quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Maravilhoso Jesus- Mateus 1:21


O libertador



Ela dará à luz um filho e lhe porás o nome de Jesus, porque ele salvará o seu povo dos pecados deles. Mateus 1:21

O bebê Libertador da humanidade chora. Exatamente como costumava fazer meu primogênito.
Sendo assim o autor do hino “Num berço de palhas” se equivocou ao escrever: “Acorda o Menino o gado a mugir, Mas Ele não chora, Se põe a sorrir”.

Ele estava errado. Jesus chorou ao nascer. Chorou quando foi acordado pelos animais a mugir. Foi assim porque o Libertador não veio nos salvar num corpo alienígena. Osso dos nossos ossos, trilharia nossos caminhos e sentiria nossas dores. Conheceria a sedução da tentação, experimentaria cada dificuldade da vida.

E finalmente experimentaria a própria morte. Uma morte solitária e desesperadora. Sentindo-se esquecido por Deus, impressionou o céu com seu horroroso grito: “Meu Deus! Meu Deus! Por que me abandonaste?” (Mateus 27:46).

Onde está a face do pequeno bebê da manjedoura, aquele rosto tão inocente e cheio de mistério? O bebê de Belém está pendurado e se contorce até a morte, assolado pela desgraça de um mundo que escolheu a maldade.

E então – libertação! A própria morte foi assassinada pela morte do Libertador.
Cada vez que olhamos para o rosto de um pequeno bebê vemos mistério – o mistério da existência, de onde viemos e no que podemos nos tornar. Cada bebê é uma espécie de esperança para o mundo.

Tudo por causa do Libertador. O filho primogênito da virgem que chorou em Belém libertou a humanidade para ser totalmente humana, para serem filhos e filhas de Deus.

O nascimento do Bebê Libertador também garante o nosso futuro. O Desejado de Todas as Nações sustenta a nossa vida e voltará para nos buscar. O Libertador obteve a vitória sobre o pecado e sobre a morte e voltará para reinar!

Olhe atentamente para o rosto do Bebê – tão suave, tão cheio de paz, tão cheio de mistério. Juntamente com os Magos incline-se perante ele, traga os seus presentes e adore-O!


ORAÇÃO

Senhor e Salvador. Não consigo, de mim mesmo, forças para quebrar com hábitos longamente estabelecidos. Por favor, nasce em meu coração hoje trazendo libertação e paz. Amém.

Autor: William G. Johnsson

Nenhum comentário:

Dor de coração

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/dor-de-coracao/ Dor de coração O cetro não se ar...