domingo, 12 de junho de 2022

Números 33 Comentário

Lendo a Bíblia de Gênesis a Apocalipse 


Leitura Bíblica - Números 33

Comentário Pr Heber Toth Armí

NÚMEROS 33 – Refrescar a memória dos capítulos vividos reforça, no presente, o aprendizado pretendido por Deus que Seu povo pratique no futuro.

História é matéria sumamente importante para obter vitórias propostas por Deus. Se Deus é o Professor, o deserto é a prova para tornar Seus alunos aptos para desfrutar da recompensa preparada por Ele.

A recapitulação desde o Êxodo até o portal da Terra Prometida, realizada por Moisés através da inspiração divina, mostra Deus – como grande pedagogo – fazendo uso dos detalhes históricos de forma didática, visando instruir aos que desfrutariam do cumprimento da promessa divina proferida a Abraão (Gênesis 12:1-3; 15:13-16).

O relato de Números 33 pode parecer insignificante ao leitor superficial e desatendo. Conquanto, Eugene Merrill apresenta-nos a importância da antiga trajetória israelita ao cristão moderno: 

“A história da peregrinação de Israel, partindo do Sinai, o lugar de seu compromisso inicial com Deus, até as planícies de Moabe, onde Israel manifestou-se disposto a concretizar todas as promessas de Deus, lança luz sobre a experiência cristã. É evidente que Israel, como os fiéis de hoje, experimentou tempos de fracasso abismal. As frequentes murmurações de Israel contra Moisés (e contra Deus) ilustram como o povo de Deus não se satisfazia e não se satisfaz com o que devia ser o máximo prazer – experimentar o cuidado e a direção de Deus em nossa vida. Israel, com saudades dos bons tempos no Egito, ilustra que os prazeres do pecado continuam atraentes mesmo aos que foram redimidos por Deus. Então e agora, a rebelião contra Deus traz consequências medonhas. O julgamento, porém, não é a palavra final de Deus: Aqueles que se apegam tenazmente às promessas são recompensados”.

A graça de Deus triunfa sobre a desgraça provocada pelo pecado. Por mais que a preferência pelo pecado fosse maior que o gosto pela vontade divina, a Terra Prometida continuava garantida aos israelitas devido à benevolência de Deus.

A graça não nos quer na desgraça. Não é saudável espiritualmente acomodar-se com algumas conquistas (Números 33:51-53). Deus deseja que avancemos sempre. Devemos compreender que a conversão nos tira da lama da escravidão, o processo de santificação acontece durante os desertos da vida; e, deve continuar até que Jesus venha buscar-nos!

Avancemos apegando-nos às promessas de Deus, certamente seremos recompensados! Reavivemo-nos! – Heber Toth Armí.

 #ebiblico #rpsp #palavraeficaz‌‌

Nenhum comentário:

O SUBSTITUTO DA HUMANIDADE

 O SUBSTITUTO DA HUMANIDADE Portanto, sejam imitadores de Deus, como filhos amados. Efésios 5:1 Se o povo que viveu antes do Dilúvio tivesse...