Translate

sexta-feira, 5 de abril de 2019

O Sangue Propiciatório de Cristo

A Fé Pela Qual Eu Vivo
5 de abril
O Sangue Propiciatório de Cristo

Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que, por tradição, recebestes dos vossos pais, mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado. I Ped. 1:18 e 19.

Sobre Cristo como nosso substituto e penhor, foi posta a iniquidade de nós todos. Foi contado como transgressor, a fim de que nos redimisse da condenação da lei. O Desejado de Todas as Nações, pág. 753.

Aborrecendo o pecado com aversão completa, contudo Ele acumulou em Seu espírito os pecados do mundo inteiro. Sem nenhuma culpa, Ele suportou a punição dos culpados. Sendo inocente, contudo Se ofereceu como substituto do transgressor. A culpa de todos os pecados caiu com seu peso sobre a vida divina do Redentor do mundo. Os maus pensamentos, as más palavras e as más ações de todo o filho ou filha de Adão, exigiram Seu sacrifício e Ele se tornou o substituto do homem. Signs of the Times, 22 de julho de 1913.

Ei-Lo no deserto, no Getsêmani, sobre a cruz! O imaculado Filho de Deus tomou sobre Si o fardo do pecado. Ele, que fora Um com Deus, sentiu na alma a terrível separação que o pecado causa entre Deus e o homem. Foi o que Lhe arrancou dos lábios o brado de angústia: “Deus Meu, Deus Meu, por que Me desamparaste?” Mat. 27:46. Foi o peso do pecado, a sensação de sua terrível enormidade e da separação por ele causada entre Deus e a alma, que quebrantaram o coração do Filho de Deus. Caminho a Cristo, pág. 13.

Sabei, diz Pedro, “que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados”. I Ped. 1:18. Oh, se isso bastasse para conseguir a salvação do homem, quão facilmente podia ter sido realizada por Aquele que disse: “Minha é a prata, e Meu é o ouro.” Ageu 2:8. Mas o pecador não podia ser resgatado senão pelo sangue precioso do Filho de Deus. A Ciência do Bom Viver, pág. 502.

Derramando toda a riqueza do Céu neste mundo, dando-nos todo o Céu em Cristo, Deus adquiriu a vontade, as afeições, a mente, a alma de todo ser humano. Parábolas de Jesus, pág. 326.
Meditação Matinal de Ellen White – A Fé Pela Qual Eu Vivo, 1959 – Pág. 101
Comentários
0 Comentários

Nenhum comentário:

Receba em seu e-mail nossas mensagens

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

AddThis