quarta-feira, 1 de fevereiro de 2023

A NATUREZA DA TENTAÇÃO

 A NATUREZA DA TENTAÇÃO

Porque não temos Sumo Sacerdote que não possa Se compadecer das nossas fraquezas; pelo contrário, Ele foi tentado em todas as coisas, à nossa semelhança, mas sem pecado. Hebreus 4:15

Jesus, de modo diferente de nós, não tinha inclinação para o mal. Nada havia dentro Dele que O impelisse ao pecado. De que maneira, então, Ele foi tentado em todas as coisas como nós? Para compreender essa declaração, precisamos responder a duas perguntas.

Primeira: É necessário que alguém tenha natureza pecaminosa para ser tentado? Não! Adão não a possuía, era perfeito e, contudo, foi tentado e caiu. O que é preciso possuir para ser tentado é o livre-arbítrio, a possibilidade de escolher entre o bem e o mal. Tanto Adão quanto Cristo tinham essa liberdade e foram tentados. Ambos poderiam falhar.

Segunda: Qual é a natureza da tentação? Ela pode variar quanto à forma em que se apresenta, ao lugar onde ocorre e à intensidade com que chega a nós. Em essência, porém, é sempre a mesma. Cada vez que ela se manifesta, a questão é: Vou fazer a vontade de Deus ou a minha vontade? Vou depender de Deus ao enfrentar a tentação ou vou agir por conta própria? Vou amar a Deus acima de pessoas ou coisas? Sendo assim, a tentação de Adão foi: “Devo fazer o que Deus quer, não provando o fruto proibido, ou vou fazer o que Eva está pedindo, comendo o fruto?” Para José, a tentação foi: “Vou permanecer puro ou realizar os desejos da esposa de Potifar?”

No deserto da tentação, Jesus teve que decidir entre confiar em Deus, esperando que Ele O alimentasse no tempo certo, ou acatar a sugestão de Satanás, realizando um milagre em benefício próprio. No Getsêmani, a tentação foi: “Vou cumprir a vontade do Pai e enfrentar a cruz ou vou desistir da missão?” Na cruz, a tentação consistia em atender ao pedido daqueles que clamavam para que Ele descesse dali, em detrimento da realização da vontade do Pai e da necessidade de suportar todo o sofrimento. De fato, o lugar pode ser outro, assim como a forma e a força, mas, essencialmente, a tentação é sempre a mesma: “Vou me posicionar ao lado do bem ou do mal?” Assim, Jesus enfrentou a tentação à nossa semelhança e, hoje, Ele nos entende e está pronto para ajudar. Vamos buscar Seu socorro?
https://youtu.be/6KbFVJStB40
•••

Nenhum comentário:

Lecitina espiritual

DEVOCIONAL DIÁRIO - VISLUMBRES DA ETERNIDADE  27 de fevereiro Lecitina espiritual    Para a liberdade foi que Cristo nos libertou. Por isso,...