sábado, 27 de janeiro de 2024

Membros da mesma família

 Membros da mesma família

Vocês ouviram o que foi dito: “Ame o seu próximo e odeie o seu inimigo.” Eu, porém, lhes digo: amem os seus inimigos e orem pelos que perseguem vocês. Mateus 5:43, 44

Você já percebeu como muda a avaliação que fazemos das pessoas quando se trata de nossa família? Enquanto os outros são teimosos, nossos familiares são persistentes. Enquanto os outros são fofoqueiros, nossos familiares se interessam pela vida dos demais. Eu tive um amigo brasileiro que afirmava com fina ironia que seus amigos só tinham virtudes; qualquer coisa negativa era pertinente aos outros.

A certa altura do Sermão do Monte, Jesus Se dedicou a corrigir conceitos equivocados. Um deles tem a ver com quem amamos e quem odiamos. Se fosse feito um estudo sobre o que pensamos acerca dessa questão, tenho certeza de que a grande maioria afirmaria que é necessário apreciar os que estão perto de nós (nosso próximo), ser neutros com os que conhecemos e, obviamente, rejeitar nossos adversários. Jesus, no entanto, não pensa assim. Ele sabe que amar ou odiar nos modifica e que odiar nos transforma em pessoas piores. Ele sabe que tanto o amor quanto o ódio são estilos de vida que não podem coexistir.

Certa lenda conta que um menino indígena se aproximou do avô em busca de conselho. “Vovô, existem dois lobos dentro de mim. Um lobo bom, que deseja ser fiel; e um lobo mal, que deseja causar danos. Eles vivem lutando dentro de mim. Qual deles você acha que vencerá?”, perguntou o menino. O avô olhou para ele com o carinho dos que realmente são sábios e afirmou: “Aquele que você alimentar.” O que Jesus nos pede é que deixemos de alimentar qualquer tipo de ódio. Deixe que a maldade morra de inanição. Como indica Ellen G. White, “os filhos de Deus são os que partilham de Sua natureza. Não é a posição terrena nem o nascimento, tampouco a nacionalidade ou os privilégios religiosos, o que prova que somos membros da família de Deus; é o amor, um amor que envolve toda a humanidade” (O Maior Discurso de Cristo, p. 54 [75]).

É como se Deus nos dissesse: “Estes também são Meus filhos e, portanto, seus irmãos também. Somos uma família, e a família vê as coisas de outra maneira.” Quando procuramos enxergar as pessoas dessa forma, não há inimigos. Todos se tornam alvos do nosso amor e perdão. 

Devocional Diário

Vislumbres da eternidade
27 de janeiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/membros-da-mesma-familia/

•••

Nenhum comentário:

Penélope

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 21 de junho https://mais.cpb.com.br/meditacao/penelope/ Penélope Portanto, irmãos, sejam pacie...