quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Maravilhoso Jesus Hebreus 10:35,36


Esperando por Jesus - 1

Por isso, não abram mão da confiança que vocês têm; ela será ricamente recompensada. Vocês precisam perseverar, de modo que, quando tiverem feito a vontade de Deus, recebam o que ele prometeu. Hebreus 10:35, 36, NVI.

Como vamos esperar por Jesus?

Em 1914 uma expedição liderada por Ernest Shackleton partiu da Inglaterra. O grupo desejava realizar a primeira travessia do continente da Antártica. Os homens navegariam para o Mar de Weddell e atravessariam o continente, através do Pólo Sul, encontrando o mar no Estreito de McMurdo.

Com grandes esperanças o grupo partiu no navio “Endurance” [Perseverança]. Mas a expedição enfrentou dificuldades desde o início. Blocos de gelo cercaram o navio antes mesmo que os exploradores pudessem chegar ao continente Antártico. Durante nove meses o “Endurance” rangeu e gemeu sob a pressão do gelo, e então, finalmente, partiu-se em dois. Que situação! Shackleton e seus homens estavam no fim do mundo, presos num deserto de gelo.

Durante cinco meses os membros da expedição de Shackleton permaneceram próximos uns dos outros em cima de grandes blocos de gelo. Então, com a ajuda de pequenas embarcações recuperadas do “Endurance”, conseguiram chegar à Ilha dos Elefantes. Não se deixe enganar pelo nome da ilha – nem mesmo um rato vive ali. É um deserto de gelo e neve com fortes ventanias. A habitação humana mais próxima ficava a 800 quilômetros de distância, na ilha  Geórgia do Sul. Mas separando as duas ilhas ficava o mar mais selvagem do mundo – e Shackleton possuía somente um barco aberto de caçar baleias com o qual tentar a travessia.
Levando consigo cinco homens, Shackleton partiu. Enquanto acenava despedindo-se do grupo abandonado na Ilha do Elefante, ele perguntou a si mesmo se algum dia vê-los-ia novamente. Eles se perguntaram a mesma coisa.

A travessia num barco baleeiro aberto foi uma das passagens épicas do século XX. Apesar das ondas gigantescas enfrentadas pelo minúsculo navio, o grupo conseguiu desembarcar na ilha Geórgia do Sul.

Logo foi organizada uma tentativa de resgate. A primeira tentativa falhou. As placas de gelo se fecharam e o navio de resgate não conseguiu transpô-las para chegar à Ilha dos Elefantes. Tiveram que retornar. Uma segunda tentativa foi organizada. Mas novamente o gelo rodeou a ilha, e o navio voltou. Houve então uma terceira tentativa – e mais uma vez o gelo foi o vencedor.

Somente após quatro tentativas de resgate Shackleton pôde encontrar uma maneira  de chegar até a Ilha Elefante. Conforme ele se aproximava daquele deserto de neve e gelo, ele se perguntava o que encontraria lá. Será que alguém ainda estaria vivo depois de todos aqueles meses de espera? Haveria, talvez, alguns sobreviventes enlouquecidos pelo silêncio e pela espera?

Shackleton encontrou todos os homens vivos, em boas condições, e bem humorados. Como eles conseguiram sobreviver? O segredo foi a liderança do homem que Shackleton havia deixado no comando. Todo dia ele dizia aos seus homens: "Preparem-se, rapazes. O patrão pode voltar hoje".

E assim todos os dias eles ficavam prontos. Todos os dias eles se preparavam. Todos os dias eles vigiavam. Todos os dias eles esperavam. E apesar do longo silêncio, e do grande risco envolvido, um dia Shackleton voltou.

Assim também um dia Jesus voltará para nos buscar.

ORAÇÃO

Meu capitão celestial ajuda-me a não desanimar enquanto espero pelo Teu regresso!


Autor: William G. Johnsson

Nenhum comentário:

Hotel Abraão

  Devocional Diário Hotel Abraão Abraão plantou uma tamargueira em Berseba e invocou ali o nome do Senhor, o Deus Eterno. Gênesis 21:33 Um c...