quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

*Maravilhoso Jesus-Jeremias 23:6


O Senhor nossa Justiça

Nos seus dias, Judá será salvo, e Israel habitará seguro; será este o seu nome, com que será chamado: SENHOR, Justiça Nossa. Jeremias 23:6

Muitas pessoas estão prontas a dizer “O Senhor nosso libertador.” Quando o navio começa a afundar até mesmo os descrentes começam a clamar a Deus por socorro. Outras pessoas se alegram em dizer “O Senhor nosso protetor.” Eles olham para Deus como um agente de segurança celestial, cujo cuidado benevolente irá protegê-los de acidentes e doenças. Alguns outros – certamente um grupo menor – ainda dizem: “O Senhor nosso Juiz.” Estas pessoas acreditam que o universo deve finalmente prestar contas ao seu Criador.

Mas é um passo além ser capaz de dizer: “O Senhor nossa Justiça.” Isso quer dizer que não procuramos a Deus simplesmente para nos atender naquelas áreas em que não temos controle – quando o barco começa a afundar, ou quando ficamos doentes ou no dia do ajuste de contas final – mas até mesmo naquilo que achamos que podemos controlar: a nós mesmos. Significa que deixamos de lado toda a nossa pretensão à sermos justos, nosso orgulho secreto, nossas desculpas e nossa racionalização. Até porque, quando pensamos um pouco, conseguimos fazer uma lista de coisas em que nos consideramos bons e chegamos a conclusão que somos melhores do que muita gente. É por isso que é tão difícil dizer do fundo do coração: “O Senhor Justiça nossa.”

É interessante ler a confissão do famoso pensador Francês Rousseau. Ele descreve extensamente suas fraquezas e defeitos, sem poupar a si mesmo perante o mundo. Mas também mostra como as circunstâncias contribuíram para as suas fraquezas e como, mesmo nas ocasiões em que havia falhado, suas intenções haviam sido boas. A conclusão a que se chega, mesmo considerando os seus tropeços, é de que ele é o melhor dos homens!

Duas pessoas foram orar. Uma disse: “Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens”. Mas o outro disse: “Ó Deus, sê propício a mim, pecador!” (Lucas 18:9-14). Ainda é difícil dizer “Senhor Justiça nossa.” Somente seremos capazes de dizer estas palavras do fundo do coração quando compreendermos a beleza de Jesus.


ORAÇÃO

Santo Deus. Quero neste momento retirar as minhas vestes de justiça própria. Sei que sou indigno de habitar em Tua presença. Deposito minha confiança no “Senhor, Justiça nossa”. Aceita-me, perdoa-me, transforma o meu coração! Pelos méritos de Jesus. Amém.

Autor: William G. Johnsson

Nenhum comentário:

Dor de coração

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/dor-de-coracao/ Dor de coração O cetro não se ar...