segunda-feira, 21 de dezembro de 2020

O esforço da entrega

  MEDITAÇÃO DIÁRIA

21 de dezembro

O esforço da entrega

Segui a paz com todos e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor. Hebreus 12:14

Há uma ideia, decorrente de uma visão distorcida da graça, que leva alguns cristãos a desenvolver uma experiência espiritual doentia. Essa ideia apresenta a vida cristã como uma experiência passiva, na qual as conquistas espirituais são concretizadas instantaneamente. De acordo com esse modo de pensar, quem aceita Cristo como Salvador pessoal experimenta as bênçãos da graça e entende estar dispensado de qualquer participação no próprio crescimento espiritual. Alguém já comparou essa ideia ao funcionamento de aeronaves com piloto automático, nas quais os passageiros se acomodam de olho no destino e tudo acontece sem a participação deles.

O conselho transmitido aos cristãos hebreus, entretanto, não se harmoniza com esse conceito. Há conquistas na vida cristã pelas quais devemos lutar. Em nosso texto, Paulo aponta duas delas: a paz com todos e a santidade. Como filhos do “Príncipe da paz” e súditos de Seu reino, tanto quanto possível devemos viver pacificamente com todas as pessoas (Rm 12:18), embora incansavelmente combativos contra o mal.

Ao lado disso, devemos buscar a santificação, sem a qual “ninguém verá o Senhor”, que é o mais alto objetivo da existência cristã. É significativo notar que o verso não menciona algo como “perfeição de santidade”, alcançada na Terra, mas santificação – um processo de crescimento, que se inicia no momento em que recebemos Cristo em nossa vida e nos tornamos inteiramente Dele.

Isso contraria outra ideia altamente destrutiva: a de que, se temos que ser ativos, devemos tomar o controle do processo. Esse pertence a Cristo. Nossa parte é manifestar inteira submissão, tomando decisões, fazendo escolhas, exercitando a fé. Fé e santificação andam de mãos dadas. A primeira é o alicerce, a segunda é a construção. Fé que não coloca o cristão no caminho da santificação é sem propósito; santificação pretendida sem fé é mera religião de aparências.

Se pretendemos crescer espiritualmente, mais do que tudo precisamos estar em Cristo e Ele em nós. De acordo com Ian Thomas, “estar em Cristo, isso é redenção; mas Cristo estar em nós, isso é santificação! Estar em Cristo, isso nos torna aptos para o Céu; mas estar Cristo em nós, isso nos torna aptos para viver na Terra! Estar em Cristo altera a direção para onde vamos; mas Cristo estar em nós muda nosso propósito” (Salvos Pela Vida de Cristo, p. 18, 19). Precisamos continuamente dessa dependência.

Nenhum comentário:

Deus Nunca Se Engana

 MEDITAÇÃO DIÁRIA 2 de agosto, segunda Deus Nunca Se Engana Vinde, adoremos e prostremo-nos; ajoelhemos diante do Senhor, que nos criou. Sal...