quarta-feira, 2 de março de 2011

Maravilhoso Jesus- João 5:35



Luzes que brilham para sempre


João era como uma lamparina que estava acesa e brilhava, e por algum tempo vocês se alegraram com a luz dele. João 5:35 NTLH



A intensidade de uma vida conta muito mais do que a sua extensão. Melhor uma vida de apenas 20 ou 30 anos, cheia de energia, projetos criativos e serviço a Deus e aos semelhantes do que uma vida de 100 anos desperdiçada na preguiça e mesquinhez.



Li certa vez a respeito de um homem chamado Gulbenkian. Era considerada a pessoa mais rica de sua época - embora ninguém realmente tivesse certeza disso, devido ao seu estilo arredio. Ele era tão miserável que não se permitia nem mesmo uma refeição decente - subsistia com uma poucas cascas de pão. Apesar do fascínio de suas fabulosas riquezas, nenhuma mulher suportaria viver com ele.



Gulbenkian, assim mencionava o relato, tinha apenas uma ambição na vida - viver mais do que seu pai. E até nisso ele falhou; apesar de ter ultrapassado os 90 anos, morreu com menos idade do que seu pai.



Quão mais valiosa foi a vida de João Batista! Embora tenha morrido com apenas 31 ou 32 anos, embora seu ministério público tenha durado apenas um ou dois anos, sua vida brilhou com tal intensidade que iluminou a sua geração. Luzes como João brilham para sempre. Sempre que a história de Jesus for contada, o exemplo de João Batista irá inspirar e desafiar os jovens a uma vida de compromisso cristão.



Trinta anos antes da América do Norte alcançar a independência um jovem chamado David Brainerd dedicou-se completamente a uma causa divina, assim como o fez João Batista. Convertido com pouco mais de vinte anos, David sentiu-se chamado a levar as boas novas de Jesus a diversos povos indígenas da América do Norte: os Delawares, as Seis Nações, os Senakes, e os Tutelas. Em termos de números de convertidos, ele teve pouco sucesso. Em termos de realizações, da maneira como o mundo as avalia, Brainerd foi um ninguém: morreu de esgotamento aos 29 anos.



Mas, por meio de seus diários Brainerd ainda vive. Franco, honesto, ele relata sua fome por Deus e pelo Espírito Santo. "Eu tenho sede, sede dos rios de água viva", ele escreve vez após vez. Milhares de jovens leram os seus diários (eles foram impressos) e se entregaram a Cristo e Sua missão.


O maior homem que já viveu morreu com apenas 33 anos – crucificado entre dois criminosos. Mas Ele completou o trabalho para o qual nasceu; Ele acendeu uma luz que brilhará para sempre.


ORAÇÃO

Meu Deus. Acende uma chama em meu coração que não se apague. Cria em mim o desejo de te amar, a disposição para Te servir com intensidade. Amém.




Autor: William G. Johnsson

Nenhum comentário:

Ser ou usar

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 21 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/ser-ou-usar/ Ser ou usar Cuidemos também de nos ...