sexta-feira, 25 de setembro de 2020

O Salmo da Fé

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de setembro
O Salmo da Fé

O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O Senhor é a fortaleza da minha vida; a quem temerei? Salmo 27:1

A força religiosa do século 16 podia ser vista no prevalecente conceito de Deus como criador e mantenedor de todas as coisas. Naquele período, surgiu a Reforma Protestante, rompendo tradições e apontando um caminho de fé para a salvação oferecida por Deus. Nesse contexto, a Universidade de Oxford, na Inglaterra, passou a ostentar em seu escudo o lema Dominus illuminatio mea, expressão latina das primeiras palavras do Salmo 27: “O Senhor é a minha luz”. A mesma frase também é lema de outras instituições educacionais ao redor do mundo.

Não existe nada que transmita maior segurança do que a realidade realçada por essas palavras de confiança em Deus. Fugindo sob intensa pressão, escondendo-se em cavernas e buscando abrigo nas rochas, Davi recebeu inspiração para escrever o salmo que tem sido chamado “o salmo da fé”. Não deixou que os perigos e as ameaças lhe atormentassem. Para ele, a suficiência de Deus era tudo de que precisava. Estava seguro de que a iluminadora presença do Senhor espantaria as trevas que o envolviam. Na salvação divina, ele poderia descansar e encontrar serenidade para viver aquela experiência. Nas palavras de Lloyd John Ogilvie, Deus “não apenas concede luz, ou mera ideia luminosa sobre como encontrar saída para alguma dificuldade. Ele é a luz. Em Sua presença, conheceremos Sua vontade para qualquer situação” (Caindo na Grandeza, p. 62).

Estando protegido por Deus, por que haveria de temer? Permanecer na presença do Altíssimo foi tudo o que o poeta desejou (v. 4), a fim de ser abençoado pela reflexão em Sua bondade e pelo recebimento de Suas orientações, “todos os dias”, disse ele. Aliás, no íntimo, Davi sentia que o Senhor o convidava: “Busque a Minha face!” Ele não tinha alternativa senão atendê-Lo. Assim, podia enfrentar o futuro, cheio de confiança, esperança e ânimo (v. 13, 14).

Matthew Henry afirmou: “O Senhor, que é a luz do crente, é também a salvação e a força de sua vida; não só por quem, mas em quem ele mora e se move. A graciosa presença de Deus, Seu poder, Sua promessa, Sua prontidão para ouvir a oração, o testemunho do Espírito Santo no coração de Seus filhos; esses são os segredos de Seu tabernáculo. Nesses segredos, os santos encontram a razão daquela santa segurança e paz de espírito que podem desfrutar à vontade” (Matthew Henry’s Concise Commentary on the Whole Bible, Sl 27:1-6).
Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

Mãos intercessoras

MEDITAÇÃO DIÁRIA 31 de outubro Mãos intercessoras Ora, as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram por baixo del...