quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Maravilhoso Jesus - João 14:19

Como as pessoas vêem a Deus?


Disse-lhe Jesus: Filipe, há tanto tempo estou convosco, e não me tens conhecido? Quem me vê a mim vê o Pai; como dizes tu: Mostra-nos o Pai? João 14:9, ARA.


Um dia, ao estar em uma grande cidade em um país Oriental, vi uma cena estranha.


Um grupo de homens se organizava em fila para um desfile religioso. Cada ano no aniversário de um famoso professor de sua fé, eles se reúnem a fim de marcharem pela cidade. Levam consigo instrumentos musicais e objetos sagrados do santuário.


Os músicos começaram a tocar. A música ficou mais alta e mais rápida, e alguns dos jovens começaram a dançar enquanto a procissão descia a rua. Mais alto e mais rápido, mais alto e mais rápido – a dança tornou-se frenética. Os dançarinos faziam uma pausa, e um a um se dirigiam ao sacerdote. Seus rostos estavam transtornados, seus olhos pareciam soltar faíscas. Fiquei surpreso ao observar que o sacerdote tinha em mãos espetos de metal com pelo menos 15 centímetros de comprimento. Os dançarinos pegavam um espeto e o forçavam através de uma bochecha até sair pela outra, ou atravessavam o nariz, ou os lóbulos da orelha, ou a pele do peito. Alguns tinham vários espetos atravessados na pele. Não gritavam, não faziam careta, não mostravam nenhum sinal de dor. Não vi sangramento algum. Depois retornavam para a procissão, para dançar com o mesmo frenesi selvagem.


Não era uma cena atraente para mim, e me afastei dela. Mas permaneceu em minha memória e me levou a refletir na pergunta: Como essas pessoas vêem a Deus?


A história atesta que a religião tem provocado os atos mais bizarros. Em nome de Deus, guerras foram travadas, bebês sacrificados, populações dizimadas. As pessoas têm se submetido a jejuns, mutilado a si mesmas, deixado pais, cônjuges, filhos – tudo porque acreditavam que Deus exigia isso deles.


Por esta razão, é extremamente importante saber como Deus realmente é. Não podemos confiar em nossas impressões, nossa imaginação, nossas vozes interiores, ou no que outros podem nos dizer. O assunto é demasiado importante para confiar em qualquer fonte.


Jesus, a quem estamos focalizando nas mensagens deste ano, é a revelação suprema de Deus. Ele nos mostra quem Deus realmente é. "Ninguém jamais viu a Deus; o Deus unigênito, que está no seio do Pai, é quem o revelou" João 1:18, ARA).


Não sabemos qual palavra Jesus usou quando nos disse para chamarmos a Deus de Pai, pois estava falando em aramaico e o Novo Testamento foi escrito em grego. Mas em dois lugares Paulo utiliza uma palavra aramaica, Abba (Romanos 8:15, Gálatas 4:6), para referir-se a Deus. Esta palavra é um termo de profunda afeição, que poderíamos traduzir como "Papai".


Jesus estava mostrando como deve ser o nosso sentir em relação a Deus. Pensemos nele como um pai, como alguém que cuida de nós da maneira mais dedicada possível.


Que Deus!


ORAÇÃO


Jesus revelador. Mostra-me a beleza dos sentimentos de Deus para comigo a fim de que eu possa amá-lo de todo o coração.


Autor: William G. Johnsson

2 comentários:

raul santos disse...

saudações.

gostaria de saber se vc está aberta a parceria de blogs...

meu blog é:

aguardo resposta... raul
maranata.xp@gmail.com
mochila10@hotmail.com

Eliana Aderne disse...

Olá Raul não consegui acessar os seus blogs.Espero que vc se identifique para que assim possamos fazer a parceria.

Quem ri por último ri melhor

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 22 de junho Quem ri por último ri melhor Sara disse: “Deus me deu motivo de riso. E todo aquel...