quarta-feira, 3 de agosto de 2022

O REDENTOR CRUCIFICADO

O REDENTOR CRUCIFICADO

Então Agripa se dirigiu a Paulo e disse: “Por pouco você me convence a me tornar cristão.” Atos 26:28

Todos os presentes escutaram encantados a narração feita por Paulo de suas maravilhosas experiências. O apóstolo estava falando sobre seu tema predileto. Nenhum dos que o ouviam podia duvidar de sua sinceridade. No momento de sua mais persuasiva eloquência, porém, foi interrompido por Festo, que exclamou: “Você está louco, Paulo! Ficou louco de tanto estudar!” (At 26:24).

O apóstolo respondeu: “Não estou louco, ó excelentíssimo Festo! Pelo contrário, digo palavras de verdade e de bom senso. Porque tudo isto é do conhecimento do rei, a quem me dirijo com franqueza, pois estou persuadido de que nenhuma destas coisas lhe é oculta, pois nada se passou em algum lugar escondido” (v. 25, 26). Então, voltando-se para Agripa, dirigiu-se diretamente a ele: “Rei Agripa, o senhor acredita nos profetas? Eu sei que o senhor acredita” (v. 27). Profundamente impressionado, Agripa perdeu por um momento a noção de onde estava e da dignidade de sua posição. Tendo apenas consciência das verdades que tinha ouvido e vendo somente o humilde prisioneiro que estava diante dele como embaixador de Deus, respondeu involuntariamente: “Por pouco você me convence a me tornar cristão” (v. 28).

Com fervor, o apóstolo respondeu: “Peço a Deus que faça com que, por pouco ou por muito, não apenas o senhor, ó rei, mas todos os que hoje me ouvem venham a ser alguém como eu, mas sem estas correntes” (v. 29), acrescentou, erguendo as mãos acorrentadas.

Festo, Agripa e Berenice podiam com justiça trazer nos pulsos os grilhões que acorrentavam o apóstolo. Eram todos culpados de graves crimes. Esses transgressores tinham ouvido nesse dia a oferta de salvação me- diante o nome de Cristo. Um, pelo menos, quase foi persuadido a aceitar a graça e o perdão oferecidos. Mas Agripa afastou a misericórdia ofertada, recusando aceitar a cruz de um Redentor crucificado.

A curiosidade do rei foi satisfeita e, levantando-se, deu a entender que a entrevista havia terminado. Ao se dispersarem, os presentes falavam en- tre si dizendo: “Este homem não fez nada passível de morte ou de prisão” (v. 31) (Atos dos Apóstolos, p. 277, 278 [437, 438]).

 PARA REFLETIR:  A quantos apelos de Deus você “quase” respondeu?

Meditações Diárias: 3 de Agosto - O REDENTOR CRUCIFICADO l Acima de Todo o Nome

https://youtu.be/zh7pXHqkoKA

Nenhum comentário:

O AUXILIADOR INFINITO

O AUXILIADOR INFINITO Grande é o Senhor nosso e mui poderoso; o Seu entendimento não se pode medir. Salmo 147:5 Muitos supõem que a religião...