sábado, 17 de fevereiro de 2024

Vontade de festejar

Vontade de festejar


Haverá mais alegria no Céu por um pecador que se arrepende do que por noventa e nove justos que não necessitam de arrependimento. Lucas 15:7

Ela perguntou: “O que é pior? Cometer um erro ou não se arrepender dele?” Não foi curto o silêncio que se seguiu. Dizem que a pessoa mais simples do mundo é capaz de fazer uma pergunta tão difícil que o mais sábio dos homens pode levar toda a vida para respondê-la. Aquela era uma dessas perguntas. Não havia uma resposta fácil.

Hoje, as pessoas não assumem mais a responsabilidade por seus erros. Lembro-me de certa pessoa que vinha cometendo um grave erro há muito tempo e veio à minha casa para ter uma conversa com o pastor e amigo. Tinha lágrima nos olhos, corpo encolhido, olhar esquivo. Parecia extremamente aflita. Por um momento, pensei que estivesse arrependida. Então, começou a acusar uma pessoa após a outra. Ela se recusava a reconhecer a verdadeira causa de sua realidade. Quando ela foi embora, eu tinha certeza de que suas falhas não se acabariam, pois ela não aceitava sua situação. E assim foi.

Qual é o maior problema? Cometer um erro ou não se arrepender dele? O ditado popular bem que poderia ser: “Diga-me que erro você cometeu, e direi quem você é.” Mas, na realidade, terminará dizendo: “Diga-me como você reage diante do seu erro, e direi quem você é.” Cometer um erro pode custar uma advertência, uma multa, a privação da liberdade e até mesmo a vida. Não se arrepender dele pode custar a eternidade.

O cristianismo tem outra atitude frente ao pecado. Em primeiro lugar, não evita abordar a realidade; ele a enfrenta. Reconhecer o erro é extremamente valioso porque é um passo essencial para se achar a solução. Em segundo lugar, essa situação gera um profundo sentimento de tristeza. Esse sentimento nada tem que ver com as consequências, mas com as relações. “Como pude falhar com um amigo, com Amigo? Eu O amo tanto que sinto como se fosse fatal ter feito o que fiz.” A contrição nos permite mudar de expressão. Não empregaremos mais o “é culpa de…”, mas o “graças a…”, pois a culpa é nossa e a solução é de Jesus. Graças a Cristo, uma mudança é produzida em nossa vida.

Você já se arrependeu sinceramente do que fez e clamou por perdão? Aproveite a oportunidade e faça isso agora. Hoje é o dia da salvação.

Devocional Diário
Vislumbres da eternidade

17 de fevereiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/vontade-de-festejar/

•••

Nenhum comentário:

Palavras caducas e palavras perenes

  Devocional Diária Palavras caducas e palavras perenes “Os lábios que falam a verdade permanecem para sempre, mas a língua mentirosa desapa...