sábado, 21 de outubro de 2023

Provérbios 18 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Provérbios 18
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


PROVÉRBIOS 18 – Neste capítulo, nossas palavras continuam precisando ser avaliadas, a fim de que nossa língua seja reavivada e reformada.

• Como está a tua comunicação?
• Precisa melhorar?

Então vamos continuar juntos refletindo na Palavra Sagrada com objetivo de sermos miraculosamente transformados:

Lendo Provérbios 18:4-8, 13, 19-21 somos desafiados a cair de joelhos e clamar por uma forte intervenção divina em nossa terrível língua. “Salomão tinha muito a dizer a respeito do que dizemos. Na verdade, língua, boca, lábios e palavras aparecem aproximadamente 150 vezes no livro de Provérbios. Em média, uma referência à fala aparece cinco vezes em cada um dos trinta e um capítulos”, observa Charles Swindoll.

Comentando sobre Provérbios 10:8, 19 e 17:27-28, Swindoll afirma: “A verborragia é o costume de falar demais, dizendo pouco. As pessoas que são verborrágicas normalmente se sentem impelidas a comentar sobre toda e qualquer coisa, seja porque temem o silêncio ou porque creem, sinceramente, que uma conversa sem sentido é melhor que nenhuma. Assim, essas pessoas enchem o abençoado silêncio com conversas vazias. Irrompem sem hesitação. Falam primeiro e pensam depois... se é que pensam! E, com tudo o que falam, não ouvem”.

• Como precisamos de transformação em nossa comunicação! Graças a Provérbios, podemos obter essa percepção: “A língua tem poder sobre a vida e sobre a morte; os que gostam de usá-la comerão do seu fruto” (Provérbios 18:21).

Além de nossas palavras, nosso trabalho e salário precisam ser influenciados pelos princípios celestiais o tempo todo; do contrário, vivemos como os incrédulos que não temem a Deus:

1. “Quem relaxa em seu trabalho é irmão do que o destrói” (Provérbios 18:9). A preguiça empobrece, a diligência enriquece (Provérbios 10:4; 12:24). Por isso, Paulo foi taxativo: “Se alguém não quiser trabalhar, também não coma” (II Tessalonicenses 3:10). O trabalho afasta de nós três grandes males: Tédio, vício e necessidade.
2. “O pobre implora misericórdia, mas o rico responde com aspereza (Provérbios 18:23). A disparidade social e econômica não é motivo para desprezo ou mesmo exploração, tanto o pobre quanto o rico precisa alinhar sua vida aos princípios divinos!

Enfim, em tudo na vida precisamos permitir que Deus nos molde. Nas palavras, no trabalho, no salário, na sociedade, na família... (Provérbios 18:1-5, 11-12, 15-18, 22-24). Portanto, vamos reavivar-nos? – Heber Toth Armí.
••••

Nenhum comentário:

Jovens a serviço

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 18 de maio https://mais.cpb.com.br/meditacao/jovens-a-servico/ Jovens a serviço Expondo estas ...