sábado, 22 de maio de 2021

Na Prisão

MEDITAÇÃO DIÁRIA

22 de maio, sábado

Na Prisão

O carcereiro encarregou José de todos os que estavam na prisão, e ele se tornou responsável por tudo o que lá sucedia. Gênesis 39:22, NVI

É um estranho sentimento ver a cela de uma prisão ser fechada e ouvir o carcereiro virar a chave. A primeira reação é procurar uma maneira de sair. O confinamento é um horror. Sei disso porque passei pela experiência. Eu estava no exército e tinha saído para uma licença um tanto irregular. Retornando à minha base duas semanas mais tarde, fiquei preso por 24 horas. No dia seguinte fui sentenciado. Por duas semanas não me foi permitido deixar as barracas. Tive de responder a chamadas cada hora e fazer as tarefas mais indesejadas.

A experiência de José no Egito foi muito pior. Sua sentença de prisão não tinha limites. Poderia ficar na prisão por toda a vida pelo seu “crime”. Fechado dentro de quatro paredes, com liberdade restringida a esse pequeno espaço, deve ter sido uma situação desencorajadora, sem esperança.

Embora esquecido pelos homens, Deus não havia se esquecido de José. O Espírito Santo trabalhou em favor de José. Reconhecendo que aquele prisioneiro era diferente dos outros, possuidor de responsabilidade, o guarda entregou a José a supervisão dos demais prisioneiros. Essa responsabilidade foi um grande passo para coisas maiores, e a Seu próprio tempo Deus colocou o jovem cheio do Espírito em posição que lhe permitia render maior glória e melhor serviço.

Não é preciso estar atrás das grades para se sentir prisioneiro. Existem jovens que podem ser prisioneiros de hábitos. Satanás coloca diante de nós coisas aparentemente inocentes que podem ser na verdade hábitos destruidores do caráter e, consequentemente, dominadores absolutos. Assim como o Espírito Santo mudou o rumo da vida de José, livrando-o das restrições da prisão e colocando-o onde ele pudesse melhor servi-Lo, Deus nos livra da prisão do pecado e nos usa para Sua glória. O apóstolo Paulo declarou que era romano, nascido livre (At 22:28). No entanto, a liberdade só se efetivou de fato na vida dele depois de seu encontro com Jesus no caminho de Damasco. Foi a partir de então que ele se tornou nova criatura em Cristo. Essa pode ser nossa experiência hoje.

William L. Barclay, 3/2/1973

Nenhum comentário:

A Morte do Pardal

  Meditação Diária Quarta-feira, 22 de setembro A MORTE DO PARDAL Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem ...