domingo, 29 de março de 2020

O papel do Consolador

MEDITAÇÃO DIÁRIA

29 de março
O papel do Consolador

E Eu rogarei ao Pai, e Ele vos dará outro Consolador, a fim de que esteja para sempre convosco. João 14:16

Essa é apenas uma das passagens do Evangelho de João em que Jesus fez referência ao Espírito Santo, o “Consolador”. “Espírito da verdade” é outra forma de mencionar a terceira Pessoa da Divindade. Embora haja outros textos referentes ao Espírito Santo como agente divino de transformação do coração humano (Jo 3:3, 5, 6; 6:63; 7:37, 38), a ideia de “Consolador” nos remete a outros aspectos de Seu trabalho em nosso favor.

Devemos nos lembrar de que o texto faz parte das palavras de despedida proferidas por Jesus aos discípulos. Sabendo das limitações deles, o Mestre lhes deu a garantia de que, em Sua ausência física, eles não estariam entregues à própria sorte. Nos momentos mais difíceis de sua experiência nos poucos anos anteriores, os discípulos haviam enfrentado desafios incontáveis, diante dos quais foram sustentados somente pela ajuda presencial de Cristo. Agora, eles precisavam estar seguros de que poderiam continuar o trabalho iniciado. Teriam, portanto, o Consolador invisível, porém real, a fim de estar sempre com eles.

A palavra aqui traduzida como “Consolador” é o termo grego Parakl?tos, relacionado ao verbo parakale?, cujo significado é “chamado para estar ao lado de alguém”. Em latim, a palavra correspondente é advocatus (advogado). Daí o conceito do Espírito Santo como defensor, conselheiro, consolador, intercessor e mediador. Wilson Paroschi afirma que o Espírito Santo é “um Agente de Deus que veio como substituto de Jesus, o primeiro Paracleto (Jo 14:26), e continua o trabalho iniciado por Ele. … ‘o Paracleto é a presença de Jesus quando Jesus está ausente’” (“O Outro Paracleto”, Ministério, julho/agosto 2012, p. 15). Sempre que alguém luta para deixar o mundo e encontrar Jesus, o Espírito Santo está guiando essa pessoa. Se a consciência culpada nos acusa, é Ele quem nos convence do pecado e nos guia rumo à confissão, ao arrependimento e ao perdão.

Que privilégio é saber que o mesmo Espírito Santo, que esteve presente na criação da Terra Se manifestou em forma de pomba no batismo de Cristo e, dotou a igreja apostólica com poder para o início da missão, está conosco! Ele Se agrada em trabalhar em favor dos crentes assim como dos descrentes, convencendo “do pecado, da justiça e do juízo”. Abafar Sua voz em nossa consciência é insistir em permanecer em um caminho que levará à perda da vida eterna.

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

Ser fiel a Deus e confiar– Salmos 125

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse  Leitura Bíblica – Salmos 125 Comentário: Pr. Heber Toth Armí A leitura da Bíblia nos assegur...