domingo, 2 de maio de 2021

GARRAFA DE LÁGRIMAS

 MEDITAÇÃO DIÁRIA

Domingo, 2 de maio

GARRAFA DE LÁGRIMAS

Recolhe as minhas lágrimas em Teu odre. Salmo 56:8, NVI

 Tempos atrás, ganhei uma garrafa de champanhe sem álcool. Azul, longilínea, imponente, era uma linda obra de arte. A embalagem foi parar em nosso armário de louças. Virou relíquia. Nossa garrafa pode não valer tanto quanto a Aurum 79, a garrafa de 500 ml de água mais cara do mundo, feita com um fino vidro revestido de ouro puro e 113 diamantes, valendo quase 1 milhão de dólares, mas tem valor sentimental.

Desenvolvidas e moldadas ao longo de milênios, as garrafas foram criadas para armazenar líquidos, como água, leite, vinho, azeite e perfume. Os primeiros exemplares conhecidos apareceram na Fenícia, China, Roma e Creta. Feitas de argila, alumínio, vidro ou plástico, as garrafas fazem parte do dia a dia de pessoas do mundo inteiro.

No entanto, nenhum tipo de garrafa, antiga ou moderna, se compara à garrafa de Deus para coletar nossas lágrimas. Nessa garrafa estão os símbolos de nossos sofrimentos, as expressões de nossas alegrias e tristezas, emoções e decepções. Amoroso, Deus Se preocupa com cada uma de nossas lágrimas. As lágrimas são a linguagem da agonia e da perda, coisas que Ele entende bem.

A ideia de que Deus tem uma garrafa para guardar lágrimas pode parecer estranha hoje, mas era familiar para o poeta hebreu Davi, que escreveu: “Registra, Tu mesmo, o meu lamento; recolhe as minhas lágrimas em Teu odre [ou garrafa]” (Sl 56:8, NVI). Para ele, Deus percebe e registra nossos sentimentos. Estivesse Davi pensando em uma garrafa de pedra sardônica ou num odre de pele de animal, o fato é que Deus simbolicamente guarda nossas lágrimas.

Garrafas para essa finalidade faziam parte dos costumes das antigas civilizações. Muitas delas têm sido encontradas junto a tumbas. Eram chamadas de “lacrimatórios”, numa referência ao nome científico da glândula que produz as lágrimas. Povos antigos, como os gregos e os romanos, colocavam nesses receptáculos as lágrimas derramadas pela morte de uma pessoa querida, como símbolos de amor, respeito e tristeza. Em algumas histórias de guerra, as mulheres guardavam suas lágrimas até o retorno dos maridos, para mostrar a saudade.

Em algum momento difícil da vida, você pode ser tentado a pensar que Deus não Se importa com as lágrimas que rolam de seus olhos. Entretanto, Ele Se importa a ponto de recolher cada uma delas. Mais que isso, um dia Ele irá secar cada lágrima. Até lá, você pode chorar à vontade, porque Deus fez você com a capacidade de expressar sentimento. Em vez de engarrafar suas dores dentro de você, derrame suas lágrimas e permita que Deus as coloque em Sua garrafa.

Marcos De Benedicto, 7/7/2016

Nenhum comentário:

O Perigo da Abundância

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 17 de maio - segunda O Perigo da Abundância O qual Se entregou a Si mesmo pelos nossos pecados, para nos desarraigar dest...