domingo, 11 de junho de 2023

Salmos 36 Comentário

 Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse

Leitura Bíblica – Salmos 36
Comentário: Pr. Heber Toth Armí


SALMO 36 – Neste Salmo somos confrontados com a realidade do contraste entre a misericórdia divina e a depravação humana. Quando esquecemos de adorar a Deus, caímos na armadilha de bajular o próprio ego, de onde surgem os pecados.

Spugeon salientou que, “aquele que faz pouco caso de Deus pensa muito em si mesmo. Aqueles que esquecem a adoração caem na adulação. Os olhos precisam ver algo e, se eles não admiram a Deus, bajulam seu próprio ego”; por isso, como ressalta Steven Lawson, “olham para o mundo a seu redor sem nenhum temor de Deus. Porque são irreverentes para com Deus, eles mergulham de cabeça no pecado”.

Através do Salmo 36, Davi revela que o ímpio não respeita a Deus; em vez disso, O considera como insignificante. Como aponta Lawson, “o resultado é que o descrente se engana quanto à sua verdadeira condição espiritual diante de Deus. Ele não consegue enxergar o seu pecado e não vê que suas más ações são uma ofensa ao Deus santo... Com sua consciência cada vez mais cauterizada, os não regenerados sentem cada vez menos restrição ao mal”.

O Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia explica esta questão da impiedade e sua degradação em três estágios:

1. Pecado que se opõe à consciência;
2. Pecado que não é condenado pela consciência;
3. Pecado impulsionado por uma consciência que se tornou totalmente depravada.

E, depois acrescenta uma análise progressiva do pecado. O pecado...

1. ...nasce no coração (Salmo 36:1);
2. ...é expresso pela língua, na fala (Salmo 36:3); e,
3. ...se materializa pela atitude (Salmo 36:4).

Contudo, não podemos desconsiderar a ênfase dada em Deus pelo salmista. Os pecadores depravados, mergulhados de cabeça no pecado, irreverentes para com Deus, podem conscientizar-se de sua condição espiritual e buscar a misericórdia do Deus que é santo.

Por conseguinte, enquanto Salmo 36:1-4 descrevem a pecaminosidade da humanidade, Salmo 36:5-9 expressam a beleza dos atributos da divindade; consequentemente, Salmo 36:10-12 constituem uma oração expressando a fé de que Deus revelará Sua bondade a todos os alinharem a vida com a vontade dEle.

Os atributos divinos neste Salmo ressaltam a natureza de Deus em relação à humanidade. Misericórdia, fidelidade, justiça, amor, bondade e luz são essenciais para prover redenção aos pecadores! Portanto, vamos reavivarmo-nos? – Heber Toth Armí.

#rpsp #ebiblico #palavraeficaz
•••••

Nenhum comentário:

O poder da informação

  Devocional Diário O poder da informação Que eles deem graças ao Senhor por Sua bondade e por Suas maravilhas para com os filhos dos homens...