terça-feira, 25 de abril de 2023

O SERVO DOS SERVOS

 O SERVO DOS SERVOS

Cristo Jesus, [...] mesmo existindo na forma de Deus, [...] Se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-Se semelhante aos seres humanos. [...] Ele Se humilhou, tornando-Se obediente até a morte, e morte de cruz. Filipenses 2:5-8

No interior paulista, morava um rico fazendeiro. Ele possuía terras e gado em Goiás e no Mato Grosso. Há muitos anos, na fazenda ao norte do Mato Grosso, muito distante de qualquer cidade, desapareceram algumas máquinas, implementos agrícolas e animais. Um empregado foi encontrado morto. A polícia foi comunicada. Examinaram o lugar, mas nada descobriram.

As mortes e os roubos continuaram. Em sua casa, o fazendeiro se reuniu com seu único filho. Discutindo sobre o que fazer, elaboraram um plano. Dias mais tarde, apareceu naquela fazenda um moço, descalço e pobremente vestido, pedindo emprego. Como precisavam de trabalhadores, ele foi logo contratado. Ninguém sabia, mas aquele jovem era o filho do fazendeiro. Durante três meses, ele trabalhou como os outros empregados, comeu a mesma comida que eles, dormiu em um colchão de palha, como acontecia com os outros, e morou em uma casinha rústica como seus companheiros. Seu objetivo era encontrar uma solução para o problema.

Depois de viver no lugar por três meses, ele descobriu que uma quadrilha havia se infiltrado na fazenda. Sabendo quem eram seus integrantes e tendo as provas necessárias para condená-los, mandou um recado ao pai, que chegou repentinamente com a polícia. Mediante as informações do filho, os criminosos foram presos e afastados para sempre daquele lugar.

Será que, naqueles três meses em que esteve na fazenda, o moço deixou de ser filho do fazendeiro? Deixou de correr em seu corpo o sangue recebido de seu pai? Deixou de ser dono e herdeiro de tudo? Não! Naqueles meses, ele poderia ter comido a melhor refeição, dormido na melhor cama, morado na sede da fazenda e ficado sem trabalhar. Contudo, para resolver um problema, ele temporariamente se dispôs a não usar sua autoridade nem seus privilégios.

Essa história – inventada – ilustra o fato de que Cristo, quando esteve aqui, era Deus, mas não usou a plenitude de Seus poderes até que Sua missão estivesse concluída. Sua humilhação foi o que garantiu a vitória sobre o inimigo, e hoje podemos ter a certeza de que o mal um dia findará .

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de abril
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-servo-dos-servos/

https://youtu.be/8RV-gDfM3hs

Nenhum comentário:

Jenga e Lego

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 20 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/jenga-e-lego/ Jenga e Lego Irmãos, pelo nome de ...