terça-feira, 30 de agosto de 2022

Juízes 18 Comentário

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica - Juízes 18
Comentário Pr Heber Toth Armí

JUÍZES 18 – A boa intenção religiosa não tem valor perante Deus caso a prática da religião não for pautada pela revelação dAquele que recebe a adoração. Promiscuidade religiosa promove uma sociedade perigosa. A degradação da religião é notadamente perceptível na depravação da sociedade.

A religião aceitável a Deus não é a mais conveniente ao religioso. A Bíblia não dá margem para que cada um faça o que, como e quando achar melhor. Fazendo nossa vontade, deixaremos de fazer a vontade de Deus. A corrupção moral vem de negligenciar a revelação sobrenatural. Desgraças na sociedade resultam de abandonar princípios da Palavra de Deus (Juízes 18:18-28).

Quando os danitas enviaram cinco guerreiros para encontrarem um espaço. por estarem sendo pressionados pelos cananeus (Josué 19:37; Juízes 1:34; 18:1-3), encontraram o sacerdote e o santuário de Mica, da tribo de Efraim. Depois, retornaram para ali com 600 homens para roubarem os valiosos ídolos de Mica e a estola sacerdotal. Os danitas levaram junto ao levita para Laís, exterminaram os habitantes de lá, vandalizaram a cidade, e mudaram seu nome para Dã; então, alojaram-se ali (Juízes 18:13-29).

O levita chamado Jônatas viu a oportunidade de ganhar mais dinheiro acompanhando aos danitas. Por isso, traiu seu patrão ajudando roubar Mica. Embora fosse neto direto de Moisés (Juízes 18:30), seu comportamento evidencia a profunda degradação espiritual que vivia a nação do povo de Deus. “Moisés estabelecera o culto apropriado no tabernáculo, mas seus descendentes estavam exercendo a função em santuários rivais na terra (cf. 18:31)” (Kenneth Mathews).

Alguém pode questionar que isso acontecia num contexto onde a Palavra de Deus era inacessível ao povo. Porém, falando dos dias atuais, Hernandes Dias Lopes declara haver “líderes espirituais sem temor a Deus [transformando] a igreja numa empresa familiar, o púlpito num balcão, o evangelho num produto lucrativo, o templo numa praça de barganha, e os crentes em consumidores. Os escândalos se multiplicam em nosso país e ao redor do mundo, providos pelos camelôs de luxo da religião do lucro, que acumulam fortunas e formam verdadeiros impérios econômicos pela exploração da fé. Esses líderes, mais amantes do poder e do dinheiro do que de Deus, pregam falsas doutrinas, vendem falsas promessas e enganam os incautos com um falso evangelho”.

Reavivemo-nos na Palavra de Deus! – Heber Toth Armí.

#ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

Nenhum comentário:

O CONSUMADOR DA OBRA

  MEDITAÇÃO DIÁRIA O CONSUMADOR DA OBRA Quando Jesus tomou o vinagre, disse: “Está consumado!” João 19:30 O Senhor não vem a este mundo com ...