sexta-feira, 23 de fevereiro de 2024

A única rocha

 A única rocha

Pois quem é Deus além do Senhor? E quem é Rocha senão o nosso Deus? 2 Samuel 22:32, NVI

Davi se livrara da perseguição de Saul e de seus inimigos e, em um ato de louvor, começou a cantar um hino: “O Senhor é a minha Rocha, a minha Fortaleza e o meu Libertador; o meu Deus é a minha Rocha, em que me refugio” (2Sm 22:2, 3, NVI). Aqui Davi pronuncia sua confiança no Eterno e sua decisão de tornar o Senhor seu único Deus.

Essa não era a atitude religiosa que os hebreus costumavam ter naquela época. A maioria cria em Deus e, embora O considerasse o mais importante, também adorava outros deuses. Alguns, por conta de tradições familiares, gostavam de incluir seus antepassados em seus ritos. Outros, mais hedonistas e dados aos prazeres, preferiam adorar as deusas cananeias. Esses eram fascinados pelas festas celebradas na escuridão dos bosques ou no alto das colinas. Foram encontrados restos arqueológicos de centros de adoração hebraicos que representam o Senhor como uma grande pedra, sendo que, a Seu lado, aparecem outras pedras menores, possivelmente deusas como Anate ou Aserá.

Entretanto, Davi proclamava abertamente: “Quem é Deus além do Senhor? E quem é Rocha senão o nosso Deus?” Não há ninguém, absolutamente ninguém, que seja Deus; ninguém, exceto o Senhor. Ninguém tem o poder de ser a Rocha. Ele é a fonte de toda estabilidade, e Seu poder é único.

Por vezes, somos tentados a nos apoiar sobre outras plataformas além da divina. Achamos que, se trabalharmos arduamente e tivermos sucesso econômico, tudo estará assegurado. Colocamos uma pedra ao lado da pedra de Deus. Supomos que se formos inteligentes e tivermos muitos contatos e amizades, a vida ficará mais tolerável. E colocamos outra pedra. Cremos que, por termos muitas responsabilidades eclesiásticas e realizarmos um monte de boas obras, de alguma maneira estamos ajudando em nossa salvação. Outra pedra, e outra, e talvez mais outra. Até que nossas pedras encobrem a de Deus. Um dia, vem o terremoto da adversidade e compreendemos a futilidade de nossas pedras. Somente então entendemos que só há uma Rocha.

Não permita que suas pedras distraiam você. Suba na Pedra verdadeira e exclame: “O Senhor é a minha Rocha, a minha Fortaleza e o meu Libertador”.

Devocional Diário 

Vislumbres da eternidade 

23 de fevereiro

https://mais.cpb.com.br/meditacao/a-unica-rocha/

•••

Nenhum comentário:

Palavras caducas e palavras perenes

  Devocional Diária Palavras caducas e palavras perenes “Os lábios que falam a verdade permanecem para sempre, mas a língua mentirosa desapa...