segunda-feira, 29 de janeiro de 2024

Amem e amém

 Amem e amém

Eu lhes dou um novo mandamento: que vocês amem uns aos outros. Assim como Eu os amei, que também vocês amem uns aos outros. João 13:34

Preciso explicar o contexto para que se compreenda a história. Fazia meses que eu frequentava uma igreja que havia alterado notavelmente sua forma de adorar. Não sigo nenhum clichê com relação a esse assunto, contanto que o eixo da adoração seja o louvor e o reconhecimento do Senhor como o Deus vivo. Aquilo, no entanto, era uma experiência um tanto caótica e de certa complacência. De vez em quando, se ouvia um amém aqui e outro ali (pronunciados como em inglês), o que me parecia não somente estranho como um tanto esnobe. Opinião minha e, portanto, subjetiva. Por outro lado, eu havia lido um artigo que falava dos anglicismos que vinham sendo introduzidos no espanhol e de como a Real Academia da Língua Espanhola se esforçava para combater essa tendência. O slogan da campanha era: “Só há uma língua pátria.” Como filólogo, sentia-me como se estivesse levantando a bandeira da defesa linguística.

Vamos à história. Nossa família tem um grupo em uma rede social. Em dado momento, uma de minhas sobrinhas postou uma figura que dizia: “Amem” (assim, sem o acento agudo). Sem reparar na referência bíblica subscrita à frase, entendi a palavra como o amen (pronunciado como “eimén”) das reuniões que mencionei. Assim, enviei uma crítica em defesa do meu amado idioma e apontando a relevância de um bom “amém” bem escrito e falado. Minha sobrinha me respondeu carinhosamente indicando que aquilo era um “amen” do verbo “amar” (em espanhol) e que, por isso, não havia colocado o acento. Que lição! Eu me perdera em discussões litúrgicas e linguísticas, esquecendo-me do sentido mais básico dessa palavra.
Não sei bem o que acontece, mas vivemos em tempos de pavios curtos. Basta uma suspeita, e a faísca já aparece. Muitas das discussões são sobre assuntos facilmente solucionáveis com diálogo e consenso (dois resultados naturais do amor). Muitas vezes, os assuntos de igreja nos distanciam, e o mesmo acontece nas realidades sociais. Talvez devamos voltar ao mandamento (sim, é uma ordem) de Jesus. Amem e Amém.

Amemos uns aos outros. Porque, se há amor, tudo o mais está incluso. E se não está incluso, é porque não se trata do amor verdadeiro. 

Devocional Diário

Vislumbres da eternidade
29 de janeiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/amem-e-amem/
•••

Nenhum comentário:

Hotel Abraão

  Devocional Diário Hotel Abraão Abraão plantou uma tamargueira em Berseba e invocou ali o nome do Senhor, o Deus Eterno. Gênesis 21:33 Um c...