quinta-feira, 2 de junho de 2022

O COMANDANTE DAS HOSTES CELESTIAIS

 O COMANDANTE DAS HOSTES CELESTIAIS

Pois vocês conhecem a graça do nosso Senhor Jesus Cristo, que, sendo rico, Se fez pobre por amor de vocês, para que, por meio da pobreza Dele, vocês se tornassem ricos. 2 Coríntios 8:9

Há um mundo a ser advertido. A nós foi confiada essa tarefa. Devemos praticar a verdade a qualquer custo. Devemos nos portar como abnegados soldados sempre prontos para a ação, dispostos a perder a própria vida, se necessário for, no serviço de Deus. Há uma grande obra a ser feita em pouco tempo. Precisamos compreender nosso trabalho e fazê-lo com fidelidade. Todo aquele que finalmente for coroado como vitorioso terá, pelo nobre e decidido esforço de servir a Deus, alcançado o direito de ser vestido com a justiça de Cristo. Entrar na cruzada contra Satanás, levantando bem alto a bandeira ensanguentada da cruz de Cristo, é o dever de todo cristão.

Essa obra exige sacrifício. A abnegação e a cruz acompanham-nos por todo o caminho da vida. “Se alguém quer vir após Mim”, disse Cristo, “negue a si mesmo, tome a sua cruz e siga-Me” (Mc 8:34). Os que retêm os tesouros deste mundo são obrigados a trabalhar e a se sacrificar. Deveriam os que buscam uma recompensa eterna pensar que não precisam fazer sacrifícios?

O sermão mais difícil de pregar e que mais custa pôr em prática é o da abnegação. O pecador cobiçoso, por si mesmo, fecha a porta ao bem que se poderia fazer, mas que não é feito porque o dinheiro é gasto com finalidades egoístas. É impossível alguém reter o favor de Deus e desfrutar a comunhão com o Salvador e ao mesmo tempo ser indiferente para com os interesses de seus semelhantes que não têm vida em Cristo, que estão perecendo em seus pecados (Conselhos Sobre Mordomia, p. 32 [43, 44]; 24 [29].

Jesus não buscava agradar a Si, mas dedicou a vida a serviço dos outros. Fazia sacrifícios a cada passo, sacrifícios que nenhum de Seus seguidores é capaz de fazer, porque jamais ocuparam a posição que Ele exerceu quando veio à Terra. Ele era o Comandante das hostes celestiais, mas veio sofrer pelos pecadores. Embora fosse rico, por amor a nós Se tornou pobre, a fim de que, por Sua pobreza, pudéssemos ser ricos. Por nos amar, deixou de lado a glória e tomou sobre Si a forma de servo (Review and Herald, 31 de janeiro de 1907).

PARA REFLETIR: Quem na sua casa, igreja ou comunidade necessita do seu serviço abnegado hoje?

MEDITAÇÃO DIÁRIA

2 de junho


Nenhum comentário:

O AUXILIADOR INFINITO

O AUXILIADOR INFINITO Grande é o Senhor nosso e mui poderoso; o Seu entendimento não se pode medir. Salmo 147:5 Muitos supõem que a religião...