quinta-feira, 8 de fevereiro de 2024

Esperança divina

 Esperança divina

Abrão creu no Senhor, e isso lhe foi atribuído para justiça. Gênesis 15:6

Depois de anos emigrando, Abraão tinha aprendido dois conceitos extremamente importantes para os nômades: o valor das estrelas e da família. As estrelas eram o mapa da Antiguidade, pois informavam a posição e a trajetória dos viajantes. Sob aquele céu estrelado, Abraão se lembrava com clareza de sua saída de Ur, dos caminhos até Harã, da marcha para a aventura. Mas ele ainda não tinha descendentes.

Certa noite, Deus pediu que ele contasse as estrelas. Abraão ficou atônito, pois eram muitíssimas. O Senhor então prometeu: “Assim será a sua posteridade” (v. 5). E Abraão creu. Esse ato de fé revelava muito mais sobre religião do que ele próprio foi capaz de compreender naquele momento.

Paulo gostava desse relato e o mencionou em diversas ocasiões. Mas é em Romanos 4 que ele parece desfrutá-lo mais, fazendo uma leitura mais detalhada. Paulo nos relembra que somente a fé é necessária para sermos justificados por Jesus (v. 3), que as obras não podem comprar nossa salvação. O apóstolo enfatiza que Abraão não era circuncidado quando aconteceu o evento (v. 9, 10). Hoje em dia, esse conceito nos parece sem importância, mas era vital no primeiro século. Circuncidados, os judeus eram os descendentes de Abraão e depositários da fé. Os gentios estavam fora desse círculo. Mas Paulo os faz lembrar que não existem restrições para a fé, e que todos, absolutamente todos, podemos viver essa experiência.

Abraão teve paciência para esperar e ver como a promessa seria cumprida; ele não possuía uma fé passageira, mas constante. “Esperando contra a esperança” (v. 18), ele creu. Isso quer dizer que, quando a esperança humana não é suficiente, devemos abraçar a esperança divina. Era possível que um idoso casado com uma idosa tivesse um filho? Humanamente, não. Mas Deus tem outras maneiras de proceder, e Abraão acabou tendo uma grande descendência.

No jogo da vida, Jesus é polivalente. Ele Se coloca em nosso lugar e nos salva. Isso vale para qualquer situação, inclusive as que parecem sem solução. Para Ele, não importa o quanto dure a partida, pois, no fim, Ele sempre ganhará. E, com Ele, vencem todos os que O seguem. Permaneça firme em Jesus! 

Devocional Diário

Vislumbres da eternidade
8 de fevereiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/esperanca-divina/

•••

Nenhum comentário:

Lecitina espiritual

DEVOCIONAL DIÁRIO - VISLUMBRES DA ETERNIDADE  27 de fevereiro Lecitina espiritual    Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Por isso,...