sábado, 31 de outubro de 2020

Mãos intercessoras

MEDITAÇÃO DIÁRIA

31 de outubro

Mãos intercessoras

Ora, as mãos de Moisés eram pesadas; por isso, tomaram uma pedra e a puseram por baixo dele, e ele nela se assentou; Arão e Hur sustentavam-lhe as mãos, um, de um lado, e o outro, do outro; assim lhe ficaram as mãos firmes até ao pôr do sol. Êxodo 17:12

Ainda no início de sua peregrinação rumo à Terra Prometida, e tendo já visto alguns milagres divinos, os israelitas enfrentaram novo desafio. Amaleque, neto de Esaú, havia se afastado de seus compatriotas e formando seu grupo, passando a perseguir os antigos irmãos. C. H. Mackintosh afirmou que, se o faraó egípcio representava “o impedimento à libertação de Israel do Egito”, Amaleque representava “o estorvo à sua caminhada com Deus pelo deserto” (Estudos Sobre o Livro do Êxodo, p. 188).

Em Refidim, aconteceu o confronto que foi vencido pelo povo de Deus, e a estratégia seguida no transcorrer da batalha é rica em lições para nós ainda hoje: “Quando Moisés levantava a mão, Israel prevalecia; quando, porém, ele abaixava a mão, prevalecia Amaleque” (Êx 17:11). “O ato de levantar as mãos tem sido em geral considerado […] como sinal ou atitude de oração. Nos tempos bíblicos, o costume de levantar as mãos em oração era praticado por adoradores piedosos e fervorosos”, esclarece o Comentário Bíblico Adventista do Sétimo Dia (v. 1, p. 627).

Assim, com braços levantados e cajado na mão, Moisés orava pelo exército israelita. Dessa maneira, ajudou Josué, comandante dos guerreiros de Israel. No entanto, suas mãos ficavam exaustas. Era preciso perseverar, e os auxiliares Arão e Hur tomaram providências para mantê-las firmes até a consumação da vitória.

Da batalha em Refidim podemos extrair alguns preciosos lembretes:

• Nas batalhas da vida e da igreja, nossas mãos podem se cansar, mas nunca as mãos do Onipotente. Ele sabe o que fazer para nos restaurar.

• Diante do Mar Vermelho, o recado foi: “O Senhor pelejará por vós” (Êx 14:14). Contra os amalequitas, Moisés ordenou: “Escolhe-nos homens, e sai, e peleja” (Êx 17:9). Nos impossíveis absolutos, Deus lutará por nós, mas haverá ocasiões em que lutaremos em parceria com Ele.

• Em nossa peregrinação terrestre, tanto podemos ser ajudados, como podemos ajudar alguém a recobrar as forças espirituais para prosseguir. Hoje teremos oportunidades para fazer isso.

Temos em Cristo nosso Josué e nosso Moisés; Alguém que “luta nossas batalhas” e também intercede em nosso favor (Mattew Henry, Complete Commentary on the Whole Bible, p. 120). Ele, sim, é o Agente maior de todas as nossas vitórias.

Nenhum comentário:

Justiça de verdade

  MEDITAÇÃO DIÁRIA 4 de dezembro Justiça de verdade Porque vos digo que, se a vossa justiça não exceder em muito a dos escribas e fariseus, ...