sexta-feira, 24 de janeiro de 2020

Retrato de Um Cristão

MEDITAÇÃO DIÁRIA

24 de janeiro
RETRATO DE UM CRISTÃO

Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê. Romanos 1:16

Após uma palestra na qual incentivou um grupo de cristãos a se dedicar às missões estrangeiras, certo pregador foi questionado por um dos ouvintes: “Não entendo por que temos que levar uma nova religião a lugares em que já existem muitas crenças exóticas. Isso não iria aumentar a confusão religiosa?” O missionário respondeu: “Não falei sobre implantar uma religião em algum lugar, mas em levar o evangelho. É pelo evangelho que dou minha vida”.

Esse diálogo traz implícita uma questão que tem se tornado a base do conflito espiritual para muitas pessoas que associam crescimento espiritual à mera prática de dogmas ou obediência a credos religiosos. Devemos estar cientes de que o desenvolvimento espiritual é mais que um esforço para ser bom religioso. Antes e acima de tudo, é uma experiência que se fundamenta numa relação amigável com Jesus Cristo através da fé, o que possibilitará uma vida em crescente santificação, frutífera em atos de amor ao próximo na construção de um caráter nobre.

Não é que a religião em si seja má. Contudo, problemas surgirão sempre que os religiosos a complicarem com ideias próprias. Ela só tem sentido quando vivida à luz do evangelho. Religião (do latim religare) pressupõe uma iniciativa humana em busca de Deus; ao passo que o evangelho é iniciativa de Deus para alcançar o homem. Se, por meio da religião, o homem tenta subir a escada da própria justiça, na esperança de se encontrar com Deus no topo; no evangelho, Deus desce a escada da encarnação em Jesus Cristo e Se encontra conosco.

A mera religiosidade tende a realçar a conduta exterior, enquanto o evangelho coloca em primeiro plano a transformação do caráter, que nos levará à prática das boas obras. Aqui, muitos falham em buscar apenas reforma exterior, quando a maior necessidade é de transformação do coração. Como seres humanos, nosso problema principal é interno. Precisamos de um coração limpo. Precisamos nascer de novo. Precisamos nos tornar novas criaturas em Cristo Jesus, o evangelho personificado. Sem Ele, nada na vida, nem mesmo a própria vida, tem sentido. Com Ele entronizado em nosso coração, não haverá um dever ou requerimento cristão que não seja praticado prazerosamente. Nosso estilo de vida, em todos os seus aspectos, refletirá Seu amor, Sua simplicidade, pureza e santidade.

Que nossa experiência seja a mesma do apóstolo Paulo: “Não sou eu quem vive, mas Cristo vive em mim” (Gl 2:20).

Meditações Matinais - De Coração a Coração, Zinaldo A. Santos

Nenhum comentário:

O Sorriso do Pai

MEDITAÇÃO DIÁRIA 27 de outubro O Sorriso do Pai Digo-vos que, assim, haverá maior júbilo no Céu por um pecador que se arrepende. Lucas 15:7 ...