sábado, 25 de fevereiro de 2023

IMPARCIALIDADE DIVINA

 IMPARCIALIDADE DIVINA

Deus não trata as pessoas com parcialidade. Romanos 2:11

O texto bíblico de hoje e alguns outros afirmam que Deus não trata as pessoas de modo parcial. Em realidade, isso nem sempre ocorre em todos os relacionamentos Dele com os seres humanos, mas sempre é verdade quando se refere a Seu julgamento e à salvação. Isso significa que a nossa condição social e financeira, ou privilegiada em qualquer aspecto, não afeta o julgamento divino a nosso respeito nem favorece nossa salvação.

Alguns religiosos do tempo de Jesus, por exemplo, raciocinavam que, por serem descendentes de Abraão, estariam isentos de Seu julgamento. Pensavam que poderiam transgredir os mandamentos de Deus como bem lhes parecesse e que, de modo algum, seriam corrigidos ou castigados por Ele. Mas estavam enganados (Mt 3:7-10).

O apóstolo Paulo, referindo-se ao juízo divino sobre judeus e gentios, declarou que Deus “retribuirá a cada um segundo as suas obras […]. Tribulação e angústia virão sobre a alma de qualquer homem que faz o mal, ao judeu primeiro e também ao grego; mas haverá glória, honra e paz a todo aquele que pratica o bem, ao judeu primeiro e também ao grego. Porque Deus não trata as pessoas com parcialidade” (Rm 2:5, 6, 9-12).

Pedro, ao evangelizar Cornélio, sua família e seus amigos – todos gentios –, declarou: “Reconheço por verdade que Deus não trata as pessoas com parcialidade; pelo contrário, em qualquer nação, aquele que O teme e faz o que é justo Lhe é aceitável” (At 10:34, 35).

É preciso admitir, porém, que muitas passagens bíblicas revelam um Deus não tão imparcial. Quando isso ocorre, é em outro âmbito, o da missão. Sempre que Ele escolheu alguém para uma tarefa especial, certamente Ele foi parcial. Ele escolheu aquela pessoa e não outra. Foi assim com a escolha de Abraão, Moisés, Arão, Davi, Ciro, os juízes, os profetas, os apóstolos e tantos outros.

A salvação e o julgamento alcançam todos igualmente, mas há pessoas singulares a quem Deus escolheu para determinadas funções. Cabe a nós receber Sua oferta de salvação, viver de modo coerente com a luz que Ele nos deu e aceitar Suas escolhas para que determinadas pessoas cumpram a tarefa especial que Ele lhes deu.

MEDITAÇÃO DIÁRIA

25 de janeiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/imparcialidade-divina/

•••••

Nenhum comentário:

O melhor argumento

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 14 de junho https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-melhor-argumento/ O melhor argumento Assim é a...