domingo, 7 de janeiro de 2024

Poema de amor

 Poema de amor

Quando Jesus tomou o vinagre, disse: “Está consumado!” E, inclinando a cabeça, entregou o espírito. João 19:30

Um dos poemas mais longos de todos os tempos é o que conta a história do guerreiro Manas. Essa história tem sido contada durante décadas na Ásia Central. Ainda hoje, ela é recitada no Quirguistão, apesar dos seus 180.378 versos – versos de violência. Por outro lado, os haikus são poemas japoneses que só podem ter 17 sílabas. A verdade é que é bem mais difícil dizer muito em poucas palavras. Os haikus costumam expressar experiências de contemplação da natureza e, com sua peculiar brevidade, descrevem paisagens e emoções. Matsuo Basho foi o poeta que deu maior renome a esse estilo. Observe este poema: “Este caminho / Ninguém mais percorre / Salvo o crepúsculo.”

Diferentemente dessa composição, o discurso mais longo da nossa história é o de Satanás. Há séculos, ele vem dizendo que Deus é injusto, que só tem aparência de bondade e que não deveria ser o soberano do Universo. Ele tenta nos convencer de que não há futuro, que temos de aproveitar o presente, que precisamos ser nossos próprios deuses, que devemos lutar por nós mesmos, pois os outros pouco importam. E muita gente relata suas epopeias como se fossem verdade, mas não é assim. Jesus veio a este mundo para demonstrar como o Pai realmente era e para sintetizar a grandeza de Sua bondade. Por onde Ele passava havia milagres, sorrisos e esperança. Aonde quer que Ele fosse, a luz surgia e a verdade era abraçada. E como se isso não fosse suficiente, decidiu escrever o maior poema de amor jamais recitado. Em apenas uma palavra Ele reuniu todas as emoções e todas as paisagens. Em apenas uma palavra o véu do templo foi rasgado e o Universo guardou silêncio. Ali, pendurado em uma cruz, ferido por nossos pecados, Jesus exclamou como o melhor dos poetas: Kulah! (Está consumado!). Que maravilha! Que grandiosidade! Quanta simplicidade para tão imenso amor! Ele o fez por amor a você, porque você é o que há de mais importante para Ele.

Ao contemplá-Lo, ao ouvir a poesia de Sua vida e sacrifício, nos convertemos em Suas testemunhas. Que nosso viver seja um poema de amor a Deus, e que nosso testemunho constante declare: “Este caminho / Somente Ele percorreu / E salvou o mundo.” 

Devocional Diário -7 de janeiro

Vislumbres da eternidade

https://mais.cpb.com.br/meditacao/poema-de-amor/

Nenhum comentário:

Dor de coração

  Devocional Diário Vislumbres da eternidade 24 de julho https://mais.cpb.com.br/meditacao/dor-de-coracao/ Dor de coração O cetro não se ar...