domingo, 26 de abril de 2020

A Oração de Jesus

MEDITAÇÃO DIÁRIA
26 de abril
A oração de Jesus

Pai, a Minha vontade é que onde Eu estou, estejam também Comigo os que Me deste, para vejam a Minha glória. João 17:24

Um dos mais preciosos capítulos da Bíblia é João 17. Ele relata a oração de Jesus por Seus discípulos e por aqueles que viriam a crer Nele. Cristo vivia a expectativa da dramática conclusão de Seu ministério terrestre. Logo viveria a solidão do Getsêmani, o beijo traidor de Judas, sentiria a separação do Pai, enfrentaria o julgamento de Pilatos, a negação de Pedro, os açoites, a coroa de espinhos, o calvário, a cruz e a sepultura. No entanto, Ele olhou além de tudo isso e orou por você e por mim. Depois de falar da glória e do fim da missão, o Mestre pediu pelos discípulos e por todos os crentes.

No primeiro pedido, Ele rogou ao Pai que, em Seu nome, guardasse do mal os discípulos e os santificasse na verdade, em meio às pressões do mundo (v. 9-19). Embora estejamos no mundo, não pertencemos a ele. O mundo é o ambiente em que vivemos, mas não é nossa morada definitiva. É o objeto da nossa atividade missionária, mas não devemos adotar seu estilo de vida nem agir segundo seus princípios.

O outro pedido de Jesus está relacionado com os que creriam, por meio da palavra dos discípulos (v. 20-26). Ele orou por unidade entre os crentes. Unidade doutrinária, missionária, organizacional, de fé, de esperança e comunhão. Tudo com um propósito: “Para que o mundo creia que Tu Me enviaste” (v. 23). A maior evidência de que Cristo é o enviado de Deus é vista na transformação realizada em nosso coração, eliminando barreiras e preconceitos, aparando arestas e diferenças, motivando-nos ao amor e aceitação mútuos, como irmãos em Seu sangue.

No verso 24, Jesus chega ao ponto alto da oração. Ele sabia que além do sofrimento, da rejeição e morte na cruz, haveria a manhã da ressurreição. Sim, haveria a vitória, a gloriosa ascensão. Após beber do cálice amargo do Getsêmani e do Calvário, o Senhor vitorioso sobre o pecado e a morte entraria no glorioso esplendor do Céu.

É lá que Cristo espera nos receber. Enquanto isso não acontece, devemos continuar diligentes no cumprimento da tarefa que Jesus nos confiou, proclamando, pela palavra e pelo estilo de vida, a maravilha da salvação com que fomos alcançados, animados pelas palavras de Ellen White: “Seja paciente, soldado cristão. Ainda um pouco, e Aquele que há de vir virá. A noite de fatigante espera, de vigia e tristeza, está quase passada. Em breve será dada a recompensa; o dia eterno há de raiar” (Serviço Cristão, p. 275).

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

Do Desespero À Felicidade

MEDITAÇÃO DIÁRIA 07 de junho DO DESESPERO À FELICIDADE As mulheres disseram a Noemi: Seja o Senhor bendito, que não deixou, hoje, de...