quinta-feira, 17 de novembro de 2022

O PRÍNCIPE DO CÉU

 O PRÍNCIPE DO CÉU

Porque não temos sumo sacerdote que não possa se compadecer das nossas fraquezas. Hebreus 4:15

Era incompreensível, para o egoísmo de Satanás, que pudesse existir tão grande bondade e amor por um ser enganado, que induzisse o Príncipe do Céu a deixar Seu lar e vir ao mundo desfigurado pelo pecado e pela maldição. Conhecia o inestimável valor das riquezas eternas que as pessoas desconheciam. Havia experimentado a pura satisfação, a paz, a exaltada santidade e o ilimitado regozijo do lar celestial. Compreendia, antes de sua rebelião, a satisfação da completa aprovação de Deus. Já tivera uma plena apreciação da glória que envolvia o Pai e sabia que Seu poder não tinha limite.

Satanás sabia o que tinha perdido. Agora temia que seu império sobre o mundo fosse contestado, seus privilégios questionados e seu poder neutralizado. Sabia, pela profecia, que o Salvador fora predito e que Seu reino não seria estabelecido com triunfo terrestre nem com honra e exibição mundanas. Sabia que as profecias antigas prediziam um reino que seria estabelecido pelo Príncipe do Céu sobre a Terra, a qual reivindicava como seu domínio. Esse reino abrangeria todos os reinos do mundo e então seu poder e sua glória cessariam, e ele receberia sua retribuição pelos pecados que havia introduzido no mundo e a miséria que havia trazido sobre o ser humano. Sabia que tudo o que estava relacionado à sua prosperidade dependia de seu êxito ou fracasso em dominar a Cristo com suas tentações no deserto. Lançou sobre Cristo todo artifício e força de suas tentações poderosas para desviá-Lo de Sua obediência.

É impossível ao ser humano conhecer a força das tentações de Satanás sobre o Filho de Deus. Cada tentação que parece tão angustiante ao ser humano em sua vida cotidiana, tão difícil de ser resistida e dominada, foi lançada sobre o Filho de Deus em tão alto grau quanto a Sua excelência de caráter era superior à do pecador.

Cristo foi tentado em todos os pontos […]. Como representante da humanidade, Ele Se aproximou de Deus nas provas e tentações. Enfrentou a força intensa de Satanás. Cristo experimentou as mais vis tentações e as venceu em favor do pecador. É impossível que o ser humano seja tentado acima do que pode suportar enquanto se apoia em Jesus, o infinito Conquistador (No Deserto da Tentação, p. 25, 26 [30, 31]).

PARA REFLETIR: Que pecado acariciado torna você mais vulnerável à tentação?
https://youtu.be/vOhQDTy4348

MEDITAÇÃO DIÁRIA

17 de novembro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/o-principe-do-ceu/

Nenhum comentário:

A PUREZA INFINITA

  A PUREZA INFINITA E todo o que tem essa esperança Nele purifica a si mesmo, assim como Ele é puro. 1 João 3:3 Ao terminar o discurso, Jesu...