terça-feira, 14 de maio de 2024

Daniel 2 Comentário

  Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Daniel 2
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


DANIEL 2 – Os escritos do profeta Daniel são frequentemente comparados ao último livro da Bíblia, o Apocalipse, por sua profundidade profética e sua mensagem relevante para os tempos atuais.

Daniel 2 trata de sonhos e suas interpretações, consultas a sábios e astrólogos para compreender eventos futuros. Mostra como o poder político exerce sua autoridade e capacidade de emitir decretos severos para executar quem quiser. Demonstra a importância da diplomacia, sabedoria e bom senso na administração, como exemplificado por Daniel ao interceder pela vida dos outros sábios.

Sobretudo, a narrativa destaca a relevância de crer num Deus soberano que administra a história das nações e revela mistérios aos Seus servos. Apresenta a ideia de que o poder e autoridade dos governadores são concedidos por Deus, e eles devem reconhecer Sua soberania (Daniel 2:20-23, 36-38, 47).

Os metais da estátua vista em sonho por Nabucodonosor foram interpretados por Daniel como uma sucessão de reinos. Temos a ascensão e queda de impérios, representados na visão da estátua:

• Cabeça de ouro: Império Babilônico.
• Peito e braços de prata: Império Medo-Persa.
• Ventre e coxas de bronze: Império Grego, de Alexandre, o Grande.
• Pernas de ferro: Império Romano.
• Pés de ferro e barro: A divisão do Império Romano, originando a Europa.
• Pedra que esmigalha a estátua: Representa o Reino Imutável de Deus, que destruirá todos os reinos/impérios terrenos para estabelecer Seu Reino de amor.

Quase tudo se cumpriu daquilo que a estátua representa; estamos no período dos pés, aguardando a chegada da pedra (Daniel 2:34-35, 44-45). Deste capítulo, muitas verdades são preciosas, importantíssimas, merecendo nosso apreço:

A estátua representa a sucessão de impérios que governariam sobre a Terra, desde o Império Babilônico até o estabelecimento de um Reino que realmente será indestrutível.

O fato de diferentes materiais da estátua serem reduzidos à pó revela transitoriedade e fragilidade dos reinos/impérios humanos em contraste com permanência e solidez do reino de Deus.

A visão oferece esperança real àqueles que confiam em Deus. Independentemente dos desafios, opressão política, tribulações, etc. enfrentados ao longo da história, o plano de Deus prevalecerá no final.

A “Pedra” não significa a primeira vinda de Cristo; também não se limita à Sua segunda vinda. Somente no final do milênio o Reino de Deus será absoluto (Apocalipse 17:1-22:6). Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
••••

Nenhum comentário:

Teoceno

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de maio https://mais.cpb.com.br/meditacao/teoceno/ Teoceno Nós, porém, segundo a promessa d...