quarta-feira, 17 de janeiro de 2024

Todos falam disso

 Todos falam disso

Por isso, o homem deixa pai e mãe e se une à sua mulher, tornando-se os dois uma só carne. Gênesis 2:24

Dizem que os melhores poemas de amor em espanhol foram escritos por Adolfo Bécquer, um escritor romântico em todos os sentidos da palavra. Talvez seu poema mais apreciado seja este:

Pode nublar-se o Sol para sempre;
Pode secar-se o mar num instante;
Pode romper-se o eixo terrestre
Como frágil cristal.
Tudo pode acontecer! Pode a morte
Cobrir-me com negra mortalha
Mas em mim nunca vai se apagar
A chama do teu amor. 

É um poema entre milhões, pois, se existe um assunto sobre o qual todos falam, é o amor. O verdadeiro amor no casamento é o que mais se assemelha ao amor divino. Deus nos outorgou o dom de sermos duas pessoas em uma, de viver em cumplicidade, amizade e igualdade. Ele determinou que deixássemos nossas estruturas familiares anteriores, nos uníssemos com uma pessoa do sexo oposto e fôssemos com ela uma só pessoa. Esse amor é de tal calibre que a palavra “eterno” o acompanha.

No entanto, chegou o pecado. E embora Bécquer não o diga, muitas condições favoreceram o enfraquecimento desse amor autêntico. Em primeiro lugar, o par deixou de ser par. Os dois passaram a pensar de forma diferente. Eram complementares, mas desiguais. A intimidade ficou limitada à sexualidade; os desejos da pele se distanciaram das razões do coração. A família nuclear se converteu em patriarcado, em poligamia ou concubinato. E a imagem de Deus ficou diluída. Ele teve que recorrer a mandamentos e leis para que tanto homens quanto mulheres pudessem voltar a perceber o panorama daquele amor. Essa é a razão pela qual Jesus Se esforça tanto para que compreendamos a grandeza de Seu projeto original com relação ao homem e à mulher. Ele sabe que esse é um amor que, de tão poderoso, pode mudar tudo se estiver bem ajustado. E é por esse motivo que Satanás se dedica tanto a esse assunto. Ele sabe que, quando desvirtuado, o amor é uma imensa distração que nos deixa cegos e infelizes. Anelamos tanto por amor que, de insatisfação em insatisfação, podemos passar a vida atrás dele.

Peça agora ao Espírito Santo que derrame sobre você o amor do Pai (Rm 5:5), o amor verdadeiro que transcende a eternidade.

Devocional Diário

Vislumbres da eternidade
17 de janeiro
https://mais.cpb.com.br/meditacao/todos-falam-disso/

Nenhum comentário:

Jenga e Lego

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 20 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/jenga-e-lego/ Jenga e Lego Irmãos, pelo nome de ...