram surpresos e muito alegres com o grande número de conversos. Eles não consideravam essa maravilhosa colheita como resultado de seus próprios esforços. Sabiam que estavam somando ao trabalho de outras pessoas. Desde a queda de Adão, Cristo havia confiado a servos escolhidos a semente de Sua Palavra, para ser lançada nos corações humanos. Durante Sua vida na Terra, Ele plantara a semente da verdade e a regara com Seu sangue. As conversões que ocorreram no dia de Pentecostes foram resultado dessa semeadura, a colheita da obra de Cristo. Ela revelou o poder de Seus ensinos.

Somente os argumentos dos apóstolos, embora convincentes e claros, não teriam removido o preconceito que havia resistido a tanta evidência. Mas o Espírito Santo persuadiu os corações com poder divino. As palavras dos apóstolos eram como flechas afiadas do Todo-Poderoso, convencendo as pessoas de sua terrível culpa por haverem rejeitado e crucificado o Senhor da glória.

Sob a influência dos ensinos de Cristo, os discípulos tinham sido induzidos a sentir sua necessidade do Espírito Santo. E, mediante a instrução do Espírito, receberam o preparo que os capacitou a realizar a obra de sua vida. Não eram mais ignorantes e iletrados. Haviam deixado de ser um grupo de unidades independentes, ou elementos discordantes em conflito. Sua esperança não estava mais na grandeza terrena. Eram “unânimes” (At 2:46) e “era um o coração e a alma” (At 4:32). Cristo lhes ocupava os pensamentos, e o único objetivo deles era o progresso de Seu reino. Na mente e no caráter, haviam se tornado semelhantes ao seu Mestre, e as pessoas reconheciam que eles haviam estado com Jesus (v. 13) (Atos dos Apóstolos, p. 28, 29 [44, 45]).

PARA REFLETIR: Os discípulos receberam a “habilitação final” antes de começar a obra da vida deles. De que habilitação você necessita antes de sair para realizar a obra da sua vida?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

2de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-senhor-da-gloria/

terça-feira, 25 de outubro de 2022

A FONTE INESGOTÁVEL

 A FONTE INESGOTÁVEL

E a vida eterna é esta: que conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. João 17:3

“Eu, Nabucodonosor, levantei os olhos ao céu, e recuperei o entendimento. Então eu bendisse o Altíssimo, e louvei e glorifiquei Aquele que vive para sempre: O Seu domínio é eterno, e o Seu reino se estende de geração em geração. […] Nesse tempo, recuperei o entendimento e, para a dignidade do meu reino, recuperei também a minha majestade e o meu resplendor. Os meus conselheiros e os homens importantes vieram me procurar, fui restabelecido no meu reino, e a minha grandeza se tornou ainda maior. Agora eu, Nabucodonosor, louvo, engrandeço e glorifico o Rei do Céu, porque todas as Suas obras são verdadeiras, e os Seus caminhos são justos. Ele tem poder para humilhar os orgulhosos” (Dn 4:34-37).

Aqueles que desempenham uma parte na obra de Deus só fazem o bem porque Deus está por trás deles, realizando a obra. Devemos então louvar as pessoas e lhes dar graças, negligenciando o reconhecimento ao Senhor? Se o fizermos, Deus não cooperará conosco. Quando homens e mulheres colocam a si mesmos em primeiro lugar e o Senhor em segundo, mostram que estão perdendo sua sabedoria e retidão. Tudo que é feito visando à restauração da imagem moral de Deus na humanidade acontece porque Ele é a força do obreiro. Cristo, em Sua oração ao Pai, declarou: “E a vida eterna é esta: que conheçam a Ti, o único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste” (Jo 17:3).

O grande apóstolo Paulo declarou: “Assim, pois, importa que todos nos considerem como ministros de Cristo e encarregados dos mistérios de Deus. Ora, além disso, o que se requer destes encarregados é que cada um deles seja encontrado fiel” (1Co 4:1, 2). Que cada mordomo compreenda que, enquanto se esforça para promover a glória de Deus em nosso mundo, trabalhe ele em meio a cristãos ou infiéis, camponeses ou príncipes, é fundamental colocar o Senhor em primeiro e em último lugar, considerando-O melhor em tudo. Os seres humanos revelam a maior fraqueza possível quando acham que serão mais bem aceitos em meio às outras pessoas se deixarem Deus do lado de fora de suas reuniões. O Senhor precisa ocupar a posição mais elevada. A sabedoria do mais importante é tolice diante Dele. O verdadeiro cristão reconhece que não tem direito ao próprio nome enquanto exalta a Cristo com força contínua, perseverante e cada vez maior. Nenhum motivo ambicioso esfriará sua energia, pois essa provém da Fonte inesgotável, a Luz da vida (The Present Truth [Reino Unido], 7 de setembro de 1899).

PARA REFLETIR: De que forma você se humilha para exaltar a Cristo?
https://youtu.be/vEI3wLFkq24

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-fonte-inesgotavel/

2 Samuel 18 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 18
Comentário
 Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 18 – A Bíblia deve ser nossa regra de fé e prática em tudo. Seus amplos princípios podem ser aplicados em todo lugar e época.

Podemos gostar ou não de política, economia e sociologia, mas Deus preocupou-se em prover-nos princípios gerais sobre tais assuntos visando orientar-nos.

Leia atentamente com oração II Samuel 18. Observe que, raramente a política mundana cria atmosfera agradável mesmo entre o povo de Deus. Geralmente envolve orgulho e vaidade, oposição e rebelião, egoísmo e partidarismo. Consequentemente, pode acarretar assassinatos e suicídios, inclusive no povo escolhido por Deus!

O capítulo inicia apresentando a tensão política entre Absalão e seu pai, Davi (II Samuel 18:1-5). A população sofreu terrivelmente com essa situação. Finalmente, Absalão foi morto e jogado numa cova (II Samuel 18:6-17). Contudo, o causador da rebelião ganhou um monumento e o lamento de seu pai, que chorou copiosamente pela fatídica desgraça do filho (II Samuel 18:18-33). Aitofel, o sábio conselheiro de Absalão, prevendo tal derrota humilhante, já havia suicidado (II Samuel 17:23). Tudo isso deixa evidente como a busca pelo poder promove um clima deprimente!

Observe que “a Bíblia não é um livro sobre política, mas fala bastante sobre o tema e contém muita ação política... Nela há mais de 4 mil referências a conceitos políticos, como rei, reino, reinar, governador, governo, governar, líder, administrador, nações, cidadãos, embaixadores, autoridade, soberano e soberania... Por isso, há quem argumente que o Antigo e o Novo Testamento são documentos políticos”, considera Marcos De Benedicto.

Todavia, considere o Filho de Davi, “o Soberano dos reis da Terra” (Apocalipse 1:5) quando viveu neste mundo:

“O governos sob que Jesus viveu era corrupto e opressivo; clamavam de todos os lados os abusos – extorsões, intolerância e abusiva crueldade. Não obstante, o Salvador não tentou nenhuma reforma civil. Não atacou nenhum abuso nacional, nem condenou os inimigos da nação. Não interferiu com a autoridade nem com a administração dos que se achavam no poder. Aquele que foi o nosso exemplo, conservou-Se afastado dos governos terrestres. Não porque fosse indiferente às misérias do homem, mas porque o remédio não residia em medidas meramente humanas e externas. Para ser eficiente, a cura deve atingir o próprio homem, individualmente, e regenerar o coração” (Ellen White, DTN, 509).

Portanto, reavivemo-nos biblicamente! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 24 de outubro de 2022

O MARAVILHOSO MESTRE

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de Outubro
O MARAVILHOSO MESTRE

De madrugada, voltou novamente para o templo, e todo o povo se reuniu em volta Dele; e Jesus, assentado, os ensinava. João 8:2

Os sacerdotes e as autoridades dos judeus odiavam Jesus, mas multidões se juntavam para ouvir Suas palavras de sabedoria e presenciar Suas obras poderosas. O povo se mobilizava pelo mais profundo interesse e ansiosamente seguia Jesus, a fim de ouvir as instruções desse maravilhoso Mestre. Muitas autoridades creram Nele, mas não ousavam confessar sua fé para não serem expulsas da sinagoga. Os sacerdotes e anciãos decidiram que algo deveria ser feito para desviar de Jesus a atenção do povo. Temiam que todas as pessoas cressem Nele. Não viam segurança alguma para si. Teriam que perder sua posição ou matar Jesus. E, depois que O matassem, haveria ainda os que eram monumentos vivos de Seu poder. 

Jesus tinha ressuscitado Lázaro dentre os mortos, e receavam que, se O matassem, Lázaro testemunharia de Seu grande poder. O povo estava se aglomerando para ver aquele que tinha sido ressuscitado dentre os mortos, e as autoridades resolveram matar Lázaro também e abafar assim o tumulto. Então teriam de novo influência sobre o povo e o fariam retornar às tradições e doutrinas humanas, para dizimarem a hortelã e a arruda (Lc 11:42). Concordaram em prender Cristo quando Ele estivesse sozinho, pois, se tentassem prendê-Lo em meio a uma multidão, quando a atenção de todo o povo estivesse concentrada em Jesus, seriam apedrejados. 

Judas sabia como eles estavam ansiosos para prender Jesus e se ofereceu para traí-Lo e entregá-Lo aos chefes dos sacerdotes e anciãos, por algumas moedas de prata. Seu amor ao dinheiro o levou a consentir em entregar seu Senhor às mãos de Seus piores inimigos. Satanás estava operando diretamente por intermédio de Judas e, em meio à cena impressionante da última ceia, o traidor estava imaginando planos para entregar seu Senhor. Com tristeza, Jesus disse a Seus discípulos que todos eles naquela noite se escandalizariam Nele. Mas Pedro, de forma veemente, afirmou que, ainda que todos os outros se escandalizassem, ele não o faria. Jesus lhe disse: “Satanás pediu para peneirar vocês como trigo! Eu, porém, orei por você, para que a sua fé não desfaleça. E você, quando voltar para Mim, fortaleça os seus irmãos” (Lc 22:31, 32) (História da Redenção, p. 145, 146 [209, 210]). 

PARA REFLETIR: Você já sentiu inveja de como o Espírito Santo está usando outra pessoa a fim de fazer grandes coisas para Deus? 

2 Samuel 17 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 17
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 17 – Polarização política não é algo novo. Começou no Céu, com Lúcifer seduzindo um terço dos anjos a se posicionarem contra Deus. As forças malignas conquistam aliados inclusive dos santos anjos celestiais.

Uma polarização caracterizou a política de Israel na época de um dos seus melhores reis. Aliás, a tensão política reinava entre pai e filho, Davi e Absalão – no seio da família real.

Obviamente, “na perspectiva bíblica, não há razão para grande otimismo com a política. Afinal, assim como todo ser humano, os políticos estão contaminados pelo DNA do amor ao poder e dos interesses próprios; todos pecaram e estão destituídos da glória divina. Não há nem mesmo um que seja perfeito em todos os seus caminhos”, afirma veementemente Marcos De Benedicto.

Nem mesmo Davi fez tudo certo, mesmo considerado o homem segundo o coração de Deus; aliás, ele submergiu nas vergonhosas consequências de suas práticas perversas. Analisando a história do rei Davi, dos reis de Israel e dos políticos da história mundial, devemos considerar algo mais que um líder humano para resolver nossa situação.

A esperança de um governo melhor aqui no mundo pode levar-nos à decisões equivocadas; nisso reside as polarizações políticas.

Apesar da fama, da influência e dos fortes aliados a Absalão, filho do rei Davi, que orquestrava a usurpação do trono do pai, Husai permaneceu leal a Davi. Em sua rebelião, Absalão já havia organizado suas tropas e declarara rei de Israel (II Samuel 15:9-10). Davi fugiu, mas Husai ficou como agente secreto fingindo estar com Absalão.

Husai e Davi orquestraram um plano com os filhos dos sacerdotes Zadoque e Abiatar, para enviar mensagens a Davi sobre as estratégias de Absalão e Aitofel (II Samuel 15:3-36). II Samuel 17 apresenta Husai seguindo à risca o acordo com Davi.

“Na narrativa desses acontecimentos, o escritor de II Samuel deixa bem claro que Husai era usado pelo Senhor, para assegurar a restauração de Davi ao trono e garantir a destruição de Absalão (II Samuel 17:14). Os planos de Deus para a dinastia de Davi, que finalmente culminariam com o advento do Messias, não podiam ser atrapalhados”, comentou Paul Gardner.

Nossa confiança política deve ir além dos políticos: Deve ser depositada no Soberano do Universo. Ele é absolutamente confiável! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

domingo, 23 de outubro de 2022

2 Samuel 16 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 

Leitura Bíblica - 2 Samuel 16

Comentário Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 16 – Sempre haverá aliados para quem pratica o mal, tanto quanto para quem pratica o bem.

A polarização existe desde a entrada do pecado. Eva acusou Adão de seu próprio pecado. Caim tornou-se rival de Abel, matando-o injustamente. Antes disso, Lúcifer tornou-se Satanás por intentar usurpar o trono de Deus; para tal propósito, conseguiu a terça parte dos anjos santos de Deus como seus aliados (Apocalipse 12:4). 

Em II Samuel 16, Davi fugia do próprio filho – Absalão – que intentava usurpar seu trono. Até mesmo os súditos de Davi se aliaram a Absalão. Ambos tiveram aliados:

• Ziba mentiu para Davi (II Samuel 16:1-4; 19:24-30).

• Simei Amaldiçoou Davi, contrariando a lei (II Samuel 16:9-14; Êxodo 22:28).

• Aitofel aconselhou Absalão a praticar sexo em público com as concubinas de Davi, seu pai (II Samuel 16:15-23).

• Husai estava a favor de Davi – o rei instituído por Deus; e, discretamente contra Absalão e seus aliados.

Chama-nos a atenção o último versículo deste capítulo: “Naquela época, tanto Davi como Absalão consideravam os conselhos de Aitofel como se fossem a palavra do próprio Deus”. 

Quem foi Aitofel?

Aitofel era avô de Bate-Seba. Embora seus conselhos fossem considerados sábios, seu nome significava “irmão de conversa tola”. Obviamente havia nele uma tensão entre tolice e sabedoria além da teoria. Ele fora conselheiro de Davi, depois tornou-se conselheiro de Absalão contra Davi. Na verdade, ele traiu o rei instituído por Deus para ficar a favor do usurpador do trono (II Samuel 15:1-37). Sua suposta sabedoria falhou quando escolheu aliar-se a Absalão (II Samuel 16:15).

Sabedoria desprovida da revelação de Deus torna-se tolice!

“Embora as atitudes de Aitofel indiquem a instabilidade geral em que se encontrava o reino de Davi naqueles dias, ele teve razões pessoais para o seu tolo comportamento concernente ao rei”. Sendo Bate-Seba sua neta, “a cooperação dele na queda de Davi seria motivada por vingança pela morte cruel de Urias [seu genro]. Ele, entretanto, nasceu num ambiente de instabilidade entre os seguidores do rei e sua traição seria simplesmente resultado de sentimento geral de deslealdade sentido por muitos, no declinante reino de Davi”, explica Simon Vibert.

Aitofel evidencia que não é confiável todo aquele que é considerado sábio, ainda que suas palavras sejam avaliadas como do próprio Deus. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz

O GOVERNANTE LEGÍTIMO

 O GOVERNANTE LEGÍTIMO

Vá embora, Satanás, porque está escrito: “Adore o Senhor, seu Deus, e preste culto somente a Ele.” Mateus 4:10

Satanás usou toda sua força nessa última tentação. Seu último esforço decidiria o destino de quem seria vitorioso. Afirmava que o mundo era seu domínio e que ele era o príncipe dos poderes do ar.

Ele levou Jesus ao topo de um monte muito alto e apresentou-Lhe uma visão panorâmica de todos os reinos da Terra que, por muito tempo, permaneceram sob seu domínio. Ofereceu-os a Cristo como uma grande dádiva. Disse-Lhe que poderia apossar-Se de todos aqueles reinos sem sofrimento ou perigo. Satanás prometeu ceder seu cetro e domínio, fazendo de Jesus o Governante legítimo, se tão somente lhe fizesse um só favor. Tudo o que ele queria em retorno para entregar-Lhe todos os reinos do mundo naquele dia é que Cristo lhe prestasse homenagem como a um superior.

Os olhos de Jesus repousaram por um momento sobre a glória apresentada diante Dele; voltou-Se, porém, recusando continuar a olhar para o espetáculo fascinante. Não colocaria em risco Sua leal integridade perdendo tempo com o tentador. Quando Satanás solicitou a homenagem divina de Cristo, despertou Nele a indignação, e Ele não pôde mais tolerar sua presunção profana nem mesmo permitir-lhe que permanecesse em Sua presença. Lá, Cristo exerceu Sua autoridade divina e ordenou que Satanás desistisse. “Vá embora, Satanás, porque está escrito: ‘Adore o Senhor, seu Deus, e preste culto somente a Ele’” (Mt 4:10).

Satanás, em seu orgulho e em sua arrogância, havia declarado ser ele o governante do mundo por direito permanente, o possuidor de todas as suas riquezas e glórias, exigindo homenagem dos seres viventes, como se ele tivesse criado o mundo e todas as coisas que nele existem. Disse a Cristo: “Eu Lhe darei todo este poder e a glória destes reinos, porque isso me foi entregue, e posso dar a quem eu quiser” (Lc 4:6). Tentou fazer um acordo especial com Cristo, ordenando que Ele o adorasse.

Esse insulto ao Criador causou indignação no Filho de Deus, que o repreendeu e mandou embora (No Deserto da Tentação, p. 47, 48 [52, 53]).

PARA REFLETIR: Como será quando Jesus assumir a posse da Terra renovada, um lugar perfeito no qual o pecado nunca mais se levantará?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

23 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-governante-legitimo/

sábado, 22 de outubro de 2022

O VERDADEIRO VIGIA DA CASA DO SENHOR

 O VERDADEIRO VIGIA DA CASA DO SENHOR

Estas coisas diz Aquele que conserva na mão direita as sete estrelas e que anda no meio dos sete candelabros de ouro. Apocalipse 2:1

Os nomes das sete congregações são símbolos da igreja em diferentes períodos da era cristã. O número sete indica plenitude e simboliza o fato de que as mensagens se estendem até o fim dos tempos, enquanto os símbolos usados revelam a condição da igreja nos diversos períodos da história do mundo. 

Cristo é descrito caminhando entre os castiçais de ouro. Assim é simbolizada Sua relação com as igrejas. Ele está em constante comunicação com Seu povo. Conhece sua verdadeira condição. Observa sua ordem, piedade e devoção. Embora seja Sumo Sacerdote e Mediador no santuário celestial, é apresentado andando de um lado para outro entre Suas igrejas terrestres. Com incansável zelo e constante vigilância, observa para ver se a luz de qualquer uma de Suas sentinelas está fraca ou se extinguindo. Se os castiçais fossem deixados ao cuidado meramente humano, sua trêmula chama se enfraqueceria e se apagaria; mas Ele é o verdadeiro Vigia da casa do Senhor, o verdadeiro guarda dos átrios do templo. Seu constante cuidado e Sua graça mantenedora são a fonte de vida e luz. 

Jesus é representado também como tendo sete estrelas em Sua mão direita. Isso nos assegura que nenhuma igreja fiel ao seu dever necessita temer o fracasso, pois nenhuma estrela que tem a proteção do Onipotente pode ser arrancada da mão de Cristo. […] 

Essas palavras são ditas aos que ensinam na igreja, aqueles a quem o Senhor confiou pesadas responsabilidades. As suaves influências que devem existir na igreja têm muito que ver com os ministros de Deus, os quais devem revelar o amor de Cristo. As estrelas do céu estão sob Seu controle. Ele as ilumina com Sua luz, guia e dirige os movimentos delas. Se Ele não fizesse isso, elas se tornariam estrelas errantes. O mesmo ocorre com Seus ministros. Eles são apenas instrumentos nas mãos de Cristo, e todo o bem que realizam é feito por meio de Seu poder. […] Se olharem para Ele como Ele olhava para o Pai, serão habilitados a fazer Sua obra. Ao fazer de Deus Seu apoio, Ele lhes dará Seu resplendor para refletirem ao mundo (Atos dos Apóstolos, p. 585-587). 

PARA REFLETIR: Que consolo você sente ao saber que Jesus está bem no meio da igreja, apesar dos desafios que ela enfrenta? 
https://youtu.be/mb2vFVgpc4U

MEDITAÇÃO DIÁRIA

22 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-verdadeiro-vigia-da-casa-do-senhor/

2 Samuel 15 Comentário

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 15
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 15 – Enfrentamos grandes problemas na vida devido aos nossos pecados. Eles anestesiam nossas ações impedindo-nos de agir corretamente diante de situações delicadas.

Gene Getz considera a vida de Davi, levando-nos à reflexão: “Os maiores pecados de Davi (adultério e assassinato) desqualificaram-no grandemente para corrigir e disciplinar seus próprios filhos quando estes cometeram os mesmos pecados. O que Davi poderia dizer quando seu filho Amnom estuprou a própria irmã, Tamar? Que direito ele tinha de argumentar com seu filho Absalão quando este resolveu matar Amnom por causa do estupro da irmã? É verdade que Davi tinha a responsabilidade de disciplinar seus filhos, muito embora houvesse cometido pecados tão atrozes como os deles. Mas como poderia fazê-lo com isenção? Sentia-se emocionalmente frustrado. O dedo do escárnio e da condenação apontava-o de todas as direções. Sua consciência o condenava. Sentia que não tinha o direito de argumentar com os filhos sobre os pecados deles, quando ele – o rei de Israel e ‘um homem de Deus’ – cometera os mesmos crimes!”

Nossas atitudes e reações do presente dependerão constantemente das decisões e ações do passado.

“Davi nunca superou esse problema” – Getz continua refletindo. “A perda do auto-respeito e do respeito dos outros foi forte demais. O dano emocional era profundo demais para ser completamente restaurado. Perdoado? Sim! Totalmente isento aos olhos do povo? Não! Ele carregou aquele estigma até o dia em que morreu. E quanto a você? Existem cristãos hoje em dia que, assim como Davi, têm se desqualificado emocional e socialmente para disciplinar seus próprio filhos. Destruíra sua credibilidade. Suas palavras de repreensão soam vazias. ‘Faça o que eu digo, mas não façam o que eu faço’, é tudo o que podem dizer. A resposta dos que os escutam vem em ‘palavras abafadas’ ou em ‘rebelião declarada’”.

Davi precisou lidar com a rebelião declarada de seu filho Absalão (II Samuel 15:1-12). Uma conspiração orquestrada por um filho dentro do palácio revela que o pecado atinge todas as classes sociais.

Para não ser morto pelo filho que intentava usurpar seu trono, Davi precisou fugir (II Samuel 15:13-37). Que grande humilhação para quem enfrentou o gigante Golias com sucesso!

Gigantes internos são maiores que gigantes externos. Não adianta derrubar grandalhões inimigos, sem atacar os pecados internos! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

sexta-feira, 21 de outubro de 2022

O PRIMOGÊNITO DO CÉU

 O PRIMOGÊNITO DO CÉU

Sabendo que não foi mediante coisas perecíveis, como prata ou ouro, que vocês foram resgatados da vida inútil que seus pais lhes legaram, mas pelo precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro sem defeito e sem mácula. 1 Pedro 1:18, 19

Cerca de 40 dias depois do nascimento de Cristo, José e Maria levaramNo a Jerusalém para apresentá-Lo ao Senhor e oferecer sacrifício. Isso estava de acordo com a lei judaica e, como substituto do ser humano, Cristo devia Se submeter à lei em todos os aspectos. Já havia sido submetido ao rito da circuncisão, como garantia de Sua obediência à lei.

Como oferta da parte da mãe, a lei exigia um cordeiro de um ano para holocausto e um pombinho novo ou uma rolinha como oferta pelo pecado. No entanto, a lei previa que, se os pais fossem muito pobres para levar um cordeiro, seria aceito um par de rolinhas ou dois pombinhos, um para holocausto e outro como oferta pelo pecado.

As ofertas apresentadas ao Senhor deviam ser sem defeito. Repre-sentavam a Cristo, e disso se conclui evidentemente que Jesus era isento de deformidade física. Era o “cordeiro sem defeito e sem mácula” (1Pe 1:19). Sua estrutura física não era maculada por defeito algum; o corpo era forte e saudável. Durante toda a vida, viveu em conformidade com as leis da natureza. Tanto no aspecto físico quanto no espiritual, Jesus foi um exemplo do que Deus desejava que toda a humanidade fosse, mediante a obediência às Suas leis.

A dedicação do primogênito teve sua origem nos tempos antigos. Deus havia prometido dar o Primogênito do Céu para salvar os pecadores. Essa dádiva devia ser reconhecida em todas as famílias pela consagração do primogênito. Devia ser consagrado ao sacerdócio, como representante de Cristo entre os seres humanos.

Na libertação de Israel do Egito, a dedicação do primogênito foi novamente ordenada. Quando os filhos de Israel eram escravos dos egípcios, o Senhor instruiu Moisés a se encontrar com o faraó, rei do Egito, dizendo: “Assim diz o Senhor: ‘Israel é Meu filho, Meu primogênito. E Eu digo a você: deixe o Meu filho ir, para que Me adore; mas, se você não quiser deixá-lo ir, eis que Eu matarei seu filho, seu primogênito” (Êx 4:22, 23) (O Desejado de Todas as Nações, p. 31 [50, 51]).

PARA REFLETIR: Se Jesus é o nosso exemplo perfeito, como você pode moldar a sua vida de acordo com Ele?
https://youtu.be/UR84KJ8e3Uk

MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-primogenito-do-ceu/

2 Samuel 14 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 14
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 14 – A complexidade da vida requer sabedoria para não tornar a existência numa constante frustração e aflição. Há complicações em decisões e ações quando erramos que paralisam nossas percepções.

Isso aconteceu a Davi, quando seu filho Absalão matou seu outro filho Amnom por ter violentado sua filha Tamar. Davi colhia os amargos frutos do adultério com a mulher de Urias.

Baseando-se na estratégia certeira do profeta Natan, Joabe mandou buscar uma mulher sábia para convencer Davi a aceitar a Absalão que havia fugido após o fratricídio (II Samuel 14:1-20). Conquanto o profeta despertou o sentimento de Davi contra seus sentimentos, a astuta mulher despertou os sentimentos dele contra sua consciência. Embora a mulher esperta de Tecoa influenciou fortemente a Davi, essa experiência não chega nem perto da busca de Saul pela diabólica feiticeira de En-dor (I Samuel 28).

A astúcia da mulher convenceu Davi a receber de volta ao filho assassino que fizera justiça com as próprias mãos. Davi reconheceu que Joabe estava por trás de toda aquela armação estratégica da mulher. E, convencido racionalmente, mas com o coração endurecido, Davi concedeu apenas meio perdão e Absalão retornou; contudo o rei o impediu que estivesse em sua presença por dois anos, o que irritou profundamente a Absalão – o qual conclui ter sido pior ter vindo a Jerusalém do que ter ficado em Gesur!

Inclusive, “na opinião popular, Davi foi indevidamente severo ao tratar o filho, e o povo gradualmente foi atraído para Absalão” (CBASD). Após Absalão vingar-se de Joabe queimando a plantação dele por não interferir na questão junto ao rei, Joabe falou com Davi, aproximando pai e filho (II Samuel 14:21-33).

Resoluções forçadas acarretam maiores problemas. Davi foi forçado pela argumentação lógica da mulher de Tecoa a receber de volta a Absalão; depois, Joabe foi forçado a falar com Davi devido à pressão de Absalão. Assim, o problema se distanciava cada vez mais da solução.

Mais que autocontrole, precisamos ser regidos pelo Espírito Santo; nossos sentimentos e raciocínios lógicos não nos darão soluções reais, apenas soluções paliativas para nossos problemas. Nossas tentativas de acertos dão erradas quando desprezamos a Palavra de Deus (II Samuel 12:7-11).

Carecemos da obra divina em nosso coração diariamente caso queiramos evitar ou resolver problemas familiares! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quinta-feira, 20 de outubro de 2022

O INVISÍVEL

 O INVISÍVEL 

Pois quem não ama o seu irmão, a quem vê, não pode amar a Deus, a quem não vê. 1 João 4:20

Após a ascensão de Cristo, João permaneceu como fiel e ardoroso obreiro do Mestre. Juntamente com os demais discípulos, experimentou o derramamento do Espírito no dia de Pentecostes e, com novo zelo e poder, continuou a transmitir ao povo as palavras da vida, procurando levar seus pensamentos para o Invisível. Era um pregador de poder, fervoroso e profundamente sincero. Em bela linguagem e voz agradável, falava das palavras e obras de Cristo, expressando-se de maneira a impressionar o coração dos que o ouviam. A simplicidade de suas palavras, o sublime poder das verdades proferidas e o fervor que caracterizava seus ensinos facilitaram-lhe o acesso a pessoas de todas as classes sociais. 

A vida do apóstolo estava em harmonia com seus ensinos. O amor de Cristo que animava seu coração o levou a se empenhar em fervorosa e incansável atividade por seus semelhantes, especialmente por seus irmãos da igreja cristã. 

Jesus tinha ordenado aos primeiros discípulos que se amassem uns aos outros como Ele os havia amado. Dessa forma, deviam dar testemunho ao mundo de que Cristo, “a esperança da glória” (Cl 1:27), habitava neles. “Eu lhes dou um novo mandamento”, disse Ele, “que vocês amem uns aos outros” (Jo 13:34). Quando essas palavras foram pronunciadas, os discípulos não puderam compreendê-las; mas, depois de haverem testemunhado os sofrimentos de Cristo, depois de Sua crucifixão, ressurreição e ascensão ao Céu, e depois que o Espírito Santo desceu sobre eles no dia de Pentecostes, tiveram mais clara compreensão do amor de Deus e da natureza desse amor que deviam possuir uns pelos outros. Então, João pôde dizer aos seus companheiros: “Nisto conhecemos o amor: que Cristo deu a Sua vida por nós; portanto, também nós devemos dar a nossa vida pelos irmãos” (1Jo 3:16). 

Depois da vinda do Espírito Santo, quando os discípulos saíram para proclamar um Salvador vivo, seu único desejo era a salvação dos perdidos. Alegravam-se na graça da comunhão com os santos. Eram amorosos, prestativos, abnegados e voluntários em fazer qualquer sacrifício pelo amor à verdade (Atos dos Apóstolos, p. 546, 547). 

PARA REFLETIR: Como você pode testemunhar a todas as classes de pessoas, assim como fez o apóstolo João? 

MEDITAÇÃO DIÁRIA

20 de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-invisivel/

2 Samuel 13 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 13
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 13 – Um capítulo triste em nossa história criará novos capítulos piores. O pecado nunca compensa, ainda que ofereça um mundo de prazeres.

Os erros de Davi em II Samuel 11 acarretaram os erros de seus filhos em II Samuel 13. O pecado é tão catastrófico que, mesmo com o perdão de Deus, as consequências são terribilíssimas.

Quanto mais elevada a posição de influência de uma pessoa, mais distante se alastram as consequências de seus pecados. “As consequências do pecado de Davi eram muito maiores do que teriam sido para um homem comum. Davi era o líder espiritual e político de Israel. Todos os olhos se voltavam para ele. Durante a maior parte de sua vida, ele fora conhecido como ‘um homem segundo o coração de Deus’. Por isso, as consequências de seu pecado foram grandes. Embora os resultados do pecado de Davi se estendessem a todo o Israel, os mais afetados foram os membros da sua própria família. Davi perdeu o respeito de seu povo e até dos pagãos que habitavam naquela terra”, destacou Gene Getz.

Muitas vezes os pecados dos pais se proliferam, multiplicando-se na vida dos filhos. O pecado sexual de Davi levou à desgraça sexual os seus filhos. Sem autoridade para repreendê-los, Davi viu o desenvolvimento avassalador do pecado na vida deles. Estupro entre irmãos, irmão mantando irmão, atitudes psicopatas, ódio, raiva, desprezo, ira, ameaças, evidenciam a desgraça que o pecado acarreta na vida familiar – o bem mais precioso que temos neste mundo!

“Desde o princípio Satanás pintou aos homens as vantagens a serem ganhas pela transgressão. Assim ele seduziu os anjos. Assim tentou Adão e Eva a pecar. E assim está ainda a afastar multidões da obediência a Deus. A senda da transgressão faz-se com que pareça desejável; ‘mas o fim deles são os caminhos da morte’. Provérbios 14:12. Felizes aqueles que, tendo-se arriscado a ir por este caminho, aprendem quão amargos são os frutos do pecado, e voltam em tempo”, ponderou Ellen White.

A revelação do caos familiar na casa de Davi nos serve de alerta demonstrando quão terrível é o pecado. Se Davi soubesse até onde o pecado afetaria, provavelmente o teria evitado. Foi para levar-nos a evitá-lo que Deus esboçou o relato de Davi.

Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.
#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

quarta-feira, 19 de outubro de 2022

O MARAVILHOSO CONSELHEIRO

 O MARAVILHOSO CONSELHEIRO

Tu me guias com o Teu conselho e depois me recebes na glória. Salmo 73:24

Deus conclama os seres humanos a se opor aos poderes do mal. Ele diz: “Não permitam que o pecado reine em seu corpo mortal, fazendo com que vocês obedeçam às suas paixões. Também não ofereçam os membros do corpo ao pecado, como instrumentos de injustiça, mas, como pessoas que passaram da morte para a vida, ofereçam a si mesmos a Deus e ofereçam os seus membros a Deus, como instrumentos de justiça” (Rm 6:12, 13).

A vida cristã é um campo de batalha. Mas “a nossa luta não é contra o sangue e a carne, mas contra os principados e as potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestiais” (Ef 6:12). Nesse conflito da retidão contra a impiedade, só podemos ter sucesso com a ajuda divina. Nossa vontade finita precisa se submeter à vontade do Infinito. A vontade humana deve se fundir à divina. Isso trará o Espírito Santo para nosso auxílio. E cada conquista tenderá a recuperar a propriedade exclusiva de Deus, a fim de restaurar Sua imagem na alma.

O Senhor Jesus age por meio do Espírito Santo, que é representante Dele. Por Seu intermédio, acrescenta vida espiritual à alma, vivificando suas energias para o bem, limpando-a da contaminação moral e tornando-a apta para Seu reino. Jesus tem grandes bênçãos a derramar, bem como ricos dons a distribuir à humanidade. Ele é o maravilhoso Conselheiro, infinito em sabedoria e força. Se reconhecermos o poder do Seu Espírito para nos sujeitar e moldar, poderemos nos apresentar completos diante Dele. Que pensamento extraordinário! Em Cristo “habita corporalmente toda a plenitude da divindade” (Cl 2:9). O coração humano só conhecerá a felicidade quando aceitar ser transformado pelo Espírito de Deus. O Espírito conforma a alma renovada ao modelo, Jesus Cristo. Mediante Sua influência, a inimizade contra Deus se transforma em fé e amor; o orgulho vira humildade. A alma percebe a beleza da verdade. Cristo é honrado em excelência e plenitude de caráter. À medida que essas mudanças são efetuadas, anjos irrompem em cânticos arrebatadores, enquanto Deus e Cristo Se alegram diante das pessoas moldadas à semelhança divina (Review and Herald, 25 de agosto de 1896).

PARA REFLETIR: Qual foi a última vez que os anjos se alegraram por uma mudança positiva efetuada pelo Espírito Santo na sua vida?

https://youtu.be/3SPi5P1DT1Q

MEDITAÇÃO DIÁRIA

1de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-maravilhoso-conselheiro/

2 Samuel 12 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 12
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 12 – Nem sempre reconhecemos que nossos erros são pecados que ofendem a Deus. A consciência cauterizada não enxerga a pecaminosidade em que encontra nossa natureza carnal. Se Deus não revelar nossos erros, facilmente consideramos que somos bons naquilo que fazemos.

Davi esquematizou para que sua transgressão não fosse descoberta. Fazemos isso pensando que, pelo fato de aparentemente ter dado certo praticar o que Deus reprova em Sua palavra, tudo estará correndo bem. Mas, a única forma de estarmos bem, é sendo confrontados por Deus em nossos pecados; e, então, sinceramente arrepender-nos, aceitando o perdão e correção de Deus. Natã confrontou a Davi com sabedoria, tato e misericórdia; Davi reconheceu seu erro e permitiu a correção de Deus, desfrutando do perdão celestial.

Nossa sociedade está mergulhada na lama da perversidade. A imoralidade sexual tem levado desde crianças a idosos à perversidade, transgredindo o padrão moral de comportamento instituído pelo nosso Fabricante; por isso, estamos desgraçadamente arruinados neste mundo de pecado. Precisamos não apenas de profetas Natãs nos dias atuais, mas também aprender a ser mais parecidos com Davi ao ser confrontado com nossos pecados.

É certo pensarmos que “Deus perdoou Davi e lhe preservou a vida”; entretanto, também devemos estar bem cientes que ele pagou um “preço terrível por um momento de prazer”, como observou Gene Getz. Mesmo com o perdão de Deus, o preço do prazer pecaminoso desenfreado cobrará muito caro. Se, porém, ainda rejeitar o perdão divino, o preço será a perdição e morte eterna.

A parábola que o profeta contou ao rei deve-se ao fato de que o pecador é mais exigente em relação aos outros do que em relação a si mesmo (II Samuel 12:1-5). É muito fácil exigir justiça quando outros erram, e esperar misericórdia quando nós erramos; por conseguinte, a parábola que serviu a Davi deve ser útil para despertar nossa indignação contra o pecado; e, ao Natã redirecionar a Davi a indignação pelo erro alheio (II Samuel 12:6-13), deve despertar-nos em nossa atual letargia espiritual.

Quando reconhecemos nossas faltas e busquemos a graça perdoadora de Deus, apesar das consequências de nossos pecados, adoraremos ao Senhor e voltaremos ao posto em que havíamos abandonado (II Samuel 11:1-4; 12:13-31). Eis o caminho do reavivamento! Trilharemos por ele hoje? – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌


terça-feira, 18 de outubro de 2022

O SUSTENTADOR DA HUMANIDADE

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

18 de Outubro

         O SUSTENTADOR DA HUMANIDADE

   Venham a Mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e Eu os aliviarei. Mateus 11:28

   Façam da obra de Cristo seu exemplo. Constantemente Ele saía fazendo o bem, alimentando o faminto e curando os enfermos. Ninguém que a Ele viesse em busca de simpatia saía desapontado. Comandante das cortes celestiais, Ele Se fez carne e habitou entre nós, e Sua vida de trabalho é um exemplo da tarefa que devemos executar. Seu amor terno e piedoso é uma repreensão a nosso egoísmo e nossa dureza de coração. 

   Cristo Se pôs como cabeça da humanidade nas vestes da humanidade. Tão plena de simpatia e amor era Sua atitude que nem o mais pobre tinha receio de ir a Ele. Era bom para todos, facilmente acessível ao mais humilde. Ia de casa em casa curando os enfermos, alimentando os famintos, confortando os tristes, tranquilizando os aflitos, falando de paz ao atribulado. Ele Se dispôs a humilhar-Se a Si mesmo, a negar-Se. Não procurava distinguir-Se. Era servo de todos. Sua comida e Sua bebida era ser um conforto e um consolo a outros, era alegrar os tristes e aliviar o fardo daqueles com quem diariamente entrava em contato. 

   Cristo Se apresenta diante de nós como um Homem padrão, o grande Médico-Missionário – um exemplo para todos que viessem depois. Seu amor puro e santo abençoava todo que estivesse dentro de Sua esfera de influência. Seu caráter era absolutamente perfeito, isento da mais leve mancha de pecado. Ele veio como expressão do perfeito amor de Deus, não para esmagar, não para julgar e condenar, mas para sanar todo caráter fraco e defeituoso, para salvar homens e mulheres do poder de Satanás. Ele é o Criador, Redentor e Sustentador da humanidade. Ele faz o convite a todos: “Venham a Mim todos vocês que estão cansados e sobrecarregados, e Eu os aliviarei. Tomem sobre vocês o Meu jugo e aprendam de Mim, porque sou manso e humilde de coração; e vocês acharão descanso para a sua alma. Porque o Meu jugo é suave, e o Meu fardo é leve” (Mt 11:28-30). 

   Qual, então, é o exemplo que devemos dar ao mundo? Devemos nos empenhar na mesma obra que o grande Médico-Missionário tomou a Si em nosso favor. Devemos seguir o caminho da abnegação assinalado por Cristo (Beneficência Social, p. 53, 54). 

   PARA REFLETIR: O que impede você de tomar o jugo de Jesus e aprender Dele? 

2 Samuel 11 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - 2 Samuel 11
Comentário
Pr Heber Toth Armí

II SAMUEL 11 – Não é sábio seguir o coração. Não termina bem a pessoa que opta pela voz dos desejos. Nossa natureza é pervertida, nossos anseios/desejos são autodestrutivos. Caso nossas decisões não forem baseadas na revelação do nosso Criador, semearemos grandes aflições/confusões em nossa curta existência que deveria ser bem aproveitada.

O interesse sexual de Davi o levou não apenas à poligamia e adultério, mas ao assassinato desnecessário de um dos seus destacados soldados. Esse negro capítulo deste homem de Deus é um legado espiritual para alertar-nos: “Aquele que julga estar firme, cuide-se para que não caia” (I Coríntios 10:12).

Não somos melhores que Davi. Mas, podemos aprender a evitar os erros dele; visando isso que o Espírito Santo fez questão de registrar nas páginas sagradas o relato deprimente da vida desse rei de Israel. Acreditar que a exposição dos erros dos personagens bíblicos é um convite a pecar ou a justificar o pecado significa utilizar a Bíblia com objetivo absurdamente equivocado.

A Bíblia é um livro para revelar como Deus lida com os pecadores; seu foco não é apresentar biografia dos seres humanos. Sua mensagem é teocêntrica, não antropocêntrica. “A Bíblia pouco tem a dizer em louvor ao homem. Pouco espaço é concedido para se narrarem as virtudes, mesmo dos melhores homens que já viveram. Este silêncio não é sem motivo; não é destituído de ensinos. Todas as boas qualidades que os homens possuem são dons de Deus; suas boas ações são realizadas pela graça de Deus mediante Cristo. Visto que tudo devem a Deus, a glória do que quer que sejam ou façam, a Ele pertence somente; não são senão instrumentos em Suas mãos. Mais que isto – conforme ensinam todas as lições da história bíblica, é coisa perigosa louvar ou exaltar o homem; pois se alguém vem a perder de vista sua inteira dependência de Deus, e a confiar em sua própria força, é certo que cairá... O conteúdo da Bíblia visa inculcar desconfiança na força humana e colocar a confiança no poder divino” (Ellen White, PP, 717).

Em II Samuel 11 Deus nos ensina que, mesmo com nossas melhores estratégias, é impossível remediar as consequências de nossos pecados. Portanto, é melhor fugir do pecado em vez de correr para ele. Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

segunda-feira, 17 de outubro de 2022

ÚNICA FONTE DE AUXÍLIO

 A ÚNICA FONTE DE AUXÍLIO

Contudo, vocês não querem vir a Mim para ter vida. João 5:40

Não é meramente a servos, enviados e profetas que você tem repelido e rejeitado, mas ao Santo de Israel, seu Redentor. Você é a única responsável por sua destruição. […]

Cristo viu em Jerusalém um símbolo do mundo enrijecido na incredulidade e rebelião e indo de encontro aos juízos retributivos de Deus. As desgraças de uma raça decaída, oprimindo Seu coração, arrancavam de Seus lábios aquele clamor extremamente amargurado. Viu a história do pecado traçada pelas misérias, lágrimas e sangue humanos. Seu coração se moveu de infinita compaixão pelos aflitos e sofredores da Terra. Desejava aliviar a todos. Contudo, nem mesmo Sua mão poderia desviar a onda das desgraças humanas. Poucos procurariam a única Fonte de auxílio. Ele estava disposto a passar pela morte, a fim de colocar a salvação ao seu alcance. Poucos, porém, viriam a Ele para que pudessem ter vida.

A Majestade do Céu em pranto! O Filho do infinito Deus perturbado em espírito, curvado em angústia! Essa cena encheu de espanto o Céu inteiro. Revela-nos a imensa malignidade do pecado. Mostra como é difícil, mesmo para o Poder infinito, a tarefa de salvar o culpado das consequências da transgressão da lei de Deus. Olhando para a última geração, Jesus viu o mundo envolto em engano semelhante ao que causou a destruição de Jerusalém. O grande pecado dos judeus foi o de rejeitar a Cristo. O grande pecado do mundo cristão seria rejeitar a lei de Deus, fundamento de Seu governo no Céu e na Terra. Os preceitos de Jeová seriam desprezados e anulados. Milhões na servidão do pecado, escravos de Satanás, condenados a sofrer a segunda morte, se recusariam a escutar as palavras de verdade no dia de sua visitação. Que terrível cegueira! Que estranha presunção!

Dois dias antes da Páscoa, quando Cristo havia Se afastado pela última vez do templo, depois de denunciar a hipocrisia dos líderes judaicos, saiu novamente com os discípulos para o monte das Oliveiras e Se assentou com eles na encosta gramada, de frente para a cidade. Mais uma vez contemplou seus muros, torres e palácios. Observou de novo o templo em seu deslumbrante esplendor, como diadema de beleza coroando o monte sagrado (O Grande Conflito, p. 22, 23).

PARA REFLETIR: Em que área da sua vida é possível que você esteja recusando o apelo de Jesus?
https://youtu.be/mMGSfw5A7Oo

MEDITAÇÃO DIÁRIA

1de Outubro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-unica-fonte-de-auxilio/

A PUREZA INFINITA

  A PUREZA INFINITA E todo o que tem essa esperança Nele purifica a si mesmo, assim como Ele é puro. 1 João 3:3 Ao terminar o discurso, Jesu...