terça-feira, 25 de maio de 2021

Caminho Errado! Retorne!

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de maio, terça

Caminho Errado! Retorne!

Pois vocês eram como ovelhas desgarradas, mas agora se converteram ao Pastor e Bispo de suas almas. 1 Pedro 2:25, NVI

Nem todos os motoristas leem os sinais das estradas. Imagine o horror de dirigir na contramão em uma rodovia movimentada. Isso não é algo incomum. Por falta de atenção, motoristas acabam sendo surpreendidos com o fluxo contrário vindo rapidamente em sua direção.

Na vida espiritual, quando os sinais do Espírito Santo nos advertem sobre nossos descaminhos, qual é a nossa atitude? Nós nos arrependemos e damos meia-volta? Ou nos mantemos em rota de colisão?

Em geral não é fácil voltar. Fazer isso implica uma apreciação, uma estimativa de opiniões e comportamento prévios. Alguns acham a conversão relativamente simples, outros a acham difícil ou mesmo impossível.

A conversão sempre tem um resultado prático. Por si mesmas, teorias não realizam a transformação. Quando damos meia-volta, a vida muda. A pessoa convertida não continua deliberadamente em pecado, mas toma uma nova direção moral e ética. Converter-se a Cristo significa deixar os caminhos das próprias escolhas e aceitar as de Deus para nós.

A pessoa convertida torna sua a vontade a Deus. Volta-se da cegueira de seus caminhos para o Salvador. Não se concentra na velha vida, como se devesse lidar com ela, mas em Jesus Cristo. A conversão não é Deus forçando Sua vontade sobre nós, mas nosso retorno a Ele em um ato de livre vontade.

Na linguagem figurada do livro do Apocalipse, o Cordeiro fica no monte Sião. De todas as direções, os redimidos afluem para Ele. Cristo toma Sua posição onde todos devem estar. Qualquer que se arrepende volta-se em Sua direção e toma seu lugar com Ele.

No sistema feudal da Idade Média, cada pessoa estava sujeita a um senhor. Os servos, por exemplo, curvavam-se diante do senhor do domínio feudal. Os senhores dos solares ou propriedades feudais serviam aos duques e condes. Estes, por sua, prestavam obediência ao rei, que hipoteticamente curvava-se diante de Deus. O senhor imediato de cada um o possuía, de corpo e alma. Ele podia ordenar seus serviços, fazê-lo marchar para a batalha e mudar sua condição social.

Jesus, o Senhor dos conversos, nos comanda na nova vida. Como as ovelhas das quais Pedro fala, nos convertemos ao único Pastor, o único Senhor, Jesus Cristo, nosso Redentor. “Quanto mais conhecermos a Deus, tanto mais elevado será nosso ideal de caráter, e mais veemente o nosso anseio de Lhe refletir a imagem” (Ellen G. White, O Maior Discurso de Cristo, p. 19).

Walter Scragg, 22/6/1988

Nenhum comentário:

A Morte do Pardal

  Meditação Diária Quarta-feira, 22 de setembro A MORTE DO PARDAL Não se vendem dois pardais por um asse? E nenhum deles cairá em terra sem ...