domingo, 31 de março de 2024

Ordem alterada

 Devocional Diário

Ordem alterada

Não cobiçarás a casa do teu próximo. Não cobiçarás a mulher do teu próximo, nem o seu servo, nem a sua serva, nem o seu boi, nem o seu jumento, nem coisa alguma que pertença ao teu próximo. Êxodo 20:17, ARA


Anos atrás, eu estava pregando em uma igreja e, na parte de trás do templo, vi duas tábuas da lei. O artista havia estampado em hebraico os números de cada mandamento e colocado quatro números em uma tábua e seis na seguinte. Só havia um problema. Na primeira tábua, em vez de pôr 1, 2, 3 e 4, ele havia posto 10, 1, 2 e 3. Como ninguém sabia hebraico, não notaram o equívoco. Aquilo me pareceu muito significativo, uma vez que o mandamento que mais afeta nossa sociedade é o décimo.

Em linhas gerais, todos crescemos em entornos urbanos. Em 1800, só a cidade de Pequim já tinha mais de 1 milhão de habitantes, e a maioria da população mundial vivia no campo. Em 1900, cerca de 150 milhões de habitantes viviam nas cidades. No ano 2000, esse número subiu para 3 bilhões. Em 2008, a metade do mundo vivia em cidades. Embora essa situação apresente algumas vantagens, ela acaba exigindo um estilo de vida de dependência mútua e comércio. Nossas necessidades básicas têm se multiplicado em âmbitos que vão desde a moda (vestuário variável) até a decoração (moradia variável) e à delicatessen (alimentação variável). Para que essas mudanças constantes sejam produzidas, o comércio estimula o desejo. Vivemos na sociedade do temporário e do desejável. A roupa da moda (que não se limita a mudar somente a cada estação do ano), o equipamento da moda (e as inovações são constantes), o carro da moda (antes, de combustível fóssil; agora, elétrico) – são tantas coisas, que vivemos constantemente correndo atrás dos desejos que nos são estimulados.

Acho que é hora de pararmos e voltarmos à grandeza que existe na simplicidade. É certo que menos é mais, sobretudo quando o menos tem a ver com uma visão melhor de nós mesmos. Talvez tenhamos que sair por um tempo da cidade, deixar o celular em casa e redescobrir uma paisagem da natureza.

Independentemente do que seja necessário fazer, volte às origens, e você sentirá desejos mais saudáveis, desejos que o ajudarão a se distanciar das coisas e se aproximar das pessoas e de Deus. Com Ele o menos é mais. 

Vislumbres da eternidade
31 de março
https://mais.cpb.com.br/meditacao/ordem-alterada/

•••

Nenhum comentário:

Palavras caducas e palavras perenes

  Devocional Diária Palavras caducas e palavras perenes “Os lábios que falam a verdade permanecem para sempre, mas a língua mentirosa desapa...