terça-feira, 12 de março de 2024

Igreja

 Devocional Diário

Igreja

Igreja gloriosa, sem mancha, nem ruga, nem coisa semelhante, porém santa e sem defeito. Efésios 5:27

De dentro do barco, Cristo passou a falar para aquele grupo. Contou-lhes que, no reino dos Céus, um homem tenta sobreviver semeando e trabalhando dignamente no que lhe for possível, mas que seu inimigo se dedica a complicar as coisas plantando discórdia e desavenças entre todos. Sugeriu que não se dedicassem a eliminar esses elementos, pois não saberiam quem tem boa vontade e quem não tem (Mt 13:24-30). Propôs que, em vez disso, se dispusessem a viver segundo os verdadeiros princípios do reino dos Céus. Assim começou a história do cristianismo e da igreja.

Fico imaginando o sorriso debochado de alguns céticos quando me atrevo a falar da igreja. Só falta eles me lembrarem a citação de Alfred Loisy: “Jesus anunciou o reino, e o que veio foi a igreja.” Não é sobre essa igreja que estou falando. Falo da igreja, a do reino dos Céus, a de Jesus.

Falo de uma igreja em que existe uma comunidade de pessoas modestas, visto que sabem que são criaturas de Deus e que na humildade há crescimento. Falo de uma igreja que é uma comunidade de iguais, que não discrimina, pois tem a certeza de que todos somos filhos de Deus sem nenhum tipo de distinção. Falo de uma igreja que é uma comunidade sem últimos nem primeiros, pois os rótulos são coisas do passado e todas as oportunidades convergem para a eternidade. Falo de uma igreja que é uma comunidade extrovertida, que se preocupa tanto com os que foram embora quanto com os que não querem entrar, pois a atitude tem mais importância do que a situação. Falo de uma igreja que é um espaço que supera os limites políticos, sociais e históricos. Supera os limites políticos porque é um reino sem fronteiras, sem alfândegas, sem bairrismo. Supera os limites sociais porque elimina castas ou status e aposta em um retorno à nossa verdadeira identidade: iguais perante o Universo. Supera os limites históricos porque levanta a possibilidade de uma nova paisagem: o Céu em nosso coração. Ao mudar as histórias cotidianas, ela reescreve a história do cosmos.

Estou falando da amada e fiel noiva de Cristo – nós. Não somos perfeitos e nunca seremos plenamente nesta Terra. Mas somos fiéis aos ideais do reino de Deus. Sejamos a igreja. Façamos a diferença.

Vislumbres da eternidade
12 de março
https://mais.cpb.com.br/meditacao/igreja-2/

•••

Nenhum comentário:

No caminho

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 12 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/no-caminho/ No caminho Ensine a criança no camin...