quarta-feira, 20 de setembro de 2023

Salmos 137 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Salmos 137

Comentário: Pr. Heber Toth Armí

SALMO 137 – Este Salmo não visa apresentar o perfil de Deus; ele revela o perfil do adorador que sofre aflições num mundo cruel, juntamente com as consequências de suas transgressões.

• O Salmo 137 foi escrito enquanto os judeus viviam aflitos no exílio babilônico após a destruição de Jerusalém e seu magnífico Templo. Ele reflete nos sentimentos de tristeza, nostalgia e desespero daqueles que foram arrancados de sua terra e levados para terras estrangeiras como consequência da desobediência. Mesmo assim, arruinados, destruídos e humilhados, os adoradores se lembraram de Deus. Não seria isso positivo?

• O Salmo 137 expressa de forma honesta e sincera os sentimentos de tristeza, saudade e angústia. Ele ajuda a organizarmos nossos sentimentos negativos, auxiliando-nos a reconhecer a realidade da dor do sofrimento humano quando mergulhado em adversidades e tomado por grandes dificuldades. O texto sagrado mostra que é aceitável expressar até nossos piores sentimentos e extravasar perante Deus através da oração. Não seria isso positivo?

• O Salmo 137 apresenta a importância da lembrança. Lembrar de Jerusalém ou recusar-se a esquecer de nossa origem, princípios e fé às vezes só acontece quando nossos atos nos levam à miséria. Há ocasiões em que até mesmo os cristãos se lembram de suas raízes espirituais e da importância de permanecer firmes na fé quando mergulhados na dor, experimentando a angústia e a aflição por terem abandonado a Deus e o caminho da fé. Não seria isso positivo?

• O Salmo 137 evidencia a dificuldade de louvar a Deus em situações desfavoráveis; apesar disso, a composição do Salmo, ainda que em tons bem pessimistas, depressivos, expressando raiva e ódio, etc. mostra que, mesmo com os sentimentos estando num caos, à flor da pele, é possível adorar a Deus. Obviamente, não será perfeito tal louvor; contudo, vindo de pecadores nunca será perfeito em lugar algum – então, o importante é louvar do jeito em que estamos. Não seria este um ensino positivo?

Os judeus no exílio, “enquanto penduravam suas harpas nos salgueiros, e lamentavam o santo templo em ruínas, a luz da verdade brilhava por meio deles, e difundia-se entre as nações o conhecimento de Deus”, observa Ellen White.

Portanto, mesmo sendo desafiador o cativeiro, teve vários aspectos positivos. Ainda rendeu um Salmo para lermos e estudarmos; portanto, reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
••••

Nenhum comentário:

Teoceno

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de maio https://mais.cpb.com.br/meditacao/teoceno/ Teoceno Nós, porém, segundo a promessa d...