segunda-feira, 4 de maio de 2020

CORRA SEM OLHAR PARA TRÁS

MEDITAÇÃO DIÁRIA
 4 de maio
CORRA SEM OLHAR PARA TRÁS

Assim que os tiraram da cidade, um deles disse a Ló: “Fuja por amor à vida! Não olhe para trás e não pare em lugar nenhum da planície! Fuja para as montanhas, ou você será morto.” Gênesis 19:17, NVI

Um terremoto seguido de tsunami matou aproximadamente 20 mil pessoas no Japão em 11 de março de 2011. Houve sobreviventes, entre os quais o casal Yoki e Tatsuko. Yoki pressentiu a chegada do tsunami e não perdeu tempo. Correu, levando os pais para um abrigo, e tentou salvar vizinhos. Mas, ameaçado pelos escombros de um prédio, ouviu a esposa gritar: “Corra!” Com ela, chegou a salvo a um lugar mais elevado. Dali, viu o bairro ser devastado, e a maior parte de seus bens ser levada pelas águas. Religioso, ele encarou a perda com fé: “Por experiência própria, posso dizer que as coisas materiais não trazem segurança, em comparação com as bênçãos e o favor de Deus.”

No dia em que uma barragem se rompeu no município de Mariana, MG, Paula Geralda Alves estava em uma reunião com colegas de trabalho quando escutou um barulho muito forte, seguido dos gritos que vinham do rádio da empresa, anunciando o desastre. Imediatamente, ela montou em sua moto e, entre buzinadas, pôs-se a gritar para os moradores: “Corram! A barragem rompeu!” Na escola da qual era diretora, Eliane dos Santos viu seu esposo chegar desesperado com a trágica notícia. Sem pensar duas vezes, gritou para os alunos: “É para sair agora, senão vamos morrer!” Apressadamente, acomodou as crianças em um ônibus e as viu seguir salvas, à semelhança dela.

Ninguém arriscaria perder a vida nessas emergências. Contudo, já separado de Abraão, Ló chegou a hesitar, ao receber o aviso de que a ímpia Sodoma seria destruída por um dilúvio de fogo. Estava encantado com os possíveis benefícios mundanos. O apego a esses bens quase o levou à morte com os impenitentes da cidade cuja impiedade ele conhecia de tal modo que se sentia atormentado (2Pe 2:8). Mesmo assim, temendo a morte no lugar para onde Deus misericordiosamente o mandava, acabou se estabelecendo na pequena Zoar, tão insegura quanto Sodoma. Finalmente, tempos depois, fez por medo o que não quis fazer por ordem do mensageiro divino: foi morar nas montanhas.

“Fuja! Não olhe para trás! Não pare em nenhum lugar!”, esse é o grito de advertência divina para muitas pessoas, cujo apego aos bens terrestres pode lhes custar a eternidade. Fuja disso! As glórias do porvir são infinitamente mais valiosas do que as riquezas do mundo. Fuja do passado pecaminoso! Não olhe para os fracassos que ficaram para trás! Há refúgio no monte da graça! Há chance de recomeçar!

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

O Salmo da Fé

MEDITAÇÃO DIÁRIA 25 de setembro O Salmo da Fé O Senhor é a minha luz e a minha salvação; de quem terei temor? O Senhor é a fortaleza...