sexta-feira, 28 de junho de 2024

Miqueias 4 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse


Leitura Bíblica – Miqueias 4
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


MIQUEIAS 4 – Assim como Israel foi liberto do exílio babilônico, Cristo redime a humanidade do cativeiro do pecado. Este capítulo aponta para a realeza restaurada em Jerusalém, que se cumpre em Jesus, o Rei dos reis, que estabelece Seu reino eterno.

Nesse reino, o Messias inclui os marginalizados e aflitos, cumprindo a promessa de reunir e fortalecer os dispersos (Miqueias 4:5-13). O “monte do templo” elevado simboliza a plena manifestação do Reino de Deus no fim dos tempos, onde Ele será reconhecido por todas as nações. A reunião das nações em Jerusalém prefigura a futura unidade global sob o governo divino (Miqueias 4:1-3). A promessa de que as nações não aprenderão mais a guerra realiza-se plenamente no Novo Céu e Nova Terra (I Pedro 3:13).

A imagem de cada um sentado sob a videira e figueira aponta para a segurança e prosperidade eterna dos redimidos na presença de Deus (Miqueias 4:4). A reunião e fortalecimento dos dispersos e aflitos culmina na restauração final dos fiéis na Nova Jerusalém (Miqueias 4:6-8). Assim como Israel foi liberto do exílio no passado, os crentes serão finalmente libertos do sofrimento e habitarão para sempre com o Senhor (I Tessalonicenses 4:17).

O texto de Miqueias 4:1-13 traz uma mensagem rica em significado:

• Teologicamente, reafirma a supremacia de Deus, a importância de Sua Lei, e a promessa de um futuro de paz e justiça. No fim dos tempos, Deus estabelecerá Seu reino de maneira definitiva e visível, reconhecido por todas as nações. Ali a Lei de Deus será a norma eterna de justiça.

• Cristologicamente, prefigura a vinda de Cristo, Sua obra de redenção e Seu reinado eterno sem nenhuma concorrência e oposição. A vinda de Cristo é o início da realização das promessas messiânicas, que serão completadas em Sua segunda vinda trazendo libertação completa das consequências do pecado aos súditos do Seu reino.

• Escatologicamente, aponta aos últimos dias, ao julgamento final, à restauração plena dos fiéis, e à paz universal que reinará no reino divino. Deus julgará as nações, recompensando os justos e punindo os ímpios.

Os planos de Deus nos fazem esperar Novos Céus e Nova Terra onde não haverá mais dor, sofrimento ou guerra, mas onde a paz e a justiça divina reinarão eternamente.

Temos razões para reavivarmo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
••••

Nenhum comentário:

Imagens da igreja

  Devocional Diário  Vislumbres da eternidade  17 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/imagens-da-igreja/ Imagens da igreja Ele é como...